Jul M

Oi

sábado, 25 de fevereiro de 2017

O Tempo Não Para -- Capítulo 6





“Eu entreguei meu coração mais uma vez e só pedi baixinho: “que dessa vez seja verdadeiro”.” 

                    Frase do Filme -- Uns 3000 km de distância

Capitulo 6

Lembranças de 5 anos atrás:

Bella estava no estacionamento do aeroporto de Forks, dentro da sua picape vermelha. Eram quase seis da tarde quando avião dele pousou, ela estava esperando ele desembarcar, enquanto isso, lia uma revista velha. A garota estava animada. Edward se formara no colegial há três anos, ele estava na faculdade e ainda assim eles se falavam todos os dias.
¬¬¬– Buuuu! – ele disse batendo no vidro dela, aparecendo e jogando a mala na parte de trás da picape de Bella – dormiu ao volante, Swan... Acredito que o xerife ficará bem bolado com isso.
¬– Babaca! – ela disse abrindo um largo sorriso.
– Vai, passa para o outro banco! – ele pediu abrindo a porta do motorista e subindo.
Bella fez exatamente o que ele disse. Passou para o banco do passageiro e deixou que ele assumisse a direção, então ele deu a partida, saindo dali.
– Então, Swan? Quais são planos? – Edward perguntou. Eles já estavam na estrada.
– Festa da Kate no Bar da Olívia.
– Uau!– ele disse – a cidade está evoluindo! – então sorriu olhando de canto para ela.
– Claro, a ideia é essa: sempre evoluir!
– E você, Swan? Quais são os planos agora que se formou?
– Faculdade! – ela disse relaxando e olhando pela janela – vou abrir uma escola de dança e será a melhor de todas!
– Acredito! – Edward falou– você sempre gostou de dança e sempre foi boa nisso.
– Não para minhas professoras! – Bella disse e mordeu o lábio – você sabe que eu sempre fui gordinha, elas sempre jogaram isso na minha cara.
– Ainda bem que você não desistiu de dançar! – Edward falou – você dança muito bem e eu gosto de ver você dançando.
– Você é a única pessoa que fala isso sabia?
– É porque eu sou a única pessoa que sabe como você é de verdade...
– Que mentiroso! – ela rebateu socando ele – meu pai também sabe!
– Seu pai não conta! – Edward retrucou – ele é seu pai e eu...
– É o meu melhor amigo, um completo babaca! – ela afirmou mostrando a língua para ele.
– Aí está: a boa e velha Swan! – ele disse sorrindo e ambos seguiram em direção à festa.
...............................
 Já passava das onze horas da noite, Edward e Bella já tinham tomado todas possíveis. Eles dançaram e falaram com algumas pessoas, algumas garotas tentaram ficar com Edward, mas ele simplesmente ignorou todas para ficar perto de Bella.
– Você sabe que eu não vou dormir com você, não é? - Bella perguntou enquanto dançava com Edward, o que fez ele sorrir.
– Tenho planos para a noite! – ele disse piscando para a morena, que sorriu.
– Edward, você continua o mesmo galinha de sempre! - ela o acusou ainda sorrindo– quem é a vitima da noite?
– Na verdade, não existe ninguém! – ele disse olhando nos olhos dela – quero apenas ficar essa noite e todos os outros dias com você, apenas você!
– Você está bêbado! – ela disse sorrindo e passando a mão no rosto dele, que sorriu.
– Eu sei e você também está! – ele apontou – Swan, cadê o seu “eu certinha”?
– Você a embebedou! – ela disse sorrindo e ambos pararam de dançar.
– Vamos sair daqui? – ele disparou de repente.
– E para onde vamos? – Bella quis saber. Havia um brilho diferente nos olhos dele.
– Apenas venha! – Edward pediu e saiu puxando-a pela mão em meio à multidão.
.....................................................
Eles seguiram em direção à clareira. Estavam apenas eles dois cercados pela natureza e pelo céu estrelado, apesar de ser uma noite de inverno. Eles sentaram no chão, encostados contra uma grande árvore, onde permaneceram em silencio terminando de tomar um vinho. Edward pegara a garrafa antes de saírem da festa de Kate.
– Então! – Bella falou depois de um tempo em silencio – como está a Faculdade?
– A mesma chatice de sempre! – ele disse e sorriu torto para ela – Talvez melhor agora que você vai para lá também.
–  Como você é mentiroso! – ela o acusou brincando e bateu em seu braço. Ambos estavam sob o efeito do álcool, mas ainda sabiam conversar como pessoas civilizadas.
– Por que eu mentiria para você? – ele quis saber.
– Você está cercado por garotas lindas e vem dizer que sente me falta! – ela sorriu timidamente, corando.
– Eu sempre sinto sua falta! – ele afirmou olhando nos olhos dela – Bella você é minha melhor amiga, o meu porto seguro, a única garota em quem sei que posso confiar...
– Você não devia falar essas coisas! – ela disse mordendo o lábio e olhando para ele – Edward...
– Você está diferente – ele disse olhando melhor para ela – você está bonita Swan, não que você fosse feia! – ele disse sorrindo abertamente aquele sorriso que faz o coração de Bella saltar no peito de tão forte que bate – Eu gosto de você! Gosto de estar com você, sinto sua falta quando você não está por perto.
– Edward, por favor! – ela disse tentando se levantar, mas ele a segurou no lugar pegando seu pulso – Você está bêbado, nós estamos bêbados! – ela o lembrou – Não é justo você falar isso enquanto está bêbado...
– Dizem que bêbados não mentem! – ele disse e, por algum motivo, chegou mais perto dela, deixando seus rostos muito próximos – Você não vai me bater se eu te beijar, vai?
– Edward... – ela disse e balançou a cabeça – não me parece uma boa ideia...
Bella não teve tempo para terminar sua frase. Ele tomou sua boca em um beijo calmo e doce, algo que ela nunca imaginou ser possível.

