Jul M

Oi

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Slave Of Pleasure-- Escrava Do Prazer -- Cap 27

ENTRE AS HUMILHAÇÕES E AS DESCOBERTAS...
Rose estava de quatro na cama, completamente nua, as suas mãos estavam em torno de sua bunda, separando as bandas... O dedo de Emmett circulava o pequeno buraco enrugado que havia ali.

Emmett começou a enfiar o dedo dentro do cu de Rose, fazendo assim, a loira gemer bem alto. Estava tudo calmo do lado de fora do quarto da jovem, era como se o mundo pertencesse somente a eles dois. Rose se sentia segura com Emmett, de algum modo, que ela não sabia ao certo dizer, Emmett lhe fazia bem, em todos os sentidos, mesmo ele sendo muito mais velhos que ela.

Emmett movimentou as mãos em torno do seu pau que já estava duro como pedra, ele movimentou o membro mais uma vez para frente e para trás, as mãos sobre o seu comprimento...

 Então o grandão levou o seu pau até o buraco enrugado de Rose, ele roçou a cabeça do seu pau no cu de Rose... A jovem não fazia nada a não ser gemer com vontade e expectativa.

Emmett segurou o seu pau com firmeza o direcionando para o buraco mínimo e empurrou todo o seu membro para dentro do rabo de Rose, fazendo com que a jovem, desta vez, soltasse gritinhos de dor e prazer.

 Rose estava com o ânus sensível devido aos últimos acontecimentos. Mesmo Emmett tendo colocado com carinho dentro dela, ainda assim ela sentiu certa ardência.
Emmett fez o movimento de entrar e sair bem lentamente, fazendo Rose gemer, dessa vez, de prazer, o incomodo que sentiu no começou já não amolava mais a jovem.

Rose segurou ambos os lados da bunda e levantou levemente os joelhos para Emmett enfiar novamente o seu pau dentro do rabo dela. Depois daí os movimentos ficaram mais rápido e mais urgente. As mãos de Emmett seguravam os quadris da loira, enquanto o pau do homem entrava e saía com força de dentro dela, Rose gemia tão alto que parecia uma cadela no cio. Emmett subiu encima da cama  e voltou a penetrar Rose com mais força ainda, o membro do grandão entrava completamente dentro dela e a jovem gemia mais e mais alto...
-- Vai loira, vai, goza no meu pau! - Emmett disse provocando e dando tapas na bunda dela.
Rose gritou alto e depois caiu com o rosto enterrado no travesseiro enquanto gozava. Emmett ainda meteu, com mais força, umas duas vezes, até gozar no rabo macio dela e assim  caiu ao lado da loira na cama, onde ambos repousavam ofegantes.

...........................
Felix estava furioso, já fazia três dias que Rose não dava sinal de vida. Na Escola havia chegado um atestado afirmando que a jovem estava doente, mas Felix não acreditou muito.
Lauren estava a sua frente completamente nua, a loira tinha no rosto uma maquiagem bem leve. Felix parecia se divertir com a situação, mesmo sabendo que a menina estava envergonhada e constrangida.
--  Oh minha querida! - Felix disse tocando no rosto dela — Não fiquei assim, não será a primeira vez que você será o presentinho da festa.
-- Você poderia colocar outra! - Lauren diz com a voz chorosa.
-- Seria Rose! - Felix diz travando os dentes — Mas aquela vadia sumiu, então será você! - Felix aperta os seios dela e a jovem se contorce  sobre o seu toque — Viu só? Precisa do incentivo certo para abrir as pernas!

