Jul M

Oi

terça-feira, 6 de junho de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 14


“Nunca houve dois corações mais abertos, nem gostos mais semelhantes, ou sentimentos em tanta sintonia.”

                                   ― Frase do Filme A Casa do Lago
Capítulo 14

O corpo de Bella estava por baixo e Edward a prendia contra o gramado molhado. Ele prendia as mãos dela, pressionando-a contra o chão, enquanto sua boca estava na dela em um beijo tão intenso que não se sabia onde começava e onde terminava.
 – Me solte! – ela disse conseguindo desviar-se do beijo virando o rosto, mas isso não impediu Edward, ele apenas mudou o alvo de seu ataque dirigindo-se ao pescoço da morena – Edward, me solta! Oh! – ela soltou um gemido involuntário quando ele ousadamente chupou a pele do seu pescoço lhe causando arrepios. Sim, ela estava gostando, mas sabia que precisava acabar com isso, mesmo seu corpo dizendo contrário.
– Por que resiste tanto...? – ele sussurrou em seu ouvido e, logo em seguida, mordeu o lóbulo de sua orelha fazendo-a gemer novamente – Aceite, você também quer...
Talvez fossem as palavras dele, mas isso fez Bella ficar bem irritada e o que veio depois foi o joelho dela acertando em cheio no meio das pernas do ruivo.
– Ai! – ele meio gritou, meio gemeu, girou para o lado e saiu de cima do corpo dela – Merda, Bella...
– Babaca, imbecil, nunca mais chegue perto de mim! – ela esbravejou ficando de pé em um salto – Cretino! – gritou e correu em direção ao carro, arrancando dali o mais rápido que pôde.
Os motivos por Edward não ter corrido atrás dela eram dois: ela realmente tinha acertado em cheio seu membro, a prova de sua masculinidade poderia estar comprometida. O outro era que ele tinha um sorriso bobo no rosto.
........................................
Edward estava sentado à mesa, assim como os demais familiares para o café da manhã. Alice arrumara Jake para a escola e Jasper passaria no fórum da cidade para ver como andava o processo de separação do cunhado. Tânia, por sua vez, ainda estava fora da cidade, mas poderia voltar a qualquer momento. Edward melhor do que ninguém sabia que a loira egocêntrica não soltaria o osso assim tão fácil.
– Tenham um bom dia! – Alice desejou-lhes beijando marido e acenando para o irmão enquanto pegava a mão do Jake – Vejo vocês no almoço.
– Claro! – falaram juntos. Edward ainda tomava café, assim como Jasper.
Ambos observaram Alice sair pela porta levando o pequenino com ela.
– E então? – Jasper perguntou ansiosamente, querendo saber sobre noite passada.
– O que? – o cunhado perguntou como se não tivesse entendido o real motivo da pergunta
– Você e Bella. O que aconteceu? Achei ter ouvido alguns xingamentos vindos do seu quarto.
– Nada de mais! – Edward disse, mas um sorriso instalou-se no canto de sua boca.
– Definitivamente você está de quatro por essa mulher! – Jasper sorriu para o cunhado e levantou-se – Mais uma coisa...! – voltou a encarar o outro – Quando você vai contar para Alice sobre a Nessie?
– Assim que as coisas melhorarem com Bella – Edward respondeu simplesmente – Ela ainda não aceita muito bem a ideia de me ter por perto.
– Você não pode culpá-la.
– Eu sei!
– Bom, te vejo mais tarde! – Jasper disse – Rose tem uma reunião com você logo agora pela manhã!
– Eu sei – Edward disse, mas não tinha pressa alguma de sair de casa. Sua cabeça ainda estava distante, mais especificamente, na noite passada e em suas lembranças.
...............................................................................
Bella encarou o copo de café que sua secretária entregara assim que chegou à escola, há meia hora. Era como se ela conseguisse ver através do copo de café, mas a verdade era que sua mente estava a mil, devido aos acontecimentos da noite passada.
– Tá bom! – Jéssica disse e tirou o copo de café da frente da amiga – Já estou ficando com medo de você, não sei se ligo para seu pai ou para um exorcista. O seu olhar está possessivo e assustador.
– Ele me beijou – Bella sussurrou vagamente, ela precisava falar ou morreria, ou melhor, explodiria.
– Quem? Vai dizer que Emmett te beijou novamente? Ele não aprendeu na primeira vez?
– Edward! Ele me beijo! – ela ignorou o comentário da amiga e respondeu sua primeira pergunta.
– Como assim, ele te beijou?
– Beijando! Você sabe: boca com boca, língua com língua. Essa coisa que se faz quando se beija.
– E foi só um beijo? – Jéssica perguntou examinando a outra que usava uma blusa de gola alta.
– Foi!
Era como se Bella estivesse catatônica, estava tão calma que isso deixava Jéssica assustada, pois sabia que quando ela explodisse, seria de vez.
– Como isso aconteceu? – Jéssica quis saber
– Eu fui a casa dele – Bella contou –, estava com tanta raiva. Ele não tem o direito de bagunçar minha vida assim, do nada, como se... – ela não sabia o que dizer mais.
– Então ele te beijou.
– Sim. Quero dizer, eu falei tudo que estava entalado aqui! – apontou para a própria garganta – Ficamos nos encarando e então, ele simplesmente não disse nada, só me puxou e beijou. Acabamos caindo e meio que rolamos na grama do jardim da casa dele, foi horrível.
