Jul M

Oi

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O Casamento -- Para Todo O Sempre -- Cap 25


Frase -- Diário de Vampiro 

MONTANDO O QUEBRA-CABEÇAS...

Era mais um dia chuvoso... Isabella não gostava de dias assim, porque ela os achava tristes. Lana estava solta, sobre a vigilância da Polícia, além de ter sido expedida uma ordem judicial que a mantinha longe dos Cullen. Lion conseguira escapar da Polícia e oficialmente estava foragido agora. Já havia se passado alguns dias desde todo o acontecido. Peter adiou a festa que ele planejava dar na semana em que Lana foi presa.
-- Um beijo pelos seus pensamentos! — Edward aguçou, se sentando junto a Isabella perto da janela.
-- Não gosto de dias assim! — Ela disse fazendo um leve beicinho.
-- Não são os meus melhores dias, também... — Ele assentiu sorrindo para ela e a puxando para os seus braços. — Mas se desejar, eu te aquecerei nesse inverno, meu bem!
-- Achei que me aqueceria para sempre, Sr. Cullen! — Ela replica se aconchegando mais aos seus braços.
-- Sempre e sempre! — Ele sussurra contra os ouvidos da morena.
-- Precisamos mesmo ir à festa de Peter? — Bella pergunta — Eu gosto de Peter, mas honestamente, eu estou casada dessas festas todas sem motivos.
-- Bella querida... Será a comemoração do aniversário dele! — Edward explica — Ele é amigo de meu pai há anos!
-- Eu sei Edward, mas tudo o que quero nesse sábado, é ficar em casa com vocês e os nossos filhos! — Ela reclama — Sabe, eu estou cansada, a nossa casa parece mais uma cadeia de segurança máxima, tantos Seguranças ao redor e a Policia entrando e saindo daqui toda hora. Isso está ficando fora de controle...
-- Logo, acabará! — Edward a conforta apertando-a contra ele — Sabe que eu não quero isso tanto quanto você amor, mas no momento é tudo que podemos ter. Não quero que você corra perigo, nem você e nem as crianças.
-- Isso não tem a ver com a festa de Peter! — Ela reclama – Por favor!
-- Vamos fazer assim... — Edward pondera — Não tenho a menor intenção de ficar lá até o final da festa. Você fica em casa com as crianças e eu vou, passo só alguns minutos por lá e volto correndo para você! O que acha?
-- Acho ótimo! — Bella concorda sorrindo abertamente — Adoro Peter, ele é uma ótima pessoa, mesmo ele sendo incrivelmente exagerado com os seus elogios em relação a mim, contudo ainda assim, ele não vai me tirar de casa em um sábado chuvoso.
-- Minha mulher anda muito mandona! — Edward diz beijando o seu pescoço.
-- Victoria me ligou! — Bella comenta — Eu andei pensando...
Ela virou em seus braços para poder ficar de frente para ele. Ela sorriu um sorriso que Edward já bem conhecia, através dele, Edward sabia que ela queria algo... Ele logo identificou aquele jeito meigo que ela sempre fazia, antes de lhe pedir algo. Então ela passou as pernas em volta da cintura dele, se sentando em seu colo.
-- O que você está planejando? — Edward perguntou passando os braços em volta da cintura dela.
-- Eu gosto da livraria, e ela já está pronta! — Bella disse mordendo os lábios — Edward, eu me graduei em Literatura Inglesa, e trabalho com você, devido aos últimos acontecimentos...
-- Bella, direto ao ponto, por favor! — Ele pediu.
-- Eu estava pensando e comecei a escrever um livro... — Ela disse corando forte e não encarando os olhos do marido.
-- Você escreveu?! — Ele pareceu surpreso e colocou uma mecha do cabelo dela atrás da orelha.
-- Sim! — Ela sussurrou — Comecei como forma de passar o tempo, mas está ficando tão bom o livro, Edward que eu queria muito o publicar. Até já conseguir alguns contatos e reuniões com algumas Editoras da cidade.
-- Eu fico feliz que você tenha gostado querida! — Ele disse sincero — Só não entendi onde Victoria entra nisso? E por que está me falando tudo só agora! — Ele segurou o queixo da jovem a fazendo encará-lo — Por que não me diz o que você deseja de verdade?
-- Eu recebi uma proposta para trabalhar na Editora Spark! — Ela confessou — Eu também poderei publicar o meu livro lá mesmo. Isso é claro, se eles gostarem.
-- Está pedindo demissão? — Edward perguntou olhando para ela.
-- Na verdade, ainda não! — Ela redargüiu — Disse a eles que precisa analisar a proposta e conversar com você. Eu tenho filhos, Edward e não daria para simplesmente esquecer isso, as coisas têm que estar em perfeita harmonia para que eu possa fazer isso!
-- E a livraria? — Ele perguntou.
-- Victoria entra aí! — Ela disse mordendo os lábios — Eu pensei em vender para ela, Edward. Ela está levando a livraria sozinha desde que eu passei a trabalhar oficialmente para a Cullen Publicidade, então eu pensei em vender para ela. O que acha?
Edward ficou calando analisando a proposta da esposa. Claro que ele já tinha uma opinião formada sobre a decisão dela, mas adorava ver a carinha de nervosa que ela fazia, ainda mais quando ela ficava mordendo os lábios daquele jeito tão tentador.
-- Edward! — Ela chamou esperando que ele dissesse algo.
-- Se você quiser mesmo isso, eu não vejo problema! — Ele disse sorrindo e lhe dando um selinho – Agora sobre a Spark, vamos ter ver isso com calma... Como você mesmo disse, precisa estar tudo na mais prefeita harmonia baby!
-- Ahh! — Ela soltou um gritinho como uma criança que acabasse de ganhar um presente de natal e lhe abraçou forte pelo pescoço, lhe enchendo de beijos no rosto todo e sussurrando — Obrigada, obrigada querido.
