Jul M

Oi

sexta-feira, 7 de março de 2014

Slave Of Pleasure-- Escrava Do Prazer -- cap 39


A VOLTA DO DOM E A SUA SUB...
Isabella olhou assustada primeiramente para Edward, que estava à sua porta, com as malas nas mãos, pedido para ficar com eles. Ela não sabia se gritava ou se chorava... ...se fechava a porta ou se o mandava entrar. Edward! Era o seu Edward pedido para ficar com ela e os meninos.
-- Bella! - Edward disse — Você vai me deixar entrar ou eu devo ir embora?
-- Fique!
............
Isabella colocou Edward no quarto de hóspedes contrariando o desejo do rapaz. Ele não queria ficar longe dela, o rapaz queria dormir no mesmo cômodo que ela, contudo ela argumentou que seria melhor que fossem com calma, os filhos ainda não haviam se acostumado com a presença dele por ali, ela não queria forçar a barra. Muito a contragosto, ele cedeu, ou pelo menos, fez Isabella achar que sim.
À noite, todos jantaram juntos à mesa. Thomas ainda ficava tímido na frente do pai, porém Nick parecia não se importar muito, ele se comportou como sempre, fora um menino travesso que sabia levar a mãe no bico com a sua carinha de anjo.
Depois do jantar, Edward se ofereceu para colocá-los para dormir. O ruivo teve que brigar sério com Nick para que ele fosse escovar os dentes, Edward ficou supresso em perceber que o filho tinha muita resistência a qualquer tipo de higiene. Depois dos ânimos apaziguados, ele conseguiu colocar os meninos na cama. Isabella acompanhava tudo da porta, sem deixar que a sua presença fosse notada. Edward contou uma história sobre piratas para ninar os meninos, que ficaram bem animados e querendo mais, porém no final o cansaço venceu e os dois pequeninos caíram no sono, isso claro, depois da guerra de travesseiros que eles armaram contra o pai.
Isabella secou os olhos antes que Edward a visse... Ela sentia o seu coração cheio de alegria, aquilo era mais do que ela sempre esperou que acontecesse, era bom, era feliz, era ótimo ver Edward assim com os filhos, ainda mais porque ele sempre acreditou que não seria um bom pai. Ela não poderia culpá-lo por aquele sentimento negativo, não despois de conhecer o passado do rapaz. A família não lhe foi um exemplo, na verdade, a mãe do rapaz, não havia sido um bom exemplo a ser seguido.
-- Me espionando? - Edward perguntou ao encontrar a menina encostada na parede do lado de fora do quarto.
-- Só queria saber como estava indo as coisas entre vocês! - Ela sorriu.
-- Bom, eu estou vivo e os meus filhos dormem! - Ele disse — Acho que, no final das contas, terminou tudo bem!
Ela sorriu e Edward passou os braços em volta da cintura dela, puxando-a para mais perto de si.
-- Eles são incríveis! - Ele disse com muito orgulho — Eu sei que não tive muito tempo com eles, mas quero ter a partir de agora e para sempre.
-- Fico feliz que queira!
-- Lhe darei muito mais motivos para ficar feliz!
Isabella entendeu bem o duplo sentido da frase, então Edward tomou a boca da menina, antes que ela dissesse algo mais...

................
Isabella estava na cama tentando ler um livro. Com muito esforço, ela havia colado Edward para fora de seu quarto. Ele não ficara muito feliz, mas aceitou, mesmo resmungando... Ela começou a lembrar de Edward junto aos filhos, ela gostava de vê-lo daquela maneira, descontraído, alegre, animado, mais jovem... ...Edward finalmente parecia bem mais jovem. Isabella perdeu a conta de quantas vezes releu o primeiro parágrafo do capítulo I do livro, pois a sua mente, teimava em somente pensar no belo homem que se encontrava no quarto ao lado do seu, o homem que fazia as suas pernas tremerem e o seu coração disparar todas as vezes que o via sorrindo, ou simplesmente a fitando...
-- Que se dane! - Ela disse jogando o livro sobre cama e saindo dela — A gente é praticamente marido e mulher, ou algo desse tipo! - Sussurrou para si mesma, indo em direção à porta. Ela vestia apenas uma camisola rosada. Ela girou e puxou o trinco da porta, abrindo-a — Edward! - Ela exclamou quando se deparou com ele parado em frente a sua porta, pronto para bater. — O que está fazendo aqui?
Edward ignorou a pergunta da menina, apenas passou os olhos gulosos pelo corpo dela, se demorando nos seios e por fim correndo os olhos pelo resto do corpo. Ele voltou a olhar no rosto de Isabella, quando ela perguntou o que ele estava fazendo ali, a menina tinha o rosto corado, o porquê, ele não sabia. Mas nem se deu ao trabalho de responder à pergunta feita por ela, apenas entrou puxando-a para si, tomando a sua boca em um beijo urgente e cheio de desejo.

