Jul M

Oi

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O Casamento -- Para Todo O Sempre! -- Cap --24



"Você me quer?

Você cuida de mim?

Mesmo que eu seja uma pessoa egoísta e ruim?"
— Cazuza


Esconde,esconde!

Carlisle conseguiu fazer com que a Polícia interrogasse a todos os envolvido pela amanhã, quando estivessem todos mais calmos. Benjamim aceitou, ele era o Detetive do caso e estava tão curioso quanto todos da família Cullen para saber quem seria o verdadeiro assassino.
Já na sala de Edward, além dele próprio, se encontrava Emmett, Jasper, Carlisle, todos esperando por Isabella para saber o que de fato aconteceu.
-- Eu fui visitar Tânia! — Ela começou – Tentei fazer com que ela falasse, mas ela não disse nada, apenas foi como sempre, egoísta, além de demonstrar o quanto me odiava... — Isabella sabia que estava mentindo, mas não entraria em detalhes não sabia em que poderia realmente confiar. — Quando eu saí de lá, pedi para passar em casa e vim direto para empresa. Edward, Lion não ligo para você? Eu cronometrei cada minuto que fiquei dentro daquela cadeia falando com Tânia, eu sabia que você não demoraria a entrar naquele lugar furioso se soubesse que eu estava lá... — Ela calou e Edward estreitou os olhos em direção a morena, ele sabia que ela tinha razão — E quando eu saí, ele estava calmo demais, eu desconfie, sei lá, algo me dizia que aquilo não fosse normal, ele tinha que seguir as suas ordens... Você deveria saber onde quer que eu venha estar... Não era esse o plano?
-- Bella, eu só estava tentando manter você segura! — Ele argumentou — Você pegou a arma na minha gaveta no escritório, não foi?
-- Eu sabia da arma, já a tinha visto lá antes! — Ela confirmou — Eu não me arrependo e mataria qualquer um, se isso mantivesse você vivo!
-- Poderia me dizer uma coisa? — Edward perguntou — Como conseguiu derrubar Lion e Lana daquele jeito?
-- Charlie! — Ela disse orgulhosa — O meu pai foi um grande Policial, Edward. Você deveria saber que depois de tudo o que aconteceu comigo, ele tomaria providência...
-- Muito justo! — Edward disse e parecia cansando.
-- E quanto a Lana? Por que ela atacou você, depois de tanto tempo? — Emmett fez a pergunta que todos queriam saber.
-- Lana me culpava pela morte do pai dela! — Edward declarou.
-- Mas o Sr. Rock está vivo! — Carlisle exclamou.
-- O pai dela era outro! O Sr. Rock foi o melhor amigo do pai dela. Um Senhor discreto que não gostava de holofotes, já a filha adorava ser o centro das atenções... Então ela a tomou como filha, o Sr. Rock gosta muito do que ela representa. — Edward ficou calado por alguns segundos — Ele a adotou mesmo ela já sendo adulta. Ele a criou como filha e deu a ela o seu sobrenome.
-- Por que ela acusou você de ter matado o pai dela? — Bella instigou.
-- Quando a minha equipe roubava dinheiro para dar “aos pobres”! — Ele fez aspas com os dedos — O pai dela faliu e se matou quando viu que não havia mais saída para a sua situação.
-- Não foi sua culpa! — Ela disse em pé, indo em direção a ele.
Bella conhecia muito bem o seu marido e aquele olhar triste lhe dizia muitas coisas... Ele achava que a culpa fosse realmente dele, ele fez o que acreditou ser o certo para ele naquele momento. Claro que toda ação implica em uma reação, porém ele não foi o culpado pela morte do pai de Lana, o homem foi quem se acostumou com o luxo e surtou quando se viu pobre... Ele se matou, mas não foi Edward quem puxou o gatilho da arma...
-- Eu o empurrei para aquilo! — Edward sussurrou triste.
-- Ele fracassou! — Isabella argumentou — Ninguém morre por ficar pobre, Edward! — Ela disse, já do lado dele, segurando o rosto amado entre as mãos — Ninguém morre por isso... Ele se matou! Ele foi um fraco! Deslumbrou-se com o luxo e não conseguia ver o mundo sem o seu dinheiro... Ele só teria que ter lutado... Se ele havia conseguido erguer uma fortuna antes, conseguiria outra vez de certo... — Bella o beijou nos lábios — Você não fez nada, não tem porque se sentir culpado.
-- Leve-o para casa, Isabella! — Carlisle interveio — Tyler está lá embaixo e Erick espera por vocês na sua casa. Esme está com Tony e Nessie!
-- Vamos sim! — Ela disse pegando a mão do marido — E obrigada por tudo!
-- Edward, amanhã você terá que ir até a Delegacia para prestar o seu depoimento... Você também Isabella! O Advogado já estará lá esperando por vocês.
-- Obrigado pai! — Edward agradeceu — Emmett, nós nos falaremos depois...
-- Certo!
...............................................
A noite passou como um borrão, o depoimento de Isabella e Edward foi desconcertante... Era impossível não ficar frustrado com o rumo que tudo estava se passando. Lana era uma ré primária e o seu Advogado conseguiu fazer com que ela respondesse todo o processo em liberdade, mas sem o direito de sair da cidade ou do país. A morena conseguira alegar que tivera uma crise emocional e que por isso havia perdido o controle sobre si, e sabem-se lá quantas mais mentiras ela havia contado.
Isabella saiu da Delegacia bufando de raiva, agora ela tinha duas certezas, Lana era uma puta cachorra esperta, mas ela não era uma criminosa...
Isabella estava deitada no sofá. Edward passara as últimas horas, trancafiado juntamente a Emmett em seu escritório. Ela sabia que uma hora ou outra, ela teria que falar sobre a carta de Tânia e perguntar ao marido a respeito de algumas coisas que Tânia mencionara...
Nessie dormia no quarto e Tony estava brincando no chão.
-- Então, amanhã veremos isso! — Edward disse levando Emmett até a porta — Não comente nada!
-- Pode deixar! — Emmett disse olhando por cima dos ombros — Até mais, Bells!
Edward fechou a porta, seguindo em direção a sala, onde a esposa e filho se encontravam, ele ficou parado na soleira da porta observando Tony brincar no chão.
-- Não está na hora de dormir, Tony? — Edward perguntou.
-- Só mais pouquinho, papai! — Ele pediu dando o seu melhor sorriso.
-- Deixa-o! — Isabella disse piscando os olhos algumas vezes – Sente-se aqui comigo!
Edward deu um largo sorriso, seria impossível que algum dia ele pudesse dizer “não” a ela, ainda mais pedido com tanto carinho assim. Ele se sentou ao lado da jovem, e ela se encolheu em seus braços.
-- Como andam as coisas? — Ela perguntou e os seus olhos permaneceram fechados.
