Jul M

Oi

quarta-feira, 30 de abril de 2014

One -- Shot-- Saída De Emergência

ONE SHOT
SAÍDA DE EMERGÊNCIA
Isabella precisava de dinheiro e com urgência, ela estava quase sendo despejada e para piorar a sua situação, ela havia acabado de ser demitida. Ângela uma amiga de longa data, lhe sugeriu algo meio indecoroso... A idéia da moça era que Isabella se tornasse, pelo menos por um curto tempo, uma Dama de Companhia...
Isabella sempre criticou o tipo de vida que a amiga levava, pulando de cama em cama, com caras ricos e desconhecidos, que tudo o que queriam de Ângela era apenas sexo. Mas dizem por aí, “que a ocasião faz o ladrão” e sem saída, Isabella acabou por aceitar a sugestão da amiga. Ângela lhe explicou, que Bella poderia apenas acompanhar pessoas, ela não precisava, necessariamente, dormir com clientes, todavia se o fizesse, ganharia bem mais por uma noite...
Isabella ignorou o comentário da amiga, aceitou o serviço porque realmente precisava pagar o seu aluguel, ela estava devendo ao seu senhoril mais de três meses de aluguel atrasado e isso representava uma quantia considerável, para quem não dispunha de recurso algum. Denotava um valor bem maior do que ela ganhava em uma noite servindo mesas no CAFÉ DO JAMES, aquele velho muquirana que pagava uma verdadeira mixaria para as suas garçonetes e ainda tentava abusar delas, cobrando certos favores... No entanto, o velhaco safado, na frente de sua esposa bancava o homem sério e honrado. James demitiu Isabella quando ela se recusou a dormir com ele, por solicitar um adiantamento de salário, e pior ainda, alegou que a menina tentou seduzi-lo e roubou-lhe dinheiro do caixa. Por todas essas acusações, ela foi colocada no olho da rua, sem nem um centavo no bolso, e agora, estava sendo ameaçada de ser despejada pelo sindico do edifício em que morava, caso não pagasse os aluguéis atrasados até o final de semana próximo.
Um amontoado de fatos adversos levou a menina a aceitar a ajuda de sua amiga. Isabella tinha um plano formado, ir a uma festa com um desses homens desconhecidos, lá, ser uma boa acompanhante e no final da festa, receber o valor devido sem precisar dormir com ninguém. Seria um bom plano, caso o homem que a contratou, não fosse tão atraente como aquele era. Isabella só teve um único namorado na vida, com ele, só teve uma única experiência sexual... A sua primeira relação não foi lá essas coisas, pois foi com ele que perdeu a virgindade, e o seu ex-namorado Mike, estava mais interessado em matar a sua vontade, do que satisfazê-la sexualmente. E depois daí, ela nunca mais tentou nada, nem mesmo arrumar um novo namorado.
Edward era um homem rico, que poderia ter a mulher que desejasse aos seus pés, e até que de certo modo, ele, realmente, as tinha, porque as mulheres ficavam se jogando para cima dele, porém ele sabia que aquele fato se dava por causa de seu poder, beleza e conta bancária. Só que naquela noite, ele aceitou o conselho de seu amigo de infância Emmett. Edward precisava comparecer a um evento de sua empresa e não queria chegar sozinho, porque sempre que ele chegava desacompanhado, as mulheres viam nele uma chance de ter mimos caros, então Emmett lhe sugeriu que contratasse umaDama de Companhia em uma das diversas Agências que ofereciam aquele serviço. O processo era bem simples, ela pagava pela companhia de uma bela mulher e ainda tinha o direito de escolher qual delas ele desejava ter ao seu lado, através de um book que continha a foto de todas as acompanhantes da agência. E se desejasse algo mais, era só pagar por fora. Muitas daquelas mulheres eram mesmo prostitutas de luxo, algumas até que não, elas apenas se limitavam a ser uma perfeita Dama de Companhia, mas isso era bem raro naquele meio.
Edward pensou até em recusar, mas quando soube que a sua ex-noiva estaria na festa, ele achou melhor não chegar lá sozinho. Tânia estava saindo de um casamento falido e estavam atrás de alguém para cravar as suas garras. Em hipótese alguma, seria ele a quem a Denali agarraria.
Quando Edward ligou para a Agência, a sua única exigência foi que a moça que lhe acompanhasse, deveria ser morena, não queria nenhuma loira e nem alguém pegajosa. Como ele não tinha tempo para escolher através do Book da Agência, ele resolveu confiar na escolha da proprietária.
A única coisa que Edward não esperava era encontrar alguém tão tentadora quanto quem a Agência de Acompanhantes lhe enviou. A bela morena tinha cabelos negros e longos, que caíam em suas costas com cascatas, a maquiagem era leve, tão perfeita que fazia com que o seu rosto exibisse uma expressão de anjo... Possuía um sorriso tímido que poderia ser comparado, ao de uma criança, por seus olhos grandes, cor de chocolate que o deixaram hipnotizado.
E se estava sendo uma grande tortura para Edward manter as mãos longe do corpo da bela Srta. Swan, imagine a situação para Isabella, como foi difícil não corar toda vez em que o homem a elogiava. Edward era educado, um verdadeiro cavalheiro, do tipo que puxava a cadeira para uma dama, ou que se levantava, todas as vezes que a dama fazia menção de se levantar. Ele era rico e bonito, Isabella não entendia o porquê de um homem como ele, se utilizar daquele tipo de serviço, ela apostaria um dedo da mão, que ele poderia ter quem ele quisesse sem precisar pagar pela companhia de quem quer que fosse, no entanto, ela estava grata de ter sido a escolhida para estar com ele naquela noite, porque assim pode conhecer um homem tão encantador quanto ele.
Edward passou a noite toda sentindo “um certo” incomodo em suas calças. O perfume da menina o estimulava. Dançar com ela, mesmo em uma pista cheia de gente, foi divino. Ter o corpo daquela morena, tão próximo ao seu, foi um inferno, ele estava completamente duro e louco por ela. E agora, que a noite estava acabando, Edward estava em um grande dilema, descobrir como era o corpo que se escondia dentro do lindo vestido negro ou acabar aquela noite sem mais nenhum contato...
.......................
Isabella nunca, em toda a sua vida, tinha agido daquele jeito. Mas aquele homem estava tirando todo o seu juízo e fazendo-a se comportar como uma verdadeira puta. Ele a agarrou dentro do carro, lhe beijou como muito desejo e ardor, os beijos eram quentes e luxuriosos, tanto que por causa deles, ela se deixou levar para um quarto de hotel de luxo, em companhia de um homem milionário. As roupas de Isabella ficaram perdidas no chão, assim como as calça cara do homem. Isabella estava deitada na cama de pernas abertas, sem calcinha, apenas vestindo o seu sutiã, os cabelos dela estavam totalmente bagunçados, os lábios inchados... Enquanto isso, Edward estava em pé, bem no meio das pernas dela, do lado de fora da cama, trajando uma mera camisa, o homem experiente, esfregava o seu cassete na buceta de Isabella, ele batia no clitóris da jovem com a cabeça do seu membro inchando, umas das pequenas mãozinhas da morena, segurava uma de suas pernas, a mantendo aberta para que ele a admirasse, a outra mão da moça, repousava um pouco acima, entre a sua barriga e a sua buceta.