Isabella estava deitada na cama com as pernas abertas, a sua camisola rosada estava aos trapos, assim como as roupas de Edward, espalhadas pelo chão. Edward tinha a boca na buceta da menina, ele passava a sua língua por toda a extensão da buceta dela, dando uma atenção especial para o clitóris inchado. 


Ele aumentou o ritmo de suas chupadas, fazendo Isabella, simplesmente, gritar de prazer e logo depois, tapou a boca dela com a mão para que a moça não acordasse ninguém.
Isabella inverteu as posições, colocando ambos em um 69 prazeroso, a menina que já não era tão inocente assim, chupava com prazer o membro do seu homem, fazendo ele gemer contra a buceta dela, já ele fazia o mesmo com ela.

Isabella estava apoiada sobre os joelhos, de maneira que a deixava de quatro na cama. A cabeça da jovem estava levemente deitada na cama, os gemidos eram baixos e os movimentos eram precisos. Edward entrava e saia da menina, arrancando mais gemidos, não só dela, mas dele também. 

A cada nova investida a respiração de Isabella ficava mais ofegante, assim como a de Edward. O corpo de Isabella estava posicionado de quatro sobre a cama, as suas mãos apertavam com força os lençóis, os gemido era abafados pelo colchão e os quadris de Edward se movimentavam freneticamente de encontro a menina, o ato em si era rigoroso, ele se afundava com intensidade dentro dela, como se ali fosse o seu lugar preferido, e de certo modo, era sim, o lugar onde mais gostava de estar...

O corpo de Isabella estava deitado de lado, Edward se encontrava atrás dela, em posição de conchinha, o jovem a penetrava com mais intensidade ainda, o corpo de ambos estava suado e o quarto já cheirava a sexo. As mãos de Edward apertavam os seios da menina, que pranteava por cada movimento dele dentro dela.

 Toda vez que Edward se afundava dentro dela, ele arrancava mais grunhidos e suspiros de satisfação, além de palavras sem sentido, vindos da amante. Em um movimento rápido, Edward puxou uma perna dela, mantendo-a aberta para ele, o rosto de Isabella corou, ela estava mais exposta daquele jeito, os lábios de Edward provocaram o pescoço da menina, fazendo assim, ela relaxar e se deixar levar pelos movimentos do jovem. Isabella levantou a cabeça e pode ver o pau de Edward entrando em sua pequena e aperta buceta, levando a mão para o seu próprio clitóris, a menina se tocou deixando escapar um gemido rouco e sexy de sua boca, banhada de prazer. Edward deu duas mordidas nas costas da menina, ato que fez com que Isabella ofegasse ainda mais alto....

Edward estava sentado sobre os joelhos dele, a perna de Isabella estava apoiada sobre os ombros do rapaz, a mão da menina ainda estava em seu clitóris, estimulando ainda mais o seu prazer cadenciado pelas investidas maravilhosas de Edward dentro de sua buceta quente e úmida. Os olhos da menina estavam fechados e a sua boca aberta em formato de “O”, local de onde os seus gemidos escapavam, implorando por mais de seu homem.

A mão de Isabella caiu para o lado de seu corpo, assim como as suas pernas se enroscaram em volta da cintura de Edward, que passou a penetrá-la com mais energia e mais impulso, os grunhidos ganharam tom alto implorador, a menina deseja mais, ela estava perto, muito perto de sua satisfação, a sua buceta molhada já apertava com seiva o pau do homem, evitando assim, o seu completo movimento, mas não impendido ele de se aprofundar na cavidade profunda dela, mesmo que com dificuldades.

A menina gritou quando escarneceu... ...tudo lhe fora esplendido... O membro rígido e inchado do homem continuou na labuta... Ofegante sobre a cama Isabella deixou-se levar pelo pós-orgasmos, sentindo Edward a penetrar mais algumas vezes, ela nem percebeu quando ele saiu de dentro dela, só voltando a sentir algo quando o gozo do homem se despejou sobre a sua barriga,