-- Devagar, mas caminhando! — Edward disse beijando os cabelos da jovem esposa — Não se preocupe com isso, você e as crianças estarão sempre seguros.
-- Eu estou preocupada com você!
-- Bells, vamos falar sobre isso depois! — Ele disse olhando para o menino no chão.
-- Ele está em seu mundinho, querido! Ele não vai ouvir nada! — Isabella afirmou.
Edward não disse nada, apenas ficou abraçado com a esposa no sofá, quando deu à hora, Tony pegou no sono no chão mesmo. Edward levou o menino para cama e Isabella foi para o quarto do casal, a noite estava fria e as coisas não andavam nada bem...
................................
Tony brincava no escritório do pai, no sábado pela manhã com o seu carrinho, bagunçando as coisas do pai dele... Bella estava na cozinha. Rosa e Sue estavam de folga naquele dia. Edward precisou ir à casa de seu pai. Isabella sabia que ele a estava deixando de fora de tudo.
Isabella estava levando um lanche para o filho. No exato momento em que ela entrou no escritório, Tony deixou cair uma pasta do pai que estava sobre a mesa. Eram algumas fotos que foram parar no chão. Os olhos do menino se arregalaram e ele ficou nervoso.
-- Desculpe mamãe, desculpe foi sem querer! — Ele disse assustado.
-- Hey! — Ela disse dando um sorriso lindo para acalmar o menino — Vamos apenas juntar tudo e colocar de volta no lugar, ok? — Bella sorriu para a criança — Papai nem vai saber que mechemos aqui.
-- Não vai dizer nada para ele? —Tony perguntou ansioso.
-- Será o nosso pequeno segredo!
Isabella colocou a bandeja sobre a mesa e se abaixou para ajudar o menino a recolher as fotos.
-- Eu conheço essa mulher! — Tony disse apontando para a mulher que nem Isabella sabia quem fosse.
-- Como assim você a conhece? — Isabella perguntou com curiosidade – De onde você conhece essa mulher, Tony?
-- Mamãe, ela sempre está perto da Escola! — Tony disse com inocência — Sempre a vejo com uma câmera nas mãos, e ela sempre está tirando fotos. Eu acho que ela trabalha como fotografa!
-- Só a viu na Escola? — Isabella perguntou, mas já suspeitando que não.
-- Não, na verdade, não! —Tony disse sorrindo — Vi-a uma vez no parque quando a Sra. Rosa nos levou lá! Nessie estava junto comigo.
-- Tony, aonde mais você chegou a ver essa mulher? — Perguntou já deveras preocupada, mas procurando disfarçar para que o filho não percebesse.
-- Na empresa do papai! — Tony disse animado — Da última vez em que estive lá, quando saímos do médico. A senhora levou a gente lá, ela também estava lá.
-- Em algum outro lugar, você chegou a vê-la também?
-- Não mamãe, eu acho que foi só nesses lugares! — Ele completou sorrindo.
-- Você reconhece mais alguém nessas fotos?
-- Essa aqui! — Ele apontou para uma loira – Eu a vi duas vezes, mamãe! Uma quando o papai foi me buscar no Clube e a outra quando sairmos para jantar fora na semana passada, ela estava no mesmo restaurante que a gente!
-- Ela estava sozinha? — Bella perguntou.
-- Não! — Ele disse enrugando a testa igual ao pai — Ela estava acompanhada por alguém, um homem, eu não me lembro como ele era... Posso lanchar agora?
-- Oh, mas é claro, querido! — Isabella assentiu dando um sorriso e pegando as fotos, guardando-as no bolso de trás de suas calças — Vamos lá para fora, papai está para chegar e acho que ele não vai gostar dessa bagunça aqui, querido.
-- Tudo bem! — Ele diz comendo um pedaço grande de bolo — Eu vou poder brincar no jardim?
-- Claro, eu vou com você!
.....................................
Já era noite quando Edward chegou a sua casa, ele ligara avisando que não almoçaria em casa. Isabella passou o dia com os filhos na piscina, brincando com eles. Quando Edward chegou, tanto Tony quando Nessie, já estavam na cama. A bela morena estava na sala sentada assistindo a TV, ela usava uma camisola vermelha e os seus pés estavam descalços.
-- Oi! - Edward disse parando a porta — Onde estão as crianças?
-- Dormindo!
-- Já? Ainda é cedo? O que aconteceu? - Ele perguntou entrando na sala e tirando o casaco, ficando apenas com uma camisa de manga, na cor cinza.
-- Passamos o dia na piscina! — Isabella replicou — Eles estavam deveras cansados!
Os olhos de Edward passaram pela mulher, boa parte de suas pernas estava à mostra, assim com o decote da camisola que deixava os seios da morena, bem volumosos e a vista... Ele passou a língua pelos lábios, mas congelou quando viu certas fotos sobre a mesa de centro.
-- Onde você conseguiu essas fotos? — Ele perguntou tomando cuidado com as palavras, pois só então entendeu o que se passava ali.
-- Eu tenho apenas uma pergunta para você! — Isabella disse olhando para o marido de uma maneira quase assassina — Quem são essas mulheres?
-- Bells, você não deveria ter mexido nas minhas coisas...
-- Não fui eu! — Ela replicou — Tony as derrubou, sem querer, hoje de sua mesa!
-- Não é nada do que você está pensando!
-- É o que eu estou pensando?
-- Bella!
-- Edward!
-- Não quero você metida nisso!
Se Edward tivesse pensando melhor, ele teria usado outras palavras, ao invés daquelas que havia usado.
-- Não quer me ter nisso? — Ela gritou — Tony viu essas duas vadias! Edward essa aqui... — Ela apontou para a morena da foto — Está cercando a Escola dele, e pela sua cara de choque, devo acreditar que não tinha nada a ver com segurança!
Edward estava pálido, ele nunca pensou que Tony tivesse visto aquelas mulheres que ele e Emmett estiveram investigando.
-- Essa outra aqui, ela estava no mesmo restaurante que a gente na semana passada e não estava sozinha! — Bella estava furiosa — Então, eu acho bom você abrir a porra dessa boca, ou eu juro que você vai se mudar para o sofá ou para o quarto de hóspedes!
Edward passou as mãos pelo cabelo nervosamente, não havia mais como esconder nada, ou pelo menos, algo em relação aquelas duas mulheres.
-- A morena é Bree Tanner! — Ele começou — Ela estava seguindo os nossos filhos já fazia um bom tempo. Erick está na cola dela, há algum tempo, também! — Isabella tinha os olhos arregalados em surpresa — E a outra se chama Lucy Moon, ela estava vigiando a gente.
A boca de Isabella ficou seca, e o seu corpo tremeu de raiva, então Tânia tinha razão, quem quer que fosse o assassino, o alvo sempre foi Edward!