-- Tudo para te ver feliz, minha linda! — Ele disse sorrindo.
Edward segurou o rosto da esposa entre as mãos e lhe beijou, uma beijo calmo e doce que logo ganhou outras proporções. Logo o corpo de Isabella estava por debaixo do dele e as mãos de Edward ganhavam vida, entrando por dentro do suéter vermelho da mulher, as coisas entre eles estavam ficando cada vez mais quente.
-- Oh Pai! —Tony gritou — Nessie não me deixa brincar!
Isabella sorriu contra os lábios do marido, que agora estavam olhando para o outro com um sorriso bobo nos lábios.
-- Juro que os mandarei para a casa dos avós, assim que entrarem de férias! — Edward prometeu se levantando — Já estou indo aí!
-- Você vai sentir saudades deles! — Isabella disse ainda deitada no sofá, do mesmo jeito que ele havia a deixado.
-- Uma semana, talvez! — Ele disse piscando para ela — Será o tempo suficiente para usar e abusar de você, querida!
A gargalhada de Isabella ecoou pela casa e Edward seguiu para o andar de cima, a fim de apagar o fogo entre filhos. Era bom ouvir Isabella sorrindo novamente, era bom vê-la feliz.
.............................................
Na terça-feira Isabella não fora trabalhar porque Nessie acordou com febre, os dentes da menina estavam começando a nascerem, os de trás estavam doloridos e isso estava incomodando, não só a menina, mas a mãe também, que passou a noite toda acordada com ela.
-- Menina! — Sue disse colocando a cabeça para dentro — Você tem visita! — Ela avisa — A pequena Nessie dormiu?
-- Graça a Deus que sim! — Bella assentiu — Mas acho que ela não demorará em acordar novamente! — Ela sorriu para a boa mulher — Saberia me dizer quem é?
-- Oh Sim, desculpe! — Sue pediu — A Srta. Uriel está aí e deseja falar com você.
-- Obrigada Sue! — Bella agradeceu — Se importa em ficar com ela?
-- Claro que não! — Ela replicou — Pode ir! Eu ficarei de olho na menina
-- Obrigada!
Isabella se enrolou em um hobby e desceu as escadas para se encontrar com a velha amiga de Edward e a sua mais nova amiga. A bela mulher esperava por ela na sala. Como sempre, ela estava muito bem arrumada e deveras bonita.
-- Uriel! — Ela disse sorrindo — Desculpe a aparência, mas a minha menina não me deixou dormir hoje!
-- Sem problema! — Uriel disse sorrindo — Estava na cidade e achei que seria legal revê-la! Onde está Edward?
-- Na Empresa! — Ela respondeu — Mas ele virá para o almoço. Ele também não fica muito tempo longe quando Nessie não está bem!
-- Ela está doente? — Uriel perguntou preocupada.
-- Na verdade, são os dentes que estão nascendo! — Bella informou — Febre, eu ficou preocupada, mas Edward entra em pânico, se eu deixasse, ele manteria um médico como refém, só para ter certeza que ela ficaria bem.
-- Sempre exagerando! — Uriel disse.
-- Venha, vamos tomar um café! — Bella ofereceu — Ainda não comi nada hoje!
-- E Tony? — Uriel perguntou.
-- Ele está na Escola! Depois vai para a casa do avô! — Bella falou — E então, qual o motivo para você estar de volta aqui na cidade?
-- Vim resolver alguns problemas! — Uriel disse olhando em volta. — E também, é o aniversario de Peter, vim para a festa!
-- Oh, você conhece Peter, também? — Bella perguntou surpresa.
-- Claro! — Uriel disse — O irmão dele foi uma de nossas vitimas!
-- Como assim? — Bella não entendeu.
-- Quando a gente bancava os “justiceiros”! — Uriel disse colocando aspas — Não me orgulho disso, mais a gente repôs todo o dinheiro dele de volta, quando descobrimos quem ele era irmão de Peter. Mais já era tarde...
-- Uriel, eu não estou entendendo... — Bella questionou em duvida.
-- Deixe-me tentar explicar! — Ela pediu — Quando a gente começou nessa de “justiceiros” do tipo, tirar dos ricos e dar para os pobres, a gente tinhas alvos certos... — Ela começa — Pessoas ricas e esnobes que fraudavam os impostos dentre outras coisas sujas. O irmão de Peter era um desses, não me recordo o nome dele, mas se eu não me engano era Robert, a quantia que a gente tirou meio que o quebrou, e ele acabou se matando.
-- Ai meu Deus! — Bella disse chocada.
-- Não sabíamos disso! — Uriel afirmou — Devolvemos o dinheiro, mesmo sabendo que ele era o maior cretino do mundo! Fizemos isso depois que descobrimos que ele era irmão de Peter.
-- Quando isso aconteceu, Peter soube da verdade? — Bella perguntou.
-- Bella, ninguém sabe sobre o que fazíamos! — Uriel disse — Como fazíamos parte das Forças Armadas dos Estados Unidos, eles abafaram o caso e ninguém soube.
-- Mas se alguém quisesse saber sobre esse caso, teria acesso? — Bella perguntou.
-- Duvido! Mas se tivesse bons contatos, talvez! — Uriel assentiu — Bella, o que foi? Você está pálida.
O rosto de Bella estava sem cor, os lábios sofriam de um leve tremor e o coração da moça, só faltava sair do peito, era apenas um duvida... ...apenas uma teoria, mas ela precisaria de ajuda para tentar entender.
-- Uriel você ainda mexe com tecnologia? — Bella perguntou.
-- Claro! — Ela disse sem entender — Ganho a vida com isso!
-- Se importa de fazer um pequeno serviço para mim? Sem Edward saber?
-- O que está havendo, Bella? — Uriel perguntou.
-- É uma longa história! — Ela disse — Mas vou lhe contar tudo...
Contínua...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Em Maus Lençóis-- Cap 20

