Jul M

Oi

domingo, 30 de novembro de 2014

Epílogo

Epílogo

E assim aconteceu...

Pov Bella Swan

Não posso reclamar de meu casamento, ele foi perfeito, tudo nele foi perfeito. Eu tinha acabado o Ensino Médio e havia ganhado uma Bolsa de Estudos para uma conceituada Faculdade na Virginia, Edward iria comigo. Nessie iria ficar morando com os avós, porque ela não queria nem pensar na idéia de ficar longe de Jacob, alem do mais, ela só teria mais um ano no Ensino Médio Regular e depois também estaria indo para uma Faculdade. Foi difícil para Edward aceitar aquilo, Nessie era a sua menininha, a sua única filha, mesmo ele não sabendo sobre a verdadeira origem de Nessie, era lindo o amor que ele devotava a ela, eu sabia a verdade e eu não era única, contudo não seria de minha boca que ele conheceria a verdade...
Aquele fora o pior ano para todos nós, mas ao mesmo tempo, fora o melhor... Tivemos perdas e encontros, eu não poderia dizer que tudo nesse ano que se passou tenha sido de todo ruim, porque seria uma grande mentira.
O meu pai veio para o meu casamento e não foi nenhuma surpresa saber que ele estava envolvido com Tânia, a prima de Rosie, eu acho que pela primeira vez, Rosie havia perdido, ela perdeu para a sua prima. Ela perdeu o meu pai, até porque, ela estava morta, e honestamente, eu duvidava muito que uma pessoa morta pudesse competir com alguém vivo...
Ele veio se entrar comigo e me levou até o altar... O meu casamento aconteceu na casa dos pais de Edward, o Doutor Carlisle não era lá muito meu fã, mas não tentou mais nada, nunca mais me insultou. Esme era incrivelmente doce, tudo que ela queria era ver o seu filho feliz, e eu de fato, o fazia feliz.
Alice que era a esposa do primo Jasper de Edward, estava lá também juntamente ao marido.
Nessie estava toda sorridente com namorado a tiracolo, eu, de fato, estava deveras feliz pelos dois. Charlie veio para o meu casamento, meu avô estava orgulho por sua neta estar se casando, acho que no fundo, no fundo, ele estava feliz porque o meu casamento com Edward daria fim aos malditos rumores sobre mim. E isso o deixava muito feliz.
O meu vestido era perfeito, claro, o noivo era perfeito... Nós nos casamos apenas no civil, porque eu quis, ainda iríamos marcar uma data para a cerimônia na igreja. Os poucos amigos meus e de Edward também foram para a nossa celebração, depois tivemos uma festa simples, apenas para os íntimos e a família, no final, acabou tudo bem.
-- Pronta para ir, Sra. Cullen? - Edward sussurrou ao meu ouvido e eu sorri feito uma boba.
-- Sempre, Sr. Cullen!
Era a nossa última dança, ninguém mais ligava para o que fazíamos, eles estavam todos cansados e bêbados. Carlisle estava totalmente bêbado, não sei dizer se foi por minha culpa ou dele, mas ele começou a beber depois que dançou comigo e tivemos uma conversa bem estranha.
FLASHBACK ON
-- O fato de você estar casada com ele, não apaga o que você fez! - Carlisle me disse, enquanto dançávamos — Você destruiu uma família.
-- Eu salvei uma família! - Disse a ele mantendo um sorriso de bons amigos no rosto — Você sabe a verdade, sempre soube, apenas não quis aceitar, não me culpe pelos erros dela, ela se destruiu sozinha!
-- Não muda o que você fez! - Ele disse — Nessie ficou sem mãe.
-- Eu não sou culpada pelos erros dos outro! – Repliquei — E você sabe a verdade sobre Nessie, você sempre soube!
Carlisle ficou pálido me olhando como se as minhas palavras tivessem mais efeito do que se sabe lá o quê...
-- Não serei eu a contar para ele... - Eu ressaltei — Eu entendo o seu medo. Lamento de verdade, mas pelo menos, ela sempre teve o melhor pai do mundo. Isso ninguém pode negar.
FLASHBACK OFF
A dança terminou e Carlisle me devolveu para Edward, que achou estranha a atitude do pai. Eu apenas me estiquei ficando nas pontas do pé e o beijei carinhosamente, acabando assim com a chance de perguntas que nunca começaram a ser feitas.
A casa ficou apenas para nós, eu e Edward. Nessie ficaria na residência do avô, pelo menos foi isso o que ela dissera, mas eu sabia que ela iria para a casa do namorado passar a noite com ele, eu também faria o mesmo se fosse ela, é claro.
-- Bem vinda ao lar, Sra. Cullen! - Edward proferiu animadamente ao entrar comigo no colo.
Ele me beijou, e claro, que o beijei de volta. Nós caímos no sofá, e bom, não precisou de muito para perdemos o controle... O meu vestido lindo foi removido rapidamente do meu corpo e ficou caído pela sala, não que fosse novidade, a gente já tinha transado naquela sala, mas dessa vez, eu era a mais nova Senhora Cullen.
Edward estava no sofá sentando, eu estava em seu colo, ele vestia apenas a sua camisa branca, o resto do smoking estava espalhado pelo chão. Eu trajava somente uma segunda pele, que ficava por baixo do vestido, na cor branca e em renda. Edward abaixou um lado da peça, deixando o meu seio à mostra, e então, o chupou como um verdadeiro menino faminto por muito mais...

