Jul M

Oi

sábado, 8 de agosto de 2015

De Olhos Bem Fechados -- Cap 29

CONFLITOS, TRAVESSURAS E PAZ...

Edward caminhou com Isabella até o seu quarto, ele chutou a porta quando entrou, fechando-a... Caminhado com ela ainda em seus ombros, ele a jogou sobre a cama, fincando em pé na borda do móvel, só observando-a.

 Isabella estava com os seus grandes olhos cheios de fúria, encarando o marido, primeiro ele havia mentindo para ela e agora aquilo, ele estava lhe tratando como criança.
-- O que pensa que está fazendo? - Ela perguntou tentando se levantar.
O que foi uma completa perda de tempo, porque Edward ignorou totalmente a sua pergunta e ainda fez mais, virou a jovem na cama e rasgou a blusa branca que ela vestia.

 Isabella ficou surpresa com atitude do marido, mas não foi só surpresa, ela também ficou deveras excitada, ela bem sabia que Edward jamais a forçaria em fazer algo que ela não quisesse ou desejasse fazer, o problema era que ela não decidia se queria ou não dizer “NÃO” para ele naquele momento.
-- Eu entendo que você esteja com raiva! - Edward disse ainda em pé na orla da cama, então ele removeu o casaco xadrez que usava. — Mas não vai adiantar ficar brava comigo.

Isabella estava na cama deitada, usando apenas uma saia preta, estilo secretaria e um sutiã, o marido estava se livrando da camisa naquele exato momento e os olhos dele estavam cheios de luxúria.


-- Não acha mesmo que você vai me convencer com uma boa trepada, não é?
-- Nossa Senhora Cullen, eu vejo que anda com uma boca, bem suja! - Edward disse dando um sorriso cheio de malícia.
-- Ainda estou furiosa com você! - Ela argumentou mordendo os lábios e olhando para o marido, que estava sem camisa em sua frente.
-- Tudo bem! - Edward disse subindo encima da cama — Eu tenho a noite todo para fazer você muda de ideia.
Isabella se sentou puxando a saia para cima da cintura, enquanto Edward abria as calças e as deixava cair sobre o corpo da mulher... Então ele tomou a boca dela com beijos cheios de luxúria, descendo os lábios pelo o corpo cremosos e indo parar nos lindos seios da morena, ainda coberto pelo tecido do sutiã.

 Isabella deixou a cabeça cair para trás, soltando um gemido bem alto, mas ela sabia que aquele quarto era inteiramente à prova de som, pelo menos, daquele tipo de barulho...
-- Você é um cretino! - Isabella gemeu enquanto a mão do marido arrancava ferozmente a sua calcinha de seda pura.
-- Oh baby! - Ele murmurou em seu ouvido — Não me importo nem um pouco em ser um cretino, estando com você...
As mãos de Isabella ajudaram em descer um pouco mais as calças do esposo, então, em um único movimento, o membro dele se alojou completamente dentro da buceta apertada e pequena da mulher, ela balbuciou algo e enterrou as unhas nas costas do marido, fazendo-o estremecer com aquele ato, o prazer se embolava entre os dois.

-- Aonde foi parar a sua boca suja? - Edward perguntou no ouvido dela, mas não antes de morder e puxar entre os dentes a ponta da orelha da morena.
-- O quê? - Ela perguntou olhando para ele.
Edward se apoiou sobre os braços, parando levemente os movimentos e fitando a jovem que também o encarava de volta, algo do tipo, olhos nos olhos, eles estavam completamente excitados e inundados pelo prazer.

-- Entenda de uma vez por todas, que eu farei qualquer coisa para te manter segura... - Edward pontuou e mordendo os lábios da mulher, ele voltou a se movimentar, entrando e saindo de dentro dela de forma efusiva.
Isabella passou os pés em volta da cintura dele, enquanto ele mantinha os movimentos de entrar e sair intermitentes, a cada investida, ele colocava mais força, os fazendo gemer pelo mais puro êxtase. Isabella soltou vários gritos, até que ela não conseguiu mais se controlar e acabou mordendo o antebraço de Edward, que gemeu com a atitude e se enterrou ainda mais fundo dentro dela.

Seria uma noite longa, Isabella sabia, ainda mais agora que Edward deixou deveras claro que só estava começando... Ele a fez gritar bem mais e sempre que ela estava preste a gozar novamente, ele parava e recomeçava tudo de novo, ele queria que ela implorasse a sua liberação...
-- Por favor... - Bela gritou mordendo os lábios.
-- Por favor, o que querida? - Ele provocou, ele sabia muito bem o que ela queria, pois ele desejava o mesmo.
-- Cretino bastardo! - Ela gritou batendo nele ao mesmo tempo em que ele se enterrava com força e profundamente dentro dela. — Me faz gozar, me deixa gozar! - Ela demandava aos gritos.
-- Só quando você entender que eu só quero manter você segura... - Edward disse parando os movimentos e a fitando com paixão — Eu não quero que nada de mal aconteça com você.
-- Não vai... - Ela garantiu olhando para ele com desejo — Eu amo você, agora pare de ser um grande bastado e me faça gozar... Por favor...
Ele deu aquele sorriso torto que tantas vezes fez com que ela perdesse o fôlego. Bella gritou em plenos pulmões, quando Edward por fim, permitiu que ela gozasse, sendo seguida por ele que também urrava alto quando atingiu o seu próprio prazer.

Eles ficaram se fitando por um bom tempo, enquanto ambos recuperavam o fôlego. Isabella tinha nos olhos aquele brilho incrível de quem nunca se arrependeria do que estava fazendo e ela sabia muito bem o que queria pelo resto da vida.
-- Prometo que não vou mentir mais para você. - Edward disse tirando alguns fios de cabelos do rosto dela. — Mas não me culpe por querer te proteger.
-- Eu entendi os seus motivos! - Bella assentiu passando os braços em volta do pescoço dele — Mas não aceito o modo como você age sobre as minhas costas, estamos juntos Edward e precisamos aprender a confiar um no outro.
-- Eu confio em você! - Ele se apressou em afirmar, olhando para esposa com ternura — Mas tenho medo de te perder...
-- Assim como eu, também tenho medo de perder você...
-- Amo você Senhora Cullen! - Ele disse sorrindo — E eu não faço ideia do que você está fazendo comigo.
Bella sorriu e passou os dedos pelos cabelos emaranhados dele, então o seu sorriso ficou ainda mais largo, enquanto mirava o marido que a fitava com intensidade.
-- Estou amando você!
Edward sorriu e colocou as mãos ao lado do rosto da morena e então a beijou com devoção. Um beijo cheio de desejos, promessas e muita paixão.
Ele sabia que com aquele beijo, ele começaria uma nova rodada de sexo, só que agora, com mais calma, mais lentamente. Mas de tudo que poderia acontecer naquela noite, ele sabia que ouvir aquelas palavras da boca de Isabella era tudo o que ele precisava para relaxar e confiar ainda mais na mulher, que ele escolheu para ser mãe da Angel, mãe dos seus futuros filhos...


CONTÍNUA