Jul M

Oi

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Descendentes --- Capitulo 1

1 Primeiro contato.

Era primeira vez que me sentia assim, encurralado, constrangido, e sem saída, estava em uma sala estranha com pessoas estranha, e ainda não tinha dormido nada, sentia uma baita dor de cabeça, meus olhos estavam vermelho, de tanto chora, sim, eu chorei, chorei bastante na noite passada, Nane minha mãe havia sido morta na minha frente, por criatura que nunca tinha visto antes, era algo que chegava ser assustador e cruel.
- Não a dúvida! O homem que parecia ser um deus grego em sua forma humana disse – Ele e último da linhagem, me surpreendi muito que ele tenha sobrevivido tanto tempo no mundo lá fora.
-- Ele deveria ter uma guardiã! A mulher com rosto em formato de coração disse, havia bondade no olha dela. —Como era nome da sua guardiã? Ela me perguntou
-- Não sei do que você está falando! Eu disse—Ela era minha mãe, e foi morta pela aquela coisa! 
-- O nome dela meu querido!
-- Nane, Nane Cullen.
-- Como disse, ela é a guardiã! A mulher disse novamente e eu estava ficando bem perdido nessa conversa.
-- Vamos lhe conta uma história! O homem disse sentando em sua cadeira de couro. — Como explicar.
-- Carlisle, por favor pelo começo é mais fácil! A boa mulher disse dando sorriso gentil para me confortar. Não chegou nem perto.
-- Você já se sentiu estranho? Como se não se encaixasse nesse mundo? Carlisle me perguntou. Agora já sabia o seu nome.
-- O tempo todo! Eu digo—É como se sempre tivesse faltando algo. Mas o que isso tem a ver com fato de eu estar aqui e minha mãe está morta. Essa conversa ficava ainda mais estranha.
-- Primeiro, Nane Cullen, não era sua mãe e sim sua guardiã legal, seu pais estão morto a mais tempo do que você imagina. Carlisle diz calmamente me olhando esperando minha reação.
-- Do que você está falando? Eu perguntei as coisa estavam ficando bem confusa agora, ele só pode estar mentindo.
-- Deixa eu tenta explicar. Carlisle disse – Você nasceu na família Masen. A primeira família do reino, você descendente direto de Drácula, em poucas palavras você ultimo da linhagem Drácule.
-- Você está doido? Isso mentira! O nome da minha mãe e Nane Cullen, eu nasci em NY, você está louco.
 Esse cara só podia esta zuando com minha cara, descendente de Drácula. Hahaha, essa era melhor piada que ela poderia conta em note de merda com essa.
-- A 17 anos seus pais foram morto em ataque, para salva você, eles te mandaram para mundo dos humanos junto com Nane Cullen sua guardiã legal.
-- E por que eu não sei de nada disso! Eu quis saber era impossível eles eram loucos só pode. Tanto ele quando a mulher estavam completamente loucos.
-- Para garanti sua segurança sua lembrança foram apagada, Edward você ultimo da sua linhagem, e aquele mostro que atacou a Nane, são conhecido como apanhadores de alma. São apenas marionetes existem alguém que o controla eles. A diferentes nível de apanhadores de alma, o que atacou você e a Nane era nível 1 o mais forte, apenas um guerreiro de elite poderia mata um, a Nane, não era tão forte assim.
-- Você quer que eu acredite nisso? Você tem ideia do que está falando? Eu praticamente gritei as palavras a eles.
-- Edward! A mulher disse docemente para mim – Você tem sonhos estranho, o qual não consegue entender não tem?
Eu nunca comentei com ninguém sobre isso até mesmo a Nane eu parei de falar para ela depois de tempo, ela ficava assustada e muito preocupada quando eu falava sobre esse sonhos.
-- São sonho, do seu passado, estava começando a lembra. Sabe por que aquele apanhador de alma queria captura você?
-- Não, por que? Eu perguntei, por algum motivo estava começando a quere acredita nessa história. Talvez por que algumas coisa estejam fazendo sentido.
-- O sangue de Drácula dá o direito de algumas criaturas andarem nos mundo do humanos, Drácula fora único que conseguiu interagir entre esses dois mundo.
-- Então esse lugar.
-- Elford! Carlisle disse –Foi criado a muito tempo, quando humanos tentaram nos eliminar por sermos diferentes, e como se fosse o mesmo mundo só que está dividido em dois, você pode velos, mas eles não, a não ser que você queira.
-- O que vai acontecer agora? Era única pergunta que eu queria que eles respondesse
-- Você ficara no acampamento, terá aula, e recebera o treinamento necessário para sobreviver.
-- Você está dizendo que eles voltaram? Eu pergunto assustado.
-- Você não é único especial! Carlisle disse —Aqui existem outros, tão talentoso com você. Você conhecera eles durante as aulas.
-- Eu terei que ficar aqui?
-- Esse e o melhor lugar para você meu querido! A mulher diz—Você está seguro aqui.
-- Esme levara você até o seu dormitório, poderá toma banho e dormi, acho que você precisa, a final é muita coisa para se compreender.
-- Você disse que meus pais morreram a muito tempo atrás. Quem eram eles? Elizabeth e John Masen, eles foram os melhores guerreiro elite que toda Elford já teve. Existe um memorial em homenagem a eles, podemos lhe mostra mais tarde.
-- Acho que vou quere ver! Digo e me levanto seguindo em direção a porta Esme a mulher me acompanha.
Durante alguns segundo apenas seguimos calado passamos por vários corredores até sairmos e eu me deparo com grande jardim e do outro lado existe algo que parecia ser pequenas casa de madeira, várias casa, de diferentes tamanho.
-- Sua família é nobre o seu dormitório fica sul, e onde família nobre ficam. Ela me informa e nós seguimos andando até onde eu ficaria.
Era algo incrível uma casa toda feita de madeira e dois andares, havia varanda, e eu não sei como, mas era tão perfeito que parecia sonho.
-- Você não dividira o quarto com ninguém! Esme diz— É seu, qual quer coisa interfone, existe telefone nos dormitórios, dique 123 e cairá direto na sala do primeiro ministro que por acaso e Carlisle. Descanse Edward, você terá dia cheio amanhã, por hoje ficara aqui amanhã, estarei aqui para leva-lo até a sala de aula e lhe apresentarei diretamente ao outros alunos.
-- Obrigado, Esme!
A boa mulher sorriu e então sumiu em meio as arvores e as outras casa, me senti mau, ao ver que minha “casa” era única que possuía dois andares, pelo visto meu pais biológico eram muito importante.
Era grande havia uma sala, com TV bem grande, sofá, mesa para janta, um cozinha mais eu não sabia cozinha Nane era que fazia isso, havia um varanda em volta da casa e uma escada em formato de caracol que dava acesso ao anda de cima havia dois quarto, o maio foi o que fiquei, havia armário com roupas, e grande banheiro, foi lá que fiquei. Tomei um banho como se quisesse lava minha alma, chorei novamente pela morte de Nane, e então apaguei na cama sem saber o que o amanhã tinha para mim. A única coisa que eu tinha completa certeza era que nada seria como antes.
Continua.