................................
O sol nascia lá fora, mas ainda era cedo, eu sabia, pois ouvia os cantos dos pássaros, a minha cabeça estava deitada no peito de Edward e ele usava os dedos para passear pelas minhas costas nuas. Eu não conseguia tirar o sorriso da minha boca, as lembranças da noite passada ainda tomavam conta de minha mente, o modo com Edward possuiu o meu corpo, várias vezes, ainda me deixava assim em estado de plenitude.
Conseguia me lembra de cada detalhe, Edward me empresando contra a parede, perto da janela... As minhas mãos segurando a cortina da janela e os seus quadris se movendo para frente com impulsões fortes e frenéticas, o seu pau entrando e saindo de minha boceta melada que implorava por cada vez por mais...

O modo como ele me fez montar nele foi fantástico, eu rebolava como uma cadela no cio, gritando o seu nome, enquanto as suas mãos me seguravam pela cintura em seu colo, o modo como o meu corpo me deixava, em completo abandono, em suas mãos, era perfeito...


O jeito como ele me tomou no sofá, deitado de lado, me fazendo gemer o seu nome, enquanto ele me comia, era único, a maneira como as suas mãos passeavam pelo meu corpo, seguindo o mesmo ritmo dos seus quadris, o seu pau entrando e saído prazerosamente de mim, me fazendo explodir em um orgasmo impar.

O modo como estava montada nele, enquanto ele entrava e saia de dentro de mim, deixava todo o meu corpo quente. Eu me sentia no paraíso, os movimentos dos quadris sincronizados, aquele balançar de cada centímetro de seu pau em meu interior, me fazendo sua, me possuído e me fazendo gritar em êxtase.

 Mordi o seu ombro, quando urrei gozando, sendo logo seguida por ele. E assim acabamos nós dois deitados no chão da sala, respirando de forma ofegante e assistindo o dia nascer.
.....................
A vida domestica com Edward era perfeita, nos mudamos duas semana depois que voltamos de Paris, local em que passamos a nossa lua de mel. Tudo foi perfeito, conheci Paris e tive as melhores noites de amor com Edward. Batizamos todo o quarto do hotel, nem mesmo a varanda escapou...
Eu amava Edward, amava o modo como ele me fazia sentir cada vez mais viva, quando eu estava com ele, eu amava o jeito como eu conseguia facilmente fazer com que ele perdesse o controle... Eu o amava tudo nele e isso estava bem estampando em meu rosto.
A nossa primeira noite na casa nova foi diferente, nada de sexo pelo motivo simples de eu estar menstruada, e depois, a casa ainda não estava do meu gosto, passamos uma semana colocando tudo do meu jeito, Edward disse que a casa era minha e que tinha que ficar a minha cara e foi isso exatamente o que fiz, eu a deixei a minha cara.
Na semana seguinte, Edward deu início ao que ele chamou de “batismo do novo lar”.