 o corpo da menina ainda tremia devido ao orgasmo intenso que teve, quando não havia mais nada para jorrar, Edward deixou o corpo cair ao lado da menina que mantinha os olhos fechados aproveitando os segundo que o seu corpo ainda flutuava de tão leve que estava se sentindo.
.............................................
Isabella pegou uma nova camisola dentro do closet, jogou para Edward a cueca e as calças do pijama do jovem, por um momento ele pensou que ela fosse coloca-lo ele para fora do quarto, mas a menina veio e se deitou ao lado dele na cama, ele passou os braços em volta da cintura dela e a beijou na curva do pescoço, antes de lhe falar...
-- Por que as roupas? Gosto de sentir a sua pele nua contra a minha!
A menina sentiu o seu corpo arder e ficou chocada com aquilo, ela tinha acabado de fazer amor com ele e já estava queimando de desejo por ele de novo. Em sua mente a única pergunta que gritava era: “Seria sempre assim? Bastava um toque dele ou uma fala mais provocativa e o seu corpo viraria escravo do dele?” Edward sentiu o corpo da menina tremer, ele sorriu, pois sabia que ela já estava pronta novamente para ele, bastava um pequeno incentivo e ela cederia fácil como sempre. Um pensamento surgiu em sua mente: “Sim, Isabella seria uma perfeita submissa...”, disso ele não tinha duvidas...
-- Os meninos! - Ela disse com voz em um sussurro — Eles às vezes invadem o meu quarto pela manhã!
-- Entendi! - Ele disse sorrindo — Seria estranho explicar o porquê da mamãe deles estar pelada...
-- Edward! - Ela disse como se quisesse repreendê-lo, mas acabou sorrido — Apenas fique vestido até amanhã.
-- Tudo bem! - Ele disse rindo e a beijou novamente no pescoço — Pelo menos você não me colocou para fora do quarto, já é um bom começo. – Ele pôs a boca bem perto do ouvido dela e sussurrou — E se no meio da noite, eu sentir vontade de comer você e só subir essa coisa aqui que você chama de pijama e te penetrar por trás, nessa posição você fica mais apertada...
Claro que se a intensão dele era deixá-la ofegante, ele poderia comê-la naquele exato momento, porque a fizera molhar a calcinha novamente, de tanto tesão...
-- Apenas se comporte! - Ela disse muito ofegante, até porque a mão dele estava em sua bunda, fazendo pequenos círculos por cima da camisola azul que ela vestia.
-- Durma Bella! - Ele disse sorrido e beijou o pescoço dela, já apertando os seus braços em volta do corpo cheiroso e macio dela.
-- Você também durma!
..................................................
Como Isabella havia previsto, os pequeninos invadiram o seu quarto se jogando encima da cama, como sempre faziam.
-- Café da manam! - Nick gritava em quanto pula na cama.
Já Thomas, se arrastou entrando no meio dos dois, só então, o menino se deu conta de que o seu papai estava na cama junto com a sua mamãe.
-- Por te, tatay tá aqui? - O menino perguntou, mas tinha um sorriso no rosto, a pequena mãozinha estava mexendo no rosto do homem que ainda dormia.
-- Tatai! - Nick gritou e pulou em cima do homem adormecido, o despertando a força.
-- Ai! - Edward gemeu mais segurou o filho antes que ele fosse ao chão — Nick! Desse jeito você vai se machucar e me machuca também.
O menino olhou para ele como cara de cão sem dono, manha que Isabella já conhecia, mas Edward não! E como acontecia com ela o homem não resistiu e puxou o menino para os seus braços o beijando e fazendo cosquinhas nele que começou a ri. Thomas, logo estava no meio deles também e Isabella apenas ria, observando admirada, a felicidade a sua volta.
-- Vamos agarrar a mamãe! – Edward disse.
-- Oh não! - Ela proferiu, mas já era tarde.
Edward a segurou e logo estavam todos rindo, Isabella implorando para pararem com as cosquinhas, desse jeito prazeroso e divertido começou a manhã deles.
.........................................
Já era dez da manhã quando o telefone de Edward tocou, era o pai do rapaz e as noticia não eram tão boas.
-- Tudo bem, eu estou a caminho! - Ele disse desligando o telefone.
-- Qual o problema? - Isabella perguntou deixando de lado os livros.
-- Esme tentou se matar ontem! - Edward disse sem emoção — Ela cortou os pulsos, os empregados a acharam ainda com vida e ela está no hospital!
Isabella estava chocada, as mãos estavam sobre a boca, ela sabia que Esme era doente, todavia suicídio não era algo que ela imaginasse que a mulher fosse cometer.
-- Eu estou indo para o hospital! – Edward comunicou — Emmett e Jasper já estão lá!