 Isabella não sentia vergonha dele, ela se sentia desejava e pegando fogo, ainda mais, quando Edward olhava para ela com tanto desejo vertendo dos olhos.
-- Você tem uma buceta desejável! - Edward declarou olhando para a menina — Que pede para ser fudida, muito bem fudida...

Isabella deu um leve sorriso, ela estava tomada pelo desejo, a morena levou uma de suas mãos para o seu clitóris e a outra segurava a sua coxa. Edward colocou a cabeça do pau dele na entrada da buceta da jovem, ele teve um pouco de dificuldade ao penetrar dentro dela, pois ela era muito apertada, até parecia uma total virgem, quando a cabeça entrou, ele arremeteu de uma única vez, fazendo a menina gemer alto e os olhos se arregalarem de tão profundo que ele foi.

 Edward era muito grande, por um momento, ela achou que ele não fosse caber dentro dela. Se Bella comparasse o pau dele ao de Mike, o do ex-namorado, não chegaria nem a metade do tamanho do pênis de Edward.
Edward apoiou uma de suas mãos sobre a barriga de Isabella, para então, começar a fudê-la com força e vontade. Edward entrava e saia com pericia naquela buceta pequena e apertada.

-- Delicia! - Ele gemeu olhando para a jovem — Você tem uma bucetinha bem apertada neném!
Isabella gemeu em resposta e isso foi o bastante para Edward a fuder com mais força. Os gemidos de Isabella não eram falsos e Edward sabia, e o fato dela corar, toda vez que ele olha nos olhos dela, mostrava muito mais do que ela queria mostrar.
Edward mudou a posição deles, se livrando de sua camisa. Ele se deitou na cama, deixando Isabella por cima. Ele deu uma leve tapa na bunda da menina, então ordenou que ela o montasse. E foi o que a morena fez, ela o montou com perfeição, mesmo com a sua pouca experiência, Isabella passou a subir e descer no pau do homem, fazendo ambos gemer em êxtase. 