 Nós fizemos amor no sofá branco da sala, que ficava de frente para a janela, não havia vizinhos, a casa era longe de tudo, mas perto de uma linda campina, o que era bom, porque ainda era dia e se tivesse vizinhos, com toda certeza, eles teriam nos visto pela janela e ouvido os meus gemidos sem vergonha, enquanto gozava loucamente no pau de meu marido gostosão. Confesso que não sentia nem pingo de culpa por aquilo, eu gostava muito...
Nossa primeira briga veio no quarto dia naquela semana, Edward e eu brigamos por uma bobagem e ciúmes... O meu ciúme foi devido a ele ter contratado uma assistente bem jovem para o seu novo escritório na Virginia, e por isso, eu fiquei completamente possuída de ciúmes. Aquilo nos levou a brigar e gritar um com outro, e claro, fizemos as pazes no mesmo dia, na mesma noite, em meio a muito sexo selvagem, no qual Edward me comeu ferozmente por trás na nossa cama nova.

Eu amava tudo em Edward, amava mesmo... Amava o modo como ele estava sempre prestando atenção em mim, o modo como mesmo de longe, ele cuidava de Nessie, ligando todos os dias para saber como menina estava e chamando-a para vir passar alguns dias conosco. Gostava o modo como ele me tratava... Dando-me pequenos mimos todos os dias, tais como flores, bombons e mensagens lindas, que só poderiam ter sido escritas por ele, o modo como ele me pegava no colo, mesmo que aquilo fosse apenas para que víssemos alguns filmes bobos na TV. Eu amava o modo como ele fazia amor comigo, isso eu amava ainda mais. O modo como ele era cuidadoso ao apertar ou chupar os meus seios, sempre tentando me manter confortável e me dar prazer ao invés de dor, tendo sempre o cuidado de me levar ao limite e depois me puxar de volta. 

Ou até mesmo quando ele fica com raiva por algo que eu diga ou faça, ele tem todo um cuidado para que não tenhamos desavenças nem brigas. Eu amo esse homem e cada dia mais ainda, eu sou incrivelmente apaixonada por ele.
Quando já estávamos na terceira semana em nossa casa nova, Edward voltou com a idéia de rebatizar a casa, o que nos levou a mais uma semana de “maratona do sexo”. Transávamos sem controle sobre a mesa da sala de estar e todos os demais locais inusitados ou não... Edward me fazia gritar o seu nome, enquanto chupava a minha buceta e me fazia implorar pelo seu pau, sempre dentro de mim...

 Eu queria que ele me comesse o tempo todo, ele não colocava empecilhos nisso...
Em uma determinada noite, ele me comia no sofá da sala, depois de me fazer gozar em seu pau, ele saiu de dentro de mim para preencher o meu rabinho, em outros tempos, eu desprezaria essa idéia de sexo anal, mas com Edward era tudo tão intenso que eu só conseguia gritar, ele definitivamente conseguia me fazer gozar com o sexo anal.

 Eu adorava a sensação dele enchendo o meu rabinho com o seu gozo.
Naquela semana, transamos encima da mesa da cozinha também, local que ele me atacou logo pela manhã. Ele apenas me sentou sobre o balcão da cozinha e arrancou a minha calcinha, abaixando o meu vestido, deixando os meus seios à mostra, então subiu a saia do meu vestido, me penetrando forte e gostoso, de uma maneira que só ele sabia fazer. 

Edward estava determinado a me fazer gozar muito e também queria rebatizar toda a casa com trepadas sacanas.
Mas ele não era o único que sabia jogar aquele jogo, eu também jogava bem, o pequei no final da noite desprotegido e caí definitivamente de boca em seu pau, o chupando e o fazendo gemer até gozar. 

