Jul M

Oi

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O Casamento -- Para Todo Sempre -- Cap 26


                  -- O lado Bom Da Vida

Tudo as claras.
 Conforme os dias foram passando o aniversario de Peter ficava cada dia mais perto. Isabella não teve noticia de Uriel desde do dia que ela lhe contratou para fazer pequeno trabalho para ela. Claro que Edward não tinha ideia do que esposa andava fazendo por suas costa o problema e que as carta e os bilhete de ameaça não param de chega.
Isabella estava na sala que dividia com marido na empresa ela revisava atentamente cada contrato que lhe foi entregue aquela manha, o marido estava em reunião com alguns clientes ela sabia que Emmett ou ate mesmo Tyler estariam por ali perto já que Edward aumento ainda mais segurança  depois da ultimas descobertas.
--Sra. Cullen! Mary entrou com pequeno envelope nas mãos.—isso foi deixado em minha mesa para senhora!
-- quem mandou? Isabella perguntou
-- sem remetente! Nada de identificação!
 Ela suspirou olhando para envelope nas mãos da bela morena e entao sorriu e lhe estendeu a mao. Assim a boa secretaria deixo o envelope cair sobre mao da outra morena. Dando sorriu fingido ela saiu da sala sem dizer mais nada. O que Mary não sabia era que isabella estava cansada desse joguinho de gato e rato e quando pediu ajuda Uriel ela colocou algumas coisa a mãos na sua missão e uma delas era descobri quem mandava as carta anônimas.
 Ela abriu a carta e como de costume letras corta e colada, ela observou atentamente cada letra seguia padrão tanto no tamanho quando  forma.
-- não seria mais fácil digita tudo? Isabella disse revirando os olhos—me pergunto por que tanto trabalho. Pessoa idiota.
O novo bilhete era curto pouca palavras mais sentido ainda era mesmo tenta assustar e amedrontra isabella.
“ QUANTAS PESSOAS PRECISAM MORRE PARA VOCE ENTENDER QUE ELE NÃO TE AMA DE VERDADE. VOCE E PROXIMA”
Isabella jogou dentro da gaveta da sua mesa junto com outros dois que chegaram essa semana para ela, e entao se levantou da sua mesa caminhando para saída. Ela seguiu em direção a sala de Jasper eles estavam trabalhando junto em outro projeto a mando de Carlisle não que edward tenha ficado feliz com isso mais a menina gostava de trabalha junto com ele era fácil era mais  fácil de lidar do que com marido.
A mão de isabella congelou no tricô da porta. Os gemidos que vinha da parte de dentro eram alto e bem explicido o jovem Halle estava em momento bem quente e aconta dos  gemido a coisa estava realmente boa.
 Isabella deu dos passo para tras e entao virou em direção mesa as secretaria de Jasper  e se deu conta que ela não se encontrava ali, a nova secretaria dele havia sumido. Sera que ela saiu assim que rala e rola começou na sala do chefe? Isabella deu leve sorriso, e sacudiu a cabeça mandando pensamento para longe, ela deu mais dois passo em direção ao corredor e entao estancou novamente.
-- isso seu puto! Me fode gostoso! Era voz da secretaria de Jasper isabella reconheceria mesmo se não quisesse, e mesmo não estando o tempo todo com ela, isabella sabia que essa era voz da mulher – delicia, delica, me fode , me fode!
Isabella sentiu rosto cora e correu para longe dali ela voltaria depois para conversa com ele sobre seu planos para campanha nova. Mais seria impossível dela olha novamente para Maria e não cora.
 Ela entrou na sala do marido com pequeno sorriso nos labiso, Edward estava no telefone  e Emmett esperava nova ordem dele para alguma coisa.
-- ei viu passarinho verde? Emmett pergunto fazendo ela cora—duvido deve ter visto coisa melhor.
 Edward olhou para homem com aquele olha intimidador que so ele possuía, isabella sorriu corando pouco e caminhou em direção a nova mesa.
-- ei me responda uma coisa seu cunhado anda saindo com alguém? Bella pergunto ao mesmo tempo que edward desligou telefone.
-- ignore isso! Edward disse—isabella deve esta querendo no mínimo apresenta alguma amiga para ele.
-- acho que ele esta! Emmett disse—se não esta deve ter voltado com  Alice, rose comentou que ele anda meio animado e ate cantarolando ele esta.
 A boca de isabella se abriu em formato de “O” como se issi respondesse sua pergunta.
-- mais por que da curiosidade? Emmett perguntou
-- coisa minha! Ela disse e se sentou em sua cadeira—como foi reunião?
-- ootima fechamos mais contrato! Emmett disse animado—e por falar nisso to indo ta na hora do meu almoço e combinei com Rose.
-- você bem que podia leva ela para janta la em casa! Bella susgeri—isso claro se ela se comporta!
-- vou ver isso! Emmett disse já caminhado para saída—Rose não gosta de você, ela acha que você pode ta armando para me junta com Victoria novamente.
-- talvez ela esteja certa! Isabella disse sorrindo e piscando cílios para ele que gargalhou ao sair.
-- isso, continue me provocando desse jeito e depois não reclama! Edward disse saindo de sua cadeira e indo ate mesa dela.—que tal irmos almoca também?
-- claro! Bella diz pegando a bolsa—onde vamos almoça?
--  não sei! Edward diz—você escolhe!
 Bella  já ia segurando a mão do marido quando seu telefone tocou ela olhou para ele e fez gesto com mão dizendo apena um minuto e atendeu o telefone.
-- isabella falando! Isabella sabia que era alguém da família ou amigo por que ligou pro telefone pessoal da sala deles sem passa pela secretaria
-- Sra. Cullen! Uriel disse—já tenho o que você queria! Onde posso te encontra?
--  mais já? Achei que fosse demora mais! Isabella exclamou
-- não foi difícil! Uriel disse—onde posso encontra você?
-- janta comigo! Ela disse sorrindo—Edward vai adora ter sua companhia!
-- entendi! Ele esta ai  com você! Uriel entendeu a indireta
-- isso mesmo! Ela sorriu para marido que lhe olhava com cara enrugada – ok Uriel  nos vemos a noite vou espera para saber novidades.
-- ok!
-- parabéns pelo namorado novo! Ela mentiu e Uriel sorriu do outro lado desligando.—vamos querido!
-- por que Uriel esta ligando para você? Edward pergunto enquanto a esposa caminhava em sua direção
-- ficamos amigas! Bella disse—e sem falar ela também veio para aniversario de Peter!
-- claro que ela veio! Edward disse—a mãe de Uriel e ex esposa do Peter, ele meio que ajudou na criança dela.
-- como?
-- Uriel não morou com eles! Edward disse ao saírem da sala—Peter odeia criança, Uriel passou seis longos anos no internato na suíça, Peter pode ter mudado após a morte do irmão mais ele nunca foi bom homem, não com criança.
-- nossa! Foi tudo que Bella disse antes deles entrarem no elevador.
...............................
Naquela noite Isabella teve que desmarca com Uriel por que Edward tinha janta de negócios e foi preciso que ela acompanhasse ele. Quando eles chegaram em casa naquela noite a casa estava vazia, os meninos foram para casa do avô do meninos. A casa estava apenas para eles, isabella havia exagerado um pouco no champanhe aquela noite estava alegre de mais de certo modo ela havia comemora  a descoberta da de Uriel mesmo ainda não sabendo o que ela descobriu.
Ela estava tao feliz que ela veio agarrando o marido desde do restaurante.  Beijos ousado e passa de mãos abusivas era desse jeito que ela estava,Edward não lembrava a ultima vez que viu a esposa assim tao solta, tao ousada, também os últimos acontecimento tinha tirado dela toda essa ousadia  ate mesmo a vontade de fazer sexo, eles andavam meio tradicional o bom e velho papai e mamãe, mais isso não queria dizer que Edward estava feliz com isso. Ele agarrou e beijo o caminho todo correndo mao por todo corpo da menina e ambos afoito.
O nariz de edward passiava no pescoço de isabella dando mordida leve a fazendo a morena gemer as mãos dela estava enterrada no cabelos deles, e eles não tinha ainda saído da sala. A menina estava com cabelo solto e totalmente descabelada, vestindo vestido preto e meia três por quartoo salto ficou perdido no carro e edward já não usava mais seu palitor. As mãos dele  foram subindo seu vestido ate entrarem dentro da sua calcinha, com a outra mao  ele prendeu os bracos dela sobre  cabeça  dando a ela prazer.