– Vocês rolarem na grama ou o beijo? Porque francamente, só de ouvir isso fique excitada! – Jéssica comentou e Bella arregalou os olhos para a moça que sorriu – Ah, qual é, vai dizer que você não ficou? Foi quase uma cena de filme pornô!
– Jéssica! – Bella repreendeu constrangida, fazendo com que a amiga risse de sua expressão.
– Ok, parei! – Jéssica disse – Mas eu acho que esse beijo mexeu com você, só acho! – disse ficando de pé – E, por favor, volte ao trabalho porque o dia está cheio para você.
– Você é a pior secretária do mundo! – Bella disse – Mande flores para Irina Castelare, hoje é aniversário dela. Mande em nome da escola, afinal, a filha dela estuda aqui, mesmo ela sendo uma vaca.
– Muito vaca, mesmo! – Jéssica concordou – Ei, não se esqueça: hoje saio mais cedo, tenho um encontro, então não me arrume trabalho.
– Você tem um encontro? – Bella perguntou surpresa – O que aconteceu com seu namorado?
– Caso passado! – Jéssica afirmou – E vida segue! Devia mesmo era dar uns amassos no Cullen e depois seguir com a vida.
– Jéssica! – ela gritou e a loira saiu correndo da sala.
...........................................
Aquela manhã foi bem louca, Bella sabia disso porque sua mente não parou nem por um momento. Emmett apareceu por lá, estava meio puto porque alguém tinha riscado seu lindo carro. Conversou com Bella sobre o próximo musical em andamento e também falou sobre as outras franquias da escola. Ela teria que viajar novamente em breve. Ele não se estendeu muito e, no final do dia, ela estava um caco. Ficou grata pelo pai ter ficado com Nessie, a menina nem se importava já que o avô fazia todas as suas vontades, então era sempre uma diversão estar com ele.
Bella estava sozinha na escola, além dela só os seguranças que faziam a vigilância noturna do local. Ela estava no salão de dança, usando suas velhas sapatilhas e se aquecendo, gostava de dançar quando estava muito tensa ou quando dia fora muito cheio. E, neste momento, ela estava dançando. Começou com Ballet e aos pouco foi mudando o ritmo até chegar ao ritmo latino. Ela dançou a primeira e no final da segunda, ouviu os aplausos.
– Você dança muito bem – ela reconheceu a voz sem precisar olhar para o dono – Na verdade, você sempre dançou.
– O que faz aqui? – perguntou ríspida olhando para ele. Edward estava lá em toda sua glória, perfeito e lindo, usando uma camisa branca de mangas compridas, as calças e sapatos eram pretos. Ele estava casual, fora do seu tradicional terno e gravata, o que o deixava ainda mais sexy e perigoso. – Pensei que tivesse deixado claro que não quero sua companhia e nem você por perto.
– Não seja cruel, Isabella! –  ele disse provocando-a e chegando mais perto
– Fique longe! – alertou apontando com o dedo indicador para ele.
– O que tem demais? Está com medo?
– De você?! Não meu querido, só aviso que vou te deixar com um belo olho roxo!
– Não se preocupe, eu tenho um bom plano de saúde! – Edward disse chegando ainda mais perto
Bella não tinha desligado o som, então a música continuava tocando, mudando de uma para outra. Nesse momento começou a tocar uma música que Nessie havia passado para o MP4 da mãe, “Despacito”. O ritmo era bem dançante e Nessie gostava porque, normalmente, ficava pulando e muitas vezes a mãe dançava com ela.
– Gosto interessante... – Edward disse encarando-a e dando aquele sorriso torto que deixava qualquer mulher louca, nem mesmo Bella era imune àquele sorriso de canto sedutor.
– Não tem nada a ver! – Bella tentou defender-se sem saber o que dizer. Foi quando ele a puxou, acabando com a pouca distância que ainda os separava – Me solte! – ordenou, mas sua respiração já lhe traia.
– Calma! – ele disse e seu hálito quente soprou o rosto de Bella – É como nos velhos tempos! – falou já movimentando seu corpo e levando ela junto. O problema era que eles estavam perto demais, a ponto de sentir o coração um do outro batendo e o de Bella estava a mil – “Despacito... Quiero desnudarte a besos despacito, firmo en las paredes de tu labirinto Y hacer de tu cuerpo todo un manuscrito” – Edward sussurrou a letra da música no ouvido da morena que sentiu todo o seu corpo arrepiar.
Ela não conseguiu dizer mais nada, apenas seguiu os movimentos dele. Edward sempre fora um bom dançarino, ela sabia, e numa musica assim, ele dominava, era ousado e bem tentador. Ele movimentou seu corpo, colando ao dela, suas mãos passeavam por todo o corpo da morena, fazendo com que ela o encarasse. Eles se movimentavam ao ritmo da música, até mesmo quando Edward a segurou pelas mãos, jogando-a para trás e puxando novamente para si, colando seus corpos, fazendo ambos cederem um pouco.
– Solte-se, Bella! – ele sussurrou no ouvido dela e sorriu.
 A morena não sabia dizer se fora pelo ritmo da música ou pelo momento, mas em poucos minutos, Bella requebrava e rebolava, indo até o chão e dançando de maneira tão ousada que Edward nunca tinha visto. Ela usava uma roupa simples, calça colada ao corpo e uma blusa preta também colada, porém as únicas coisas visíveis eram as curvas de seu corpo. Bella moveu-se parecendo uma cobra  lisa, como se não tivesse ossos no corpo e Edward sorriu, puxando-a novamente e prendendo-a junto a seu peito.
