Jul M

Oi

sábado, 18 de abril de 2015

De Olhos Bem Fechados -- Cap 24

Prazer e Travessura...

Duas semanas havia se passado desde o final de semana perfeito entre Edward e Isabella. As coisas entre eles estavam cada dia melhor, a morena andava cada vez mais apaixonada pelo belo homem, que não estava diferente dela neste sentido.
Isabella dividia o seu tempo entre procurar um emprego, almoçar ou jantar com Angel, mas à noitinha, ela se dedicava ao namorado insaciável, lindo e sexy que tinha arrumando. Sem falar que em meio à correria que foram aquelas duas semanas, Isabella ainda teve que lidar com uma suposta vinda de pai à cidade. Charlie mudou de ideia bem em cima da hora, pois a esposa dele se recusava a viajar e deixar os seus cachorrinhos para trás. Mediante ao fato, Isabella prometeu ao pai que iria visitá-lo na pequena cidade dele, o mais breve possível. E com essa promessa, Charlie adiou a vinda dele para conhecer o novo namorado da filha, além do local no qual ela estava morando.
Naquela noite, Edward prometeu levá-la em casa após o jantar com Angel e Dona Esme que queria, por fim, conhecer melhor a suposta norinha. Esme não apreciava em nada, a ideia de que o seu filho estava se envolvendo com a ex-babá de sua neta.
Claro que Esme, como mãe, esperava alguém melhor para o filho, ela deixou aquilo bem claro para Isabella, ela disse a morena que ela jamais seria a nora dos sonhos dela, mas que enquanto ela estivesse com o seu filho, que pelo menos demostrasse respeito pela família, e pela conduta moral da casa, ou seja, Esme deixou claro que não queria Isabella trepando com filho dela naquela casa, se ambos quisesse trepar ou “fazer sabe-se lá o quê”, era para ambos procurarem um motel ou outro lugar nesse sentido.
Claro que Edward gargalhou mediante a falsa conduta moral de sua mãe. Edward conhecia muito bem Dona Esme, sabia que ela e Carlisle aprontavam e muito, mas claro, que jamais jogaria aquilo na cara dela, apenas disse à mãe que a casa era dele, e que não precisava de um motel para fazer o que bem entendesse, além do que, ele tinha um quarto no andar de cima e pretendia usar o local e muito...
-- Sinto muito pela minha mãe! - Ele se desculpou quando estacionou o carro na garagem da casa dela. — Ela, às vezes, esquece que a casa e minha e não dela.
-- Tudo bem! - Bella assentiu sorrindo tímida — Mas ela tem razão, Angel está sempre lá, e você sabe como ela é...
-- Baby, Angel dorme a noite toda, relaxe! - Ele argumentou e saiu do carro de mãos dadas com ela — Afinal de contas, eu duvido muito que ela ainda acredite naquela história de cegonha!
Isabella engasgou com as palavras dele, ficando completamente vermelha, e ele acabou rindo, rindo muito dela.
-- Juro Isabella, às vezes esse seu jeitinho inocente me faz pensar cada coisa! - Ele disse com malícia — Além de me dá umas boas ideias!
-- Edward! - Ela disse chamando a sua atenção, enquanto eles subiam as escadas — Você só pensa nisso?
-- Meio difícil pensar em outra coisa quando ficou olhando a sua bunda subindo essas escadas! - Ele arguiu dando um sorriso safado e cheio de segundas intensões.
-- Por favor! - Ela disse corando forte — Deixe-me pelo menos entrar em casa!
-- Ah querida, pode apostar que será apenas esse tempo mesmo que lhe darei! - Ele retrucou sorrindo com mais malícia ainda.
..................................
Ele cumpriu cada palavra dita, ele a atacou assim que a porta da casa dela se fechou... Eles “treparam” como a boa Senhora Esme aconselhara, bem longe da casa de Edward, pela chão da sala de Bella e terminaram no sofá, participando de um dos joguinhos sexuais de Edward.
Isabela estava usando apenas calcinha de renda, ela e Edward já havia tomando banho, e agora eles estavam na sala, haviam também terminado de comer um pouco de algo doce, que Isabella tinha feito naquela manhã. Edward utilizou a gravata dele para amarrar as mãos dela, a morena sabia o que iria acontecer, não era a primeira vez que eles faziam aquilo, já repetiram aquele ato duas vezes, durante as duas semanas anteriores... Na primeira vez, ela ficou meio nervosa, apreensiva por não saber o que ele iria fazer, mais agora, ela tinha uma boa ideia de tudo...

Isabella estava de joelhos, Edward estava em pé na frente da menina. Isabella segurava o pau do rapaz entre as suas mãos e passava toda a língua pelo comprimento do rapaz, indo da base até a cabeça e chupando quando chegava ao topo, fazendo-o gemer e gritar de prazer sempre que ele o engolia.

