Jul M

Oi

sexta-feira, 4 de julho de 2014

De Olhos Bem Fechados! -- Cap 10

UM POUCO MAIS ÍNTIMOS...

Edward não poderia ter começado a semana de melhor forma, ele estava animado e ele sabia bem o porquê daquilo. Isabella estava com ciúmes. Ele nem deveria ficar preocupado, afinal, eles não eram apenas amigos? Mas ciúmes sempre seriam ciúmes, não importava se era de uma amiga ou de uma namorada, aquilo estava lá, e era ciúme, ele tinha certeza!
-- Nossa que animação, caro amigo! — Emmett disse ao entrar em sua sala.
-- O que você quer Emmett!? — Ele perguntou ignorando o comentário do amigo.
-- São somente mais papéis para você assinar! — Ele disse colocando uma penca de documentos sobre a mesa — Qual o motivo desse sorriso aberto?
-- Tem que haver algum motivo? — Ele revidou se esquivando da pergunta.
-- Qual é Edward Cullen! — Emmett disse ao amigo — A última vez que vi você sorrindo assim, foi porque havia destruído o casamento de Victoria. – Emmett olhou para amigo desconfiado — Vai me dizer que a ruiva fatal já pediu para voltar?
-- Não tem nada a ver com Victoria! — Ele disse — E acredite, Victoria já é passado.
-- Você disse isso das outras vezes! — Emmett o lembrou.
-- Só que dessa vez, é a mais pura verdade! — Ele disse pegando os documentos para assinar — Se não tem mais nada para fazer aqui, por favor, saia!
-- Claro! Mas eu ainda descubro! — Emmett disse sorrindo e saindo da sala. —Sue querida! — Emmett caminhou até a boa Senhora — Você sabe me dizer se o meu caro amigo ali, andou recebendo visitas?
-- Não! — Sue disse sorrindo, assim como Emmett, ela também se importava com o menino Cullen — Se pergunta por Victoria, ela nunca mais veio aqui!
-- Qualquer coisa me mantenha informado! — Emmett pediu e sorriu.
-- Claro menino!
.........................
No trabalho, Isabella cadastrou o seu e-mail como Google, todas as notícias que saíam sobre o jovem Edward Cullen ia direto para o seu e-mail. O problema era que sempre havia notícias, namoros, rumores, boatos, sempre algo sobre ele. E naquela manhã não foi diferente, um site estava alardeando sobre ele namorando uma bela mulher, havia até uma foto dos dois juntos, justamente aquela mulher, aquela que Isabella nem conseguia pensar no nome dela, pois já estava se corroendo de ciúmes.
-- Alguma coisa errada? - James perguntou, de repente.
-- Não! Desculpe! - Ela respondeu sem jeito.
-- Está meio distraída hoje! — James comentou — Por favor, digite isso aqui e mande para os meus associados.
-- Claro Sr. Bloom! — Ela atendeu prontamente a ordem do chefe.
-- Isabella chame-me apenas de James! — Ele pediu dando o seu melhor sorriso — Quando você me chama de Senhor, eu me sinto um velho.
-- Desculpe-me Sen.. er, ...Que dizer James!
-- Bem melhor, assim! Pode ir agora!
Isabella caminhou para fora da sala, ela foi para a sua mesa, Rachel parecia distraída em seu trabalho, então não notou a irritação da menina. Isabella fez o trabalho pedido por James, mas a sua cabeça, vira e mexia, estava em Edward. De repente, o celular da morena tocou, sobre a mesa. Ela olhou para o visor e reconheceu o número e nome que brilhava ali. “Cullen”, ela havia mudado a configuração, ela achava que ficava muito íntimo quando aparecia Edward.
-- Eu estou trabalhando! - Ela disse assim que atendeu.
-- Almoça hoje comigo? — Ele perguntou — Não é bem um convite, na verdade, eu estou te intimado a almoçar comigo, caso não tenha notado.
-- E se eu já tiver planos para o almoço? — Ela inquiriu atrevida.
-- Você não tem? — Ele interpelou — Você, geralmente nunca tem!
Edward arrogante estava bem ali, ele sempre a irritaria quando se fazia de tão mandão assim, tão autoritário e tão cretino por assim dizer.