– “Quiero ver bailar tu pelo quiero ser tu ritmo, que le enseñes a mi boca tus lugares favoritos.” – Edward sussurrou novamente no ouvido da morena, mas dessa vez, ele segurou firme sua cintura encarando-a e Bella não desviou o olhar.
 A verdade era que nem um dos dois iria desviar ou desistir e o inevitável aconteceu. Talvez já fosse o esperado, levando-se em conta o que estava acontecendo em meio a essa dança ousada e tentadora. A boca do ruivo tomou a dela em outro beijo cheio de urgência e necessidade. Só que, dessa vez, a morena  correspondeu à altura, as mãos dela foram para o cabelo dele, puxando, colando ainda o corpo no dele. As mãos de Edward passeavam livremente pelo corpo de Bella, apertando e tentando trazê-la ainda mais perto. Ele levou as mãos para as coxas da morena que reagiu muito bem, aceitando que ele a levantasse e, como resposta, ela passou as pernas em volta da cintura dele.
– Merda! – Edward gemeu quando a morena mordeu levemente seus lábios.
Bella buscou por ar, o que bastou apenas para Edward mudar seu alvo e descer para o pescoço da mulher. A gola alta da blusa dela estava atrapalhando, então ele subiu as mãos que estava apalpando a bunda da morena e, enquanto subia, levantou a blusa que o impedia e ela não reclamou.
Edward jogou a blusa de Bella pelo chão do salão e ela também arrancou a camisa dele. Em meio a esse movimento todo, ambos acabaram caindo no chão. O corpo de Bella estava por baixo com Edward por cima dela, enquanto ela arranhava suas costas com severidade, ele traçava um caminho de beijos do pescoço ao colo da morena, apertando seus seios por cima do sutiã. As coisas ficavam cada vez mais quentes, os beijos cada vez mais ousados e os gemidos que Bella soltava cada vez mais provocantes aos ouvidos do ruivo que estava sedento por ela.
Quando as coisas começaram a esquentar mais e mais e a música de fato havia parado, o único som que se ouvia era dos beijos e gemidos deles.
– Mamãe! – Nessie gritou do lado de fora da sala – Mamãe, cadê você?!
Foi como um balde de água fria e Bella empurrou Edward para longe.
– Merda! – gritou já se levantando – Esconda-se! – disse apressadamente, mas ele apenas ficou sentado olhando a morena que pegava a blusa às pressas para vestir – Edward, eu estou falando sério, esconda-se! – falou novamente, jogando a camisa para ele.
– Não. – ele respondeu olhando para a mulher, a qual realmente estava linda, os anos só lhe fizeram bem.
– O quê?! O que você acha que Nessie vai pensar vendo você aqui desse jeito? – perguntou furiosa, o som dos passos da menina ficando mais próximo.
– Ela vai pensar que a mamãe e o papai dela estavam pensando em lhe dar um irmãozinho, talvez! – ele respondeu apoiando-se sobre uma mão e olhando para Bella com aquele sorriso sexy que só ele tinha.
– Você é louco! – ela gritou de volta.
– Mamãe! – Nessie gritou de novo, mais perto.
– Edward, por favor, se esconde!
– Não, já disse! – falou sorrindo de canto
– Por favor, eu estou pedindo! – implorou chegando perto dele e empurrando a camisa – Se vista.
Aproveitando-se da proximidade, ele a puxou para cima dele, chocando-se com o chão com o corpo dela por cima.
– Só se você prometer jantar comigo amanhã! – Edward impôs a condição.
– Claro que não! – ela negou rapidamente – O que aconteceu aqui foi um erro!
– Não para mim. – retrucou e podia-se ouvir uma seriedade no fundo de sua voz.
– Mamãe, mamãe, cadê você? – Nessie chamou
– Edward, por favor, se esconda e me solte!
– Janta comigo amanhã?
– Está bem! – aceitou desesperadamente olhando para a porta – Agora, por favor, se esconda! Eu jantarei com você amanhã, apenas se esconda e só saia depois que nós sairmos.
– Pego você às sete! – disse e beijou os lábios dela, mordendo levemente – Às sete horas, não esqueça!
 Ele sorriu ao colocá-la de lado, pegou sua camisa e caminhou para trás do espelho central da sala, sumindo. Claro que, para Bella, duas coisas não passaram despercebidas: a primeira era que Edward continuava gostoso e extremamente sexy. A outra era que suas costas estavam todas arranhadas e ela era a culpada por cada arranhão daquele.
– Mamãe! – Nessie disse entrando na sala correndo. Charlie vinha mais atrás. – Viemos buscar você!
– Foi?! – Bella respondeu dando um sorriso amarelo – Então vamos, só tenho que pegar minha bolsa na sala.
– Aconteceu alguma coisa? – Charlie perguntou olhando a filha que estava descabelada e ofegante, sem contar o forte rubor em suas bochechas.
– Não, nada! – ela negou rapidamente endireitando a postura e pegando Nessie no colo – Apenas estava dançando um pouco!
– Sério? – Charlie perguntou analisando-a de cima a baixo. Ele não acreditou muito na sua desculpa.
– Vamos, mamãe, eu estou com fome! – Nessie apressou a mãe – Vovô vai nos levar para comer pizza!
– Claro, claro! Vamos pegar minha bolsa! – Bella disse e saiu da sala sendo guiada pela menina e seguida pelo pai.
Por algum motivo ela queria sair dali correndo o mais rápido possível, afinal ela tinha algo que queria esconder.

