Jul M

Oi

sábado, 26 de outubro de 2013

Slave Of Pleasure-- Escrava Do Prazer -- Cap 30

REAGINDO...
Isabella já estava com dois meses de gravidez, Carlisle receitou vitaminas próprias para este período de gestação, para assim, suprir as necessidades do feto e aumentar a resistência do organismo da menor. Ele percebia que ela estava um tanto quanto deprimida e não a culpava por isso. O ambiente em que a jovem estava vivendo não era nada bom, além do que, Edward pouco se importava e Esme tratava de deixar as coisas piores para a menor a cada dia que se passava.
-- Os batimentos cardíacos do bebê estão ótimos! - Carlisle disse para todos à mesa do almoço — Logo teremos mais um Cullen conosco.
-- Que seja um menino! - Emmett disse sorrindo - Diga que é um menino pai.
-- Ainda não dá para saber o sexo da criança.
- Que droga!
-- Emmett! - Carlisle o repreendeu e Isabella riu da cara do grandalhão.
-- Está rindo de mim? - Emmett diz se fingindo de ofendido.
-- Um pouco! - Ela disse sorrindo de verdade pela primeira vez depois de muito tempo — Já parou para pensar que poderá ser uma menina?
-- Não, isso já seria muita maldade! - Ele diz fazendo bico.
-- O que está acontecendo!? - Carlisle interpelou — Por que esse almoço esta demorado tanto?
-- Pronto, já podemos começar! - Esme disse entrando na sala de jantar com Tânia, Irina e Kate, que eram sobrinhas dela.
-- Vejo que temos visitas! - Carlisle retruca — Olá meninas!
-- Olá tio! – As três disseram juntas.
-- Nada mais justo, já que elas são da família! - Esme faz questão de pontuar — Tânia querida se sente ali ao lado de Edward!
-- Será um prazer tia!
Isabella sabia que Esme havia feito aquilo de propósito. Tânia passou o almoço todo a provocando e se insinuando para Edward, que por sua vez, pareceu dar corda e muita corda para a loira, fato que estava deixando Isabella bem furiosa. Depois do almoço, Isabella subiu para o quarto e acabou dormindo, quando despertou foi com um barulho no corredor. Ela saiu da cama meio sonolenta com os pés descalços e caminhou em direção á porta. Assim que a abriu, ela sentiu uma pontada no peito, era como levar uma facada, a cena que via, era uma espécie de Déjà Vu, Edward e Tânia se comendo no corredor...
-- Idiota! - Ela gritou assustando os dois, fazendo ambos se separar, Edward arrumou rapidamente a roupas assim como Tânia — Você, você... - Ela estava tão nervosa e tão raivosa que mal conseguia articular as palavras.
-- Isabella fica calma! - Edward disse.
-- Calma! - Ela gritou — Você é um filho da puta que acha que pode fazer o que quer. Você pelo menos deveria ter o mínimo de respeito por esse bebê que eu carrego no meu ventre, ele não é só meu filho...
-- Eu nunca o quis! - Ele gritou.
-- Aiiii! - Ela gemeu de dor levando as mãos para barriga — Aiii...
-- Isabella! - Edward disse chegando perto.
-- Fique longe de mim! - Ela gritou, ela levantou as mãos que estavam sujas de sangue.
Os gritos se fizeram ouvir ao longe. Carlisle e Emmett subiram as escadas correndo, Emmett foi o primeiro a chegar e assim que viu tudo, não precisou de muito para entender o que se passava.