-- Pego você às duas horas! — Ele comunicou — Te esperarei na frente do prédio!
Como se a resposta dela não fosse importante, ele simplesmente desligou. Isabella ficou olhando, sem entender nada, para o celular em sua mão.
-- Algum problema Isabella? — Rachel perguntou.
-- Não! — Ela disse colocando o seu celular dentro da gaveta.
.......................
Às duas horas em ponto, Isabella saiu e ele realmente estava esperando por ela do lado de fora do trabalho da jovem. Edward abriu a porta para moça, e então o motorista do veiculo, seguiu para o destino planejado por Edward.
Isabella vestia uma bermuda preta social, uma camisa de botões com mangas três quarto cinza, além de sapatos de salto altos. Edward passeou os olhos pela jovem, as pernas dela estavam bem à mostra, ele não disfarçou o seu olhar de admiração.
-- Como foi o seu dia? — Ela perguntou para quebrar o silencio.
-- Chato! — Ele retrucou — Muitas coisas para resolver.
-- Que coisa! — Ela disse sem saber o que mais dizer.
-- E seu o dia? — Ele perguntou interessado.
-- James está me sobrecarregando! — Ela disse respirando frustrada — Eu passei o final de semana todo colocando uma caixa de arquivo dele, em pastas no computador, para depois transferi tudo para um pendrive e assim garantir a ele que tudo estivesse bem seguro.
-- Você sabe que pode voltar a trabalhar para mim, não é? — Ele disse e ela o fitou — Eu digo a verdade Isabella, sem segundas intenções...
-- Eu já trabalhei para você esqueceu? — Ela o lembrou — E nós sabemos bem como foi!
-- Não quero você como babá de Angel! - Ele explicou — Eu quero você na minha empresa, você tem um diploma. Eu lhe arrumaria um cargo melhor do que este que você tem trabalhado na empresa do Bloom.
-- Edward... - Ela já ia começar a falar, mas o carro parou.
-- Vamos, nós chegamos! - Ele disse saindo do automóvel e abrindo a porta para ela.
Edward e Isabella seguiram para dentro do restaurante de luxo, um lugar deveras refinado e elegante. Ele já era freqüentador dali, o maitre o reconheceu assim que ele entrou e os guiou para uma mesa isolada em um lugar bem sossegado, o cardápio foi entregue a Edward que fez a escolha do vinho para os dois.
-- Um prosecco italiano safra de 1998! — Ele detalhou — Também vou querer um peixe ao molho de maracujá, por favor.
Isabella olhou para o menu e então suspirou, era um restaurante Francês, ela não falava Francês e não entendia nada do que estava ali para ser solicitado.
-- Ela vai querer o mesmo que eu! — Edward comunicou ao ver que ela não entendia o que estava escrito no cardápio — obrigado!
O garçom se retirou, levando consigo as anotações dos pedidos. Isabella tinha o rosto levemente corado, ela nunca esteve em um lugar assim tão chique, ao ponto de ela não entender o menu.
-- Não fala Francês! — Ele disse sorrindo — Bom saber!
-- Por quê? — Ela perguntou tímida.
-- Porque assim você não terá como questionar as minhas escolhas! — Ele sorriu torto.
-- Por que você é assim? - Ela perguntou.
-- Assim como?
-- Assim! — Ela disse como se isso explicasse tudo — Tão mandão autoritário, parece que adora dar ordens!
-- Isabella, você sabe que eu tenho um império para administrar aos meus pés, não é? — Ele disse e era possível perceber o orgulho em sua voz — Não foi fácil chega aonde cheguei, e pode apostar que pedir com gentileza não ajudaria em nada.
-- É por isso ficou assim?
-- Assim como? - Ele questionou curioso — Arrogante como você mesmo disse, ou mandão? Gosto de ser mandão como você falou...
-- Viu? - Ela retrucou com um bico — Desse jeito, você se acha superior aos outros.
-- Talvez eu realmente seja! - Ele ponderou sincero.
-- Não, você não é! - ela revidou bicuda — Você pode até ter mais dinheiro que muitos, mas não é superior a ninguém