-- Eu vou com você! - Isabella replica.
-- Tem certeza?
-- Edward, ela pode ter sido um monstro com você, mas ainda é a sua mãe! - Ela explicou ao homem – Eu vou estar do seu lado sempre, entenda isso!
Nada mais foi dito ambos saíram dali e foram direto para o hospital. Assim que chegaram se depararam com Rose ao lado de Emmett e Jasper ao lado de Alice, claro, Isabella sabia do romance entre dois, antes de ir embora da casa dos Cullen, havia flagrado o jovem com a menina.
-- Como ela está? - Edward perguntou.
-- Estável! - Emmett respondeu — Precisamos fazer alguma coisa!
-- Como assim?
-- Edward, Esme é um perigo tanto para ela mesma, quanto para a sociedade em si! - Jasper adverte — Nós precisamos fazer algo a respeito.
-- O que espera que façamos?
-- Interná-la! - Emmett sugere — Ela precisa de tratamento urgente, e bem, o seu estado psíquico já é bem debilitado, precisamos colocá-la em uma Clinica Psiquiátrica! - Argumentou a respeito do estado mental da mãe.
-- Eu acho que vocês já fizeram a escolha! - Edward assentiu — Não há nada que eu queira fazer a respeito disso, a escolha é de vocês...
Nada mais fora dito, uma semana depois, Esme fora mandada para um Hospital Psiquiátrico, o seu estado de sanidade era grave, ela havia passado dos limites ao ponto de tentar até se matar. Por mais difícil que fosse tomar aquela decisão, era o mais certo a se fazer. Por mais que Edward tentasse odiar a mãe, era impossível não sentir pena da criatura, apenas foi visitá-la uma única vez, durante os seis meses que ela já se encontrava internada. Ele não gostava do estado em que ela se encontrava. Ela estava presa entre a fantasia e a realidade, eram poucos os momentos em que ela se lembrava da verdade, apenas acreditava na mentira que vivia, acha que estava feliz e que tinha se casado com seu grande amor, Edward... Mas tudo não passava de uma fantasia de sua cabeça doentia.
......................
Era aniversario dos meninos, a casa estava cheia de gente, quer dizer, de crianças e pais acompanhados de seus filhos. Era divertido ver as crianças correndo pela casa, Edward parecia um cão de guarda, todo cuidado era pouco para com os seus filhos, ele não desejava que os meninos se machucassem, bem no dia do aniversario deles. Enquanto ele bancava o pai protetor, Isabella se encontrava do outro lado da casa com Rose, conversando e organizando algumas bandejas, que seriam servidas para os convidados.
-- Então quando vai sair o casamento? - Isabella perguntou.
-- Eu acho que logo! - Rose disse sorrindo feito uma boba — Emmett anda bem misterioso, acho que seja isso!
-- Bom, ele andou conversando com Edward! - Isabella diz — Mas quando eu perguntei o que falavam, ele desconversou!
-- Homens! - Rose disse e elas sorriram — Mas e você, como anda as coisa entre vocês dois?
-- Estamos bem! - Isabella mordeu os lábios.
-- Como assim “estamos bem”? O que está acontecendo? - Rose quis saber, ela conhecia a amiga e sabia que tinha algo errado — Ele machucou você? - Rose conhecia o passado de Edward e ele tinha um gosto muito peculiar, para ser bem exata.
-- Nada! - Ela disse - Edward está sendo ótimo! - Ela fez careta.
-- Então qual é o problema?
-- Eu sinto falta... - Isabella disse aos sussurros.
-- Falta, como assim?
-- Dele! Digo do Edward DOMinante, do jeito selvagem dele. Essas coisas Rose... er, por favor, não me faça entrar em detalhes...
-- Então diz pra ele! - Rose estava ainda confusa.
-- Não quero! - Ela diz — Eu quero que ele queira também. Não só porque eu quero...
-- Você é louca! - Rose disse e começou a ri na mesma hora em que Edward veio buscar mais uma bandeja — Na verdade, vocês são loucos!
Ela pegou a bandeja e saiu, deixando ambos sozinhos na mesa de salgados e doces da festa.
-- O que ela tem? - Edward perguntou sem entender.
-- Nada, apenas está ficando louca! - Isabella disse e sorriu forçadamente — Vai um salgado?
-- Não! - Ele disse e puxou a menina, passando os braços em volta da cintura dela — Eu acho que a minha mulher anda me escondendo algo!
-- Eu não sei do que você está falando! - Ela disse corando fortemente.
-- Eu acho que é mentira! - Ele tocou a face corada dela com as pontas dos dedos — Não me force a tirar isso de você!
-- Tirar o quê? - Ela estava ficando ainda mais vermelha.
-- O que está escondendo de mim, Isabella?
-- Eu não estou escondendo nada! - Ela disse, mas a sua voz falhou no final.
O homem estreitou os olhos para a mulher que pareceu se encolher nos braços dele.