Edward dizia palavras vulgares, coisas que Isabella nunca havia ouvido na vida, mas o seu tesão era tanto, que ela não se importou, ou ficou chocada... Ela queria mais e mais daquele homem. A moça passou a movimentar os quadris para frente e para trás, dando reboladas encima do pau do maior, ou ainda, pulava sobre ele, mantendo o membro dele bem dentro da buceta dela, o levando a se aprofundar mais nela.

-- Isso neném, vai! Engole o meu pau com essa sua bucetinha gostosa! - Edward dizia dando mais tapinhas na bunda da menina, a fazendo gemer.
Edward sabia que Isabella era jovem, bem jovem por sinal, mas sabia também, que naquele momento, nada importava, ele queria mesmo era ver a menina gozar em seu pau. E foi o que Isabella fez, ela gozou gritando e fazendo muito barulho, tanto que o deixou encantado, depois que ele entendeu que era ela quem os fazia e por causa dele...
Edward, rapidamente, deitou a menina de lado, então votou a penetrá-la com delicadeza. Ele se enterrava por completo dentro daquela cavidade gostosa, fudia a buceta da morena como se fosse o sinal dos tempos. Edward metia com força dentro dela, muita força mesmo, fazendo ambos gemer em deleite. 


Ele estava inchado e pronto para gozar. Isabella tinha as pernas abertas, ela as segurava com as mãos, enquanto Edward estava com as mãos apertando os seios dela por cima do sutiã, a menina gemia como uma gata manhosa no cio, já o homem se enterrava com prazer dentro da buceta dela.

 Edward meteu, meteu e meteu, até que Isabella gritou gozando novamente, quando estava preste a gozar, ele se retirou de dentro dela, removendo o preservativo, então gozou melando a coxa da menina e espirrando na buceta dela. 

Ele fez de propósito, ele queria marcar território, ele desejava isso e se outro homem fosse ter aquela mulher, naquela noite, saberia que ele a fudeu, porque era o seu sêmen que estava ali, era o seu cheiro que teria no corpo da morena.
Isabella chupou o pau de Edward, obedecendo à ordem que ele dera a ela, a menina chupava a cabeça do pau do homem e o tocava com as mãos, o masturbando, enquanto, o chupava. Isabella chupou Edward até que ele gozasse em sua boca, enchendo-a com o seu prazer...

................................
O dinheiro pago pela noite foi bem mais do que Isabella esperava. Edward saiu enquanto ela dormia, ele deixou um cheque bem gordo para ela, que ficou chocada com tanto dinheiro. Ela enfim, conseguiu pagar o aluguel e guardou um pouco. Já havia se passado duas semanas desde que tinha estado na cama com aquele homem quente e tentador. Hoje ela estava sentada em frente a uma Senhora de meia idade, esperando ser chamada para uma entrevista, na qual tentaria uma vaga de secretaria.
-- Srta. Isabella Swan! - A Senhora de idade a chamou — O Sr. Cullen vai atender você agora! A primeira porta a esquerda.
A morena sorriu gentil para a mulher e caminhou em direção ao local indicado, Isabella passou a mão pela saia preta que vestia, fazendo conjunto com uma blusa branca e saltos pretos. A morena entrou na sala de cabeça baixa e caminhou em direção a cadeira vazia em frente à mesa.
-- Srta. Swan! - A voz veio como gelo em suas veias. Isabella ofegou...
A menina levantou o rosto e então se viu frente a frente com os olhos verdes mais intensos que já vira na vida. Edward não estava diferente, estava tão surpreso quanto à jovem.
-- Você... - Ela disse chocada fazendo o homem dar um sorriso torto.
Edward pegou o interfone da mesa e ordenou que a secretaria não deixasse ninguém entrar e cancelasse todas as outras entrevistas.
-- Você tem um currículo ótimo Srta. Swan! - Ele disse com sarcasmos — Mas eu vou precisar fazer um teste antes de contratá-la.
Isabella engoliu em seco, mas o seu corpo todo se rendeu aquele olhar.
...............