Edward estava sentando no sofá, enquanto Isabella estava com uma perna sobre o sofá e outra fixa no chão. As mãos da menina masturbavam o pau dele com pressa, enquanto a sua boca tomava a boca dele em um beijo cheio de desejos...

Isabella estava mais solta na cama, ela aceitava e topava tudo o que Edward sugerisse que eles fizessem. Primeiro porque ela era curiosa e não entendia muito ainda sobre sexo, e com Edward então, ela sempre tinha novas experiências que lhe rendiam muito, mais muito, prazer.
Isabella montava Edward com perfeição, eles estavam no sofá. Ela subia e descia em seu colo, sentindo cada movimento rápido dos seus quadris, o pau dele se afundava dentro da buceta dela, ele ia engolindo cada pedacinho dela.

Isabella movia para frente e para trás os seus quadris, às vezes de maneira mais lenta e prazerosa, enquanto a sua boca tomava a dele em um grande beijo cheio de malícia, ambos gemiam um na boca do outro, sendo dominados pelo prazer que dividiam.

Isabella pranteava e urrava, mesmo com a boca de Edward tapando a dela com beijos luxuriosos, gemendo e sentido cada vez mais o pau dele entrando e inchando com os movimentos dos quadris dela, a sua buceta cada vez mais apertada e molhada. Ela sabia que estava preste a gozar quando Edward aprofundou o beijo.

Edward virou Isabella sobre o seu colo, colocando-a de costas para ele, segurando-a pela cintura, ajudando-a a subir e descer em seu pau... Ela quicava como um pião sobre o seu mastro. Apertando e gemendo cada vez que ele se enterrava dentro da buceta pequena e molhada dela.

-- Sim, baby, sim, goze para mim! - Ele disse apertando-a pela cintura e gemendo ao mesmo tempo em que ela apertava o seu pau.
-- Oh, mais forte! - Ela gritou em meio ao prazer.
Edward a segurou com força pela cintura e se enterrou dentro dela, eles gritaram juntos quando ela gozou logo seguida por ele, ambos se deliciaram em prazer e desabaram um nos braços dos outros...
...................................
-- Vamos baby! - Edward disse beijando as costas dela e dando mordidas leves na morena — Você não vai procurar emprego hoje?
-- Vou! - Ela gemeu, mas não abriu os olhos, nem mesmo olhou para ele.
-- Então, ande, se arrume... Eu deixarei você onde desejar! - Ele sentenciou.
-- Tô com sono! - Ela reclamou — Você me deixou acordada até tarde com as suas travessuras.
-- Gosto de fazer travessuras com você! - Ele anuiu sorrindo e beijando os ombros dela novamente — Mandarei Paul vir buscar você mais tarde, para deixá-la onde desejar!
-- Eu posso pegar um ônibus! - Ela argumentou.
-- Não quero você andando de ônibus, Bella! - Ele foi firme – Paul passará aqui após o almoço, fique dormindo enquanto isso, você precisa de muito descanso...
-- Por que está saindo tão cedo? - Ela perguntou girando na cama e se espreguiçando.
Ele já estava vestido, havia mais ou uma semana que Edward chegara à casa de Isabella com uma pequena mala, cheia de roupas e objetos pessoais dele. Ele havia resolvido manter algumas peças de vestuário na casa da namorada, tais como calças, shorts, cuecas, camisas, pijamas dentre outras roupas e objetos básicos necessários.
-- Eu tenho uma reunião agora pela manhã! - Ele lhe segredou — Reunião com um café da manhã! Vejo você mais tarde para almoçarmos?
-- Claro! - Ela sussurra sorrindo – Você parece que não me dará muita escolha!
-- Na verdade, já lhe dei uma escolha! - Ele a relembra — Trabalhe para mim e estará tudo resolvido! - Ele disse piscando para ela.
-- Duvido que seja tão fácil assim! - Ela rebate.
-- Na verdade, só há um lado fácil nessa historia toda... - Ele afirma ficando por cima dela e prendendo os braços da moça a cima de sua cabeça. — Eu vou poder comer você em cima de minha mesa, no sofá da minha sala, e no elevador também...
Ele mordeu os lábios e gemeu com a promessa dele, sabendo que ele levaria a sério cada palavra dita, e a deixaria em uma situação bem complicada, contudo, extremamente prazerosa...
-- Bom dia, baby! - Ele disse saindo — Durma e descanse bastante... Eu vou usar você hoje à noite toda...
-- Isso! Use e abuse de mim... Eu virei o seu objeto agora! - Ela reclamou, mas acabou sorrindo.
-- Oh baby, eu diria que você é o meu maior e único objeto de prazer! - Ele piscou e saiu de uma vez do quarto.
Isabella ficou na cama apenas encarando o teto e pensando na vida... Como a sua vida havia mudado tanto em tão pouco tempo... Os rumos que havia tomando e tudo o que ainda estava para acontecer... O modo como em cada dia que se passava, ela se encontrava bem mais envolvida com Edward.