 Sempre que ela pensou em Edward, por algum motivo, ela viu nele um lado mais selvagem, mais intenso... Não que o beijo que ele estava lhe dando fosse ruim, apenas que ela tinha uma imagem sobre ele e agora estava conhecendo um outro lado de Edward. Bella correspondeu ao beijo com a mesma intensidade que ele havia começado.
.......................................................................

 Se Bella tentasse explicar o que aconteceu nem mesmo ela saberia que palavras usar, afinal ela poderia culpar várias pessoas, mas ela sabia que no fundo, no fundo, ela queria, ela sabia...  Ela poderia culpar o álcool  também, já que estava bêbada assim como ele, mas a verdade é que ela queria, ela queria muito, desde o momento que ela começou a ver Edward não apenas como seu amigo, mas como homem, como o cara por quem ela era apaixonada. O cara que  ela desejava, porém ele só a via como uma boa e velha amiga.
Quando o beijo ficou intenso e as mãos ganharam vida, Bella não se importou nem um pouco. Nem mesmo quando ela foi parar no colo dele, sendo beijada com mais intensidade, e percebeu que estava ofegante e que queria mais, o tão sonhado mais... Naquele momento, ela se deu conta que não poderia ser com mais ninguém que não fosse ele.
As roupas sumiram rapidamente, o desejo dos dois falou bem mais alto, os olhos brilhavam ardentes. Edward olhava para ela com adoração e isso a deixou ainda mais apaixonada por ele. Em meio à luxúria, o chão gelado foi o paraíso e Bella não se importou nem um pouco com isso... Ela o desejava tanto que não se importava, ela sabia que era com ele, ele que seria seu primeiro e que talvez, depois daquela noite, fosse dela para sempre.
O corpo de Bella estava embaixo dele, Edward beijou cada parte do seu corpo descoberto. Ela não precisou dizer para ele que era sua primeira vez. Ele sabia e a conhecia, ele sempre soube, só nunca imaginou que ele poderia ser o primeiro em sua vida. 

Com todo cuidado e carinho ele se colocou em meio às suas pernas e, com a maior delicadeza possível, ele foi a penetrando, com cuidado, ele não queria que ela sentisse tanta dor em sua primeira vez. Mesmo Bella sendo a primeira virgem que ele possuiu, Edward entendia dessa coisa de primeira vez. Ele fora carinhoso, a beijou em volta do pescoço, fazendo o caminho até tomar sua boca novamente em um beijo cheio de carinho e quando já estava completamente dentro dela, as mãos dos dois se uniram como se fossem apenas um.

Os movimentos eram lentos, o quadril dele movia-se para frente e para trás, enquanto sua boca em seu pescoço torturava a Swan. No rosto da jovem se via que ela estava tomada pelo prazer e a cada nova investida dele, mais intenso fica o prazer de ambos.
Quando o desejo ficou insuportável, Edward puxou o corpo de Bella fazendo ela se sentar em seu colo, intensificando as invertida, ambos delirando de desejo. Uma das mãos de Bella estava em volta do pescoço dele e a outra apoiada na costa enquanto ele tomava conta do seu corpo, enchendo ela de beijos, explorando o seu pescoço e sua boca enquanto a jovem Swan rebolava, subindo e descendo em seu colo lhe montando com intensidade.

