Jul M

Oi

domingo, 4 de maio de 2014

De Olhos Bem Fechados!-- Cap 7


PERDENDO O CONTROLE... ENCONTRANDO UMA RAZÃO...

Pense sobre assunto? Foi tudo o que Edward dissera a Isabella naquela noite. Durante todo o evento, ele se comportou como um verdadeiro lorde, ele apresentou a jovem sem insinuações ou algo que pudesse constrangê-la. Contudo, todos conheciam a fama do Cullen, ele não era impecável somente nos negócios, mas também no trato com as mulheres. Todos sabiam que ele sempre estava cercado, pelas mais belas beldades, ele as exibia como se fossem meros troféus de uma coleção inesgotável. Mulheres lindas, que desfilavam aos olhos da sociedade, mas que no final, todos sabiam que seriam apenas mais uma na cama do intrépido empresário. O caminho de volta ao hotel foi feito no mais completo silêncio, Isabella nada disse, apenas se manteve calada.
Durante a manhã seguinte, ela arrumou as malas da pequena Angel e guardou tudo que haviam comprado, enfim, partiram para o aeroporto.
Assim que aterrissaram em solo americano, Isabella já conseguia respirar e pensar com mais clareza. Ao chegarem à casa do Cullen, o chefe proporcionou a tutora, o resto do dia de folga, não que os dias nos quais estiveram viajando tivessem sido cansativos para moça, ao contrário, ela até se divertiu bastante, mas Edward sabia que o que ele havia jogado encima dela, precisava ser digerido com calma.
Edward chegou à empresa todo sorridente, ele sabia que logo teria a jovem Swan em sua cama, nenhuma mulher havia se negado a ele, quer dizer, excerto Victoria, que tinha lhe negado o seu amor...
-- Bom dia Sue! - Ele disse sorridente.
-- Bom dia chefe! - Ela retribuiu o cumprimento sorrindo — Tudo o que o senhor precisa, já se encontra em cima de sua mesa!
- Obrigado Sue! - Ele agradeceu — Peça a Emmett que venha a minha sala!
-- Claro!
Edward caminhou em direção a sua mesa, havia várias pastas sobre o móvel, mas apenas um envelope lhe chamou a atenção. Sue não comentou nada sobre a chegada de uma carta. Então ele tirou o seu terno e o colocou pendurado em sua cadeira, se sentou, já afrouxando a gravata. Edward pegou o envelope e não notou nada de especial ali. Ele o abriu e as suas narinas se inflaram quando entendeu de quem era a carta.
“Prezado Sr. Cullen!
Em hipótese alguma, eu sou ou serei o que você pensa de mim. Nem tão pouco serei mais um brinquedinho em suas mãos, o qual você usaria, abusaria e depois jogaria fora. Então te digo com todas as letras:
VAI SE FUDER FILHO DE UMA PUTA!!!
Esta é a minha carta de demissão!
Atenciosamente,
Isabella Swan,”
Emmett não podia ter entrando em pior hora, ainda mais, quando o cinzeiro que estava encima da mesa, voou em direção a porta. O homem que havia entrado com um largo sorriso, estava com raiva, com muita raiva mesmo...
-- Você ficou louco! - Emmett disse conseguindo desviar do objeto voador.
-- Quem ELA pensa que é! - Edward gritou amassando o papel entre as mãos.
-- O que ela fez dessa vez? - Emmett fora ingênuo ao pensar que se tratava de Victoria, mas o que ele poderia imaginar, afinal? Ela era a única mulher que conseguia tirar Edward do sério.
-- Quem essa FILHA DE UMA PUTA, pensa que é? - Ele gritou mais uma vez — Mais isso não vai fica assim, ela não sabe com quem esta mexendo!
-- O que Victoria fez dessa vez? - Emmett perguntou.
-- Victoria? - Edward disse chocado por Emmet achar que ele se referia à ruiva — Quem disse que falo de Victoria?
Emmett olhou confuso para o amigo que estava com um papel amassando entre as mãos. Emmett caminhou até a mesa e arrancou o papel das mãos de seu chefe, para logo lê-lo. Assim que terminou de ler, o jovem caiu na gargalhada, as risadas eram tão altas que poderiam ser ouvidas do lado de fora do escritório.
-- Então ela mandou você se fuder! - Emmett afirmou rindo mais ainda - Já gosto dessa garota.
-- Ela não vai gostar nada do que farei com ela.
-- Edward! - Emmett lhe chamou a atenção — Você não pode prejudicar essa garota, somente por ela ter se recusado a ser mais um brinquedo em suas mãos.
-- Cala a boca! - Ele disse mal humorado — Esses são os relatórios que eu preciso que você revise! - Edward disse mudando de assunto. — Faça isso agora...
-- Edward...
-- Faça o que lhe mandei! - Ele disse calando Emmett — Sue, por favor, venha até a minha sala! - Edward pediu pelo interfone — Saia agora, Emmett!
Emmett não gostou nada do que viu no semblante Edward. Ele buscava o amigo brincalhão de outrora, e não aquele cara vingativo e frio, que não respeitava as pessoas. Esse cara do mal tomou vezes do amigo de infância, desde que Victoria entrou na vida dele... Emmett saiu da sala assim que Sue entrou, ele deu de ombros e partiu levando consigo os documentos que precisavam ser revisados.