-- Isabella! - Emmett disse lançando um olhar feio para Edward — Pai ela está sangrado!
-- Merda! - Carlisle disse já ao lado dos dois — Deve ser o principio de um aborto! Precisamos levá-la rapidamente para o hospital.
-- Certo! - Emmett disse pegando Isabella no colo.
-- Você conseguiu Edward, você conseguiu! - Ela disse antes de Emmett sair correndo com ela nos braços.
..............................
-- Por favor! - Isabella suplicou mais uma vez a Carlisle — Eu não estou pedindo nada que você não possa fazer.
-- Isabella isso é muito sério! - Carlisle disse — Por mais que seja complicado, Edward precisa saber a verdade.
-- Não, ele não precisa, não! - Ela afirmou categórica - Ele sempre deixou clara a sua posição sobre isso.
-- E para onde você vai?
-- Eu vou ficar com Rose! - Ela disse — Eu posso trabalhar, sei lá, eu me viro Carlisle.
-- Não mesmo! - Ele replica novamente.
-- Eu não estou pedindo a sua permissão! - Ela disse — Eu estou avisando o que vou fazer. Ficar na sua casa não está me fazendo bem, eu sou grata por tudo o que você está fazendo, mas eu não quero mais ficar lá.
-- Tudo bem! - Ele finalmente se dá por vencido — Contudo, você não vai trabalhar no estado em que se encontra. Isso não seria bom - Ele a lembra — Você precisa de repouso e trabalhar agora não é uma opção.
-- Mas eu não posso depender totalmente da Rose.
-- Eu vou sustentar vocês! - Ele diz — Você carrega o meu neto em sua barriga. Isabella mesmo você não querendo, não me diga não. Aceite a minha ajuda.
-- Está Bem! Vai ser melhor assim! – Ela retruca — Se Edward pensar que eu perdi o bebê, será mais fácil. Eu poderei seguir em frente e ele também. Eu dou o divorcio a ele e ficamos ambos livres para viver...
-- E o meu neto crescerá sem pai? Eu não acho isso justo...
-- Pior é ele crescer com um pai que não o ama e que sempre deixou claro o desejo de que ele morresse...
-- Tudo bem! - Ele aceita por fim, sabendo que de fato ela tinha razão — Mas eu te darei uma boa pensão, para você e o meu neto ficarem bem. E assim que o divorcio sair, eu arrumarei um apartamento para vocês.
-- Carlisle não precisa, assim que o bebê nascer, eu começarei a procurar um emprego.
-- Você precisa terminar o Ensino Médio e entrar em uma Faculdade, é disso que você precisa e não me contradiga.
....................................
As coisas aconteceram rápidas demais, Edward ficou sabendo pelo pai, que Isabella perdera o bebê, o que era de fato mentira, mas fora esse o combinado entre ambos. Dois dias depois, Isabella estava deixando a casa dos Cullen, sem sequer olha para trás e uma semana depois estava assinado os papeis de divórcio.
-- Você parece ótima! - Edward comentou.
-- Vai para o inferno! - Ela disse saindo agora definitivamente da vida dos Cullen.
.........................
Morar com Rose tinha as suas vantagens, era sempre uma festa, Rose já havia montando um quarto para os bebês. Assim que Isabella entrou no quarto mês de gestação, eles conseguiram descobrir o sexo do bebê e para a surpresa de todos, ela esperava dois bebês  
                                         