Lauren olhou para Felix com raiva, não era a primeira vez que ele colocava ela para trepar com todos da festa. Uma vez por mês, Felix dava uma festa dessas em sua casa. Nestas festas, uma das suas meninas virava o presentinho da festa, qualquer uma pessoa que estivesse presente no local, poderia fuder o “presentinho” do jeito que desejasse. Ele sempre colocava as meninas que davam mais trabalho para ele. O plano era colocar Rose, mas ela sumiu então sobrou para Lauren.
-- Eu tenho certeza que você não quer que o seu papai receba o seu vídeo pornô, no qual você dá um show de trepadas! - Felix provoca com maldade — Agora vai fazer o que mandei e não se preocupe querida, as suas amigas vão estar aqui fazendo o mesmo que você. A diferença é que elas vão ser pagas para abrir as pernas e você não, você vai fazer isso de graça, sua puta!
Ao terminar de dizer isso, Felix deu uma tapa na cara de Lauren, que olhava para o homem com raiva, muita raiva mesmo. Lauren levantou o rosto com a face agora vermelha, devido à bofetada e o olhou com ódio.
-- Agora vai para lá, os meus convidados estão chegando e você os receberá! - Felix disse — E já sabe, se fizer alguma grosseria será castigada.
...........
 A casa estava cheia de gente, um homem como Felix nunca daria ponto sem nó. A casa onde ele organizou a festa era fora da cidade. Era uma grande casa e bem distante da civilização, seria impossível de ser achada sem um mapa instrutivo. Somente os convidados receberam o mapa. Todos ali estavam dispostos a pagar para ter sexo. É claro que Felix deixava tudo ainda melhor para os seus clientes e convidados, quando deixava claro que eles podiam fazer o que quer que queiram com as suas putas. Com essa permissão, tudo era prato cheio para luxuria, orgias e sadomasoquismos no local.
Por todo o lado da casa havia pessoas transando sem a menor preocupação de serem vistas por outras fazendo a mesma coisa  que deveria ser feita apenas entre quatro paredes. De tudo um pouco poderia ser visto naquela festa e nas outras que Felix dava.


Na sala de entrada havia varias garotas chupando os homens ali presentes, alguns já conhecidos, outros não, pessoas com dinheiro que poderiam pagar ou ter qualquer mulher em sua cama. Mas estavam lá pagando para abusar daquelas jovens, claro que eles não sabiam dessa parte, mas também era bem provável que até desconfiassem  daquela situação. Algumas das mulheres presentes eram putas do Felix, outras eram mulheres da alta sociedade de Manhattan que pagavam para ter prazer, já que os maridos passavam tempo demais em seus escritórios.








Andando mais um pouco pela casa, era possível ver mais e mais orgias. Em um ponto, ainda na sala principal, havia varias pessoas fazendo orgias, até mesmo mulheres chupando umas as outras,  bem no canto, estava Lauren, ela estava em pé enquanto um homem desconhecido estava a fudendo por trás, e a sua frente havia outro homem que enfiava fundo o seu pau na boca dela, a fudendo também com violência. E em uma de suas mãos estava o pau de outro homem estranho, esses eram os primeiros que estavam comendo a moça naquela noite e ela sabia que ainda teria muito outros.



...............
 Em um canto mais da distante do cenário principal, estava Ângela, a jovem tímida que acabou se metendo nisso sem querer, ela não sabia o quanto Felix poderia ser perigoso, mas acabou cedendo aos encantos do homem e acabou assim, em sua casa de luxo e prostituição. Mas Ângela não estava sozinha, ela estava com Jessica e um cara.
O homem com quem elas estavam era um desconhecido, elas sabiam que ele era rico, porque as suas roupas o denunciavam, mas o que poderiam fazer? Nada, a não ser o que o homem lhes mandasse... Ângela estava sentada, montando o homem que a xingava de vários nome impróprios para menores... Jessica estava segurando a bunda da jovem enquanto o pau do homem entrava e saia do rabo de Ângela. 

Jessica estava sentada de  costas para um jovem enquanto ele a fudia, Ângela estava do lado, vendo tudo, ambas gemiam fingindo ter prazer,

 o homem mandou Ângela o beijar na boca e a jovem o fez, ela sabia que seria bem pior o castigo de Felix do que o beijo daquele homem desprezível.

 Depois daí as posições foram variando e o homem ignoto fudeu as duas, do jeito que queria, e no final de tudo, ele gozou na boca das garotas.




