Jul M

Oi

sexta-feira, 31 de março de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 9


Não Importa Pra Onde ou Por Quanto Tempo a Vida Me Leve. A Força da Saudade Sempre Me Trará de Volta!!!!
                                      - Autor Desconhecido
Capítulo 9

Tânia conseguiu, por uma ordem judicial, ficar durante o processo de divórcio na casa dos Cullen’s e, muito a contra gosto, Edward aceitou. Ele não soube dizer como a loira conseguiu, o fato é que ela conseguiu e ele teria que aceitar por enquanto.
— Rosie estará aqui amanhã! — Jasper disse — Ela pediu um tempo para colocar as coisas em ordem na casa dela.
— Tudo bem, não me importo... — Edward disse. Ele não estava de fato interessado em nada que seu cunhado disse.
— Aconteceu alguma coisa?
— Não.
— Sério, Edward, pode falar! — Jasper tentou persuadi-lo — Até por que se você não falar comigo, com que mais falará?
— Estive com Bella... — Edward disse com uma expressão frustrada no rosto.
— E o que aconteceu?
— Brigamos. Acho que ela me odeia!
— O que ela disse exatamente, Edward?
— Que eu a tirei da minha vida! — ele suspirou — Ela tem razão. Eu tirei-a da minha vida porque se ela estivesse por perto, eu nunca conseguiria me vingar dos Denali. A Bella é pura demais, ela me faria ver que todo o meu ódio não levaria a lugar nenhum, só que eu queria vingança... Eu queria que eles sentissem o que é perder tudo do dia para a noite.
— Entendo. — Jasper disse compreensivo — Eu sempre vi isso na Bella. Ela tinha personalidade forte, mas de algum modo ela era sempre meiga e sorridente.
— Eu só quero a minha amiga de volta! — Edward disse e sua expressão ficou triste — Ela me mandou ficar longe.
— Não pode culpá-la por isso! — o loiro respondeu — Você foi quem criou a distância entre os dois.
— Acho que sim.
Por algum motivo, Jasper acreditava que Edward estava escondendo algo dele. O que Jasper não sabia era que Edward ainda não tinha entendido de fato o que tinha acontecido naquela conversa. Ele não prestou tanta atenção no que Bella disse, pois se estivesse atento, teria notado que ela praticamente confessou todo seu amor naquele carro durante a conversa.
.........................
Edward estava no restaurante, tinha acabado de fechar um contrato com um novo cliente. Enquanto ele esperava a conta, alguém foi diretamente à sua mesa.
— Edward? Edward Cullen? — a voz da mulher era famíliar, mas Edward não conseguiu lembrar-se de onde. – Sou eu, Kate! Nós estudamos juntos.
— Kate! — ele disse dando um sorriso gentil e cumprimentando a moça — Desculpe! Não reconheci você, está bem diferente!
— É sim, agora eu tenho um filho — ela disse — e estou divorciada.
— Sinto muito — ele disse
— Não é sua culpa! — ela disse puxando a cadeira e sentando mesmo sem ser convidada — E você como está? Soube que ainda está casado com Tânia! — ela disse e sorriu — Sério, jurava que você casaria com a Bella, afinal, vocês eram inseparável... Além do mais, da última vez que você esteve na cidade, saiu da minha festa junto com ela, deixando muitas garotas chorando.
— O que? — Edward perguntou. Ele se lembrava disso porque alguns dias depois seu pai morreu. Lembrava vagamente daquela noite, estava bêbado demais para lembrar-se de tudo, mas se lembrava de ter acordado na clareira sozinho e seminu.
— Você não se lembra? — Kate indagou surpresa — Você e Bella beberam todas, pareciam estar comemorando, fora que vocês dançaram a noite toda juntos. Você até brigou com James que tentou forçar a barra com Bella. E no final, vocês dois saíram juntos da minha festa, em um ótimo clima. Quando eu olhei, jurava que vocês estavam juntos. Mas depois aconteceu tudo tão rápido... Quando soube, você já estava casado com Tânia e Bella grávida.
— Como disse? — Edward mais uma vez foi pego de surpreso, ele não sabia disso.
— Foi o comentário da cidade! — Kate empertigou-se — Bella Swan grávida, a garota mais sem graça da cidade estava grávida e a pergunta era: quem era o pai? Ninguém nunca tinha visto ela com ninguém além de você é claro, mas francamente, você não é o tipo de cara que deixaria alguém grávida para trás. Não faz seu estilo.
— Quando foi que descobriram a gravidez de Bella? — Edward perguntou.
— Na verdade, ninguém sabe. Só veio à tona a notícia que ela estava grávida uns cinco meses depois que você foi embora! — Kate explicou — E só porque não havia mais jeito de esconder algo, a barriga dela ficou visível. Bella ficou com um barrigão, quem olhava jurava que eram gêmeos. Charlie não fala sobre o pai da sua neta, na verdade, ninguém que é próximo o bastante dos Swan’s fala algo sobre o pai da criança.
Edward estava processando todas as informações que sua adorável amiga compartilhava gratuitamente.
— Há quem diga que o pai da criança é Mike, mas confirmação não tem! — Kate disse — Ele era o único cara que dava encima daquela gorda. Ops... Perdão, você é amigo dela e nem dá mais para chamá-la de gorda, afinal ela está incrivelmente magra e linda, parece que o tempo só lhe fez bem.
— Kate, desculpe, mas eu preciso realmente ir agora! — Edward disse deixando o dinheiro sobre a mesa para pagar a conta.
