Jul M

Oi

sábado, 2 de abril de 2016

Capitulo 19


“Não é que eu precise de um porto seguro, mas é sempre bom olhar para o lado e saber que tem alguém ali disposto a tudo, tudo mesmo, só pra ver o seu sorriso.” — O Diário de Helena.

Capítulo 19

Alice dormiu a noite toda, assim como Bella. Edward pelo contrário, não dormiu nada. Assim que o sol nasceu, Bella foi visitar a sua amiga.
—- Bom dia! - Bella disse sorrindo — Olha o que eu trouxe para você!
—- Não precisava... - Alice disse e Edward já estava com ela.
—- Claro que precisava! - Bella retrucou — E tem mais, eu serei a sua dama de companhia pelos próximos dias, então é melhor não reclamar.
—- Você não vai às aulas? - Edward perguntou.
—- Não tenho cabeça... Eu  vou ficar com Alice até o Médico liberá-la dessa cama.
—- Ótimo! - Edward disse — Desse jeito eu fico mais sossegado em deixá-la sozinha.
—- Por quê?
—- Eu tenho duas reuniões hoje na empresa! - Edward disse — Eu estava preocupado em deixar Alice sozinha.
—- Eu não estou doente!
—- Não reclame, Alice! - Bella disse — Pode ir! Eu ficarei com ela. Até  escolhi alguns filmes para vermos juntas!
—- Tudo bem! - Edward disse levantando - Vou tomar um banho. Você! Obedeça Bella!
—- Eu não sou nenhum bebê!
—- Não reclame, Alice! - Bella repetiu sorrindo.
—- Antes de ir para o escritório, passarei por aqui! - Edward disse e saiu do quarto.
...................................
Como ele havia prometido, ele foi ao quarto dela e se despediu. Bella passou o dia e a tarde com Alice. Já ao entardecer, Jasper chegou para visitar a menina, ele trazia consigo flores.
—- Não precisava! - Alice disse — Mas elas são lindas.
—- Bem, vou para o meu quarto tomar um banho! - Bella disse fugindo para deixar os dois a sois — Jasper, fique de olho nela, a  garota aí está tentando fugir da cama.
—- Pode deixar, serei o seu Médico particular!
—- Ótimo!
—- Eu tô aqui, tá? - Alice reclamou corando.
—- Não reclama Alice! - Bella disse sorrindo e saindo.
Jasper ficou até pouco mais das 8h noite com Alice. Ele jantou na companhia da menina no quarto dela, e então, quando os remédios começaram a fazer efeito e a colocaram para dormir, ele partiu. Edward não veio jantar em casa, mas ligou sempre que pode para saber sobre o estado da irmã.
Naquela noite, Isabella vestia apenas uma camisola lilás e um hobby da mesma cor por cima. Ambos bem curtos, mal cobriam as coxas da morena. Ela ficou de espreita na janela até ver que o Cullen havia chegado. Já era tarde da noite, não extremamente tarde, mas longe do normal de sua chegada diária, era bem tarde. Ela entrou com o terno na mão e a gravata já desfeita, deixou a pasta sobre a mesa de canto da sala de estar e caminhou em direção ao bar, colocando uísque em um copo, seguiu para Biblioteca e então se sentou em sua cadeira, relaxando e apreciando o sabor de seu uísque.
A maldade tem muitas caras, mas nada pior do que a inocência e Isabella transpirava inocência, porém os seus pensamentos e os seus planos, sempre eram cruéis e cheios de malícia. A menina  sabia que há àquela hora, todos dormiam, então ela seguiu para a Biblioteca onde o jovem Senhor Cullen se encontrava. Ela abriu a porta que rangeu um pouco e então entrou lentamente, o Cullen tinha a cabeça apoiada no encosto da cadeira, os olhos fechados e o copo de uísque vazio sobre a mesa. Ele sentiu o cheiro dela, um cheiro que ele já havia memorizado... Um aroma que vinha lhe perturbando o juízo há dias, para ser mais exato há meses. Havia algo em Isabella e não era só a sua inocência  fingida,  era algo que fazia com ele a visse, não como uma menina e sim, como uma mulher linda e sexual.
—- Isabella, não deveria estar dormindo? - Ele sussurrou sem abri os olhos — Já está tarde, deveria descansar.
A menina não disse nada e o Cullen não se mexeu. Bella caminhou até ele, seguindo em direção à mesa, e sem que Edward se desse conta, a morena se sentou em seu colo e tomou a sua boca em beijo, lhe pegando totalmente de surpresa.
 A primeira reação do homem foi abrir os olhos, depois mergulhar no beijo e se entregar ao que estava lhe matando aos poucos... Aquele desejo que ele tinha em ter aquela menina em seus braços e em sua cama.
As bocas ficaram mais urgentes, os lábios mais famintos, o desejo mais intenso. As mãos de Bella estavam em seus cabelos e as mãos de Edward  apertavam a cintura da moça, às vezes vagava para as coxas da menina, apertando e puxando-a para si. Bella sentia a excitação do Cullen, e claro, o que seu ego e a sua vaidade ficaram maiores, ela estava orgulhosa em saber que ela era a responsável por aquilo.
Claro que ela tinha um plano, ela nunca deu um passo sem antes estabelecer tudo perfeitamente, era uma pena que Edward estivesse preso ao desejo e não se deu conta daquilo a tempo.
As mãos da menina desceram pelo pescoço dele e aos poucos, ela foi abrindo a camisa dele. Os dedos gelados e fino dela passaram livremente pelo peito nu do Cullen, um peitoral forte e definido, e sim, mais uma vez o ego da menina se encheu de vaidade, a boca dela saiu da boca dele e desceu para o pescoço dando leves beijinhos, e então, Edward que já estava se deixando levar se deixou por completo.
As mãos do jovem foram para bunda da menina onde ele apertava e a puxava ainda mais para cima da ereção do seu membro, a boca dele fora para pescoço da menina local que ele beijou, mordeu e chupou levemente a pele cheirosa da morena. E então, em um piscar de olhos, a camisa dele fora para no chão, assim como o hobby que a morena vestia, deixando-a apenas com camisola. As unhas de Isabella arranhavam o peito do maior, enquanto eles se beijavam. As mãos dele subiram e apertaram, mesmo por cima da roupa, os seios pequenos, perfumados, redondos e macios, fazendo Isabella gemer e rebolar encima da ereção dele.
Claro que o desejo estava vivo ali, assim que Isabella conseguiu abrir as calças do Cullen, ele retirou a camisola de Isabella, deixando-a só de calcinha em seu colo. Os olhos do dois eram de puro desejo, talvez os de Edward, porque os de Isabella eram de pura malícia.
E então aconteceu, ele foi carinhoso ao penetrá-la, enfiando lentamente, mas não foi bastante, porque o desejo dele era mais forte e Isabella tinha uma buceta pequena e apertada, ele poderia até jurar que a jovem fosse virgem. Ela gemeu contra o ouvido dele assim que todo o seu membro estava alojado dentro dela.