As roupas ficaram na entrada do quarto, os gemidos era possível se ouvir do lado de fora da porta mau fechada.  Dentro o cheiro de sexo era forte. Isabella estava de quatro sobre cama. A s mãos lhe dava o apoio necessário para não perde equilíbrio a boca da morena estava aberta em formato de o, os gemido era ao mesmo tempo sexy e provocante, as palavras sem sentido eram muita, Edward estava em pé do lado de fora da cama as mãos do jovem segurava a morena pelos ombros um da perna dele estava sobre cama enquanto ele a penetrava com forca e vontade fazendo ambos gemeres e sentirem prazer, edward dizia palavras safada do que tipo que deixava  isabella em chama e implorando por mais.

A mão de edward estava sobre bunda isabella o corpo da morena estava meio caído para frente ela se apoiava sobre cotovelos seu rosto estava virando de lado olhando par marido que a penetrava com forca a fazendo geme e grita.

-- oh, mais forte, mais Edward! Ela gritou quando ele lhe penetrou com forca fazendo o corpo dela treme com impulso
-- oh baby não faz isso! Edward disse sem diminuir o ritmo das sua investida—não imagina o tesão que você fica quando esta assim!
 Isabella gemeu rebolo no seu pau, fazendo o homem quase engasga com movimento, isabella sabia como provoca quando queria e edward não deixava passa essa provocações.
-- isso, isso me fode gostoso! Ela gritou
 Isabella voltou a se apoia sobre mãos  enquanto edward segurava ela pela cintura e aumentava ainda mais ritmo da investida dentro da boceta da jovem que cada vez mais apertava seu pau já dando sinal de belo orgasmo.

-- Oh baby! Ele disse segurando ela com mais força e curvando para sussurra em seu ouvido—vou fuder essa bundinha gostoso encima da minha mesa amanha!
-- oh! Eu vou goza nessa pau gostoso! Ela gritou
 Isabella virou rosto olhando para marido que tinha os olhos atento sobre ela, a menina passou detalhadamente em ritmo lento e torturante a língua pelos lábios de maneira tao vulgar que pau do homem deu salto dentro da boceta dela ficando ainda mais duro do que já estava.

As mãos dele apertaram com forca a cintura da morena e o ritmo dele aumento ainda mais entrando e saindo com forca da boceta dela fazendo ambos gemeres, a boca de isbaella ficou aberta em formato de o enquanto seu gemido provocadores torturavam ainda mais o marido.
Isabella gritou deixando corpo cair para frente, as mãos se juntaram acima da cabeça empurrando  boa parte da corberta para canto, edward ainda segurava com forca jovem pela cintura, ela gritou gemendo e gozando melando todo pau do homem que ainda não tinha atingindo seu próprio prazer, edward ainda se enterrava com forca e ritmo dentro da boceta agora melada de isabella que soltava leve gemidos.