De joelhos no chão, com a boca no pau de Edward, completamente nua, com os cabelos preso, Isabella chupava Edward com gosto, matando a saudade dos dias em que não se viram. Para ela, que achava que nunca mais iria ver aquele homem, que mexeu com todas as suas terminações nervosas, se engano! Ali estava ela, de joelhos, de frente para ele, o chupando como se fosse uma meretriz...
Edward sentia-se preso a ela, ele precisava se afundar naquela buceta pequena e apertada, pois só Isabella era assim. Ele colocou a menina no sofá, que havia em sua sala, a melhor invenção já feita para aquele tipo de lugar... Ele sabia bem disso, porque Isabella não era a primeira mulher que ele comia naquele móvel, mas se dependesse dele, seria a última. Isabella estava deitada de frente para ele com as pernas abertas, Edward tinha o seu pau esfregando a buceta dela, causando um atrito de prazer para ambos. 

A menina estava com a face vermelha, os lábios inchados por causa dos beijos urgentes trocados com ele... Isabella ajudou Edward a penetrá-la, ela se sentia cheia, bem completa quando ele entrou por inteiro dentro dela. 

Edward a fudia com força, fazendo com que ambos gemessem e então, ele mudou a posição dos dois, virando Isabella, deixando ela de costas para ele e espalhada no sofá. Edward passou a entrar e sair dela, bem devagar, a fudendo lentamente, ao mesmo tempo em que as suas mãos dele seguravam a bunda dela. Edward tinha uma visão perfeita de seu pau entrando e saindo da buceta de Isabella...

Edward segurou Isabella pela bunda e começou fudê-la com força, entrando e saindo vigorosamente, falando palavras obscenas a fazendo ambos gemerem aturdidos.

 A menina gritava pedido por mais e mais forte. O homem ia à loucura com os gemidos da menina. Edward apertava a bunda de Isabella, a abrindo, fazendo assim com que ela visse o pau dele entrando e saindo da buceta rosada dela.

 Isabella gemia como uma cadela no cio, pedido para ele fodê-lá com maia força e Edward obedecia com perfeição. Isabella gritou gozando no pau do homem que não parou de meter, um só instante dentro nela, até que ele próprio gozou encima da sua bunda da mulher, deixando-a toda melada com o gozo dele.

................................
-- A Srta. está contratada! - Edward disse arrumando a gravata de volta no lugar.
Isabella já estava devidamente vestida, mas aparentava os lábios inchados, mas aquilo não era nada, se comparado ao estado de sua buceta, que fora arrombada pelo seu chefe.
-- Passe na recepção! - Edward disse — A Senhora Sue lhe dirá o que precisa saber, você será a minha nova secretaria! - Ele disse não escondendo um sorriso malicioso. — Pode se retirar agora Srta. Swan.
Isabella não disse nada, mas ela sabia que aquele emprego seria muito prazeroso para ela...
-- Srta. Swan! - Edward a chamou antes que ela abrisse a porta — Você não deve usar calcinha...
Oh sim... esse emprego seria muito prazeroso...
THE END

One -- Shot -- Saída de Emergência

ONE SHOT
SAÍDA DE EMERGÊNCIA!


Isabella precisava urgentemente de uma boa quantia de dinheiro. O desespero a levou até a cogitar a sugestão impudica de sua grande amiga Ângela. O problema era que se caso ela acatasse a dica da amiga, ela estaria jogando por terra os seus princípios e a moralidade a respeito do certo e do errado... Mas o que ela poderia fazer depois de se deparar com UMA CERTA TENTAÇÃO vestida em um caríssimo terno Armani e que poderia solucionar de uma vez por todas os seus problemas daquele momento... Pois é... Isso é o que a morena teria que descobrir em mais uma eletrizante
 ONE SHOT –SAÍDA DE EMERGÊNCIA,
 da voluptuosa JUL M.



terça-feira, 29 de abril de 2014

Em Maus Lençóis! cap 23

A REBELDIA DESENFREADA DE NESSIE E AS CONSEQUÊNCIAS...