-- Hei você dois, procurem um quarto! - Emmett disse sorrindo — Tem crianças na casa!
Isabella aproveitou a deixa para sair rápido dali, deixando para trás um Edward intrigado e bem, bem raivoso...
........................
A festa terminou e apenas os familiares ainda ficaram por mais um tempinho. Jasper estava abrindo os presentes com os sobrinhos. Emmett e Rose conversavam com Carlisle e Alice, que por sua vez, observava admirada, Jasper interagindo com os sobrinhos, logo ele que sempre fora tão fechado, no entanto, ela o conhecia bem, bem melhor do à própria família dele. Jasper gostava de crianças, sempre sonhou em ter uma família, mas nunca conseguiu ver aquilo com Kate, ele deseja formar uma família sim, mas com Alice. A menina sorriu de volta assim que ele olhou para ela sorrindo. Alice corou e voltou a sua atenção para a família.
Isabella estava na cozinha colocando algumas bandejas na pia, quando Edward o abraçou por trás.
-- Deixe isso aí! - Edward disse — Há pessoas que vão cuidar dessa bagunça.
-- Não vejo problema em cuidar disso agora! - Ela replicou, mas assim que sentiu os lábios de Edward no pescoço dela, a moça relaxou e o seu corpo cedeu.
-- Venha, eu quero te mostra algo! - Ele disse puxando-a pelas mãos.
-- Não! Temos visitas!
-- Eles não são visitas! - Edward apontou — Eles são da família e acredito que ninguém vai se importar se não nos ver...
-- Edward eu não...
-- Quieta Bella! - Ele disse em tom sério.
O corpo de Isabella tremeu e ela sentiu a eletricidade percorrer o seu corpo todo. Esse era o tom que Edward usava quando era Dominador, ela nunca esqueceria aquele timbre de voz, porque isto era uma das poucas coisas que ela se lembrava da época em que viveu na casa dos Cullen. Edward a conduziu pela sala, dando apenas um aceno com a cabeça para Jasper, que ainda estava com os meninos, esse por sua vez, sorriu e voltou a sua atenção para os sobrinhos. Edward conduziu Isabella até o carro, ela nada disse, ficou com medo de perguntar para onde eles estavam indo, como nos velhos tempos, ela se lembrou de que Edward só a deixava falar quando ele mandasse...
O caminho fora feito em silêncio, Edward ajudou Isabella a sair do carro. Há coisas que não morrem, apenas ficam adormecidas, esperando serem acordadas, e pelo visto, Isabella havia conseguido acordar de novo o lado Dominador do jovem Cullen. Esse por sua vez, parecia não saber ao certo como agir agora... Edward queria castigar Isabella, mas não sabia qual seria a reação dela e em relação aquilo. Ele precisaria ir com calma, ele sabia que a menina estava escondendo algo dele, só não sabia dizer o quê exatamente... Ela mentiu quando ele perguntou sobre o que falava com Rose, a menina ficou nervosa e isso não era bom, havia bem mais do que ela dissera, e era isso o que ele queria saber. Ele só conhecia um jeito de tirar a verdade dela e esse jeito era dominando-a...
Isabella reconheceu o local, era o antigo apartamento de Edward. Mas ela não entendeu o porquê de estarem ali. Carlisle voltou para a sua casa depois Esme fora internada, mas segundo o mesmo, ele disse que venderia a casa e compraria algo menor.
-- Por que estamos aqui? - Ela não conseguiu se controlar e perguntou.
-- Você já vai descobrir querida!
Claro que ela iria descobrir... Edward pegou as mãos da menina e a conduziu para parte onde Isabella nunca havia ido antes. Eles não foram muitas vezes ao apartamento dele, mas ela sabia que havia um lugar dentro do apartamento que ela desconhecia completamente.
-- Você quer me dizer algo Isabella? - Edward perguntou tentando mais uma vez tirar a réplica da menina.
-- Eu não sei sobre o que está falando! - Ela disse mordendo os lábios.
-- Depois não diga que não fui bonzinho! - Ele diz e mordeu de leve o pescoço da jovem, arrancando de imediato um gemido dela. — Boquinha fechada, não tem permissão para falar a não ser que eu lhe mande...
Ao dizer isso, ele deu uma palmada na bunda da menina, fazendo-a suspirar e lamuriar baixinho. Edward conduziu a jovem para dentro. Ele a levou até a cama. Primeiro ele se sentou e depois puxou a menina para o seu colo, Isabella estava tão ansiosa que o seu coração batia a mil. Ela sabia como era Edward no papel de Dom, já tinha estado com ele, mas não sabia o que esperar naquele momento. Ele deitou Isabella sobre as suas pernas, levantando o vestido dela e sem deixar a menina se acostumar com toda a situação, ele deferiu mais uma palmada na bunda macia da morena, fazendo-a gemer.