E quando ele fez isso, eu lambi cada gotícula de seu prazer de maneira deveras vulgar, que o deixou duro de novo, o que nos levou a mais sexo, só que dessa vez foi no nosso quarto, lugar no qual Edward mais uma vez me comeu de ladinho, fazendo vibrar até a última célula de meu corpo até que eu explodi em prazer, sendo seguida por ele.

Poderia ser loucura ou apenas tesão, como muitos falavam, mas para mim era diferente, eu adorava a nossa vida, eu adorava aquele homem e o fato de estar com ele, era o que deixava tudo ainda melhor... Edward não era apenas sinônimo de sexo bom e gostoso, ele se transmutava em respeito, carinho e companheirismo.
Diariamente ele me deixava na Faculdade e depois me pegava na saída, ela confiava em mim, mas também fazia lá a sua marcação de território, como se eu fosse capaz de troca alguém com Edward Cullen por esses garotos com hormônios a flor da pele. Eu já tenho o meu homem e era muito feliz por ser somente dele.
Na onda de fazer joguinhos com Edward, surgiu a idéia de começarmos a realizar as nossas fantasias sexuais, bem malucas e cheias de tesão. Eu amava realizar cada uma delas. Elas aconteciam por ordem de vez, um dia realizávamos as minhas no outro as dele. As minhas era bem previsível, Edward sempre dizia. Já as dele, eram sempre intrigantes e bem malucas. Na nossa primeira tentativa, eu fui uma ninfeta escolar, assim nomeada por ele. Edward fez com que a gente transasse no quarto que seria de Nessie, lá era o único quarto da casa que tinha cara de adolescente, então deu mais realismo a fantasia.

 No final daquela noite, acabamos de quatro sobre o tapete rosando, Edward me fudia por trás, até que gozamos gritamos e caímos exaustos no chão.
A segunda vez, nós executamos a minha fantasia, eu escolhi ser uma nerd, que acabava trepando com o Professor de aula particular no quarto da casa dele. Foi a maior loucura, eu nunca gritei tanto, me lembro de minha blusa aberta, os meus seios a mostra e as minhas pernas abertas, enquanto Edward me comia com força, me fazendo gritar e gozar...

 Eu estava bem a caráter, usava duas “marias chiquinhas”, óculos de nerd e roupas em desleixo... Edward, é claro, nunca deixou a desejar ou a me decepcionar.
Quando fizemos um mês de casados, a fantasia a ser encenada era minha, eu me vesti de empregada domestica e esperei que ele chegasse do trabalho... Nós nos divertimos muito, nos deliciamos com tudo... Eu entrei mesmo no papel, eu servi o seu jantar, atendi os seus desejos... Eu me lembro do uniforme preto de emprega, os sapatos brancos de saltos e meias longas e pretas, que cobriam as minhas pernas, além da cinta liga, é claro!. A metade do meu corpo estava sobre a cama, eu de joelhos sobre um banquinho que ficava no final da cama, a minha calcinha enfiada em minha boca, a saia do uniforme levantada, enquanto Edward me dava umas boas palmadas, fazendo-me gemer e implorar por mais.

Foi uma das noites mais intensa que tivemos, neste dia, acabamos os dois na sala, ele usando apenas uma de suas camisas brancas e sem nada mais... Eu subia e descia sobre o seu colo, o beijando com carinho, o desejando com uma vontade infindável.