De todos os sentimentos o amor é o mais forte, e amor de mãe é sempre sem tamanho.

                                          -- Frase de Jul M






Ps: O Capitulo está sem revisão ortográfica, então por favor perdoem os erros se vocês acharem.

Eu estou sem Beta para revisar essa historia. Mas eu queria muito postar ela. Então estou contando com sorte.




domingo, 20 de agosto de 2017

Em Breve! ... Descendentes!





Descendentes

É difícil entender o que se passa em sua cabeça, quando nem mesmo você entende o está acontecendo. Sempre achei que algo estava fora do lugar, era como se uma parte de mim estivesse faltando o problema era saber qual parte era essa? Eu não sabia, até aquele momento.
Todos tem uma herança genética, todos pertence a uma linhagem. Qual é sua?
Escolha um lado!
Aprenda que todas história que você ouviu sobre eles são verdadeiras!
Descendentes ... Nada é o que parecer ser.

                       Resultado de imagem para gifs de lutas de animes com espadas
                                        Ela Será o seu pior pesadelo 

                   Resultado de imagem para gifs de lutas de animes com espadas

                               Ele precisa ficar forte.

             Imagem relacionada
                                Escolha o seu lado

Fanfiction Escrita por Jul M


Credito especial pela linda imagem  da capa a Robsten Rematch

sábado, 19 de agosto de 2017

Descendentes

Você terá que escolher uma lado!
E acredite nada é o que parecer ser.
Em Breve



Credito especial pela linda imagem  da capa a Robsten Rematch

O Tempo Não Para -- Capitulo 20


“As emoções desse corpo são muito mais fortes que a lógica.”
                      ― A Hospedeira
Capítulo 20