....................
Isabella estava procurando no jornal alguma proposta de emprego, agora que ela havia feito a sua escolha e pedido demissão da mansão Cullen, ela precisava arranjar um novo trabalho. Ela não queria contar com o dinheiro do Cullen, e ainda duvidava muito que ele fosse pagá-la pelos dias trabalhos, ainda mais depois da carta de demissão que ela enviou para ele. Aí sim, Bella não receberia nada.
A sua única preocupação era com a pequena Angel... Ela havia prometido a criança que não iria embora, e agora não tinha nem como explicar a ela o porquê de sua atitude.
O primeiro dia após o seu pedido de demissão, havia sido tranqüilo, nada aconteceu, nenhuma noticia por parte do Cullen. Já no segundo dia, um cheque chegou à sua casa, era da Empresa Cullen, lá havia uma nota que dizia que aquele era o pagamento devido pelos seus dias trabalhados. No terceiro dia, ela aproveitou para andar pelas ruas em busca de uma nova oportunidade de emprego. A moça passou por diversas entrevistas e sempre obtendo a mesma resposta, um sonoro NÃO!
Parecia mesmo uma espécie de complô! Ninguém acreditava que ela tivesse sido a tutora da criança Cullen, e os poucos que acreditaram, descaradamente, fizeram insinuações sobre qual teria sido o tipo de serviço ela prestou ao Senhor Cullen...
No quarto dia, Isabella saiu de uma das entrevistas que participou, bufando de raiva, o cara que a entrevistou, ousou perguntar se o Sr. Cullen a havia fudido em seu escritório.
Todos achavam que ela tinha sido fudida, usada sexualmente pelo Cullen e agora, em todas as opções de emprego que visitou, ela foi descartada. Isabella sentia raiva de si, sentia raiva do Cullen também, mas sentia mais raiva daqueles homens hipócritas, que acreditavam que toda mulher bonita deveria ser uma vadia. Ela chegou a sua casa exausta e faminta. Tomou um banho e se jogou no sofá, a jovem vestia apenas uma camiseta de seu time de futebol, além de meias até os joelhos, ela tinha um pote de sorvete nas mãos e estava vendo um filme chatinho em sua TV.
Duas batidas à porta e ela fora totalmente aberta, Isabella nem se deu ao trabalho de olhar quem fosse, pois ela sabia que só poderia ser Ângela, a sua amiga, ela era a única que entrava assim em sua casa, e de fato, a morena se jogou no sofá, ela estava com o rosto inchado de tanto chorar.
-- O que aconteceu? — Isabella perguntou.
-- Briguei com Ben! — Ela respondeu.
-- Lamento muito! — Isabella disse voltando os seus olhos para a TV — Logo vocês se entendem, esfrie a cabeça, primeiro.
Ângela passou cerca de duas horas reclamando do namorado, Isabella parou de ouvi-la assim que a primeira meia hora se passou. Ela já sabia como terminaria tudo, o namorado da amiga mandaria flores e bombons e tudo ficaria bem novamente. Ângela diria que ele era um idiota e logo depois o beijaria. E por fim, estaria tudo na santa paz novamente.
-- E você, como está com a sua busca de um novo emprego?
-- Uma droga! - Ela disse — A maioria dos caras acha que eu dormi com Cullen!
-- Credo! - Ângela exclamou — Eles são uns verdadeiros nojentos!
-- Não sei o porquê de eu ter a ligeira impressão de que isso seria coisa do Cullen.
-- Será mesmo? - Ângela refletiu — Pode ser... Mesmo porque, todo mundo conhece a fama do Cullen, nem uma mulher que tenha trabalhado com ele, sairá de lá sem que ele a comesse. - Ângela olhou para amiga — Que dizer, eu acho que só as idosas escaparam, e nem tenho certeza...
-- Mas eu não dormi com ele! - Ela disse ríspida.
-- Fazer o quê? Se você é louca e virgem! - Ângela disse rindo — Porra Isabella! O cara é um gato, além de ser podre de rico. Ele estava afim de você, e você o manda se fuder? Olha amiga, você vai morrer virgem mesmo...
-- Ângela, eu não ligo para o que ele tem ou é? - Isabella retrucou — O problema é que ele se acha o dono do mundo! Que pode comer, er fuder, quem ele bem entenda e deseje... Ele disse que me usaria como ele bem desejasse. E depois quando se cansasse me descararia como faz com todas as outras...
Ângela ficou olhando para amiga como se estivesse pensando seriamente sobre o assunto, ela saboreou um pouco do sorvete e então voltou a encarar Isabella.
-- E por que você teria que ser como as outras? - Ângela perguntou.
-- Ângela! Estamos falando do Cullen! - Isabella disse com raiva.