Há quem diga que quem saiu aos seus não degenera... Nessie entrou em uma fase na qual Edward teria quer ter muita paciência com a filha. Rose por sua vez, não dava a mínima para a menina e a sua rebeldia. Até adorava o fato de ela estar infernizando a vida do pai. E tudo ficou pior quando Jacob terminou o namoro. Jacob se manteve distante da jovem, não que ele não a amasse, mas sim, desejando que ela enxergasse que o que estava fazendo era errado. Todavia esse afastamento, só piorou as coisas ainda mais para Nessie, a menina se tornou mais rebelde ainda e para a maior preocupação de Isabella, a garota passou a andar com Victoria, James e os seus amigos idiotas. Isabella deveria não se importar, porém ela se importava, por mais que os motivos que tenham levado Bella a se aproximar de Nessie tenham sido outros, ela passou a gostar da moça, ela era a sua amiga, uma amiga verdadeira, que ela nunca tinha conseguido ter antes...
-- Isso não vai terminar bem! - Isabella disse a Jacob — James não é confiável. Jacob, você deveria fazer algo...
-- Eu não vou fazer nada! - Ele rebateu — Nessie precisa ver que está fazendo a maior besteira da fase da Terra.
-- Ela não quer ver!
-- É, isso é verdade! - Jacob replicou – E você se mudar para a casa do pai dela, não está ajudando em nada! - Ele a acusou.
-- O meu pai me colocou para fora de casa. O que você queria que eu fizesse?
-- Sei lá... Fosse para a minha casa! - Jacob respondeu.
-- E deixasse Nessie mais puta da vida! - Isabella argumentou — Não, obrigada! Tô cansada de todo mundo me acusando e falando de coisas que não fiz. Agora eu estou pouco me importando com isso tudo!
-- Não é o que parece! - Jacob disse — Por que está preocupada com Nessie? Afinal, você já tem o pai dela na sua cama, ou melhor, na cama dele...
-- Engraçadinho! Eu gosto dela! - Isabella disse a verdade — Ela é uma boa amiga! Mesmo depois de ter começado a namorar você, ela ainda era uma boa amiga para mim.
-- Não quero saber! - Jacob repudiou — Tô indo nessa Bella.
-- Hei, me dá corona? - Ela pediu apressada.
-- Por que o Cullen não vem te buscar?
-- Não! - Ela praticamente gritou — Ele teve que ir a editora!
-- Tudo bem! - Ele replicou — Vamos antes que eu me arrependa.
Jacob deu uma olhada na direção em que Nessie se encontrava, a garota estava vestida de preto, ela só andava assim agora. O cabelo tinha voltado à cor natural, um ruivo meio dourado, ela tinha uma maquiagem pesada, bem dark mesmo, no rosto e ele sentiu medo de realmente estar perdendo a jovem de vez.
......................
Nessie fingia não ver Jacob na Escola, andava para cima e para baixo com Victoria e os amigos dela. Sentava com eles e também começou a curtir as mesmas coisas que eles. Depois da primeira semana ao lado daquele grupo do mal, Victoria lhe ofereceu um cigarro de maconha, a menina querendo parecer legal, aceitou e o fumou, ficando totalmente “brisada” como eles mesmos diziam... Na segunda semana, Nessie já fumava como se fosse à coisa mais natural do mundo. Ela ainda não estava viciada, mas se continuasse naquele ritmo acabaria ficando logo, logo uma dependente da maconha e depois não demoraria muito para passar para outro tipo de droga, era sempre assim, que acontecia com os viciados. Nessie ainda sabia se controlar, ela conseguia ficar sem fumar numa boa, porém sempre que estava em companhia dos amigos novos, ela dava uma tragada só para dizer que era como eles. No fundo, a menina sabia que estava mentindo para ela mesma...
-- Então? - Vic perguntou chegando perto da garota — Quer ir lá para casa hoje?
-- Vai ter festa? - Ela perguntou.
-- Não! - Vic disse sorrindo — James viajou. Será só nos duas mesmo, eu não quero ficar sozinha e acho que você não quer ficar na casa de seu pai, não estou certa?
-- Com certeza! - Nessie disse — Eu não quero estar no mesmo lugar que Isabella.
-- Então, venha dormir lá em minha casa! - Vic convidou fingindo ser a melhor amiga da menina.
-- Tudo bem! - Nessie disse — Só vou mandar um torpedo avisando a minha mãe!
-- Claro!
.......................
Nessie mandou uma mensagem de texto para a sua mãe que nem se deu ao trabalho de ler o que seria. Para Rose, era mais um dos “pitis” da filha em relação ao pai. A menina seguiu com Victoria para a casa da ruiva. A casa de Vic era grande e legal. Ela morava praticamente sozinha, já que os pais dela nunca estavam em casa, pois viviam viajando a trabalho e a única pessoa que ficava na casa era a emprega, uma Senhora de idade que só estava por lá até o final da tarde e depois ia embora. O quarto de Victoria era em tons rosado e branco, o que deixou Nessie surpresa, ela achou que fosse algo mais pesado, mais dark como ela andava sendo.
-- O banheiro fica ali, Nessie! - Victoria apontou para a porta no fundo do quarto — Pode ficar a vontade...
-- Ok! - Ela disse.
Nessie entrou no banheiro e tomou uma ducha rápida, ela vestiu o seu pijama e caminhou para fora do banheiro. A menina quase engasgou quando voltou para o quarto e viu Victoria, a bela, que estava deitada no sofá, que havia em seu quarto, totalmente nua. A jovem estava de pernas abertas e uma de suas mãos estava em seus seios, os apertando, enquanto a outra estava em sua buceta, local que ela tocava e soltava pequeno gemidos, a ruiva estava com os olhos fechados. 