Edward pensou em revidar o comentário, em contra-argumentar ao ponto de deixá-la ainda mais vermelha do que já estava, porém para sorte de Isabella o pedido deles chegou. Ambos comeram e beberam em silêncio, Isabella ainda estava irritada com o comentário dele, e ele pensando em um jeito de tirá-la ainda mais do sério, como sempre. Por algum motivo desconhecido, Edward gostava de irritar a jovem, ele adorava ver o modo como ela atingia altos níveis de vermelhidão, enquanto ia ficando irritada, ou com raiva, essa era a melhor palavra para descrever o estado de Bella. E então, quando ela não suportava mais, jogava as mãos para o céu e desista.
-- Gostou da sobremesa? - Edward perguntou.
-- Hum hum! - Ela assentiu enquanto saboreava o seu mousse de chocolate — Amo chocolate.
-- Isso é novo para mim! - Ele disse observando-a comer — Normalmente as mulheres com quem almoço, comem pouco e chocolate nem em sonho.
-- Você só sai com magrelas anorexias! - Ela soltou e os seus olhos se arregalaram ao se dar conta do que havia falado.
-- Tudo bem! - Ele disse sorrindo – Você disse a verdade.
-- Saiu sem querer! - Ela justificou corada.
Nada mais foi dito, ela ficou calada terminando a sua sobremesa. Edward ficou apenas a assistindo comer, com um sorriso bobo no canto dos lábios, um sorriso sim, porém discreto. Quando ela terminou, Edward pediu a conta, não havia mais motivo para se estender ali, naquele locai, afinal Isabella não parava de olhar para o seu relógio de pulso.
-- Deixo você na empresa! - Edward comunicou — Posso pegar você mais tarde?
-- Não precisa! - Ela retrucou — Você já me pagou almoço! - Ela fez biquinho.
-- Eu a convidei, eu pago! - Ele justificou — E seria errado de minha parte deixar você pagar o almoço, sendo que o convite partiu de mim.
Edward segurou a porta para que Isabella entrasse no carro. O rapaz teve a bela visão da bunda da jovem, quando ela entrou no carro, mesmo com aquela bermuda clássica, fora uma bela visão, sem dúvida alguma, para o Cullen. Ele entrou logo atrás dela, fechando a porta e dando ordens para o motorista seguir em direção ao trabalho da morena.
-- Tecnicamente Edward, você me intimou para esse almocco! - Ela reclamou.
-- Tanto faz! - Ele replicou dando de ombros — Eu gosto de sua companhia e posso pagar! Afinal, eu tenho dinheiro suficiente para isso!
-- Vai tentar, também me pagar para lhe fazer companhia! - Ela zombou.
-- Me diga o seu preço e eu pagarei! – Ele entrou na brincadeira.
-- Seu babaca! - Ela o repreendeu virando a mão sobre o peito másculo do rapaz.
-- Oh! - Ela disse segurando as mãos dela — Foi você quem deu a idéia, eu apenas aceitei! - Ele concluiu rindo e a fazendo ri também.
-- É uma idéia de péssimo gosto! - Ela retrucou.
-- De péssimo gosto foi a sua carta de demissão... - Ele disse sério — Você só precisa dizer não, Isabella!
A jovem ficou calada, até onde ela se lembrava, ela já havia dito não. Ou será que não tinha dito? A dúvida pairou em seu rosto e Edward tocou a face da jovem com um dedo.
-- Você não disse! - Ele respondeu ao questionamento mudo da morena — Apenas tentava fugir.
O corpo da menina ficou quente, os dedos de Edward pareciam gelo sobre a pele quente de Isabella, ela se sentia abrasada pelo simples toque do rapaz.
-- Você... - Ele começou a fala, mas parou.
-- Edward... - Ela choramingou – O que você esta fazendo?
-- Apenas olhando para você! - Ele disse mantendo os olhos sobre ela.
-- Às vezes, eu acho que você está apenas brincando comigo! - Ela declarou soltando um suspiro de frustração — Pare de tentar me seduzir, sabemos que não sou o tipo de garota que você se interessaria, então vamos parar antes que alguém realmente se machuque e nesse caso, serei eu...