.........................
Lauren estava no sofá com dois homens em pé a sua frente, a sua boca chupava os dois paus ao mesmo tempo, hora um, hora outro, e assim ela se revezava dado prazer para aqueles estranhos. 

Não demorou muito para as coisas mudarem, Lauren estava com as pernas abertas enquanto ambos  a fudiam, um pela boceta e outro pelo rabo


. A jovem só sentia vontade de chorar, mas ela tinha que fingir prazer e era o que ela fazia.  As posições foram variando, às vezes Lauren estava de frente com as pernas abertas em outras ela estava de costas cavalgando um e sendo fudida por outro na boca ou ainda pro trás. Os homens seguiam até gozarem, por vezes eles ainda davam tapas na bunda dela para só então gozar...







-- Quem é o próximo a fuder essa puta? - Um dos homens disse, Lauren não teve coragem de levantar o rosto para ver.
-- É a minha vez! - Lauren sentiu o seu corpo todo tremer quando reconheceu aquela voz ao longe, ela sabia como seria, já que Jane nunca brincava...
-- Espero que ainda lembre-se de como eu gosto de trepar! - Jane disse mostrando um cinto duplo que colocou na jovem — Vamos lá vadia, enfia isso aqui em mim. É bom me fazer gozar, viu sua puta?
...................
Lauren estava se movimentando no sofá, juntamente com Jane, ambas estavam deitadas de lado e o consolo duplo entrava e saia da boceta das duas, ao redor do sofá, havia varias pessoas olhando e todas apostando que a pobre Lauren não conseguiria gozar ou fazer com que Jane gozasse.

Jane jogou Lauren no chão, claro que ela adorava o fato de ter uma platéia, era tudo melhor para loira cruel. Ela colocou o cinto com o pênis preso nela, Lauren foi virada bruscamente e a mulher a penetrou sem cuidado algum, o pênis de borracha entrava e saia da buceta de Lauren, fazendo com que todos ali olhassem a jovem sendo fudida por outra. Jane só queria se divertir, fazendo com que Lauren fosse mais humilhada ainda.

A loira virou Lauren, a  colocando de quatro e voltou a meter na jovem que gritava sempre que o pênis de borracha entrava dentro dela. Os gritos de Lauren começaram a ficar cada vez mais altos a platéia aumentava cada vez mais, Jane parecia se divertir muito com tudo aquilo.

Jane tirou  o pênis de borracha na buceta de Lauren e enfiou de uma só vez no rabo da jovem, Lauren deu um grito de dor e para a sua infelicidade e contra a sua vontade, ela acabou gozando, fazendo assim todos ali que a viam gritar antes, aplaudir o triunfo da loira do mal...

-- Eu ainda não terminei com você sua puta! - Jane disse ficando de pé — Agora você vai me chupar bem gostoso vadia!
 A loira deu uma tapa na cara da Lauren e a puxou pelos cabelos, levando-a de volta para o sofá onde ela se deitou e abriu as pernas esperando a jovem começar a chupá-la.

..........................
Isabella estava bolando na cama de um lado para o outro. Nada de o sono a invadir, era quase três horas da manhã, quando por fim, ela decidiu ir até a cozinha beber um copo de água. Isabella estava descendo as escadas lentamente, quando ouviu um barulho vindo da cozinha, ela ficou com medo, mas a sua curiosidade fora bem maior do que o seu medo, ela caminhou lentamente até a cozinha, e para susto de Isabella, era Alice com Jasper, a jovem estava sentada no banco que ficava ao lado do balcão e Jasper estava curvado enfiando nela com força.

