Jul M

Oi

sábado, 25 de fevereiro de 2017

O Tempo Não Para -- Capítulo 6





“Eu entreguei meu coração mais uma vez e só pedi baixinho: “que dessa vez seja verdadeiro”.” 

                    Frase do Filme -- Uns 3000 km de distância

Capitulo 6

Lembranças de 5 anos atrás:

Bella estava no estacionamento do aeroporto de Forks, dentro da sua picape vermelha. Eram quase seis da tarde quando avião dele pousou, ela estava esperando ele desembarcar, enquanto isso, lia uma revista velha. A garota estava animada. Edward se formara no colegial há três anos, ele estava na faculdade e ainda assim eles se falavam todos os dias.
¬¬¬– Buuuu! – ele disse batendo no vidro dela, aparecendo e jogando a mala na parte de trás da picape de Bella – dormiu ao volante, Swan... Acredito que o xerife ficará bem bolado com isso.
¬– Babaca! – ela disse abrindo um largo sorriso.
– Vai, passa para o outro banco! – ele pediu abrindo a porta do motorista e subindo.
Bella fez exatamente o que ele disse. Passou para o banco do passageiro e deixou que ele assumisse a direção, então ele deu a partida, saindo dali.
– Então, Swan? Quais são planos? – Edward perguntou. Eles já estavam na estrada.
– Festa da Kate no Bar da Olívia.
– Uau!– ele disse – a cidade está evoluindo! – então sorriu olhando de canto para ela.
– Claro, a ideia é essa: sempre evoluir!
– E você, Swan? Quais são os planos agora que se formou?
– Faculdade! – ela disse relaxando e olhando pela janela – vou abrir uma escola de dança e será a melhor de todas!
– Acredito! – Edward falou– você sempre gostou de dança e sempre foi boa nisso.
– Não para minhas professoras! – Bella disse e mordeu o lábio – você sabe que eu sempre fui gordinha, elas sempre jogaram isso na minha cara.
– Ainda bem que você não desistiu de dançar! – Edward falou – você dança muito bem e eu gosto de ver você dançando.
– Você é a única pessoa que fala isso sabia?
– É porque eu sou a única pessoa que sabe como você é de verdade...
– Que mentiroso! – ela rebateu socando ele – meu pai também sabe!
– Seu pai não conta! – Edward retrucou – ele é seu pai e eu...
– É o meu melhor amigo, um completo babaca! – ela afirmou mostrando a língua para ele.
– Aí está: a boa e velha Swan! – ele disse sorrindo e ambos seguiram em direção à festa.
...............................
 Já passava das onze horas da noite, Edward e Bella já tinham tomado todas possíveis. Eles dançaram e falaram com algumas pessoas, algumas garotas tentaram ficar com Edward, mas ele simplesmente ignorou todas para ficar perto de Bella.
– Você sabe que eu não vou dormir com você, não é? - Bella perguntou enquanto dançava com Edward, o que fez ele sorrir.
– Tenho planos para a noite! – ele disse piscando para a morena, que sorriu.
– Edward, você continua o mesmo galinha de sempre! - ela o acusou ainda sorrindo– quem é a vitima da noite?
– Na verdade, não existe ninguém! – ele disse olhando nos olhos dela – quero apenas ficar essa noite e todos os outros dias com você, apenas você!
– Você está bêbado! – ela disse sorrindo e passando a mão no rosto dele, que sorriu.
– Eu sei e você também está! – ele apontou – Swan, cadê o seu “eu certinha”?
– Você a embebedou! – ela disse sorrindo e ambos pararam de dançar.
– Vamos sair daqui? – ele disparou de repente.
– E para onde vamos? – Bella quis saber. Havia um brilho diferente nos olhos dele.
– Apenas venha! – Edward pediu e saiu puxando-a pela mão em meio à multidão.
.....................................................
Eles seguiram em direção à clareira. Estavam apenas eles dois cercados pela natureza e pelo céu estrelado, apesar de ser uma noite de inverno. Eles sentaram no chão, encostados contra uma grande árvore, onde permaneceram em silencio terminando de tomar um vinho. Edward pegara a garrafa antes de saírem da festa de Kate.
– Então! – Bella falou depois de um tempo em silencio – como está a Faculdade?
– A mesma chatice de sempre! – ele disse e sorriu torto para ela – Talvez melhor agora que você vai para lá também.
–  Como você é mentiroso! – ela o acusou brincando e bateu em seu braço. Ambos estavam sob o efeito do álcool, mas ainda sabiam conversar como pessoas civilizadas.
– Por que eu mentiria para você? – ele quis saber.
– Você está cercado por garotas lindas e vem dizer que sente me falta! – ela sorriu timidamente, corando.
– Eu sempre sinto sua falta! – ele afirmou olhando nos olhos dela – Bella você é minha melhor amiga, o meu porto seguro, a única garota em quem sei que posso confiar...
– Você não devia falar essas coisas! – ela disse mordendo o lábio e olhando para ele – Edward...
– Você está diferente – ele disse olhando melhor para ela – você está bonita Swan, não que você fosse feia! – ele disse sorrindo abertamente aquele sorriso que faz o coração de Bella saltar no peito de tão forte que bate – Eu gosto de você! Gosto de estar com você, sinto sua falta quando você não está por perto.
– Edward, por favor! – ela disse tentando se levantar, mas ele a segurou no lugar pegando seu pulso – Você está bêbado, nós estamos bêbados! – ela o lembrou – Não é justo você falar isso enquanto está bêbado...
– Dizem que bêbados não mentem! – ele disse e, por algum motivo, chegou mais perto dela, deixando seus rostos muito próximos – Você não vai me bater se eu te beijar, vai?
– Edward... – ela disse e balançou a cabeça – não me parece uma boa ideia...
Bella não teve tempo para terminar sua frase. Ele tomou sua boca em um beijo calmo e doce, algo que ela nunca imaginou ser possível.

 Sempre que ela pensou em Edward, por algum motivo, ela viu nele um lado mais selvagem, mais intenso... Não que o beijo que ele estava lhe dando fosse ruim, apenas que ela tinha uma imagem sobre ele e agora estava conhecendo um outro lado de Edward. Bella correspondeu ao beijo com a mesma intensidade que ele havia começado.
.......................................................................

 Se Bella tentasse explicar o que aconteceu nem mesmo ela saberia que palavras usar, afinal ela poderia culpar várias pessoas, mas ela sabia que no fundo, no fundo, ela queria, ela sabia...  Ela poderia culpar o álcool  também, já que estava bêbada assim como ele, mas a verdade é que ela queria, ela queria muito, desde o momento que ela começou a ver Edward não apenas como seu amigo, mas como homem, como o cara por quem ela era apaixonada. O cara que  ela desejava, porém ele só a via como uma boa e velha amiga.
Quando o beijo ficou intenso e as mãos ganharam vida, Bella não se importou nem um pouco. Nem mesmo quando ela foi parar no colo dele, sendo beijada com mais intensidade, e percebeu que estava ofegante e que queria mais, o tão sonhado mais... Naquele momento, ela se deu conta que não poderia ser com mais ninguém que não fosse ele.
As roupas sumiram rapidamente, o desejo dos dois falou bem mais alto, os olhos brilhavam ardentes. Edward olhava para ela com adoração e isso a deixou ainda mais apaixonada por ele. Em meio à luxúria, o chão gelado foi o paraíso e Bella não se importou nem um pouco com isso... Ela o desejava tanto que não se importava, ela sabia que era com ele, ele que seria seu primeiro e que talvez, depois daquela noite, fosse dela para sempre.
O corpo de Bella estava embaixo dele, Edward beijou cada parte do seu corpo descoberto. Ela não precisou dizer para ele que era sua primeira vez. Ele sabia e a conhecia, ele sempre soube, só nunca imaginou que ele poderia ser o primeiro em sua vida. 

Com todo cuidado e carinho ele se colocou em meio às suas pernas e, com a maior delicadeza possível, ele foi a penetrando, com cuidado, ele não queria que ela sentisse tanta dor em sua primeira vez. Mesmo Bella sendo a primeira virgem que ele possuiu, Edward entendia dessa coisa de primeira vez. Ele fora carinhoso, a beijou em volta do pescoço, fazendo o caminho até tomar sua boca novamente em um beijo cheio de carinho e quando já estava completamente dentro dela, as mãos dos dois se uniram como se fossem apenas um.

Os movimentos eram lentos, o quadril dele movia-se para frente e para trás, enquanto sua boca em seu pescoço torturava a Swan. No rosto da jovem se via que ela estava tomada pelo prazer e a cada nova investida dele, mais intenso fica o prazer de ambos.
Quando o desejo ficou insuportável, Edward puxou o corpo de Bella fazendo ela se sentar em seu colo, intensificando as invertida, ambos delirando de desejo. Uma das mãos de Bella estava em volta do pescoço dele e a outra apoiada na costa enquanto ele tomava conta do seu corpo, enchendo ela de beijos, explorando o seu pescoço e sua boca enquanto a jovem Swan rebolava, subindo e descendo em seu colo lhe montando com intensidade.

 Em meio ao desejo que ficava cada vez maior, o corpo de Bella começou a reagir cada vez mais até ela explodir, gritando e gozando com intensidade em seu colo. O desejo de Edward ficou maior e tomado por ele, ele deitou o corpo da Swan novamente no chão, voltando e lhe penetrar com intensidade até atingir o êxtase do prazer, explodindo em gozo.
As mãos de Bella estavam sobre o peito de Edward, assim como uma das suas pernas estava curvada ao ponto te tocar seu peito. Edward estava ofegante e seu corpo ainda tremia, havia chegado o fim, eles haviam atingido o prazer. Ele olhou nos olhos de Bella e então tomou a sua boca para mais um beijo intenso e profundo.

...........................................................
 Quando o dia clareou, Edward acordou sozinho na clareira, com uma dor de cabeça insuportável e sem se lembrar de nada que havia acontecido. Ele olhou em volta e buscou por Bella, pois sabia que ela tinha estado com ele, mas não se recordava de nada do que eles fizeram na noite passada. No entanto, ele tinha dúvidas se ele estava de fato com Bella ou com outra garota, ao se dar conta do seu estado, ele concluiu que tinha passado a noite com outra garota que não a Swan, porque eles eram bons amigos, ela jamais dormiria com ele.
....................................................
O enterro

Chovia muito aquela manhã, o velho John estava morto e os Cullen’s estavam em ruínas. Alice Cullen fugira, afinal, ela seria a maior vítima de todas as loucuras do seu pai. Edward encarava o túmulo do pai que acabara de ser enterrado, sentia cada gota de chuva lhe molhar da cabeça aos pés.
Havia alguns dias que ele e Bella não se falavam, por algum motivo que ele não se lembrava ela estava zangada, era como se ele tivesse esquecido algo importante e isso a deixou bem irritada, tão irritada que ela lhe socou a cara uns cinco dias atrás. Mas ela jamais o deixaria passar por esse momento sozinho, Bella sabia como era ruim perder alguém, afinal ela havia perdido a mãe e fora ele quem lhe deu todo apoio nessa hora ruim.
– Obrigado... – Edward sussurrou sem olhar para trás. Ele sentiu a mão da menina sobre seu ombro, estavam apenas eles dois no cemitério – Você é a única pessoa que eu quero por perto, Swan.
– Vai ficar tudo bem! ¬– ela disse e então abraçou o corpo dele por completo por trás, se molhando também e colocando o rosto contra sua costa – vai doer um pouco e haverá dias em que o vazio será bem maior, mas aos poucos a dor vai se tornando suportável.
– Suportável ou não, é como se meu mundo estivesse ruindo aos poucos.
Bella não disse nada, apenas ficaram em silencio por um bom tempo, deixando a chuva molhá-los e quando parecia que não teria fim, ele se virou e encarou a jovem à sua frente.
– Obrigado por não me deixar sozinho!
– Eu nunca deixarei você sozinho! – ela disse.
– Sr. Cullen, precisamos ir! – o motorista do Cullen disse, estava esperando por ele.
– Já estou indo – Edward disse – a leitura testamento será hoje...
– Você quer que eu vá com você? – ela perguntou.
– Desculpe, é só para a família ¬– ele disse e ela sorriu timidamente – mas você pode me visitar a noite. Vou adorar ter sua companhia!
– Tudo bem! – ela disse e o Cullen saiu andando em direção ao carro onde o motorista já estava esperando por ele.
– Edward! – Bella chamou e quando ele se virou para olhar a menina, ela já estava em cima dele lhe roubando um grande e agradável beijo, o que o pegou de surpresa – Eu sempre estarei aqui para você... – ela sussurrou e então saiu correndo em direção ao seu carro, feliz por não ter caído no meio do caminho.
....................................
Naquela noite ela foi atrás de Edward, só que ele não quis recebê-la, mandou que ela fosse embora e, dois dias depois, ele não estava mais na cidade.

Continua...


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O Tempo Não Para -- Capítulo 5




Não, ela me acertou bem onde mais doía. Bem no meu amor-próprio.
                    Frase do Filme -- Um Amor para Recordar

Capitulo 5

Os três dias passaram voando. Quando Bella voltou à Forks, a primeira coisa que ela fez foi buscar a filha na casa de Charlie, no entanto, ela teve uma grande surpresa.
— Você não podia! – ela gritava com muita raiva — Ela é minha filha!
— Isabella! – Charlie disse com autoridade de pai e dono da casa – Nessie só está na casa do amiguinho. Qual é o problema nisso?
— Ela está na casa dos Cullen’s! – ela gritou — Esse é o problema!
— Não consigo ver problema nisso – Charlie disse dando-lhe as costas — E além do mais, Jake passou ontem o dia todo aqui em casa brincando com ela. Ela só foi para casa dele porque a senhorita estava viajando e ela estava com saudade sua, andava meio tristinha, pelo menos com o coleguinha ela se diverte.
— Pai! – Bella gritou e gemeu ao mesmo tempo — Você realmente não entende.
— Eu entendo que você está sendo chata! – ele disse e Bella bufou.
— Não importa. Já vi que não adianta falar com você. – Bella disse pegando a bolsa.
— Aonde vai?
— Buscar minha filha, é claro! – ela disse e Charlie revirou os olhos.
— Você está se comportando como uma criança, Isabella! – ele repreendeu a filha — Juro que se eu fosse alguns anos mais novo, lhe daria uma surra por esse comportamento infantil.
— Sonha! – ela gritou saindo de casa, o que fez  Charlie gargalhar. A filha não tinha jeito, era sempre petulante e arrogante.
...........................................................
Edward ficou muito, mas muito surpreso ao ver Nessie em sua casa quando chegou para almoçar. A menina fora para brincar com seu sobrinho.
A pequena Nessie era muito linda e encantadora, muito bem educada também, tinha muita coisa da Bella, algumas manias que Edward conhecia bem, afinal eles foram melhores amigos durante anos.
— Por que não está na empresa? – Tânia perguntou.
— Isso não é da sua conta! – Edward disse.
Ele estava na sala vendo Jake brincar com Nessie.
— Sua educação melhora a cada dia, querido. – Tânia disse zombando, já com sua bolsa — Estou saindo, vou fazer compras já que é a única coisa que se pode fazer de bom nesta cidade.
— Está perdendo tempo! – Edward respondeu áspero – Não me importo com o que você faz ou deixa de fazer.
— Grosso! – Ela gritou e saiu, deixando-os sozinhos na sala.
 Do topo da escada, Alice acompanhava a cena. Assim que a loira saiu, ela desceu os degraus e foi se juntar ao irmão.
— Difícil acreditar que ela é filha de Bella. – Alice comentou.
— Pelo contrário, vejo muito de Bella nela. – Edward disse.
— Só você, então. – Alice sorriu — Eu queria saber quem é o pai dela.
— Você teria de perguntar para ela. – Edward disse.
— Você sabe que sempre achei que você e Bella fossem acabar juntos... Quer dizer, vocês dois eram inseparáveis e todos comentavam que...
Alice não terminou a fala.
Edward estava olhando fixamente para Nessie, que sorria e brincava com Jake e com carrinhos. Foi aí que entendeu... Era assim, Bella e Edward se conheceram quando crianças, eles brincavam juntos, se afastaram um tempo, mas logo estavam juntos novamente e depois ficaram inseparáveis.
— Ela tem o sorriso da Bella – Alice comentou.
— Eu diria que ela tem a doçura da Bella - Edward afirmou.
O barulho de um carro parando na entrada da casa chamou a atenção.
Jasper vinha da biblioteca quando ouviu a campainha tocar.
— Eu atendo! – ele disse abrindo a porta – Bella... – disse o nome dela como sussurro.
— Jasper – ela respondeu ao cumprimento.
Foi então que Bella sentiu medo pela primeira vez. Haviam-se passado cinco anos, ela nunca mais tinha colocado os pés naquela casa e agora sentia frio na barriga como se fosse a primeira vez que pisasse ali.
— Acredito que você veio buscar a Nessie – Jasper disse dando um sorriso amigável e recuperando-se do susto também.
— Quem é? – Edward perguntou já vindo ao encontro deles. — Jasper...
— Mamãe! – Nessie gritou, passando por ele correndo e jogando-se em cima dela.
— Devagar! – Bella disse segurando ela e quase caindo pelo impacto — Não faz assim, você pode me derrubar.
— Estava com saudade – Nessie disse com os olhos cheios de lágrimas e fazendo beicinho.
— Eu também estava, meu amor – disse Bella, limpando o rostinho dela.
— Eu não sabia que você chegaria de viajem hoje – Jasper disse — Quer dizer, Charlie não comentou nada.
— O meu pai não é a pessoa mais confiável quando o assunto é lembrar-se de algo. – ela disse e a ironia era viva em sua voz.
— Você pode entrar – Edward disse— Ninguém vai morder você.
— Disso eu sei – ela disse —, até porque ainda sei muito bem me defender.
— Não duvido disso! – ele disse, olhando para ela de cima a baixo.
A jovem usava calça jeans e uma camisa da banda nirvana.
— Vá buscar suas coisas, vamos para casa.
— Mas já? – Nessie reclamou —  Só mais um pouquinho...? – ela pediu.
— Nessie...
— Ótimo! – Jasper disse, batendo as mãos – Você entra e toma um chá com a gente, enquanto isso, eles terminam a brincadeira, e não vai custar nada, tenho certeza.
— Oba! – Nessie disse sorrindo, dando vários pulinhos e de repente saiu correndo em direção a Jake.
— Eu não acho que seja uma boa ideia – Bella disse — E além do mais, estou cansada e quero ir para casa.
— Você não é velha Swan – Edward disse —, larga de ser rabugenta. Até parece que está em alguma casa estranha.
— Você me chamou de rabugenta?! – Ela disse entre dentes.
— Está parecendo uma, reclamando desse jeito – ele disse como se fosse a coisa mais normal do mundo.
Bella mordeu os lábios de raiva. Ela queria gritar, falar mal... Bater nele, para ser mais exata. Tudo que ela queria era dar-lhe, pelo menos, um belo soco na cara, só pra ele saber que ela ainda era a mesma Swan de sempre, não abaixaria a guarda assim tão fácil, mas por algum motivo ela cedeu. Talvez, o riso gostoso de Nessie com Jake tenha despertado nela a compaixão de não acabar com a alegria deles.
— Parece que Forks não mudou tanto assim! – Jasper comentou – Temos mais modernidade, no entanto, parece que ainda é a velha cidade pequena.
— Depende dos olhos de quem vê! – Bella diz — E além do mais, até onde sei, você e Alice saíram às pressas da cidade.
— As circunstâncias não eram favoráveis.
— De fato – ela disse, bebendo seu chá.
Eles estavam na varanda da casa, do lado oeste, onde Jake e Nessie brincavam no jardim.
— Você parece estar de mau humor - Edward disse -, ainda aborrecida. Quando vai superar essa raiva toda?
— Você quer que eu supere? Sério? – ela perguntou. Agora ela estava com raiva.
— Bella, já se passou bastante tempo.
— Para mim, é como se fosse ontem!
— Você está sendo mimada! – ele a acusa.
— Gente, por favor! – Jasper disse – Não...
— Cala a boca! – tanto Bela quanto Edward gritou.
Alice não quis juntar-se a eles. Ela sabia que, se ficassem por perto, as coisas não acabariam tão bem, como já não estavam indo bem, visto que Edward e Bella estavam a ponto de se atacarem.
— Você não tem o direito de me acusar de nada! – Bella disse.
— Foi você que me deixou fora da sua vida! – ele meio que gritou.
Jasper não sabia o que fazer, estava de fato no meio de fogo cruzado e ele sabia bem como terminaria. Ele já vira outras brigas deles, e não só uma, mas várias ao longo da amizade louca deles dois.
— Ah! – ela disse ficando de pé. Estava puta da vida agora com ele. — Eu deixei você fora da minha vida? Foi você que me colocou para fora da sua quando se casou com aquela vaca por dinheiro.
— Você não sabe do que está falando! – ele disse ficando de pé e olhando-a friamente.
— Não me olhe assim, Edward Cullen! – Bella gritou e levantou o dedo indicador, acusando-o, mania que só ela tinha. — Eu conheço você. Você não me intimida, nem fodendo.
— Vejo que sua boca continua suja. – Ele disse sério, encarando-a.
— Digamos que você fez a sua escolha e eu não tenho mais nada a fazer aqui! – ela disse, pegando a chave de cima da mesa — Nessie, vamos! Precisamos ir!
— Por que você é tão cabeça dura?
— Porque você é um idiota! – ela gritou — Um imbecil, ganancioso e orgulhoso.  Preferiu ferrar com sua vida ao invés de simplesmente chutar o balde e mostrar que poderia ser bem melhor do que isso.
— Você não sabe de nada! – ele gritou.
— Na verdade, eu realmente não sei de nada e duvido muito que queira saber – ela disse, começando a sair.
— Por que você não respondeu as cartas? Por que não respondeu os e-mails, os telefonemas... Por quê? Eu queria explicar tudo!
— Porque se você fosse homem, teria vindo pessoalmente me explicar! – ela disse olhando seriamente para ele — Nessie, estamos indo!
Bella desceu a escada e pegou Nessie no jardim, voltou para a sala principal e pegou as coisas da menina, saindo de vez da casa. Alice acompanhou tudo do andar de cima. Edward e Jasper ficaram parados apenas observando a morena ir.
— Confesso que fiquei com medo de como essa discussão pudesse terminar – Jasper comenta.
— Digamos que ela apenas não me bateu, porque todo o resto ela fez – Edward disse, entrando na casa e indo para a biblioteca.
...........................................................................
No outro dia, Bella estava virada no cão. Estava dando patada e soco até no vento e ninguém na escola se atreveu a atravessar seu caminho.
— Sabe, se você chutar com mais força essa mesa acho que ela desmonta – Jéssica disse e sorriu.
— Fica quieta! – Bella respondeu-lhe.
— Tudo bem, mas o que está rolando de fato? É falta de sexo ou TPM?
— Nenhum dos dois! – Bella disse e olhou feio para a amiga.
— Olha, tenho que dizer que só via você assim quando brigava com o Cullen, mas eu acho difícil vocês terem se encontrado – Jéssica comenta, então olha no rosto da amiga e entende. – Ai. Meu Deus. Vocês... Vocês se encontraram? Quando? Como? Onde foi isso? Conta tudo!
— Jéssica! – Bella disse, respirando fundo — Eu não quero falar, então se tem amor à vida e ao seu emprego fica quieta.
— Sinto muito – Jéssica disse — Mas honestamente, se você não se abrir comigo, duvido que tenha outra pessoa para falar.
Bella socou a mesa com as mãos fechadas em punhos e então respirou fundo uma, duas, três vezes, antes de levantar a cabeça e encarar Jéssica.
— Nessie estava na casa deles – ela contou — Meu pai deixou que ela fosse para lá brincar com Jake, o filho de Alice e Jasper.
— Minha nossa! – Jéssica disse chocada.
— Meu pai só pode ter feito isso para me irritar.
— Bella, e aí? O que aconteceu?
— Eu fui buscá-la e eles estavam lá. Jasper abriu a porta pra mim e depois a Nessie veio, você sabe como ela é, pediu para fica mais um pouco... Quando eu vi, estávamos na varanda da casa, tomando chá.
— Uau! – Jéssica disse ainda mais chocada — Você não bateu nele? Quero dizer, não no Jasper, no Edward.
— Brigamos, Jéssica. Eu fiquei louca e acabei dizendo umas verdades a ele e, por pouco, não enfiei a mão na cara dele.
— Estranho seria se vocês não tivessem brigado. É o que vocês fazem, Bella, desde sempre, vocês brigavam, mas estavam sempre juntos.
— Só que dessa vez era diferente, eu realmente estava com raiva! – ela disse respirando fundo e suspirando.
— E em meio a essa briga toda você disse para ele a verdade sobre Nessie? – Jéssica perguntou.
— Que verdade? – Bella perguntou.
— Oras, a única que faz sentido em toda essa historia: que ele é o pai da menina!
Bella engasgou com a própria saliva e então arregalou os olhos para sua amiga e assistente.
— Não me olhe assim! – Jéssica disse — Só não vê quem não quer. A menina é a cópia dele e eu pude ver de perto na festa que ele deu! – Jéssica deu de ombros — Sempre me perguntei quem era o pai e você nunca falava sobre, então quando vi a foto de vocês do tempo da escola, tive a certeza. Bela, eu só não entendo o por quê de vocês nunca...
— Você vai ficar calada! – Bella disse séria e olhando para Jéssica de uma maneira que ela nunca olhou antes.
— Não tinha intenção alguma de contar a ninguém! – Jéssica disse levantando-se e pegando suas coisas — Só acho que, assim como eu descobri, alguém mais pode descobrir – Jéssica sorriu para Bella de maneira gentil e amigável — Vou ver como andam as coisas pela escola, até mais.


Continua...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 4


Não Importa Pra Onde ou Por Quanto Tempo a Vida Me Leve. A Força da Saudade Sempre Me Trará de Volta!
                                   Frase de um Autor Desconhecido
Capítulo 4

Bella estava arrumando as malas para viajar, mas lembrança do encontro de hoje pela manhã não saia da sua cabeça.
Nessie permaneceria com o avô durante os três dias, o que para Charlie era sempre um prazer fica com neta, mas no começo não havia sido bem assim, quando Bella contou a ele que estava gravida, Charlie meio que surtou, foi pouco depois do natal,  o último natal que os Cullens passaram na cidade.
Charlie enlouqueceu e brigou muito, brigou porque Bella só tinha dezoito anos e já seria mãe, quando ele perguntou quem era o pai, ela simplesmente disse que não importava, e foi ai que Charlie ficou mais furioso.
Foram duas longas semanas, cujo qual Charlie nem mesmo dirigia a palavra a filha, mas então, depois que a barriga começou a crescer e quando a menina Nasceu, tudo fora esquecido, até mesmo o desejo dele de saber quem era pai da pequena Nessie... Tudo o que ele sabia era que era sua neta e continuaria sendo.
—- Jessica! – Disse Bela assim que atendeu celular, o toque dele chamou sua atenção, fazendo assim com que ela saísse dos seus pensamentos.
—- Chefinha! – Ela disse — Seu voou sai as sete, não esqueça que você tem que estar lá uma hora antes.
—- Ok.
—-Sua passagem de volta está marcada para cinco da tarde, tem que estar lá no aeroporto uma hora antes. Mandei todas as informações para seu e-mail.
—- Obrigada. – Ela disse — Mas alguma coisa que eu devo saber?
— Não, todas as informações já estão no e-mail! – Jessica respondeu sorrindo. —Em caso de emergência improvise.
—- Você é a pior assistente do mundo! – Bella comentou sorrindo.
—- E você me adora! – Jessica diz brincando. — Boa viajem. Vejo-te daqui a três dias, e por falar nisso, posso dar um festa enquanto você estiver fora?
—- Não!
—- Chata demais! – Jessica diz e sorri logo após — Bella, às vezes penso que você tem 100 anos de tão chata que ficou.
—- Jessica, só para você saber, eu tenho uma filha de cinco anos, posso dizer que ela me fez envelhecer uns 50 anos em vez de cinco.
—- Qual é você tem 23 anos e parece que tem 100, eu no seu lugar ficaria com medo disso.
—- Não tenho medo de ficar  velha.
—- Pois deveria! – Jessica diz — Está ficando velha a cada ano, e pior, solteira!
—- Jessica, eu tenho 23 anos, para que tanta presa?
—- Bem... – Jéssica fingiu pensar para depois voltar a falar – Você tem 23 anos, uma filha e é mãe solteira. Acredite amiga, a cada ano que passar vai ficar mais difícil de arruma um cara sério e que goste de você de verdade.
—- Tem certeza que você é minha amiga? Tenho medo de você se tornar minha inimiga um dia.
—- É só aumenta meu salário que fica tudo bem.
—- Nunca! – Bella disse sorrindo e ambas sorriram — Tenho que desliga, preciso terminar de arrumar minhas malas.
—- Claro! Vejo-te em três dias. – Ela diz e o telefone fica mudo.
...................................
Edward jogava xadrez com Jake. O menino tinha cinco para seis anos e era bem mais esperto que a maioria das crianças nessa idade, ele conseguia joga xadrez como um adulto e Edward gostava de joga com ele.
—- Jake, hora de dormi! – Alice disse entrando na biblioteca. Jasper lia um livro sentando em uma poltrona perto da janela.
—- Mas mãe... – Jake deu sinal de reclamar, mas foi cortado antes mesmo de começar seu discurso.
—- Obedeça a sua mãe, Jake! – Jasper sussurrou sem tira os olhos do livro — Você sabe como ela fica quando está brava.
—- Amanhã nós terminamos a partida. – Edward diz.
—- Tudo bem, eu ia ganha mesmo! – Ele diz sorrindo — Vou captura sua rainha.
—- Acho que você já capturou... – Edward diz e pisca para menino que sorri e vai de encontro a sua mãe.
—- Você está muito pensativo hoje. – Jasper comenta assim que Alice os deixa sozinhos — Jake ganhou de você seis vez e ganharia a sétima se Alice não tivesse chagado.
—- Estou com o pensamento longe. – Edward diz.
—- Isso é notável! – Jasper fecha o livro e volta sua atenção para cunhado — Rosie estar para chegar semana que vem, estive na casa dela e a empregada me disse isso, parece que ela está de namorado novo.
—- Sua irmã e seus vários namorados. – Edward comenta
—- Um dia ela cansa e para. – Diz Jasper — Ou de fato encontrará o cara certo.
—- Você quer mesmo Rosie trabalhando na empresa? – Edward perguntou.
—- Claro! Rosie é louca, mas é talentosa. Acredito que ela será uma ótima publicitaria, pelo menos ela ser formou nisso, tem talento, pode apostar. Jasper explicar
—- Já mais duvidei disso. – Edward diz e faz uma pausa para depois voltar a chamar a atenção do cunhado. – Jasper?
—- Diga.
—- Quando você viu a Bella, ela lhe reconheceu? Falou com você?
—- Não! Ela não chegou a me ver. – Respondeu e voltou a comentar — Mas eu a reconheci... Ela estava diferente, mas a voz era mesma, ela não usava mais aqueles óculos feios e está bem mais magra e cheia de curvas, parece estar mais confiante, não sei dizer... Talvez a maternidade tenha lhe feito tão bem quanto o tempo.
Edward ouvia atentamente o que cunhado falava.
Realmente a Isabella que ele conheceu a vida toda não era mais a mesma, estava diferente, não era a feiosa que todos chamavam e zoavam no colégio, os óculos feios desapareceram e a gordura acumulada simplesmente sumiu, dando lugar às curvas perfeitas, e até mesmo o cabelo parecia estar melhor do que antes. As roupas largadas também foram trocadas por roupas de marca e boas, isso ajustava perfeitamente ao seu novo corpo... Sim! Essa era outra Bella, mas será que ainda existia algo nessa Bella que ainda fosse da antiga.
—- Porque esta pergunta? – Jasper quis saber.
—- Encontrei com ela hoje?
—- Sério? E ai?
—- Ela não me viu a princípio. – Edward diz — Ela havia chegado atrasada para buscar a menina, entrou na sala como um furacão e estava irritada porque alguém estacionou o carro de mau jeito impedindo ela de entrar.
—- Entendo!
—- Ela está viajando amanhã. – Ele diz e Jasper levanta a sobrancelha em uma pergunta silenciosa de como ele sabia sobre aquilo – Ouvi a conversa dela com professora do Jake, parece que elas já se conhecem faz um tempo.
—- Você disse que ela não lhe viu a princípio, mas e depois? Ela não lhe viu mesmo ou fingiu não te ver?
—- Viu! – Edward confirmou e voltou a dizer — Quando a professora foi chama a garotinha, ela percebeu que não estava sozinha, foi quando ela se virou e me viu.
—- E então…?
—- Então nada! – respondeu demostrando um pouco de desapontamento – Eu quase não a reconheci, e também os meninos chegaram logo depois.
—- Entendendo.
—- A menina, a Nessie, é uma criança adorável e muito bonita. Lembra-me muito a Bella.
—- Discordo de você! – Jasper diz — Eu vi a garota e ela tem cabelos acobreados e olhos muito verdes, sinceramente não vi nada de Bella nela a não ser cor da pele.
—- Você não a olhou de perto. – Edward diz.
—- Sabe que eu não me meto em nada que não seja da minha conta...  – Jasper diz tentando já se desculpar por estar comentando sobre aquilo — No entanto, eu nunca entendi a amizade vocês dois.
Edward sorriu e então seus olhos brilharam abertamente, ele se lembrou dos velhos tempos.
—- Era diferente com ela! –  disse — Eu sabia que podia confia nela, em tudo, não importava o que fosse eu sei que ela estaria lá para mim.
—- Vocês eram de turmas diferentes, Bella é mais nova que você, nunca conseguir entender isso.
—- A mãe de Bella era empregada na loja do meu pai. – Edward tenta explicar — Eu a conheci quando ela tinha dois anos, e eu era bem mais velho. Ela era da turma da Alice, e bom, todos na escola curtiam da cara dela por ela ser feia.
—- Bom, acho que mais ninguém pode dizer isso dela! – Jasper comenta.
—- Não mesmo! – Edward concorda — Eu a defendi uma vez de uns caras mais velhos, e foi ai que viramos melhores amigos. Bella topava tudo, não importava a loucura que fosse ela estava junto comigo. Quando fugimos de casa eu já estava no ensino médio e ela estava fundamental, meu pai brigou tanto.
—- Eu lembro, o xerife ficou louco e mandou você fica longe da filha dele. – Jasper riu.
—- E no outro dia lá estávamos nos dois junto novamente... – Edward comentou, sua expressão era de alguém que estava perdido nas lembranças boas. — Bella sempre soube tudo sobre mim e eu tudo sobre ela.
—- Então você deve saber quem e pai da filha dela?
—- Não, eu realmente não sei. – Respondeu — Cinco anos atrás, antes de o papai morrer, eu vim passar o natal em casa, e foi meu último natal aqui em Forks. Eu e Bella brigamos, mas a discussão foi tão séria que eu nunca a vi tão brava assim, foi então que na manhã seguinte John morreu e um dia depois do seu funeral o Denali nos roubaram tudo.
—- Você nunca falou para Bella o que ia fazer?
—- Não! – Edward diz e olhou para fora pela janela atrás do cunhado — Ela não aceitaria. Ela brigaria comigo de novo e seria perca de tempo, eu não ia volta atrás mesmo.