Contínua...

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

De Olhos Fechados -- Cap 18

ENTRANDO NOS EIXOS...

Isabella desenhava um caminho imaginário no peito nu de Edward, os seus dedos subiam e desciam com precisão no entorno da escultura humana perfeita. A boca de Edward estava próxima ao rosto de Isabella, ao qual enchia de beijinhos sempre que ela refazia o caminho em seu peito.

-- Como está se sentindo? - Ele perguntou com carinho e preocupação.
-- Cansada! - Ela sussurrou meio sonolenta — Mas satisfeita!
-- Sente alguma dor? - Ele quis saber.
-- Edward! - Ela disse corando em sussurro baixo, com medo de gritar.
-- Só quero cuidar de você! - Ele disse solicito.
-- Então me coloque para dormir! - Ela disse dando um sorriso bobo para ele.
-- Tudo bem! - Ele respondeu - Amanhã veremos o seu estado... Agora descanse minha Bella...
Edward a puxou para o seu peito, deitando de ladinho a ela, passando os braços em volta da cintura delgada da morena. E dessa forma, Isabella dormiu, caindo em um sono profundo nos braços do namorado.

........................
Isabella acordou em meio aos braços e as pernas de Edward, ele dormia calmamente ao seu lado. Isabella sorriu ao sentir a sua semi-ereção roçava em sua bunda, a menina girou na cama, ficando sobre os cotovelos, meramente o observando dormir calmamente, ele parecia um belo anjo, contudo ela sabia que era só a aparência... Com um sorriso travesso, ela achou que era mais do que hora de colocar em prática tudo o que a sua amiga Ângela lhe ensinara sobre sexo oral, e ela estava louca para ver a reação de Edward, além disso, ela queria acordá-lo de uma maneira diferente.
Ela trilhou um caminho de beijos pelo corpo dele, passando do peitoral forte para a barriga definida do namorado, descendo mais um pouco, até ficar com o rosto entre as suas pernas e com a bunda arrebitada... Então, ela pegou o membro dele nas mãos e começou movimentá-lo, ele já estava semi-ereto e rapidamente ficou completamente duro feito pedra. Ele ainda tinha os olhos fechado, todavia a sua respiração começava a mudar... Isabella curvou a cabeça para frente, e então, o colocou na boca... Sugava a cabeça do pau dele com gosto, movimentando as mãos no resto do comprimento do rapaz... 

Isabella acordou Edward, ele gemeu e rosnou ao mesmo tempo, então ela olhou para cima, para o ver ofegante e lhe encarado meio surpreso, meio animado...
Fitando os olhos do rapaz, ela passou a língua por todo o pau do ruivo, lhe chupando o pré-gozo que começava a sair da cabeça inchada do membro delicioso...

-- Merda! - Ele disse gemendo com aquela visão da morena.
-- Bom dia! - Ela sussurrou com a face vermelha.
-- Ótimo dia! - Ele disse puxando ela para cima dele.
..........................................
Isabella estava deitada de costas na cama. Edward estava sobre a moça, às pernas de Isabella estavam envoltas a cintura dele, mas não estavam presas em sua volta. Edward estava sobre os seus joelhos e o corpo caído por cima de Isabella, lhe beijando, enquanto movia as suas mãos, prendendo a moça sobre cama, e ao mesmo tempo, lhe penetrando. O gemido de Isabella era abafado pela boca dele, assim como o dele pela dela.

 Ambos estavam em uma grande sintonia naquela manhã, quando Edward girou com Isabella na cama, colocando-a de ladinho, coladinha ao seu corpo, enquanto voltava a lhe penetrar. Mas para a surpresa dele, Isabella também passou a mexer os seus quadris de encontro aos dele, lhe causando mais tesão ainda, ambos se perderam no momento.