-- Como assim tipo de garota? - Ele perguntou interessado — Eu tenho um tipo especifico? - Ele estava se fazendo de engraçado, ou Isabella estaria delirando...
-- Ah fala sério Edward! - Ela retrucou — Todo mundo sabe, das mulheres incrivelmente bonitas, magras e famosas com as quais você é sempre visto por aí. Aquelas que você não precisa iludir, com mundos e fundos, para ter em sua cama. Porque na verdade, elas também estão usando você de alguma forma...
-- Nossa! - Ele exclamou voltando para o seu lugar — Eu não sabia que era tão fácil assim ter um perfil sobre mim.
-- Eu ficaria chocado com o que as pessoas falam de você!
-- Pode até ser, mas nenhuma delas é tão direta quanto você! - Ele disse fechando os olhos e os abrindo novamente — Por que você assim?
-- Assim como? - Foi à vez de Bella perguntar.
-- Assim? Sempre desconfiada. Na eterna defensiva, achando que todos estão brincando com você, essas coisas! - Ele argumentou — Você tem uma baixa alto estima que não deveria ter Isabella.
-- Enquanto isso, você tem um ego maior do que o mundo! - Ela disse irritada porque sabia que ele tinha razão.
-- Você vive a sua vida esperando garantias! - Ele disse seco — Deixe o seu mundo quebra de vez em quando. Não há garantias para nada neste universo, uma hora ou outra você sempre cairá e terá que se levantar novamente. Não importa se você se deixou cair. O que importa mesmo é como você se levantará...
-- Nossa! - Ela disse irônica — Você vai me vender um livro de alta ajuda agora? - Ela zombou.
-- Para quê? - Ele interpelou — Você já tem um monte na sua estante!
-- Ora seu! - Ela se preparou para dizer algo, algum insulto, uma ofensa que fosse, mas nada lhe veio à mente, porque tudo o que ela conseguia se lembra era de que Ângela, a sua melhor amiga, vivia lhe dizendo que ela viva como um monge, e sempre cheia de incertezas e inseguranças...
-- Chegamos! - Edward anunciou — Tenha uma boa tarde Isabella!
A porta fora aberta e a jovem piscou os olhos algumas vezes, e então, o seu corpo, instintivamente, se moveu para fora do carro de luxo de seu “amigo”Cullen.
............................
Já em casa, no final do dia, Isabella estava sentada no sofá tomando sorvete de chocolate diretamente no pote, enquanto fingia ver TV. Estava acompanhado o noticiário, ou melhor, ela não estava nem prestando atenção... As palavras de Edward ainda martelavam em sua cabeça, e como martelavam... Ela queria gritar, queria xingar e queria bater em algo, o problema era que Edward tinha razão, e o único culpado daquilo tudo havia sido Mike Newton, o cara com quem ela namorou boa parte de sua adolescência, e juventude. O cara, o qual ela encontrara em sua cama com a sua suposta melhor amiga Jessica, a garota por quem ela tinha desprezo e nem suportava ficar no mesmo ambiente que ela. Sim, se alguém deveria sofre com a sua ira, que esse alguém fosse aqueles dois e não Edward Cullen, por dizer a verdade.
Isabella foi tirada de seus pensamentos quando o seu celular tocou. Ela olhou para o visor e viu escrito “casa do Cullen”, ela meio que sorriu, pois a única pessoa que ligava para ela de lá era Angel. Pelo menos alguém sentia realmente a sua falta.
-- Oi querida! - Ela disse feliz.
-- Isabella? - Angel tinha uma voz chorosa.
-- Angel querida, aconteceu alguma coisa? - Ela estava preocupada.
-- Por favor, venha pra cá! - Ela pediu chorando e Isabella logo se comoveu. —Por favor!
-- Eu estou indo meu anjo... Já, já chegarei aí...
............................