Em movimento rápido edward puxo corpo de isabella ficando ambos de pé do lado de fora da cama, as mãos de edward apartavam forte seios de isabella que fazia becinho com boca ao solta gemido de prazer, enquanto marido lhe fodia com força por tras.

-- merda de boceta viciante! Edward disse enterrando com forca dentro dela.—vamos delicia aperta gostoso meu pau!
Isabella gritou gozando novamente no pau dele gemendo alto com investida dele, e foram mais cinco investida e edward gritou mordendo ombro de isabella gozando dentro da menina.
 Naquela noite edward e isabella ainda trazaram mais duas vezes, uma no banheiro com direito a oral da parte dela, e na cama antes de  caírem no sono ou melhor antes de Bella cair no sono, a morena ainda sentiu a boca dele por toda sua costa lhe dando leve prazer e lhe causado arrepios.

--nunca já mais deixarei algo acontece a você minha querida! Ele sussurro lhe beijando o poscoco e lhe puxando conta seu peito.
Continua.

De Olhos Bem Fechados -- Cap 22

A FESTA, ANTES E DEPOIS...

Isabella estava deveras nervosa com aquela festa de premiação em que iria acompanhado o namorado. Não estava sendo fácil para ela, primeiro porque sempre que ela colocava o pé para fora de casa, por mais louco que aquilo lhe fosse, sempre havia um paparazzo para registrar tal momento. Nos últimos dois dias, ela estava sendo a notícia do momento. Não ficara nem um pouco surpresa quando recebeu um telefonema de Charlie, ele ficara preocupado pela tamanha exposição que a filha estava tendo pela mídia. Ela levara quase duas horas para convencer o pai de que estava tudo bem consigo, mas ela ainda teve que aceitar uma leve ameaça do pai, em aparecer para visitá-la, só para ter certeza de que tudo estivesse realmente bem.
Naquela sexta, Edward mandou Peter, o seu atual cabelereiro e agora também estilista da jovem, para ajudá-la e deixá-la a altura do evento. Isabella gostava de Peter, ele era engraçado e bem divertido, além de também ser bastante discreto.
-- Você tem quantos anos? - Peter perguntou enquanto arrumava o cabelo de Isabella
-- Peter se deseja saber se Edward é mais velho do que eu... - Isabella brincou — Eu te respondo, sim ele é!
-- Eu sei! - Ele pontuou terminando o cabelo dela — Mas ainda assim, eu fiquei curioso sobre a sua idade!
-- Vinte um! - Ela respondeu.
-- Nova! - Ele sorriu para ela pelo espelho — Mas deve haver algo em você que o agradou. Acredite, eu conheço Edward há muito tempo e sei bem como ele é, quando assunto é mulher.
-- Você conheceu Victoria? - Isabella não conseguiu segura a sua língua
-- A dama de vermelho! - Peter disse fazendo careta — Mulher odiosa!
Isabella mordeu os lábios para não rir do comentário maldoso de Peter, ela poderia até ter achado aquilo indelicado, mas ela também não era fã de Victoria.
-- Victoria foi o grande amor de Edward, aquele amor que você não tem controle, que deseja de qualquer jeito! - Peter divagou — Talvez a verdade seja que ela sempre fora o seu capricho particular! Já que Victoria sempre foi rica, não podre de rica, mas sempre teve uma condição mais elevada do que a dele.
Bella não disse nada, apenas deixou que Peter contasse a sua historia, já que Edward não tinha costume de falar sobre o seu próprio passado.
-- Foi por causa de Victoria que Edward se tornou rico, ele correu atrás de tudo, só para tê-la ao seu lado. - Peter esclareceu — Mas o amor dele por ela era a sua maior desgraça também... Victoria nunca foi fiel a ele, ela nunca mesmo fora antes, por que seria agora? - Peter suspirou e arrumo uns fios de cabelos de Isabella — Angeline sempre será a única coisa boa dessa relação. - Ele sorriu para Isabella através do espelho — É bom ver o meu velho amigo sorrindo novamente, fico grata por você ser essa pessoa que o faz sorri.
Bella sorriu com carinho para o homem que lhe foi tão sincero ao dizer aquelas palavras de apoio e incentivo.
-- O meu trabalho está feito, querida! — Ele disse sorrindo — Vejo você logo mais à noite!
-- Você vai estar lá? - Bella perguntou.
-- Claro! - Ele disse abrindo um largo sorriso — Onde mais eu estaria? Edward é um grande amigo meu, me ajudou sempre que precisei, não perderia isso por nada. Esse é primeiro prêmio que ele faz realmente questão de ir. E tudo isso por sua causa.
-- Até a noite Peter!
...........................
Emmett estava ao lado de Edward ao final do dia, o jovem andava mais nervoso do que o normal, não que ele fosse o tipo que ficasse nervoso por algo, o fato é que ele nunca tinha se sentindo assim, nem mesmo com Victoria ele se sentiu daquela maneira, a única coisa que sentia com ela era dor, por todas as vezes que ela o deixou.
-- É apenas uma premiação! - Emmett comentou.
-- Eu sei! - Ele assentiu — Não dou a mínima para isso, é que Isabella estará comigo...
-- Está nervoso por isso?
-- Não e sim! - Edward disse passando as mãos pelos cabelos os bagunçando ainda mais — É a primeira vez que levo alguém a esse tipo de evento. Isabella é a única que fiz questão de que esteja comigo e você sabe disso.
-- Claro que sei! - Emmett confirmou — Você nunca teve uma namorada depois de Victoria, Isabella operou um grande progresso em você.
-- Não vamos colocar assim! - Edward disse dando um leve sorriso nervoso — Com ela é diferente... Não é como foi com Victoria, é mais forte e mais intenso, não dá para explicar Emmett... Eu penso nela em todos os minutos e segundos... Quero saber o que ela estaria fazendo, no que estaria pensando... Conto os minutos para ouvir o seu sorriso, adoro o modo como ela cora quando lhe faço elogios.
-- É meu amigo, eu sei bem o que é isso! - Emmett comenta com sorriso nos lábios.
-- O que você está querendo dizer?
-- Que isso tudo se chama amor! - Emmett sorri — Ficava assim mesmo, quando estava apenas namorando. É fato comprovado, é amor!
Edward não disse nada, apenas manteve um leve sorriso de canto de lábios, olhando além da janela. Ele sabia que era isso mesmo, ele nunca se sentiu assim e tudo era tão novo, esse sentimento era novo para ele...
..................................
Já eram sete horas quando Edward entrou no apartamento de Isabella, ele ficou na sala esperando por ela, que segundo a mesma já estava quase pronta. Ele ouviu passos no corredor e girou em direção à porta, a sua respiração parou quando a viu entrar na sala. Isabella estava trajando um vestido longo, vermelho de seda, amarrado em seu pescoço, um par de brincos grande e os seus cabelos estavam presos, realçando ainda mais a sua beleza, além da maquiagem perfeita, ela estava simplesmente maravilhosa.