. Isabella se viu obrigada a contar para Emmett, já que ele freqüentava a casa de Rose e acabaria descobrindo tudo. O jovem achou errado o que ela fez, mas depois que ele escutou os argumentos da jovem, ele viu que fora a melhor escolha. Ele estava eufórico com a notícia dos sobrinhos, o quarto era azul bebê com detalhes em branco. Lá já estava cheio de ursinhos e carinhas divertidas, já tinha até um carrinho de gêmeos para as crianças. O quarto estava todo decorado, muito bem mobiliado, Carlisle acompanhava Isabella de perto, a cada consulta. Ele queria saber como ela estava, além de e todos os seus passos e dos seus netos.
                                               
 Ele sempre visitava a jovem na casa de Rose, e claro, sempre esbarrava com Emmett lá, mas nunca desconfiou que fosse por causa de Rose, ele achava que era por causa de Isabella e dos sobrinhos.
-- Sorria! - Rose disse, elas estavam na praia, pois Emmett as arrastou para lá no feriado prolongado — Mostra o barrigão...
-- Diga “oi” para a câmera! - Emmett disse beijando a barriga um pouco avantajada da mãe de seus sobrinhos, ainda faltava cinco meses para o parto.
             
Havia vários vídeos de Isabella durante a gravidez, Rose e Emmett faziam vários e vários vídeos da jovem, em diversos lugares, em loja de bebês, em parques, zoológicos, dentre outros locais. Eles sempre estavam fazendo algo diferente para entreter e alegrar Bella.
.....................
-- Isabella força! - Carlisle dizia.
Ela já estava em trabalho de parto por mais de duas horas, do lado de fora do Centro Cirúrgico estavam Rose e Emmett, aguardando por noticias. Isabella estava trazendo o primeiro bebê ao mundo, o segundo nasceu mais rápido ainda, o choro forte e sadio dos bebês, era como música para o seu ouvido, ela estava chorando de felicidade. Carlise estava deveras emocionado, pois ali estavam os seus primeiros netos e eles eram duas crianças lindas e saudáveis.
.............................
-- Eles são lindos! - Rose disse.
-- Têm os olhos de Edward! - Isabella comentou.
-- E o nariz do tiozão aqui! Olha só esse aqui, tem até os meus músculos!
-- Emmett eles são apenas bebês!
-- Já sabe que nomes eles terão? - Emmett perguntou.
-- Sim! - Ela disse sorrindo para os dois — Thomas e Alex.
-- Nomes lindos! - Carlisle concorda — Você terá alta amanhã à tarde!
-- Oba!!! Nós vamos dar uma festa! - Emmett sugere.
.......................
Os dias foram passando rapidamente, assim como os meses, logo o natal chegou e Isabella passou com Rose e os filhos. Carlisle e Emmett passaram no apartamento dela antes do jantar com a família deles, para ver os sobrinhos e netos. Deixaram presentes e partiram, prometendo voltar durante aquela semana. E desse jeito também, foi à festa da virada do ano. Rose fez uma pequena comemoração em seu apartamento. Ela convidou Ângela, que era uma pessoa confiável e Emmett claro, eles passaram a virada de ano juntos. Isabella não perguntou por Edward, mas ouviu algumas vezes Emmett falando com Rose sobre ele.
-- Acho que ele voltou a se envolver com ela! – Emmett confidenciou à loira — O meu irmão está mais sombrio do que nunca.
-- Talvez ele só agora tenha descoberto o mal que fez a ela e esteja se sentido culpado.
-- Ou talvez seja Vic mesmo...
Isabella não gostava de ter conhecimento de nada sobre Edward. Porque o amava... O que ela havia vivido com ele, tinha sido forte demais para ser apagado. Prova disso eram os dois tesouros que ela havia ganhado. E assim, os meses foram se passando... O aniversario de um ano dos gêmeos logo chegou. Rose com a ajuda de Emmett e Carlisle montou uma grande festa, é claro, que foram tiradas muitas fotos para marcar aquele grande dia. Os meninos que Isabella tanto amava, estavam dando os seus primeiros passos pela casa, já chamavam a palavra mamãe, e ela sabia que um dia teria que contar toda a verdade para eles sobre o pai que os rejeitou, mas não achava que seria por agora, eles ainda eram muito pequenos para entender...
........................