Isabella conseguia ouvir os gritos mesmo estando do lado de fora da casa. Era a voz de Esme, ela sabia que sim, havia outra pessoa gritando, uma voz de homem que ela não reconheceu, no meio das duas vozes, ela distinguiu a de Edward. Ela caminhou até a entrada da morada, o motorista a reconheceu e apenas deu um sorriso como se dissesse “é estranho, eu sei... Apenas os ignore!”... Isabella se encaminhou para mais perto da porta, quando levantou a mão para bater, Angel apareceu.
-- Isabella! - Ela disse e correu para os braços da morena, se jogando ali completamente. — Me tira daqui, me tira daqui, me tira daqui...
A menina de cinco anos repetia aquilo como se fosse um mantra, Isabella a pegou em seus braços, ou melhor, em seu colo da melhor forma possível. A menina estava implorando para sair daquela loucura. Isabella também queria sair dali correndo, afinal era tantos gritos que ninguém conseguia entender de fato e nem saber que se passava. A moça sempre pensou que só gente pobre brigava daquela forma escandalosa, pura ilusão!
-- Tudo bem, nós vamos sair daqui! - Isabella disse levantando a menina em seus braços e seguiu em direção a Paul, o motorista da casa. — Pode nos levar para algum lugar longe daqui? - Ela pediu.
-- Claro Srta. Swan! – Ele anuiu abrindo a porta e permitindo que as duas entrasse.
Já dentro do carro, Isabella orientou o motorista quanto ao lugar que iriam, Angel estava grudada nela como se fosse um macaquinho, Paul seguiu em direção ao único lugar seguro que Isabella conhecia, a sua casa.
.............................
Angel dormiu calmamente em sua cama, quando Paul chegou ao seu apartamento, a menina já estava dormindo. Isabella pediu que o motorista desse um recado para Sr. Cullen, que ele dissesse ao seu chefe que a filha dele estava com ela e quando tudo acabasse ele poderia vir buscar Angel na casa dela. E então, Paul partiu.
Isabella estava sentada na sala, vestindo um baby-doll rosa com babados, um short curto e uma blusa quase transparente, quando duas batidas em sua porta, a fez saltar do sofá, ela olhou para o relógio, era quase duas horas da manhã, e única pessoa que poderia estar à sua porta naquele horário seria ele... Edward Cullen... O que queria dizer que a briga que acontecia na casa dele deveria ter terminado... Ela não cobriu o corpo, apenas caminhou e abriu a porta para que ele entrasse. Edward tinha os olhos vermelhos como se estivesse bêbado, mas não fedia a álcool, os cabelos estavam bagunçados, o que já era o natural dele, a gravata solta em volta do pescoço, do tipo quando você briga com alguém, depois fica totalmente descabelado e bagunçando, era assim que estava Edward, como se tivesse acabado de sair de uma boa briga.
-- Onde ela está? - Ele perguntou.
-- Dormindo! - Isabella respondeu — No meu quarto!
-- Irônico! - Ele disse com sarcasmos — A minha filha pode conhecer o seu quarto e a sua cama, já eu, nem da porta passo.
Isabella deu um risinho, e então abriu caminho para Edward entrar em seu pequeno apartamento.
-- Angel se comportou bem! - Ela o comunicou.
-- Já eu, não... Não é? - Ele completou — Muito justo!
-- Está tudo bem? - Isabella perguntou, havia algo de diferente nele, aquele olhar do tipo “eu sou o melhor” não estava mais tão vivo em sua face.
-- Não! - Ele retrucou — Mas vai ficar!
Ele se sentou no sofá e jogou a cabeça para trás fechando os olhos, primeiro achando o sofá bem macio e depois se sentindo em paz, após algumas horas de tanta loucura.
-- Ela me ligou chorando! - Isabella quebrou o silêncio.
-- Eu sei! - Edward disse — Eu mandei que ela te ligasse!
Isabella fitou-o chocada, ele ainda mantinha os olhos fechado. Por que será ele teria mandado Angel ligar para ela?
-- Você iria tirá-la de lá! - Edward respondeu como se tivesse ouvido a sua pergunta muda — Você não iria deixá-la naquela confusão dos diabos, eu sabia que com você, ela estaria segura, era melhor assim...