-- Eu disse que você não poderia falar! - Ele a advertiu batendo na bunda da menina de novo e de novo...
Edward bateu na bunda de Isabella dez vezes, sempre contando em voz alta para que a menina o ouvisse. Isabella estava ofegante e com a calcinha totalmente molhada, a sua bunda estava ardendo e quente, todavia não sentia dor, apenas sentia o prazer crescer entre as suas pernas. A sua calcinha molhada era a grande prova daquilo.
-- Eu gosto do modo em que o seu corpo reage a mim! - Ele disse colocando a menina sobre a cama — Sempre pronta para mim! - Ele afastou a calcinha da menina e mais uma vez bateu na bunda dela, fazendo a jovem gemer alto — Já disse Isabella, fique quietinha!

Isabella estava amarrada encima de uma mesa redonda, as pernas estavam bem abertas, ela estava sem roupas, vestindo apenas um par de meias pretas, que ela usou em combinação com o vestido tubinho preto no aniversario dos filhos. A cabeça da menina estava para fora da mesa, caída, como se ela estivesse de cabeça para baixo. A sua frente, era possível ver Edward parado com as mãos em seu membro, se massageando, se dando prazer.

-- Eu espero que não tenha esquecido como gosto de ser chupando! - Ele disse sedutor – Se você fizer alguma besteira, será devidamente castigada! - Edward caminhou até ela — Abra a boca cadelinha!
Isabella obedeceu de imediato, assim que ele encostou-se a ela, o corpo da morena vibrou, ela queria isso mesmo, ela sentia falta daquele Edward... Ela não negava gostar do Edward romântico e bonzinho, mas ela amava o Edward Dominante, aquele que lhe dava ordens, que a fazia gemer e gozar de prazer, lhe mostrando coisas que para ela, eram completamente desconhecidas.
Edward caminhou até a mesa, sempre segurando o seu membro em uma das mãos, ele o levou até a boca aberta da morena, enfiando uma parte de seu membro dentro da boca dela, esfregando o seu pau na língua dela e o puxando, retirando por completo de dentro daquela cavidade molhada.

 Edward voltou meter e a tirar o seu pau de dentro da boca da menina, apenas deixando ela se acostumar com o seu tamanho, deixando que ela se habituasse ao entra e saia de seu membro, usando as suas mãos para guiar cada movimento...

Após um tempinho, Edward enfiou todo o seu pau dentro da boca da menina, que o aceito com perfeição, Isabella passou a língua em volta e tentou acariciá-lo do melhor jeito possível, Edward tinha as mãos em volta do pescoço de Isabella, a menina parecia não se importar com aquilo, a sua atenção estava toda para o membro do rapaz que estava inteiro dentro da boca dela.


 Edward voltou a sair para entrar de novo dentro da boca da morena, contudo dessa vez, fudendo a boca dela, o rapaz movimentava os seus quadris para frente e para trás, as suas mãos estavam apoiadas sobre a barriga da menina, dando a ele o apoio necessário para que se movesse e afundasse o seu membro dentro daquela cavidade quente e prazerosa.

Edward conectou Isabella em ganchos que estavam presos ao teto, à boca da menina tinha sido lacrada. Edward tinha um braço em volta da amada e a sua mão livre estava apalpando os seios generosos. Ele beliscou cada um dos seios dela e no final bateu levemente em cada uma deles fazendo a menina se contorcer prazerosamente.

-- Você sempre me surpreende Isabella! - Ele disse mordendo um dos seus seios dela — Você não tem permissão para gozar. Acho bom lembra-se disso ou te castigarei...
Edward removeu cada parte de sua roupa, deixando cair no chão, assim que estava completamente nu, ele caminhou de volta à mesa. Beijando Isabella nos ombros primeiro e depois os mordendo em seguida, ele se colocou atrás da menina, passando as mãos pela barriga lisa dela, então com as pontas dos dedos, ele passou a acariciar a buceta dela, estimulando-a bem no clitóris.
-- Já sabe querida, nada de gozar!
E sem mais nada dizer, Edward a penetrou com força de uma só vez. As mãos do rapaz se prenderam nos seios de Isabella, arrancando gemidos da menina, que passaram a serem gritos, 

cada vez que o jovem se afundava dentro do interstício molhado dela, a jovem urrou quando gozou envolta do pau dele.
-- Que coisa feia! - Edward disse se retirando de dentro dela — Eu vou ter que castigar você por isso! Eu ordenei que não gozasse...
Isabella pranteou com a ameaça que ela sabia que logo viraria realidade...
................................
Edward amarrou os braços de Isabella, um de cada lado da cabeceira da cama. O corpo da mulher estava uma parte curvada sobre a cama e a outra parte fora dela. Os tornozelos dela foram amarrados assim como as suas pernas na armação do leito, de modo separado, para que ela ficasse bem aberta para ele, em baixo dos joelhos da jovem havia uma almofada, que Edward havia colocado para uma maior estabilidade e conforto da moça. Quando a menina estava devidamente presa no lugar e totalmente a mercê dele, o rapaz puxou um chicote de pontas.