....................................
A cabeça de Edward estava a mil. Ele começou a recordar todos os momentos que teve com Bella, da escola até aquela noite. Ela foi buscá-lo no aeroporto, ela esteve no enterro do seu pai. Ela o havia beijado.
— Mas que merda! — ele disse socando o volante do carro — Como eu não vi?! — foi nesse momento que a lembrança da conversa deles veio à sua cabeça e as palavras dela ecoaram na lembrança.
“— Vai se ferrar, Edward Cullen! Você nunca notou! Eu amava você! No começo poderia ser apenas amizade, mas depois... Ah!”
Estava o tempo todo na cara dele  e ele nunca notou, mas por que será? Ele realmente não a amava o suficiente? O seu carinho por ela era ou não apenas o carinho de amigo? Mais lembranças tomara conta da sua mente...
“— Você é burro demais para notar algo que estava na sua cara o tempo todo!”
Sim, esteve o tempo todo estampado em sua cara. Ela o amava e ele não viu. Por que ele não viu? Nem mesmo Edward sabia. Ele seguiu seu caminho sem rumo indo parar na escola onde Nessie estudava. Foi quando entrou no estacionamento e viu a cena toda ao longe, mas a confusão era maior em sua cabeça.
— Papai! — Nessie gritou correndo em direção a um homem grande e cheio de músculos que a ergueu do chão e a girou no ar. Bella estava parada ao lado dele e tinha um sorriso doce nos lábios.
Edward não soube descrever o que estava sentindo. Apenas sentiu em seu peito um grande, grande vazio.
— Minha princesa! — ele disse — Vamos, tenho muita coisa para você.
— Isso, a mime bastante e depois veja o mostro que está criando. — Bella disse e só o fez gargalhar.
Edward não ficou para saber como terminaria aquela conversa, apenas voltou a ligar o carro e saiu de lá, indo de vez para casa. Não tinha mais clima para trabalho.
.........................................
Jasper chegou em casa já de noite e Alice lhe contou tudo que tinha acontecido. Estava preocupada com o irmão, que havia se trancando na biblioteca desde cedo e até agora não havia saído nem para brincar com Jake. Alice queria saber se algo acontecera, mas nem mesmo Jasper sabia, a última vez que viu Edward, ele estava saindo para se encontrar com um cliente.
Jasper primeiro tomou um banho e jantou, como uma pessoa normal. Foi ver o filho que dormia calmamente em seu quarto, depois ouviu sem querer a discursão de Tânia com seu advogado sobre o divórcio e sua recusa em aceitar isso. E, só então, seguiu para onde o cunhado estava.
— Oi! — Jasper disse entrando na sala. Edward tinha um copo de uísque na mão e estava bebendo. — O que aconteceu?
— Nada! — Edward disse girando a cadeira e olhando pela janela. Dava para ver a lua no céu essa noite.
— Nada? E você está com essa cara por quê?
— Apenas descobri que sou um babaca idiota!
— Se fala sobre seu casamento com Tânia...
— Estou falando de Bella! — disse interrompendo o cunhado em sua fala.
— Entendo! — Jasper disse sentando — Vocês se viram e brigaram novamente?
— Não! — Edward disse — Ela esteve comigo na noite que cheguei à Forks, na festa da Kate, eu estive com ela a noite toda.
— Hum, ainda não entendi... — Jasper disse
— Eu encontrei Kate no restaurante e ela começou a falar sobre o passado e tudo... — Edward explicou — Ela falou que sai da sua festa com Bella e que nós dois estávamos completamente bêbados.
— Certo — Jasper disse —, mas você sempre falou que não se lembrava de nada desse dia, que você tinha tomado o maior porre. Que nem lembrava com quem tinha passado a noite, que acordou sozinho na clareira. — foi nesse momento que o loiro entendeu — Ai meu Deus! — ele disse vendo a verdade — Vocês dois passaram a noite juntos! Você disse que havia passando a noite com uma garota, que vocês transaram, mas que você não lembrava quem era. Você até chegou a ligar para Bella para saber...
— E ela me xingou e mandou eu ir me ferrar! — Edward disse — Eu não me lembrava de nada! Se não fosse a Kate comentar, eu nunca lembraria. Foi por isso que ela ficou todo aquele tempo sem falar comigo. Por isso ela me beijou no enterro do meu pai!
— Não pode culpá-la por ter raiva de você! — Jasper disse — Você foi um canalha Edward!
— Eu sei! — ele disse suspirando exasperado — Eu queria falar com ela, eu preciso falar com ela!
— Então por que ainda não foi atrás dela?
— Eu fui! — Edward disse — Mas quando cheguei lá, ela estava com o pai da Nessie, um cara que foge totalmente ao padrão dela.
— O pai da Nessie? Como assim?!
— Ela o chamou de pai e eles pareciam bem íntimos! — falou em um tom sufocado.
— Bom, você tem que tirar isso a limpo. E melhor parar de beber! — Jasper disse — Até por que, toda vez que você faz isso, Tânia tira proveito da situação!
— Eu vou trancar a porta! — o ruivo disse.
— Se não for muita indiscrição minha... — Jasper começou a falar — há quanto tempo você não tem esse tipo de contato intimo?
— Já faz tempo! — Edward disse e levantou-se — Boa noite, Jasper!
— Feche a porta, não se esqueça! — Jasper falou e viu o cunhado sair arrasado — Se realmente aconteceu o que pensamos, acho que a família Cullen é bem maior do que pensamos... — ele sussurrou para ele mesmo — Acho que vou buscar Jake amanhã na escola...


