Jul M

Oi

sábado, 5 de dezembro de 2015

Capitulo 2


"Existem muitas coisas que o tempo não pode apagar."
— Evanescence

Capitulo 2

Naquela manhã, Edward acordou meio perturbado. Já fazia algum tempo que ele não sonhava com Tania, a sua ex-noiva, que o deixou no altar há alguns anos. Ele nunca falava sobre o assunto, mas sempre se recordava do ocorrido. Alice, a sua irmã mais nova, tinha medo que ele tivesse outra recaída e voltasse a beber novamente.
-- Você me parece preocupado... - Alice disse olhando de sua cadeira para ele.
-- Amanhã começará a seleção de estagiários para empresa.
-- Você sempre escolhe os melhores. Por que está nervoso? - Alice não acreditou muito naquela desculpa.
-- Dessa vez não sei bem, quais seriam os melhores... - Ele fechou os olhos e suspirou — Está cada vez mais difícil de achar pessoas competentes e comprometidas.
-- Você vai conseguir encontrá-las! - Alice assegurou.
-- Espero que sim! - Edward disse passando as mãos pelos cabelos — Ano passado foi bem complicado, já que só consegui dois estagiários que tinham o nível que precisávamos.
-- É melhor esperar e amanhã descobrirá o que lhe espera.
-- Não tenho outra escolha mesmo... - Edward disse sorrindo — Eu tenho que ir agora, eu preciso me reunir com alguns sócios essa tarde!
-- Você vem jantar em casa?
-- Claro!
-- Tudo bem! Vejo você mais tarde. O que deseja para o jantar?
-- Qualquer coisa serve Alice! Até mais tarde irmãzinha.
-- Até Ed!
......................
O tempo é algo que ninguém consegue controlar e Isabella sabia bem disso, naquela tarde quando chegou a sua casa encontrou a mãe na companhia do novo namorado, Phil Dwyer, um cara que ela não suportava e o odiava, mas a sua opinião não importava muito para a sua mãe. Em meio ao almoço, ela acabou batendo boca com o namorado da mãe, Renée como sempre, entrou em defesa do cretino e acabou batendo em Isabella, deu uma tapa que lhe deixo a marca de sua mão, não só no rosto da moça, mas principalmente em sua alma. A menina saiu de casa sem se dar conta de nada, caminhando sem destino e nem rumo.
Enquanto Isabella vagava pelas ruas, Edward dirigia o seu Lamborghini clássico, na cor preta. Ele se distraiu por um segundo, para poder atender o seu celular, o homem estava a caminho de sua firma e pela primeira vez, estava deveras atrasado.
Foi apenas uma fração de segundos, mas aquilo colocou em perigo a vida de ambos. Edward freou com brutalidade, os pneus comeram o asfalto... Isabella gritou assustada, desmaiando em seguida.
Nos hospital, os médicos examinavam Isabella em uma das enfermarias, enquanto do lado de fora, Renée e Phil ameaçavam processar o jovem Cullen, mal sabia ele que Phil era um tremendo picareta e sempre tentava tirar proveito das situações inusitadas, e claro, não seria diferente desta vez, já que ele notou que o homem que atropelou a sua enteada era rico.
-- Nem pense em fugir! - Phil disse fingindo indignação — Eu já vi o seu rosto e anotei a placa de seu caro. Você não vai se livrar dessa tão fácil, se alguma coisa acontecer com a minha pequena, você vai tá bem encrencado, cara.
-- Meu Senhor, eu não tenho a menor intenção de fugir, tanto que fui eu quem prestou os primeiros socorros para a jovem.
-- Oh Céus! A minha menina! - Renée de fato estava preocupada com Isabella, mas era só em termos, muito material e bem pouco materna.
-- Parentes e familiares da Srta. Swan! - O médico chamou.
-- Somos nós! - Renée levantou a mão — Eu sou a mãe dela e ele é o padrasto.
-- Bom, a Srta. Swan está bem, nada de grave, nem uma fratura, somente pequenas escoriações e alguns arranhões! - O médico explicou quando viu que eles não entenderam.
-- Então, ela ficará bem? - Renée perguntou.
-- Claro! - O médico que era um senhor de certa idade disse e sorriu — Ela já recebeu alta! Preciso que ela procure um médico com urgência, caso ela sinta alguma tontura ou sonolência além do normal, fora isso, a Srta. Swan pode fazer tudo que está acostumado a fazer.
-- Isso e ótimo! - Edward palpitou — Então não aconteceu nada grave, de fato?
-- Não, apenas um susto! - Ele confortou — E você, meu jovem, agiu rápido e está de parabéns.
-- Obrigado! - Edward disse e agradeceu ao médico — Bem, eu levarei você até em casa, o meu motorista está lá fora esperando.
-- Querida! - Renée disse quando Isabella saiu do quarto do Hospital — Oh, não sabe como fique preocupada!
Renée abraçou Isabella como se ela fosse sumir a qualquer momento, a menina não entendeu patavinas, até que os seus olhos focaram no homem de terno e engravatado. Ele era incrivelmente lindo, e claro, estava na cara de que ele era rico, então era daí que vinha toda a preocupação da Renée, ela queria mostrar que tinha amor pela filha.
-- Eu estou bem! - Ela disse dando um sorriso gentil — Nada de grave, já podemos ir embora.
-- Desculpe! - Edward disse levantando os óculos escuros — Eu não tive culpa, você apareceu na minha frente de repente.
-- Não jogue a culpa para cima de minha menina! - Phil disse e Bella olhou querendo arrancar os olhos dele.
-- Eu sei! - Bella assentiu — Eu atravessei a rua sem olhar, você não teve culpa, sei bem disso.
-- O quê? Querida! - Phil disse e Bella levantou a mão mandando ele se calar.
-- Está tudo bem! - Bella sorriu gentil – Vamos, eu preciso descansar!
-- O motorista levará você em casa! - Edward garantiu — Acredito que seja o mínimo que eu possa fazer!
-- Obrigada! - Bella disse — Eu aceito sim! Vamos mamãe. Phil você vem também?
Renée não entendeu nada, normalmente Bella tentaria algo. Tentaria tirar algum dinheiro, ela sempre viu o lado da vantagem financeira em todas as situações. Ela faria qualquer coisa para sair da miséria, mas nesse caso, que ela poderia tirar um bom proveito, a moça não fez nada, fato que deixou Phil e Renée meio surpresos. Não seria a primeira vez que eles aplicariam um golpe desses, Isabella já havia aplicados outro golpe assim com a ajuda de sua mãe.
Sim, ela era uma menina dedicada aos estudos, mas as suas condições financeiras eram limitadas e ela também gostava de ter uma pouco de luxo. Ela parou com os golpes quando conheceu Ângela, a sua melhor amiga hoje em dia. O que Renée não entendia era o porquê dela não ter feito algo para lucrar com o acidente, excerto, aceitar a carona do homem rico.

Contínua...

7 comentários:

  1. Gente!!! Realmente eu to muito afim de ler a fic. Adorei esse capitulo. A Bella não vai mesmo se candidatar a vaga na empresa dele? Estou super ansiosa por mais!

    Ass: Lívia

    ResponderExcluir
  2. Muito legal. Vc não vai terminar aquela fic Empregada não?

    ResponderExcluir
  3. Bela maneira de se conhecerem! Kkkkkkkk To super ansiosa pra desvendar os segredos e conhecer o passado dos personagens!!!!

    ResponderExcluir
  4. Credo, q casal mas chato. Uix...

    Tamara

    ResponderExcluir