CONTÍNUA...

sábado, 11 de abril de 2015

O Casamento-- Para Todo o Sempre -- Cap 27

                                                  ---  Diário De Um Vampiro
FIM DO JOGO...

“Uma festa? Quem pensaria em uma festa quando havia um maluco solto por aí, querendo vingança por algo que acontecera há tantos anos?” Isabella se perguntava pela milésima vez, enquanto terminava de se arrumar em frente ao espelho de seu closet colossal.
-- Se você se embelezar mais ainda, eu vou realmente achar que está se arrumando para o aniversariante! — Edward provocou ao entrar no closet com uma caixa de veludo nas mãos.
-- De fato, não existe nada que deseje mais do que ficar em casa essa noite! — Ela retruca, se virando e sorrindo para o marido — Será que Peter ficaria muito ofendido se por acaso a gente não fosse?
-- Eu diria que seria um insulto para ele! — Edward replicou abrindo a caixa e mostrando um belo colar de diamantes para esposa.
-- Sabe que odeio quando você me dá presentes caros assim, não é? — Ela repele, mas afasta os cabelos para que ele coloque a bela joia.
-- Eu tenho uma linda esposa, na verdade, incrivelmente formosa! — Ele disse e beijou o pescoço da mulher, após terminar de abotoar o colar — Eu preciso exibi-la com mais frequência!
-- Cretino! — Ela postou, mas tinha um grande sorriso nos lábios — Edward, eu sei que esse não seria o momento de perguntar isso, mas quem ficou no lugar do Detetive?
-- Dean Coope! — Ele respondeu — Veio de Los Angeles só para tomar conta do nosso caso, já que o antigo Detetive foi afastado por motivos pessoas.
-- Eu gostava do antigo Detetive! — Ela comentou e ele enrugou a testa — Não desse jeito! Eu sou uma mulher casada Sr. Cullen, vê se cresce!
-- Tô tentando! — Ele replicou sorrindo para a esposa que estava simplesmente deslumbrante.
Isabella usava um vestido preto de mangas longas, que era totalmente modelado ao corpo, toda a perfeição do vestido estava nas costas, tudo muito bem trabalhado em detalhes de teia de aranha. Ela estava deslumbrante e linda, os seus cabelos negros avermelhados estavam repartidos de lado e ela usava um batom vermelho carmim, de fato, ela não tinha mais nada daquela garota tímida e mal vestida que um dia Edward conhecera.