Esme odiava saber que Carlisle já não lhe dava a mesma atenção que antes. Ela notou que Edward estava cada dia mais estranho, ela percebeu que o filho chegava tarde e algumas vezes bêbado, porém preferia não dar muita importância ao fato, já que Edward era e sempre seria o seu queridinho.
O almoço de domingo sempre acontecia com toda a família, Edward por algum milagre, estava acordado e em casa, Emmett parecia, como sempre, feliz e sorridente, porém Jarper estava, como de costume, circunspecto.
-- Não vai sair hoje papai? - Edward perguntou com todo sarcasmos possível em sua voz.
-- Por que isso agora Edward?
-- Você raramente fica aos domingos em casa, já tem um ano que praticamente, nada te agrada dentro dessa casa, nem mesmo a mamãe. Por acaso está traindo ela novamente?
-- Cale a sua boca moleque!
-- Edward, por favor, pare de provocar o seu pai!
-- Ora essa! Eu vejo como você anda triste, e esse infeliz quase nunca está em casa, ele sempre está falando com alguém ao telefone, sempre sorrindo, mas quando vê um de nós, ele muda completamente! - Edward jogou para fora toda a sua raiva - Se você aceita isso, é problema seu, mas não espere que eu aceite também...
-- Vindo de você isso Edward!? - Carlisle diz no mesmo tom que o filho - Você é o único que não tem moral para falar nada aqui.
-- Você está tentando me culpar pelo o que aconteceu com Isabella?
-- Calem a boca! - Esme gritou - Essa garota foi um erro e até onde eu sei tudo já foi esquecido e solucionado. Aquele bebê morreu e ela está bem longe daqui e vai continuar assim. Agora já chega!
--- Vocês me dão nojo! - Emmett disse ficando de pé e saindo da mesa.
..............................
Emmett estava no jardim quando viu Edward se aproximar dele, o rapaz usava um suéter marrom e calça bege, as mãos dele estavam dentro do bolso, à cabeça baixa e pensativa.
-- Você quase não vem mais aqui! - Edward diz ao irmão.
-- Ando ocupado!
-- Com Rose?
-- Também!
-- O que está acontecendo Emmett? A gente sempre se deu tão bem, por que esta distância agora? Você é o meu irmão. Aquele em quem eu mais confio e com quem eu sempre pude me abrir, por que isso agora? Por que essa distância?
-- Você jura que não sabe?! - Emmett disse olhando para o irmão – ISABELLA!!! Esse nome ainda te diz alguma coisa?
-- Você não entende... - Edward tenta argumentar.
-- Então me faça entender. Por que até onde você me contou, você estava gostando dela de verdade o que mudou?
-- O filho!
-- Ela não o fez sozinha!
-- Eu não posso ser pai, eu não quero!
-- Você tem medo, esse é o problema! - Emmett diz e fica de pé - Você a magoou muito Edward...
-- Você falar como se tivesse visto Isabella recentemente!
-- Eu a vi! Vejo-a sempre que estou com Rose! - Emmett diz - Você pode ter saindo da vida dela cedo demais, mas isso não quer dizer que eu tenha que fazer o mesmo. Ela é uma garota incrível e realmente espero que ela encontre alguém melhor do que você.
-- Igualmente Rose encontrou você!? - Edward diz travando os dentes. Emmett não sabia de nada para estar abrindo boca daquela forma, foi isso o que Edward pensou quando o seu irmão terminou de falar.
-- Rose é uma pessoa legal, alguém que você jamais será...
-- Pelo menos eu sou volúvel, e não saio por aí trepando com a primeira pessoa que vejo pela frente! - Edward ataca o irmão – A sua queridinha não passa de uma vadia de luxo, coberta em uma embalagem cara.
-- Acha que me atacar vai mudar os fatos? - Emmett diz contendo a raiva que estava sentindo - Você agiu como um canalha cretino Edward. Você sabia o tempo todo. Você estava fazendo o que queria. Pois bem, você conseguiu! Conseguiu quase destruir a vida dela. Eu realmente fico feliz por Isabella NUNCA perguntar por você. Você foi à pior coisa que aconteceu a ela.
-- O que você esperava? - Edward gritou com o irmão - Acha mesmo que ela não teria o mesmo futuro que as outras? Que não seria descartada como todas as que passaram por minha cama? Sim, eu me aproveite dela, mas ela sempre soube o que eu queria, eu não fiz nem um tipo de jogo com ela.
-- Você só fez ela te amar! - Emmett disse.