-- Obrigada por confiar em mim! - Isabella falou se sentando ao lado dele no sofá.
-- Eu ouvi gritos! - Ela disse tentando entender o que realmente acontecia ali.
-- Então você não pegou a parte do quebra-quebra! - Ele replicou com sarcasmos — Seria digno de um Oscar.
-- Edward, por que gritos? Por que toda aquela confusão?
-- Por que a minha ex-mulher é uma vadia desclassificada! - Edward disse abrindo os olhos em fúria.
-- Eu não conheço a sua ex-mulher! - Ela retrucou com cuidado, estava com medo do que via nos olhos dele
-- Não está perdendo nada! - Ele rosnou voltando a fechar os olhos e a deitar a cabeça, se deixando cair sobre o encosto do sofá. - Ela queria ver Angel! Eu não deixei, sempre que ela faz isso, só piora tudo depois, pois quando ela parte, Angel sofre.
Sim Isabella sabia disso, a própria Angel havia dito aquilo para ela, sempre que a mãe da menina ia embora a criança sofria. Não nessa ordem, não com essas palavras, mas de alguma maneira Angel deixou claro o que sempre acontecia.
-- Eu a machuquei onde mais lhe doía. Então ela revidou onde mais me dói... - Ele segredou e Isabella sabia que o rapaz ainda falava da ex-esposa — Eu não posso deixar Angel passar por aquilo de novo, ela não quer a filha e faz isso só para me inferniza, faz isso para...
-- Para lhe deixar sem chão e perdido! - Isabella completou.
Edward abriu os olhos e girou a cabeça para o lado em que Isabella estava sentada, e então, ele deu um meio sorriso que fizeram os seus olhos se enrugarem, ele parecia ter envelhecido uns cem anos só naquela noite.
-- Não quero acordá-la! - Edward declarou — E não quero voltar para casa!
-- Você pode ficar! - Ela assentiu e sorriu — Terá que dormir no sofá, mas poderá ficar!
-- Obrigado! - Ele disse sorrindo de forma tímida e sincera, pela primeira vez Isabella pensou — Você está sendo um anjo comigo e minha filha, querida Isabella.
-- Ok! Ok! - Ela disse levantando — Mas eu não sou tão boa assim...
-- Oh você é querida! - Ele afirmou com a voz cansada.
Edward se levantou muito a contragosto do sofá, quando Isabella voltou com cobertas e travesseiros, tudo bem limpo e cheiroso para ele.
-- Acho que você vai ficar bem aqui! - Ela disse terminando de arrumar tudo — Ângela, a minha amiga, dorme aqui às vezes, nunca reclamou, mas se bem que você é maior!
-- Não tem problema Isabella! - Edward afirmou — Só quero fechar os olhos e descansar um pouco! - Ele disse.
-- Tudo bem! - Ela anuiu — Boa noite, Edward!
-- Boa noite, Isabella! - Ele retrucou e antes que ela saísse daquele ambiente, ele a puxou pelas mãos e beijou o rosto da morena com carinho e gratidão. Um beijo inocente, um beijo doce e terno, sem maldades de sua parte.
O corpo de Isabella congelou, o fogo tomou conta do lugar em que os lábios dele tocaram... Sim, era um beijo inocente, ela gritou em seu íntimo, era um simples beijo, mas por que merda ela queria mais? Sim, ela queria, desejava e gritava por mais... A sua pele ardia pelo simples toque dele, o seu ar sumia dos pulmões e a sua respiração ganhava um ritmo de maratonista... O cheiro de macho, envolto em uma mistura de menta com hortelã era forte, ela deseja mais e queria muito mais. E ele estava ali tão perto que Isabella não conseguiria resistir, ela virou o rosto e tomou a boca dele em um beijo.
Primeiro os seus lábios tocaram os dele, que ficou ali por um momento congelado pela surpresa do ato da moça. Ele não acreditava que ela estivesse realmente fazendo aquilo. Achou que fosse mais um de seus devaneios, ela passou a língua pelos lábios dele, como se tivesse pedindo passagem e quanto ele abriu a boca, ela mergulho a sua língua dentro da boca dele.