-- Você está linda! - Edward disse babando completamente pela a sua namorada.
-- Obrigada! - Ela disse corando — Você está lindo também!
Edward de fato estava bem elegante, vestido a caráter para receber aquele prêmio, ele usava um terno preto e gravata cinza, uma camisa branca, a calça social muito bem cortada e no bolso do terno estava um lenço, detalhe que o deixava além de lindo, deveras encantador.

-- Nada comparado com a sua beleza baby! - Edward afirmou.
-- Está me deixando sem graça! - Ela comentou corando.
-- Tudo bem! Vamos! - Edward arrematou — Paul está lá embaixo nos esperando.
-- Claro!
............................
Muitos flashes, muita gente e muitos olhares, aquilo foi tudo o que Isabella notou ao chega ao evento, segurando a mão de Edward. As pessoas falavam com ele, e claro, que ele a apresentou como a sua linda namorada.
-- Parece ser legal! - Isabella disse apertando o braço dele.
-- Relaxe Bella! - Edward pediu — Você está linda, e todos querem saber quem a mulher que conquistou o solteiro mais desejado de toda cidade.
-- Metido! - Ela sussurrou e ele sorriu lhe dando um selinho.
Ambos caminharam para os seus acentos, Isabella viu ao longe Peter acenar para ela, então viu uma bela morena com ele. Isabella sorriu e olhou para Edward sem entender.
-- Oh não! - Edward disse como se adivinhando o pensamento da moça — Ele não é gay!
-- Eu pensei que fosse! - Bella admitiu mordendo os lábios.
-- Oh baby! - Ele sorriu — Não ele não é! Aquela é Charlotte, a namorada dele, pelo menos, eu acredito que seja!
-- Obrigada por me dizer só agora! - Isabella fez um biquinho, já sentada ao lado dele — Já pensou se eu tivesse comentado algo e cometido uma grande gafe?!
-- Bem, eu queria estar por perto para poder rir! - Edward disse e Isabella bateu em seu braço.
...........................
Quando Edward subiu ao palco para receber o seu merecido prêmio, todos o aplaudiram, Isabella era a mais animada ao fazer isso. Ele fez um discurso pequeno e simples, e então, saiu levando o seu troféu de Arquiteto do ano.
-- Parabéns! - Ela disse o abraçando — você estava ótimo lá em cima!
-- Obrigado! - Ele disse dando um beijo de leve na namorada.
Muitas pessoas vieram lhe dar os parabéns, até mesmo Emmett e Rose. A loira estava bem elegante em um vestido branco, cheio de rendas, enquanto Emmett usava um clássico terno cinza.
-- Rose, eu acho que ainda se lembra de Isabella, não é? - Emmett proferiu.
-- Como posso esquecê-la! - Rose comentou — Todo mundo só fala em você, a garota de sorte! - Isabella corou com aquele comentário.
-- Olá! - Ela disse feliz.
-- Parabéns cara! - Emmett disse abraçando o amigo.
-- Valeu! - Edward retrucou — Sabe que não curto isso, mas tudo bem!
-- Ninguém disse que tinha que gostar! - Rose se apressou em dizer — Quem mandou você ser incrivelmente bom!
Ele sorriu e ela também com comentário da loira, Isabella se sentiu grata por Peter lhe ter produzido, assim ela não ficaria tão feia perto da loira perfeita ao seu lado.
-- Parabéns Edward! - Peter disse chegando juntamente a namorada — Isabela está linda!
-- Como se você não soubesse! - Edward disse sorrindo — Charlotte, olá!
-- Edward! - Ela disse com sorriso discreto – Parabéns pelo prêmio!
-- Nada demais!
-- Modéstia não é o seu forte! - A voz da ruiva veio por detrás de todos — Onde está àquele grande ego que só Edward Cullen possui?
-- Acredito que você não seja benvinda aqui! - Edward proferiu — Agora, seja educada e finja que ainda tem dignidade e saia daqui!
-- Acha mesmo que essas palavras grossas vão me mandar para longe de você, baby? - Victoria perguntou — Emmett! Rose querida, você está linda! Peter, eu ainda estou brava com você, meu doce!
-- Victoria dê o fora daqui! - Rose disse — Você não é bem vinda, saia!
-- Ninguém me manda sair de lugar algum! - Ela disse com raiva para a loira — Ainda mais sendo que ninguém é mais digna de estar aqui, senão eu! Eu sou o grande amor de Edward, sou a única que deveria estar aqui.
O clima ficou tenso e todos estavam esperando a reação de Isabella. Emmett temia pelo amigo, parecia que ele poderia esganar Victoria com as próprias mãos.
-- Fique à vontade! - Bella disse com calma — Agora, só acho que nenhum de nós é obrigado a ficar em sua companhia! - Ela sorriu para o namorado — Se não for demais para você, gostaria de ir para casa, ou qualquer outro lugar... Pode ser?
-- Ótima ideia! - Rose disse — Vamos todo jantar em algum lugar, assim poderemos conversa melhor. O quê acham?
-- Perfeito! - Peter disse — Vamos todos então, eu conheço o melhor restaurando de toda cidade!
Edward sorriu, ele respirou mais calmo, todos os amigos estavam lhe ajudando.
.....................
Isabella sabia que Victoria não ficara feliz com a atitude dela, ter ignorado a ruiva completamente, poderia ter causado um escândalo, mas agora já tinha sido feito.
O jantar foi ótimo, Rose e Isabella conversaram sobre muitas coisas, a loira era incrível e muito inteligente também, além de bem humorada, até Charlotte que estava meio calada no começo, se soltou bem mais durante o jantar. Assim quando já era quase meia noite, todos deixaram o estabelecimento, que de fato, como dissera Peter, tinha a melhor comida da cidade e um ambiente incrivelmente agradável.
-- Temos que marcar isso mais vezes! - Rose disse abraçando Isabella
-- Claro! Vou adorar! - Isabella confirmou dando um largo sorriso — Peter, até mais!
-- Até jovem Bella! - Ele disse piscando para ela — Edward cuide bem dessa encantadora jovem, ela é perfeita para você, meu velho amigo.
-- Pode deixar! - Ele assentiu dando um leve sorriso para o amigo. — Emmett, Rose até mais!
-- Você tem que jantar na minha casa um dia desses! - Rose pediu — Leve Bella também!
-- Pode deixar! Eu levarei sim!
Todos seguiram cada casal para o seu carro, e assim cada um foi para as suas casas. Edward seguiu com Isabella em direção a sua casa, a menina estava sentada ao seu lado, no banco de trás, enquanto Paul dirigia. Isabella sentia o seu corpo cansado e tenso ao mesmo tempo, Edward segurava a sua mão, ele sorria para ela, cada vez que jovem lhe olhava.
-- Amanhã Angel vai querer passar o dia com você! - Edward advertiu beijando os dedos das mãos dela. — Eu estive pensando, que tal passamos o dia, nós três juntos?
Isabella olhou surpresa com o pedido dele, mas ao mesmo tempo feliz por ele tê-lo feito. Ela gostava de Angel e ela sabia que Edward amava a filha dele e se ela realmente quisesse que aquela relação desse certo, ela teria que aceitar Angel na vida deles. Ela já gostava muito de Angel, seria bom ter um tempo a mais com a menina, não apenas com pai dela...
-- Eu, você e Angel! - Ela disse sorrindo – Me parece uma proposta irrecusável, Senhor Cullen!
-- Que bom que gostou! - Ele disse sorrindo — Porque já planejei um final de semana só para nós!
-- E a noite das meninas? - Isabella perguntou, ela gostaria de fazê-la no sábado!
-- Você poderá fazê-la durante a semana! - Ele sugeriu piscando para ela.
................
Pelo pequeno apartamento estava espalhado um caminho de roupas. O belo vestido da jovem ficou caído na sala, assim como o terno e a camisa branca de Edward ficou pelo corredor. O sutiã ficou preso entre a porta e o trinco do quarto de Bella, as calças de Edward ficaram caídas no meio do quarto. Isabella estava apenas de calcinha, assim como Edward apenas de cueca, deitados na cama, ambos se beijavam torridamente...