O dia de domingo foi um pouco diferente do normal. Bella almoçou na casa do pai junto com Nessie e Edward. A menina estava tão feliz por ter o pai presente que Bella se recusou a estragar esse momento. No final da tarde Edward deixou as duas em casa e despediu-se dando um beijo apaixonado em Bella, ele ainda precisava voltar para casa. Teve que ir, mas prometeu que ligaria mais tarde para saber como andavam as coisas.
Quando chegou a casa, Jasper estava na sala com Jake. O menino pintava um livro de colorir e Jasper lia um livro em francês.
– Boa noite! – disse entrando e juntando-se a eles.
– Olá! – Jasper respondeu com um sorriso discreto – Como foi?
– Nada sutil...! – Edward comentou sorrindo e sentando no sofá – Correu tudo bem, ela já sabe a verdade.
– Meus parabéns! – Jasper disse e sorriu abertamente, sabia que o cunhado estava feliz.
– Obrigado! – disse – Preciso comprar uma boneca, a maior que existir!
– Pelo visto, ela já colocou as garrinhas de fora! – o loiro falou rindo – Se puxar para você, tu estás lascado!
– Edward! – Alice disse entrando na sala – Pensei que fosse dormir fora novamente...
– Vontade não faltou, – ele falou relaxando no sofá – mas preciso resolver as coisas aqui também. Por falar nisso... Onde está Tânia?
– Quem sabe? – Alice respondeu revirando os olhos – Ela saiu cedo com o irmão, depois, James voltou e ficou por aqui até minutos atrás, depois saiu.
– Menos mau, confesso que não tenho nem um ânimo em vê-la...
– Bom, nisso tenho que concordar! – Jasper afirmou – Ela está com um humor terrível desde ontem!
– Lamento por vocês... – Edward  – Na quarta esse inferno acaba.
– Tomara! – Alice disse sorrindo – Como está Nessie?
Edward levantou uma sobrancelha e olhou para a irmã. De fato ela não parecia irritada ou apenas forçando uma falsa gentileza. Ela queria realmente saber da sobrinha.
– Bem, deixei-a em casa junto com Bella... – Edward informou – Elas virão aqui no domingo. Espero que não se importe.
– A casa é sua também!
– Refiro-me à Bella! – Edward explicou – Sei que você jamais faria algo contra Nessie, afinal, ela é sua sobrinha. No entanto, já não tenho tanta certeza em relação à Bella... Parece que você ainda tem certo ódio dela.
– Não é nada disso! – Alice contradisse corando fortemente – E não se preocupe, vou tratar ambas muito bem.
– Assim espero, Alice... Assim espero! – ele disse ficando de pé – Vou tomar um banho e dormir. Amanhã será um dia cheio e, de fato, estou cansado. Boa noite! – despediu-se dando um beijo na testa da irmã e bagunçando os cabelos do sobrinho.
– Veja bem o que vai fazer! – Jasper disse olhando seriamente para a esposa assim que Edward desapareceu pelas escadas – Ele não te perdoará se magoar a Bella.
– Eu sei! – Alice disse olhando fixamente para o filho colorindo seu caderno.
..............................................
Edward tomou um banho  e vestiu apenas uma cueca boxer preta. Estava deitando na cama quando pegou o celular para ligar para Bella. Não demorou muito, a morena atendeu logo no segundo toque.
– Oi! – ela atendeu meio ofegante.
– Aconteceu alguma coisa?
– Não! – disse deixando escapar um risinho – Sua filha está animada. – Com isso, um sorriso de canto formou-se nos lábios do ruivo.
– Coloque no viva-voz, deixe-me falar com ela, por favor! – pediu gentilmente.
– Diga ‘oi’ para o papai, Nessie! – Bella falou mais alto e Edward pôde ouvir os gritos animados da menina.
– Oi, papai!
– Não pule! – Bella gritou e sorrio em seguida – Como eu disse, ela está elétrica.
– Nessie, já está na hora de dormir! – ele disse – Você tem aula amanhã! Vamos, mocinha, já para a cama.
– Mas eu não estou com sono! – a pequena resmungou – Por que você não vem me colocar para dormir?
– Eu não posso, querida, mas amanhã prometo que coloco.
– Não pode quebrar sua promessa! – a menina gritou feliz voltando a pular por todo o quarto da mãe – Você vem me buscar para levar na escola? A mamãe ainda está sem carro!
– Tudo bem, amanhã pegarei as duas para levar a escola.
– Oba! – a menina gritou e pulou ainda mais.
– Nessie! – Bella chamou a atenção da menina – Hora de dormir, dê boa noite para o seu pai!
– Boa noite, papai! – ela disse sorrindo de uma forma que transparecia pela sua voz – Da próxima vez, faz vídeo-chamada, é mais divertido! – disse e saiu correndo fazendo Bella sorrir e ele também.
– Ligo para você assim que ela dormir! – Bella disse e mandou um beijo.
O telefone ficou mudo no momento certo, porque a loira perfeita entrou no quarto dele usando nada além de sua bela camisola de renda vermelho como o batom que tinhas nos lábios.
– O que pensa que está fazendo? – Edward perguntou olhando feio para ela e já colocando um hobbie por cima.
– Eu vim te desejar boa noite! – Tânia respondeu descaradamente.
– Não quero você aqui, saia do meu quarto! – ele exigiu.
– Nossa como você anda sensível! – ela disse chegando ainda mais perto – Antigamente você não reclamaria se eu aparecesse. Até onde me lembro, esse era um jeito gentil de você matar sua vontade.
– Tânia, nosso casamento acabou! – ele esbravejou e a loira ficou séria e fria – Nunca existiu um casamento, na realidade... Eu apenas queria tomar de volta tudo o que seu pai roubou do meu.
– Cretino! – ela gritou dando uma tapa na cara dele. A loira fora rápida, pois, em outro momento, jamais teria acertado o tapa nele. Serviu apenas para aumentar o ódio de Edward – Afinal, para que você iria me querer por perto já que tem sua doce Isabella, aquela puta! – gritou descontrolando-se.