Continua...

terça-feira, 21 de março de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 8


“Você não pode perder alguém que nunca teve”
 – No filme Como Perder um Homem em 10 dias

Capítulo 8 - Noite estranha.

Era apenas mais uma manhã de segunda-feira. Bella estava se sentindo estranha naquela manhã, Nessie não queria ir para a escola, estava fazendo confusão e isso estava irritando a morena. Não era sempre, mas às vezes Nessie conseguia fazer com que Bella perdesse a cabeça.
— Bella! — Charlie disse meio surpreso ao ver a jovem logo pela manhã na sua casa e Nessie estava com ela.
— Sua neta vai fica com você hoje! — disse bruscamente. Era assim que ela falava quando a filha conseguia tirá-la do sério — Veja se ela pelo menos almoça direito.
— Vocês brigaram? — Charlie perguntou. Algumas vezes, Bella parecia ter três anos de idade.
— Não, apenas não estou com muito tempo — Bella respondeu.
— Ela nunca tem tempo... — Nessie acrescentou com certo ressentimento em sua voz.
— Fica quieta! — Bella a repreendeu — Virei busca-la à noite. Tenho uma reunião fora da cidade e talvez demore.
— Você não faz falta! — Nessie disse e Charlie olhou feio para a menina que se encolheu.
— Ok, já entendi. Vocês brigaram! — Charlie concluiu — Agora, vai trabalhar e esfria essa cabeça. Mais tarde, quando você chegar, vocês duas conversam. — disse para a filha e em seguida olhou para Nessie que saiu correndo em direção à sala da casa — E você Bella, não se esqueça de que você é adulta da história, sua filha só tem cinco anos.
— Tenho dúvidas se ela realmente é minha filha! — Bella disse e Charlie riu.
— Claro que é! — falou ainda rindo — Tão cabeça dura quanto a mãe. Bom trabalho, Bella.
— Obrigada! — ela disse saindo apressadamente.
.........................................................
Na casa dos Cullen tudo parecia estar de cabeça para baixo. Tânia fez um inferno no dia anterior, recusou-se terminantemente a sair da mansão, como Edward havia dito há alguns dias. O advogado pessoal dele procurou a loira e entregou-lhe os papéis do divórcio, porém ela não aceitou bem a situação, rasgou tudo e jogou no lixo. Edward sabia que não seria fácil, mas não estava disposto a perder essa batalha para a Denali. Já havia deixara essa história ir longe de mais.
— Se ela se recusar a sair, chame a policia! — Edward disse ao terminar seu café — Não quero encontra-la aqui quando eu voltar!
— Você não acha que está sendo radical demais? — Alice perguntou.
— Claro que não! — o ruivo respondeu-lhe frio e seco — Apenas estou me livrando de um casamento falido.
Alice engoliu em seco. Ela sempre soube que o casamento do irmão não passava de um plano de vingança e agora que ele havia conseguido tudo o que era dele de volta, estava colocando um fim na farsa que foi esse casamento todo.
— Tenha um bom dia! — Alice disse — Jasper foi buscar Rosie no aeroporto. Parece que o namorado terminou com ela e ela está voltando mais cedo para a cidade.
— Tudo bem, — Edward disse — espero Jasper na empresa pela tarde. Caso não dê para ele ir, me avise antes, tenho uma reunião fora da cidade e preciso saber se dará tempo dele ir comigo ou não.
— Claro, Ed. — Alice chamou o irmão pelo apelido propositalmente, fazendo com que ele fechasse a cara na mesma hora.
..........................................................................
Jéssica estava na sala da sua chefa e amiga, Bella estava parecendo o cão chupando manga essa manhã. A mulher estava pior que a bruxa má, distribuindo grosseria.
— Aposto que isso tudo é falta de sexo! — Jéssica disse chamando a atenção da morena.
— Cala a boca! — Bella sussurrou alto o bastante para sua amiga ouvir.
— Admita! — Jéssica continuou ignorando a morena — você está tensa. Há quanto tempo que não dá uma boa trepada?
Bella apenas olhou por cima dos óculos para a loira que parecia não se intimidar nem um pouco com a cara de má da morena.