Nessie tentou voltar para o banheiro, mas foi justamente quando Victoria abriu os olhos.
-- Nessie!? - Ela disse com uma voz doce e cheia de malicia. — Qual é o problema?
-- Vic! - Ela disse corando - Você está nua!
-- Nunca viu uma mulher nua antes? - Ela perguntou.
-- Minha mãe! - Ela respondeu.
-- Então pare com isso! - Vic disse dando um risinho safado — É que sem James aqui, eu me sinto carente, você não fica assim sem Jacob?
Nessie sentia falta de Jacob, do toque carinhoso dele, e principalmente, do corpo do rapaz dentro dela... Nessie se esqueceu de que Victoria estava nua e caminhou em direção a ela no sofá. Começaram uma conversa normal, elas falando de coisas simples no sexo, e quando Nessie se deu conta, Victoria estava a beijando. No começo, ela achou um pouco estranho, mas depois a ruiva sabia bem o que estava fazendo, então conseguiu deixar a menina relaxada com os seus toques e carinhos.
Victoria sabia bem o que queria, há dias que ela andava desejando aquilo, e não foi nada difícil levar Nessie para a sua casa finalmente, mesmo porque a garota estava na fase da rebeldia exacerbada, o que deixou tudo muito fácil para a ruiva mal intencionada.
Nessie não percebeu como, mas quando notou, já estava deitada por cima de Victoria, a ruiva estava com a buceta da menina em sua boca. 

As roupas delas já estavam jogadas no chão. A língua de Victoria brincava com a entrada e o clitóris da jovem ingênua.

-- Oh! - Nessie gemeu quando a língua de Victoria voltou a entrar e sair de sua entradinha. — Vic, isso... Ohhh.... É bom, não pare!
A menina disse gemendo apertando as pernas em volta da ruiva. Victoria sabendo que estava com a partida ganha, aproveitou ainda mais. Nessie estava sentando de pernas abertas e Victoria chupava com força a buceta da menina.


 Nessie movimentava o corpo, ondulando sobre a boca de Victoria e então foi quando Victoria enterrou a língua dentro da buceta da menina, Nessie gozou gritando.


Nessie estava deitada ao lado de Victoria na cama, a menina ainda estava em êxtase, Victoria deu um cigarro de maconha para ela, depois outro e mais outro, até que Nessie ficasse totalmente drogada. A ruiva sorriu quando percebeu a menina totalmente “bizada”. Ela voltou a beijar Nessie, só que dessa vez, Nessie estava mais ativa do que da primeira interação, os toque ficaram mais ousados e quando se deram conta, Nessie estava fudendo Victoria. Elas estavam encaixadas uma na outra, movimentando o corpo como se no meio das pernas de uma delas, houvesse um pau, os gritos eram altos e os gemidos eram prazerosos. Victoria estava adorando ver a menina rebelde daquele jeito tão entregue, entretanto, ela sabia que tudo aquilo só era possível devido a maconha que a menina havia fumando.

A porta do quarto foi aberta e James entrou, o loiro sorriu ao ver as duas envolvidas daquele jeito tão sexy. Ele mordeu os lábios e caminhou em direção a elas.
-- Eu posso brincar também?
Se Nessie estivesse em seu juízo perfeito, ela teria gritado e saído correndo, mas apenas olhou para ele e sorriu, o mesmo que Victoria fez também.
Foi questão de segundos para que James estivesse completamente pelado. Victoria e Nessie logo ficaram de joelhos em frente ao rapaz, primeiro Victoria chupou o pau dele, depois Nessie.

 As garotas estavam se revezando em chupar o cassete do loiro, que por sinal, estava adorando ter toda aquela atenção. Victoria passou a chupa o pau de James e Nessie passava a língua em volta das bolas dele e de todo o comprimento do rapaz, que não cabia dentro da boca de Victoria.

 Nessie estava participando de uma orgia pela primeira vez, sem se dar conta disso.
Victoria estava sentada sobre o pau de James, ela subia e descia sobre o membro dele, enquanto Nessie tocava o seu próprio clitóris com as mãos, depois ela passou a estimular à ruiva, arrancando gemidos dos dois.