-- Será apenas dez! - Ele disse — E dessa vez, você quem contará querida!
Antes que Isabella se desce conta à primeira chicotada veio a fazendo carpir-se.
-- Conte Isabella! - Ele disse voltando a bater nela.
O chicote pegou nas costas e bunda dela, ele fora rápido e quando chegou a dez, Edward jogou o chicote no chão e se aproximou da menina. Edward a penetrou sem espera e sem aviso... Ele segurava Isabella pela corda que estava em volta da cintura da amante, isso o ajudava com os movimentos, ele era ligeiro e preciso dentro dela, penetrando-a com vigor e fazendo a menina gemer e gritar de prazer.



 Edward não diminuiu a sua cadência, ele usou as mãos para abafar os gemidos da menina, que na verdade, pareciam urros... O corpo de Isabella se encaixava perfeitamente ao dele, a buceta rosada o aceitava completamente, os corpos eram perfeitos, formando ali, um só. Isabella gozou aos gritos fazendo o seu corpo todo tremer. Edward diminuiu o ritmo de suas investidas, até que não aguentou mais e gozou dentro dela, deixando o seu corpo cair sobre o de Bella.
...................................
Algumas hora depois, Edward estava com Isabella dentro da banheira, a menina estava encostada contra o corpo dele e cabeça apoiada no peito másculo do rapaz.
-- Vai me dizer o que estava falando com Rose?
-- O quê? - Ela disse surpresa — Você, você... Edward você fez tudo isso só porque eu não te disse o que estava conversando com Rose?
Edward se sentiu culpado pelo modo como ela colocou as coisas, bem de fato, era esse o motivo mesmo... Porém ele gostou de ter feito aquilo e sabia que ela também havia gostado.
-- Você me disse não! - Ele respondeu como se isso explicasse tudo — Ninguém me diz não, tão pouco a minha mulher.
Isabella olhou feio para ele, mas depois deixou o seu corpo relaxar e voltou à posição inicial que estavam.
-- Se eu não tivesse tido o melhor orgasmos da minha vida, eu chutaria você por isso! - Ela disse mordendo os lábios só com a lembrança — Não acredito que fez isso!
-- Sim, eu fiz! Agora que já sabe, diga o que falavam? - Ele pediu.
-- De você! - Ele enrugou a testa — Estávamos falando de você...
-- Sobre o quê exatamente?
-- Que eu sentia falta desse seu... - Ela corou fortemente e não completou a frase.
-- Do meu o quê, Isabella?
-- Do seu lado Dominante! - Ela disse por fim girando e ficando de frente para ele — Eu amo você Edward. Eu te amo por completo, gosto do seu lado carinhoso e atencioso, e do modo como faz amor comigo, mas também gosto desse seu lado rude e selvagem. Eu quero você todo, não só metade, aceito você assim do jeito que você é! Então não me negue nada que possa me dar...
Edward não disse uma palavra, apenas puxou a amada para mais perto dele e tomou a boca dela em um beijo cheio desejos e promessas...
..............................
Isabella e Edward chegaram a sua casa pela manhã. Jasper estava na casa com os meninos, Sue e Alice. Eles estavam tomando o café da manhã. Nick estava de banho tomado e Thomas também. Isabella olhou para Edward sem entender nada.
-- Eu pedi para Jasper ficar com meninos! - Ele disse — Emmett tinha planos para a noite passada!
-- Ah! - Ela disse – Bom dia a todos!
-- Bom dia! - Eles sorriram.
-- Nanai! - Nick disse saindo correndo em sua direção.
-- Oi meu amor! - Ela disse beijando o filho — Quem deu banho em você?
-- Titiu Jaspeli! - Ele disse sorrindo, Edward mordeu os lábios para não ri.
-- Seu tio Jasper leva o maior jeito com crianças! - Edward disse pegando Thomas no colo, o beijando e bagunçando o cabelo do filho – E você campeão, como está?
-- Lotimo! - Ele disse, mas Edward entendeu.
-- Qual e problema do Nick com água? - Jasper perguntou.
-- Nenhum! - Edward respondeu sentando à mesa com Thomas no colo — Ele só não gosta de banho! O natural dele é ser um porquinho.
O menino riu, sem nem sequer se importar com comentário do pai, ele estava feliz, pois Isabella estava lhe dando o seu café da manhã. Ele não se importava em gostar de ser sujinho, ele estava com a mamãe dele, por que então ligaria?
-- Como foi à noite? Eles deram muito trabalho? - Isabella perguntou corando um pouco, lógico que todos sabiam o que ela e Edward estavam fazendo, que dizer, não sabia exatamente o modo como, mas no real da coisa, sabiam o que eles faziam fora de casa...
-- Foram ótimos! - Alice disse — Os seus filhos são ótimos, Isabela.
-- Eu sei! - Ela disse — Mas ainda são crianças bem peraltas, não se engane Alice.
Ninguém disse mais nada. Edward deu comida para Thomas e Isabella estava fazendo o mesmo com Nick. O café da manhã fora agradável e quando todos já haviam terminado, o celular de Edward tocou, ele reconheceu o número assim que olhou.
-- Oi Emmett! - Ele disse e ficou sério apenas ouvindo o que o irmão tinha a dizer — Eu estou indo para aí! - Edward desligou o celular e colocou Thomas no chão, olhando para Jasper ele falou... — Emmett está precisando da gente!
Jasper se pôs de pé na mesma hora, em questão de segundos, ambos estavam indo para à porta. Bella e Alice seguiram atrás, os meninos estavam correndo pela sala de jantar.
-- Edward o que está acontecendo?
-- Depois falamos! - Ele disse e a beijou — Não saia de casa!
-- Alice, vamos! Eu vou deixar você em casa! - Jasper disse — Eu encontro você na casa de Emmett!
Ninguém disse nada, apenas Jasper saiu levando Alice e Edward saiu logo atrás. Mas Isabella sabia que havia algo de errado, algo de muito errado naquilo...