 Ele era só meu e ninguém poderia tirá-lo de mim, ele era o meu mundo, a minha vida... Eu era realmente uma pessoa de sorte.
A vida com Edward nunca seria chata ou entediante. A minha rotina na Faculdade era boa, eu tinha até um “Professor particular” que me ajuda nas atividades acadêmicas, claro que Edward adorava ser o meu Professor, mas a parte na qual eu perdia a cabeça e abria as suas calças, caindo de boca nele, quando já estava de saco cheio de suas aulas, era o melhor momento para mim.
Ele nunca me pediu para mudar, ele ainda adorava a minha boca suja e ficava ainda mais maluco quando eu falava coisas que lhe deixava duro.
Meu pai aparecia sempre no verão, ele nunca ficava tempo o suficiente para matarmos a saudade, mas ele sempre dava sinal de vida. Continuava tocando para frente a vida dele. Agora ele se mostrava mais preocupado comigo, a última vez que o vi, foi antes de voltamos de Paris. Ele havia estado lá com Tânia, a bela loira. Ele estava fazendo um enorme esforço para ser um cara melhor, ou talvez não, talvez a morte de Rose tenha lhe trago a vida, mas a vida real, não a vida de mentirinha que ele criou para fugir desse mundo... Talvez ele ainda faça tudo o que fazia com Rose, só que agora com Tânia, mas o que realmente importava era que ele havia se tornado mais humano, e agora, ele se transformou em meu pai de fato e de direito.
Nessie passou para a Faculdade da Transilvânia, o que me deixou muito intriga, pois Jacob também passou para o mesmo lugar, claro que os dois planejaram aquilo perfeitamente. E ninguém poderia culpá-los, já que ambos estavam juntos a um bom tempo e seria cruel separá-los agora.
A vida seguia o seu curso normalmente, Eu era feliz, estava fazendo Faculdade, ninguém sabia do meu passado ou do de Edward aqui... Ninguém ligava para o que fazíamos, pois éramos casados, e isso pesava muito na sociedade, e o melhor de tudo era que nós éramos felizes.
-- Está pronta, Sra. Cullen? - Edward perguntou do andar de baixo, era Halloween e eu e Edward íamos para uma festa de uma das Fraternidades da Faculdade.
-- Estou quase! - Gritei só terminando de passar o meu batom.
Saí do quarto, seguindo para as escadas e parei quando o vi de costas, ele vestia uma capa preta com detalhes em vermelho, um chapéu dos anos 20 e segurava uma bengala. Edward estava deslumbrante como vampiro, sim, ele era um lindo vampiro e poderia me morder quando quisesse, eu deixaria sem a menor culpa. Ele virou ao ouvir os meus saltos na escada, e então, sorriu segurando o seu copo de uísque. Ele me olhou de cima a baixo, parece que engoliu em seco, e então, sorriu novamente para mim.
-- Você está linda! - Ele disse com devoção.
-- Tenho que dizer o mesmo de você! – Retribui o elogio sorrindo e chegando perto dele — Você está um tesão de vampiro, pode me morder quando quiser.
-- Pode deixar! Eu vou me lembrar disso mais tarde! - Ele disse colocando uma mecha de cabelo atrás da minha orelha — E você está linda como Chapeuzinho Vermelho, eu vou adorar comer você depois...
-- Edward! – O advirto sorrindo em seguida - Desse jeito nem vamos sair de casa!
-- Oh baby, a minha intenção não é mesmo sair com você... - Ele disse safado — Não depois de vê-la assim, a minha mente quer você e quero você sobre a mesa de meu escritório!
-- É mesmo, Sr. Cullen! - Digo passando os braços em volta de seu pescoço — E por que isso agora?
-- Comprei uma câmera de vídeo nova! - Ele disse cheio de malicia — Já que você quebrou a outra da última vez, achei que devíamos fazer um vídeo de nós dois hoje noite! - Ele mordeu a minha orelha, mandando um sinal direto para a minha buceta.
-- E que vídeo seria esse? – A minha voz saiu falha e ofegante.
-- De um vampiro gostosão comendo a chapeuzinho! - Ele disse cheio de malicia — Um filme pornô, cheio de tesão, o que acha?
-- Acho que quero assistir e ainda quero o seu pau... - Digo gemendo quando ele morde o meu pescoço — E quero agora...
-- Com todo prazer, Sra. Cullen!
Definitivamente, eu nunca me cansaria desse homem, dessa vida e das nossas loucuras. Porque no final, Edward sempre soube que estava se enfiando em “maus lençóis” comigo...

