Jul M

Oi

sábado, 7 de dezembro de 2013

Slave Of Pleasure-- Escrava Do Prazer--- Cap 33

REENCONTRANDO O PASSADO...
Era uma tarde tranqüila de domingo, Isabella estava sentada na varanda de sua casa, o sol começava a se pôr no céu, era o crepúsculo que chegava aos poucos... A mente da morena estava distante, mas ainda assim, ela não tirava os olhos dos filhos que brincavam alegremente no jardim. Eles eram a replica perfeita do pai, talvez esse fosse o principal motivo para ela ficar sempre se lembrando dele... Para piorar a sua situação, havia a recordação da noite anterior, não era bem aquilo que ela queria, ela fora atrás de outra coisa, mas ainda assim, ela não conseguiu resistir a ele, o desejo e a paixão eram sempre mais fortes do que ela. Isabella estava tão perdida em seus pensamentos que não percebeu Emmett se aproximando.
-- O que você tinha na cabeça? - Emmett disse alto e em bom tom para que ela o ouvisse claramente — Isabella, por que você foi à mansão ontem à noite?
-- Emmett...
-- Não... - Ele disse a interrompendo — Isabella, Edward está que nem um louco querendo saber onde você mora, onde você está!
-- Ele não pode saber!
-- Sim, ele não pode saber! - Ele gritou — Mas você tinha que ir à mansão, não é?
-- Eu precisava...
-- Não importa! - Emmett fala de forma brusca — Edward acha que sonhou com você, pelo menos por enquanto é o que ele imagina, mas quando ele começar a racionalizar as coisas, ligando os fatos, ele vai saber que era você e que não foi um sonho, que você realmente esteve lá...
-- Emmett! - Ela gritou meio exasperada, fazendo assim o rapaz calar — Eu preciso ter uma conversa com Edward, muita coisa não foi dita e ele é o único que pode me dizer, ele é o único que pode me dar às respostas que preciso.
-- Ontem à noite vocês dois...
-- Emmett, eu não vou falar sobre isso com você! - Ela disse corando fortemente.
-- Se você ainda o ama, essa é a hora de lutar ou tentar mudar tudo isso! – Emmett diz com veemência - Edward está com a guarda baixa, você...
-- Não! - Ela diz cortando o grandalhão — Eu preciso saber de algumas coisas, eu não vou arriscar dessa vez, eu já me machuquei uma vez e não vou cometer o mesmo erro duas vezes.
-- Então por que foi a mansão? - Emmett questiona novamente — Por que foi atrás dele? Isabella você mente tão mal...
......................
Isabella não disse mais nada a Emmett, apenas ficou em silêncio e o rapaz, por sua vez, também não perguntou mais nada a ela, simplesmente foi ao encontro dos sobrinhos no jardim, desejoso de brincar um pouco com eles. Assim que a noite caiu, Emmett saiu da casa, mas não antes de se despedir de Sue e dos sobrinhos. Isabella estava na sala assistindo TV quando Sue entrou com os dois meninos, eles vinham do jardim, a amável senhora parecia se divertir muito na companhia das crianças que eram como verdadeiros netos para ela.
-- Vamos meninos, subam para tomar banho! - Isabella disse e antes que ela ficasse de pé, os dois correram escada à cima rumo ao banheiro.
Era raro o dia em que os dois queriam tomar banho, normalmente era uma briga para eles entrassem no chuveiro e se banhassem.
-- Eles têm muitas coisas de Edward! - Sue comentou sorrindo para Isabella.
-- Têm sim! - Ela concordou.
-- Edward era assim! - Sue afirma — Só que Esme nunca deixou ninguém dar banho nele, apenas ela fazia isso, ela sempre teve esse super cuidado com ele. Sempre achei que ela amava mais ele do que os outros dois meninos - Sue ficou em silêncio por alguns instantes como se estivesse lembrando de algo — Mas ela amava sim os outros dois filhos, Jasper e Emmett, só que com Edward sempre fora bem diferente...
-- Sue! - Isabella interrompe a mulher antes que ela concluísse a sua fala — Posso lhe fazer uma pergunta?
-- Claro querida!
-- Esme deu banho em Edward até quantos anos?
-- Eu não sei bem, mas acho que até os sete ou oito anos! - Sue diz sem entender a pergunta de Bella.
-- Alice me disse uma vez que Edward nem sempre foi assim.
-- Oh não, o menino Edward era sorridente e divertido! - Sue dizia relembrando sobre o jovem quando mais novo — Eu acho que foi quando ele completou quinze ou dezesseis anos que ele começou a ficar meio sombrio, deveras sério, frio e distante! - Sue falava com se fizesse um comentário para si mesma — Até mesmo da mãe ele se afastou, Edward era muito próximo de Esme, mas de repente, sem ver nem pra que, ele ficou arredio e distante dela. Porém, Esme continuava a tratá-lo do mesmo jeito, mas Edward estava cada vez mais ausente, até mesmo com o pai.
-- Ele já namorava Victoria?
-- Sim, foi nessa mesma época que ele a apresentou para família! - Sue glosa — Esme não gostou nada, logo depois da saída de Victoria, ela disse poucas e boas para Edward e exigiu que ele terminasse com ela.