JUNTOS...

O sol ainda não havia nascido no céu completamente, mas já dava sinal de vida no horizonte. A morena acordou bem cedo, ela sentiu braços em volta de sua cintura e uma respiração leve contra o seu pescoço. Ela sorriu quando olhou que ele, ainda dormia profundamente, talvez perdido no mundo dos sonhos. Ela escorregou para fora de seus braços, como da última vez em que eles acordaram juntos... Mais uma vez, Bella se arrastou até ficar bem no meio das pernas dele, com delicadeza e cuidado, ela puxou a sunga dele jogando-a no chão.
A menina sorriu travessa em direção a ele que ainda dormia, parecia que estava em um sonho bom... Ela mordeu os lábios, antes de se livrar das cobertas que estava em seu caminho, e então, levou o rosto mais para baixo, aproximando a sua boca do membro do homem, que estava semi ereto.Isabella sorriu mesmo dormindo, ele ainda se mantinha animado.
Bella segurou o membro dele entre as mãos e as movimentou levemente, ela sabia que teria que ser rápida, já que Edward não demoraria muito a acordar, a bela mulher passou a língua por todo o cumprimento do jovem, dando uma atenção maior a cabeça do pau do ruivo.

Quando os olhos de Edward se abriram, ele se deparou com Isabella engolindo o seu mastro, chupando-o deliciosamente, o fazendo gemer alto. A mulher movia a cabeça para frente, engolindo o pau dele quase todo e depois movia a cabeça para trás, provocando um glorioso movimento de vai e vem, chupando e lambendo o membro dele, que estava ficando ainda mais inchado.

-- Delícia... — Edward gemeu — Essa é visão esplêndida para se ter pela manhã.
A menina sorriu e voltou a chupá-lo, usando as mãos para ajudar com os movimentos. Isabella levava muito jeito para o sexo oral, disso Edward não poderia se queixar, ela sabia exatamente com usar aquela boquinha tentadora. A menina levava jeito para coisa e o fazia com supremacia aquilo. Ele gemia alto e em bom som. O membro dele estava mais inchado e seu tesão estava cada vez maior, já que Isabella estava completamente nua com o pau dele na boca.

-- Merda! — Ele urrou e antes que Isabella entendesse a situação, Edward já havia lhe puxado e estava por cima dela. — Acho que vamos brincar um pouquinho! — Ele sussurrou em seu ouvido.
Isabella estava deitada de barriga para baixo, enquanto Edward estava deitando por cima de suas costas, ele lhe abriu as suas pernas, deixando-a levemente de quatro na cama. Isabella tinha parte de seu peso apoiado sobre os braços e joelhos. Edward estava lhe beijando o dorso em toda a sua extensão de pele, cobrindo tudo que a boca máscula encontrava pelo caminho, indo do baixo dorso até a curva do pescoço dela, Isabella sentia a ereção de Edward se esfregar contra a sua buceta, que estava melada de tanto tesão.