-- Safada! - Sussurrou Isabella, mais especificamente para ela do que para eles...
Isabella saiu dali antes que fosse pega por eles, mas ela não se esqueceu do conselho de Alice sobre ficar longe de Edward, quando por trás, ela andava dando umas trepadas com o irmão do próprio. Não que ela esteja com raiva de Alice, mas sim o fato dela tentar bancar a moralista, quando por trás anda trepando com irmão de Edward. Bella subiu as escadas  voltando para o seu quarto, no caminho ela parou involuntariamente à porta do quarto de Edward, a luz ainda estava acessa. E então, como se levasse um choque, a jovem entendeu! Era a falta dele que ela estava sentido.
Ela sabia que a noite passada não fora ruim, Edward nunca de fato chegou a machucá-la. Mas a pegou de surpresa, tudo o que ele fez fora prazeroso. Ela sabia até o porquê de o seu corpo todo estar queimando agora, era só de se lembrar do que havia acontecido... A jovem mordeu os lábios e deu dois passos adiante, parando em frente à porta. Ela poderia bater, mas e se ele não quisesse vê-la agora? Ele deu até sábado para que ela lhe desse uma resposta, contudo,  ela sempre soube qual seria a sua resposta... Por mais que ela tentasse, ela não conseguira ficar longe dele, porque ela não estava só envolvida sexualmente com ele... Isabella sabia desde o começo, desde o primeiro instante, quando colocou os olhos nele naquele bar sujo e fedido... E quando voltou a encontrá-lo, tudo ficou mais claro ainda, ela sempre o amou, apenas tinha medo... Ela tinha medo de ser rejeitada... ...medo de ser magoada... ...medo dele não a querer...
Era diferente agora, não era como se ele tivesse a pedido em namoro, isso ele nunca fez, mas deixou claro, desde o primeiro dia, que se ela fosse para a cama dele, seria somente a ele que ela pertenceria, até quando ela assim o desejasse. Ele lhe mostrou o seu lado mais escuro e ainda assim, a paixão avassaladora não sumiu nem um pouquinho sequer. Ela o queria sim, o queria muito, e agora sabia o porquê desse desejo sem controle... Ela o amava e não queria ter de esperar até sábado para dizer isso a ele. Bella tinha certeza que já não podia e nem queria ficar longe dele.
Isabella colocou uma das mãos sobre o trinco da porta e o girou com cuidado, abrindo assim a porta com cautela, talvez o homem já estivesse dormindo, mas para a sua surpresa, Edward estava parado em pé na sacada do quarto, olhando ao longe para o jardim silencioso a sua frente, sobre uma mesinha, havia um copo vazio, ele deveria está bebendo algo... Edward estava tão preso aos seus pensamentos que não notou o barulho da porta sendo fechada e trancada a chave...
-- Não conseguiu dormiu?
Isabella ficou surpresa com a voz rouca do rapaz, além do fato dele saber que ela estava lá.
-- Não! - Sussurrou — Como sabia que era eu?
-- Você cheira a jasmim! - Ele confessa — Doce e calmo, se assim eu o fosse descrever, o seu cheiro minha querida é único!
Edward se virou e assim pode ver que a jovem usava um simpático pijama de coelhinho, infantil talvez, mas ele sabia muito bem que de inocente Isabella não tinha nada, ela era bem sedutora quando queria...
-- Deveria dormir! Já está tarde!
-- Eu não consigo! - Disse ficando vermelha como a cor dos lenços da cama de Edward — Sinto a sua falta!
-- Eu também pequena!
Isabella deu dois passos em direção a Edward e o jovem fez o resto, ele a puxou para os seus braços e tomou assim a boca dela em um beijo urgente e cheio de desejo...
Continua...

4 comentários:

  1. torço muito pelos dois, espero que a Esme não interfira na relação deles..

    ResponderExcluir
  2. "A diferença é que elas vão ser pagas para abrir as pernas e você não, você vai fazer isso de graça, sua puta"
    "Quem é o próximo a fuder essa puta?"
    "Vamos lá vadia, enfia isso aqui em mim. É bom me fazer gozar, viu sua puta?"

    Isto só mostra o quão escroto imundo e sem escrúpulo é o autor deste blog. Acha que hostilizar as mulheres (aquelas que não gostam disso) é legal? Quero ver chamarem sua mãe de puta, vadia, quando ela estiver dando a bunda para outro que não seja seu pai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir