Jul M

Oi

segunda-feira, 21 de abril de 2014

De olhos bem fechados-- cap 5

JOGUINHOS DE SEDUÇÃO E POSSE...

O dia se passava normalmente, a não ser pelos olhares estranhos de Carmem para a bela morena e a visita de Esme naquela manhã. A renomada dama da alta sociedade parecia estar bem enraivecida com o comportamento do filho, era possível se ouvir da cozinha da casa, os gritos da mulher para com o seu filho, esse por sua vez, não revidava nada do que lhe era dito.
Isabella foi buscar Angel na Escola, quando a criança chegou a sua casa, ficou deveras feliz por ver que o pai estava lá para o almoço. Edward estava à mesa ainda vestido de terno e gravata, como era de costume, pois logo, ele teria que sair de volta para o seu trabalho.
-- Papai! – A menina disse animada pela surpresa, correndo em direção a ele.
-- Oi minha pequena anjinha! - Ele disse beijando carinhosamente o rosto da filha — Como foi na Escola?
-- Legal! - Ela respondeu contente — Eu aprendi várias coisas novas!
-- Isso é ótimo! - Ele replicou — Agora, vá lavar as suas mãos para podermos comer.
A menina saiu correndo em direção ao banheiro, Isabella apenas ficou parada, mantendo a distância necessária de seu chefe, além de desviar o seu olhar do dele.
-- Você poderia se sentar à mesa, se desejar e se sentir bem em almoçar conosco! - Ele sugeriu em um sorriso torto.
-- Obrigada Sr. Cullen! - Ela respondeu seca — Mas prefiro comer junto aos outros empregados!
A tutora fez menção de se retirar, mas a mão firme de Edward segurou a dela, antes que ela chegasse à porta. Estavam sozinhos, naquele ambiente e isso já era um mau sinal.
-- Eu não costumo ouvir ou aceitar, um NÃO, com resposta, Isabella! - Ele disse em um tom sedutor e ao mesmo tempo autoritário.
-- Eu acredito que não! - Ela disse ironicamente — Mas felizmente, eu tenho princípios e conheço o meu devido lugar. Não aceito ser manipulada ou ameaçada, com uma cadelinha que obedece ao seu dono cegamente.
-- Uma boa comparação! - Ele disse sorrindo torto como um verdadeiro “filho de uma puta gostoso” que era, e isso, fez com que a tutora tremesse um pouco — Porém, eu não costumo abrir mão daquilo que quero... Em especial, daquilo que ainda não tive o prazer de ter em meu domínio e controle...
Edward soltou o braço da menina na mesma hora em que Angel entrou de volta no ambiente, logo atrás da criança, chegou Carmem com o primeiro prato que seria servido. Isabella apenas saiu do recinto, assim que a mulher entrou trazendo a comida de seu chefe.
........................
Edward tinha um sorrisinho divertido no rosto quando chegou à empresa, assim que entrou em sua sala, não demorou muito para que Emmett aparecesse em sua porta, trazendo os novos contratos já revisados, apenas para que o amigo assinasse.
-- O que aconteceu? - Emmett conhecia tão bem o amigo, que sabia, que para que ele estivesse sorrindo àquela hora, algo bom deveria ter acontecido.
-- Por que teria que acontecer algo para que eu me sinta feliz?
-- Ora Edward, não me venha com essa! - Ele retrucou — Já somos amigos há muito tempo, você foi padrinho de meu casamento, o irmão de Rose foi namorado, e agora é o noivo de sua prima Alice. Então não me venha com essa! Eu te conheço! O quê você anda aprontando?
-- Ainda não aconteceu nada! - Ele disse, encostando-se ao apoio de sua cadeira e sorriu safado — Mas logo, logo acontecerá...
-- O quê? Dê-me um exemplo?
-- Não seja curioso! - Ele disse sorrindo — Eu apenas estou me distraindo...
-- Ok! - Emmett rebateu desconfiado — Só não esqueça que a sua ultima distração custou quase meio milhão para a empresa.
-- Aquilo foi erro, não uma distração! - Ele disse sério.
-- E continuará sendo um erro, todas as vezes que você ceder! - Emmett o repreendeu — Edward, eu até entendo que você ainda a ame, mas sempre que ela volta você comete loucuras... Contenha-se homem!
-- Ela não tem mais aquele mesmo controlo sobre mim! - Edward disse tenso.
-- Espero que seja verdade! - Emmett redargüiu lhe entregando os contratos — Porque você acaba de quebrar o marido dela, o que quer dizer que ela vai vir como fogo de gás para cima de você.
-- Desta vez, eu não vou aceitar!