-- Por que Sue? Por que Esme fez isso?
-- Ela disse que Victoria não era a garota certa para ele. - Sue relata — E Esme estava certa! Victoria o deixou, ela trocou Edward por outro homem e apenas fugiu sem dizer nada.
-- Daquela vez Esme tinha razão! - Isabella disse amarga — E as outras namoradas?
-- Outras? - Sue acirra – Não houve outras! Apenas Tânia e Victoria e entre um ou a outra, Esme preferia Tânia, não por Tânia ser à mulher perfeita para o filho, segundo a própria Esme, mas sim porque era da família e seria mais fácil para Esme a controlar.
-- Então ele não teve outras namoradas?
-- O menino Edward se fechou para o mundo! - Sue diz — Esme e Victoria talvez sejam as culpadas, mas o fato é que Esme sempre super protegeu Edward e as coisas, bem, pareceu te fugido ao controle dela.
-- Ela sempre tentou controlá-lo?
-- Na maioria das vezes ela conseguia, ele sempre cedia às vontades da mãe, mas depois dos dezesseis anos, ela perdeu todo o controle sobre ele! - Sue calou-se e então olhou para Isabella — Houve uma vez em que eu pensei que Edward sentia ódio da mãe, apenas uma vez eu vi isso em seus olhos, mas depois nunca mais. Era como se ele a culpasse por algo, eu não sei o quê, só sei que ele mudou completamente...
-- Sue, você poderia ajudar os meninos no banho?
-- Claro menina! - Sue deu um sorriso.
— Eu vou precisar sair e pode ser que eu demore um pouco!
-- Tudo bem, eu ficarei de olho nos meninos!
-- Obrigada!
......................................
Emmett estava na casa dos pais, era início de noite, estavam todos lá, até mesmo Jasper, sem a sua namora Irina, que parecia mais a sombra do rapaz. Alice ainda morava lá, o porquê disso, nem mesmo Sue sabia, mas a menina tinha os seus motivos para continuar por lá... Esme quase não via Alice, a jovem passava mais tempo fora do que em casa, Alice apenas dormia na mansão. Esme estava se arrumando para mais um dos muitos jantares que ela e Carlisle iam juntos. O casamento deles não ia nada bem e isso era visível para os filhos.
-- Edward, eu espero que você fique sóbrio essa noite! - Carlisle disse ao sair na varanda, os três filhos estavam lá.
-- Pode deixar Sr. Cullen,
-- Boa festa pai! - Jasper disse ficando de pé — Eu vou aproveitar para sair com vocês...
-- Meninos como estou? - Esme perguntou ao sair, ela estava usando um vestido branco longo e os seus cabelos estavam presos em uma trança.
-- Linda como sempre! - Emmett elogiou — Vai roubar a cena Sra. Cullen!
-- Assim espero querido! - Esme concorda — E você Edward, o que acha?
-- Está perfeita! - Edward diz seco e distante — Mas acredito que você já saiba disso!
-- Poderia ser mais gentil querido! - Esme argumenta dando um sorriso doce.
-- Vamos! - Carlisle a apressa — Edward, amanhã você terá que estar às sete no hospital e não se atrase!
-- Claro Senhor.
Carlisle apenas olhou circunspecto para o filho, Edward estava sendo sarcástico como sempre e era algo que muito incomodava Carlisle.
..........................
O celular de Emmett estava sobre a mesa de vidro que ficava na varanda. Ele não se encontrava no local naquele momento, ele tinha acabado de entrar na casa para ir ao banheiro. Edward percebeu quando o celular começou a vibrar sobre a mesa de vidro, mas não fora isso que chamara a atenção do ruivo, e sim a foto de Isabella que apareceu na tela do celular quando este começou a vibrar. O jovem pegou o celular e atendeu a chamada.
-- Emmett! - Era a voz de Isabella — Eu preciso falar com você é importante!
Edward não respondeu nada, apenas escutava Isabella que voltou a falar.
-- Me encontre no café no final da rua, por favor. Emmett é importante, eu preciso te perguntar uma coisa e acho que só você poderá me responder.
Edward desligou o celular assim que o sentiu ser desligado. Ele até teve vontade de falar com Isabella, dizer a ela que não era Emmett, mas sim ele que estava a ouvido falar, mas ele não teve tempo, ela desligou muito rápido. Emmett voltou para a varanda.
-- Aonde você vai? - Emmett perguntou quando viu Edward colocando um casaco.
-- Eu preciso sair!
-- Você não vai beber de novo, não é?
-- Emmett não é da sua conta!
-- Por que está fazendo isso Edward? Afinal qual o motivo de estar enchendo a cara todo dia? Qual o motivo para você ficar tão bêbado ao ponto de não lembrar o caminho de casa? Isso tudo é por causa de Victoria?
-- Victoria faz parte do meu passado! - Edward retruca — Tudo o que eu quero dela é distância.
Edward não esperou Emmett dizer algo, ele caminhou em direção ao seu carro que estava no jardim e partiu rapidamente.
..........................