– Não fale dela! – ele gritou de volta no mesmo tom – Você não tem moral para falar dela.
– Não? – Tânia perguntou com ironia – Uma mulher que se deita com um homem casado é o que, então?
– Só mostra que ela é mais mulher do que você! – Edward cuspiu as palavras na cara da loira, inflamando ainda mais a raiva da mulher.
– Você vai me pagar por tudo! – Tânia afirmou transtornada – Eu vou atingir você onde mais dói.
– Nem tente! – Edward falou segurando a loira pelo braço e balançando- a com força – Chegue perto de Bella e eu acabo com você, sem a menor chance de volta.
Tânia nunca, em toda sua vida, tinha sentido tanto medo de alguém como sentiu de Edward naquele momento. Havia algo nos olhos dele, algo que a loira pouco vira nesses últimos anos de casamento. No entanto, ela sabia que ele não pouparia esforços para acabar com ela e isso estava visível em seu olhar frio.
Tânia saiu do quarto do ruivo com o ar lhe faltando. Ela tinha medo dele, sim, ela sempre teve, porém, seu desejo de tê-lo era maior... Bem maior. Edward fechou a porta na chave quando a loira saiu. Ela tinha acabado totalmente com o humor dele com aquela aparição repentina.
Ele estava deitando na cama quando seu celular voltou a tocar. Ele atendeu sem olhar para o visor, ainda estava fervendo com a situação que acabara de acontecer.
– Alô! – atendeu rispidamente.
– Edward... – Bella respondeu meio sem jeito devido ao tom de sua voz – Tudo bem?
– Desculpe! – ele automaticamente pediu – Não queria ser grosso.
– Aconteceu alguma coisa? – ela perguntou.
– Nada com que tenha que se estressar!
– Mas você está estressado...!
– Nem tudo é perfeito, baby! – ele comentou, o que fez Bella sorrir. Ele sempre usava essa frase quando queria algo dela. Pelo menos, era assim na escola. – Do que está rindo? Diga-me, por favor, quero rir também!
– De você! – respondeu se deitando na cama – De como você usa essa frase quando quer algo.
– Bom, eu quero muitas coisas nesse momento e você, definitivamente, é uma delas! – ele disse puxando uma profunda respiração e soltando o ar de uma vez junto com as palavras – Ainda sinto seu cheiro, preciso fazer você dormir aqui em casa, em meu quarto.
– Seu matadouro, você quer dizer! – ela comentou – Edward, não vamos nem colocar no papel quantas meninas você levou para esse quarto.
– Nenhuma! – ele disse – Nunca mostrei meu quarto para ninguém... A não ser você.
– Como?! Mas e as garotas que você... – ela deixou sua voz morrer, sentindo-se envergonhada.
– Bella, aqui em casa tem vários quartos... Acha mesmo que eu usaria o meu para essas coisas? Não queria ninguém tão íntimo assim ao ponto de abrir a porta do meu quarto.
– Eu entrava e saia dele a hora que queria! – a morena assinalou.
– Você era a minha melhor amiga! Você era e sempre foi a única exceção.
– Então, está dizendo que eu sou a única que você quer comer no seu quarto de adolescente?
– O termo politicamente correto que eu usaria para isso seria fazer amor... – Edward corrigiu delicadamente – Mas, podemos adotar outros termos. Já que minha querida e adorável melhor amiga prefere usar esse vocabulário vulgar, posso contribuir também. – ele disse e Bella gargalhou.
– É mesmo...? E o que pode oferecer como contribuição? Creio que tenha um vocabulário bem intenso!
– Oh, minha querida, não imagina o quanto! – ele comentou com um tom rouco e sensual em sua voz, fazendo Bella ficar ofegante pelos seus pensamentos traiçoeiros.
– E quais seriam?
– Bem, já que você usou o termo “comer”... – ele começa em um tom falsamente desdenhoso – O que é muito baixo vindo de uma dama como você, eu posso usar foder ou trepar.
– Rolar no feno! – Bella sussurrou e Edward gargalhou.
– Uma escolha interessante, senhorita! – apontou.
– Posso saber quais são suas intenções em me arrastar para esse lugar que, supostamente, está me parecendo bem perigoso...?
– Todas as intenções que você puder imaginar, querida! Você não tem ideia do que quero fazer com você nesse quarto.
Era apenas uma conversa por telefone, mas estava causando um efeito bem positivo nos dois.
– É mesmo? Então me diga o quer...
– Primeiro... – Edward começou limpando a garganta – Ainda lembra como é meu quarto?
– Se nada mudou, acredito que sim! – respondeu prontamente.
– Bem, mudou apenas uma coisa – Edward informou – A cama está maior. O resto continua igual. O sofá perto da janela, aliás, você adorava ficar deitada nele. A escrivaninha ao lado do closet, o banheiro ao lado esquerdo, a televisão na parede e os dois criados mudos nas laterais da cama, mas a Alice trocou o tapete.
– Pelo visto, continua tudo praticamente igual! – Bella afirmou mordendo os lábios. A morena usava calça xadrez e camiseta branca – Mas você ainda não disse quais são suas intenções.
– Nitidamente comer você em todos os cantos desse cômodo! Ah, e eu estou usando as suas palavras.
Bella sorriu de nervoso enquanto sua mente criava várias situações. Uma melhor do que a outra, deixando sua calcinha ainda mais molhada.
– Primeiro tiraria sua roupa toda. – Edward recomeçou as provocações – Adoro ficar olhando para seu corpo nu. Segundo, talvez eu começasse comendo você em pé contra porta. Talvez a pegasse por trás, o que me daria uma bela visão da sua linda bunda que, para falar a verdade, é uma tentação.