-- Eu não escolhi isso! - Edward grita - Eu não escolhi ser assim e tão pouco escolhi ser pai, ela não deveria ter engravidado. Eu não deveria ser pai e foi isso o que aconteceu... Quando ela perdeu o bebê, tudo voltou ao seu devido lugar. Tudo voltou ao lugar certo!
Emmett virou bruscamente socando Edward no rosto, o fazendo cambalear para trás.
-- Tudo voltou ao seu devido lugar? - Ele gritou - Você estragou a vida da garota, que já tinha perdido tudo. E agora diz que tudo voltou ao lugar certo? É isso que você acha mesmo? - Emmett olhou furioso para Edward que tinha uma mão no queixo no local em que Emmett o acertara - Victoria destruiu a tua vida, mas isso não lhe dá o direito de destruir a vida dos outros, Edward - Emmett deu um sorriso debochado para o irmão - Se você soubesse... Você ao menos sabe o que jogou fora? Talvez se soubesse, um dia houvesse alguma esperança para você...
-- Victoria matou tudo o que um dia eu tive de bom Emmett, tolo é você que acha que aquela menina poderia ter a chance de me mudar.
-- Ela mudou você! - Emmett disse caminhando em direção a casa principal - Você apenas se recusa a aceitar que está completamente apaixonado por ela.
-- Eu não amo ninguém! - Ele gritou.
-- Ama... Você a ama perdidamente, mas morre de medo de se machucar de novo! - Emmett diz olhando para o irmão mesmo ao longe, enquanto se afastava... - Você sonha com ela todas as noites e quando está com outra mulher e nela que você pensa! - Emmett deu um sorriso triste - E quando está gemendo é o nome dela que sai da sua boca - Emmett olha feio para Edward -- Está mentindo para você mesmo, irmão. E essa mentira pode sair bem mais cara do que você encarar a verdade. Você precisa dela, como eu preciso da Rose. O problema é que eu não tenho medo de mergulhar de cabeça, já você tem medo de não conseguir nadar nesse mar escuro em que se meteu, no qual ninguém sabe onde vai dar...
-- Como se você soubesse de alguma coisa! - Edward sussurrou.
-- Eu apenas sei o que desejo saber - Ao dizer isso, Emmett deixou Edward sozinho em seus próprios pensamentos e com o queixo machucado.
..................
Rose estava sentada no sofá com Emmett, os gêmeos já estavam dormindo, Isabella estava no quarto com eles. Ela resolveu deixar o casal sozinho para que pudessem ter privacidade...
-- Você já sabe o que eu penso sobre o seu irmão!
-- Ele foi um burro! - Emmett diz.
-- Mas afinal, o que Victoria fez para Edward ter tanto medo assim de se envolver?
Isabella ia até a cozinha, mas parou assim que ouviu o nome de Edward. Rose e Emmett não notaram a sua presença à porta de entrada que dava para sala onde ambos estavam.
-- Victoria é louca! - Emmett disse - Ela estava com Edward desde a época de Escola, ela mostrou tudo para Edward, esse lado dominador dele, nasceu por culpa dela.
-- Tá! E daí que ele seja um dominador? Essa foi uma opção dele! - Rose replica - Mas isso não justifica nada.
-- Tem toda razão! - Emmett diz - Mas aconteceu algo, eu não sei dizer ao certo, Edward nunca falou, porém sei que Victoria fez algo que fez com que ele não acreditasse mais em nenhum relacionamento de amor.
-- É por isso que ele resolveu descontar em cima das mulheres?
-- Edward é um dominador Rose! - Emmett diz sorrindo – Eu nunca entendi muito bem isso, mas é o estilo de vida dele. Nós não conversamos muito sobre isso por certo... Ele sempre teve uma submissa ao seu comando, mas nunca duravam mais do que dois ou três meses. Elas perdiam a graça rapidamente para ele.
-- E Isabella?
-- Foi diferente! - Emmett diz e vira olhando diretamente nos olhos da loira - Ele a ama. Eu via o modo como ele sempre parava na frente do antigo quarto dela. O modo como ele esperava ansioso para que ela se juntasse à mesa. Coisas que não acontecem mais... Só espero que ele perceba logo que está sonhado acordado... Que ele tire a máscara fria que adotou desde que ela se foi...
-- Mas ele a fez sofrer! - Rose diz com raiva - Ele teve a chance de amá-la de verdade.
-- Edward não está acostumando a ser amando de volta! - Emmett diz - Ele me disse que a amava, apenas dois dias antes do ocorrido na Escola - Emmett fica calado - Ele tem medo de se envolver de novo e acabar igual como acabou a situação com a Victoria.