-- Está pronta para irmos, querida?
-- Já disse que preferiria ficar em casa! — Ela replica novamente, mas aceitou o braço que ele lhe estendia — Porém se não tem mesmo jeito, então vamos!
-- Você será a mulher mais linda da festa! — Ele afirma e ela dá um leve sorriso para ele.
A festa estava perfeita, e como Isabella já imaginava, todos os possíveis suspeitos estavam lá.
Jasper chegou com a sua nova namorada e também secretária, Maria, eles formavam um belo casal. Rosie e Emmett também estavam juntos, ela parecia feliz e nem de longe lembrava aquela loira raivosa e malvada que um dia Bella conhecera. Demitre, Aro, Alex, Jane, dentre outros, que sempre estivam em todas as festas daquela alta sociedade, também estavam por lá.
-- Enfim chegaram! — Peter disse vindo em direção aos recém-chegados à festa, Charlotte, a sua esposa, se encontrava ao lado do aniversariante — És aqui a mulher mais bela da festa! — Ele proferiu sem se importar com a esposa — Edward, meu querido, você sempre com tanta sorte.
-- Não acredito que tenha sido sorte! — Ele colocou puxando a esposa para o seu lado, ele nunca gostou do modo como Peter sempre vangloriava a sua bela esposa — Mas não posso reclamar, eu realmente tenho a mulher mais linda do mundo, como esposa... E ela me ama, o que é o mais importante!
-- Nisso você tem razão! — Peter assentiu — Vamos, vamos aproveitem a festa.
-- Pode apostar que vamos aproveita cada segundo da festa! — Bella anuiu sorrindo.
Eles passeavam rapidamente pela festa, cumprimentando algumas pessoas conhecidas como Aro, e Caius, que também estava presentes na festa, além de Amom e a sua bela esposa, Benjamim em companhia da esposa.
Ali parecia um lugar perfeito para um assassinato, talvez ocorresse à última cartada.
Isabella estava conversando com Maria e Rosie, que estava extremamente gentil, tanto que ela se sentiu culpada por pensar tantas coisas ruins da loira. Edward foi atraído para conversa entre homens. Uriel estava na festa, Isabella já havia falado com ela mais cedo quando ela confirmara a sua presença.
Os parabéns fora cantado à meia noite e quando as velas foram apagadas pelo aniversariante, tudo ficou escuro no grande salão, todas as luzes se apagaram subitamente.
Então as coisas ocorreram rápidas demais. Uriel e Isabella tinham um plano, mas em meio ao escuro, todos acabaram por se separar. Edward a perdeu de vista, contudo Uriel e Emmett foram os primeiros a achá-la.
-- Isabella! — Ele disse.
-- Onde está Edward? — Ela perguntou nervosa.
-- Eu não sei, em meio à escuridão todos saíram correndo, acho que ele foi junto com a multidão para o jardim! — Emmett conjecturou — Venha, eu vou levar você para fora.
-- Peter! — Ela se desespera — Peter vai matá-lo!
A voz da menina estava fraca, mas Emmett entendeu perfeitamente o que se passava ali, e pelo olhar assustado dela, ele sabia que ela dizia a verdade, mas quem desconfiaria dele? No final, o homem era o melhor amigo de Carlisle e sempre ajudou Edward.
-- Precisamos achá-los! — Emmett pediu.
-- Uriel está na festa! — Ela retruca — Ela está me ajudando, mas eu a perdi de vista, quando as luzes se foram!
Nesse momento, as luzes voltaram, não havia mais ninguém no salão, todos haviam ido para o jardim. Isabella temia por Edward, mas ela conjecturou que Peter não iria querer ninguém como testemunha...
-- Bella! — Uriel apareceu vindo correndo — A maioria dos convidados foi levada para o jardim, todos estão lá fora, mas ainda está faltando algumas pessoas! Miguel e Gabriel estão cobrindo o telhado, vão entrar por lá. Emmett, eu espero que você tenha uma arma, pois será como nos velhos tempos.
Emmett levantou o terno que vestia e mostrou a arma presa à cintura. Uriel sorriu para ele, antes de olhar em volta.
-- Velhos hábitos nunca morrem! — Emmett arrematou — Rosie está lá fora? — Ele perguntou.
-- Está sim, ela e o irmão! - Uriel completou — Bella você vai para o jardim, o resto deixe com a gente!
-- Edward está nas mãos de um louco! — Ela pondera, mas Erick a puxou — Sra. Cullen, eu sou pago para você ficar segura, ordens de seu marido!
-- Como assim? — Ela argui.
-- Edward também desconfiava de que alguém tentaria algo hoje, estávamos todos sobre alerta! — Erick confessa.
Quando Isabella ia abrindo a boca, um disparo veio do andar de cima e um grito escapou de sua garganta, todos correram para escada da casa, mas Erick a puxou mantendo-a longe dos outros.
-- Você tem que ficar segura! — Ele afirmou.
-- Eu não vou deixar este lugar! — Ela levou um braço para trás e lhe socou bem no estômago o que fez com que ela se livrasse do aperto das mãos dele — Eu lamento Erick, mas é o meu marido.
