Jul M

Oi

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

De Olhos Bem Fechados -- Cap 2

CAPÍTULO 2
EVANGELINE A PEQUENA PESTINHA...
Isabella estava terrivelmente surpresa, muito surpresa mesmo com o tamanho daquela mansão, que eles humildemente chamavam de casa. Havia um jardim, que sem exageros, poderia até ser comparado ao Central Park, não só pelo tamanho, mas pela exuberância e diversidade. A casa era centrada bem no meio da propriedade, uma grande casa branca, cheia de janelas modernas, fazendo o estilo clean, havia ainda as elegantes escadarias em mármore que levava para a porta de entrada. Sue estava com Isabella que vestia um terninho de saia, feito sobre medidas, por uma de suas poucas amigas e que era costureira. Bella tinha em suas mãos uma pasta com os seus documentos. Não sabia ao certo o que a espera, mas sabia que qualquer coisa que viesse dali seria grande.
-- O Sr. Cullen não deve está em casa, não vejo o carro dele no estacionamento perto do jardim! - Ela disse — No entanto a Sra. Esme já está aí, ela lhe dará as diretrizes do que fará, é dela também, a palavra final sobre a sua contratação.
-- Claro!
Assim que a porta fora aberta, Isabella se deparou com o grande luxo que era a casa. Havia uma escadaria que mais parecia com uma daqueles filmes de princesas que assistira em sua infância, toda em caracol, com vias a um grande hall de entrada, no qual havia apenas três cadeiras de veludo vermelho e um aparador de ferro e vidro no canto, encostado á parede. Uma Senhora, de longos cabelos dourados e o rosto em formato de coração estavam lá à espera delas, ela usava um vestido florido, ela estava muito elegante. A mulher deu um sorriso doce para as duas que acabavam de chegar.
-- Sue! - Esme disse dando um abraço na mulher— É bom vê-la! Você quase não vem me visitar!
-- Muito trabalho! - Ela disse sorrindo — Sra. Esme, essa aqui é Isabella Swan, foi à melhor tutora que consegui achar para a menina! - Ela relatou com seriedade.
-- Seja bem vinda! - Esme disse — Eu espero que Sue já tenha lhe explicado tudo!
-- Sim ela me colocou a par de toda a situação! – A jovem disse rapidamente — E também disse que a Senhora daria a palavra final!
-- Oh sim, claro! - Esme disse — Eu não moro aqui, essa é a casa de meu filho e como já sabe, ele tem uma menina, o nome dela e Evangeline, mas nós a chamamos de Angel! - Ela comunicou à jovem que ouvia atentamente — Angel tem um temperamento um tanto quanto difícil, igual ao do pai e acredite em mim, você não gostará de cruzar com um Edward furioso! - Ela articulou sorrindo — Angel precisa de disciplina, mas o pai é muito ocupado, como já deve imaginar e como a criança não tem mãe, as coisas se complicam ainda mais... Eu sou apenas a avó e não posso estar aqui o tempo todo, você se responsabilizará em discipliná-la...
-- Há algo mais que eu deva saber? - Isabella perguntou.
-- Sim claro! - Esme continuou... — Angel tem aulas regulares diariamente, que começam às oitos horas, ela não deve se atrasar. Pela tarde, ajude-a com os deveres de casa. Ela tem balé três vezes durante a semana, natação duas vezes, além de aulas de música, por favor, não deixe a menina faltar em nada!
Isabella olhou em volta e mordeu a língua para não dizer algo que fosse grosseiro. Angel era apenas uma criança de cinco anos, mas já tinha uma agenda tão cheia que praticamente tomava toda a sua infância, qual o tempo que lhe sobrava para as brincadeiras da idade? A menina tinha uma agenda mais cheia ainda do que a da própria Isabella quando tinha a mesma idade que ela. Na verdade, naquela época, a única coisa que Isabella tinha com que se preocupar era em ser criança. A mãe tentou colocá-la para fazer balé, mas fora um fracasso total, então ela deixou de mão...
-- Hoje Angel não teve aulas na Escola, então você poderá conhecê-la! - Esme disse — Contudo ela tem aula de balé mais tarde e você terá que levá-la! - Comunicou — Temos um uniforme para você, não gostaríamos que os empregados da casa usassem roupas normais, temos regras e espero que as cumpra!
-- Certamente Senhora!
-- Você poderá dormir aqui na casa, se assim desejar, mas lembre-se que caso decida dormir em sua própria casa, no dia seguinte terá que estar aqui bem cedo! - Esme lhe advertiu — Lion é o motorista de Angel, ele levará você para todos os lugares que sejam imperiosos, isso é claro, quando a menina estiver junto a você, quando ela não estiver Lion não terá nenhuma obrigação ou autorização para lhe servir em suas necessidades pessoais.
-- Entendo!
-- Você nunca, jamais deverá se dirigir ao meu filho como se fossem amigos íntimos!- Ela disse — Edward odeia ser chamando de Senhor, segundo ele, faz com que se sinta velho, ele sempre trata bem os seus funcionários, mas isso não lhe dará motivos para se achar amiga ou da família.
Ouvindo Esme falar daquele jeito, Isabella esqueceu completamente a imagem da mulher meiga e boa que ela anteriormente teve da rica Senhora a sua frente, Esme não passava de uma pessoa arrogante com pinceladas de uma megera, e se dependesse daquela Senhora, ninguém seria mais do que um mero empregado naquela casa.
-- Passarei o dia aqui! - Esme lhe comunica altiva — O meu filho ainda não chegou e quero, pessoalmente, apresentá-los.
-- Claro Senhora!