 Isabella queria mais, quando deu um último beijo nele e desceu, escorregando pelo corpo dele, cobrindo a cueca dele com a boca, distribuindo leves e pequenas mordidas no pau dele ainda por cima da peça íntima do ruivo.
Isabella não sabia se estava virando uma devasta ou se já era uma completa devasta, já que bastava um simples toque nela para mandar um sinal direto para a sua buceta, parecia uma espécie de ima, ligado ao metal, no caso, o metal era Edward. A cada nova transa deles, Isabella ficava ainda mais solta na cama, ainda mais ousada, sem deixar de perder o jeitinho tímido de menina, que ela ainda tinha.
O pau de Edward ficava sempre duro, só em olhar para Isabella, mas quando a menina tinha o seu pau na boca, parecia que ele iria explodir a qualquer momento. Na verdade, bastava que ela o olhasse enquanto ela o chupava para que todo o mundo sumisse e apenas existissem eles dois... Nada mais importava, a não ser o prazer que ela lhe dava, pois o prazer maior viria logo depois... Isabella segurava o pau de Edward com uma das mãos, enquanto com a outra, ela se apoiava na cama, a sua boca engolia por completo o pau dele, enquanto a uma das mãos de Edward segurava os cabelos dela, lhe dando a plena visão de sua boca gostosa lhe chupando, lhe engolindo, lhe dando o maior prazer de sua vida.

Edward se livrou das roupas íntimas de ambos, a calcinha de Isabella virou farrapo no chão, a sua cueca foi parar bem longe. Isabella estava deitada na cama, uma das pernas estava apoiada sobre o ombro dele. Edward lhe penetrava com um dedo, fazendo movimentos lentos, Isabella gemia a cada movimento do seu dedo dentro dela, até que aquele dedo sumiu para dar espaço para a língua dele, que tomou conta de cada centímetro da buceta apertada dela, ora lambendo, ora chupando, fazendo Isabella, de fato, gritar o nome dele entre aquelas quatro paredes.

Isabella estava de quatro na cama, as mãos seguravam a borda dos lençóis da cama, Edward estava de joelhos atrás dela... A mão do jovem estava aberta sobre a bunda dela, enquanto os seus quadris eram empurrados para frente, com vigor, penetrando Isabella com intensidade, mas sem muita presa.