-- Você disse isso das outras vezes! - Emmett o lembrou — Ela só quer o seu dinheiro, ela não quer família. Nunca desejou isso...
-- Emmett eu sei de tudo isso! - Ele disse em um tom que deixava claro que ele era o chefe e que Emmett estava ultrapassando os limites.
-- Então fique longe dela! – Emmett advertiu — Eu digo isso para o seu próprio bem! Aquela mulher ainda vai ser a sua ruína!
Emmett não esperou para ouvir a resposta do amigo, pois ele já conhecia todas elas... Edward era perdidamente apaixonado por aquela mulher, era com se tivesse jurado amor eterno a ela, até a morte... Ele parecia levar a sério aquele juramento. Por mais que ele ficasse com outras mulheres, ela sempre seria a primeira, ela sempre o teria nas mãos e isso deixava Emmett preocupado. A ex-esposa do amigo era a pior mulher do mundo, e todos sabiam da sua fama, gananciosa e crueldade...
.....................
Isabella passou à tarde toda com Angel. Depois que a criança deixa que alguém se aproxime, ficava mais fácil se perceber toda a doçura e bondade que existia em seu coraçãozinho. A menina só precisava de atenção, infelizmente a forma que usava para conseguir esse intento não era nada convencional. Isabella ajudou a criança a fazer o dever de casa, reforçou algumas questões as quais Angel estava tendo problema, brincou com a menina de boneca. A mesma boneca que ela havia comprado para a menina naquela manhã.
Após o lanche da tarde, ela levou a menina para o parque, voltando já quase às dezoito horas. Quando chegou a casa, Carmem foi quem as recebeu, o Cullen ainda não havia chegado, ela subiu com Angel para tomar banho e Carmem as seguiu.
-- Deseja alguma coisa Carmem? - Ela perguntou.
-- O Sr. Cullen pediu para que você passasse a noite com Angel! - Carmem repassa o recado — Ele não dormirá em casa, pois terá uma reunião importante e depois outro compromisso, sendo assim, chegará muito tarde e não poderá colocar Angel na cama, pediu para que você fizesse isso.
-- Mas o meu horário termina às seis! - Ela falou mais para si mesma.
-- Ele disse que as horas extras, serão acrescentadas ao seu salário! - Carmem explicou — O Sr. Cullen costuma ser generoso com os seus funcionários. Ainda mais aqueles que dão uma especial atenção ao que ele pede...
Isabella não deixou de perceber a ironia nas palavras da mulher. Na noite anterior, Carmem a viu sair do quarto do chefe e pelo estado em que ela se encontrava, tirou as suas próprias conclusões.
Isabella deu o jantar para Angel e quando a pequena terminou, elas foram para o quarto da garota, onde a tutora voltou a ler o livro “O Pequeno Príncipe” para a mocinha. Angel parecia gostar daquela obra, assim como gostava das histórias que falavam sobre o antigo Egito, Roma, Grécia, da mitologia grega e romana, tudo aquilo parecia fascinar a pequena Angel. Quase às nove horas da noite, ela deitou a menina na cama e ficou com ela até que Angel dormisse. Bella ainda deixou tocar algumas canções de ninar, eram várias música, mas havia uma, mais precisamente na faixa três, que era muito linda e se chamava “A minha Angel”. Isabella ficou curiosa, porque na capa do CD, tinha apenas escrito: “Canções para Angel dormir bem”... Não dizia quem era o compositor e nem quem tocava as músicas que tinha uma melodia deveras agradável, o som era de um piano.
Isabella saiu do quarto da criança e a casa estava totalmente escura. Carmem já havia se recolhido, o que era óbvio, pois não havia barulho e Angel dormia tranquilamente. Isabella caminhou em direção ao seu quarto no final do corredor, ela sabia que Carmem não dormia na casa, ela tinha um pequeno caso com o motorista de Angel, então a maioria das noites ela passava no quarto homem, nos fundos da casa ou como os ricos gostam de dizer, na casa dos empregados.
Ela seguiu para o seu quarto, assim que entrou, simplesmente fechou a porta, ela poderia até ter trancando a chave, mas quem iria invadir o seu quarto, se as únicas pessoas na casa era ela e Angel, que dormia profundamente. Os seguranças estavam do lado de fora e não tinham permissão para entrar na residência. Isabella tirou a roupa e entrou em seu pequeno banheiro para tomar um bom banho.