Continua...


segunda-feira, 15 de maio de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 13


Só porque você sabe uma coisa sobre uma pessoa não significa que saiba tudo sobre ela.
                      -- Frase Da Serie – CSI Maimi
Capitulo 13

Certo ou errado.

Bella passou o dia todo trabalhando e pediu para o pai buscar Nessie na escola, ainda estava perturbada com os últimos acontecimentos.
– Terra chamando! – Jéssica chamou a atenção da jovem
– Desculpe! – ela disse e olhou para a amiga que estava sentada à sua frente na mesa – O que você disse?
– Que por hoje acabou! – Jéssica disse – O que aconteceu?
– Nada! – Bella disse
– Nada... Claro, “nada” agora deixa você assim! –  comentou –  Conta outra.
– Tudo bem! – Bella disse cedendo – Vou contar para você, afinal, é a única pessoa com quem posso falar sobre isso mesmo.
Jéssica apenas olhou para a amiga esperando que desabafasse. Bella não era uma pessoa de muitos amigos, mas os poucos que ela tinha eram de extrema confiança.
– Edward descobriu sobre Nessie!
– Fudeu! – Jéssica disse automaticamente
– Ele mandou uma bicicleta para ela hoje pela manha!
– Lascou! – ela falou novamente sem pensar direito em suas palavras.
– Ele quer se aproximar...
– Isso é bom!
– O quê?! Você tem ideia do quê isso quer dizer?
– Que Nessie ganhará um pai de verdade! – Jéssica afirmou – Admita, por mais que Emmett seja um cara legal, nós duas sabemos que ele não é pai da jovenzinha e que o pai dela está vivo. Você tecnicamente não tem direito de impedi-la de conviver com ele.
– Você tem certeza que é minha amiga? – Bella perguntou irritada – Ele nunca quis saber da menina!
– Correção: ele nunca soube da menina! – Jéssica jogou na cara – Bella, eu não tiro suas razões por não contar a ele sobre a Nessie. Edward fez uma escolha, você a respeitou, mas lembre-se: está além de você. Nessie é apenas uma criança... Você não gostaria de descobrir depois de anos que Charlie não é seu pai, que seu pai é outra pessoa e que sua mãe nunca lhe disse isso. Olha, pense bem, Nessie tem cinco anos e sempre chora quando os pais dos coleguinhas vão buscá-los na escola após uma apresentação de trabalho ou passeio. Lembra como ela ficou ano passado no dia dos pais? Bella, Edward está vivo, ele voltou! Talvez esse não fosse o pai que você queria para sua filha, mas é o único que ela tem e, francamente, você está sendo egoísta. O problema é entre você e ele, são as coisas mal resolvidas entre vocês. Não jogue isso para cima da sua filha, ela é só uma criança.
– Mas ele não sabe nada sobre ela! – Bella disse frustrada
– E daí? Ele terá que descobrir, vai aprender!
– E se ele magoá-la?
– Bella, não estamos falando de você! – Jéssica repreendeu – Estamos falando da Nessie. Ela é uma criança e precisa de um pai, você querendo ou não! Você não quer que ela seja uma daquelas crianças que crescem traumatizadas pela falta do pai. Já pensou se Nessie começa a namorar caras mais velhos apenas para suprir essa carência da qual você pode ser a culpada?
– Chega! – Bella interrompeu – Quando foi que você ficou tão equilibrada assim? Eu não sei, não quero que minha filha sofra por ele não ser o pai perfeito.
– Ainda bem! Deve ser um saco ter um pai perfeito! – disse com uma pitada de humor em seu tom – Imagine, quando ela ficar com raiva dele, ela vai culpá-lo pelo que?! Por ser perfeito demais? Francamente, Bella, assim como você está aprendendo a ser mãe, ele terá que aprender a ser pai. Vocês errarão pra caramba, mas vão aprender.
– Eu odeio você! – Bella exasperou-se e Jéssica sorriu para a amiga que realmente estava frustrada. Ela esperava outra atitude da jovem Stanley.
– E outra coisa! – Jéssica disse se levantando – Você e Edward precisam se resolver! Até por que vocês estarão mais próximos agora.
– Eu sei, eu realmente sei! – respondeu – Mas eu não consigo perdoá-lo...
– Você nem tenta! – Jéssica repreendeu a amiga novamente e Bella a olhou sem entender – Eu tinha raiva de você, Bella! Todos comentavam sobre você e ele. Todos, até mesmo eu, durante um tempo falei de você... Eu não sabia como lidar com “a garota feia que era a melhor amiga do cara mais gostoso da escola”. Não era à toa que as meninas ficavam com raiva de você. Você estava lá, todos os dias, lado a lado com ele, sorrido e tocando nele, falando com ele e sendo abraçada e beijada por ele, mas o que você fez? Nada! Sabe quantas meninas queriam estar no seu lugar? Quantas desejavam um pouquinho da atenção do senhor Cullen? Várias! Sabe quantas conseguiram? Nenhuma! Exceto você...
Bella olhou surpresa para Jéssica. Esta era a primeira vez que a jovem falava sobre isso, o assunto Edward era tabu e Bella nunca perguntou nada relacionado aos tempos de escola para Jéssica.
– Você era garota que todas na escola queriam ser, ninguém se importava de você ser como era! – Jéssica continuou seu desabafo – De fato você não era feia, só se arrumava mal. Mas era você quem estava lá, sempre com ele e tendo toda a sua atenção. Ele nunca olhou para ninguém além de você!
– Eu...
–... Não sabia! – Jéssica completou – Todos sabiam que você gostava dele, so não tivessem certeza, suspeitavam, mas ao contrario de nós, reles mortais, você conseguia a atenção dele. Edward sempre ficou só com garotas da faculdade e ele sempre deixou isso claro. Era um mulherengo assumido e todos sabiam, mas ninguém ligava. Ninguém se importava de ser “apenas mais uma” em sua vasta lista de conquistas, só queríamos poder dizer que conseguimos ter  um pouquinho da atenção do cara mais legal e gato da escola, mas você roubou tudo isso de nós.
– Jéssica...
– Eu não estou culpando você, Bella! – Jéssica assegurou e Bella viu que a amiga tinha os olhos marejados – Eu só acho que vocês dois precisam conversar e, se você o ama, tente! Eu entendo o porquê de você gostar dele, Edward era um cara legal, admirado por muitos e amado por todas as meninas.
– Jéssica, eu...
– Pare! – Jéssica interrompeu – Não estou culpando você, já disse. Apenas queria deixar claro algo que você se recusou a ver todos esses anos. Ninguém implicava com você porque você era feia, as garotas implicavam com você, por que era a única que o Cullen abraçava e beijava, mesmo que não fosse na boca, mas ele estava sempre com você. Edward dizia para todos que te amava, que você era a única garota a quem ele confiava todos os seus segredos. Ele chegou até a dizer uma vez que casaria com você. Bella, ele fez o gol da vitória na final do campeonato do último ano e dedicou a você! Era triste saber que o cara mais gato tinha como melhor amiga a garota mais sem graça da escola. E, com isso, você passou a ser alvo certo da implicância das meninas.
– Eu não tive culpa! – Bella defendeu-se lembrando de tudo que Jéssica disse. Realmente  eles eram inseparáveis... Até aquela triste noite fria
– Hoje eu sei! – Jéssica prosseguiu com seu discurso – Quando ele foi embora e todos esqueceram que vocês existiam, quando ele não estava mais lá porque tinha se formado, Bella, foi quando eu verdadeiramente pude conhecer você. Então, deu para entender o porquê que ele tinha tanto orgulho de você.
Bella não disse nada, apenas observou entanto Jéssica limpava o rosto e secava as poucas lágrimas que conseguiram escapar de seus olhos. Já era tarde e a noite caia do outro lado da janela de sua sala.
– Olhe, hoje posso dizer algo que ninguém nunca disse – Jéssica falou – Não é a Tânia quem merece estar com ele, é você Bella! Hoje eu reconheço isso e acho que muitos pensam a mesma coisa quando conhecem a Tânia. Não a deixe ganhar essa, ela caçoava tanto de você na escola, te fez chorar tantas e tantas vezes... Eu acho que a pessoa que deveria estar casada com o Edward não é ela e sim você.
– Jéssica!
– Olha! – Jéssica apressou-se em explicar – Eu sei que foi tudo muito louco entre vocês, mas chute balde! É passado e o passado está morto e enterrado. Ele fez uma escolha errada, ok, você também fez. Ele foi um babaca, legal, você também foi, mas tem a Nessie... Ela precisa saber quem é o pai e sentir o gosto, pelo menos uma vez, do que é ter uma família completa. E meu último conselho para você nesta noite de merda é: está na hora de vocês dois esquecerem o passado. Se for desse cara que você ainda gosta, não minta porque eu sei que é...       Então vá à luta! Sigam em frente e construam um futuro juntos. Errar uma vez é normal, duas é totalmente burrice.
Bella não disse nada enquanto Jéssica pegava suas coisas e caminhava em direção à saída da sala.
– E, Bella... Talvez ele tenha mudado! – a moça disse e abrindo a porta – Afinal não é todo dia que você encontra Edward Cullen na porta da sua sala.
E dizendo isso Jéssica saiu e fechou a porta deixando para trás uma pilha de informações para sua boa e velha amiga processar.
.............................................................
Bella estava no carro, seguia um caminho que sabia que não teria mais volta. Antes de sair da escola, ela ligou para o pai pedindo que Nessie dormisse lá. Em sua mente, ela pensava no que faria.
..................................................................
Na casa dos Cullen estava tudo calmo. Tânia partira, mas antes de ir, disse que seria apenas por alguns dias. O que não fez a menor diferença para Edward, já que ele não mais se importava com o que ela fazia. Alice levara Jake para o quarto, era a hora de o menino dormir, já que ele levantaria cedo para ir para a escola. Jasper e Edward estavam na varanda do lado de fora da casa, de frente para a entrada da casa.
– Bem, você pode requerer o teste de paternidade – Jasper disse.
– Isso não! – Edward respondeu – Isso a deixaria ainda mais furiosa e, francamente, Bella com raiva é letal para qualquer pessoa. – foi impossível para Jasper não rir – Não ria! Bella é terrível.
– Pelo menos ela está linda agora – Jasper disse ainda com resquícios de humor em seu tom e Edward o encarou.
– Ela sempre foi linda! – Edward rebateu sem sequer pensar – Bella era relaxada, mas era linda... Os óculos eram apenas um charme a mais.
– Você realmente gosta... – Jasper constatou olhando para o cunhado, falava completamente sério agora.
– Eu sempre gostei... Bella era a única garota que não dava a mínima para o que ou quem eu era.
– Isso é verdade! Ela chutava sua bunda sempre que você era um babaca.
– Talvez fosse isso que me chamava atenção nela... – ele disse e então bebeu do vinho, o qual caia perfeitamente naquela noite fria – O que aconteceu com  Rosie?
– Arrumou confusão no restaurante – Jasper respondeu em um misto de cautela e humor – Um cara meio que conseguiu tirar ela do sério!
– Como se fosse preciso muito para isso acontecer!
– Voltando ao assunto! – Jasper disse fugindo do assunto da irmã e voltando ao assunto do qual Edward tentava fugir – O que vai fazer com Bella? Ela não parece estar a fim de ceder fácil.
– Primeiro preciso resolver tudo com Tânia. Esse divórcio tem que sair o mais rápido possível. – Edward comentou – Só então poderei fazer alguma coisa sobre isso, tenho que levar em conta que Bella é bem cabeça dura.
– Não é tão diferente de você, então! – Jasper comentou despreocupadamente e o cunhado olhou feio para ele – Quem será a esta hora? – Jasper perguntou olhando para dois faróis que aproximavam.
O carro de Bella entrou com tudo na propriedade dos Cullen. Por sorte, não havia muros, pois se tivesse ela com toda certeza os teria posto abaixo. Tanto Jasper  quanto Edward se levantaram das cadeiras para ver o que estava acontecendo.
– Merda! – Bella disse saindo do carro apressadamente e pulando em uma poça de lama – Droga, droga!
– Bella! – Edward disse surpreso ainda no topo da escada, ao seu lado ainda estava Jasper – Não acha que está meio tarde para visitas?
– Vai se lascar! – a morena gritou de volta fazendo Jasper sorrir, a boa e velha boca suja da Swan.
– Pelo visto ainda está de mau humor!
– A culpa é toda sua! – ela gritou ferozmente indo em direção a ele e continuou a falar – Quem você pensa que é? Eu tenho uma vida e, acredite, estava tudo indo muito bem. Aí você simplesmente resolve voltar e acha que é assim, só aparecer que tudo ficará bem? Você tem ideia do que eu passei?! Do que nós passamos?! Você acha que pode simplesmente aparecer depois de tudo isso e dizer ‘oi’? Você é um idiota!
Era muita coisa de uma vez e, se Edward não tivesse tão absorto nas palavras da jovem, ele teria visto que a mão dela estava indo em direção ao seu rosto. A marca dos dedos dela ficou em seu rosto surpreso, não se sabe se pela tapa ou pelas palavras dela.
– Bom, acho que vou entrar... – Jasper disse baixo – Esta conversa está ficando perigosa demais. Boa sorte aí e não baixe a guarda!
As palavras de Jasper não foram ouvidas por nenhum deles. Bella tinha os olhos nos de Edward e ele tinha os olhos presos nos dela. Parecia que o mundo tinha parado de girar naquele momento e só existiam eles dois e mais ninguém.