A boca de Edward explorou cada parte do pescoço de Isabella, e então Isabella explodiu quando já era tudo demais para que ela suportasse... Alguns segundos depois, Edward mais uma vez enchia a camisinha com o seu gozo, a sua libertação.
............................................
Isabella saiu do banheiro secado os cabelos e com uma toalha ao redor no corpo. Edward já estava vestido, ele tomou banho primeiro e ela não foi junto com ele, porque sabia como terminaria, ele ainda não estava saciado e ela ainda queria mais, bem mais dele.
-- Podemos tomar café no caminho! - Edward sugeriu dando um nó na gravata, em frente ao espelho
-- Não sei! - Ela replicou — Eu posso fazer café para a gente agora!
-- Não, tomamos no caminho!
-- Você não vai a sua casa? - Ela perguntou — Digo, essa roupa... Você usou ontem para trabalhar, não acha que...
-- Eu tenho roupas no escritório! - Ele comunicou virando e caminhando até ela — Tem certeza que não quer ligar para o seu trabalho e dizer que está doente? Podemos passar o dia todo na cama! - Ele lhe beijou o queixo e desceu para o pescoço — Eu posso levá-la a ver estrelas novamente, Srta. Swan!
-- Edward! - Ela disse sorrindo e o empurrando — Eu tenho que ir trabalha, já não voltei ontem à tarde!
-- Você é a maior estraga festas! - Ele disse fazendo um becinho irresistível.
...............................
Edward deixou Isabella na empresa em que ela trabalhava e seguiu para a sua, devido ao horário, Edward chegou cedo e seguiu direto para a sua sala, lá, ele trocou de roupas, vestindo algo limpo. Assim que ele se sentou à mesa, ele estava completamente feliz, ele havia tido a morena em seus braços no dia anterior, a noite foi a mais incrível de sua vida e hoje pela manhã, ele acordou da melhor maneira possível que um homem pudesse ser despertado...
-- Bom dia! - Sue disse ao entrar — Chegou cedo! Aqui está a sua agenda para hoje! - Ela comunicou — O Recital de Balé de Angel e no sábado.
-- Hoje ainda é terça! - Edward disse.
-- Eu sei! - Ela anuiu — Mas acho que será bom ir lembrando você todos os dias!
-- Obrigado Sue! - Ele agradeceu — Espero ver você lá.
-- Claro! - Ela disse sorrindo — A linda menina merece ter todos nós por lá.
-- Merece sim!
-- Bem, me deixe voltar para o meu posto!
Sue caminhou em direção a saída da sala, mas foi brutamente empurrada para o lado por um furacão ruivo que parecia nem ter lhe visto.
-- O que está pensando? - Victoria gritou do meio da sala do ex-marido, caminhando ainda mais em sua direção.
-- Senhor! - Sue exclamou sem saber o que fazer.
-- Pode deixar Sue! - Edward disse calmo, nada estragaria o seu dia, nem mesmo Victoria e as suas loucuras - Eu cuido disso!
Sue saiu e foi o tempo exato de Victoria parar em frente a sua mesa, com as mãos aberta sobre madeira, o decote farto a mostrado para o ex-marido.
-- Quem você pensa que é para falar comigo assim? - Edward perguntou em um tom frio e calculista.
-- Eu sou a sua esposa! — Ela gritou.
-- Ex-esposa Victoria, você perdeu esse titulo quando me abandou por uma aventura qualquer!
-- Não seja ridículo! — Ela replicou — Já falamos sobre isso Edward querido, eu apenas não gosto de me sentir presa!
-- Bem, agora você está livre! — Ele afirmou seguro — E agora, saia de minha sala, não acredito que tenhamos algo para conversar, a não ser que queira falar de nossa filha Angel.
-- Você acha mesmo que essa garotinha será perfeita para você? — Victoria começou a falar — Ela não passa de uma menina, uma menininha Edward Cullen! Você está fudendo uma adolescente! — Ela gritou furiosa.
-- Se você não melhorar os seus modos, eu vou chamar a segurança! — Ele avisou ainda em um tom frio e um olhar assustador.
-- Você acha o quê? — Victoria replicou — Já sabemos o final dessa história Edward, você já tentou seguir em frente e sabemos como terminou.
-- Qual é o seu problema Victoria? Saber que estou feliz? Ou saber que ela tem menos idade que você? - Edward pergunta com cinismo — Isso deve está matando você por dentro, saber que ela bem é bem mais jovem, e devo acrescentar ainda, bem mais gostosa do que você!
-- Cretino! — A marca da mão dela ficou na cara dele — Ela é só mais uma aventura sua, como sempre foi e como sempre será, igual a todas as outras, porque no final será sempre a mim que você ama. E sabe disso!
-- Se um dia eu te amei, nesse dia eu estava louco! — Edward retrucou com ódio — Você só me deu uma única coisa boa, que foi Angel.
-- Quero ver você dizer isso para mim, enquanto eu estiver com o seu pau em minha boca! —Victoria provocou.
-- Oh querida, se eu fosse você não faria isso! — A voz de Isabella ecoou atrás da mulher — Eu juro que se tentar isso, eu arranco dente por dente de sua boca, se tentar pelo menos chegar perto do meu namorado novamente!
Victoria ficou pálida, a morena estava parada a poucos metros dela. Isabella usava um vestido azul tubinho e sapatos de saltos finos na cor preta. Edward passou a manhã toda se controlando para não trepar com ela em cima da mesa da casa dela, e agora estava bem difícil para ele se controlar...
-- Victoria! — Edward disse com um sorriso de canto, debochado nos lábios — Acho que você ainda não conhece a minha namorada, Isabella!
-- Oh, querido! — Isabella teatralizou — Ela conhece sim, ela sabia disso ontem, quando me encontrou na recepção.
-- Você procurou a minha namorada? - Edward argüiu ficando de pé e olhando mais feio ainda para Victoria
-- Eu precisava ver quem era “essazinha”! — Victoria assentiu.
-- Não! Você precisava esfregar na minha cara, que no final de tudo, Edward amava você e voltaria para você! — Isabella disse mantendo a pose e caminhando em direção a ela. — Agora será a minha vez de falar. E você Victoria, vai ficar calada e me ouvir.
Edward pensou em dizer algo, aquela briga não era de Isabella, mas tinha que confessar a si mesmo, a mulher estava o maior tesão com toda aquela postura de mandona.
-- Você não passa de uma vadia barata que abre as pernas para quem pagar mais! — Isabella disse e os olhos da ruiva ficaram ainda maiores — Deixe eu lhe avisar sobre algo, fique longe do meu namorado, eu não tenho medo de você, mas juro que não me custará nada enfiar a mão na sua cara! Fique longe dele! Você não é bem vinda aqui, e muito menos na casa dele. Você tem sorte de ter uma filha linda com Angel, mas você é burra demais para notar isso, porque está mais preocupada em ficar bela com tantas cirurgias plásticas e está perdendo a chance de ser mãe. Não adianta, por mais que tente fugir, o tempo e a idade vão ser inevitáveis.
-- Sua...
-- Sua o quê? — Isabella perguntou — A verdade dói? Lamento, mas não consigo dizer essas coisas de outra forma. Agora já sabe, fique longe de meu namorado, ou eu juro que quebro essa carinha de porcelana que você tem sem a menor culpa.
-- Está vendo Edward! — Victoria gritou fingindo estar ofendida — É com “essazinha” que você está se envolvido? Com esse projeto de mafiosa!
-- Victoria! — Edward grunhiu como forma de aviso — Você não é bem vinda aqui!
-- A porta da rua é a serventia da casa! — Isabella declarou — Quer que eu lhe mostre o caminho?
-- Isso não vai ficar assim! - Victoria disse segurando a sua bolsa contra o corpo.
-- Não querida! — Isabella revidou com raiva — Vai ficar bem pior, se você chegar perto dele de novo, vou esquecer que você é uma senhora de idade e vou partir a sua cara em duas!
A face de Victoria era de puro susto e choque.
Emmett estava parado a poucos passos atrás de Isabella, mordendo os lábios para não gargalhar. Emmett saiu da frente, deixando Victoria passar furiosa por ele através da porta.
-- Bem, acho que ela vai ter muito em o que pensar! — Emmett disse sorrindo abertamente — Eu volto depois, acredito que vocês dois queiram conversar.
Nem Edward e nem Isabella ligaram muito para o comentário de Emmett, ambos estavam se encarando.
-- Por que está aqui? — Edward perguntou dando um leve sorriso.
-- Eu fui demitida! — Ela disse frustrada — O cretino do meu chefe, filho da puta e bastardo, me demitiu! — A boca de Isabella estava ligeiramente “doce” naquela manhã e era algo agradável de ver, já que a jovem era sempre certinha demais. — Ele me demitiu só porque não voltei ontem à tarde para trabalhar! — Ela bufou andando na direção da mesa dele.
-- Sinto muito! — Edward disse feliz por ela não estar mais lá.
-- Pois eu não sinto! - Ela meio que gritou — Aquele filho da puta queria que eu pagasse a minha falta “prestando” alguns “favores”! — Edward não deixou de notar as aspas nos dedos de Isabella, quando ela falou “prestando” e “favores”, o que deixou o jovem tenso e com ódio.
-- Ele queria exatamente o quê? — A pergunta saiu entre os dentes dele e Isabella então se deu conta que fizera uma grande merda.
-- Edward está tudo bem! - Ela disse notando o ódio nos olhos do namorado — Eu o mandei se ferrar, com todas as palavras que tinha direito, e saí batendo a porta.
-- Isso ainda não alivia a minha raiva!
-- Eu estou bem e isso é o que importa! - Ela sussurrou...
-- Não, Isabella! - Edward disse analisando a situação toda – James Bloom vai saber que tentar pegar o que é meu não e assim tão fácil! Ninguém sair por cima depois disso...
A menina pensou em questionar, mas o olhar do namorado dizia que aquele seria o momento de ficar quietinha, até porque, ela já tinha descontado toda a sua ira em cima de Victoria, naquela manhã, e se era para começar um briga com Edward, seria por um motivo válido, e não por causa de um babaca, idiota que se achava o rei do mundo...