 Ela tentou se esquecer, mas sempre que a sua mão escorregava em seu corpo, ela se lembrava do toque de Edward, e mesmo querendo negar para si mesma, ela desejava sentir aquele toque de novo em seu corpo.
Isabella saiu do banheiro frustrada, o seu corpo estava acesso, de repente, ela saltou para trás, ao se deparar com Edward sentando em sua cama, segurando a sua calcinha, estilo cueca, nas mãos.
-- Sexta- feira! - Ele disse – Mas hoje é quarta-feira...
Por que as palavras de deboche que saíram da boca dele, pareciam palavras doces, mesmo tendo um cunho malicioso? Ele estava sendo irônico e ela estava ofegante, ele estava no quarto dela na casa dele, um quarto que era bem maior do que o que ela possuía em seu apartamento... Ele estava sentando sobre a cama dela e segurava uma de calcinhas nada sexy que ela possuía, nas mãos. O seu chefe vestia uma camisa branca, que estava aberta, deixando a mostra o seu peitoral perfeito e bem definido, ele ainda trajava calças social preta e os seus pés estavam descalços, os cabelos, maldosamente, bagunçados e enlouquecedores...
-- Você não deveria estar aqui? - Ela disse sentindo raiva.
-- Apenas passei para conferir se estava em casa! - Edward disse deixando a calcinha sobre as suas pernas — Você é uma moça bonita, deveria usar coisa mais apropriada ao seu belo corpo.
-- Eu uso o que eu quiser! - Ela disse irada.
-- Senhorita Swan, você é tão inteligente para algumas coisas... - Ele disse ficando de pé e mantendo a calcinha dela em as suas mãos. — Mas tão complicada para outras...
-- Você já viu que estou aqui! - Ela falou em um tom mais alto — Eu não deixei Angel sozinha, então saía de meu quarto!
-- Essa é a minha casa! - Ele disse inalterado — E ninguém me manda sair de canto algum de dentro dela!
-- Eu mando! - Ela rebateu provocadora — Esse é quarto destinado a mim, quando estou trabalhando aqui! E se eu estou aqui, eu deixo quem eu quiser entrar e até onde sei, eu não lhe dei autorização para que entrasse.
Edward chegou mais perto dela, Isabella sentiu o seu coração bater duas vezes mais rapidamente, então ele parou a sua frente, chegando o seu rosto mais para próximo do dela e sussurrou apenas para ela ouvir, como se houvesse mais alguém ali, além deles dois.
-- Você não sabe o quanto me fascina fazendo esse jogo! - Edward confessou — Mas eu já te disse, não sou homem que aceito um NÃO, e tão pouco, que joga para perder...
-- Eu não estou jogando! - Ela disse e a sua voz estava trêmula.
-- Oh você está sim, querida! - Ele disse mais não a tocou — A sua mente diz não, até porque você ainda está brigando com a razão, mas o seu corpo, ah, o seu corpo quer o meu sobre o seu... ...a minha boca sugando a sua boca e o meu pau bem enterrando... ...com força dentro da sua buceta molhada...
Isabella sentiu as suas pernas ficarem completamente bambas. Ele nem sequer havia tocada nela, foram apenas palavras, mas aquelas palavras estavam fazendo um enorme estrago na moça...
-- Mas tudo bem minha querida! - Ele disse dando um grande sorriso torto, o que a deixou bamba de vez — Eu não tenho pressa, sou um excelente empresário e os meus grandes negócios foram feitos com muita calma, todavia, todos me deram um bom lucro... Paciência é algo que possuo de sobra. E não há nada mais prazeroso, do que ver o rosto de um oponente, quando se estiver prestes a declarar um xeque-mate...
Isabella nada disse, ela estava perdida na fragrância dos lábios dele, eles estavam meio secos, mas os olhos dela não conseguiam sair da boca dele...
-- Tenha uma boa noite Senhorita Swan! - Ele disse e simplesmente saiu do mesmo modo que entrou.
Isabella ficou chocada e o seu corpo estava em chamas, ela sempre soube que trabalhar para aquele homem lhe traria problemas, mas nunca imaginou aquele tipo de problema.
..................................
A semana se passou em um zoom, o sábado chegou finalmente, Isabella se despediu de Angel na sexta-feira à noite. Quando o sábado chegou, ela fez uma bela limpeza em sua casa, pois o seu pequeno apartamento em ordem.