Isabella estava sentada em um canto discreto do café, bem lá no fundo, onde ninguém a notaria, ninguém a perceberia... Ali era mais fácil de ter uma conversa calma e civilizada com Emmett, que muitas das vezes, acabava perdendo a cabeça com Isabella, ainda mais quando o assunto era a sua mãe. Isabella tinha os olhos no menu quando sentiu alguém se aproximar, com olhos em direção ao chão, ela viu sapatos pretos italianos e ela sabia muito bem quem usa aquele tipo de calçado.
-- Edward!! - Ela disse surpresa e assustada — O que você está fazendo aqui?
-- Eu preciso conversa com você!
-- Nós não temos nada para conversar!
-- Então por que ligou para Emmett? - Edward perguntou abruptamente.
-- Era você! - Ela diz chocada — Edward você...
-- Eu vi a sua foto, eu sabia que o meu irmão mantinha contato com você, mas não sabia que era tanto assim!
-- O que quer dizer com isso? - Isabella já estava de pé.
-- Senta! - Edward praticamente ordenou — Eu preciso conversa com você!
-- Eu não quero falar com você! - Ela sussurrou tão baixo quando a sua vontade de sair.
-- Isabella você estava na minha casa na noite passada! - Edward a acusa — Eu tive você na minha cama! Eu fiz amor com você!
Essa era a primeira vez que Isabella ouvia Edward falar assim, normalmente ele se referia ao sexo com algo carnal, não como amor, ela sentiu o seu coração bater no peito cada vez mais forte, tão forte que não se deu conta que tinha prendido a respiração.
-- Respire Isabella!
Edward fez com que Isabella sentasse de volta em seu lugar e sentou-se ao lado dela.
-- Me deixa sair daqui! - Ela pediu.
-- Oh minha querida, você não vai querer dar um escândalo aqui, vai? - Edward argumentou — E contando com isso, eu espero que você me escute.
-- Escutar o quê Edward? - Isabella replica amarga — Que você só foi homem quando me queria em sua cama, mas quando as coisas se complicaram você fugiu?
-- Eu já disse que eu não seria um bom pai para aquela criança.
-- Edward! - Ela se exaltou olhado em seu rosto e encarando às duas esmeralda que havia lá... — Se eu não tivesse engravidado, você teria terminado comigo do mesmo jeito. Eu era apenas um brinquedo novo que você queria brincar e assim que se cansasse me mandaria embora como fez com todas as outras.
-- Você não sabe de nada! - Ele diz seco — Venha vamos sair daqui...
-- Eu não vou a lugar nenhum com você Edward!
-- Você disse que queria a verdade Isabella! - Edward joga improlífico — Eu lhe darei a verdade que tanto deseja e depois você poderá analisar se tudo o que eu disser é mentira ou não...
.........................
Isabella estava com medo de Edward, não que ele fosse de fato fazer mal a ela, mas medo do olhar que ele tinha em sua face. Era o mesmo olhar frio e sem vida que ele deu a ela no hospital, quando soube que ela estava grávida. Edward dirigiu em silencio até um lugar ao qual Isabella nunca fora antes, era uma espécie de clube, pelo menos parecia ser um clube, apesar de aparentar ser diferente, pois era discreto, para dizer a verdade, era super discreto... Ela já havia passado por aquela rua antes, mas nunca havia notado aquele lugar.
-- Coloque isso! - Edward tirou do porta luvas uma máscara negra que cobriria boa parte do rosto dela — É para o seu bem! - Ele diz quando a jovem olha confusa para ele.
Isabella nada disse, ela apenas fez o que ele pediu, pôs a máscara e assim ambos saíram do carro. Ela caminhou ao lado de Edward até a entrada, uma porta de madeira com uma pequena abertura na altura da cabeça, era possível ver apenas o rosto da pessoa que estava do lado de dentro, era como uma porta medieval, mas então Edward disse algo e a porta fora aberta.
No primeiro momento, Isabella levou um grande susto, era tudo escuro demais, aos poucos as luzes foram clareando o caminho deles, porém era um local com pouca iluminação, assim que eles entraram no grande salão daquele lugar, Isabella levou um enorme choque com que viu.
-- Sim! - Edward sussurrou em seu ouvido quando ela estancou parando bruscamente — É um clube de BDMS, você queria saber a verdade, essa é a minha verdade.
Isabella correu os olhos pelo salão, lá havia casais de Submissas, Dominadores, Mestres e Senhores. Bem a sua frente havia uma cena que ela não sabia direito como descrever, uma mulher, totalmente escancarada, estava presa a uma barra de ferro, a boca mulher estava amordaçada e as suas mãos estavam amarradas, bem no meio das pernas da mulher, havia algo que certa vez Edward havia usado nela, algo parecido com um vibrador, um tipo de estimulante para clitóris, os gritos da jovem eram abafados pela bola tapava a sua boca e havia também, algo que prendia os seios da mulher, algo que Isabella não conseguiu identificar.

