Jul M

Oi

sábado, 19 de outubro de 2013

O Casamento-- Para todo Sempre -- Cap 9


"Não tenho medo.
Não tenho medo de nada.
Quanto mais eu sofro, mais eu amo.
O perigo só fará crescer o meu amor.
Ele o afiará, perdoará o preconceito.
Serei o único anjo que você precisa.
Você deixará a vida ainda mais bonita do que quando entrou.
O céu a levará de volta, olhará para você e dirá:
Apenas uma coisa pode tornar uma alma completa. E esta coisa é o amor."
(O Leitor)

CURTINDO O MOMENTO...
Isabella estava deitada na cama, Edward enchia o nariz da esposa de beijinhos. O sol estava brilhando no céu, seria um domingo agradável. Tony passou a noite na casa dos avós. Ele só estaria em casa na hora do almoço, assim como Carlisle e Esme. Hoje seria o dia de contar para eles que seriam avós, assim como Charlie também saberia hoje.
             
-- Hora de acordar! - Edward diz dando mais beijinhos na esposa — Vamos dorminhoca, está na hora.
-- Só mais uns minutinhos! - Ela sussurra implorativa.
-- Você disse isso há trinta minutos, Bella! - Edward a lembra dando um beijo na esposa — Saia da cama dorminhoca, os meus pais virão para o almoço, assim com Charlie que logo estará aqui, então levante dorminhoca!
-- Você está ficando muito controlador!
Edward estava em pé, Isabella rolou na cama se espreguiçando, o seu corpo estava nu, Edward não deixou de notar as mudanças discretas no corpo da esposa, os seios mais cheios, a barriga mais saliente, os quadris mais largos... Isabella estava entrando no terceiro mês de gravidez e Edward não conseguia disfarçar a sua alegria. Foi difícil esconder do pai que a esposa estava grávida, pelo menos, até todos os exames terem sido feitos.
A gravidez de Isabela estava de vento em polpa. Não poderia existir grávida mais saudável e feliz do que ela. Os batimentos cardíacos do bebê estavam de acordo com a faixa etária do feto, o desenvolvimento do neném estava nas devidas conformidades, tudo a contento, na mais perfeita harmonia. O fato de que, com apenas três meses, os cuidados deveriam ser dobrados para evitar o risco de aborto, era sempre levado em conta. A médica de Isabella, Dra. Grace, estava muito otimista com gravidez de sua paciente, ainda era cedo para dizer qual seria o sexo do bebê, mas o desenvolvimento do feto corria perfeitamente bem. Isabella estava tomando as vitaminas recomendadas a toda grávida, além de outras complementares, pois ela estava com uma baixa taxa de vitima C no organismo, então a médica passou mais algumas vitaminas para suprir bem esta necessidade, vitaminas essas, que Edward controlava de perto, assim como outras coisas, com exageros, é claro! Ele parecia um pai de primeira viagem...
As cinco primeiras semanas foram às piores para Isabella. Edward mau a deixava sair da cama. Fora os enjôos constantes da jovem, que pareciam seguir forte a cada dia que passava. Mesmo entrando no terceiro mês de gravidez, ela ainda sentia muitos enjôos. Edward não a deixava carregar nada que não fosse, por exemplo, um copo de água ou o seu prato de comida, algo que ela não fizesse muito esforço. A segurança fora triplicada desde o dia em que a futura mamãe escorregou na sala de estar da casa, caindo de bunda no chão. Ela nunca vira Edward tão nervoso e tão em pânico ao mesmo tempo. No entanto, a jovem estava ótima e o bebê também. Evidentemente que a médica recomendou mais cuidados, porque a gravidez estava nos primeiros meses. Para Edward, fora o mesmo que a médica tivesse dito: “Encha a sua esposa de seguranças e cuidados, não a deixe sozinha nem por cinco segundos”. Isabella sabia que a Dra. Grace, apenas havia pedido para ela tomar mais cuido, que alguns tombos são perigosos quando se está grávida.