-- Sim, estamos falando do Cullen. - Ângela re-afirmou — Ele é um homem como qualquer um, Bella. Até os mais fortes se rendem algumas vezes, o que impediria dele se render a você? Ele é humano, tem um coração batendo no peito, ele não é de todo impossibilitado de se apaixonar!
-- Você é louca! - Ela proferiu chocada.
-- Louca? Na verdade, eu só estou dizendo, ou melhor, querendo dizer que você só seria mais uma na cama do Cullen, se quisesse. Você assim como qualquer uma, poderia ser tornar a namorada dele e conquistá-lo de vez! - Ângela olhou para a amiga — O problema é que você tem isso na cabeça de achar que será apenas mais uma, ao invés de pensar que poderá ser a última e a única na cama dele. Você aceitaria a proposta dele, você se aproveitaria do fato e o faria se apaixonar por você. Simples assim!
-- Você está completamente maluca, Ângela! - Ela disparou — Edward Cullen só amou uma mulher em toda a sua vida. Todas as outras que passaram pela vida dele, eram apenas mais uma em sua cama! Por que eu teria que aumentar essa estatística?
-- Por que você não é qualquer uma! - Ângela esboçou, com uma colher na boca — Caia na real Isabella, você ainda é virgem! Você tem vinte e três anos e é virgem! Sabe, ser uma mulher virgem hoje em dia, é coisa rara. Edward já teve várias mulheres, mas eu aposto que nunca teve uma virgem! Essa será a sua grande diferença. Você poderia tê-lo conquistado, mas deixou essa tal de falsa moral tomar conta de suas decisões...
-- Ângela eu não sou nenhuma prostituta! - Ela explicou.
-- E quem disse que você é? - Ângela rebateu — Isabella acorda! O mundo em que você vive, não é o mesmo de cem anos atrás, no qual as mulheres casavam virgens e os pais escolhiam os seus maridos. Acorde! Hoje as pessoas transam casualmente somente por prazer, as garotas de quinzes anos engravidaram, e você aí cheia de moral... — Ângela olhou para ela séria — Acorda, acha mesmo que outro cara como Cullen vai bater em sua porta e te querer? Acorda! Lembra-se de Mike? Do que ele disse sobre você para todo mundo? “Você é tão fria quanto uma geleira!”. Que merda, Isabella! O Cullen é um cara experiente e talvez uma trepada com ele, faça você ver melhor o mundo em que está vivendo.
Ângela estava com raiva e não era só por ter brigado com o namorado, era por Isabella ainda se mostrar cega para alguns fatos da vida. Ângela apenas disse algumas verdades que alguém já deveria ter dito a Isabella, para começar, o mundo havia mudado e como havia mudado. Ângela ficou de pé e devolveu o pote de sorvete para ela.
-- Eu vou para casa! – Ângela comunicou — E espero que consiga um emprego logo...
Ângela foi embora e deixou Isabella cheia de duvidas e sem repostas coerentes para elas.
........................
Edward estava em sua empresa quando Victoria invadiu a sua sala novamente. A ruiva o xingou e gritou com ele. Ela falou que Edward pagaria caro por ter arruinado o marido dela, e que ele se arrependeria caso cruzasse o caminho dela mais uma vez. A ruiva saiu da sala dele bufando de raiva. Edward já sabia que aquela mulher voltaria a dar as caras por ali, assim que ele viu a noticia sobre a falência das empresas Volturi estampadas nos jornais. Ele só não esperava uma Victoria tão cheia de fúria. O problema é que a ruiva já estava com outra pessoa, uma pessoa tão rica quanto Edward ou Aro Volturi. Ela simplesmente queria que ele soubesse que ela não deixaria aquilo barato, ela já tinha um plano para enfim, destruir Edward Cullen.
Victoria entrou no elevador como um furacão, tão rapidamente que nem notou a morena que saía do elevador ao mesmo tempo em que ela o adentrava. Isabella olhou para a bela mulher, que trajava um exuberante vestido vermelho, os cabelos dela pareciam em chamas, a sua maquiagem simplesmente perfeita e as bijuterias de grife... Ela é linda, Isabella pensou consigo mesma... Quando olhou para o rosto da mulher, ela notou que a ruiva estava tão furiosa que nem notou a sua presença.
Isabella caminhou até a mesa da boa senhora que trabalhava com o Cullen, a mesma que lhe havia entrevistado da última vez em que ali estivera. Assim que se aproximou, a mulher levantou a cabeça para fitá-la, ela ficou pálida ao reconhecer à jovem, mais logo se compôs.
-- Olá! - Isabella a cumprimentou — Eu sou Isabella Swan e gostaria de falar com o Sr. Cullen.
-- Ele está ocupando! - Sue lhe disse – É necessário que se agende um tempo para falar com ele.
-- Por favor, só lhe diga que Isabella Swan está aqui e que deseja falar-lhe!
-- Eu não acho...
-- Sue! - Edward disse saindo de sua sala e avistando a bela morena — Você aqui? - Ele disse surpreso e um sorriso presunçoso brotou em seus lábios.