— Já disse que você não me assusta! — Jéssica falou e sorriu — Mas, voltando à sua vida sexual, quanto tempo faz que você não dá uma trepada sacana? — Jéssica olha para Bella pensativa —Pensando bem... — fica em silencio e então seus olhos se arregalam — Bella, eu nunca vi você com cara nenhum! Quero dizer, só com Emmett, mas ele não conta, é seu sócio e seu amigo. Tirando Edward, que nós duas sabemos que é o pai da pequena peste da sua vida, não me lembro de ter visto você com outro cara.
— Cala a boca, Jéssica! — ela diz entre dentes.
— Ai meu Deus! — Jéssica deu um esparro — Não me diga que você nunca mais... Oh não! — disse fazendo um drama tão grande que Bella esmurrou a mesa com os punhos fechados — Espera!— Jéssica continuou a falar, ignorando a ira da amiga — Vamos recapitular, Edward foi o primeiro cara com quem você transou e acabou engravidando. Depois dele, não rolou com mais ninguém, então tecnicamente, você é meio que virgem.
— Jéssica! — Bella gritou perdendo a paciência de vez e a loira arregalou os olhos.
— Tá bom, tá bom... Vou ver como andam as coisas pela escola. — ela disse se levantando e indo em direção à porta, quando estava fora do alcance da morena, ela voltou a falar — Mas você sabe que tudo isso é falta de sexo.
A loira saiu correndo fechando a porta no mesmo momento em que Bella jogou um objeto pesado em sua direção.
......................................................................
Já passava das cinco horas da tarde quando Edward voltava da cidade vizinha. Ele fora à reunião sozinho, Jasper não chegou a tempo. A estrada para Forks estava deserta, poucos carros passavam nesse horário. Foi quando ele notou, na direção da entrada da cidade, mas ainda longe. No acostamento da rodovia estava o carro de Bella e ela estava do lado de fora, bem furiosa chutou o pneu do carro e depois ficou pulando em um pé só, provavelmente por ter machucado o pé. Ele guiou o carro para o acostamento, parando também.
— Precisa de ajuda? — perguntou saindo do carro e deparando-se com a cara de desgosto dela.
— Argh! — a jovem disse fechando os olhos e respirando fundo— De sua ajuda? Estou dispensando.
— Bom, pelo visto, você precisa de ajuda! — ele discordou.
— Cai fora! — Bella gritou
— Uau! — ele disse sorrindo de canto — Alguém está com um humor péssimo!
— Vai à merda!
— Bella e sua boca suja! — ele disse — Os dois pneus furaram?
— Não! — ela respondeu muito a contragosto — Apenas esvaziaram e eu não notei!
— Típico! — ele provocou sorrindo — Mulheres não entendem nada de carros, apenas que elas ficam lindas dentro deles.
— Cala a boca! — ela retrucou rispidamente — E eu não pedi sua ajuda, vá embora.
— E você vai ficar aqui sozinha? — ele perguntou — Bom, já está escurecendo e as chances de alguém passar por aqui estão cada vez menores.
— Me empresta seu celular? — ela pediu mordendo o lábio fazendo birra como uma criança de cinco anos — O meu está sem bateria.
— Então somos dois! — Edward disse — Venha, eu levo você. Passamos em um reboque e pedimos para vir ver seu carro.
— Por que não fazemos assim: você vai, passa no reboque e eu fico esperando aqui.
— Deixe de ser teimosa! Você sabe que é arriscado ficar aqui.
— Você vai calado o caminho todo! — disse, enfim cedendo. Trancou de vez o carro e foi em direção ao dele
..
Durante cinco minutos, o silêncio se fez dentro do carro. Tudo que se ouvia era a doce melodia da música.
— Como está a Nessie? — Edward perguntou puxando assunto.
— Acredito que bem. Ela ficou com meu pai hoje.
— Ela não foi para a aula? — ele quis saber.
— Não, ela estava insuportável hoje! — Bella disse
— Mais uma prova de que ela é sua filha. Você é podre quando está de mau humor.
— Como se você fosse diferente, babaca! — respondeu olhando para ele — Eu ainda tenho forças para socá-lo.
— Eu sei! — ele disse e havia um pequeno sorriso no canto de seus lábios — Senti falta disso...
— Não parece! — Bella rebateu ressentida — Você nunca me procurou!