– Edward! – Bella gemeu e isso foi o sinal positivo para ruivo continuar.
– Quer que eu pare? – ele perguntou. Sua respiração já estava irregular e sua mão esquerda já se encontrava dentro da sua cueca
– Não! – Bella sussurrou baixo com a voz rouca – Continue...
– Onde eu parei mesmo? – questionou-se – Ah, sim! Em sua bela bunda. Depois de “comer” você contra a porta do meu quarto, levaria você para o sofá. Sabe, colocaria você de quatro, e provavelmente não resistiria e lhe daria umas duas palmadas na bunda, só para deixar a marca da minha mão e fazer você gemer com o ato!

E, de fato, Bella gemeu do outro lado da linha. Os dedos nada habilidosos da morena estavam dentro da sua calça tocando sua parte mais sensível por cima da calcinha, ela fazia movimentos circulares enquanto o ruivo  fazia leves movimentos  de vai e vem com sua mão.
– Bella? – ele chamou – Ainda está aí?
– Estou! – ela respondeu e, pela sua respiração, ele soube que ela estava em chamas.
– Quer que eu pare?
– Não! Continue! – quase implorou entre gemidos.
– Comeria você de quatro no sofá! – ele falou e Bella gemeu em seu ouvido – Depois, colocaria você sentada em meu colo, fazendo você rebolar em meu membro que ficaria cada vez mais inchado enquanto sua boceta me apertaria.

– Edward! – a morena gemeu alto.
– Quando você gozasse, baby, acredite, eu ainda estaria longe de gozar. Beijaria seu corpo todo, dando uma atenção especial para seus seios. Eles são lindos e cabem perfeitamente em minha boca. Adoro chupá-los.


– Oh! – Bella gemeu – Edward. Seu...depravado! – ela sussurrou roucamente e ele sorriu de excitação.
– Oh, Baby, isso por que você nem imagina o que iria fazer com seus seios. Eu iria fodê-los, já que você teria acabado de gozar e precisaria se recuperar, nada melhor do que deixar eu foder seus belos seios.


A cada palavra maliciosa do jovem Cullen, os dedos nada habilidosos da morena ganhavam mais ritmo e sua calcinha ficava cada vez mais molhada assim como sua respiração ficava mais ofegante e permeada de gemidos afoitos que ela deixava escapar.
– Sabe o que faria depois? – Edward perguntou. As mãos dele já tinham ritmo perfeito sobre seu membro duro. Cada vez mais rápido... Cada vez mais forte.
– O que? – Bella conseguiu falar apesar de estar quase lá, formar uma frase coerente era cada vez mais difícil.
– Foderia sua boca! – o ruivo sussurrou e tanto ele quanto Bella soltaram gemidos altos só de imaginar – Sim, Baby, iria adorar foder essa boquinha esperta que tem sempre uma resposta pronta. Ia adorar gozar nessa boca e sabe como faria isso? Colocaria você de joelhos em cima do tapete novo que Alice comprou e, acredite, ela reprovaria o modo como estaria usando ele.

– Safado! – Bella gemeu. Seus dedos já se afundavam em sua cavidade molhada.
– Você está se tocando, Bella? – Edward perguntou com a voz rouca e sensual e ela gemeu em resposta – Porque eu estou... Completamente duro com meu pau em minha mão fazendo carinho nele enquanto imagino tudo que estou lhe dizendo.
– Oh! – Bella gemeu com as palavras dele – Eu estou tão perto...
– Eu também, Baby! – ele disse – Sabe qual seria a última coisa que faria com você nesse quarto? Claro que não sabe! – ele disse sorrindo perversamente – Comeria você em minha cama nova de todos os jeitos possíveis. Faria você gritar meu nome a noite toda.