A morena correu na mesma direção em que os outros correram e foi para o andar de cima. Havia uma única porta, Isabella não pensou duas vezes antes de entrar.
-- Ah! — Ela gritou ao ver o corpo de Charlotte no chão, havia sangue por todo lado, a mulher estava morta.
A porta se fechou atrás dela, então ela vislumbrou Alice e Lana, ninguém poderia esperar por aquilo, apesar de ela esperar por qualquer coisa naquela noite.
-- Agora a festa está completa! — Lana disse sorrindo aposentando uma arma para Isabella — Como quer que ela morra?
Isabella buscou na sala o marido e para o seu desesperou, ela o encontrou preso em uma parede por um par de algemas, que também prendiam Miguel, Gabriel, Uriel e Carlisle.
-- Edward! — Ela correu em direção a ele.
-- Não tão rápido! — Lana disse atirando contra o chão!
-- Bella não! — Edward gritou — Fique parada! — Ele ordenou.
Ela estava com as mãos trêmulas, olhando bem de perto, ela conseguiu ver os machucados no rosto dele, o sangue que manchava a camisa branca do marido, ela sentiu medo, e muita raiva.
-- O que vocês estão fazendo? — Bella perguntou se virando em direção as duas mulheres — Alice, vocês eram amigos!
-- Disse tudo! — Alice retrucou — Éramos amigos! Aí ele não me amou, nunca quis nada comigo... Sabe Bella, eu não me dou muito bem com rejeições!
-- Então procure um terapeuta e converse sobre os seus traumas de infância! — Ela disse ríspida.
-- Tshi,tshi,tshi! Essa não é uma resposta educada! — Alice disse caminhando em direção a ela. Alice não tinha uma arma em sua mão, mas tinha aquele olhar psicopata que Bella muitas vezes já havia notado. — Bella, Bella, você sabe como a sua vida seria fácil, se não tivesse se envolvido com Edward?
A morena mordeu os lábios para prender a vontade de mandar a mulher louca ir à merda. Ela respirou profundamente e olhou pelo entorno da sala, em busca de Peter, mas o velho não estava lá.
-- Onde está Peter? — Bella perguntou.
-- Peter?! — Lana repetiu sorrindo — Como vocês são tolos! — Ela completou ainda sorrindo — A gente precisava encobrir os nossos passos. Peter era o idiota perfeito, o irmão dele foi morto por causa do golpe na empresa, só para justificar, ele foi morto e não se matou... O meu pai fez parecer que ele tivesse se matado...
-- O seu pai matou o irmão de Peter? — Bella perguntou sussurrando.
-- Sim! Mais aí o seu marido, filho de uma puta, quebrou a empresa do meu pai, ao mesmo tempo em que faliu a do irmão de Peter. O mais irônico é que o meu pai não notou essa merda, só percebeu quando tudo já estava perdido.
-- Agora você quer vingança? — Bella perguntou.
-- Foi fácil demais! — Lana disse insana — Maggie quebrou o coração de Edward, o que foi a deixa para que ele se tornasse um riquinho mimado e galinha.
-- Só que você não conseguiu conquistá-lo! — Bella argumentou.
-- Não! — Ela gritou furiosa — A vadia da Maggie o tinha preso em suas mãos... Não importava o que ela fizesse, ele parecia estar cada vez mais envolvido com ela.
-- Então você o atraiu para Londres... — Bella afirma.
-- Foi! Estávamos bem envolvidos, noites e mais noites de amor, sexo bom e gostoso!
-- Cale a boca Lana! — Edward gritou.
-- O quê? Você está com medo de contar para ela sobre as suas aventuras na minha cama? Das vezes em que você me comeu, com a participação de outras mulheres conosco, Edward Cullen?
-- Você não vale nada! — Ele gritou.
O problema era que ninguém notava que a cada nova gritaria, Isabella andava ainda mais para trás, chegando mais perto de onde eles estavam, e então, ela jogou algo que era pontiagudo para Uriel. A mulher estava presa no chão, por correntes nos tornozelos. Alice, de repente, notou a movimentação de Bella.
-- Pare! — Ela gritou e andou em direção a Isabella — Você acha que alguém aqui é besta?
A morena sentiu o coração pular em seu peito e então sentiu as mãos da baixinha em seu pulso, lhe puxando em direção ao meio da sala.
-- Se andar novamente em direção a eles... — Alice disse com raiva nos olhos — Eu mesmo dou um tiro em sua cabeça.
-- Thsi,thsi,thsi! Que coisa feia! — Lana disse olhando e andando em direção a Bella — Sabe Bella, quando Alice me disse que você era a nova esposa do Cullen, eu pensei... Deve ter alguma coisa errada! Ela me enviou as suas fotos, e na época tinha Irina... Ah sim, pobre Irina! Felix fez um favor para mim, ele a assustou, mas de fato ele não chegou a matá-la!
-- Não mesmo! — Alice disse sorrindo debilmente — Fui eu! — Ela sorriu com orgulho — Fiz Felix acreditar que ele havia matado a vadia da Irina, e como éramos amigos, ele me contou tudo com medo de ser preso. Eu falei para ele jogar a culpa em Edward, afinal ele tinha um caso com ela.