Isabella estava de quatro na cama, Edward lhe penetrava devagar, cada movimento sendo controlado por ele. As mãos do jovem seguravam os seios da dela, apertando, massageando enquanto ele aumentava o ritmo de suas investidas, movimentando os quadris com vigor.

O corpo de Isabella desabou sobre a cama, as investidas dele ficaram mais rápidas e o gemido dela mais alto. Edward a penetrava cada vez mais veloz, fazendo a menina gemer ainda mais, a cada impulso e a sentir cada pedacinho dele dentro dela. A boca dele devorava o pescoço cremoso dela, 

Bella sabia que se ele não tomasse cuidado, ele deixaria marcas que seriam difíceis de esconder, mas em meio ao prazer e a loucura do momento, seria impossível dizer não para ele.
Edward estava apoiado sobre os braços, os seus quadris se moviam para frente e para trás com rapidez e precisão, causando um prazer enorme não só para ele, mas também para Isabella, a menina o segurava pelas coxas, enquanto a sua buceta o apertava cada vez mais o pau dele, dificultando assim os movimentos intensos dentro dela.

-- Edward! — Ela gemeu alto apertando o pau dele dentro da buceta dela.
-- Sim, baby! — Ele gritou investindo mais forte dentro dela — Goze baby, goze!
Ele berrava ao mesmo momento em que Isabella explodia em gozo em volta do pau do rapaz pelas suas investidas. O corpo de Isabella estava sobre a cama, apenas os quadris empinados em direção a ele, que investia rudemente dentro da buceta melada, a menina levantou o corpo, segurando ele pelas coxas, ao mesmo tempo em que ele a levantava pela cintura e bombava duas vezes mais com força, gozando e gritando o nome da menina.