— Não tive coragem! — ele falou e era a verdade, ele não tivera coragem.
— Você me deixou fora da sua vida! — ela disse — Não venha querer reclamar agora.
— Eu tentei explicar!
— Não! — Bella gritou furiosa — Você não tentou! Você nunca tentou! Em vez disso, fugiu como um covarde, foi isso que você fez!
— Eu não fugi! — defendeu-se. Edward sabia que nunca teria outra chance como essa para tentar explicar tudo para Bella. Então, ele parou no acostamento novamente — Se eu falasse com você naquele momento, eu não seria capaz de seguir em frente.
— Claro! — Bella disse com raiva — Eu mudaria tudo! Eu não poderia estragar sua vida perfeita, cercada de luxo e dinheiro.
— Não é isso! — ele disse.
— Então me diga o que é, Edward, porque tudo que vi durante esses cinco anos foram fotos suas e daquela vaca estampadas em revistas e jornais e o quanto você era podre de rico!
— Eu não queria magoar você! — ele gritou tão alto que fez Bella pular no banco pelo susto — Eu precisava vingar-me, recuperar tudo que era da minha família! Meu pai morreu porque os Denali lhe roubaram tudo. Eu tinha o direito de me vingar e tomar de volta o que era meu por direito.
— E tinha que me tirar da sua vida também? — Bella perguntou sussurrando — Por quê? Eu sempre estive com você em todos os momentos...
— Ficar perto de você... Era como se... — ele ficou calado pensando em algo. Bella estava igualmente calada, olhando para suas mãos sobre seu colo — Eu não sei, Bella. Tudo que sabia era que, se eu ficasse perto de você, naquele momento, eu jamais conseguiria seguir com minha vingança.
— Abra a porta! — ela disse fungando. Não estava chorando, mas sabia que poderia acontecer a qualquer momento.
— O que?
— Abra a porta, eu quero sair!
— Não! Eu não vou deixar você aqui sozinha.
— Você já me deixou sozinha! Há cinco anos! E nem ao menos olhou para trás. — as palavras eram como ácido machucando Edward.
— Eu não vou abrir! — insistiu.
— Abre a porra dessa porta, Edward ou juro que vou te bater.
— Pode me bater, eu não me importo!
— O que você quer? — ela perguntou — Afinal, o que você quer de mim?!
— Quero a minha amiga de volta! Ficou um vazio que só você pode preencher.
— Que irônico... — ela disse sussurrando.
— Bella, eu sei que fiz muita besteira nessa vida, mas a pior de todas foi deixar você fora da minha vida. Eu juro, nunca pensei que seria tão ruim não ter você por perto, não ouvir sua risada, não ver seus lindos olhos ou o jeito que você morde os lábios quando nervosa. Quando você fica vermelha de vergonha ou até mesmo seu mau humor insuportável. Eu senti falta de tudo, mas principalmente de não ter minha melhor amiga por perto.
— Vai se ferrar, Edward Cullen! — a morena respondeu rispidamente — Você nunca notou! Eu amava você! No começo poderia ser apenas amizade, mas depois... Ah! — ela disse passando a mão pelos cabelos — Você é burro demais para notar algo que estava na sua cara o tempo todo.
— Bella...
— Já que não vai abrir porta, — ela disse virando o rosto para o lado oposto evitando olhar para ele — ligue o carro e vamos embora. Essa conversa não vai dar em lugar nenhum.
— No velório do meu pai você me beijou e saiu correndo. Por quê?
— Por que eu ficaria? Você acabou de dizer que sou só uma boa amiga! Ligue o carro, eu quero ir embora.
Edward tentou tocar o braço de Bella, mas ela puxou. O silêncio começou a tomar conta e era o fim, Edward sabia. Então, ele ligou o carro e seguiu em direção à Forks. Edward a deixou em casa e Bella ficou surpresa ao perceber que ele sabia onde ela morava. Era uma bela casa, grande, com um lindo jardim e um quintal, onde havia uma casinha na árvore.
— Bella... — tentou novamente falar com ela.
— Fique longe de mim! — ela disse saindo do carro — É a melhor coisa que você faz.
A moça bateu a porta com força e seguiu em direção a casa. Tudo que ela queria era sua banheira com água quente e, quem sabe com muita sorte, conseguir afogar todo o passado nela.