-- Então ele a ama, mas prefere não tê-la? - Rose tenta conjecturar a situação - Ele é louco ou o quê? Já se passou mais de um ano Emmett, Isabella um dia vai achar um cara que a faça realmente feliz e aí sim, todas as chances daquele babaca estarão esgotadas...
-- Edward não abaixaria a guarda assim! - Emmett diz ficando em silêncio - Isabella teria que lutar por ele, se ela o quisesse... - Emmett olhou para Rose com um sorriso triste - Pior ainda, ela teria que vencê-lo no próprio jogo dele.
-- Está dizendo que Isabella deveria ser a submissa dele? - Rose diz incrédula - Isso seria loucura.
-- Nem tanto assim! - Emmett diz - Pense comigo Rose, o que todo dominador deseja?
-- Eu sei lá! - Rose diz confusa.
-- Uma submissa perfeita! - Emmett responde prontamente – E quando eles as encontram, eles raramente as deixam escapar...
-- Você bebeu, não é? Só pode...
-- A verdade é que Edward ainda a ama, e, se Isabella gostasse dele e estivesse disposta a fazê-lo reconhecer isso, ela teria que entrar no jogo no qual Edward acha que domina.
-- Do mesmo jeito, há riscos aí! - Rose o lembra - Ela pode se machucar ainda mais se algo sair errado.
-- Ou pode enfim descobrir o que aconteceu de verdade com Edward...
-- É melhor deixar as coisas como estão! - Rose diz - Não acho que Isabella conseguirá fazer isso, e tão pouco seria capaz, ela ainda é muito inocente para tentar qualquer coisa desse tipo...
-- Ela é uma mulher e agora mãe, por que não?
-- Porque se ela for bem esperta, ela usaria isso para dar o troco em seu irmão, o fazer provar do seu próprio veneno, só pra ele saber o quanto ela sofreu.
-- E isso a tornaria mais humana? - Emmett pergunta e Rose fica calada – Rose, amar é saber ceder quando for preciso. É saber que uma hora você estará lutando sozinho... Para alguém como Edward que nunca soube o que é ser amando de verdade é bem mais complicado...
-- Mas não é impossível...
-- Não isso não é! - Emmett concorda - Mas é preciso alguém que esteja disposta a mostrar isso para ele, e sim, eu acredito que esse alguém seria Isabella, mas já não acho que seja possível...
-- Você nem pense em dizer isso para ela! - Rose o ameaça - Ela já sofreu bastante por causa daquele idiota, melhor nem comentar nada disso com ela.
-- Eu acho que ela deve saber que ele ainda a ama.
-- Se ele amasse teria lutado por ela e não deixado-a partir.
-- Rose, nós só deixamos partir as pessoas que não desejamos fazer mal! - Emmett pondera - Edward sabe o quanto é um fudido e deixar Isabella partir, foi a sua prova de amor maior por ela, se ele a deixasse ficar, seria pior, você sabe que é verdade.
-- Tanto faz, vamos mudar de assunto.
Isabella correu em direção ao seu quarto, ela estava bem pensativa. Por algum motivo ela sabia que Emmett tinha razão, Edward lhe deu varias vezes a prova de seu amor por ela... Várias vezes ele deixou claro que era melhor que ela fugisse dele. Mas o fato é que Isabella não sabia o porquê e agora ela tinha muita vontade de saber os motivos...
CONTINUA...

4 comentários:

  1. mais um capitulo perfeito... os pequenos já nasceram.. e por muito que custe a bella tomou a decisão certa,,,
    mas mais perfeito, é ela levar a "sugestão" do Em avante! ela tem a ganhar, por vezes é preciso mostrar as pessoas o quão importantes somos para elas, :D
    continua! amando

    ResponderExcluir
  2. amei o capitulo. mais fiquei triste pois eu não esperava essa reação dá parte do Edward chorei horrores, é como ele não desconfiou nem um momento que a Bella não perdeu os bebes.e a Esme af vontade de torcer o cangote dessa vaca, curiosa para saber oque vem no próximo cap.

    ResponderExcluir
  3. IreneAbreu = Irene Swan28 de outubro de 2013 06:01

    AMANDO AMANDO ESSA FIC SIMPLISMENTE EXTRAORDINÁRIA. Não demore muito a postar por favor , vc é mestre em dar viradas em fics amo muito isso .Bjs em seu coração.

    ResponderExcluir
  4. Ahhh eu amo muito essa fic..
    Porfavor capitulo novo .. muito muito muito ansiosa
    você é demais :)

    ResponderExcluir