Continua...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

O Casamento -- Para Todo Sempre -- Cap 23



O INÍCIO DO FIM...

Isabella estava no quarto de Tony, o colocando para dormir, enquanto Edward e Emmett tentavam descobrir quem poderia ter mandando o novo envelope para Bella. A pergunta é por que Isabella? Edward odiava a idéia de sua esposa ser machucada, ou estar passando por aquilo. Enquanto ele tentava resolver a situação, Isabella estava com Tony em seus braços, ela contava uma história de Roma antiga para o menino. Ele dormiu ouvindo a voz da mãe, a única que ele conheceu e reconhece como mãe. Quando Tony dormiu, Isabella saiu do quarto, deixando a luz do abajur ligado, seguiu para o quarto de Nessie, a menina dormia calmamente. Bella não conseguia imaginar alguém machucando as suas crianças, ela não iria permitir que isso acontecesse.
...............
Quando o sol nasceu naquela sexta-feira, Isabella já estava de pé. Carlisle conseguiu convencer Edward que tirar Isabella do país com as crianças não iria facilitar em nada a vida dela, ao contrario, poderia até ser pior. Isabella era pessoa pública era a esposa de um Cullen e todos sabiam disso, para qualquer lugar que ela fosse, corria o risco de alguém reconhecê-la por ser ela a Senhora Cullen.
-- Bom dia amor! — Edward disse saindo do banheiro e Isabella já estava pronta.
-- Bom dia! — Ela respondeu — Tony está indo para casa de seu pai, ele só volta na próxima segunda!
-- Eu sei! — Edward assentiu — O meu pai me avisou ontem à noite.
-- Que bom! — Isabella disse indo até ele e dando um beijo leve nos lábios — Eu preciso de um carro hoje, eu vou ver o meu pai, ele viajará amanhã!
-- Lion poderá levar você! - Edward pontuou.
-- Edward, por favor! - Isabella replicou — Eu só quero dirigir até a casa de meu pai, para poder me despedir dele como uma pessoa normal!
-- Você poderá dirigir o seu carro, mas Lion vai seguindo você em outro carro! — Edward arrematou.
- Tudo bem! — Ela sorriu — Eu amo você!
Ela saiu rebolando naquele vestido azul que deixava Edward totalmente maluco, só em vê-la dentro dele... Isabella arrumou as pequenas malas de Tony e seguiu para o quarto de Nessie, lá ela mesma deu um banho na menina e sorriu deu a mamadeira para a filha.
-- Rosa, qualquer problema me ligue, por favor! — Isabella pediu — Edward, eu te vejo na empresa mais tarde!
-- Tudo bem! — Ele disse sorrido — Hei querida, não está esquecendo de nada?
-- Estou? — Isabella disse e Edward gesticulou apontando para os lábios — Oh claro!
Ela caminhou em direção a ele e lhe beijou, um beijo simples, mas que Edward tornou mais quente do que deveria...
-- Eu vou comer você em cima de minha mesa, usando esse vestido! — Ele sussurrou ao ouvido dela. E claro, que Isabella corou fortemente.
................................
Tânia ficou surpresa quando encontrou Isabella na sala de visitas. A bela loira estava usando um uniforme da cadeia, a cor laranja não lhe caia bem. Os cabelos dourados, já não eram mais os mesmos, a pele dela não era nada como a de um bebê, ela estava acabada, a irmã de Bella nem se parecia com aquela que foi um dia, e não podia ser diferente, ela estava presa.
-- Lembrou-se dos pobres, irmãzinha? — Ela disse se sentando na cadeira — Ou veio esfregar em minha cara a sua grande vitória?
-- Nada disso! - Isabella disse olhando para Tânia que nem parecia a mulher linda que sempre foi — Eu preciso de sua ajuda.
A gargalhada da loira foi alta e intensa, ela ria como louca, era impossível de se acredita que Bella estivesse lhe pedindo aquilo.
-- Odeio você, irmãzinha! Por que acha que eu iria ajudar você? - Tânia ironizou.
-- Por que você nunca fez nada por mim! - Isabella disse — Você me deixou sozinha, quando poderia ter me protegido do Newton. Você zombava de mim quando deveria ser a primeira a me defender! - Isabella olhou com ódio para a loira — Então, pelo menos uma vez em sua vida, haja como se fosse a minha irmã e me ajude.
Tânia ouviu cada palavra da irmã, e claro, que cada uma lhe atingiu como se fosse uma tapa forte na cara dela. Mas nada ela disse, nem uma palavra ela emitiu.
-- Alguém ainda está mandando cartas anônimas para mim! - Isabella confessou.
-- Mais um babaca que é a fim de você! - Tânia disse — Eu nunca entendi o porquê deles olharem para uma coisa sem graça como você!
-- Não são cartas de amor! - Isabella explicou — Na primeira carta veio com uma foto de Edward e outras mulheres, e no final havia mensagem que dizia assim: “Ele vai largar você assim como fez com as outras!” - Isabella disse e ela não tinha certeza se Tania saberia de alguma coisa. — Na segunda, havia fotos minhas, no dia em que Mike e os seus amigos me levaram para aquela maldita floresta, me humilharam, e depois que todos foram embora, Mike voltou e abusou de mim. Tânia, você sabia de tudo e nunca fez nada! - Ela gritou e controlou as lágrimas que queriam jorrar pela sua face.
-- Ele disse que amava você! - Tânia sussurrou.
-- Amava? Ele me amava? Como ele poderia me amar se ele só me machucava! Que amor era aquela? - Ela perguntou revoltada.
-- Eu sei! - Tânia gritou — Mas o papai só tinha olhos para você! Você se parecia cada dia mais com ele. Eu tinha ciúmes, ele nunca olhou para mim do jeito que olhava para você, nunca... — Os gritos da loira ecoaram pela sala — Mike era um idiota, contudo ele jurou que amava você, e depois que as coisas fugiram ao controle, eu ameacei contar, todavia ele disse que contaria para os nossos pais sobre o meu caso com Professor de Física, ele tinha fotos e tudo mais, eu fique calada...