-- Carmem! - Esme chamou, e imediatamente uma senhora de meia idade apareceu, pelas roupas, ela soube que a mulher era a governanta da casa. — Leve a Srta Swan para trocar de roupas, dê a ela o seu novo uniforme!
-- Certamente Senhora! — Ela prontamente assentiu — Queira me acompanhar!
Isabella agora vestia uma calça social e uma camisa larga de botões feita do mesmo tecido, deixando-a com uma aparência bem mais séria e bem mais velha do que, na verdade, ela era. Carmem explicou que a calça era porque a menina Angel gostava de correr pela casa e se a jovem vestisse saias poderia ser perigoso. Mas no fundo, Isabella sabia que era para não provocar, nem tentar ao chefe. A menina riu de seu próprio interlúdio. Carmem também lhe mostrou o quarto que por ventura usaria, quando estivesse em serviço, o aposento ficava próximo ao de Angel, era um quarto simples, mas havia um banheiro lá. Carmen também deixou claro que Isabella não deveria ficar zanzando pela casa de toalhas. Isabella não tinha a menor intenção de dormir naquela casa, ela preferia ficar em seu próprio reduto e estar bem cedo na mansão dos Cullen, sempre no horário previsto para o seu inicio de jornada.
Quando voltaram à sala, Esme sorria conversando com Sue. Assim que viu Isabella, ela voltou a ficar séria no mesmo instante. Uma menina de cabelos cor de bronze, adentrou à sala, ela possuía grandes e lindos olhos verde e a sua pele era bem clara, a criança parecia um anjo de verdade, ela abraçou a avó e depois a beijou no rosto, ela sorriu para Sue e se voltou para Isabella que estava ao lado de Carmem.
-- Angel querida, essa é a sua nova tutora! - Esme lhe comunicou — Isabella essa é a minha querida neta Angel!
-- É um prazer conhecer você, Angel! - Ela disse lhe estendo a mão – Eu espero que sejamos boas amigas!
A menina de apenas cinco anos, olhou para ela e lhe deu um sorriso que fez Isabella tremer de medo.
-- Prazer Srta. Swan, eu também espero que possamos ser boas amigas. Vovó, eu vou para o meu quarto!
-- Claro minha querida!
Por que será que Isabella sentiu medo, daquela criatura, que mais parecia um anjo? Ela sabia que ali, havia algo que não era nada bom, nada mesmo... Esme lhe deu mais algumas ordens e explicações do funcionamento da rotina de Angel, e então, Isabella lhe comunicou que não ficaria para dormir, mas que ela estaria ali todos os dias no horário certo. Depois disso, Isabella fora levada por Carmem para conhecer o restante da casa e todos os lugares nos quais a pequena Angel gostava de freqüentar. Também foi entregue a mais nova funcionária, uma lista de deveres para que ela tivesse ciência do que se esperava dela.
........................
Edward chegou a sua casa depois de mais uma noite na farra, a sua mãe sorria com alguém na sala. Ele ficou surpreso ao ver Sue, ela deveria estar na empresa, mas estava ali.
-- Sue! - Ele disse ao entrar na sala e caminhou para beijar a mãe no rosto — Dona Esme, sempre tão linda!
-- Sempre educado! - Esme disse — Está cheirando a álcool, passou a noite fora novamente! - Ela afirmou ralhando com o filho.
-- Eu sou um homem adulto, faço o que quero! - Ele retrucou — Agora posso saber qual o motivo de vocês duas estarem aqui?
-- Sue trouxe a nova tutora de Angel! - Esme disse.
-- E como ela é? - Edward perguntou não sobre o seu currículo, mas sim por a sua beleza.
-- Jovem demais! - Esme disse e ele fez uma careta — Ela é ótima para o trabalho, é bem jovem, só tem vinte e um anos e sem duvida, ela não é o tipo de garota que você gosta.
-- Você conseguiu essa “coisa”, aonde Sue? - Ele perguntou sorrindo.
-- Papai! - Angel entrou correndo e se jogando nos braços do pai.
-- Meu pequeno anjo! - Ele disse ao beijar rosto da criança e a abraçar forte — O que achou da nova tutora?
-- Ela é sem graça! - A menina disse.
-- Já estou sabendo disso! - Ele fez uma careta — Coisas de sua avó, ela acha que eu possa...
-- Edward Cullen! Eu te proíbo de dizer mais alguma coisa! - Esme ralhou séria.
-- Bem querida, eu espero que ela cuide de você...
Esme pediu para que Carmem chamasse Isabella, que agora seria a nova tutora de sua neta. Alguns minutos depois, Isabella apareceu. Ela ficou corada assim que viu Edward, como esquecer um rosto como aquele, ainda mais quando ele estava olhando para ela com bastante atenção.
-- Edward querido! - Esme disse — Essa é a Srta. Swan, a nova tutora de Angel!
-- Seja bem vinda! - Edward a cumprimentou com muita indiferença, elea achou um tanto quanto familiar, mas não sabia de onde a conhecia, então achou melhor deixar para lá — O seu único trabalho aqui e atender as vontades da minha filha! - Ele articulou — E claro, tentar incutir um pouco de disciplina em minha linda princesa.
Edward beijou o rosto da filha e a colocou no chão. Nada mais disse, ele ignorou por completo a jovem, trocou algumas palavras com a mãe e Sue, depois simplesmente saiu, sem dizer mais nada a nova funcionaria e tão pouco deixou a jovem dizer algo.
Isabella se sentiu frustrada, ela lembrava muito bem dele, como esquecer alguém como ele, porém já ele, sequer se lembrava dela, ela notou com tristeza.