Os gemidos da menina eram baixos, mais cheios de prazer, a vontade de gritar todas as vezes que ele se enterrava dentro dela, era maior do que ela conseguia controlar e ela sabia que logo ele começaria com as suas loucuras e coisas insanas, ela sabia que perderia completamente o controle de seu corpo e de sua boca, era sempre assim, todas às vezes que Edward a possuía...
Foi preciso só mais algumas investidas dele, para ela sair da linha de uma vez e começar a gemer sem pudor, falar coisas que o deixava ainda mais duro. Um dos braços de Edward estava passado em volta do pescoço de Isabella, puxando-a ainda mais para perto de seu corpo, colando ainda mais ambos, enquanto os seus quadris faziam movimentos precisos, penetrando-a com o seu pau, fazendo a menina gritar ainda mais.

-- Vamos Bella! - Ele sussurrou contra o ouvido dela, enquanto lhe penetrava com mais força e mais ritmo. — Diga-me baby o que você quer? O que você deseja!
Ela gritou se contorcendo debaixo dele, soltou um ou dois palavrões e apertou com força os lençóis da cama. Respirando ofegante e com o corpo todo suado, o cheiro de sexo tomava conta do lugar, cada vez que as coisas ganhavam uma nova intensidade de prazer, ela se sentia mais completa.
-- Vamos baby! - Ele disse novamente, dessa vez, entrando dentro dela com força, fazendo-a sentir ainda mais a presença de seu pau em sua buceta — O que você quer?
-- Me fode! - Ela gritava e gemia ao mesmo tempo — Eu quero o seu pau me fundendo gostoso, até eu gozar!
Edward grunhiu com as palavras dela, metendo mais umas duas vezes dentro da buceta dela, antes de girá-la na cama, colocando Isabella por baixo dele e ficando por cima. Ele gostava da boca suja dela, gostava quando ela falava vulgaridades durante o ato, mas ela só fazia isso quando perdia completamente a linha de controle e era nessa hora, que o seu prazer ficava dez vezes maior.
Um dos braços de Edward estava passando por baixo do pescoço de Isabella, uma das mãos de Isabella se apoiava sobre o braço de Edward. As pernas da menina estavam levemente abertas, enquanto isso, Edward lhe penetrava com rapidez e vigor, intensificando cada vez mais as investidas, fazendo os dois gemerem ao mesmo tempo em que a buceta de Isabella começava a apertar seu pau.

 Ambos estavam suados e gemendo, ficava cada vez mais difícil de afundar-se dentro dela. A menina pranteava e implorava por mais...
-- Sim! - Ela gritou quando Edward entrou mais fundo dentro dela — Oh, sim... Me faz gozar! - Ela suplicou e ele gemeu.
Uma, duas, três investida e Isabella explodiu em um gozo forte e pleno, gritando alto e em bom tom o nome do namorado, qualquer um poderia ter ouvido, ela não saberia quem de seus vizinhos, porque a única pessoa que teria coragem de comentar algo desse tipo seria a sua amiga Ângela, mas agora, naquele momento, aquilo seria a última coisa que ela se preocuparia... Ainda mais que Edward ainda metia com força dentro dela... Foi necessário mais seis investidas, antes dele gozar, enchendo a camisinha e desabando sobre o corpo pequeno da menina.
......................
Isabella estava deitada sobre o peito dele, a respiração do dois estavam voltando pouco a pouco ao normal. Ele desenhava pequenos círculos em volta das costas dela, uma maneira doce de fazer carinho, algo que ele nunca tinha testado com ninguém, a não ser com Isabella.
-- É sempre assim? - Ela perguntou quebrando o silêncio.
-- O quê? - Ele não entendeu a sua pergunta.
-- Quero dizer, vai sempre ser assim, eu, você, tudo tão intenso! - Ela disse.
-- Honestamente, não sei! - Ele admitiu - Mas espero que sim, porque nunca senti nada assim por ninguém, não do jeito que sinto com você! - Ele explica e gira com ela na cama, ficando por cima para poder ver o seu rosto — Sexo, ou amor com você, sempre é bom Bella e quero que continue assim. Gosto ainda mais quando você se solta na cama, quando me diz o quer, ou quando usa palavras vulgares ou palavrões para expressar o seu prazer. Gosto de como fica solta...
A menina tem o rosto totalmente vermelho, corado, mas não consegue desviar os olhos dele, afinal ele tinha algo que a fascinava sempre, não importava se tivesse vestido ou pelado como estava agora, ele sempre conseguia atrai-la de uma maneira única.
-- Você realmente não me acha... - Ela não terminou, mordeu os lábios.
-- O quê? Eu não acho o quê? - Ele perguntou querendo de fato saber.
-- Que quando eu falo essas coisas, eu fico parecendo uma... - Ela mordeu os lábios e sussurrou baixinho, como se a palavra fosse um grande palavrão — Puta...
Edward conteve a vontade rir, não pela palavra usando, mas pelo fato dela estar completamente vermelha e por ela achar que falando ou fazendo aquelas coisas, ela fosse ser comparada a uma puta. Ele matutou por alguns segundos, em como dizer para ela o que estava pensando, trabalhando mentalmente em sua resposta para aquela pergunta divertida.
-- Bella... - Ele começou tocando os lábios dela com os dedos — Você não é uma puta, se o seu pensamento é esse, esqueça! - Ela manteve os olhos sobre ele — Como eu disse, eu gosto quando você se solta, me deixa com tesão só em ver você com tesão... É uma delícia ouvir o seu palavreado chulo e ver o seu desejo transbordar cada vez que você se solta. - Ele fazia um pequeno carinho no rosto dela, ele sorria docemente para a menina que ainda estava atenta a ele e as suas palavras — Não tenha vergonha de buscar pelo seu prazer, eu estou aqui para lhe satisfazer assim como você também estará para me satisfazer, e se você quiser bancar a putinha deliciosa, eu não me importaria em nada, você nunca vai deixar de ser a minha Bella, doce, gentil e inocente. Pode ser o que desejar na cama, eu apenas desejo que seja você comigo nela...
-- Você é um doce! - Ela disse dando beijinhos nele — Eu quero chupa você agora!
Edward soltou uma gargalhada e então girou na cama ficando de peito para cima e colocando os braços atrás da cabeça.
--Sou todo seu, baby!