-- Ela deseja falar com o Senhor! - Sue disse de pronto.
-- Você entra! - Ele apontou para Isabella — E quanto a você, eu desejo o relatório completo que lhe solicitei em minha mesa em trinta minutos.
Isabella sorriu para a senhora e caminhou em direção a sala do maior. O ego de Edward estava um pouco em baixa. Victoria já tinha soltados os cachorros encima dele e se Isabella fizesse o mesmo, ele perderia a cabeça. Assim que a menina entrou, ele trancou a porta, se encaminhou em direção de sua cadeira, passando por ela, mas não sem antes observar de perto à jovem, que vestia uma saia cinza e uma camisa de mangas longas preta, os cabelos estavam presos em um rabo de cavalo e ela calçava saltos medianos. Ela estava com uma pasta de documentos na mão. Ela provavelmente havia vindo de alguma entrevista.
-- Sente-se! - Ele disse já se sentando em sua própria cadeira.
-- Não precisa! - Ela disse — Eu serei rápida!
-- O quê? Veio pedir o seu emprego de volta?
-- Você é um cretino! - Ela disse e Edward cerrou os olhos para a moça — Você mandou um comunicado para todas as firmas, alegando que eu não tinha capacidade de trabalhar em uma grande empresa entre outras coisas! - Ela gritou furiosa.
-- Não seja ridícula! - Edward disse tenso, a jovem havia descoberto o seu trabalhinho sujo.
-- É realmente não foi você! Talvez tenha sido a sua adorável secretaria! - Ela disse sarcástica — Você não vale nada!
-- Saia já da minha sala! - Edward replicou irado — Eu não estou disposto há perde o meu precioso tempo sendo ofendido.
-- Não mesmo? - Ela revidou ríspida — Pois bem Sr. Cullen, eu venho lhe comunicar que o seu plano vil, não deu certo! Eu consegui um emprego e vou ganhar o dobro do que ganhava trabalhando para o Senhor. E sabe qual é a melhor parte? Eu não vou precisar ir para cama com ninguém!
Isabella proferiu as suas últimas palavras e se virou sem esperar uma resposta por parte dele. De repente, tudo que Isabella sentiu foi o seu corpo ser puxado e imprensando contra a porta.
-- Quem você pensa que é? - Edward perguntou segurando o rosto da jovem petulante — Você não passa de uma...
-- De uma o quê? - Ela revidou — De uma mulher honesta que não caiu na sua cantada barata?
-- De criança! - Ele disse — Não passa de uma criança!
Edward soltou à jovem e passou as mãos pelos cabelos, ele caminhou de volta para a sua mesa, aparentando calma.
-- Lamento por isso Srta. Swan! - Ele articulou — E meus parabéns pelo seu novo emprego. Se não tiver mais nada o que me dizer, pode se retirar e tenha um bom dia!
Isabella ficou olhando para ele chocada, como ele conseguia mudar completamente, de uma hora para a outra? A morena não disse mais nada, simplesmente saiu da sala indo embora de uma vez.
...........................
Isabella começaria a trabalhar na segunda-feira, na empresa Bloom. Ela seria a secretaria de James Bloom, um homem importante no mundo dos negócios e bastante conhecido no meio da alta sociedade. O homem pareceu não se importar com as informações que lhe foram dadas sobre a jovem, e teve o prazer de contar a Isabella sobre a tramóia do Cullen. Isabella não sabia o que levou James a contratá-la, mas mesmo assim, resolveu aceitar o emprego, mesmo porque ela precisava trabalhar para pagar as suas contas.
Ângela chamou Isabella para sair naquela noite, ela e Ben haviam se entendido e eles estavam querendo ir novamente, se divertir, na mais nova boate da cidade. Isabella estava tão feliz que aceitou ir como os amigos. Ela tinha conseguido um bom emprego, possuía amigos verdadeiros e estava, definitivamente, livre do Sr. Cullen.
.....................
Edward estava na sala dele quando Emmett entrou lhe trazendo novos relatórios revisados. Emmett olhou para o rapaz e logo percebeu a cara de enterro do chefe.
-- O que aconteceu? - Emmett perguntou ao amigo.
-- Victoria esteve aqui! - Edward contou — Isabella também...
-- Quem é Isabella? - Emmett indagou.
-- A tutora de Angel. Que dizer a ex-tutora!
-- O quê ela queria, aqui? O emprego dela de volta?
-- Não! - Edward disse desanimado — Antes fosse... Ela veio dizer que descobriu que eu havia enviado um comunicado para várias empresas, pedindo para que ela não fosse contratada!
-- Eu espero que ela tenha enfiado a mão na sua cara! - Emmett disse estupefato, mas achando bem feito para o amigo — Edward, isso foi errado...
--- Ela não enfiou... Mas me xingou e disse que eu não valia nada! - Edward disse e parecia magoado — Ela já está trabalhando, e adivinhe onde? Na Empresa Bloom com James.
-- Que bom que ele tenha dado um emprego a ela! - Emmett retrucou.