Continua...

sexta-feira, 10 de março de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 7



Eu quis comprar você, porque você disse que não podia ser comprada.
                         
                             Frase do Filme -- Proposta Indecente

Capitulo 7

O dia estava ótimo para quem morava em Forks. Havia sol e o tempo estava perfeito. Bella estava com Nessie no parque da cidade, um pequeno local que a prefeitura construíra há três anos. Eram raros os dias que havia sol em Forks e quando isso acontecia, Bella fazia questão de levar Nessie ao parque.
— Você está estranha! — Jéssica disse sentando-se ao lado de Bella e vendo Nessie correr com os coleguinhas.
— Não sei do que você está falando...
— Bella, relaxa... Já disse que não vou contar nada!
— Eu nego! — Bella disse ainda com os olhos atentos na filha que agora estava no escorrega.
— Tudo bem, mas você sabe que um simples exame de DNA pode comprovar!
— Qual é o problema? — Bella perguntou dessa vez olhando para Jéssica — Ninguém nunca notou. O fato de você ter descoberto não quer dizer que mais alguém fará o mesmo!
— Sinto muito! — Jéssica disse, por fim entendendo mais ou menos o que Bella queria dizer. Na verdade, até ela mesma levou um bom tempo para acreditar no que havia descoberto, afinal era Bella: a garota gorda e feia que usava óculos. Como ela conseguira ficar com o cara mais gato de toda a escola? Era difícil de acreditar, assim como era difícil de acreditar que eles eram melhores amigos.
— Nessie! — A morena disse chamando atenção da menina — Tome cuidado, não quero que você se machuque.
— Se você tivesse dito para ele — Jéssica sussurrou — talvez...
— Ele teria se casado! — Bella a cortou em uma voz ácida — Ele estava com ódio. Eu conheço Edward melhor que qualquer um nessa cidade. Ele tinha ódio do Denali e faria tudo isso só para ter o prazer de destruí-los como fez.
— Isso é vingança! — Jessica sussurrou meio que assustada com a verdade que a amiga disse
— Eu nunca disse que Edward não era vingativo... — respondeu dessa vez com um pequeno sorriso no canto da boca. Ela conhecia muito bem  Edward e sabia de suas qualidades e suas fraquezas.
..............................................................
Jasper estava no jardim da casa com Jake que corria, gritava e subia em uma árvore. Era um belo dia de sol na cidade, um dos poucos dias assim. Alice estava sentada ao seu lado, à mesa do jardim, arrumando algumas roupas do menino que estavam descosturadas.
— Você pode comprar novas —  Jasper disse vendo ela custura o casaco do menino.
— Eu sei, mas gosto de fazer alguma coisa!
— Você pode trabalhar fora, sabe disso!
— Não quero perder o desenvolvimento do Jake!
— Acredite em mim, você jamais perderia o desenvolvimento dele ¬— Jasper disse dando um sorriso gentil.
— Você tem razão — ela disse sorrindo e olhando o menino que rolava feliz pelo gramado
— Você já esteve com Bella? — Jasper perguntou
— Não... Não acho que ela queira me ver.
— Já faz tempo Alice! — ele disse à esposa
— Eu sei! — Alice falou mordendo o lábio inferior e olhando fixamente o casaco do filho — Além do mais, não éramos tão amigas assim. Bella sobrava e sempre caia no meu grupo, mas não era minha amiga, ela sempre foi amiga do Ed.
— Mas vocês se davam bem — Jasper lembrou
— Bella é legal, tem temperamento bem forte e sempre batia nos garotos que lhe chamavam de gorda e feiosa. Você sabe disso, ela já deixou Edward diversas vezes com olhos roxos.
— Eu sei — Jasper apertou os lábios para não sorrir. Muitas vezes ele viu Edward apanhar das mãos de Bella, talvez por ela ser mulher e ele nunca ter revidado, mas nem sempre foi assim. Quando crianças, eles brigavam muito — me pergunto muitas vezes o que teria acontecido se o velho John não tivesse perdido todo o dinheiro para os Denali. Acho que Bella e Edward talvez estivessem juntos hoje.