Ângela, a sua amiga, foi à tarde se encontrar com ela. Isabella estava ajudando Ângela com o fechamento das contas da moça. Isabella fazia isso há bastante tempo, ela era realmente boa com número e livros contábeis.
-- Isso será um baita problema! - Ângela disse depois que a amiga lhe contou sobre o chefe — Você poderia processar ela por assédio!
-- E tornar isso em um escândalo? - Ela rebateu — Não obrigada! Ângela ele não me tocou, que dizer, não foi exatamente um abuso. - Ela tinha a face corada — Ele estava bêbado e...
-- Ele tocou ou não tocou em você, Isabella? - Ângela perguntou.
-- Ângela...
-- Ai meu Deus! - Ângela gruiu — Isabella, você gostou! Oh sim, você gostou! Você está até vermelha.
-- Ângela! - Ela disse corando ainda mais.
-- Eu sabia! Essa sua implicância com ele, não era normal... - Ela concluiu.
-- Não é nada disso! - Isabella tentou argumentar — Ele é um cretino! Além do mais, eu não serei apenas mais uma na cama dele!
-- Oh, isso é verdade! - Ângela assentiu — Até porque, você ainda é virgem... — Ângela olhou para ela e sorriu - Você não é do tipo de se envolver em aventuras. E caras como o seu chefe, curtem apenas uma boa aventura...
-- Ele foi casado! - Isabella disse com uma pitada, bem escondida, de ciúme — Ele não fala sobre a esposa, mas a filha disse que a mamãe dela sempre volta.
-- Acho que foi um caso mal resolvido! - Ângela analisou como se entendesse tudo sobre o assunto — Falando nisso amiga, eu preciso ligar para Ben.
-- Fique a vontade! - Ela falou.
Ângela saiu deixando Isabella sozinha, alguns minutos depois, ela voltou saltitante, a morena olhou para amiga com um belo sorriso, em resposta a sua empolgação.
-- Vamos sair! - Ela afirmou — Ben vai nos encontrar naquela boate nova.
-- Angel eu não estou a fim de sair hoje! - Ela respondeu.
-- Sem chances Isabella! – A amiga continuou sorrindo — Eu não posso ir sozinha e Ben vai nos esperar lá.
-- Aquele amigo esquisito dele, não vai estar lá, vai? - Isabella perguntou receosa.
-- Erick? Oh não, ele não vai estar lá. Vai ser só a gente mesmo!
-- Ângela, eu vou ficar de vela!
-- Só vai ficar se quiser! - Ângela rebateu — Terá um monte de caras bacanas por lá. E só escolher um e dar um montão de beijinho. Você não precisa dormir com ele! - Ela sugeriu maliciosa — A não ser, que você queira... É claro...
.....................
A casa noturna estava lotada. Isabella olhou em volta e se perguntou como Ângela iria encontrar Ben naquela multidão, mas a amiga conseguiu. Isabella usava um vestido vermelho, bem justo ao seu corpo, já cheio de curvas. Os seios estavam mais cheios, devido ao detalhe de não haver alças em seu traje, os cabelos estavam soltos, como poucas vezes ela se permitiu usar na casa do Cullen. A menina seguiu a amiga pelo grande salão lotado, até que elas conseguiram avistar Ben. Ele não estava sozinho, havia duas pessoas estranhas e completamente desconhecidas para Isabella com ele. Eram duas belas moças, elas se pareciam muito. Ângela sorriu e beijou o namorado que acenou para Isabella.
-- Essas são Mary e Charlotte! - Ben gritou por cima da música.
-- Prazer! - Isabella disse, mas foi completamente ignorada pelas duas.
Ela não sabia se as duas realmente não a ouviram ou simplesmente se achavam melhor do que ela. Então por fim, Isabella fez o mesmo, ela as ignorou. A música era boa, mas Isabella não estava no clima. Ângela estava animada, ela estava com o namorado, então por que não estaria?
Isabella por sua vez, odiava segurar vela, e de fato, ela estava segurando, já que Mary e Charlotte sumiram na multidão, deixando Isabella bem mais confortável, afinal ela estava livre dos olhares desdenhadores das garotas esquisitas.
Isabella estava quase indo embora, quando começou a tocar a música “Go Go Girls” do Go Bad, ela gostava daquela canção, gostava tanto que nem se importou com a multidão e foi dançar, mesmo sem dizer nada para Ângela. Ela partiu para no meio da multidão.