Continua...

domingo, 7 de maio de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 12


“As pessoas quase nunca reparam no que está bem debaixo de seus narizes”.
               Frase do Filme  O Código da Vinci

Capitulo 12

Uma bicicleta. Era o que Bella pensava enquanto encarava o grande presente que sua querida Nessie tinha acabado de ganhar. A menina gritava e pulava alegremente, estava feliz, mas o problema não era a bicicleta em si, Bella poderia comprar isso para sua filha, mas tinha medo, afinal Nessie só tinha cinco anos de idade e Bella era a mãe mais protetora que tinha.
– Oba, oba, eu tenho bicicleta! – Nessie gritou animada e feliz.
– Você devolverá! – Bella disse. Em sua mão estava o cartão com a seguinte mensagem:
Para minha menina sentir o vento no rosto e sorrir
Com carinho.
E. C
Bella sabia muito bem quem era o E.C assinado no cartão.
– Mas eu gostei! – Nessie retrucou fazendo bico
– Vamos! Vou deixa-la na escola e resolveremos isso quando você voltar!
– Eu não vou devolver a bicicleta! Ela é minha! – a menina bateu o pé – Bella apenas olhou e pegou a bolsa dela, puxando-a junto para o carro.
Nessie não disse nada, estava bicuda o caminho todo, mas não importava, Bella estava presa em pensamentos. Apenas levou a filha até a sala de aula e deu-lhe um beijo na testa. Ângela estranhou ver a morena chegar e sair com tanta pressa, sem dizer nada. Enquanto ela saia da escola, Alice se aproximava trazendo Jake para a aula.
– Aquela era Isabella Swan? – A pequena com cara de fada perguntou.
– Sim! – Ângela disse – Acho que ela está com pressa hoje.
– Ouvi dizer que ela sempre está com pressa! – Alice comentou e dando um lindo sorriso para a professora – Tenha um bom dia, querido! – disse ao beijar Jake que limpou envergonhado.
– Na frente da tia Ângela não! – ele disse e ela sorriu – Nessie, olhe o que eu tenho! – gritou já correndo.
– Até mais! – Alice despediu-se e Ângela acenou com a cabeça sorrindo.
A pequena saiu, indo em direção ao seu carro com a graciosidade de uma bailarina.
............................
Era uma manhã como todas as outras. Rose Hale já havia passado na sala do irmão e, como sempre, sua presença na empresa causou o maior reboliço já que a loira chamava muita atenção com sua adorável beleza.
– Você tem esses papéis! – Jasper disse entrando na sala de Edward – Sua audiência ficou para o final do mês, tente, por favor, não bater de frente com Tânia.
–Meio difícil visto que ela ainda está morando na minha casa!
– Tecnicamente, a casa ainda é dela também, vocês ainda são casados! – Jasper explicou.
– Pronto! – Edward lhe entregou os papéis já assinados – Mais alguma coisa legal para assinar?
– Não! – o cunhado respondeu – Rose jantará lá em casa hoje, por favor, tente chegar a tempo para o jantar. Alice mandou lhe dar esse recado, ela também disse para você atender seu celular.
– Não quero falar com Alice! – Edward disse
– Ainda chateado? – Jasper perguntou
– Você sabe que às vezes sua esposa consegue ser mais mimada do que deveria ser! – Edward comentou com aparência de cansado – Tente lembra-la que ela não tem mais cinco anos.
– Ela só está preocupada com você! – o advogado defendeu a esposa.
– Claro. – Edward disse vagamente – Mais alguma coisa?
– Não. Por hora é só isso mesmo. – Jasper falou – Nos vemos depois, quem sabe almoçamos juntos.
– Pode ser!
Edward viu quando o cunhado saiu da sala, fechando a porta e voltou a concentrar-se em alguns contratos que estavam sobre sua mesa. Ele estava imerso na analise que fazia quando a porta foi aberta abruptamente, assim que ele levantou cabeça ele a viu.
– Sinto muito, Sr. Cullen, ela foi entrando! – Jane desculpou-se nervosa e temerosa.
– Tudo bem, Srta. Jane, pode sair!
 A loira saiu mais que depressa, não se poderia dizer se estava com medo do chefe ou da expressão da mulher que invadiu a sala, ela parecia que iria arranca os olhos de alguém.
– Como você ousa?! – exigiu indo em sua direção.
– Bom dia para você também, Isabella!
– Não me venha com essa! – ela disse estatelando as mãos sobre a mesa do ruivo e jogando o cartão que ele havia enviado com o presente. – Você enlouqueceu ou quer fazer graça?! Por que diabos você mandou uma bicicleta de presente para Nessie? E isso?! – perguntou apontando para o cartão.
– Vejo que o presente chegou! – Edward disse tranquilamente, parecia que ele não estava com nem um pouco de medo da morena à sua frente.
– Não mande mais nada! – ela disse entre dentes – Você não faz parte da vida dela, então fique longe.
– Eu não ficarei longe da minha filha. – avisou
– Ela não é sua filha – Bella disse ainda mais irritada – então não force a barra!
Ele sorriu e levantou saindo de seu lugar e caminhando em direção à morena que ainda tinha ódio nos olhos.
– Então faremos um exame de DNA e tiraremos a dúvida!– ele sugeriu e fazendo-a bufar.
– Qual é o seu problema? Você nunca ligou, por que isso agora? Assim do nada?
Ele a puxou pelo braço para bem perto e da última vez que ficaram assim, tão próximos um do outro, Edward a beijou e Bella se lembrava de perfeitamente disso já que esse beijo a deixou sem sono a noite toda.
– Você sabe que o único motivo de eu ter me afastado foi eu não saber! – reafirmou – E a culpa é sua por ter me escondido algo assim tão sério.
– Minha culpa! – ela disse amargamente e sorriu sem humor algum – Você se casou sem pensar duas vezes e agora vem com essa, que é minha culpa...
– Se você tivesse dito, eu não teria casado!
– Se você não tivesse me chutado fora da sua vida talvez eu tivesse dito! – ela gritou – Você nem olhou para trás.
– Eu mandei cartas, e-mails, eu liguei... Deus sabe o quanto eu liguei para você, o quanto desejei ouvir sua voz, ouvir sua risada, conversar com você...
– Então por que não veio?
– Eu queria minha melhor amiga de volta! – disse olhando nos olhos dela
– Você é burro, Edward! – Bella disse prendendo as lágrimas, ela se recusava a chorar em sua frente – Você nunca percebeu que sua melhor amiga era completamente apaixonada por você.
Edward sentiu como se tivesse levado soco no estômago, de fato aquelas palavras lhe causaram um leve dor, mas nada comparado ao fato de não saber que tinha uma filha.
– Você não entenderia! – ele disse deixando parte de seu sofrimento externalizar-se em sua voz.
– Tente me explicar!
– Eu não posso!
Ela olhou para ele e deu aquele sorriso irônico de decepção.
– Você nunca pode! – disse puxando para longe seu braço que ainda estava sendo segurado por ele – Fique longe, ela não precisa de você.
– Isso não é você quem escolhe. – afirmou.
– É a última vez que lhe aviso. – Bella falou e caminhou em direção à saída da sala dele.
 Porém, antes que ela chegasse à porta, Edward a segurou, prendendo-a contra a porta, e  antes que ela pudesse protestar, ele a beijou. Não foi um beijo rápido como da última vez, mas sim algo mais profundo e intenso, a língua dele invadiu a boca dela e beijo era cheio de desejo, as mãos estavam no cabelo da morena e as dela, espalmadas no peito dele.  O beijo foi interrompido quando alguém tentou abrir a porta, assustando ambos. Cada um foi para um lado. O ruivo passou as mãos pelos cabelos, enfiando-as nos bolsos em seguida e Bella, além de estar totalmente descabelada, estava ofegante.
Jasper entrou na sala olhando de um para o outro, tentando entender o que se passava ali, o que não foi difícil levando-se em conta o estado da morena.
– Nunca mais chegue perto da minha filha! – Bella disse tentando sair.
– Já lhe disse, vou tomar tudo que é meu por direito! – Edward disse e a morena bufou, saindo da sala dele.
– Em outro momento, eu juraria que ela lhe enfiaria um soco na cara! – Jasper comentou
– Não é da sua conta! – Edward disse voltando à sua mesa – Mas, obrigado pelas informações.
– Só achei que você deveria saber – Jasper disse compreensivo – afinal, um filho muda tudo.
Edward não disse nada, mas tinha um leve sorriso nos lábios. Bella Swan não era mais um patinho feio, não que ele se importasse com isso, mas sua nova versão deixava tudo ainda mais interessante.