-- Vocês são loucas! — Bella disse sentindo a bile vir à boca.
-- Querida seria mais fácil se ele tivesse me amado! —Alice gritou, já perdendo o controle emocional e acertando uma bofetada no rosto de Isabella — Mas você tinha que aparecer! Você tinha que estragar tudo!
-- Ela não tem culpa Alice! — Edward gritou — Você era o grande amor de Jasper, ele é o meu primo, eu jamais roubaria você dele.
-- Eu nunca o amei! — Ela gritou olhando para ele com o mais puro ódio — Ele era apenas uma desculpa para eu poder continua vendo você... Era para você me notar, mas então, você escolheu a ela!
Edward sentiu medo do que viu nos olhos de Alice, ele temia que ela machucasse a única mulher, que de fato, ele amou na vida...
-- Alice, por favor, deixe que Bella vá! — Edward suplicou — Pense nos meus filhos, eles precisarão da mãe!
-- Não! — Ela gritou e puxou Bella pelos braços, girou o corpo da mulher, fazendo com que Bella encarasse Edward — Olhe para ela Edward! Ela será a última a morrer... Ela vai ver você sendo morto e vai implorar para não morrer, contudo ainda assim, eu vou arrancar o coração dela do peito!
Alice jogou Isabella com força para frente, fazendo com que a morena caísse de joelhos no chão, então a chutou na barriga. Isabella gritou com o primeiro chute e se contorceu no chão, com o segundo.
-- Não! — Ele gritou — Não faça isso Alice! — Ele implorou — É a mim que vocês querem... Deixem-na ir!
-- Ai! Isso chega até ser comovente! Uma verdadeira cena de Oscar! — Lana chacoteia sorrindo — Pare Alice, não vamos começar ainda, Bella precisa saber do motivo pelo qual ela vai morrer... Seria errado, não darmos a ela o devido privilégio.
-- Olha só isso... Eu fiz uma pesquisa! — Alice ironizou — Edward conheceu a sua irmã, mas ela era uma vadia, e está morta agora... Fato!
-- Ele viu você na Faculdade, Tânia sabia! — Lana disse — Tânia morria de inveja de você! Só não consigo entender o porquê disso... Você é tão simples, sem graça e sem sal!
-- E vocês estão morrendo de raiva! — Isabella gritou, havia uma linha de sangue em sua boca — Olhem para vocês duas, duas mal amadas, e que buscam um pretexto para arruinar o único homem que não amou vocês... Vocês me dão pena!
-- Ele seria meu! — As duas gritaram ao mesmo tempo.
-- Sério? — Ela disse rindo e se levantando — E quem das duas ficaria com ele, só para eu saber?
Edward não entendia aonde Isabella queria chegar com aquele sarcasmo todo, porém assim que viu Uriel se livrando das algemas, e indo em direção a Gabriel, que também estava preso pelos tornozelos, ele entendeu que Isabella só estava tentando ganhar tempo. Uriel tentaria chegar até a mesa de centro, que estava a cinco passos deles, lá estavam depositadas as armas que Lana e Alice tiraram deles.
-- Deixe-me só pontuar algo! Vocês são duas e ele é apenas um! — Bella analisou — Vocês me matarão e ainda assim, vão fica sem ele, também? Já passou pela cabeça de vocês isso?
-- Ele vai morrer! — Lana afirmou — Não tem mais volta! Já chegamos longe demais para acabar com ele vivo e viúvo.
-- Só para eu entender... — Bella continuou — Qual é o motivo disso tudo? O seu pai ter morrido por causa do que Edward e os seus amigos fizeram? Ou pelo fato de ele ter chutado você, mesmo você achando que tinha todo total controle sobre a situação? E como Alice entrou nessa história? Já Charlotte, ela morreu por que mesmo?
Lana olhou para ela e então sorriu como uma boa lunática que demonstrava ser. Ela arrumou a arma na mão.
-- Alice conheceu Edward primeiro! — Lana confidenciou — Ela queria vingança porque ele nunca olhou para ela, nunca a viu como uma mulher... Olha só, ele inclusive falou para Alice de você. Não foi mesmo Alice?
-- Numa festa, depois de uma premiação que ele ganhou! - Alice assentiu — Ele estava meio bêbado, nem me reconheceu! - Ela olhou para Edward com um olhar triste — Ele me disse: “Eu conheci a mulher mais linda do mundo, e pode apostar que ela será só minha”... Eu estava prestes a declarar o meu amor para Edward e ele só pensava em você! — Ela gritou – “Ela é perfeita, tímida e inocente, a mulher que todo homem deseja ao seu lado”! — Ela continuou falando, tentando imitar a voz e a fala dele — A minha vontade foi de jogá-lo da sacada onde nós estávamos!
-- Como você conheceu Lana? E Charlotte o que aconteceu com ela? — Bella perguntou.
-- Eu fui para Londres por um tempo, Lana me encontrou! — Ela conta — Ela já tinha um plano! Edward já havia voltado para casa.