-Edward! – ela gritou gozando em seus dedos, sendo acompanhada por ele do outro lado da linha. Edward precisaria trocar de cueca, mas estava feliz por tê-la ouvido gozar gemendo seu nome – Você é um cretino pervertido! – ela falou ofegante e tentando controlar a respiração.
– E você gosta ainda mais de mim assim! –ele sussurrou limpando a mão na cueca que já estava suja – Você me fez melar minha cueca e agora terei que tomar um novo banho.
– Como se você não tivesse feito pior comigo...
– Na verdade, não! Mas, ainda vou fazer.
Bella suspirou. Ela sabia que ele levaria ao pé da letra tudo isso, ela o conhecia, sempre fora sua melhor amiga e sabia do que ele era capaz. Ainda mais quando o assunto era sexo. Porém, ela não sabia nada sobre, ou melhor, não muita coisa. Ele fora o primeiro e único, essa era a verdade.
– Eu tenho que desligar! – Bella sussurrou – Já está tarde e amanhã eu preciso acordar cedo!
– Eu sei... – ele confirmou – Buscarei vocês às sete e meia.
– Ok, vou esperar! Boa noite, Edward...
– Boa noite, Bells.

 Tudo bem que foram apenas palavras, não foi de fato uma trepada por telefone. Era apenas Edward dizendo para ela o que, possivelmente, faria com ela assim que ela colocasse os pés no seu quarto. Mas, tudo aquilo deixou ela com um puto de um fogo e, nesse momento, mesmo tendo gozado em seus dedos, ela queria ele ali para poder fazer com ela tudo o que ele disse que faria.

Continua ...

domingo, 6 de agosto de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 19

Trilha sonora desse capitulo 
Helium- Sia


“Você nunca esquece seu primeiro amor.”
                         ― Flipped: O Primeiro Amor