Edward estava vestido e de cabelos penteados, ele tinha um sorriso bobo nos lábios, enquanto Isabella saia do banheiro enrolada na toalha. Mais uma vez, eles não tomaram banho juntos.
-- Uma bela visão! — Ele afirmou sorrindo — Não se esqueça que Angel espera você para almoçar com ela, hoje!
-- Bem lembrado! — Ela assentiu — Você vai estar lá para o almoço, também?
-- Talvez! — Ele cogitou — Eu terei que resolver algo agora pela manhã, mas se conseguir sanar tudo a tempo de me juntar a você e Angel para o almoço, eu estarei lá.
-- Espero que consiga! — Bella deseja sorrindo e pegando a sua roupa para vestir.
-- Aonde vai agora pela manhã? — Edward lhe pergunta.
-- Procurar um emprego! — Ela responde naturalmente.
-- Como?!
-- Edward, eu preciso de um trabalho! — Ela argumenta — Ou você acha que as minhas contas vão se pagar sozinhas?
-- Eu posso cuida disso!
-- De jeito algum! — Ela disse vestindo a sua calcinha e sutiã — Eu tenho dois braços e duas pernas, posso muito bem me sustentar e conseguir um trabalho novo!
-- Está bem! — Ele anuiu a contragosto — Já sei que convencer você será meio difícil!
-- Completamente!
-- Mas quero ser o primeiro a ser informando, assim que conseguir um emprego.
-- Fechado! — Ela disse sorrindo — Agora, eu preciso me arrumar, o meu dia será longo...
.......................................................
Isabella não conseguiu emprego algum naquela manhã, levando em conta que três das suas sete entrevistas, foram um fracasso, porque os seus prováveis chefes deram em cima dela, na maior cara pau, as outras quatro visitas, realmente não queriam contratar a namorada de Edward Cullen, pelo visto, o nome Cullen tinha alguns problemas na hora de conseguir um emprego.
Quando ela chegou à casa do Cullen, reconheceu Paul, o motorista acenou para ele e Bella seguiu encontrando Carmem, a boa empregada e governanta da casa que lhe abriu a porta.
-- Srta. Swan! — Carmem disse com educação.
-- Carmem! — Ela cumprimentou a mulher — Eu vim para almoçar com Angel.
-- Fui informada! — Carmem disse — Por favor, me acompanhe!
Isabella entrou na casa e seguiu a governanta até área que ficava de frente para o jardim leste da casa, a mesa estava posta com quatro lugares, Isabella acreditava que era para ela, Angel, Edward e babá de Angel. Ela se recordava da moça loira da última vez, mas não saberia dizer se fosse a mesma babá da menina agora.
-- Bella! — Angel disse ao correr em sua direção. — Que bom que você chegou!
A menina abraçou Isabella pelo pescoço, perto dela havia uma bela morena, que vestia um uniforme parecido com o seu antigo. A morena retribuiu o abraço da jovem pequenina.
-- Nossa você cresceu bastante nesses últimos dias! — Bella disse sorridente para a menina.
-- Eu também achei! Mas o papai não acredita! — Ela contou — Ah sim, Bella, essa é Bree, a minha nova tutora e babá!
-- Olá! — Bella disse e a jovem forçou um sorriso.
-- Olá Srta! — Ela replicou sem vontade.
-- Pode me chamar de Bella!
-- Claro, Srta. Bella!
-- Vejo que já começaram sem mim! — Edward disse entrando e sorrindo para as duas mulheres que ocupavam espaço em sua vida.
-- Papai! — Angel gritou — Você também veio! — Ela disse quando ele a abraçou de volta.
-- Claro! — Ele exclamou — As minhas meninas lindas estão aqui, eu tinha mesmo que vir!
-- Que bom! — Ela disse sorrindo radiante.
-- Srta. Tanner! — Ele a cumprimentou, e a jovem se derreteu em sorrisos — Minha querida! — Ele disse indo em direção a sua Bella e lhe beijando levemente nos lábios. — Olá novamente!
— Se Isabella não tivesse tão perdida nos grandes olhos verdes do namorado a sua frente, ela teria visto a cara de inveja da jovem Tanner, também teria visto que Angel estava para explodir de alegria com cena que assistia.
-- Oi! — Ela disse corando.
-- Vamos almoçar! — Edward convidou — Eu estou com fome e ainda terei que voltar a empresa hoje!
-- Dia corrido! — Bella comenta.
-- Completamente, baby!
Bree não disse nada, apenas observava cada movimento do casal e da menina chatinha. Ela aceitou o emprego por dois motivos, o dinheiro era bom e o seu chefe era um homem lindo e muito galinha, além de ser solteiro, ou pelo menos, ele era solteiro, porque agora ela não tinha mais tanta certeza daquilo.
................................
-- Você virá amanhã? — Angel perguntou.
-- Amanhã não! — Edward respondeu — Amanhã a Srta. Swan me acompanhará em um evento!
-- Ah! — Ela fez beicinho.
-- Prometo que te levo para o Parque no sábado! — Isabella argumentou — Um dia só para meninas, o que acha?
-- Posso dormir na sua casa? — Ela perguntou animada.
-- Edward?! — Ela jogou para o namorando.
-- Nem me olhe! — Ele disse — Eu tenho problemas em dizer “não” para essa menina, não jogue para mim isso!
-- Por favor, por favor! — Ela disse juntando as mãozinhas e fazendo cara de cão sem dono.
-- Tudo bem! — Bella asentiu — Mas você sabe como é a minha casa... Bem simples...
-- Ela é ótima! — Angel disse animada — Oba, eu vou ter uma noite de meninas! — Ela disse eufórica e parou de repente com a dançinha da vitória, que tanto Edward quanto Bella estavam apreciando, mordendo os lábios para não ri — Só uma coisa! — Ela disse muito séria — O que é noite de meninas?
Edward explodiu em uma risada forte, Bella acabou rindo mais pelo fato da cara de perdida que a menina fazia, olhando para eles. Até que ela se zangou e cruzou os braços sobre o peito em uma posse brava.
-- Desculpe querida! — Bella disse — É que o seu pai é um babaca!
-- Hey, nem vem pra mim! — Ele disse levantando os braços em rendição.
-- Será uma noite só para garotas, no caso eu e você! — Bella disse respondendo a pergunta dela.
-- Oba! — Ela gritou novamente — Eu posso convidar Ember?
-- Quem é Ember? — Edward perguntou.
-- Minha amiga! — Ela disse sorrindo — É minha amiga da Escola.
-- Bom! — Edward disse sorrindo — Dessa vez não querida, essa noite será só você e Bella!
Ela fez bico, olhando para a morena como se pedisse ajuda para convencer o pai.
-- Querida da próxima vez, faremos a noite de meninas aqui e você poderá convidar todas as suas amigas! — Bella prometeu.
-- Oba!!!! — Ela gritou novamente.
................................
Edward deixou Isabella em casa antes de voltar para o trabalho. Quando Isabella chegou a sua casa, Ângela, a sua amiga e vizinha, estava na sua sala comendo o seu sorvete.
-- Nossa! — Ela disse olhando para a amiga.
-- Foi mau! — Ângela retrucou triste — Briguei com Ben!
-- Sério? — Ela foi sarcástica ao dizer aquilo.
-- Não quero falar sobre isso! — Ela pediu.
-- Ok! — Bella disse jogando a bolsa sobre o sofá — Mas invadir a minha casa e saquear a minha geladeira não é algo que eu goste, também.
-- Eu estava sem sorvete!
-- Ainda não é motivo!
-- Ah Bella, por favor! — Angela retruca implorativa.
-- Tudo bem! — Bella se sentou ao seu lado — Mas já te aviso que vou trocar a fechadura da minha casa!
-- Não tem problema! — Ângela arremete — Como anda o seu namoro?
-- Normal!
-- Normal é o mesmo que nada, Bella! — Ângela retruca — Eu quero mais detalhes, por favor!!!!
-- Estamos indo devagar...
-- Claro que estão! — Ângela repele com sarcasmo na voz — Você era virgem, até outro dia, no mínimo ainda estão na posição papai e mamãe...
Bella mordeu os lábios, mas analisou tudo que a amiga disse... Ok, ela tinha razão, ele fazia na posição papai e mamãe, mas eles também, já fizeram de quatro... Contudo achou melhor não dizer nada.
-- Honestamente Bella, você precisa de mais um pouco de ação...