-- Sempre pensado em você! – Bella acusou — Bem a sua cara!
-- Quantas cartas você recebeu? - Tânia perguntou — E quando começou as receber?
-- Já faz quase um mês desde a primeira! - Isabella disse olhando para a irmã — A segunda já deve ter umas duas semana e a terceira chegou ontem com umas fotos antigas minhas, e das crianças.
-- Que dia é hoje? - Tânia perguntou.
-- Por quê? - Isabella indagou.
-- Que dia é hoje?
-- 26 de agosto, Tânia! Qual é a importância disso?
-- Está próximo! — Tânia disse chegando mais para frente o seu rosto — Todos os lugares têm ouvido. Isabela... Aqui eu não posso falar, mas você tem razão, eu nunca fui a sua irmã, nunca me importei em ser! Eu estou sendo condenada, não tem jeito... Eu vou passar um bom tempo aqui e se eu não morrer antes, então faça um favor para mim... VÁ SE LASCAR! VOCÊ E O SEU MARIDO BASTADO COM AQUELES FILHOS DE MERDA, QUE VOCÊS TÊM!
Os olhos de Isabella se arregalaram, mas Tânia havia colocado um pedaço de papel nas mãos dela, antes de gritar aquelas palavras.
-- Guarda, Guarda! — Tânia gritou já ficando de pé, não quero mais ficar ali — Essa mulher me dar ânsia de vômito!
Isabella apertou o papel em suas mãos, ela viu Tânia ser retirada da sala e o Guarda voltar um pouco depois para acompanhá-la até a saída.
...............
Já dentro do carro, Lion estava a esperando. Isabella entrou sorrindo para o segurança e discretamente pegou uma pasta preta com alguns documentos e cobriu o rosto. Ela pegou o papel que Tânia lhe havia dado na cadeia. E com cuidado, como se tivesse lendo algum contrato, ela abriu aos poucos o papel, que continha a caligrafia da irmã, era uma carta de Tânia, uma carta escrita por ela de próprio punho.
Isabella, eu sei que nunca vai me perdoar, e nem espero que o faça! Não quero a sua compaixão! Eu odeio isso em você e nunca escondi... Eu odiava você porque o papai sempre te amou, mesmo eu tendo todo o amor de mamãe para mim, nunca foi o bastante. Eu sentia inveja de você. Para mim você era nada, além de uma coisinha sem graça e sem sal. Você que nunca sequer sentiu raiva de mim, logo você não era nada comparado a mim. Mas sim, eu tinha raiva, ciúmes e inveja de você, todavia, agora eu estou perdida, ninguém pode me ajudar, eu fui condenada e não sairei daqui viva, eu sei e você saberá o porquê de tudo isso...
Quando mais nova, a primeira vez em que estive em NY, eu vi Edward Cullen, ele até chegou a sorrir para mim, mas ele estava com Maggie... Ela roubou toda atenção dele que deu a ela o seu coração, se em algum momento, eu tive uma chance com ele, todas se perderam por causa de Maggie... Só alguns anos depois, eu descobri que eles eram um caso antigo de idas e vindas, então tive a certeza que nunca teria chances com ele. Foi quando conheci Felix Volturi, nunca encontrei um homem tão bom de foda como ele. A gente tinha algumas coisas em comum, ambos odiávamos Edward Cullen, eu pelo seu desprezo, Felix porque Edward roubou a única mulher que ele amou em toda a sua vida, Maggie! O ódio vem do amor irmãzinha, ou o amor vem do ódio, você sempre tem escolhas, eu fiz a minha, preferi odiar Edward Cullen.
Eu nunca fui uma boa irmã, eu sei! Mike era um bastado, mas ele me chantageou, lamento, entre mim e você, sempre me escolherei irmãzinha, por isso não abri a boca sobre ele, até que papai descobriu, eu lamento ainda mais a mamãe ter aceitado o dinheiro para ficar calada, você merecia um vida chata e pacata, cercada por filhos, em uma casa de campo, com cachorro e alguns animais, talvez cavalos, seria bem a sua cara, então você iria envelhecer ao lado de seu marido. Entretanto, tudo mudou! Você saiu da cidade, seguiu em frente, se formou e foi trabalhar na Cullen publicidade, ironia ou não, o destino é traiçoeiro ao tempo.
Edward com toda a certeza, seria a melhor transa que eu nunca terei, então irmãzinha, vai aqui algo que você deve desejar saber. Primeiro Edward viu você na Faculdade, no dia em que defendeu a sua tese, como eu sei? Eu também estava lá, eu fui com o papai, mas assim que vi Edward, quis tentar outra aproximação, porém senti uma grande raiva e surpresa quando vi o modo como ele olhava para você. Logo quem? Você! A garota mais esquisita da Faculdade! Feia, desarrumada e com óculos estranho, sabe o que era mais irônico? Ele gostava do que via... Cada célula do corpo dele vibrava! Como eu sei? Ele olhava para você como papai olhava naquele mesmo momento, com admiração... Então quando você saiu do palco e foi com papai e os seus amigos NERD comemorar, ele foi até o seu professor e perguntou tudo o que podia sobre você. Quando você ligou para dizer que tinha um emprego na empresa dele, eu juntei as coisas, ele apenas se informou e deve ter feito algo para colocar você lá. A minha pergunta era por que daquilo? E principalmente por que, você?