CONTÍNUA...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

De Olhos Bem Fechados-- Cap 21

PROVOCAÇÕES...

Ficar ouvindo Ângela falando safadezas, não ajudava muito a Isabella, já que a única coisa que vinha a sua mente, quando a amiga começava a descrever certas loucuras,que ela fazia com o namorando, era Edward e as loucuras que eles próprios poderiam vir a fazer...
Depois que amiga foi embora, isso claro, após degustar todo o pote de sorvete, Isabella ligou para sua a médica e marcou uma consulta ginecológica. A Doutora Laura agendou a visita da morena para segunda-feira à tarde.
À noite, quando ela já havia terminado de fazer o jantar, ela ligou para Edward, que não demorou muito para atender.
-- Oi baby! — Ele disse carinhoso.
-- Eu...
-- Bella aconteceu alguma coisa? — Edward tinha a voz tensa.
-- Não, não! — Ela disse e respirou fundo — Só queria saber se você iria vir jantar em casa. Quer dizer na minha casa, ou melhor, comigo... ...é que... ...bem, você entendeu... — Ela estava nervosa e se sentia como uma adolescente chamando o namorado para jantar pela primeira vez em sua casa.
-- Oh! — Ele retrucou — Querida, eu tenho uma reunião de negócios agora à noite! — Bella não disse nada, apenas o ouviu — Levarei umas duas horas, então terá que jantar sem mim, mas estarei aí ainda essa noite, ok?
-- Tudo bem então!
-- Bella, eu amo você baby!
-- Também te amo! — Ela disse sussurrando como se fosse um crime amá-lo e então desligou.
..............................................................................................................
Emmett olhava atentamente para o amigo que tinha um sorriso bobo estampado no rosto.
-- O quê? — Ele perguntou — Não me olhe assim! Você já esteve em meu lugar!
Oh sim, Emmett já estivera, e lógico, que hoje já havia se casado com a mulher desejada. Contudo não fora fácil esconder aquele sentimento do resto do mundo, havia dias em que ele queria gritar o seu amor por ela.
-- Não estou dizendo nada! — Emmett sorria — Mas já que ela lhe ligou, você aproveitou e a convidou para ir com você amanhã a premiação?
-- Claro! — Ele disse pegando os papéis que estavam sobre a mesa — Não teria como eu ir, sem ela.
-- É bom ver você assim tão envolvido!
-- Pare de se envolver na minha vida! — Edward disse com um riso bobo ainda no rosto — E vamos cuidar logo, pois eu tenho que estar na casa dela em duas horas.
............................
Isabella pediu para o porteiro a avisar quando Edward chegasse, e foi exatamente o que ele fez quando interfonou para jovem avisando da chegada do namorado.
Edward sabia que Isabella nunca fechava a porta, não até antes de ir se deitar. E como ela sabia que ele chegaria em breve, provavelmente à porta estivesse aberta como sempre esteve das outras vezes.
Ele abriu a porta, mas os seus olhos não estavam prontos para aquela surpresa... Isabella queria provar a Ângela que o seu namoro não era do tipo “quase parando”, talvez, ela quisesse mais era provar para ela mesmo que ela conseguiria fazer um homem feliz na cama. Quando Edward lhe encarou sentada no sofá, sobre os seus joelhos, usando apenas uma calcinha e nada mais, ela não conseguiu conter o sorrisinho de vitória, ao ver os olhos de desejo dele.

-- Essa é uma ótima maneira de ser recebido! — Edward disse animado.
Isabella sorriu e devorou o homem com os olhos, prestando atenção detalhadamente nele que já estava sem gravata e com o blazer nas mãos, ela sorriu mais ainda quando notou a calça “inchada” dele.
-- Achei que você iria querer brincar...
-- Oh baby! — Ele disse lambendo os lábios — Com você, eu sempre quero brincar!
.............................
Bella estava sentada encima de Edward, as mãos do rapaz a seguravam pelas coxas, Isabella apoiava as mãos no encosto do sofá, enquanto ela subia e descia sobre o seu pau, com movimentos lentos, apenas curtindo o momento e aproveitando os gemidos do homem embaixo dela.

Ela sabia que o que estava fazendo poderia ter duas conseqüências, ou Edward poderia não gostar, ou ele poderia perder o controle rapidamente. E foi o que aconteceu, ele se livrou das roupas rapidamente e quando deu por si, já estava sobre ele lhe montando.
Edward sempre despertara nas pessoas o impetrar de seus limites, e não seria diferente com Isabella, ao poucos ela ia se soltando na cama, e cada nova rodada de sexo com ele, as coisas novas iam acontecendo.
Edward virou a menina no sofá, ficando de joelho no chão, metade dos quadris dela estava para fora do sofá, enquanto Edward lhe penetrava lentamente, as cara e boca de prazer que a morena fazia e os gemido que escapava da boca dela, estava só o deixando ainda mais duro e cheio de tesão.