Mas para alguém como Edward, tudo que ele entendeu foi: “você necessita mantê-la bem segura, pois caso ela se acidente novamente, ela perderá o bebê”... Ele tratou de reforçar toda a segurança de Isabella, além de Lion, ele colocou mais três seguranças para cuidar da esposa, e claro, isso deixou Isabella “puta da vida”, tão injuriada que ela acabou fazendo o maior escândalo na empresa. Para sorte de Edward, Carlisle estava viajando.
Isabella gritou, chamou o marido de babaca e apontou o dedo do meio bem na cara dele, além de ter jogado vários documentos para o ar. Ela aproveitou para xingar Felix de filho da puta, bastado infeliz, quando o homem disse que Isabella parecia uma louca gritado nos corredores da empresa. Isabella foi para cima de Felix, que ao perceber o estado da mulher, que parecia que realmente iria bater nele até a sua ultima encarnação, ele simplesmente tratou de sair do local o mais depressa possível.
Emmett nada disse, apenas controlava, a muito custo, a vontade de rir, na verdade, de gargalhar de toda aquela situação. Ele melhor do que ninguém advertiu o amigo que aquela seria uma péssima idéia, mas Edward se recusou a ouvir.
Isabella também não deixou escapar, nem mesmo, Lana, que para a sua infelicidade, resolveu chamar a esposa do filho do dono da empresa de louca, desvairada e insana na frente dos funcionários. Se Isabella já estava com raiva do marido e de sua mania obsessiva por segurança, aquela fala de Lana, fora a gota d’água para que Isabella fosse com tudo para cima da ex-namorada do marido. Chamou-a de vadia de luxo, que dava em cima de homem casado descaradamente. Lana ficou furiosa, mas Isabella não parou por aí, Bella ainda ousou levantar o dedo bem na cara da mulher, e disse com todas as letras que Lana não passava de uma grandessíssima cachorra vira-latas, que mesmo que ela sempre estivesse coberta de ouro, não deixava de ser uma vadia de quinta. Bella ainda fora bem mais dura, ela exigiu que Lana ficasse fora de seu caminho, longe do marido e do filho dela, ou ela simplesmente passaria por cima da mulher como um TRATOR, enfim, Isabella acabou com a raça da piranha molambenta.
Lana saiu da sala de Edward furiosa e quando Isabella se voltou para xingá-la novamente, ela sentiu vontade de vomitar devido ao odor de perfume que ela não soubera dizer de quem era, então ela saiu em um rompante em direção ao banheiro privado no marido, que ficava ali mesmo na sala dele. Depois disso, Edward acabou diminuído o contingente de seguranças da esposa, deixando Lion como segurança principal dela e em sua ausência, John ficava no lugar dele cuidado da leoa que só agora Edward conheceu...
.........................
Charlie estava sentando no sofá juntamente com Carlisle, ambos conversavam sobre a nova campanha dos hotéis DelFor, a qual Isabella era a garota propaganda a pedido de John DelFor, na verdade, ele não pediu, ele exigiu que fosse Isabella. Ele argumentou que somente Isabella tinha o perfil perfeito para a campanha, e que, se não fosse ela a protagonista da ação, ele não faria mais a campanha com a Empresa Cullen de Publicidade. Claro que Lana odiou a idéia, mas Edward não poderia dar para trás, mesmo sabendo que odiaria o fato de sua esposa ser a estrela principal da campanha, em especial, uma daquele porte, mas para não perder a conta que era grande, e, já que a própria Isabella havia aceitado, Edward aceitou os termos de John DelFor.
O rosto de Isabella estava ligado à campanha dos famosos hotéis DelFor, os paparazzi não deixavam a jovem em paz, bastava Isabella colocar o pé para fora de casa, que sempre tinha noticias sobre ela nos tablóides. Coisas fúteis, do tipo o que ela gostava de comer, qual a marca da bolsa que usava, além de outras ainda bem maldosas, como insinuações de uma suposta traição. Contudo, Edward conhecia bem aquele mundo de mentiras e injuria para poder vender revistas e jornais, ele próprio sofrera durante anos com o assédio da imprensa em sua vida. Com a fama conseguida pela esposa, não seria diferente, achava até que as coisas só piorariam... Mentiras e difamações já eram esperadas da imprensa marrom...