Capítulo 19

Era sábado de manhã, Bella e Nessie ainda dormiam. Edward estava em sua casa, mas eles combinaram de almoçar juntos. Bella pretendia contar para Nessie que Edward era seu pai.
– Você sabe que assumir a paternidade da menina agora gerará um grande problema para você! – Jasper afirmou.
– No entanto, você também está ciente que Nessie tem cinco anos e eu tenho apenas quatro anos e meio de casado com Tânia, isso deixa claro que não foi traição, visto que a criança já existia quando eu e Tânia casamos. – Edward argumentou.
– Só que você casou no civil antes disso! – Jasper o lembrou – Porém, o seu lance com a Bella é bem mais antigo e qualquer um pode testemunhar isso, até mesmo eu ou Alice podemos confirmar. E, se Bella quiser, pode comprovar o que dizemos, caso ela tente usar essa situação contra você.
– Então qual é o problema? – Edward perguntou
– Não conseguiremos evitar o escândalo... – Jasper disse.
– Eu almoçarei com Bella e Nessie hoje. Vamos conversar... Eu vou falar para ela sobre relação a minha separação e todos os problemas que caíram sobre o fato atual. – disse – Eu não abrirei mão delas de novo e se isso me custar metade da minha fortuna, não tem problema. Eu pago o preço para me ver livre de Tânia!
– Ouvi meu nome querido...! – Tânia disse entrando na sala, linda e impecável como sempre – Quero avisar que temos um convidado.
– Você quer dizer que você tem um convidado! – Edward corrigiu olhando friamente para a mulher, ele de fato a odiava.
– Fala, cunhadinho! – James cumprimentou enquanto entrava.
Já havia tempo que eles não se viam. Há muito tempo, pouco depois de os pais dele perderem tudo, James sumiu no mundo. Edward só sabia que ele estava vivo porque Tânia mandava dinheiro para ele.
– O que faz aqui? – Edward perguntou furioso.
– Ele é meu convidado e ficará aqui! – a mulher respondeu simplesmente.
– Não se preocupe, não será por muito tempo! – Edward disse - Depois de quarta, você e ele sumirão de vez da minha vida.
– Talvez, mas ate lá, você terá que me engolir aqui, cunhadinho. – James se jogou no sofá e sorriu como um típico vagabundo – Pelo visto essa cidade de merda continua a mesma coisa: chata e entediante.
– Eu estou saindo, Jasper, avise Alice que talvez não volte mais hoje, por favor.
– Espera! – Tânia falou – Eu acabei de chegar e você já está saindo?
– Se não entendeu, eu a quero bem longe de mim. – Edward disse, pegou as chaves e saiu de casa.
.................................................................
O almoço foi realmente ótimo, eles foram para outra cidade para não serem incomodados por  fofoqueiros. Nessie brincava nos brinquedos enquanto Bella e Edward conversavam e ele explicou toda a situação da sua separação e o que aconteceria quando a paternidade da pequena viesse à tona.
– Então como...
– Calma! – ele disse já sabendo o que ela iria perguntar – Nós vamos contar para ela que eu sou seu pai e o resto, resolveremos quando for a hora.
Bella suspirou e quando a menina voltou para a mesa, eles mudaram o assunto. Edward pagou a conta e os três saíram do restaurante rumo ao parque que tinha ali perto. Os dois sentaram em um banco enquanto a menina corria. Bella sabia que não podia mais adiar aquilo então chamou a pequena Nessie que veio correndo, Bella a pegou e a sentou em seu colo.
– Querida... – Bella chamou e então olhou para a menina que tinha toda sua atenção sobre a mãe – Você se lembra do que me pediu no dia do seu aniversário?
– Mas o meu aniversário ainda não chegou, mãe! – comentou.
– Não o desse ano, o do ano passado!
– Sim! Pedi que você me desse um papai! – Nessie falou e olhou de relance para Edward – Mas você disse que isso nunca iria acontecer...
– Eu estava com raiva! – Bella disse com um toque de arrependimento em sua voz – Eu amo você, Nessie, amo muito, e todas as escolhas que fiz até hoje foram para o seu bem.
– Por que está falando isso? – a garotinha perguntou.
– Porque... – Bella começou a falar, mas nada saiu. Sua boca ficou seca e a voz sumiu, então ela olhou para Edward que estava ao seu lado e, por algum motivo, ela se sentiu segura de verdade.
– Porque eu sou seu pai! – Edward disse de uma vez com a voz carregada de emoção – E agora eu vou ficar aqui com você... Para sempre.
– Mamãe! – Nessie disse olhando com os olhinhos arregalados de Bella para Edward.
– É isso mesmo, meu amor... – a morena confirmou – Edward, na verdade, é seu pai, o pai que você tanto esperava.
– Meu papai? – Nessie perguntou incrédula com os olhos cheios de lágrima – Meu papaizinho?
– Sim, sim, querida, seu papai!
Nessie se pôs a chorar, chorou até soluçar e, em meio, ao choro, dizia coisas que não faziam sentido. Quando parou de chorar, olhou para Edward limpando o rosto  com as pequenas mãozinhas e sorriu abertamente, o sorriso que tinha herdado de Bella.
– Você vai ter que me comprar uma boneca grandona! – ela afirmou tanto à Bella, que tinha o rosto molhado por lágrimas, quanto a Edward, que já secara os olhos e sorriu para a menina, puxando-a para seu colo e cobrindo-a de beijos.
– Todas que você quiser! – ele prometeu.
Bella sentiu como se tivesse tirado o peso do mundo dos ombros, era como se tudo estivesse se encaixando enfim.
Mal sabia ela que, do outro lado da praça, em uma moto e vestindo jaqueta de couro preta, estava James, olhando de longe a cena que parecia ser emocionante.
.............................................................................
Como prometera, Edward não voltou para casa aquele dia, tendo passado o resto dele com Bella e sua filha. Chegaram à casa a noite trazendo uma Nessie profundamente adormecida. Edward entrou carregando a menina no colo e, junto com Bella, colocou-a na cama, depois voltaram para a sala. Bella ouviu todos os recados da secretária eletrônica e depois ligou para o pai avisando que já estava em casa e aproveitou para contar que já havia falado toda a verdade para a filha. Antes de desligar, Charlie convidou os três para almoçarem na casa dele amanhã, Sue estaria lá também.
Edward estava sentado no sofá olhando um álbum de fotos da criança que ficava na estante.
– Ela era bem sapeca... – Edward comentou enquanto Bella sentava em seu colo.
– Sim, sempre foi elétrica! – Bella confirmou deitando a cabeça no ombro dele – Igual a você. Ela tem muito de você...
– E de você também! – ele disse fechando o álbum e o colocando sobre mesa – Você me deu uma filha linda.
Bella não disse nada, apenas sorriu e o beijou. Como o último, esse beijo não igual. Era diferente, bem diferente, era calmo e lento, profundo e gostoso. A língua dela invadiu a boca dele e vice versa. Bella sorriu levemente se sentindo feliz de verdade, as mãos dele estavam na cintura dela e as dela, por sua vez, deixavam os fios ruivos dele ainda mais caóticos do que já eram naturalmente. Bella estava inebriada sentindo o perfume dele se misturar ao dela e, quando ar foi preciso, Edward apenas mudou a posição dos lábios. Passou a beijar o pescoço da morena dando leves mordidas e passando a língua, incendiando o corpo da morena.
– Você cheira a morangos... – sussurrou em meio aos beijos.
– Meu shampoo... –  ela respondeu e soltou um gritinho quando ele girou com ela fazendo os dois deitarem no sofá – Fica, dorme aqui hoje! – ela pediu.
– Não tinha intenção de ir embora mesmo! – ele assegurou deixando seu sorriso de canto tomar conta.
 E com aquelas palavras ele tomou a boca dela novamente em um beijo profundo. Primeiro foi de calmo a mais intenso, depois, urgente e cheio de desejo. Primeiro as mãos inquietas, depois, o desejo incontrolável de sentir um ao outro. A camisa de Edward foi jogada no chão, logo após, a boca do jovem foi para o pescoço dela causando ótimas sensações. Quando a alça de seu vestido foi abaixada, vários beijos foram depositados em seu ombro. Ele desenhou um caminho com as pontas dos dedos até o colo da morena, por fim, ele não resistiu e retirou o vestindo dela, jogando-o ao chão junto à sua camisa.Distribuiu beijos por todo o corpo dela fazendo-a se contorcer a cada beijo, então, levemente, seus dedos passearam pela parte interna da coxa da mulher.
 Sim, Edward sabia como provocar cada parte do corpo de sua Bella já ela, por sua vez, ainda era bem inexperiente quando o assunto era sexo, enquanto ele era perito.
O Cullen beijou cada parte do corpo da Swan e então, chegou onde deseja: seu centro pulsante. As pontas de seus dedos tocaram aquela parte sensível dela com muito cuidado, como se ela fosse a flor mais delicada do mundo, em seguida, fez movimentos circulares fazendo a morena se contorcer ao seu toque. Quando ouviu um suspiro de prazer vindo dela, ele a penetrou com um 
dedo, fazendo-a gemer.