-- E em quanto tempo você acha que ele cobrará isso dela?
-- Você fez o mesmo! - Emmett rebateu.
-- Não! Eu sempre dei a ela uma escolha! - Edward disse sem titubear — Além do mais, eu sempre recompenso as mulheres muito bem.
-- Dando dinheiro ou jóias caras a ela? Você iria tratá-la como uma prostituta. É o que você faz com todas...
-- Eu não faria! - Edward negou — Eu gosto dela!
Emmett olhou assustado para o amigo.
-- Não me olhe assim! - Edward pediu — Eu não a amo! Eu só gosto de deixá-la com raiva, vê-la bufar e ainda assim, me dizer: Sim Senhor...
-- Você é um doente! - Emmett comentou rindo.
-- Você tem razão, ela não é como Victoria. Ela tem caráter! - Edward afirmou — O problema é que ela disse que eu não a respeitei, mas nós sabemos que James fará o mesmo, não é? Ou quem sabe até pior...
-- Sim! - Emmett confirmou --- Ele já possui em justiça, uma grande lista de assédio sexual. Uma a mais ou outra a menos, não vai fazer diferença...
-- Eu sei! - Edward disse realmente se sentindo culpado.
-- Venha! - Emmett convidou — Eu vou com Rose a uma nova boate. Você precisa mesmo esfriar a cabeça...
....................
O destino não poderia ser mais ardiloso do que estava sendo. Edward chegou à boate juntamente com Rose e o amigo Emmett. Eles seguiram direto para a área vip, de onde poderiam ver toda a movimentação do lugar. Não foi difícil ele perceber que Isabella também estava ali, ela estava linda, usando um vestido preto. Dançando e sorrindo, ela tinha um copo na mão, ela estava bebendo. Edward nunca a vira beber antes. Ele ficou ao longe, apenas observando a moça, ele viu quando ela voltou para mesa, ela estava com amigos, ela sorria, mas alguma coisa mudou... De repente, um cara chegou acompanhado de outra garota. Edward estava distante, mas notou que Isabella enrijeceu. O cara e depois a garota, cumprimentaram a todos. A morena, que Edward chegou à conclusão que fosse amiga de Bella, se aproximou e todo o brilho existente no olhar de Isabella se perdeu.
Isabella estava tensa, Mike e Jessica no mesmo lugar em que ela, isso não acontecia desde a última festa em que estiveram juntos e que ela descobriu que o então namorado, andava comendo a sua suposta amiga. Mike ficou olhando Isabella da cabeça aos pés, ela tentou ignorá-lo, mas estava difícil, ele bebia cada vez mais e Isabella já não se sentia mais confortável naquele lugar.
-- Ângela eu já vou indo? - Ela disse.
-- Tudo bem! - A amiga sabia como era desconfortável para a morena ficar ali e ver aqueles dois juntos.
Isabela se preparava para ir quando a primeira piada veio da parte da loira. Jessica, segundo Ângela, sempre teve inveja da morena, o problema é que Isabella nunca acreditou naquilo e quando percebeu enfim, já era meio tarde...
-- Eu não acredito! - A voz enjoada da loira ecoou bem próxima a ela, pois a moça praticamente gritava devido à altura da música. — Já está indo Swan? Mas por quê? Agora que a noite está ficando boa!
-- Só se for para você! - Isabella disse pegando a sua bolsa que estava em sua cadeira à mesa.
-- Para mim, sim! - A loira retrucou — E ainda vai ficar melhor, afinal Mike e eu ainda vamos fazer amor, hoje à noite!
Isabella sentiu uma grande vontade de vomitar, ela nunca imaginou que Jessica fosse tão baixa. Claro que ela estava enganada a respeito de muitas coisas sobre aquela garota.
-- Sorte a de vocês! - Ela disse e tentou sair. Mas Jessica entrou em sua frente. Mike apenas ria do outro lado da mesa – Jessica, eu quero passar!
-- Por quê? - Jessica disse cínica e maldosa — Por que vai para a sua casa para se fuder com os seus dedinhos? Porque e só isso o que você sabe fazer. Porque ninguém gosta de garotas como você. Tolas e sem graças. Nem mesmo Mike a quis.
-- Você é louca! - Isabella disse sem entender o que se passava ali. Observou bem a loira que estava bem mais bêbada do Isabella imaginava - Saia do meu caminho.
Isabella tentou passar mais uma vez, porém a loira entrou no caminho dela novamente, Jessica deu um sorriso irônico, bem típico dela.
-- Vocês sabem por que o Mike a deixou? - A loira alcoolizada perguntou, Isabella olhou para Ângela em busca de socorro... Porém a morena estava sendo enjaulada pelos braços do namorado. As outras pessoas que estavam à mesa, ficaram olhando para as duas garotas, alguns pensativos e outros apenas se divertindo com a cena toda. - Ela é virgem, e fria! A loira disse rindo — Ela nem mesmo sabe fazer um boquete!