 Victória estava deitada na cama de barriga para baixo, James a comia por trás, Nessie estava sentada de frente para Victoria, chupava um dos seios da garota, enquanto James metia com força dentro da ruiva.

James mudou a posição deles, mandou que Nessie se deitasse na cama de pernas abertas, colocou Victoria de quatro na cama bem perto de Nessie, pois a ruiva queria chupar a buceta da garota, enquanto James comia a ruiva por trás. Victoria gemia e fazia Nessie gemer também, ao mesmo tempo em que James a fudia com força e luxuria.

 Nessie gozou mais vez na boca de Victoria, que chupou todo o seu gozo, para logo em seguida gozar no pau de James e por fim, James gozou dentro de Vic.
Estavam os três no chão sentandos, Victoria continuava drogando Nessie, lhe fazendo fumar maconha, a menina já não era mais dona de seus sentidos e tão pouco, do seu corpo, ela sentia prazer, mas não se dava conta do acontecia a sua volta, ela estava totalmente drogada, definitivamente noiada...
-- Nessie! - James lhe chamou — Vem aqui, vem minha linda.
Victoria olhou para James sorrido, ela sabia o que viria agora, eles estavam planejando aquilo há semanas, a menina chegou perto dele e James deu um leve beijinho nos lábios dela.
-- Que tal sentar essa bucetinha linda aqui no meu pau? - Ele disse safado.
James começou a beijar a menina, mas ela pareceu reagir. Nessie tentou se afastar, mas James a puxou para mais perto dele.
-- Não! - Ela disse — Pare, eu não quero!
Nessie reclamou, mas estava drogada demais para conseguir fugir de James.
-- Relaxe Nessie, vai ser bom! - Victoria disse.
James começou e beijar o corpo nu da menina, ela cheirava a sexo e suor, todavia ainda cheirava bem, ela tinha um corpo perfeito, sem mancha alguma, ela era branquinha como o leite.
-- Você vai querer comer o cú dela? - Victoria perguntou matreira.
-- Claro! - James disse com malícia — Achou mesmo que eu não iria arregaçar essa belezinha toda.
-- Ah! - Victória deu um gritinho, satisfeita... — Eu amo você gostosão! - Victoria foi até a gaveta da cômoda e pegou um plug anal, depois voltou para o local em que Nessie estava. Ela a virou de bruços na cama — Relaxa Nessie, vai doer só um pouquinho, mas você vai gozar legal...
Victoria empurrou aos poucos o plug no rabo da menina, fazendo Nessie gemer quando o plug anal estava todo dentro de seu rabo.

-- Ela é toda sua, James! - Victoria disse feliz — Agora arregace essa vadia... Vai meu gostosão...
-- Calminha aí minha linda! - Ele disse — Vic, vem cá chupar essa cadela gostosa...
Victoria caiu de boca na buceta de Nessie que estava toda aberta, bem aberta... Ela enfiava a língua e a penetrava, fazendo Nessie gemer e gritar cada vez que a língua da ruiva tocava o seu clitóris e a sua entrada sensível. Depois de fazer todo o trabalho de deixar a buceta de Nessie pronta, ela se afastou.
-- Ela é toda sua James!
James agarrou Nessie pelos cabelos, ele jogou a menina sobre a cômoda do quarto de Victoria, deixando a jovem de costas para ele, então ele a penetrou por trás com força, fazendo com que o corpo da coitada fosse totalmente jogado para frente.

-- Ah! - Ela gemeu de dor pela invasão brusca, Jacob nunca a tratou assim, e mesmo drogada, ela sabia que não era ele — Eu não quero!
James ignorou tudo que a menina lamuriava, ele continuava a fudê-la com a ajuda de Victoria, que tratava de mudar as posições para que ele comesse a menina como quisesse. Nessie estava sentada encima de James, ele estava embaixo dela, fudendo com força, ele enterrava o pau dentro da buceta da menina, sem o menor cuidado e a fudia bem forte. 

Victoria fez com que a menina tocasse o seu próprio clitóris, dizendo que assim sentira mais prazer. A menina fez, no começou, mas depois parou e Victoria tomou o lugar dela e passou a estimular o clitóris da jovem.

James puxou os braços dela para trás e a mandou montar nele, senão ele seria mais duro com ela. Com medo e sem entender nada ainda, pois continuava muito forte o efeito da droga em seu organismo, Nessie apenas obedeceu.
-- Por favor, pare! - Nessie voltou a gemer quando James mudou novamente a posição deles.
James botou Nessie virada de frente para ele, mandou que ela voltasse a cavalgá-lo, Nessie subia e descia no pau dele, James gemia e xingava a menina de todos os nomes possíveis. Enquanto Victoria estimulava o ânus da garota, logo o pau de James estaria ali novamente.