 O beijo que era inocente, no começo, e cheio de medo, ganhou vida, as mãos dela estavam nos cabelos bagunçados dele, deixando-o ainda mais descabelado, as mãos dele, que estavam inertes, ao lado do corpo, no início do beijo, agora estavam na cintura dela, puxando-a para si, colado-a ao seu corpo.
O beijo ficou urgente e cheio de desejos profanos, as mãos de ambos ficaram agitadas e sem controle. As mãos de Isabella, ora estavam em volta do pescoço dele, depois escorregando pelo peito firme e forte do moço, ora estavam emaranhadas nos cabelos sedosos e macios de Edward, um verdadeiro deleite de se tocar. Assim como as mãos de Edward que ora estavam na cintura dela, prendendo-a em seus braços, ora escorregavam por toda a sua costa, indo até os quadris e se contendo para não as escorregar mais para baixo.
Ele puxou o corpo cheiroso da morena para junto de si, e então, foi descendo as mãos pela bunda dela e a ergueu, ela cruzou as penas em volta da cintura dele, então o beijo, que já era urgente, ficou mais intenso e quente, quando finalmente Edward caiu com ela no sofá. A boca dele que estava grudada a dela se separou em busca de ar, e foi para o pescoço macio da jovem, causando uma sensação doce e prazerosa para os dois. As mãos do rapaz apartavam a carne macia e rechonchuda da bunda da menina, e então, elas migraram para dentro da blusa quase transparente do baby-doll rosa que ela vestia. Os dedos dele passando por todo o dorso nu dela, lhe causando arrepios e isso fez com que ela soltasse um gemido rouco de prazer, uma das mãos de Edward fez o caminho inverso, descendo para dentro do short do baby-doll dela.
Sim, Isabella sabia o que aconteceria se continuasse, ela só tinha que se afastar dele, ela só precisava dizer NÃO... Foi essa a palavra dele naquela manhã, e por que não dizê-la agora? Ah sim, porque a boca dele estava em no pescoço dela, lhe causando sensações até então desconhecidas para ela. Porque nem mesmo Mike, conseguiu deixá-la com o corpo em chamas como ele estava fazendo naquele exato momento.
-- Bella! – Angel chamou de algum lugar.
Como se levasse um choque, Isabella empurrou Edward que caiu no chão, ao lado do sofá e da mesa de centro da sala.
-- Oi querida! - Ela respondeu com a respiração cortada.
— Eu to com sede!
-- Já levarei água para você! - Isabella disse se arrumando rapidamente e ficado de pé, ela viu Angel parada no pequeno corredor que levava para o seu quarto. — Volte para a cama, eu já, já estarei lá com a sua água!
A menina cocou os olhos e girou os calcanhares voltando para a cama. Edward permanecia caído no chão de barriga para cima, mãos atrás da cabeça com um leve sorriso de deboche nos lábios.
-- Nenhuma palavra! - Ela o advertiu, sabendo que qualquer coisa que saísse da boca dele, a essa altura, seria ironia e provocações. — Boa noite Edward!
Ela caminhou em direção a pequena cozinha e pegou um copo com água para Angel. Edward continuou no chão, olhando para o teto da casa da jovem, era um apartamento simples, bem simples mesmo. Nem quando ele era pobre, antes de enriquecer a custa de seu trabalho árduo, havia morado em um lugar tão humilde assim.
Isabella era simples, no andar, no falar e no vestir. Era inteligente, esperta e animada, sorria com veracidade e não tinha a malicia sacana que as outras mulheres que teve tinham, nem o ar de falsidade, ela era pura. Ela era apenas Isabella e algo nisso o atraia muito... Ela chamava em muito a atenção de Edward Cullen...
CONTÍNUA...