Isabella sentiu o seu corpo todo tremer, mas as coisas ainda iriam piorar, de repente, todos na mesa começaram a olhar para ela e fazer comentários sussurrados, alguns já rindo e outros com cara de pena para com a jovem. O fato é que Jessica mais uma vez, acabara de humilhá-la em público.
-- Ela não passa de virgemzinha que não sabe fuder! - Jessica disse em alto e bom tom — Não é à toa que Mike corria para a minha cama todas as vezes que saia da casa dela.
Isabella fechou as mãos em pulinhos ao lado de seu corpo, a vontade dela era socar a cara de Jessica, mas ela sabia que se fizesse aquilo, seria colocada vergonhosamente para fora da boate e a sua entrada naquele lugar, super descolado, seria proibida. Ela estava com a cabeça baixa, a face corada de raiva e vergonha... O problema era que Jessica, um dia, fora a sua melhor amiga e sabia coisas demais sobre ela, e revidar as palavras maldosas da ex-amiga, seria ser colocada em ridículo pela loira que não desperdiçaria uma chance como aquela.
-- Ou talvez, o ex-namorado dela seja um babaca! - Isabella ficou mais tensa ainda, ela reconheceu a voz rouca e fria que ecoou no meio da briga — Agora se eu entendi bem, acho que Isabella disse que quer passar.
Jessica virou chocada ao se deparar com ninguém menos do que Edward Cullen. Afinal, quem não conhecia Edward Cullen, naquela cidade? Dificilmente se acharia alguém que não o conhecesse. Todos sabiam quem ele era, ou pelo menos, já tinham ouvido falar dele. A verdade era essa, ele tinha muito dinheiro e poder naquela cidade. A sua fama era bem conhecida em todo o país, quiçá no mundo.
-- Sr. Cullen!? - Jessica disse em um sussurro.
-- O próprio! - Ele respondeu seco — E você está atrapalhando o caminho da minha garota. Saia da frente!
Isabella não entendeu mais nada... Primeiro, por que Edward estava ali? Segundo, por que ele estava, devidamente, colocando Jessica em seu lugar? Isso ela não poderia negar, ela estava adorando. Terceiro, por que ele estava a ajudando? E quarto e último, por que ele estava estendendo a mão na direção dela?
Isabella tentava refletir rapidamente sobre tudo aquilo, depois ela ficou alguns segundos fitando a mão vazia de Edward. Então, olhando em sua volta, ela percebeu que ninguém mais dizia algo ou a olhava com desdenho, todos estavam paralisados com a presença de Edward ali. Os risinhos e as piadas pararam. Mike estava com a maior cara de babaca e ao mesmo tempo com raiva, para ele, ninguém nunca iria querer Isabella. Bem, na verdade, essa era uma grande mentira que ele contava para ele mesmo, todos os dias. A menina sentia um gostinho bom na boca, aquele gosto que se chamava vingança, então, arrebitando o seu nariz, ela aceitou a mão do Cullen, que a puxou para os seus braços. Sem dizer mais nada, ambos saíram de lá... Só houve tempo de Isabella ver o sorriso feliz de Ângela, que pareceu apreciar a atitude do rapaz.
Isabella caminhou até a saída abraçada a Edward, ele por sua vez, não a soltou nem mesmo quando já estavam do lado de fora da boate. Eles seguiram em direção ao carro do rapaz, que abriu a porta do carona para que a jovem entrasse.
-- olhe... - Ela começou a falar, mas Edward não deixou que ela terminasse.
-- Entre Isabella! - Ele disse naquele tom que deixava Isabella maluca, um tom de comando, de ordem... ...e que ao mesmo tempo, deixava o corpo dela ansioso por algo, que ela ainda não sabia bem o que podia ser...
Isabella entrou no carro e pela primeira vez naquela noite, se sentiu realmente envergonhada por tudo o que tinha acontecido dentro daquela boate. Se Edward interferiu, era porque havia ouvido tudo o que Jessica dissera sobre ela, então ele sabia agora a verdade...
-- Você não precisava fazer aquilo! - Ela sussurrou bem baixinho, porém, como tudo estava em silêncio dentro do carro, ele a ouviu.
-- Aquela mulher não passa de uma grande vadia! - Edward disse com fúria, então se pôs a dirigir pela cidade. Isabella ainda não sabia para aonde estavam indo — Por que anda com pessoas como aquela garota? - Ele indagou.
-- Não ando mais! - Ela disse dando de ombros — Nós não somos mais amigas há bastante tempo, contudo isso não quer dizer que não tenhamos amigos em comum.
-- Então, por que deixou que ela falasse daquele jeito sobre você?
-- Olhe... - Ela disse se virando na direção dele, que mantinha as mãos presas ao volante, apertando com força e meio que travando o seu maxilar. — Ela era a minha melhor amiga...
-- Até o seu ex-namorado fudê-la e você descobrir! - Edward completou - Isso só deixa claro que ela nunca foi sua amiga, porque se fosse, ela não teria feito isso com você.
--- Eu sei disso agora! - A morena disse olhando pela janela e se deparando com a escuridão lá fora.