Contínua...

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

De Olhos Bem Fechados -- Cap 19

DELEITE...

Isabella estava sentada na sala de Edward, ele havia saído e pediu que ela não saísse dali até que ele chegasse de volta. Para onde ele havia indo, ela não tinha muita certeza, porém fazia certa ideia de onde o Cullen fora parar. Já havia se passado duas horas contadas no relógio e ela já estava angustiada e nervosa.
-- Deseja um café Srta. Swan? - Sue ofereceu.
-- Não! Obrigada! - Isabella agradeceu conferindo as horas no relógio mais uma vez, e parecia que o tempo não passava. — Ele realmente não disse para onde iria? - Isabella questionou a boa senhora novamente.
-- Ele não é do tipo que dá satisfações, além do pouco necessário! - Sue informou e saiu da sala do chefe.
Alguns minutos mais tarde, a porta fora aberta, mas dessa vez, Edward entrou. Isabella o analisou de cima a baixo, reparando em cada detalhe da figura masculina a sua frente. Ele estava perfeito, inteiro e sem nenhum machucado visível.
-- Onde você esteve? - Isabella perguntou saltando da cadeira e correndo em sua direção.
-- Fique calma! - Ele disse sorrindo — Eu estou bem!
-- Onde você foi? - Ela voltou novamente perguntou, agora parada bem a sua frente.
-- Cuidando de algumas coisas! - Ele disse pegando a sua mão e a levando a boca — Fique calma, eu estou bem! - Ele disse beijando as pontas dos dedos dela.
Isabella suspirou e Edward aproveitou para puxá-la em direção a sua mesa. Ele se sentou e a colocou em seu colo, depois passou os braços em volta da sua cintura delgada da moça.
-- Como se sente? - Ele quis saber.
-- Onde você foi? - Ela voltou a perguntar, mudando de assunto.
-- Bella, por favor! - Ele apelou escorregando as mãos pelas costas da morena — Esqueça isso! Eu apenas precisei fazer algo que não dava para esperar por mais tempo...
-- Tudo bem! - Ela disse por fim se rendendo.
-- Ótimo! - Ele disse beijando a curva do pescoço cremoso — Eu tenho um pedido para lhe fazer, na verdade, é mais um convite!
Bella olhou para ele se mexendo em seu colo, não deixando de notar a ereção do jovem em sua bunda, e só aquela sensação, deixou Isabella com a calcinha molhada.
-- Quero lhe convidar para ir comigo a uma premiação na sexta! - Ele disse colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha — Na verdade, não seria justo eu receber o Prêmio de Arquiteto do ano, se a minha namorada não estiver lá ao meu lado, para me parabenizar!
-- Você ganhou o prêmio! - Ela disse sorrindo abertamente para ele.
-- Sim, eu ganhei! - Ele assentiu sem animado — De novo!
-- Metido! - Ela sussurrou sorrindo.
-- Boba! - Ele disse segurando o seu rosto e a puxando para um beijo.
.............................
Bella deixou a sala do namorado antes que as coisas fugissem do controle. Ela estava tão quente que sabia que se ficasse ali mais tempo, estaria ferrada.
Ela voltou para casa analisando todas as possibilidades que poderia seguir, já que agora não tinha mais um emprego e a sua vida estava em foco pela mídia, devido ao seu namoro com o Cullen. Ela aproveitou o dia para fazer algumas coisas que estavam atrasadas em sua casa.
Já era noite quando Edward chegou a casa dela. Ele parecia cansado, mas abriu um largo sorriso quando viu a morena. Já quem estava nervosa por demais era Isabella, após pensar durante muito tempo, se deu conta que acabou fazendo uma grande besteira quando disse aquelas coisa para Victoria. Ela não deveria ter perdido a cabeça daquela forma, ainda mais com aquela mulher, porque ela sabia que Edward estaria sempre ligado a ela, devido a pequena Angel.
-- Parece preocupada! - Edward constatou durante o jantar, Isabella estava completamente inquieta e calada.
-- Não é nada! - Ela disse mordendo um pedaço do frango.
-- O que está deixando você assim? Está estranha! - Ele disse notando que ela ficou tensa. — Vamos Bella, fale de uma vez?
-- Sinto muito por hoje de manhã! - Ela disse sussurrando sem olhar nos olhos dele.
-- O que aconteceu hoje? Do que você está falando? - Edward já nem lembrava mais do ocorrido em sua sala.
-- O modo como falei com Victoria, em sua sala! - Ela explicou mordendo os lábios nervosamente — Sei que ela é a mãe de Angel, mas é que ela...
-- Tira qualquer um do sério! - Edward completou a frase. Ele estendeu o braço sobre a pequena mesa de Isabella, levantou o rosto da namorada, tocando-a no queixo — Não tem porque se desculpar, Victoria mereceu ouvir cada palavra que você disse a ela! - Edward deu um largo sorriso, cheio da malícia que Isabella já conhecia — E sem contar, que você estava um tesão falando daquele jeito!
-- Edward! - Ela falou um pouco alto, corando fortemente.
-- o quê? É verdade! Você me deixou de pau duro! - Ele disse dando de ombros, como se fosse à coisa mais natural do mundo — E sobre Victoria, não se preocupe, ela estava errada em todos os sentidos... Apenas uma pessoa me interessa, e essa pessoa está bem na minha frente, agora! - Ele deu um leve sorriso para ela – Angel quer almoçar com você amanhã! Acho que ela quer lhe apresentar a sua nova tutora ou algo assim.
-- Ela está com uma nova tutora? - Bella perguntou interessada.
-- Sim! - Edward assentiu fazendo careta — A minha mãe foi quem contratou. Eu não entendo, ela odeia qualquer pessoa estranha que chegue naquela casa, contudo, não consegue dedicar cinco minutos de seu tempo para cuidar de Angel.
-- Talvez ela não leve tanto jeito com crianças! - Bella comenta evasiva.
-- Claro que leva! - Edward rebate — Esme Cullen era Professora quando mais nova, foi assim que ela conheceu o meu pai!
Isabella fez uma cara de surpresa, nunca lhe fora comentado algo sobre o passado de Esme, nem mesmo no curto tempo em que ela estivera na casa do Cullen.
-- Eu sei! - Edward disse suspirando — Parece incrível, mas é a mais pura verdade. A minha mãe não era rica, nem nada desse tipo, o meu pai tinha todo o dinheiro e ela foi a melhor conquista dele.
-- Ele se apaixonou por ela! - Bella entende.