— Claro que não! — Alice disse sorrindo com a possibilidade — Eles eram bons amigos, apenas isso. Talvez eles continuassem sendo amigos.
— Eu não sei — Jasper discordou pensativo — estive conversando com ele alguns dias atrás...
— Com meu irmão?
— Sim. Ele estava distraído, Jake derrotou ele várias vezes no xadrez.
— O que ele disse? Por que isso agora?
— Perguntei sobre ele e Bella.
— Você o que?! Como teve coragem?! Jasper!
— Eu não consegui evitar, todos falavam! — Jasper se defendeu passando a mão pelo rosto — Todos na escola comentavam, mas ninguém sabia a verdade. Também houve uma época em que você pensava igual. Não foi por esse motivo que você começou a ignorar e tratar mal a Bella?
— Eu fiquei com raiva! — Alice disse — Todos diziam que Bella se fazia de amiga de Edward, mas que, na verdade, eles tinham um caso. Fui ficando com raiva dela devido aos comentários.
— Você era ciumenta! — Jasper afirmou sorrindo — Ainda é, você não aceitava, assim como os outros, o fato de uma garota como Bella estar ao lado de alguém como seu irmão.
— Não era assim! — Alice retrucou envergonhada.
— Alice, eu via. Você gostava de ofendê-la, de fazer piadas ofensivas e chama-la de gorda e feia. Até participava dos trotes que Tânia fazia com ela.
— Não era assim! — ela disse e mordeu o lábio sentindo as bochechas queimarem de vergonha — Tânia era minha melhor amiga. Ela e Lauren odiavam o fato de Bella estar sempre ao lado de Edward enquanto elas não conseguiam  nem ficar perto dele. Com o tempo eu fui observando e sei lá... Acho que fiquei com ciúmes também. Edward falava de Bella de uma maneira tão incrível, acho que fiquei com ciúmes.
— E é por isso que você não consegue encara a Bella? — Jasper perguntou
— Eu não tenho coragem de olhar na cara dela!
— Pois devia! — Jasper diz — afinal, acho que teremos muitos encontros com a Bella e a filha dela.
— O que Edward disse sobre a Bella? — Alice quis saber, já que a conversa tinha mudado de rumo.
— De fato ele não confirmou os boatos — Jasper disse — no entanto, ele disse que conhece a Bella melhor do que ninguém.
— O que ele quis dizer com isso? — Alice perguntou
— Não sei, mas estou louco para descobrir! — o loiro disse levantando-se e sorrindo — Tenho que ir trabalhar, divirta-se com Jake! — falou e saiu em direção à garagem da casa.
.............................................................
Edward estava em pé perto da janela da sua sala olhando o belo dia que fazia. Dias com sol eram raros em Forks.
— Senhor, — a voz de Jane, a secretária, soou no interfone da sala do Cullen – sua esposa está aqui e deseja falar com o senhor.
— Mande-a embora! — ele disse, mas a porta foi aberta e a loira endiabrada passou por ela.
— O que você pensa que está fazendo?! — Tânia gritou batendo com as palmas das mãos abertas na mesa do marido – Você cortou os meus cartões!
— Você notou isso? — respondeu-lhe com aquele sorriso sínico nos lábios
— Você... Você realmente fez?! — Tânia gritou — Você vai me devolver meus cartões de crédito agora!
— Não — Edward disse naquele tom frio e calculista que normalmente usava nos negócios — acabou. Se quer jogar esse jogo é melhor arrumar novas cartas.
— Edward, nós... — ela não terminou de falar, apenas ficou olhando para ele por alguns segundos — Você nunca me amou!— sussurrou vendo a verdade nos olhos dele.
— Não. — ele disse frio, como sempre — Tânia, tudo que eu queria era destruir seu pai, do mesmo jeito que ele fez com o meu. Seu pai morreu e você e seu irmão são dois idiotas que não sabem administrar nada. Foi bem fácil recuperar tudo que era da minha família e acabar de vez com vocês, os Denali!
— Você não vale nada! — a loira gritou descontrolada — Você me usou!