FIM

Resumo Final

Bella se formou em Literatura Inglesa e começou a trabalhar com Edward em sua editora.
Edward lançou um livro para adultos, no qual ele contava de uma forma nada discreta e com outros personagens, a história quente de amor dele e de Bella.
Nessie se formou em Medicina, assim como Jacob. No dia da formatura dela, Jacob a pediu em casamento.
Bella engravidou de um menino, que foi chamado de Edward Junior, porque ela e Edward não conseguiam chegar a uma escolha.
Nessie engravidou três anos mais tarde, dando a luz a lindas gêmeas, as quais ela batizou de Anna e Clarisse. Ambas as meninas puxaram para o pai.
Emmett se casou com Tânia, mas nunca quiseram ter filhos, porque ele ainda não estava pronto de fato, para ser pai novamente.
Carlisle aprendeu a gostar de Isabella.
E a verdade sobre Nessie nunca foi revelada, porque no final não importava mesmo. Já que o único pai que ela conheceu foi Edward Cullen
Edward & Bella, estavam planejando voltar para casa deles em Forks e ter mais um filho.
A vida sexual dos dois continuava igual, mesmo com o passar dos anos, eles ainda eram puro fogo...
Jul M autora...

Tuca Beta...

10 comentários:

  1. ESSA HISTÓRIA FOI SHOW!!! PARABÉNS JUL,VOCÊ É UMA GRANDE ESCRITORA,NUNCA DEIXE NINGUÉM DIZER MENOS QUE ISSO ,OK? TUCA MARAVILHOSA,SÓ VOCÊ CONSEGUE BETAR COM TANTA PRIMAZIA.ESPERO LER MAIS COISAS DA DUPLA.BEIJOS

    ResponderExcluir
  2. ♡ ♡ ♡ a fic!!!! Super perva!!!! Rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Como assim acabou?!?!?! Caralho Jul eu não estava preparada psicologicamente pra isso!!!! Eu vou surtar, eu voi surtar, eu vou surtar... EU TO SURTANDOOOOO!!!! Eu entrei no nyah, vi a atualização e pensei "oh coisa linda... fechar o findi com capítulo novo super divoooo" mas ai eu descubro q o capítulo super divo é o ultimo.. tipo, acabou! Forevermente... isso não se faz!!! Não tava preparada pra dizer adeus so casal mais quente das fics... isso foi um baita sacanagem Jul... acabar assim.... meu coração nao aguenta outra dessas...
    só me resta dizer q a fic é muito perfeita e vai me deixar com muitas saudades....
    xoxo

    ResponderExcluir
  4. Fantástico!!!!
    Confesso que fiquei confusa quado entrei no blog e vi epilógo sem ter o nome da fic, mas ai eu comecei a ler e no momento que comecei a ler percebi que se tratava de “Maus Lençois“.
    Fiquei chocada quando percebi que era o final e ao mesmo tempo fiquei fascinada e hipnotizada pelo fim, assim como os das outras histórias.
    Eu devo dizer que a parte que mais me hemocionou foi a parte final onde dava um epilógo geral dos personagens, quando falou sobre o edward e a verdade não contada ( sobre nessie não ser sua filha) eu fiquei ...
    Não tenho palavras para o que eu senti.
    Só quero dizer como fã e seguidora desdo começo do blog fico emocionada com todos os finais, pitada certa de: sexo, drama, aventura, explicação...
    Seu talento é raro, e não digo isso so como leitora mas como profissional e digo mais, invista em seu talento ele ainda te trará grande reconhecimento!


    BJS...


    ASS:ANÔNIMA. ;)

    ResponderExcluir
  5. maravilhosa, todas as suas fics são divinas ,aguardando ansiosamente a proxima..........1000bjos

    ResponderExcluir
  6. que fic deliciosa só tenho que agradecer a autora pelo carinho e atenção, parabéns

    ResponderExcluir
  7. ameiiiiiiiiiiiii fic maravilhosa vou sentir saudade
    espero que vc poste mais uma historia para nos.
    BJS

    ResponderExcluir
  8. Amei sentirei falta buaaa

    ResponderExcluir