Bella, Bella, eu nunca apareci para você, mas estive ao seu lado o tempo todo, durante os seus primeiros anos na empresa, sempre te acompanhava de longe, e claro, com a ajudinha de Felix que não sabia que você era minha, até o momento de seu casamento. Mas antes disso, eu tenho que dizer que o seu adorável marido, seguia cada passo seu, cada movimento, ele sabia tudo ao seu respeito. E quando a proposta de casamento veio, eu fique furiosa, e me perguntando o porquê de ter que ser você! Felix disse que o pai dele só daria a Presidência se ele se casasse, então juntei as coisas. Contudo, durante todo o noivado, e todo o tempo, ele parecia realmente estar apaixonado por você. Você não notou isso porque você não acreditava que alguém como ele pudesse amar você, e acredite irmãzinha, nem eu! Mas ele estava a cada dia mais apaixonado, cada dia mais louco por você, e você nem notava isso. Não sei o que mudou, mas ele conseguiu conquistar você... E você definitivamente a ele! Talvez ele seja um louco, ou tenha problemas, porque eu ainda acho você muito feia, minha irmãzinha...
Ah, em sua lua de mel, eu estive lá a mando de Felix!
Você deve estar se perguntando como tudo aconteceu... Pois bem, eu vou lhe contar... Quando o seu marido era um criminoso, ele roubou dinheiro de um homem importante, muito conhecido, a soma que ele roubou foi o bastante para quebrar esse homem milionário... O homem havia feito um mau negócio e isso acabou com ele. Edward ajudou de certo modo, ao homem se matar... Isabella o homem rico se matou, ele não queria viver na miséria. Então, ele deu um tiro na própria cabeça e morreu, porém ele deixou muitos familiares... Familiares que lutaram contra a falência e conseguiram continuarem ricos, pessoas que acumularam ódio e desejo de vingança, então me diga se você queria um motivo para tudo, eis o motivo...
Lamento muito irmãzinha, mas o seu marido é o único culpado! ELE não vai parar até que Edward perca tudo! Então o meu conselho é saia de perto de Edward, enquanto pode, fique longe dele ou você vai morrer com ele. O HOMEM, mandante de tudo, não tem coração, nunca teve, e duvido que tenha compaixão de você ou de seus filhos... ELE está perto Isabella, mais perto do que você imagina! Você não poderia nem imaginar como ele consegue as coisas...
O que eu te digo irmãzinha é que em todos os lugares há ouvidos. Nunca amei você, nunca vou te amar, nunca vou ver você com a minha irmã, mas não é justo que você pague pelos erros dos outros, fuja Isabella!!!
Com amor e ódio,
Tânia Swan! “
-- Lion! — Isabella chamou abaixando a pasta — Me leve em casa primeiro, quero trocar de roupa.
-- Claro, Senhora!
......................
Edward estava na empresa, Emmett havia saído de sua sala há poucos minutos, quando a porta fora abeta e Lana Rock entrou, a bela morena estava usando uma saia preta justa ao corpo, e blusa mais justa ainda, da mesma cor, os cabelos estavam presos em um rabo de cavalo. Ela calçava saltos altos.
-- Eu não me lembro de ter chamando você aqui! — Edward disse voltando o olhar para os documentos que analisava.
-- Eu não preciso de convite, baby! — Ela disse puxando uma pequena arma calibre 22, pequena e de fácil porte. — Levanta, e vamos dar uma volta! Temos muito que conversar!
Edward estava em choque, Lana tinha uma arma e estava apontada para ele, a mulher parecia bem segura de si, e não estava blefando.
-- Lana! — Edward exclamou — O que está fazendo?
-- Levanta daí! Cuida Edward! — Lana ordenou.
-- Eu não vou a lugar algum com você! — Ele avisou.
-- Eu vou matar a sua mulher! Então seria melhor você vir comigo ou darei um tiro na cabeça de Isabella quando ela passar por aquela porta!
-- Mantenha Isabella fora disse! — Edward exigiu — Eu vou com você!
-- Sabia escolha!
..........................
O carro de Lion entrou na garagem da empresa, Isabella agora usava um vestido verde musgo bem escuro, além de um, sobretudo preto. O carro foi parando no mesmo momento em que Lana saia com Edward do elevador privativo que levava para a garagem, Lana o empurrou, a arma estava mais visível agora. Isabella tentou abrir a porta, mas ela estava travada.
-- Abra a porta Lion! — Ela deu a ordem!
-- Desculpe-me Isabella! Mas eu tenho ordens para você não sair do carro! — Ele disse.
Claro como ela suspeitava, Lion era um dos informantes, ele sempre estava por perto e nunca deixou de estar envolvido nas conversas do marido, quando o assunto era a sua segurança.
-- Por quê? Edward lhe paga muito bem! — Isabella questionou.
-- Não é pelo dinheiro! — Lion disse — Mas você não entenderia o meu motivo — Ele disse se calando no minuto seguinte — Pelo menos, você estará segura!
Isabella deu um sorriso, aquele sorriso que Lion já tinha visto várias vezes nos lábios do marido dela, quando dava respostas sarcásticas ou zombeteiras.
-- Não posso dizer o mesmo de você!
Isabella puxou a arma do caso e colocou na cabeça do velho segurança.
-- Agora que eu tenho a sua adorável atenção, me dê a sua arma! — Ela disse.
-- Senhora, uma arma não é um brinquedo!
-- Eu sei, e foi por isso que o meu pai teve todo o trabalho do me ensinar a usar uma! — Isabella disse apertando o cano da arma contra a cabeça do homem — Eu vou contar até dois, se você não me der à arma, eu vou atirar, e será mesmo para matar!
Lion tirou arma do bolso e colocou nas mãos da morena. Isabella sabia que ele estava olhando pelo retrovisor, ela deu um sorriso antes de empurrar a cabeça dele de encontro ao volante, o deixando inconsciente e aproveitando para liberar a trava da porta.
-- Eu vou lembrar-me de agradecer ao Erick pelas aulas de defesa pessoal! — Ela disse saindo do carro.
Isabella correu pela garagem, indo em direção ao carro de Lana que ainda seguia para lá, a garagem era grande e Lana tinha tido a infeliz idéia de estacionar o veiculo longe do elevador. Bella correu entre os carros tentando chegar antes deles ao carro de Lana