-- Vamos! - Edward disse puxando a jovem em direção a um outro corredor.
-- O que era aquilo? - Ela perguntou sem entender a cena.
-- Ela deve ter quebrado alguma regra de seu Mestre e estava sendo castigada!
-- Você já fez isso? - A pergunta saiu de sua boca antes mesmo que ela se desse conta.
-- Algumas vezes! - Edward respondeu já a puxando em direção a outro lado corredor.
Isabella estava chocada, ainda mais porque por onde quer que fossem cenas estavam sendo apresentadas.
Logo após o grande salão a jovem se deparou com outra cena de castigo, outra mulher estava levando palmadas com um tipo de palmatória que parecia uma raquete.


Em outro cômodo havia outra cena se passando, uma loira estava presa a algo, Isabella não conseguia identificar o que era, pois Edward não parou para ver a cena, mas o pouco que ela conseguiu coligar mostrava uma mulher loira, acorrentada a algo como pregadores que se acoplavam aos seios dela, e o Mestre, acariciava a buceta da loira.


Edward arrastou Bella para o próximo cômodo e só então ela se deu conta de que o lugar era simplesmente enorme. Nos outros cômodos havia Dominadores e Submissas transando, a maioria das Submissas estavam amarradas e presas a cordas de diferentes formas e em diferentes posições. Por fim, Edward chegou a um lugar onde era possível assistir a uma cena quente entre um Dominador e a sua Submissa.
A mulher estava de quatro no centro do salão, o seu Mestre batia nela, quer dizer, batia na buceta dela com uma vara. Isabella via no rosto da mulher que mesmo sentindo dor, havia prazer em seus gemidos e em seus agradecimentos.