35 comentários:

  1. aiiii eles são tao fofos juntos =) Parabéns=) Estou amando!!!

    ResponderExcluir
  2. ameiiiiiiiiiii foi demais essa pegada deles .
    parabéns!!! linda!!!!!!!!
    estou feliz por vc esta postando no nyah de novo.

    ResponderExcluir
  3. capitulo lindoooooo... ate que enfim eles estão se acertando!!!!
    continua!

    ResponderExcluir
  4. Caramba adoreiiiiii

    ResponderExcluir
  5. adorei... :) eu quase me apaixonei por este Ed..
    vê-lo neste papel de pai é fofo demais.. :D
    espero ve-los juntos + vezes :)

    ResponderExcluir
  6. amei, amei, amei... kkk
    quero mais! to simplesmente viciada na fic *-*
    parabéns!

    Raissa

    ResponderExcluir
  7. Ahhhhhhh eles são lindos.
    Ansiosa para vê-los juntos.

    ResponderExcluir
  8. Adoro essa fic! Continua!
    P.s.: E "a empregada"? Desistiu dela? :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha linda nao desisti dela nao.
      Ela vai sair.
      So preciso acha momento certo e reorganiza as ideia para essa fic.
      mais pode acredita ela sair.
      algumas fic minha demora para sair mais sempre sair.

      Excluir
  9. Adorei, muito bom mesmo

    ResponderExcluir
  10. AFF. Este final foi hot.... Adoro esta ficou.... Aguardando por mais.

    ResponderExcluir
  11. Meu Jesus...que fofos esses dois'!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Amei!!!!!!!
    Será que agora eles começam a ficar juntos, tipo casal???

    ResponderExcluir
  13. Amei , estou ansiosa por maissss...
    Beijusss fofissss ;)

    ResponderExcluir
  14. Taaaao lindo. Acompanho o blog faz pouco tempo, mas ja estou apaixonada. Essa fic é simplesmente perfeita! ��

    ResponderExcluir
  15. Ameii!! Super ansiosa pelo proximo!!

    ResponderExcluir
  16. Nossa eu adoro esta fic.... Não q não goste das outras mas esta toda vez q vc posta paro tudo pra ler. Se pudesse pedia pra vc só escrever esta. Kkkk.
    Adorei o capítulo quero só ver como o Edward vai se comportar no próximo depois do beijo.

    ResponderExcluir
  17. comecei a ler faz pouco tempo mas já estou amando!!!

    ResponderExcluir
  18. Como sempre EU AMEI ESTE CAPÍTULO, e não vejo a hora de eles se entregarem ao amor e ao prazer claro . Para que eles possam enfrentar juntos os problemas que com certeza estão por vir.

    OBS : Não demore a postar (qualquer fic) por favor .

    PARABENS .

    ResponderExcluir
  19. Adoro esses dois Lily

    ResponderExcluir
  20. Jul M, te todas as suas fics que já le (que não foram todas mais to chegando lá rsrsrs) essa é minha favorita toda vez que entro no seu blog fico ansiando uma atualização dela é muito perfeita. To amando o desenrolar da história e desse casal divo. O capítulo de hoje ficou perfeito, ameiii. To ansiosa pelo próximo capítulo. Parabéns por suas histórias você é uma excelente escritora.

    ResponderExcluir
  21. Finalmente Edward conseguiu pelo menos um amasso no sofá! !!!! Rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  22. Adoreiii tá lindo, amo esses dois. Quero mais ;)

    ResponderExcluir
  23. Estou cada vez mais A.P.A.I.X.O.N.A.D.A por essa história... ta fugindo daquela mesmisse de varias fics q se encontram por ai... queria q vc colocasse a Bella lá na empresa do Edward só pra ver como vai ser os dois o dia td se provocando kkkkkk... mais eu confio nad suas ideias =)... Não se desanime... fassa jus aos q te prestigiam :)

    ResponderExcluir
  24. Cheguei atrasada mais cheguei, o que dizer? Cada vez mais perfeita essa história, como sempre você arrasando em mais um capítulo! Amei demais bjs

    ResponderExcluir
  25. Wow esses dois.. e a ex do Edward hein? Por que não some?

    ResponderExcluir
  26. Esses dois são tão fofos juntos, até que enfim um amasso e que amasso rsrs.

    ResponderExcluir
  27. Oi Ju eu estou louca da silva por esta historia, amo esse casal e agora q o bicho vai pegar, com essa intimidade toda rsrs e posta mais muito mais pra essa leitora avida por mais

    ResponderExcluir
  28. Linda, perfeita, magnífica... AMOOO esta fanfic!!!

    Jul M, você arrasa!!!

    Gabe

    ResponderExcluir
  29. Ficou divinal. Parabéns. Beijinhos

    ResponderExcluir