-- Esposa troféu! - Edward diz fazendo careta — Sempre foi isso que a minha mãe foi para o meu pai, além de lhe dar um filho para ser o herdeiro de tudo.
-- Mas você construiu a sua própria fortuna! - Bella argumenta, até porque, toda imprensa divulgava aquilo.
-- Sim! - Edward assente — Eu não queria depender do dinheiro de meu pai para nada... Nunca achei certo o que ele fazia com a minha mãe e ainda faz.
-- Sinto muito... - Bella murmura.
-- Não é sua culpa! - Edward repele — Eu acho que a culpada maior é a minha mãe. Ela foi quem aceitou tudo isso, e por ter aceitado e ficado calada, acabou se tornando uma mulher fria e amarga.
Bella optou por não dizer algo, de certo modo, Edward tinha razão, Esme era a maior culpada por toda aquela situação, ela aceitou quieta a sua sina e aquilo só fez com que ela se magoasse.
-- Por que mora com os seus pais? - Bella pergunta.
-- Eu tinha uma casa, assim que me casei com Victoria, nós fomos morar lá! - Edward confessou com um sorriso amargo no rosto — Mas quando nos separamos, ela ficou com tudo, a casa, os carros, e uma boa quantia em dinheiro. Ela poderia ter o que quisesse de mim, porém ainda assim, nunca seria o suficiente para ela. E hoje, eu sei disso...
-- Você nunca pensou em se casar de novo? - Bella perguntou corando — Quer dizer, você sempre foi visto com belas mulheres, mas nunca apresentou ninguém como sendo a sua namorada... Você era muito jovem quando se casou... Não que você seja velho, agora... - Ela disse se enrolando com as próprias palavras, fato que o fez sorrir.
-- Não! - Ele retrucou — Tudo o que eu queria das mulheres que passaram por minha vida, era sexo, apenas isso e nada mais. Eu tive várias amantes, algumas até casadas, e outra apenas para causar raiva em algumas pessoas. - Edward disse a verdade — Eu sou um homem extremamente vingativo Isabella, e algumas vezes, eu usavam o meu bom talento para com as mulheres, como arma para afetar os seus maridos.
Bella mordeu os lábios e avaliou cada palavra dele, ele estava falando a verdade, ela sabia, porque já tinha ouvido alguns rumores sobre aquilo, até mesmo naquela festa em que ela fora com ele, às mulheres que estavam lá comentaram sobre a fama que ele tinha. Mas agora ele estava lhe contando tudo, pois ele queria que confiasse nele.
-- Casar-me não fazia parte de meus planos! - Edward confessou — Victoria conseguiu destruir tudo de bom sobre isso, já o casamento de meus pais, me ensinou muita coisa também, e então, era algo fora de minhas perspectivas, de meu desejo.
-- Por que se casou com Victoria, então? - Bella quis saber
-- Angel! - Edward disse — Eu era jovem, como você mesmo comentou, Victoria engravidou em um descuido nosso, mas o bebê não vingou! - Ele disse pensativo — Entretanto nós já estávamos casados quando ela o perdeu. Depois disso veio à primeira crise e nos separamos. Daí, depois de algum tempo, veio à primeira de muitas recaídas... E em uma dessas tantas recaídas, Angel aconteceu. Voltamos a ficar juntos, mas Victoria não era o tipo de mulher que nascera para se apegar a algo, nem mesmo a um filho, no caso Angel... Ela partiu, meses depois, deixando Angel comigo.
-- Por que mudou em relação a Victoria? Digo, você já teve várias recaídas com ela, o que garante que você não vai ter outras? - Bella perguntou chegando ao ponto em que queria. - Afinal, ela parecia bem segura sobre isso, quando me procurou na empresa em que eu trabalhava, e até mesmo hoje pela manhã em sua sala.
-- Victoria é uma vadia! - Edward disse sem o menor pudor — Tudo que ela quer é dinheiro, ou alguém rico para fuder... Ela só pensa em dinheiro, nunca pessoa alguma será o bastante para ela, sempre vai querer mais e mais dinheiro, sempre foi assim. - Ele suspira e passa as mãos pelos cabelos — Victoria acredita que tem controle sobre mim, e honestamente, ela teve durante um bom tempo, entretanto, agora existe você, e perto de Victoria, você é tudo o que eu mais quero... Isabella... Você é doce, meiga, gentil e muito gostosa! - A menina corou com o comentário dele — Perto de você, tudo o que vivi com Victoria não foi nada, a única coisa que ela me deu de bom foi Angel, não posso negar isso, mas você é perfeita, você me completa...
-- Obrigada! - Ela sussurra sem nem ao mesmo saber o porquê daquilo...
-- Está me agradecendo por amar você? - Edward inqueri sorrindo — Oh, Srta. Swan, você não precisa me agradecer, mas se desejar isso, eu posso pensar em uma maneira bem mais interessante para tal...
A morena corou fortemente com aquele comentário, o que fez com que Edward lhe desse aquele sorriso torto e safado, que ela tanto adorava e que a deixava tonta.
-- Acho melhor tirar a mesa, e lavar as louças! - Ela disse fugindo, antes que o jovem a atacasse.
.......................................................
Edward tinha planos bem interessantes para aquela noite, todavia para a sua triste, a jovem Isabella ainda estava um tanto quanto dolorida, devido ao excesso de sexo na noite passada e naquela manhã. Mesmo assim ele não desanimou, ele ainda poderia brincar um pouco como o corpo de Isabella. Quando ele começou a beijá-la na sala, a menina já sabia que se ela não o parasse, não terminariam em apenas beijos. E como ela nunca tivera muito controle sobre aquilo, decidiu não pará-lo e de fato, ela não queria mesmo parar, então deixou que ele dominasse tudo, até mesmo o seu corpo e as suas vontades.
Isabella não se deu conta de como fora parar na cama nua, enquanto Edward ainda estava completamente vestido, ele não parecia se importar nenhum pouco com aquilo. Edward a admirava com grande devoção, mordendo os lábios dela de maneira bem tentadora, o que fazia com que a menina gemesse e suspirasse de prazer.
As pernas de Isabella estavam levemente levantadas, a sua buceta estava completamente exposta para Edward, que estava de pé ao lado da cama... Os dedos longos do rapaz provocavam cada centímetro da buceta da menor, passando por seus grandes lábios e afundando os seus dois dedos dentro dela, fazendo Isabella gemer e se contorcer com toda aquela deliciosa tortura.