O corpo de Isabella mexia perfeitamente ao ritmo da música. As mãos pequenas da menina passeavam pelo seu corpo, de maneira sexy e ousada... Atrevimento, esse que Isabella nem mesmo sabia ter... Talvez o fato de estar irritada, ou o fato de estar sozinha, ela não sabia explicar, mas ela sentia que queria chamar um pouco de atenção para si... Talvez o modo que as duas garotas olharam para ela, como se ela fosse um NADA... As suas roupas não eram de grife cara, os seus sapatos tão pouco, mas ela se sentia bonita. Usava um belo par de brincos, um colar legal. Está certo que era tudo bijuteria, mas de muito bom gosto. Isabella não tinha dinheiro para esbanjar. Estava ganhando bem agora, contudo, ela ainda tinha algumas contas a pagar, tipo o empréstimo de sua Faculdade, além de ajudar o pai com as finanças. Ela era uma jovem muito responsável com seus compromissos e não abria mão disso.
Ela se deixou levar pela batida da música, ato que a fez lembra-se que era uma mulher livre e que podia fazer o que bem quisesse... O que ela não esperava, era que o seu jeito de dançar, fosse chamar a atenção de certo alguém de olhos verdes profundos, que estava em um camarote VIP, apenas observando à jovem, desde o momento em que ela chegara. Era como se fosse um imã... Ele sentiu a menina no ambiente e com os olhos a buscou, bem a tempo de reconhecê-la parada ao lado de sua amiga, perto da porta de entrada, e então, seguiu a jovem com os olhos para saber onde ela ficaria. Ele viu quando as duas garotas olharam para ela, como se ela não fosse um nada, e isso o deixou com raiva... Por ela, ou sim ela, pois ela estava linda, mesmo vestindo aqueles trapos que ela chamava de roupa.
Edward não conseguiu controlar o seu desejo, mesmo estando acompanhado, ele saiu de seu lugar privilegiado e caminhou pelo meio da multidão, em direção a pista de danças. A loira que o acompanhava, não se importou, havia algumas pessoas com eles, amigos de Edward, amigos ricos, os quais ele não suportava, contudo, precisava conviver com eles para o bem estar de seus negócios.
Lá estavam, Felix Dior, um grande empresário, que adorava esbanjar e não media esforços para ser o centro das atenções. Rico, e sem o menor escrúpulo. Demitre Chool, um magnata da construção civil, talentoso para os negócios, mas um péssimo homem em casa, já tinha passado por mais de dez casamentos desastrosos. Heidi parecia não se importar em ficar na companhia deles e de suas mulheres de adorno...
Isabella estava com os olhos fechados, ela mexia os quadris de um lado para o outro, de maneira provocativa e chamativa, as suas mãos escorregavam pelo seu corpo, era a verdadeira visão do pecado... Inesperadamente, o seu corpo congelou, quando ela sentiu mãos fortes e firmes segurar a sua cintura... Um hálito gelado contra o seu pescoço, mas foi o cheiro, aquele cheiro, que ela reconheceria em qualquer lugar, que fez o seu coração dar saltos no peito.
-- Vamos lá querida! - Edward sussurrou ao seu ouvido — Continue a dançar, você estava indo muito bem!
Isabella se xingou mentalmente, mas quando Edward passou a mover o seu corpo, que estava praticamente colado ao dela, fazendo ela sentir a sua ereção pulsante contra a bunda dela, ela engoliu em seco e se sentiu incapaz de sair dali. Ela voltou a se movimentar, provocando ainda mais o maior, que tinha as mãos em seu corpo, apalpando e tocando de maneira possessiva. A ereção do homem ficava cada vez maior e mais dura, devido os movimentos da bunda da menina de encontro ao pau dele. Ele estava deveras excitado. Foi tudo muito rápido, a música acabou, o corpo de Isabella endureceu... A menina estava com a respiração ofegante, só então, ela se deu conta do que se passou... Ele era o chefe dela, ele era Edward Cullen, o cara mais rico e o maior galinha de todo Os Estados Unidos, e se ela continuasse naquele joguinho de sedução, ela seria a próxima que ele fuderia e deixaria na manhã seguinte...
Isabella se afastou bruscamente e saiu correndo pela multidão, sumido das vistas de Edward. Ele não foi atrás da jovem, ele sabia que ela fugiria assim que ela se desse conta do que estava acontecendo, para Edward, tudo não passava de um jogo... Um jogo que ele estava adorando participar...