-- Você iria me trazer aqui? - Isabella perguntou sem tirar os olhos da cena.
-- Não! Você não é o tipo mulher que eu gostaria de exibir aqui.
-- Um brinquedo particular?!...
-- Você não é um brinquedo! – Ele replica seco — Você não entende? Esse é o meu mundo, esse vinha sendo o meu mundo por anos...
-- E não é mais?
-- Já tem algum tempo que deixou de ser...
-- E você não sente falta? Digo, disso aqui?
-- Não exatamente! - Edward responde enigmático — Eu sinto falta de você...
Isabella apenas ficou calada esperando que ele continuasse, mas Edward ficou em silencio, a cena a frente deles, havia mudado, o homem agora fudia a sua submissa com força, enquanto ela continuava totalmente amarrada.
-- Por que me trouxe aqui? - Ela perguntou.
-- Você queria a verdade! - Ele disse — Essa é a minha verdade, eu não seria uma boa, eu nunca consegui perdoar o meu pai, eu não saberia como agir com aquele bebê que você esperava - Edward parecia perdido em seus pensamentos — Você é diferente Bella, ao mesmo tempo em que eu queria fazer maldades com você, algo em você me fazia desejar ao contrário. Você e a sua inocência me deixaram confuso e perdido.
-- Isso não impediu você naquela noite...
Tanto Isabella, quanto Edward se lembraram da noite em que ele mostrou a ela o lado obscuro dele, aquele que ela nunca tinha visto... O lado Dominador dele...
-- Era para você fugir...
-- Sempre foi você quem fugiu...
-- Talvez seja verdade, no fundo, talvez até o tempo todo, o problema fosse eu...
-- Sim, é você!
-- A sua gravidez me deixou surpreso e ao mesmo tempo assustado.
-- E então você fugiu?!
-- Eu não fugi, eu apenas achei que se ignorasse você seria mais fácil...
-- De me machucar?
-- Eu não entendo... Eu não sou esse cara perfeito, eu não mando flores em aniversários e não dou ursinhos de pelúcia de presente, eu não tenho namoradas, apenas amantes...
-- Então o que você quer comigo Edward? Por que me trouxe aqui? - Ela perguntou olhando fixamente para ele — Me trouxe para dizer que era um mostro? Sinto muito, mas você sempre deixou isso bem claro para mim.
-- Então por que não fugiu? - Ele perguntou embasbacado — Eu dei a você todas as chances para ficar longe, fugir de mim, eu sempre deixei isso bem claro...
-- Você sempre deixou claro que queria me comer, isso você sempre deixou claro! - Ela gritou e quando se deu conta, ficou feliz por estar tocando uma música bem alta, que impediu o seu grito de ser escutado por terceiros.
-- Não me diga! - Edward foi infrutuoso ao falar — Eu nunca menti para você, eu nunca fiz promessas para você... Isabella se você entrou nisso, foi sabendo de tudo e todo o risco que você corria... Você teve a chance de fugir, então por que não fez isso?
-- Porque eu te amo! - Ela gritou — Eu amava você e você era frio demais para notar isso!
O rosto de Edward ficou pálido, as palavras da jovem lhe deixaram sem fala. A palavra AMOR não era bem o que ele queria ouvir dela, talvez desejo, curiosidade ou algo parecido, tudo seria melhor de se escutar, menos que ela esteve ou esteja apaixonado por ele. Edward sabia que pelo modo como foi a reação de Bella, talvez ela ainda estivesse apaixonada por ele.
-- Você nunca vai fugir de mim, não é?
-- Você nunca foi o tipo de homem que me deu escolha!
-- Não existem muitas escolhas quando alguém se envolve comigo Isabella! - Edward profere — Há não ser, se submeter aos meus caprichos.
-- Você é um cretino! - Ela revida rancorosa.
-- E ainda assim você está aqui comigo! - Edward consolida — Você já sabe o que eu sou! Então fica a sua escolha, se vai fugir ou não...
-- Você não é isso! - Ela revida e Edward, dessa vez, a olha confuso — Isso aí que eu vi e ouvi, não é você.
-- Isabella não se iluda com a beleza do monstro debaixo de tudo isso.
-- Você mesmo disse que não me traria aqui!
-- Mas também não escondi o meu desejo de te causar dor...
-- Você não conseguiria me fazer mal, mesmo tentando...
-- Confia tão cegamente em mim?
-- Você me salvou! - Ela disse pensativa — Eu não faço idéia de como você chegou até a mim, naquela noite, mas estava lá e me salvou...
-- Eu vi você saindo da Estação do Metrô! – Edward confessa — Eu estava meio bêbado, não sei se você notou, eu achei que fosse coisa da minha cabeça, você andava meio que me assombrando nos últimos anos...
-- Talvez fosse a sua consciência culpado você.
-- Talvez! Mas eu a vi ou achei que a tinha visto, então eu segui você e foi assim que cheguei até aquele local - Edward ficou calado por um instante com se refletisse sobre algo — Você não era mais uma ilusão, era real e quando eu entendi o que poderia ter te acontecido, eu senti ódio de mim mesmo.
-- Você não pode me proteger de tudo.
-- Mas eu gostaria!
-- Por que Edward? Por que se importa tanto?
Edward puxou Isabella com certa violência, tanto que a máscara caiu e a jovem ficou pressa nos braços do ruivo.
-- Eu não sei, eu gostaria muito de poder te dizer! - Edward analisa — Você me perturba e ao mesmo tempo me acalma me traz paz e me deixa relaxado! - Edward passou a ponta dos seus dedos pelo rosto dela — Você me fascina por completo, é como um vício sem fim, eu preciso ter você para ficar curado ou morrer com o seu veneno...
-- Edward...
Edward colocou o dedo nos lábios dela, a calando, impedindo que a jovem dissesse algo.
-- Eu quero você! - Edward suplica com um olhar brilhante — Do jeito que for possível! Bella, eu não posso prometer flores e ursinhos fofos, lembra do dia que começamos? Eu não prometo dizer que eu te amo. Não estou dizendo que seria impossível, mas não agora, nesse momento eu quero entender o porquê de eu precisar tanto de você. Perdoe-me, mas eu quero você perto, eu não quero você longe, eu quero você comigo...
-- Isso é tão comovente! – Uma voz estranha baliu.
Isabella virou bruscamente em direção a voz e se deparou com uma bela ruiva, que usava um vestido vermelho e saltos altíssimos, ao lado dela estava um homem alto e forte com cabelos longos, presos em um rabo de cavalo, o homem era loiro de olhos azuis.
-- Você chega a ser comovente Edward Masen!
Isabella estreitou os olhos, é claro que ela reconheceu Victoria, a bela mulher que era a principal culpada por Edward ser assim, ou pelo menos, uma parte da culpa era dela.
-- Quem é a sua amiga?
CONTINUA...

