Jul M

Oi

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Capitulo 35




“Uso minha armadura pra me proteger de tudo mas quando se trata de você fico desarmada, fico sem proteção.”
— Thaisa walker

Capítulo 35

Duas semanas se passaram desde o ocorrido com Bella e Edward. Alice, para alegria de seu irmão, estava viajando. Uma viagem de última hora, ela foi à companhia de algumas amigas, a fim de participar de desfiles de moda.
Bella dormiu no seu antigo quarto durante a semana toda, tomava café da manhã, almoçava e jantava sozinha. O marido dela quase não lhe dirigia a palavra. Na verdade, nada disse a ela depois daquela noite. Ele simplesmente deixou um recado com Daniella para que ela se afastasse do trabalho. A morena não estava gostando nada do ritmo que as coisas estavam tomando.
—- Daniella! - Bella chamou a empregada em um tom leve.
—- Pois não, menina?
—- Sobre o meu marido... Você sabe me dizer se ele ainda está em casa ou se já saiu para a empresa?
—- O menino Cullen saiu logo cedo! - Daniella assentiu — Acredito que o ouvi falando que teria uma reunião na hora do café da manhã.
—- Tudo bem... Pode ir... - Bella agradeceu — Eu vou sair com algumas amigas, por favor, caso ele pergunte, lhe avise.
—- Poderia ligar para ele avisando! - Daniella sugeriu, pois ela sabia que as coisas não andavam bem para os dois.
—- Não quero o ouvir gritar comigo! - Fora tudo que a morena dissera ao se levantar da mesa e sair.
.................................................
Na empresa, Emmett estava na sala com Edward, o humor do Cullen estava terrível naquela semana. Ninguém mais suportava as patadas e o seu mau humor constante.
—- Já pensou em fazer análise? - Emmett perguntou chamando atenção do amigo.
—- Por que eu faria isso?
—- Sei lá, talvez uma terapia de casal ajudasse você e a sua digníssima esposa.
—- Emmett, não comece!
—- Não... eu estou tentando é terminar... Você está tratando a todos muito mal, dando patada a torto e a direito, sabe como é difícil lidar com você com esse humor?
—- Se não está feliz, a porta da rua é logo ali.
—- Viu? É disso que estou falando! - Emmett disse ao mesmo tempo em que o seu telefone vibrou sobre a mesa, então a foto que apareceu foi de Rosie, a noiva dele. — Oi querida! - Ele fez silencio ouvindo o que dizia a bela loira.
—- Emmett, estarei saindo hoje com algumas amigas! -Rose contou para ele ao celular
—- Saindo? Como assim? Onde vai?
—- Emmett, é apenas uma saída com amigas.
—- Desculpe-me, mas, por favor, não chegue tarde. - Ele pediu.
—- Claro que não! Beijos, amo você!
Emmett desligou e ficou com uma ruga em sua testa, olhando para o celular.
—- Problemas?
—- Não... Rosie não me dá problema, pelo contrário, ela é a solução para muitos deles.
—- Você é patético! - Edward disse sorrindo discretamente.
—- O que posso fazer se estou completamente apaixonado?
—- Sorte a sua...
—- Não comece... - Emmett o imitou — Você ama Isabella, só está magoado. A final, você creditou no que você quis acreditar, não pode culpá-la por isso. Você tirou conclusões precipitada.
—- Oh, não foi ela também, pois deixou que eu acreditasse.
—- Você acreditou na mentira porque você quis! Aceite Edward, você queria ser o primeiro homem na vida dessa mulher e o que você não aceita é que foi aquele moleque do Black. Esse é o motivo da sua raiva. No entanto, não vejo Bella reclamar das mulheres que você fudeu, e se colocarmos em uma lista, Bella teria motivos bem maiores do que os seus para querer lhe matar.
—-Não estamos falando de mim!
—- Não, nós estamos falando de você e do seu superego! - Emmett disse sorrindo — Além do mais, meu caro amigo, existe outros lugares onde você pode ser o primeiro a desbravar...
Edward arregalou os olhos, Emmett gargalhou bem alto, se levantando de sua cadeira e caminhando em direção a saída, nunca esqueceria a cara do bom amigo em relação ao seu comentário anterior, aquilo ficaria em sua mente para sempre.
—- Pense com carinho no que eu disse, e acredite em você também, vai gosta muito...
—- Emmett! - Edward gritou jogando a caneta contra ele, que saiu rápido, fechando a porta.
.....................................
O ruivo chegou a sua casa e tudo estava em silêncio, dessa vez, Bella não estava na sala esperando por ele, tentando conversa. Daniella abriu a porta e sorriu ao ver o bom garoto.
—- Boa noite menino!
—- Boa noite, Daniella! - Edward disse e buscou com olhos algum lugar possível para a esposa estar — Onde está a minha mulher.
—- A menina disse que estaria fora com algumas amigas.
—- Como assim fora?
—- Menino, ela apenas disse que estava saindo com algumas amigas e pediu para lhe avisar. - Daniella explicou — Até sugeri para que ela lhe ligasse o avisando, no entanto, ela não quis.
—- Tudo bem Daniella! - Edward ponderou — Eu vou tentar localizar a minha esposa, e pode, por favor, servir o jantar. não tenho intenção de esperar a sua boa vontade em volta para casa.
—- Claro menino! - Daniella anuiu saindo.
..........................................