Edward voltou para o local em que estava antes, o tesão entre as suas calças, era maior ainda, especialmente depois da dançinha sexy com a Srta. Swan. Ele olhou para a loira magnífica que estava sentada no sofá vermelho, com uma taça de champanhe na mão, ela não era morena, nem a ninfeta a qual o seu pau clamava, mas serviria por aquela noite, para fazer com que ele liberasse a sua tensão...
........................
O domingo foi tedioso para Isabella. Ângela não foi à casa da moça, mas enviou uma mensagem perguntando o que havia acontecido para que ela tivesse ido embora sem avisá-la. A segunda-feira chegou e Isabella nunca se sentiu tão nervosa em retornar a casa do Cullen como estava se sentindo naquela manhã. Vestindo as suas usuais calças pretas de linho e a camisa branca, ela amarrou os cabelos em um coque alto, então foi esperar Angel para levá-la para Escola. Isabella ouviu passos na escada, ela não se virou, mas ela sabia bem quem era... E como imaginara, era justamente, a única pessoa que conseguiria a deixar sem graça...
-- Bom dia Srta. Swan! - Edward disse muito próximo ao seu ouvido, causando um arrepio involuntário em seu corpo — Você estava magnífica na noite de sábado...
--- A pequena Angel não vai para Escola? - Ela perguntou ignorando o comentário do chefe e se afastando dele.
-- Angel já está descendo! - Edward disse caminhado para a sala de jantar. Carmem acabara de entrar no ambiente em que eles estavam — Carmem o meu café, por favor? Eu tenho uma reunião importante agora pela manhã!
-- Claro Senhor!
A loira apenas olhou intrigada mais uma vez para a morena, que tinha a sua face vermelha. Isabella subiu as escadas rapidamente indo direto para o quarto de Angel.
.........................
Isabella estava na cozinha, ela já havia deixado Angel na Escola. A moça estava comendo algo quando Carmem entrou. A governanta olhou para a morena de cima a baixo, então se aproximou, pegou um prato e começou a fazer um pequeno sanduíche para si. Isabella não gostou nada da forma que a loira olhava para ela. Carmem nunca havia a tratado mal, mas sempre deixou bem claro que não se agradava da presença da tutora na casa, e isso, ficou mais claro ainda, no dia em que Edward a agarrou em seu quarto, bem ali, Carmem soube que havia algo errado...
-- Algum problema? - Isabella perguntou quando ficou insuportável aturar os olhares acusadores da loira.
-- Nenhum Srta. Swan!
-- Isabella, Carmem! O meu nome é Isabella! - Ela disse geniosa — Eu prefiro que me chame assim...
-- Já eu, prefiro manter a boa conduta e formalidade! - Carmem disse circunspecta — Até porque, nós não somos boas amigas!
-- Claro! - Isabella rebateu seca.
A menina terminou o seu lanche e recolheu o prato, já o lavando, quando ela se preparava para sair, Carmem destilou um pouco de seu veneno...
-- Ele nunca levará você a sério! - As palavras da loira fizeram à morena parar no meio do caminho — Não se iluda menina, o Sr. Cullen ver você como um passatempo divertido. Quando ele se cansar de você, será mandada embora, assim como todas as outras que ele já teve. - O corpo de Isabella ficou tenso — Ele sempre amou e sempre vai amar a Sra. Victoria. Ela sim, é a mulher perfeita para ele! Ela tem classe e berço, não é como “essazinhas” com quem ele aparece e se diverte - Isabella fechou as mãos em volta do seu corpo — Quer um conselho? Se ainda não caiu na conversa dele, sugiro que fique longe, mas se já caiu, te aconselho que aproveite ao máximo, porque você será chutada como todas as outras...
Isabella não disse nada, apenas saiu em direção ao seu quarto. Agora ela sabia o porquê de Carmem não gostar de outra mulher na casa, ela era fiel a ex-esposa do Sr. Cullen. A governanta seria capaz de lamber o chão para daquela mulher... O problema é que Isabella não sabia quem era a ex-mulher dele. Os jornais nunca mostraram fotos deles juntos, apenas dizia que ela era uma mulher incrível e perfeita para ele. Claro que Edward deve ter pagado muito caro para conseguir tal feito, ninguém tinha mais controle sobre a mídia do que os Cullen. O pai dele era o dono de um dos maiores jornais do país e isso significava manipulação de certo...
Mas a sua curiosidade maior era quem seria essa tal da Victoria?