-- Isso cadela, monta no meu pau! - James disse, quando deu uma tapa na bunda da menina. — Eu sei que você adora pau, então monta no meu.
James continuava a dizer coisas de baixo calão para Nessie, dizia que ela não passava de uma prostituta barata, que era uma vagabunda drogada e puta de esquina, uma verdadeira rameira... James mudou a posição deles novamente, colocando Nessie de lado, levantando as pernas dela e a deixando presa em seus braços, enquanto fudia a menina. Dando uma ordem direta a ela, o loiro mandou que Nessie se tocasse, ele queria ver a vadia gozar em seu pau, a menina fez sem saber o que realmente fazia.

James mudou mais vez a posição deles, deixando Nessie deitada na cama com as pernas abertas para ele, então James colocou o seu pau na entrada do ânus da menina e enterrou o seu cassete dentro daquele lugar apertado.

 Nessie soltou um gemido de dor, mas James não se importou, passou a fuder a menina como se ela fosse uma puta e quando não se deu por satisfeito, mandou Victoria chupar a buceta dela, a ruiva, prontamente fez isso, James e Victoria continuaram abusando de Nessie daquele jeito, por horas, até que James gozou esporando todo o seu prazer na cara da menina.
..................
Nessie estava caída no chão, o seu corpo estava suado e cheirava a sexo, o seu rosto estava gozado com o sêmen de James, nem Victoria e nem James estavam mais no quarto. Nessie se arrastou para o banheiro, quando conseguiu forças para tanto. A maconha é uma droga fraca, se comparada a tantas outras, o efeito é passageiro e quando findava a realidade batia na cara do usuário. A menina estava com a cabeça doendo, o corpo totalmente dolorido, aos poucos as lembranças começaram a tomar conta da cabeça dela e a jovem começou a chorar. Nessie passou horas debaixo do chuveiro, tentando tirar o cheiro de James e Victoria de seu corpo, quando saiu do banheiro, procurou as coisas dela e se vestiu pegando a sua bolsa. Ela saiu da casa de Vitória, já de madruga, ela não encontrou ninguém no caminho, nem Victoria e nem James.
Nessie estava de carro, a única pessoa em quem ela conseguia pensar era Jacob. Ela saiu dirigindo sem rumo até que o seu carro parou em frente à casa vermelha, que ela tão bem conhecia. Ela saiu do carro e deu duas batidas bem fortes no portão, Billy Black abriu a porta, o pai de Jacob estava meio zonzo de sono, mas reconheceu a menina.
-- Desculpe-me! - Ele sussurrou quando ele olhou para ela — Jacob...
-- No quarto! - Ele não a deixou terminar de falar, apenas se afastou, deixando espaço para que ela passasse.
Nessie entrou sem cerimônia, Billy conhecia tudo sobre a família de Nessie, ele e o avô da moça, eram velhos amigos. Ele sabia muito bem o que acontecia entre o pai da menina e a pequena Isabella, a neta de seu outro amigo Charlie... As coisas não andavam bem para a pequena Bella e ele sabia que o motivo de Nessie estar em sua casa naquela hora, só poderia ser por algo relacionado à sua família.
Nessie entrou no quarto de Jacob sem fazer muito barulho, já era mais de meia noite, para ser mais exato, já era quase três da manhã, o rapaz dormia em sua cama, ele descansava serenamente. A menina tirou os sapatos, a calça jeans que usava, ficando apenas com uma blusa, então ela se deitou na cama ao lado de Jacob.
Jacob sentiu o balançar da cama, como se alguém estivesse subindo nela, ele achou que fosse o seu gato de estimação, presente de Isabella, apenas para encher-lhe o saco, mas o gatinho lhe fazia uma boa companhia. Ele notou que não era o bichano, quando duas mãos frias cercaram o seu corpo o abraçando. O cheiro era inconfundível, ele o conhecia, sabia de quem era. Jacob segurou a mão da menina, levando-a até a sua boca e beijando os dedos dela, que estavam frios, mas era ela, ela estava lá, ela tinha voltado para ele.
-- Nessie! - Ele disse.
-- Jake! Me abrace! Apenas isso! Faça, por favor...
Jacob puxou a menina, fazendo com que ela ficasse em sua frente de costas para ele, e então, ele a abraçou pela cintura. Sabia que havia acontecido algo, contudo esperaria pela manhã seguinte, para saber o que houve, assim que ela desejasse falar...

CONTÍNUA...