Edward caminhou para o seu quarto, ele precisava de um bom banho, pois teria uma reunião às dez horas, naquela manhã. Ainda havia tempo de sobra, afinal ele era o dono da empresa e não precisava chegar tão cedo, mas gostava de dar o bom exemplo, contudo, naquele dia, ele sabia que não chegaria antes das 10h. Ele jogou a sua roupa encima da poltrona que havia em seu quarto, uma suíte muito bem decorada, com móveis em tons escuros e paredes claras. Uma enorme cama ficava no centro do aposento. Havia uma grande janela que começava no chão e ia até o teto e que dava acesso a uma varanda bem em frente ao jardim. A varanda possuía duas cadeiras e uma moderna mesa de centro. Raramente Edward tomava café naquele ambiente, porém quando ele o fazia se sentia sozinho demais, então deixou de tomar café da manhã ali, apesar da bela vista para a propriedade, de um verde intenso.
Ele  entrou no banheiro e por algum motivo se sentia frustrado, a nova tutora de sua filha era jovem demais, tão nova que ele poderia jurar que tinha quase dezoito anos, mais segundo as informações que teve, a jovem tinha vinte e um anos. Jovem demais, Edward sabia disso, ele sempre evitava esse tipo de garotas, elas sempre queriam algo mais do que uma noite de sexo e ele nunca dava a alguém algo como isso. Sabendo que garotas de pouca idade, costumavam fantasiar coisas como “príncipe encantado” e “amores para sempre”, ele evitava aquele tipo especifico de mulheres. Quando saiu do banho, ele chegou à conclusão que a tutora da sua filha não seria nenhum perigo para o seu apetite sexual.
Enquanto isso, Isabella teve uma grande surpresa ao entrar no quarto que seria o seu, parecia que um furacão havia passado por lá, tudo estava fora do lugar, ela agradeceu por não ter nada seu de pessoal por ali, a não ser a roupa que ela viera vestida para aquele local. Ela olhou com mais atenção e viu a pequena Angel encostada contra a parede, próxima a janela. A menina com o rosto de anjo olhou para ela e deu um sorriso que mais uma vez, fez Isabella tremer.
-- Arrume já esta bagunça! – A criança demandou com autoridade. — Não pense você, que será fácil a sua vida aqui! Você sairá daqui correndo e em prantos em menos de uma semana.
Isabella estreitou os olhos para o monstrinho a sua frente, fora ela quem fizera toda a bagunça, apenas para ter o prazer de ver Isabella arrumando, que tipo de criança era aquela? E por que estaria fazendo aquilo? Era o que Isabella se perguntava naquele momento. Mostrando a língua em gesto bem infantil próprio de sua idade, a menina saiu saltitante do quarto, cantarolando com os cabelos balançando de lado para o outro.
................
Isabella descobriu que Angel não era nada angelical,a menina era uma verdadeira pestinha isso sim! Em apenas um dia, fez tudo o que uma criança normal, levaria uma vida para fazer. Deu mais trabalho do que um bebê de colo e se alguém dissesse que ela era um amor, Isabella gritaria que a pequena era sim uma peste e advertiria a todos que ficassem bem longe dela. Angel colocou sal no suco da tutora, derramou sopa em cima de Isabella, jogou o rolo de papel higiênico no vaso do banheiro do quarto de Bella, fazendo o vaso transbordar. Afogou as roupas da sua tutora na banheira. E para fechar com chave de ouro, a peste, empurrou Isabella na piscina da casa, fazendo a jovem sair toda molhada de lá.
Isabella estava pegando outro uniforme, já que o que vestia estava todo encharcado. Ela estava quase perdendo a paciência com aquela peste que todos chamavam de anjo.
-- Angel não é fácil! - Carmem disse — Se você sobreviver à primeira semana, será ótimo!
-- Ela sempre faz isso? - Isabella perguntou já sabendo a resposta.
-- Com todas! - Carmem disse — Ela não aceita muito bem a presença de outra mulher nessa casa!
-- Onde está a mãe dela?
-- Longa história! - Carmem confidenciou — Apenas leve na esportiva, ela é só uma criança!
-- Ela pode acabar machucando alguém!
-- Ela não tem muita inteligência, para isso! - Carmem defendeu a patroinha — Só cinco, se lembra?
-- Dê fósforos para ela e um vidro de álcool e descubra! - Isabella contra argumentou com azedume.
-- Angel não teve a presença da mãe! - Carmem arrazoou — E como toda criança, ela tem ciúmes do pai! Não que você seja uma ameaça, você é muito jovem!
-- Como assim? Muito jovem?
-- Edward não se interessa por menininhas! - Carmem confidencia - Apenas ignore Angel e logo ela esquecerá que você existe, assim que se der conta de que o seu pai não olhará nunca para você!
Carmem parecia ser legal, mas sabia ser azeda quando queria e naquele momento, Isabella soube que ela estava sendo azeda...
......
Já era quase seis horas da tarde, quando Edward chegou em casa. Angel correu em sua direção se jogando nos braços do pai. O homem a encheu de beijo e lhe entregou um presente.
-- Olá minha lindinha! - Ele disse colocando-a no chão.
-- Olá papai!
-- Como a minha menina se comportou? – Aquela pergunta fora para Isabella.
-- A sua menina dá um pouco de trabalho! - Ela disse e Edward estreitou os olhos — Porém, não será nenhum problema para mim!
-- Assim espero! - Ele disse seco.
Edward subiu as escadas e sumiu no andar de cima, Angel já se preparava para sair correndo, mas Isabella segurou a menina a mantendo em sua frente.
-- Angel! - Ela disse olhando para menina — Eu não sou sua inimiga! Eu até quero ser a sua amiga, mas se você continuar tentando me ferrar, eu também ferrarei você!
-- O meu pai não acreditará em você! - Ela disse e lhe mostrou a língua mais uma vez, antes de sair correndo.
Isabella sabia que aquela infante seria uma pedra em seu sapato, uma pedra que lhe daria muita dor de cabeça...