-- Deveria escolher melhor com quem anda Isabella! - Edward ajuizou - As pessoas nem sempre são o que parecem.
-- Está falando de você? - Ela rebateu irônica — Por que até a bem pouco tempo atrás, você me fez a pior proposta que alguém já me havia feito, além de me comparar com uma perfeita vadia, com uma prostituta...
-- Por que não me disse que era virgem? - Ele perguntou e ela corou — Se tivesse dito teria sido diferente.
-- O que teria sido de diferente? Você teria me mandado flores? - Ela zombou, mas a sua voz era fraca demais para ser considerada com uma ironia proposital.
-- Não! Eu teria deixado você em paz e me controlado quando você estivesse por perto! - Ele disse sincero — Isabella, eu não gosto de menininhas. E você sempre foi uma menininha, eu apenas me recusei a ver isso antes. Virgem então! Seria bem mais complicado... Você merece alguém que lhe ame de verdade e não alguém que quer apenas se aproveitar de você, por puro prazer e luxuria.
-- Jura que você está dizendo isso? - Ela foi bem pungente e não porque as palavras dele tenham a ofendido, mas sim porque ela não gostava de ser comparada a uma mera menininha.
-- Claro! Toda mulher deve ter a sua primeira vez com um cara que goste dela de verdade, um cara que a ame e que a faça se sentir especial.
-- Você só pode ser excêntrico! - Ela disse mais para si mesma do que para ele — Você fode metade de Manhattan e quer que eu acredite que entende algo sobre amor... Você está de brincado, né?
Edward respirou fundo, e então soltou o ar preso nos pulmões. Ok, Isabella tinha motivos de sobra para não acredita nele, ele havia sido um verdadeiro canalha com ela, mas agora que sabia a real condição sexualmente dela, ele entendia que tinha sido um grande canalha.
-- A minha primeira vez foi uma merda! - Ele disse e chocou a menina — Eu não gostava da garota, e bem, eu era apenas um adolescente cheio de hormônios e louco para iniciar a minha vida sexual, além do mais, todos os caras da minha turma já estavam transado por aí, somente eu ainda era virgem. Então acabei ficando com uma garota da minha sala, nós transamos no banheiro da Escola, eu só queria deixar de ser virgem e a garota, bem ela, também era virgem e eu não estava nem aí para aquele fato... - Edward olhou para Isabella quando ele parou o carro no sinal vermelho — Eu entendo que esse papo de primeira vez, seja algo marcante para vocês mulheres, para nos homem é apenas sexo... A tensão de se livrar do estigma de ser o virgem da turma, de querer fuder adoidado... Eu sei que com vocês é diferente...
Isabella nada disse, apenas o ouviu desabafar, ela se perguntava o porquê dele não ter sido gentil com ela antes, como estava sendo agora. Ele não era tão filho de uma puta, como ela acreditava que ele fosse... De algum modo, ele se importava com ela...
-- Bem! - Edward continuou — Se desejar o seu emprego de volta, ele será seu... Não quero nada em troca e nem vou tentar nada com você.
-- Tudo isso por que eu sou virgem?
-- Não! Tudo isso porque é o certo a se fazer! - Edward disse fazendo a curva — Você não merecia ser tratada daquele jeito... Hoje, quando vi aquela garota falando coisas sobre você, me fez ver que eu não fui tão diferente dela, quando tratei você daquele mesmo jeito...
-- Eu já tenho um emprego! - Ela disse — Como Angel está?
-- Com raiva de você! - Ele foi direto — Você fez uma promessa a ela e a quebrou. Ela está furiosa.
-- Eu sinto muito...
-- Diga isso a ela e não a mim! - Edward falou parando o carro e então Isabella reconheceu o seu prédio, ele sabia onde ela morava.
-- Eu não queria...
-- Já disse, diga isso a ela e não mim! - Edward rebateu — Foi a Angel quem você magoou e não a mim.
-- Eu posso vê-la? - Isabella perguntou esperançosa.
-- Você conhece os horários dela! - Edward respondeu simplesmente — Tem a minha permissão de ir vê-la! Faça como desejar!
-- Obrigada! - Ela disse agradecida — Por tudo, por ter me defendido, mesmo quando eu não esperava... Obrigada por me deixar ver Angel.
-- Ela gosta de você! - Edward afirmou — Não a machuque!
-- Eu não vou! - Isabella sussurrou sincera — Amanhã à tarde, eu passarei lá para vê-la!
-- Me ligue antes! - Edward pediu — Assim avisarei Carmem, que é a nova tutora dela!
-- Claro! - Isabella assentiu — Boa noite!
O que Isabella fez, pegou Edward de surpresa, a menina beijou o rosto do rapaz antes de sair do carro, um beijo simples e carinhoso na bochecha dele... O homem ficou ali esperando que ela entrasse no prédio e quando, enfim se deu conta, ele estava com um pequeno sorriso de satisfação nos lábios.