Continua...

11 comentários:

  1. uou.... da um vontade de dar uns tapa nesse Edward.. cara abusado!
    rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkk
      da vontade e de abusa dele fato
      beijos aninha

      Excluir
  2. sempre dessa desça Carmem uma cadela da ex patroa, logo se ver o tipo de mulher e essa Victoria que larga a filha pra viver raparigando ao redor do mundo, espero que a Bella fique bem espertinha com as cobras ao redor

    ResponderExcluir
  3. Adorei... Ansiosa para o próximo !!!

    ResponderExcluir
  4. Essa Carmem é uma víbora, e o Ed ñ vai mais querer saber da ex dele.

    ResponderExcluir
  5. adoreiiiiiii ansiosa pelo próximo..........

    ResponderExcluir
  6. amei !!!! ansiosa pelos próximo capitulo.
    jul não demora postar

    ResponderExcluir
  7. Eu preciso falar que já amo essa?? Nahhhh!! Menina como vc anda leve nada de sexo e gifs de sexo nesses capitulos postados.... Jul, more vc tem um exercito de seguidoras aqui, por favor, post mais frequentemente.... E a nova história? A empregada começa quando?

    Ah e quem não tem adiciona a Jul no FACE é mais facil pertubar ela ^^!!

    ResponderExcluir
  8. Eu espero que a Bella não ceda facilmente, que ela faça o Edward e esse ego todo dele ser engolido, que ela o deixe louco, mas não pir causa do sexo, mas por ser diferente, que a Victoria perto dela não seja nada, tanto para ele quanto para a Angel.
    Ele tem as coisas e mulheres muito fácil, Bella precisa mudar isso.
    Quanto a idiota submissa e baba ovo da Carmem, espero que ela sofra uma desilusão e humilhação vindo da Victoria e que peça desculpas a Bella.
    O Edward não a quis e fica nessa inveja e amargura.
    Quero ver o Edward aos pés da Bella.

    ResponderExcluir