— E você gostou! — ele jogou na cara dela — Olha para você! Tudo que sempre quis foi esfregar na cara das suas amigas idiotas que tinha conseguido casar com o único garoto que nunca olhou para você!
— Cretino! — ela disse jogando papéis e objetos sobre ele — Eu amava você! Você não pode fazer isso comigo!
— Posso e vou. Foi seu pai quem fez os acordos! — disse ele — Segundo nosso contrato de casamento, eu não tenho direito a nada que seja seu, assim como você também não tem direito a nada meu. Afinal, casamos com separação de bens, como o seu pai quis. Você não tem mais nada, todo dinheiro e meu agora. Talvez, você leve alguma coisa, pelos cinco anos de casamento forçado. Fora isso, não espere rios de dinheiro.
— O que você quer dizer? — Tânia perguntou engolindo em seco.
— Quero dizer que eu entrei com o pedido de divórcio oficial. Quero você fora da minha vida, você querendo ou não! — ele disse — Agora, arrume suas coisas e caia fora da minha casa, da casa dos meus pais, não quero você lá mais nem um segundo.
— Você acha que é assim? Que é fácil desse jeito livrar-se de mim?! Não, Edward Cullen! Você não vai acabar comigo desse jeito, não vai ser tão fácil!
— Se você se recusar, vamos para o litigioso. Será pior, mais longo e eu realmente vou diminuir ainda mais o dinheiro que você possivelmente poderia tirar de mim.
— Você é um monstro! — Tânia gritou — Eu vou acabar com você antes!
— Tente! — ele desafiou-a sorrindo.
Tânia olhou para Edward com ódio nos olhos. Ela queria arrancar a cabeça dele e atear fogo nos seus restos. Porém, respirou fundo, girou nos calcanhares e saiu da sala, levando toda sua ira embora. Ela dirigiu sem destino indo parar no parque da cidade, um pequeno e fedorento lugar cercado por árvores e brinquedos para crianças correrem e brincarem.
— O que você está armando Edward...? Acha que vai acabar comigo assim tão fácil? — estava falando sozinha, as palavras saiam entre dentes e respirava ódio — Eu não ficarei pobre. Eu não deixarei de ser a senhora Cullen. Você é meu e continuará sendo.
Ela tinha determinação em sua voz, mas o ódio falava bem mais alto. Tânia era do tipo de pessoa que não abriria mão facilmente de algo que ela queria, ainda mais de Edward, o único garoto que nunca, nem mesmo uma vez, olhou para ela com desejo ou paixão. Era por pura vaidade, ou talvez por amor, ela o queria e não estava disposta a abrir mão dele.
— Nessie! — a voz rouca e familiar ecoou através dos vidros baixos do carro. Tânia olhou na direção de onde vinha a voz e lá estava ela...
— Eu não acredito! — a loira sussurrou — Como é possível?
Bella estava parada perto do banco de concreto. Ela usava óculos escuros, uma regata branca e shorts jeans rasgados e tênis. O cabelo estava solto e ela tinha um relógio de ouro no pulso e Tânia sabia que era ouro, pois conhecia muito bem aquela marca. Foi quando ela notou a menina. A mesma menina que passou alguns dias visitando sua casa, a amiguinha do Jake, então era verdade... A mãe da menina era Bella e ela realmente estava diferente. Completamente diferente.
— Espera ai! — Tânia sussurrou — Essa menina não tem nada de Isabella...
— Só mais um pouquinho? — Nessie gritou
— Não! Vamos embora! — Bella respondeu — Tenho que passar na escola e você vai comigo!
— Você é pior mãe do mundo! — Nessie disse fazendo beicinho para a mãe que sorriu.
— Eu sei e não sinto nem um pouco de culpa por isso! — disse sorrindo — Agora vamos!
Nessie correu para segurar na mão da mãe e ambas caminharam em direção ao carro de Bella, que não era um carro qualquer. Era um carro bonito e caro, Tânia não deixou de notar isso.
— Agora eu realmente quero saber quem é o pai dessa menina!— Tânia disse colocando os óculos escuros  e ligando o carro para sair daquele local.


 Continua...