—- Devagar... - Ela sussurrou no ouvido dele.
Ele gemeu e a segurou pela cintura, subindo e descendo os quadris da menina sobre o seu membro, no começo devagar, depois aumentando o ritmo, e então, ambos perderam o controle. Isabella passou a rebolar com força, movimentar, os quadris em um ritmo urgente, os seus seios estavam mais inchados e amassados contra o peito do Cullen, deixando-o ainda mais excitado com visão da menina  buscando o prazer e sabendo que ele era autor daquela magia.
Edward segurou Isabella pela cintura, levantou-a colocando-a sobre a mesa e então investiu com força dentro dela, fazendo os olhos da menina virar de prazer. 

Ela gemia o nome do chefe quando atingiu o seu próprio clímax, gozando com força no pau dele. Assim, segurando forte na cintura da menina, ele investiu mais duas vezes dentro dela, e então se libertou, deixando o corpo dele tremer sobre o dela, desabando sobre o seu corpo e respirando ofegante.
—- Você é perfeita! - Edward sussurrou beijando o pescoço dela, sendo seguindo pro uma mordida.
Alguns minutos se passaram até que ambos voltássemos ao normal as suas respirações e corpos. Tudo já estava de volta ao normal. Bella ainda estava deitada sobre a mesa com o corpo de Edward sobre o dela, as pernas dela, estavam envolta da cintura dele, as mãos dela estavam no cabelo dele, fazendo um tipo de carinho. Eles ficaram assim por alguns minutos a mais, até que Edward se afastou,  então foi quando Isabella interagiu.
—- Não devíamos... - Bella disse alarmada e fingindo-se de assustada.
Então  ela saltou da mesa  e começou a recolher as suas roupas, colando o hobby rapidamente  e quando já estava vestida, saiu correndo. Edward não conseguiu impedir que ela saísse de lá, porque estava tentando vestir as calças, quando ele foi ao encontro dela, a porta estava trancada.
—- Bella, abra! Nós precisamos conversar!
—- Vá embora, por favor! - Ela sussurrou com a voz trêmula e chorosa.
—- Tudo bem... - Ele disse — Já é tarde e depois de tudo acho que você precisa de um tempo e eu também. Amanhã bem cedo conversaremos!
Bella não respondeu nada, apenas  ficou encostada na porta  e então quando ouviu os passos  dele indo para longe, ela sorriu.
—- Querido Edward, você acabou de assinar a sua certidão de casamento!
 Quando Edward voltou para Biblioteca  para pegar o resto de sua roupa, ele  encontrou algo que o deixou bem mais assustado, a camisa branca dele estava suja de sangue, ele tinha colocado a camisa sobre mesa para que não arranhasse as costas da morena.
—- Ela era virgem...

Contínua...

4 comentários:

  1. Virgem????? Só se for da orelha rsrsrs. Essa garota armou certinho. E quando ele descobrir a mentira...
    O capítulo está muito mara. Ansiosa por sábado que vem e a reação do Edward.

    Ass: Tamara

    ResponderExcluir
  2. Amei, aguardando ansiosa pelo próximo capítulo...

    ResponderExcluir
  3. Ain gente, estou prevendo que isso vai acabar mal...
    To um pouco sumida, descobri que estou grávida e a minha vida ta uma correria só com meu mestrado e a gravidez. Sem contar que manter os olhos abertos é um sacrifício hahahaha ando sempre cansada e com sono hahahaha
    Estou bem atrasada e espero até o fim de semana por tudo em dia!

    Ass:Lívia

    ResponderExcluir