A menina não notou quando ele o fez, porém, só se deu conta quando já era tarde demais e Edward já estava com cabeça no meio de suas pernas, lhe chupando com vontade e desejo. Ela se sentia perdida em meio às carícias ousada do homem experiente.

Isabella tinha as pernas abertas e Edward estava com a cabeça no meio delas... Enquanto os lábios e a língua dele trabalhavam para enlouquecer a jovem, a boca dela estava aberta em “O” e ela apoiava o seu corpo em seus cotovelos, que aos poucos foram cedendo, até que ela estivesse completamente deitada na cama... As mãos de Edward ganharam vida e foram para os seios macios dela, os apertando, enquanto a boca habilidosa do rapaz trabalhava lhe dando prazer.
O corpo de Isabella ficou em um completo abandono, a boca dela estava aberta... ...gemendo em forma de “O”... Edward mantinha um ritmo constante em suas chupadas e mordidas, a menina gemia o nome dele durante o ato prazeroso... A mão do rapaz maltratou ainda mais os seios da jovem, até que ela não aguentou mais e explodiu em pleno gozo de forma desesperada na boca do ruivo.

Edward levantou o rosto ao ponto de ver Isabella corada e ofegante sobre a cama, ele lambeu os lábios e sorriu... Quando ela abriu os olhos, ele se levantou e removeu as roupas, ficando apenas com sua cueca boxer, e então, se juntou a ela na cama. Edward puxou-a para os seus abraços, aconchegou-a e lhe deu um beijo no pescoço, então ele sussurrou ao ouvido dela...
-- Hora de dormir baby!


CONTÍNUA...