CONTINUA...

18 comentários:

  1. O capitulo foi maravilhoso adorei.
    Oque sera que aconteceu? E a Esme quando e que ela vai deixar eles em paz? E Edward com os filhos que coisa mais linda.
    Ansiosa pelo próximo capitulo. E Jul você é maravilhosa garota.

    ResponderExcluir
  2. Amei, foi perfeito Jul, eu acho que a Esme fugiu do hospício
    Quero mais

    ResponderExcluir
  3. deus do céu a vaca loca da Esme fugiu do hospício so pode, o EDWARD tem que proteger a bella e os gêmeos. ansiosa pelo proximo

    ResponderExcluir
  4. AMEEEI o capítulo, já estava com saudades desse Edward dom... Hahahaha!!! O que aconteceu agora hein?! Mal resolveram um problema já aparece outro !!!! Beijinhos, até o próximo!!!

    ResponderExcluir
  5. adoreiiiiiiiii..... a Esme ficou louca mesmo , n q ja n fosse kkkkkkkkkkk
    sera q a ligação era relacionado a ela??? curiosa....
    essa familia ta muito fofa!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. amei
    oba o ed dom voltou
    que delicia
    vc e fantastica
    beijocas adriane

    ResponderExcluir
  7. Adorei a volta deles Jul.
    Esme loucona. Ou ela fugiu do hospício, morreu ou aconteceu algo com Carlisle.
    Hehehe
    Atê a próxima *-*

    ResponderExcluir
  8. Amei o cap mas isso não é novidade... Adoro o Edward DOM!!! Bjo Adiele

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente a fic!!!! Maravilhosa como tds, esse casal até q enfim estão vivendo seus momentos e os outros rapazes tb (J/Em/C). B/E maravihosos como D/S. Adorei o cap. Parabens Jul, bjs
    Andrea de Oliveira

    ResponderExcluir
  10. Muito bom Jul. Já estou super curiosa pra saber o que vem por aí. bjuuusss

    ResponderExcluir
  11. Curiosa para saber o que aconteceu. ..... rsrsrs

    ResponderExcluir
  12. Amei o cap!!!!
    Finalmente as coisas estão começando a se resolver para esse 2.
    Até o proximo!

    ResponderExcluir
  13. Ficou o máximo agora sim eles vão começar a ser felizes mas há sempre um se não.....
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. eu axo q o Emmett precisa deles para fazer uma surpresa pra Rose pra pedi ela em casamento só acho.

    ResponderExcluir
  15. Não vejo a hora dos próximos capítulos, esta cada vez melhor.
    voçê é uma excelente escritora, parabéns.

    ResponderExcluir
  16. eu gosto muito dessa historia e entre lençois.eu só tenho uma reclmação.poxa vc demora muuuuuito para postar os capitulos dessas historia.vc ta levando 1 mes ou mais para postar caso vc ainda nao tenha reparado.para vc ter uma ideia a ultima vez que vc postou fou 7 de março.quando vc postava no nyah.com.br vc postava com muito mais frequencia.adoro as suas historias espero que vc nao tenha ficado chatiada comigo,acho vc uma excelente escritora.bjus e até a proxima vou ficar aguradando.bjus

    ResponderExcluir