 Os olhos dele acompanhavam cada reação de seu belo corpo a cada  toque dele e então, quando ela pensava que não mais poderia aguentar, que ele lhe faria gozar em seus dedos, sentiu a língua gelada dele toca-la. 

As mãos dela ganharam vida indo diretamente para os cabelos dele, puxando levemente, e fechando as pernas em volta da cabeça dele.  Ela sentiu a língua dele entrar e sair de sua intimidade, fazendo-a gemer a cada nova investida de sua língua. Uma leve camada de suor começava a se acumular sobre sua pele e quando ela pensava que iria enlouquecer com a língua maravilhosa dele, Edward simplesmente parou.
– Não! – ela gemeu em frustração.
– Relaxa, baby, só estou começando.
Seria um crime dizer isso para alguém que não tem a menor noção do que aquilo poderia significar e, nesse caso, Bella só descobriu quando sentiu ele lhe preencher por completo com seu membro.


 O gemido dela saiu mais alto e foi o nome dele que saiu de seus lábios. Como resposta, o sentiu morder de leve seu ombro, sendo acompanhado por choques leves em sua pele.

Só quando seu corpo se acostumou com a invasão bruta dele, ele passou a se mover. Começou lentamente, fazendo-a sentir cada pedaço dele dentro dela, mas depois, com mais urgência. 


Ele investia nela com força e intensidade, os gemidos passaram a ser mais altos, mesmo que os movimentos fossem limitados, dada a falta de espaço, Edward estava deitado por cima dela no pequeno sofá da sala.  Eles seguiram naquela posição até  a Swan conseguir movimentar o quadril, indo de encontro ao dele lhe causando um forte atrito e prazer. Edward gemeu alto e puxou o corpo da morena para cima do seu fazendo-a sentar sobre sua pelve.

– Faça movimentos de subir e descer... – ele sussurrou em seu ouvido e, com as mãos na cintura dela, ele mostrou como fazer.
Fora preciso apenas uma demonstração para a morena seguir com os movimentos, o que fez o prazer dos dois aumentar. As mãos do ruivo passeavam e apertavam o corpo dela, fazendo o prazer aumentar ainda mais. Ele beliscava e mordiscava os seios dela. Chupava e mordia levemente.

 Os gemidos ficaram mais altos, o ritmo mais urgente, a boca de Bella percorria o pescoço e ombro do ruivo, mordendo e chupando do jeito que ela desejasse fazer. Arranhava seus braços e puxava seu cabelo, estava a ponto de explodir e Edward sabia, pois estava ficando cada vez mais difícil entrar na morena. Foram duas investidas acompanhadas por uma rebolada dela e ambos explodiram em gozo. Bella gemeu seu nome, o beijando em seguida, já Edward, apertou com força a bunda da mulher, fazendo com que seu gozo fosse mais intenso.
Bella estava descabelada, ofegante e suada, cheirava a sexo, assim como Edward. Ela tinha a cabeça deitada no ombro dele enquanto recuperava o fôlego e ele mantinha as mãos em volta da cintura dela, mantendo os olhos fechado. Eles ficaram assim até conseguirem um pouco de força para se mover.
– Acho que precisamos de um banho... – ele disse sorrindo e colocando uma mecha do cabelo dela atrás da orelha.
– Não tenho forças para andar... – ela falou fazendo charme e levando um sorriso aos lábios do homem.
– Tudo bem, eu te carrego! – o ruivo disse com um selinho.
Bella sabia que a noite seria bem divertida e, por algum motivo, ela também sabia que pouco dormiria.


Continua...