CONTINUA..

28 comentários:

  1. Affff cada vez mais apaixonada!!!
    To amando tanto essa história, sempre quero mais e mais.

    ResponderExcluir
  2. owwwwnnn q lindo!!
    O Edward como sempre chegando e dominando o território. E eu estou preocupada com a Bella trabalhando para o James e sem falar que a Victoria vai aprontar.
    Meu Deus estou cada dia mais curiosa e ansiosa, então please postar o mais rápido possivel ou não terei mais unhas. kkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. AMEI,ADOREI fugiu completamente do que eu esperava,espero que ela aceite o emprego de volta pois já vemos que James não é flor que se cheire,aliás acho que são raras as FICS em que ele (James) presta.
    Enfim a senhorita JUL M sempre nos surpreendendo.

    Congratulations a FIC esta ótima.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ownnnnnnn, que sweety!!!! Ansiosa para o próximo.... Beijinhos flor

    ResponderExcluir
  5. Amei Paulinha o Eddie já está se entregando aos poucos mais está!!

    ResponderExcluir
  6. Nossa me surpreendeu esse capítulo, eu amei tanto ele que não tenho palavras, fiquei muito feliz você escreveu algo que eu não esperava mas eu amei tanto que quanto mais você escreve mais eu quero. Sei que não e fácil escrever e conciliar com a vida pessoal mas cada vez que vejo que você atualizou chega da um frio forte na barriga kkkk
    Amo demais, assim que puder posta mais !!!! Mais que apaixonada por esse casal, por essa histórica, pela Angel e por essa Bella deu boazinha e madura, enfim sou uma completa apaixonada pela sua história! Amo muitoooo bjs Jul M

    ResponderExcluir
  7. CAAAAAPITULO MAAARA!!!

    ResponderExcluir
  8. Amei!
    O Ed tá começando a gostar da Bella; e a Angel será que ela vai perdoar a Bella???
    Please more....

    ResponderExcluir
  9. concordo plenamente com o outro comentário
    foi maaara!!!!!!!
    esse capitulo,deixou aquele gosto de quero mas.
    bjssss até o proximo !!!!

    ResponderExcluir
  10. orei JUL M essa fic cada vez me faz apaixonar, eu fiquei triste porque a bela saio da casa dele e deixou anjel sozinha.. anseio o próximo cap.

    ResponderExcluir
  11. Ansiosa pelo próximo volta logo !!! Rs

    ResponderExcluir
  12. Ai ai to vendo que esse Edward vai ficar cada vez mais apaixonando, amando flor! Bjs

    ResponderExcluir
  13. hum temos um looonnngo caminho pela frente, mas parece que o nosso Edward já está se rendendo aos encantos da Bella!!!! adorando aquiii

    ResponderExcluir
  14. Essa Victoria não vale nada em, tomara que o Edward veja que isso que sente por ele não é amor de verdade!! Amando querida Jul M! :*

    ResponderExcluir
  15. Tipo assim: QUERENDO MAIS E MAIS!!! Arrasou nesse capítulo.

    ResponderExcluir
  16. Quero mais, muito bom capítulos

    ResponderExcluir
  17. Cadê o próximo capítulo que nao chega? To cansada de esperar ;(

    ResponderExcluir
  18. Jul cadê vc cadê o capitulo?

    ResponderExcluir
  19. capitulo novo!!! ������

    ResponderExcluir
  20. Cadê o capitulo!!!!!!!!!!!!!! Posta logo por favozinhooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  21. aiii comecei a ler agora, mas ja to amando!!!
    quero mais caps!

    Raissa

    ResponderExcluir
  22. cadê a atualização dessa desse história? Tenha mais consideração com a gente Jul ! Posta essa história pois ta demorando muuuuito ;(

    ResponderExcluir
  23. Amando a cada capitulo que leio; Estais de parabéns Juh. Só poderia ter atualizações dos capítulos mais rápidos.

    ResponderExcluir
  24. Jul olha tem uma coisinha q me incomodou... nos primeiros capítulos quando a Bella é contratada a idade dela é 21 e já nesse é 23

    ResponderExcluir