 Em meio ao desejo que ficava cada vez maior, o corpo de Bella começou a reagir cada vez mais até ela explodir, gritando e gozando com intensidade em seu colo. O desejo de Edward ficou maior e tomado por ele, ele deitou o corpo da Swan novamente no chão, voltando e lhe penetrar com intensidade até atingir o êxtase do prazer, explodindo em gozo.
As mãos de Bella estavam sobre o peito de Edward, assim como uma das suas pernas estava curvada ao ponto te tocar seu peito. Edward estava ofegante e seu corpo ainda tremia, havia chegado o fim, eles haviam atingido o prazer. Ele olhou nos olhos de Bella e então tomou a sua boca para mais um beijo intenso e profundo.

...........................................................
 Quando o dia clareou, Edward acordou sozinho na clareira, com uma dor de cabeça insuportável e sem se lembrar de nada que havia acontecido. Ele olhou em volta e buscou por Bella, pois sabia que ela tinha estado com ele, mas não se recordava de nada do que eles fizeram na noite passada. No entanto, ele tinha dúvidas se ele estava de fato com Bella ou com outra garota, ao se dar conta do seu estado, ele concluiu que tinha passado a noite com outra garota que não a Swan, porque eles eram bons amigos, ela jamais dormiria com ele.
....................................................
O enterro

Chovia muito aquela manhã, o velho John estava morto e os Cullen’s estavam em ruínas. Alice Cullen fugira, afinal, ela seria a maior vítima de todas as loucuras do seu pai. Edward encarava o túmulo do pai que acabara de ser enterrado, sentia cada gota de chuva lhe molhar da cabeça aos pés.
Havia alguns dias que ele e Bella não se falavam, por algum motivo que ele não se lembrava ela estava zangada, era como se ele tivesse esquecido algo importante e isso a deixou bem irritada, tão irritada que ela lhe socou a cara uns cinco dias atrás. Mas ela jamais o deixaria passar por esse momento sozinho, Bella sabia como era ruim perder alguém, afinal ela havia perdido a mãe e fora ele quem lhe deu todo apoio nessa hora ruim.
– Obrigado... – Edward sussurrou sem olhar para trás. Ele sentiu a mão da menina sobre seu ombro, estavam apenas eles dois no cemitério – Você é a única pessoa que eu quero por perto, Swan.
– Vai ficar tudo bem! ¬– ela disse e então abraçou o corpo dele por completo por trás, se molhando também e colocando o rosto contra sua costa – vai doer um pouco e haverá dias em que o vazio será bem maior, mas aos poucos a dor vai se tornando suportável.
– Suportável ou não, é como se meu mundo estivesse ruindo aos poucos.
Bella não disse nada, apenas ficaram em silencio por um bom tempo, deixando a chuva molhá-los e quando parecia que não teria fim, ele se virou e encarou a jovem à sua frente.
– Obrigado por não me deixar sozinho!
– Eu nunca deixarei você sozinho! – ela disse.
– Sr. Cullen, precisamos ir! – o motorista do Cullen disse, estava esperando por ele.
– Já estou indo – Edward disse – a leitura testamento será hoje...
– Você quer que eu vá com você? – ela perguntou.
– Desculpe, é só para a família ¬– ele disse e ela sorriu timidamente – mas você pode me visitar a noite. Vou adorar ter sua companhia!
– Tudo bem! – ela disse e o Cullen saiu andando em direção ao carro onde o motorista já estava esperando por ele.
– Edward! – Bella chamou e quando ele se virou para olhar a menina, ela já estava em cima dele lhe roubando um grande e agradável beijo, o que o pegou de surpresa – Eu sempre estarei aqui para você... – ela sussurrou e então saiu correndo em direção ao seu carro, feliz por não ter caído no meio do caminho.
....................................
Naquela noite ela foi atrás de Edward, só que ele não quis recebê-la, mandou que ela fosse embora e, dois dias depois, ele não estava mais na cidade.

Continua...


4 comentários:

  1. Ele foi um verdadeiro babaca.
    Posta mais.....

    ResponderExcluir
  2. Sou viciada em vc Jul! Leio um e fico desesperada pra ler mais! Adorando tudo!

    ResponderExcluir
  3. Julllll cadê vc nega!! Saí dessa folia e vem nos tirar dessa espera!

    ResponderExcluir