-- Mas foi você quem o abandou! — Bella sussurrou pensativa.
-- Eu queria que ele fosse atrás de mim! — Lana urrou raivosa — Eu queria que ele me escolhesse! — Lana estava realmente furiosa — Mas não! Ele apenas aceitou o nosso rompimento. Então, ele voltou e Maggie engravidou, foi assim, uma coisa atrás da outra... Então tudo foi se formando em minha cabeça... Eu calculei, durante anos, cada passo dessa vingança, a única coisa que não pensei foi em você!
-- Charlotte?
-- Aquela idiota estava com Felix! A pulseira que eu mandei para Peter, ele achou que era algo para Charlotte, e ela apenas a usou! — Lana murmurou — Só foi queima de arquivo mesmo! Ela sabia coisas demais e isso já estava me deixando de saco cheio!
-- Eu só tenho mais uma pergunta a fazer? — Bella disse — Você sabe que tudo isso não vai da certo, não é? A Polícia vai entrar por aquela porta, e vocês duas vão acabar sendo presas!
-- Sério? — Lana disse com sarcasmos — Olhe a sua volta? Estamos aqui todos nós sozinhos... Sinto muito Carlisle, você era para estar livre, mas você tinha que se meter nisso, não é? Eu lamento por isso querido, eu até gostava de você. — Ela olhou para Isabella – Estamos nisso juntos e vamos terminar isso tudo juntos!
-- Eu tenho uma coisa para você! — Bella disse mostrando a mão com o anel que Edward lhe dera no dia de seu casamento — O meu anel de casamento, não é isso que vocês duas desejam? Bem, se eu não existisse uma de vocês duas estariam usando esse anel! — Ela sorriu e tirou o anel do dedo anelar — Só quero saber qual de vocês duas estaria usando isso?
-- Me dê o anel! — As duas falaram juntas — Agora! — Elas gritaram.
-- Então peguem! — Bella disse jogando o anel para cima.
E como ela achou que tudo ocorreria, realmente, aconteceu... No momento em que as duas tentavam pegar o anel, Gabriel e Miguel se soltaram e correram para pegar as suas armas. Uriel e Emmett se voltaram para o local em que Isabella estava posicionada, que era bem perto de onde Edward se mantinha preso, pelo menos uma de suas mãos. Isabella puxou a arma que estava presa entre as suas pernas, coberta pelo vestido. Antes mesmo que Miguel ou Gabriel fizessem algo, ela atirou duas vezes. O primeiro tiro acertou o braço em que Lana segurava uma arma, que logo caiu no chão e saiu deslizando pelo solo, o segundo tiro foi apenas para chamar a atenção delas.
-- OPS! — Bella disse – Eu acho que deveria ter dito que esse não é o anel verdadeiro.
Miguel pegou rapidamente a arma do chão e a segurou, ao mesmo tempo em que a sala foi invadida por Erick e alguns Policiais.
-- Alice Brandon e Lana Del Rock! — O Detetive Dean exclamou — Vocês estão presas, pelos assassinatos de Charlotte, Tânia Swan e Felix Volturi. E outros crimes que completam as suas fichas criminais.
-- Espere! Espere! — Alice disse — Eu não fiz nada, ela me obrigou a tudo isso!
-- Claro, claro Srta. Brandon, nós sabemos de tudo! — Dean disse com sarcasmos.
-- Espere! Antes de levá-las, eu tenho uma última pergunta a fazer... — Bella pediu — Quem de vocês duas estava me mandando àquelas cartas anônimas?
-- Cartas? — Ambas falaram juntas.
-- Por que mandaríamos cartas para você? — Alice argumentou.
-- Você não era tão interessante assim, para merecer toda essa atenção! — Lana replicou.
-- Se não foi vocês, quem teria sido então? — Bella perguntou ao mesmo tempo em que John entrou trazendo arrastada Lauren, a secretaria da empresa.
-- Foi ela! — John desvendou — Nós a pegamos hoje, após a saída de vocês da empresa, colocando um novo envelope sobre a sua mesa.
-- Por que a trouxe para cá? — Bella perguntou.
-- Eu mandei! — Edward disse por fim, agora solto, chegando para mais perto de sua mulher e pegando a arma da mão dela — Ele me ligou antes do apagão, dizendo que tinha descoberto o autor das cartas anônimas, eu mandei que ele a trouxesse para cá, porque estávamos aqui! Falei com Peter e ele me cedeu essa sala, mas aí foi quando Lana me pegou e o apagão começou.
-- Então Lauren era a culpada? — Bella interrogou.
-- Sim! — Edward afirmou.
-- Mas por quê? — Bella pediu.
-- Porque ele simplesmente me ignorou! — Lauren disse — Ninguém nunca tinha feito isso comigo, e ele fez! Eu sou bonita, linda e gostosa, bem melhor do que você, e, no entanto, ele ainda quis você!
Bella respirou fundo algumas vezes e caminhou dando dois passos em direção àquela mulher, que estava presa por seu braço esquerdo.