Ele a segurava com uma mão na cintura e a outra escorregava entre o seu pescoço, se fechando algumas vezes, antes dele escorregar com ela para o rosto macio e fazer com que a menina lhe chupasse o polegar.
Isabella tinha o rosto vermelho, bem corado, mas já não era mais tão tímida na cama, ela já gemia sem medo, gritava o nome dele quando gozava e implorava por mais, sempre que o seu desejo aumentava...
Os braços de Isabella estavam sobre a sua cabeça, as pernas estavam abertas, Edward segurava a menina pelos tornozelos, enquanto isso, ele a penetrava com mais ritmo, mais força e mais vontade. Isabella gemia algo, implorando por mais, gritando o nome do ruivo cada vez mais alto, enquanto ele entrava dentro dela. A buceta da menina o apertava e o prendia, sem deixar que ele escapasse lhe dificultando os seus movimentos dentro dela.

-- Isso, me aperta! — Edward gemia metendo com força.
-- Oh, sim, sim! — Ela gritava mordendo os lábios, ao ponto de sentir o gosto de sangue neles — Me fode gostoso, Sr. Cullen!
Os olhos de Edward brilharam quando ouviu a jovem lhe chamar daquele jeito, foi como se ela libertasse o animal dentro dele, porque ele se alforriou... Edward puxou Isabella sem sair de dentro dela, girou o pequeno corpo da moça, ficando por trás dela.
-- Oh! — Isabella gemeu quando ele lhe penetrou novamente, mas agora por trás.
-- Vamos putinha, aperte o meu pau com a sua buceta deliciosa! — Ele sussurrou em seu ouvido e mordeu a ponta de sua orelha.
Edward segurava Isabella pela cintura, enquanto ele metia nela, os movimentos dos seus quadris eram rápidos e profundos... Ele se sentia mais intenso, a menina gemia coisas incoerentes e Edward sussurrava safadezas ao ouvido deixando dela, deixando-a ainda mais excitada do que já estava.

-- Oh, sim, sim! — Ela gritou quando sentiu o membro de Edward mais uma vez dentro dela. — Me fode com força!
Ela implorou de uma maneira que ele nunca tinha visto antes, não que ele nunca tivesse ouvido aquilo de alguém, “mete com forca”, mas sim daquela forma doce e necessitada... Ele então perdeu o controle novamente. Edward arrastou Isabella até a mesa que estava próxima a eles, fazendo a menina se apoiar com os braços sobre a mesa e então, segurando-a pela cintura, ele voltou a meter com muita força e rapidez,

Isabella gritou alto, berrou palavrões e disse coisas impróprias, coisas que ela nunca havia dito antes... Afinal, Edward era o homem que a estava fazendo perder o controle, ele estava conseguindo a deixar uma verdadeira boca suja, durante o sexo. A buceta da menina já latejava de tanta pressão e quando ela explodiu em volta do membro rígido, foi aos berros e sempre gritando o nome do rapaz... Só para deixá-lo ainda mais louco e então, ele investiu mais algumas vezes, gozando e enchendo a camisinha de puro prazer.
Isabella nunca se lembrava de tê-lo visto colocando a camisinha, quando dava por si, já estava ofegante e com pau dele dentro dela, já embalado para a ação... Ambos estavam suados e ofegantes, deitados no chão do que seria a sala de jantar de Isabella, o que não ficava tão distante da sala de estar, onde ficou não só a roupa dele, como o roupão dela também.
-- Adorei a surpresa! — Edward disse tirando uma mecha do cabelo dela do rosto, Isabella estava deitada em seu peito.
-- Que bom! — Ela disse corando — Eu estava meio em duvida...
-- Oh baby! — Ele disse com um sorriso safado — Não fique em duvida quando for me fazer surpresas como essa... Eu topo qualquer coisa com você... Contanto que não envolva outra pessoa entre nós dois, eu topo!
-- Edward! — Ela corou forte com o comentário dele, pois nunca passou em sua cabeça fazer parte de um trio...
-- Ok, ok é só para deixar isso claro! — Ele disse piscando para ela — E agora, que tal um bom banho?
-- Seria ótimo! — Ela assentiu sorrindo — Mas acredito que o meu pequeno banheiro não caberá, nós dois!
-- Inferno! — Ele replicou – Você vai ter que dormir algumas noites na minha casa! — Ele a adverte tocando os lábios inchados da menina — Eu morro de vontade de tomar banho com você.
Isabella corou mais ainda, ela também sempre quis saber qual seria a sensação de tomar banho com alguém, mordendo os lábios, ela deu um meio sorriso afirmativo para ele.
-- Tudo bem! — Ela assentiu — Mas agora só dá para ir um por vez.
-- Vai você! — Ele disse — Eu espero por minha vez e fico imaginado como vou te comer, em meu banheiro.
Os olhos de Isabella se arregalaram e ele sorriu abertamente para ela, lhe dando um selinho nos lábios, antes de apertar a bunda dela com certa pressão.
-- Não imagina os planos que tenho para o seu corpinho gostoso! — Ele disse, Isabella piscou para ele corando ainda mais.
-- Devo acreditar que está comigo só pelo meu corpinho, então? — Ela argumenta com um meio sorriso.
-- Completamente! — Ele diz rindo ainda mais — Você é gostosa e a sua buceta é delicia.
-- Edward! — Ela meio que gritou e ele riu mais.
-- O quê? Santa mãe, como consegue ficar com vergonha disso? — Ele reage — Ainda mais que há minutos, você estava gritando “isso, isso me fode gostoso Sr. Cullen!” — Ela corou deveras — Juro que não te entendo! — Ele tocou a sua face corada da namorada — Mas adoro você assim desse jeitinho, doce e meigo...
-- Também gosto de você! — Ela disse corando — Gosto muito!
-- Ótimo! — Ele anuiu — Agora vamos tomar um banho...

Contínua...