-- Papai! - Ela disse sorrindo e se juntando a eles na sala — Carlisle, onde está Esme?
-- Esme não pode vir! - Carlisle lhe respondeu — Ela está organizando um jantar beneficente para a semana que vem.
-- Ah sim, eu estou sabendo. Toda a renda desse jantar será revestida para os orfanatos que ela apóia.
-- Sim! Esme adora aquelas crianças. Elas são a vida dela e se isso a faz feliz, eu não vejo problema em apoiá-la.
-- Que ótimo! - Ela concorda.
-- E a Cullen Publicidade também agradece! Aquela sua ajudinha, também nos ajudará com os impostos - Edward ressalva.
-- Disse o homem de negócios! - Ela o provoca, ele então passa por ela e beija a jovem no pescoço.
-- É verdade! - Carlisle confirma — A campanha está fazendo muito sucesso. O nome mais citado em toda a imprensa é o seu, minha querida. Edward tem que tomar muito cuidado, logo outras ações exigirão você como modelo.
-- Só que Isabella estará muito ocupada! - Edward afirma sorrindo — Pai, Charlie, nós temos algo para contar para vocês.
-- O que aconteceu? - Ambos perguntaram juntos.
-- Calma! - Edward disse sorrindo — Não é nada de ruim!
-- Não mesmo! - A Bella ressalta — Eu quero dizer que você, papai e você, Carlisle serão avôs!
Charlie ficou pálido. Carlisle não ficou diferente, ambos levaram um pequeno tempo para entender do que se tratava, até a ficha cair completamente. Então ambos sorriram e levantaram para dar os parabéns ao casal.
-- Mas um herdeiro! - Carlisle disse alegre.
-- Hei, pode ser uma menina! – Isabella replica.
-- Que tenha os seus olhos querida! – Edward deseja.
-- Que venha com saúde! – Charlie completa.
-- Que venha com saúde! - Todos concordam felizes com a novidade.
.............................
Tony estava sentado no sofá vendo TV, deitado no colo da mamãe que fazia carinho em seus cabelos, o menino estava quase dormindo. Edward estava sentando em outro sofá com o seu notebook no colo, ele estava fazendo um trabalho que deveria ter sido feito durante a semana, mas como esteve ocupado, acabou não fazendo, afinal, ele estava à disposição da esposa, devido às crises emocionais que ela passou. Isabella estava bastante emotiva, ela chorava por nada ou explodia por pouco, às vezes passava o dia todo na cama. Edward ficava maluco com isso e ele acabava deixando a Dra. Grace maluca também. Ele ligava de cinco e cinco minutos para a médica, querendo saber se isso ou aquilo era normal. Isabella não era o primeiro nem o último caso, algumas mulheres ficavam muito emotivas e com sérias mudanças de humor no começo da gravidez. Edward ficou mais calmo quando Dra. Grace explicou o fato para ele.
-- Eu vou levar Tony para cama! - Edward disse deixando o seu computador de lado!
-- Eu posso fazer isso!
-- Não, comigo aqui!
-- Você fica muito chato, quando dá uma de controlador.
-- Eu só quero você segura, entenda isso e ficará tudo bem.
-- TIRANO!!! - Ela gritou enquanto ele subia as escadas com Tony nos braços, Isabella ainda conseguiu ouvir as risadas do marido.
..................................
Edward estava apenas de cueca, assim como Isabela estava só de calcinha, ambos estavam deitados na cama com a boca colada um no outro, as mãos de Edward estavam na cintura de Isabella, mas começavam a subir indo direto para os seios agora mais volumosos, os apertando levemente. A jovem gemia na boca do marido, as mãos de Isabella estavam uma em volta do pescoço de Edward e a outra no rosto do rapaz, segurando-o enquanto ambos se beijavam sem pressa...