-- Lana o que pensa que está fazendo? — Edward perguntou — Você vai acabar sendo presa!
-- É, teria grandes chances disso realmente acontecer! — Ela disse dando um sorriso que deixou Edward com estomago embrulhado. — Mas você vai estar morto mesmo, acredite você não vou sair perdendo em nada!
-- Era você mandando as cartas para Isabella?
-- A sua esposa patética! — Lana disse — Não! Eu não iria perder o meu tempo com ela, mas havia alguém se divertido a custa dela.
-- Então por que tudo isso? Por que agora? O que eu te fiz?
-- Você acabou com a minha vida! — Ela disse — Se você não tivesse voltado para casa naquele dia, depois de passar a noite com você em Londres, você já estaria morto, só atrapalhou os meus planos um pouco...
-- Eu não fiz nada para você! — Edward disse parando — Eu não vou dar mais nenhum passo!
Lana virou furiosa para ele, a morena estava com um batom vermelho nos lábios, ela estava parecendo uma diaba agora.
-- Você matou o meu pai! — Ela gritou – Matou ele! Você e aqueles seus amigos patéticos, a sua liga da justiça contra os ricos, mataram o meu pai, seus filhos de uma puta!
-- Lana, eu não sei do que você está falando!
-- Você roubou o dinheiro de meu pai! — Ela disse — Ele entrou em desespero, se meteu com mafiosos, e acabou sendo morto, por culpa de vocês, que lhe roubaram.
-- Eu não sabia disso! — Edward revelou — Eu achei que o seu pai fosse o Sr Del Rock!
-- Ele era amigo de meu pai. A minha já mãe estava morta. Eu fiquei órfã. Mas veja só! — Ela disse com ironia — Foi fácil convencer ele a me adotar, mesmo eu não sendo uma boa menina... Ele me deu o seu nome e sempre me chamou de filha, afinal ele era um velho imprestável que nem servia para ter filhos. — Ela sorriu — Eu me tornei a sua filhinha, grandinha e grata!
-- Você precisa de tratamento! — Edward pontuou.
-- E você precisa morrer! — Lana apontou a arma para ele — Eu lamento Edward, poderia até deixar passar, você é bonito, um gato e bom de cama, mas eu jurei vingança para o meu pai e você vai morrer! — Lana olhou para ele e mandou um beijo — Quer mandar algum recado para a sua viúva?
-- Fique longe de Isabella! — Edward gritou — Você vai apodrecer na cadeia!
-- E você vai direto para o inferno!
Lana ajustou a arma e a posicionou, ela estava preste a puxar o gatilho quando algo gelado encontrou a sua cabeça.
-- Eu mandarei você primeiro, sua vadia! — Isabella sussurrou ao ouvido dela – Solte a arma, ou eu explodo os seus miolos
-- Isabella! — Edward disse surpreso.
Eles ouviram o “click” da porta do elevador se abrindo, Isabella e Lana que estavam de frente, viram quando três seguranças vieram correndo juntamente a Emmett, Carlisle e Jasper. O momento foi perfeito para Edward tomar a arma de Lana que escorregou pelo chão da garagem. Lana virou com tudo fazendo a arma de Isabella ir ao chão, também. Ela chutou o artefato para longe e tentou correr, mas Isabella a puxou pelos cabelos. A morena do mal se virou, partindo com as mãos em uma tapa certeira na cara de Isabella, fazendo com que o rosto da moça ardesse. Isabella revidou e deu um bofete que mandou a morena do mal ao chão. Isabella montou encima de Lana e bateu com força na cara da mulher, não uma e nem duas, mas várias vezes, a xingando e jurando a morena maquiavélica de morte.
Edward deixou Isabella bater em Lana por algum tempo, até que todos se juntarem a eles, ele sabia que não poderia bater em Lana, porque ela era uma mulher, mas deixou que Isabella fizesse isso por ele.
-- Edward as separe! — Emmett gritou.
-- Espere! Isabella está fazendo o que eu não posso fazer com essa vadia! — Ele justificou.
Quando todos já estavam lá, Edward puxou Isabella, colocando a esposa em pé sobre os seus saltos.
-- Chega Isabella! — Edward disse se colocando atrás dela a fim de lhe proteger.
-- Pegue-a! — Emmett ordenou — A Policia já está esperando por você, Srta. Lana!
-- Vadia de merda! — Lana disse cuspido sangue. — Eu vou acabar com vocês! Eu não sou a única que quer a sua cabeça, seu bastado filho da puta.
-- Vai para o inferno Lana! — Edward disse.
Os Seguranças puxaram Lana, que tentava a todo custo se soltar das mãos deles, ela batia os pés no chão e era arrastada por eles.
-- Eu vou me vingar Edward! Levarei o tempo que for, mas eu vou! Eu prometo!
Todos ficaram observando ela ser levada, Carlisle acompanhou tudo, devido ao fato daquilo ter acorrido na empresa dele. Edward sabia que precisaria de seu advogado ali para prestar o seu depoimento, assim como Isabella.
-- Você está bem? — Ele perguntou segurando o rosto da esposa e a abraçando contra o seu corpo — Você não sabe o medo que sentir quando vi você com aquela arma.
-- Edward, Edward! Lion! — Ela se lembrou.
-- O que tem ele? Por que ele não está aqui com você?
-- Ele está preso no carro! — Isabella revelou — Ele estava junto com Lana, ou com o verdadeiro assassino, mandante, seja lá quem for.
-- Do que você está falando?
-- Vamos entrar que eu te explico! — Isabella disse — Vocês dois comigo, também!
Ambos seguiram subindo o elevador, Emmett pegou a arma que Lana usava e a arma que Isabella usava também, travando as duas, colocando atrás das calças que cobriu com o seu terno. Ainda tinha muitas coisas soltas, mas Isabella já sabia por onde começar...

CONTÍNUA...