—- Mas você veio para Forks bem antes do natal, eu me lembro, você estava com Bella no bar, na festa da Irina ou foi na da Kate.
—- Foi. Edward confirmou e sorriu com a lembrança tomaram conta de sua mente novamente — Eu cheguei à cidade no começo de dezembro, acho que dois ou três de dezembro, Bella foi me buscar no aeroporto e de lá fomos direto para festa, tomamos todas, eu nunca tinha ficado tão bêbado como fiquei naquele dia.
—- Você não dormiu em casa. – Jasper afirmou.
—- Como sabe?
—- Alice me ligou logo pela manhã procurando por você. – Explicou.
—- Não, eu não dormi.  Eu e Bella acabamos indo para a clareira e dormimos por lá.
Jasper fixou o olhar no cunhado e sacudiu a cabeça como se tivesse mandando pensamento para longe.
—- Você e Bella nunca...
—- Transamos? – Edward completou a pergunta.
—- Desculpa pela invasão, mas você sabe... – Jasper diz — Todos falavam na escola Edward, ela era a única garota que andava com você, claro que geral sabia que você pegava outras garotas, mas todas eram da faculdade, você nunca foi visto com uma garota da escola a não ser Bella.
—- É porque Bella era diferente! – Edward afirmou e suspirou — Ela nunca deu encima de mim, nem mesmo uma cantada, ou nem ao menos se atirou. Ela era única. Ela não pressionava com sua presença e não aceitava tudo o que eu dizia ou fazia, ela me questionava e até brigávamos.
—- Lembro que ela bateu em você. – Jasper disse.
—- Bateu não, ela socou minha cara! – Ele diz e Jasper ri — Permaneci duas semanas com o olho roxo e ninguém acreditava que eu havia apanhado para uma garota que estava na sexta série.
—- Mesmo assim, vocês não se desgrudavam! – Jasper comenta.
—- Como eu disse: ela nunca foi igual às outras meninas. – Ele comenta — E respondendo a sua pergunta: não me lembro de nada do que aconteceu no dia que cheguei de viajem. Eu estava tão bêbado, que nem me lembro de como eu e ela fomos parar na clareira naquele dia.
Jasper apenas ouviu o que ele disse e então Edward se calou. O silencio tomou conta do ambiente por um bom tempo até Edward voltar falar algo...
—- No dia do enterro do meu pai - Edward disse — Fique no cemitério de frente para seu tumulo por horas até começa a chover, foi quando Bella apareceu, ela ficou lá de longe, me olhando, ela me beijou naquele dia.
—- O que? – Jasper não acreditou no que ele havia dito.
—- Ela me beijo e disse que tudo ficaria bem. – Edward diz — Dois dias depois eu estava casando com Tania e disposto a recupera tudo que eles roubaram da minha família.
—- Por isso você não disse nada para ela!
—- Ela nunca me perdoaria! – Edward Tentou explicar — Bella nunca ligou para dinheiro, até por que, ela nunca teve tanto dinheiro, mas eu e Alice crescemos cercado pelo dinheiro. Eu só conseguia pensa em Alice, na época ela estava doente e você sabe... Talvez se ela não tivesse doente eu jamais teria me casado com Tania, teria conseguido a minha fortuna de volta de outro jeito.
—- Você não tentou falar com ela depois disso?
—- Com Bella? – Edward pergunta e Jasper acena que sim com cabeça — Eu ligue para ela durante um ano inteiro, ela nunca atendeu as minhas ligações e nunca respondeu nem um dos meus e-mails e tão pouco as cartas.
—- Sinto muito. – Jasper diz.
—- Eu também senti. – Ele comenta e se levanta — Boa noite Jasper.
—- Boa noite, Edward. – Jasper retribui o cumprimento e então recorda — Edward? – Ele chama o cunhado antes que Edward saia da sala — Você disse que na noite que você e Bella dormiram na clareira, você não recorda de nada que aconteceu, mas você não respondeu minha pergunta.
—- Qual seria? – Edward ergueu as sobrancelhas para Jasper em um sinal para que ele continuasse a falar.
—- Você e ela eram mais...
—- Se já transamos?  Se Tivermos um romance ou algo do tipo, se já fizemos amor? – Edward o interrompe já sabendo que o cunhado não terminaria a frase.
—- Desculpa. – Jasper diz – Você não precisa responder se quiser...
—- E eu não tenho intenção de responder. – Edward diz e Jasper levanta uma sobrancelha olhando em direção ao cunhado – Eu conheço Bella melhor do que todos nessa cidade. – Edward diz para o cunhado e sai o deixando sozinho.
Jasper nada disse, mas não pode deixa de fica chocado com resposta do cunhado. Então os rumores sobre ele e Bella poderiam ser verdadeiros, talvez eles sempre fossem bem mais do que amigos, mas o problema era porque eles nunca contaram para ninguém? Por qual motivo eles deixaram que todos ficassem imaginando coisas...
Eram tantas pergunta sem resposta que Jasper achou melhor não sabê-las... Pelo menos não agora.


Continua..