Isabella estava sentada sobre Edward, ambos continuavam se beijando, um beijo cada vez mais mandatório, Isabella sem se dar conta, acabou movendo o seu corpo, fazendo com que a sua buceta, mesmo coberta pela calcinha, se esfregasse no pau de Edward, que estava coberto pela cueca branca que ele usava. As mãos de Edward estavam presas a cintura da esposa e a cada beijo dado, eles se tornavam mais avassaladores e urgentes.
             
Isabella estava deitada de lado, Edward estava por cima dela. Uma das pernas de Isabella estava por cima da de Edward. As mãos de Edward estavam presas ao redor do pescoço da esposa, enquanto a boca do rapaz tomava a da mulher. Os beijos eram cheios de afeição e luxuria. As mãos de Edward escorregavam por todo o corpo de Isabella, parando na barriga da jovem e voltando a subir novamente.
 Os movimentos eram lentos, Edward estava fazendo amor com a amada esposa, bem devagar e com carinho, isso era sentido a cada movimento, a cada toque... Ele queria deixar claro o quanto a amava e naquele ritmo lento, ambos seguiram até finalmente gozaram satisfeitos, para só então adormecerem felizes...
.............................
Felix estava saindo de um restaurante, o seu celular estava em seu ouvido, ele esperava falar com alguém que atendeu ao segundo toque.
-- Já está tudo pronto! - Felix disse e sorriu – Sim, a Sra. Cullen sofrerá um acidente e se tivemos sorte, ela morrerá ou, quem sabe, aquele bastardo que ela traz em seu ventre. - Felix ficou calado escutando, para só então dizer — Não haverá falhas, acredite e se a nossa prezada Sra. Cullen não morrer, há outras maneiras de se acabar com alguém...
CONTINUA...

6 comentários:

  1. JUL O CAPITULO FOI OTIMO, MAS EU QUERIA SABER POR QUE VOCÊ NÃO COLOCOU AQUELA PARTE QUE A ISABELLA FOI LEVAR O ALMOÇO PARA O EDWARD NO HOTEL QUE ELE ESTAVA TRABALHANDO, PRA GANHAR A CONTA DE DELFOR. PENSEI QUE VOCÊ FOSSE COLOCAR COMO FLACHABACK . POR QUE EU QUERIA LER. POR ISSO ESTOU TE INTIMANDO A ESCREVER ESTE TRECO DE SPOLLE. AMO SUS ESCRITA.
    BJUSS.....S2!!!!
    ATE O NOVO CAPITULO
    AH, NÃO ESQUECA DO TRECO NO PROXIMO CAPITULO....

    ResponderExcluir
  2. Oiii tambem gostaria de saber pq n entrou aquela parte q isabela vai deixar o almoço e q o Delfor decide que quer a bela na conta? mas ta muito boa a historia...e menina do ceu, coitadinha da bela nem gravifa ela consegue ter paz... e aposto como a pessoa q fala c o Felix é a Lana!!! bjss e mande logo outro capitulo bjsss ;) jane

    ResponderExcluir
  3. verdade eu queria saber porque vc ñ colocou a parte que estava na previa

    ResponderExcluir
  4. Jul essa de longe é a minha fic favoria. Mas ela tá ficando MT repetitiva "Edward super protetor" , "Alguém tentando matar a Bella". Acho q chegou a hr de encerrar a fic

    ResponderExcluir
  5. eu acho q nao devia acaba podia conta um pouco do cescimento das criancas.

    ResponderExcluir
  6. Não está na hora de acabar a fic, somente diminuir no drama, os dois merecem ser felizes, são tão lindos juntos, o amor, o perdão, a proteção, o respeito, a cumplicidade, tudo que os dois construiram é lindo. Mais romance e menos drama, seria um bom tempero. Estou ansiosa pelo próximo, bjs.

    ResponderExcluir