A noite era uma criança, mas Edward não estava gostando nada daquilo, depois do jantar, ele foi para Biblioteca e ficou esperando para ver a hora em que a sua adorável esposa chegaria, no entanto, ela não chegou, não antes das três da manhã.
Edward ouviu um barulho e aqui o acordou ele. Ele saiu da Biblioteca, ele havia adormecido na poltrona, esperando pela esposa. Seguiu em direção a sala de visitas e então, encontrou Isabella bêbada, se apoiando contra Daniella e a parede, sorrindo à toa por ter derrubado um jarro.
—- O que está acontecendo? - Edward perguntou.
Isabella olhou para o marido que estava com uma cara engraçada e começou a ri.
— Desculpe-me! - Daniella disse — Ela está bêbada, eu a encontrei no jardim cambaleando entre as plantas.
Edward olhou para a esposa que estava toda suja, de tinta, então ele não entendeu o porquê, era tinta fosforescente.
—- Onde você estava? E por que está assim? - Ele perguntou indo direção a ela, tentando ajudar Daniella que parecia estar tento problemas em se manter em pé.
—- Acho que estou lhe devendo um vaso novo!
—- Você está bêbada! - Ele disse bufando e pegando-a para si.
—- Tshi, tshi, não é verdade! - Ela disse com aquela voz de bêbado se enrolando com as palavras — Eu só bebi um pouquinho assim! - Ela disse gesticulando e quase caindo novamente, mas Edward a segurou e a menina sorriu - Você é forte, poderia tirar a camisa?
—- Você está bêbada! - Ele disse novamente pegando-a no colo — E não sabe o que está falando... Daniella pode ir dormir, eu cuidarei dela. Desculpe-me o incomodo.
—- Tudo bem menino! - Daniella fora discreta ao sair e não comentar mais nada.
—- Uuuuuuuuuuuh... Por que está tudo girando? - Ela disse fechando os olhos deixando a cabeça cair para trás, por cima do braço do marido
—- Pare de se mexer! - Edward disse e a menina balançava as pernas e a cabeça — Vai acabar vomitando!
—- Você me odeia... - Ela disse meio grogue. — E sabe o que é pior? É que eu realmente gosto de você. Isso é uma droga.
Vontade de sorrir Edward teve, mas sabia que a sua adorável mulher estava um tanto quanto embriagada dizendo que lhe amava.
—- Você precisa de um bom banho! - Ele disse — Além de uma boa noite de sono. Amanhã você se arrependerá completamente dessa bebedeira.
—- Eu não preciso de banho! - Ela disse passando os dedos meios trêmulos pelos lábios do marido — Eu só preciso que você me ame... me perdoe...
—- Está me pedindo desculpas por mentir para mim?
—- Eu não menti para você, eu já disse! - Ela murmurou tentando sair do colo dele — Talvez um pouco... - Ela olhou para ele com ternura, mas totalmente embriagada — Você é a melhor trepada que já tive!
O ruivo engasgou com as palavras da morena, mas o seu ego se inflamou bastante.
—- Gosto do que a gente tem... Gosto bastante de fazer amor com você. - Ela chega perto dele deixando a sua boca a centímetros da boca dele — Você me faz ver estrelas, além de ser gostoso...
—- Quando você estiver sóbria, nós conversaremos! -Edward disse e a levou para o quarto, o quarto deles.
—- Não quero conversar depois! - Ela pediu, se agitando e saindo de seu colo — Me solta! - Ela disse cambaleando no chão indo em direção a parede — Vou para o meu quarto... Você é uma babaca... Eu digo que te amo e você rir, você é um cretino.
Ela estava tão bêbada que as suas palavras saíram todas enroladas. Mas compreensivas. Edward teve que se conter para não sorrir, pois por mais raiva que ele estivesse sentindo, era divertido ver a sua esposa naquele estado, porque ela era tão cabeça dura quanto ele, quando está sóbrio.
—- Venha, eu ajudo você a ir para o quarto.
—- Eu não quero... Por que você está girando? O corredor está girando, também!
—- Talvez porque você esteja bêbada! Só por isso!
—- Eu acho que vou...
Edward a segurou antes ela fosse ao chão. Ela desmaiou, estava agora apagada nos braços do marido. Edward a levou para o quarto deles e ajudou a menina a se livrar das roupas, e então, cobriu-a com a coberta. Quando determinou, já era quatro da manhã pelo relógio da cabeceira.
—- Sra. Swan, pelo visto você terá muita coisa para me explicar, além de uma baita ressaca pela manhã...

Contínua...

3 comentários:

  1. Acho que o Edward ficou um pouco intrigado quando ela disse: " —- Eu não menti para você, eu já disse! - Ela murmurou tentando sair do colo dele — Talvez um pouco... "

    Ansiosa pelas explicações que ela vai ter que da.

    PS: Fiquei euforica ( \o/ )quando vi que você respondeu ao meu último comentário.
    Beijos ��

    ResponderExcluir
  2. Acho que o Edward ficou um pouco intrigado quando ela disse: " —- Eu não menti para você, eu já disse! - Ela murmurou tentando sair do colo dele — Talvez um pouco... "

    Ansiosa pelas explicações que ela vai ter que da.

    PS: Fiquei euforica ( \o/ )quando vi que você respondeu ao meu último comentário.
    Beijos ��

    ResponderExcluir
  3. Ansiosa pelo proximo capitulo...

    Sem mais...

    Amoooo essa fic...

    Bjs...
    Liliane

    ResponderExcluir