CONTINUA...

16 comentários:

  1. Parece que a Angel vai dar muitos problemas. Estou gostando muito da historia.

    ResponderExcluir
  2. Amei ansiosa por maiss!!!!!!
    Eu estava com saudade!!!

    ResponderExcluir
  3. Que gentinha é essa??
    A Esme, o Ed e a filha são Arg!

    ResponderExcluir
  4. Mais uma história com garantia de sucesso.
    Ansiosa pelos proximos capitulos.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o capitulo,como sempre suas historias sao maravilhosas bjs
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. gente que pestinha essa ANGEL e aff já estou com pena da bella kkkkkkkkkkk ansiosa pelo próximo

    ResponderExcluir
  7. Criança ou monstrinho?! Jesus que moleca azeda.. Vanessa

    ResponderExcluir
  8. Teria como me responder qual a frequencia q vc posta novos cap?
    como disse num comentaria de Slave Of Pleasure --- Escrava Do Prazer
    eu lia sua fincs no nyah mas como nao dá mais eu vim ler aki no blog
    e por isso quero me sintonizar em como funciona a postagem aki no blog
    tenho q ir bjs

    ResponderExcluir
  9. Vixi q a Bela vai ter um trabalho arbuo com essa pestinha né?! E a Esme ein?! Achei ela muito soberba né?! adorando a estória. Aguardando asiosa por mais. ;) Bjs 8-@@@
    Att: Dani

    ResponderExcluir
  10. Meu essa guria é o capetaaaa!!! Ansiosa pra o próximo.

    ResponderExcluir
  11. Q peste .coitada da bela .esse trabalho nao sera facil

    ResponderExcluir
  12. muito boa.......esta fantástica.

    ResponderExcluir