7 comentários:

  1. ahhhhh .... to tão ansiosa ...a bella bem q podia enche essa vibora de porrada ...será q a bella vai aceita..tomara q siim... ahhh espero o próximo mto ansiosa ...

    ResponderExcluir
  2. quero muito que a Bella encha a cadela da Victoria de tapas e deixe ela bem machucada. e torço muito pra que ela e o ED se entenda de uma vez por todas.. e acabe logo com esse jogo de esconder os filhos dele

    ResponderExcluir
  3. Muito bom.
    O momento das revelações começou. Vai demorar para Edward descobrir que é pai?

    ResponderExcluir
  4. Adorei, tomara que Bella se mostre confiante diante da nojenta e coloque a cobra em seu lugar, deixando Edward de queixo caído e ainda mais apaixonado por ela.

    ResponderExcluir
  5. Tá ótima a fic, fiquei chateada quando não achei ela no nyah, mas ainda bem que achei teu blog! Continua!

    ResponderExcluir
  6. Ja tinha comentado essa cap la no nyah, e aqui tinha esse e o cap 34 ,cade o cap 34? ja tinha sido postado?e eu lido ? to ficando doida?

    ResponderExcluir
  7. Puxa vida,ele tá doidinho...ADORANDO isso!
    Então a vadia da Esme é pior do que se pensava,CACHORRA!
    Ansiosa pra ver esses dois se acertando,e curiosa pra saber pq ele tem tanta raiva da pai. Foi saber como ele achou ela,já tava achando que ele podia ler pensamentos.kkkkkkkkkkk.
    E essa vadia dessa Victória? Tomara q ela não seja mais uma a atrapalhar a vida,já tão complicada,dos dois.
    Tô doida pra saber como ele vai reagir quando souber da existência dos filhos. :)
    Parabéns Jul,essa fic é perfeita e ler aqui pelo blog é muito mais divertido.rsrsrs

    ResponderExcluir