-- Qual é o problema de vocês mulheres? — Ela gritou furiosa — Ele não é tudo isso! Mas que merda! Ele é chato, irritante e mandão... Não deixa a tampa da privada abaixada, nunca tira a toalha de cima da cama, e fica insuportável quando fica de mau humor! - Ela cuspiu as palavras — E honestamente, se toda vez que alguém me desse um fora ou não me quisesse, eu saísse por aí me vingando, eu já estaria presa por mais tempo do que eu conseguisse me lembrar! - Ela olhou para Lauren, Lana e Alice — Pelo amor de Deus meninas, cresçam!
-- Querida! — Edward disse — Eu acho que já acabou, pode ficar calma agora!
Estavam todos olhando em choque para Bella, a morena estava furiosa, mas qualquer pessoa em seu lugar estaria também... Talvez ninguém entendesse melhor do que ela o que era ser rejeitada por alguém, todavia aquilo não seria motivo para fazer o que elas fizeram... Elas tiraram vidas de pessoas, por mais que as vidas que foram tiradas, não fossem de pessoas incrivelmente boas, ainda assim, eram vidas humanas...
-- Ah, vai se fuder sua vadia! — Lauren agourou.
-- O quê? — Bella repetiu furiosa.
-- É o que você ouviu mesmo! — Ela retrucou — Vai se fuder! Você disse isso tudo porque tem a ele... Falou isso porque é uma vadia burra, que ninguém além desse babaca bundão quis de verdade...
-- Eu estava tentando ser legal! — Bella disse e ela estava bem próxima de Lauren — Mas você tem razão...
-- Bella! — Edward gritou, mas foi tarde.
Todos viram quando Bella levou o braço para trás e voltou com tudo para frente, e com a mão fechada em punhos, ela acertou em cheio o meio da cara de Lauren, ato que fez o nariz da secretaria sangrar na mesma hora, pois a força do soco quebrou o nariz da mulher arrogante.
-- Agora estamos quites! — Ela disse batendo as mãos — Detetive, se você não se importar, eu quero pegar o meu marido e dá o fora desse lugar de loucos... Eu tenho dois filhos pequenos, os quais eu ainda quero dar um beijo de boa noite.
-- Todos vocês serão convocados para prestar depoimentos no decorrer desta semana! — Dean falou enquanto os outros Policiais levavam as três mulheres para a viatura — É bom que nenhum de vocês saia da cidade!
-- Emmett! Emmett! — Rose entrou na sala correndo, o seu rosto estava molhado em lágrimas. Ela correu em direção ao grandão, assim que o viu, se jogou em seus braços, chorando ainda mais — Oh, meu Deus! Oh meu Deus! Eu pensei que você estivesse morto... A Polícia não deixou ninguém subir.
-- Está tudo bem agora, ursinha! — Ele disse afagando os cabelos da loira e abraçando-a com carinho e cuidado — Vamos para casa agora.
-- Eu, eu... — Ela disse gaguejando.
-- Shiii,shiiiii... Já passou... Eu estou bem e vivo! — Emmett argumentou não a deixando falar — Vamos embora amor, vamos para casa!
-- Ótima ideia! — Carlisle anuiu — Vamos todos para casa, acho que todos nós precisamos de uma boa noite de sono! - Carlisle tocou no ombro do grandão e caminhou em direção ao filho e a nora — Ah, Edward, leve Bella para casa, antes que ela bata em mais alguém.
-- Sr. Cullen! — Dean disse — Vamos ficar com a arma!
-- Claro! — Ele entregou o objeto para o Detetive
-- Na segunda já começaremos a colher os depoimentos de vocês, até lá aproveitem o seu final de semana.
-- Acho que a melhor coisa a fazer nesse momento é irmos embora! — Uriel pontuou — Eu preciso de uma banheira onde eu possa relaxar!
-- Isso é um convite? — Gabriel perguntou sorrindo.
-- Eca! — Ela revidou.
-- Edward, a sua esposa é incrível! — Miguel falou entusiasmado — Lembre-me de nunca a deixar furiosa!
-- Pode deixar! — Edward disse passando os braços em volta da cintura da mulher.
-- Por favor! — Bella pediu — Venham almoçar amanhã na minha casa! Prometo que cozinharei algo delicioso!
-- Obaaaa! — Miguel concordou — Estaremos todos lá, comemorando a vida.
-- Comemorando a vida! — Carlisle reafirmou — Eu acho que esse é um ótimo motivo para nos reunirmos.
-- Sim, um ótimo motivo! — Edward garantiu — Vamos para casa, amor!
-- Sim, vamos!
Todos saíram daquele lugar, Edward conversava com Peter, enquanto Isabella esperava dentro do carro, poucos minutos depois, ele se juntou a ela e a Paul, que os levou para casa em segurança.
A morena estava cansada e Edward também, a noite havia sido cheia de emoções, mas tudo se saíra bem... Ele sabia que Bella tinha um plano, mas ele não iria falar sobre aquilo agora, pois naquele momento, ele só queria curtir a sua felicidade com a esposa... Tê-la em seus braços, e foi o que ele fez, ele a puxou para o seu colo e beijou os seus cabelos, ela se a conchegou nos braços dele e fechou os olhos, deixando a sua cabeça cair sobre o peito másculo do marido e relaxou. O pesadelo todo havia se acabado, tudo agora estava em paz, tudo agora era apenas paz para eles...
CONTÍNUA...