Continua...

domingo, 30 de abril de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 11




Você mentiu pra mim me contando uma verdade?
                                     - Piratas do Caribe 4
Capítulo 11

Perdendo a cabeça

Assim dizia o poeta: o amor é para pouco, apenas para aqueles que têm coração forte. Bella parecia acreditar fielmente nisso, já que ela nunca amou ninguém além de Edward. O fato de ele ter sido o primeiro homem em sua vida, o fato de ele ser seu melhor amigo, o fato de ele ter estado sempre ao seu lado, talvez, por tudo isso ela nunca tentou achar em outra pessoa, que não fosse ele, o amor.
Ou talvez fosse o simples fato de que sua história com ele nunca teve um final que a mantinha presa a ele. Ou então, como dizem os poetas, no mundo existe uma alma gêmea para casa pessoa, talvez Edward Cullen fosse a sua alma gêmea.
– Você está com uma cara péssima! – Jéssica comenta ao entrar na sala da amiga e chefe.
– Dor de cabeça! – Bella disse levando a mão à testa – O que temos para hoje?
– Nada demais! – Jéssica disse – Você tem três reuniões, duas sobre patrocínio do próximo musical e uma com novos membros do concelho... Oh, que merda!
– Ótimo! – Bella disse e o sarcasmo era presente – Para quando é minha viagem?
– Próxima semana! Tem certeza que quer ir? Quero dizer, o Emmett pode cuidar disso pessoalmente, ele mora em Nova York!
– Relaxa! – Bella a acalmou – Eu quero ir! Nessie também vai, ela está de férias da escola e prometi leva-la para assistir o musical Frozen!
– Ótimo, a morte é sua! – Jéssica sorriu – Bom, sua primeira reunião será daqui vinte minutos, na sala de vídeo. Está tudo organizado, então acaba com eles!
– Obrigada, Jéssica, pode ir agora! – Bella respondeu simplesmente. Realmente ela não estava com um humor bom.
As duas primeiras reuniões aconteceram rapidamente, eram apenas detalhes bobos, arremates. A escola estava fechando acordos de patrocínio para um novo musical que, assim como os outros, tinha tudo para ser um sucesso.
 A sua última reunião aconteceu às cinco da tarde, Nessie estava com seu pai Emmett, ele a buscou na escola. Bella fora rápida em sua reunião, era sempre bom ter novos parceiros, mas ela ainda era dona de tudo, todo poder ainda era dela. Assim que reunião acabou, Jéssica apareceu na sala.
– Você tem visita em sua sala! – disse rapidamente – E meu horário já terminou, estou indo embora. Boa sorte e boa noite!
Antes mesmo que Bella pudesse perguntar do que se tratava ou quem era a visita, Jéssica já havia sumido. Ela era boa em fazer isso quando queria. Bella estava de mau humor, odiava imprevistos e nesse momento esse visitante era um imprevisto. A escola estava vazia, já eram quase sete da noite então todos já deveriam ter ido.
– Sinto muito pela demora! – ela disse abrindo a porta de sua sala e falando para o visitante misterioso — É que eu estava em uma reunião quando você apareceu...
Bella não terminou de falar, sua voz sumiu assim que ela viu quem estava em sua sala.
Edward Cullen estava sentado em sua cadeira com as mãos sobre a mesa. Bella gelou, sentiu o coração bater lentamente. Enquanto ela estava fora, deu tempo de Edward olhar atentamente cada detalhe da sua sala.
 Sobre sua mesa, havia várias fotos, fotos da Nessie, dela e alguns amigos, foto de Nessie na banheira, dela na escola em seu primeiro dia, dela no parque, dela comendo sorvete, várias fotos espalhadas pela sala. Havia uma foto de Bella e alguns amigos, o cara grandão que Nessie chamou de pai, cujo nome Edward não sabia. Jéssica, a sua secretária, Bella e outra pessoa desconhecida, mas que, por algum motivo, faziam parte de sua vida  e uma foto que poderia ser chamada de foto de família onde Charlie, Nessie e ela estavam juntos.
– O que está fazendo aqui? – a morena perguntou quando conseguiu falar.
– Interessante sua sala... – Edward falou com fingida indiferença segurando uma foto de Nessie onde ela estava vestida de coelhinha. – Você conseguiu afinal... Tem sua própria escola de dança, meus parabéns!
– Você não veio aqui só me dar os parabéns! – disse irritada andando em sua direção e tomando a foto de Nessie, colocando-a de volta ao lugar – O que você quer, Edward?
– Conversar! – respondeu olhando diretamente para Bella. Seu olhar era frio, o olhar que ele usava quando estava com raiva e chateado com algo. Talvez por esse motivo ela sentisse medo.
– Não acho que temos algo a falar! – tentou escapar – Já dissemos tudo que precisávamos dizer.
– Talvez. – ele disse ainda olhando-a daquela maneira que Bella conhecia bem – Senta. – ele disse sucinto, mas Bella sabia que havia uma ordem por trás daquelas palavras frias.
– Você está em minha sala, sentado em minha cadeira! – Ela disse tentando escoar toda tensão que estava sentindo.
– Digamos que isso não é nada comparado ao que você tirou de mim nesses últimos cincos anos! – o ruivo comentou estreitando os olhos para sua adorável amiga – Vamos conversar? – não era bem uma pergunta e Bella sabia.
Ignorando a sensação de raiva e ódio que estava sentindo, ela puxou a cadeira em frente a sua mesa e sentou. Agora eles estavam cara a cara e essa seria a conversa mais longa que eles poderiam ter.
– Não acho...
– O que aconteceu há cinco anos? – ele a interrompeu – Eu me lembro de quase tudo. Lembro-me de você indo me buscar no aeroporto, de chagarmos juntos à festa da Kate. Eu me lembro de ter bebido muito, mas não lembro como saí da festa e tampouco como cheguei à clareira.
- Por que está falando isso? – Bella   disse sentindo um leve arrepio percorrer seu corpo – Por que agora? Por que depois de tanto tempo?
Edward mantinha os olhos sobre uma foto de Nessie onde possivelmente ela tinha apenas alguns meses de vida, estava no colo de Bella usando toca rosa na cabeça e seu nariz estava vermelho, mas de algum modo parecia que ela sorria.
– Eu nunca soube o que aconteceu! – ele disse sem olhar para Bella, ainda olhava para a foto da menina – Eu acordei com uma grande dor de cabeça e forte ressaca. Eu nunca me lembrei de nada, não sabia, você foi embora sem dizer nada. Você me fez pensar que..
– Eu... – Bella começou a falar, mas calou novamente.
– Eu fiquei sabendo pela Kate! – Edward disse – Por ironia do destino a encontrei e, como sempre, ela foi bem falante. Você era o assunto principal, o fato de você ter engravidado logo após tudo acontecer, o modo...
– Edward! – Bella tentou falar, mas ele bateu com as mãos sobre mesa o que a fez tremer da cabeça aos pés.
– Eu não sabia! – ele praticamente que gritou as palavras e sua expressão era de pura agonia – Por que você não me disse? Por que não me fez ver? Por que você deixou que eu ficasse na escuridão?
– Você era meu melhor amigo! – ela gritou de volta e, por mais que estivesse irritada por ele estar fazendo-a sentir-se culpada, um estranho impulso de abraça-lo para tentar afastar toda a dor que via em seus magoados olhos verdes – Eu tentei dizer, mas você me colocou para fora da sua vida!
– Por que não forçou a barra? Por que você não gritou? Por que você não foi atrás?
– Por que você já tinha outros planos e eu não fazia parte deles!
– Você pode falar a verdade? – ele sussurrou – Nessie Swan... Ela tem algum parentesco comigo e minha família?
Mentira tem perna curta e Bella sabia. Ela poderia mentir, mas sabia que só se colocaria em uma confusão ainda maior. Ela conhecia Edward bem o bastante para saber que ele já tinha certeza, ele sabia a verdade ou jamais teria vindo atrás dela, sabia a resposta.
– Você não tinha o direito! – ele se exaltou quando a moça ficou em silêncio, tomou sua falta de resposta como uma confirmação – Você não podia!
– Você estava casado! – Bella gritou e foi a vez dela de socar a mesa – Você foi embora! Saiu daqui sem olhar para trás, o que você esperava?! Que eu te implorasse para voltar?! Lamento Edward Cullen, nunca fiz isso e seria então que eu o faria.
– Ela é minha filha! – ele gritou e afirmar isso com todas as letras e em voz alta inflamou sua raiva por Bella ter escondido esse segredo por todos esses anos.
– O fato de você ter fornecido o esperma não faz de você o pai! – ela cuspiu as palavras e isso só fez aumentar ainda mais a raiva que ele sentia.
– Eu nunca soube! – gritou saindo de seu lugar – Você tinha que ter me dito!
– Eu tentei! – ela respondeu com um sorriso irônico nos lábios – Naquela noite, quando você disse ao seu mordomo para me mandar embora. Sim, eu tentei te dizer a verdade, naquela época, mas você estava mais preocupado em não ficar pobre.
Edward ficou sem reação. Ele se lembrava desse momento, tinha descoberto sobre o testamento e a perda de sua fortuna.
– Você não tinha o direito... – sussurrou com um profundo ressentimento transparecendo em sua voz – Tirou cinco anos da minha vida.
– Não! – Bella disse ficando de pé e olhando-o cara a cara – Você mesmo tirou cinco anos da sua vida. Se te serve de consolo, ela nunca quis saber de você.
Bella estava machucada, mas queria machuca-lo, queria que ele sofresse também, pelo menos um pouco para começar a entender o que ela sofreu. O que ela não esperava era a reação dele. Edward ficou furioso e isso era possível ver em seus olhos e Bella se assustou quando ele a segurou pelos ombros e  sacudiu com um pouco de violência.
– Você nunca disse quem eu era! – vociferou na cara dela – Mentiu para mim e também mentiu para ela.
– Solte-me! – ela disse tentando se desvencilhar de seu aperto – Edward, me solta!
– Não! – ele disse com ódio – Você vai me ouvir! Você vai me ouvir!
– Eu não quero! – respondeu como uma criança mimada – Eu vou bater em você, me solta!
– Solta você?! Você mentiu por todo esse tempo!
– E você não estava nem aí! – disse entre dentes.
– Eu não sabia, caramba! – gritou sacudindo-a mais uma vez – Eu nunca soube que era você naquela noite até que Kate me disse que eu tinha saído da festa com você. Eu nunca achei que fosse você naquela noite.
– Por quê? – ela quis saber – Por que não poderia ser eu?
– Porque você era minha melhor amiga! – ele disse – E eu levei um soco quando tentei te beijar uma vez. Você jurou que nunca cairia nas minhas cantadas baratas, que jamais seria apenas mais uma na minha cama. Como eu podia pensar que era você naquela noite?! Eu estava bêbado!
– Eu também estava, caramba! – ela gritou conseguindo se soltar – Você nunca notou, merda, Edward! Eu sempre gostei de você, que porra! – ela gritou mais alto ainda – Eu odeio você, eu odeio você! – repetiu várias e várias vezes.
– De todas as garotas, você era a única que eu não podia ter... – Edward sussurrou.
– Sai daqui, Edward! – ela disse – Sai da minha vida, some! Você fez isso durante cinco anos, continue fazendo.
– Eu não vou! – ele disse segurando o braço dela novamente – Você pode gritar, xingar,  espernear, mas eu não vou. Você tem algo que me pertence também e eu não vou deixar para trás.
– Fique longe da Nessie! – gritou dando-lhe um tapa certeiro no rosto – Você não é nada para ela e continuará sendo assim, nada!
– Você está totalmente errada! – Edward disse passando a mão pelo rosto onde ela tinha batido. – Até mais, Bella.
– O que? Não! – ela disse andando em sua direção – Você não vai chegar perto da Nessie novamente! – o empurrou pelas costas – Fique longe da minha filha!
– Chega Bella! – ele gritou virando e segurando seus braços, puxando Bella para si. Eles ficaram perto um do outro, perto até demais – Não tenho intenção de ir embora e não tenho intenção de ficar longe, vou recuperar o tempo que perdi.
– Fique longe! – Bella sussurrou tentando parecer firme, mas sua respiração lhe traia fortemente.
– Acredito que não seja bem isso que você quer... – Edward disse – Só para você estar preparada: há outra coisa que eu quero saber, mas isso não é agora!
Antes que Bella entendesse o que estava por trás daquelas palavras, os lábios de Edward tomaram conta dos dela em um beijo rápido e inesperado, 


então ele se afastou e seguiu em direção à porta, apenas para olhar para ela, ainda parada no mesmo lugar.
–Ainda não terminou! – ele disse e saiu, deixando a morena perdida e totalmente atordoada.


Continua...