Jul M

Oi

domingo, 20 de outubro de 2013

Em Maus Lençóis -- Cap 12

UMA PITADA DE CIÚMES NÃO MATA... Aquece...
POV ISABELLA
Eu estava saindo do banho quando o meu celular deu sinal de mensagem. Claro que um sorriso bobo apareceu em meus lábios quando eu vi que era uma ligação de Edward, afinal, por que eu não ficaria feliz? Eu estava cada vez mais envolvida com ele... Apertei o botão para ler a mensagem e o meu sorriso ficou ainda maior quando vi o que ele me mandou.
“Quando iria me dizer que o seu ex-namorado estava na cidade?”
E.C
Edward estava com ciúmes! Sim, ele estava com ciúmes, ou então, por que “latas d’água e garrafas de cerveja” ele me mandaria uma mensagem como esta? Eu fiz uma dancinha ridícula olhando para o visor do meu celular e me joguei na cama. Eu ainda estava enrolada na toalha quando rolei feliz. Apertei o botão e respondi a mensagem de Edward...
"Eu não sei do que você está falando... Seja mais claro, o que você deseja saber?"
B
Claro que eu me fiz de boba, pois eu sabia que James estava na cidade. James estava sempre tentando me cercar de algum jeito, mas a vadia da namorada dele, se mantinha colada nele feito chiclete. Eu, francamente, pouco me importava! Eu definitivamente, não queria saber de James, eu estava muito bem obrigada com Edward, então sempre que eu percebia sinal do James, eu dava um jeito de sair de fininho...
Não demorou muito para a resposta vir...
"Não se faça de boba! Isso nós dois sabemos que você não é. Quando iria me dizer que o seu ex está na cidade? Dessa vez eu quero a verdade"
E.C
O meu sorriso só aumentava, eu virei de um lado para o outro na cama, feliz por saber que ele tinha ciúmes de mim, que ele estava cobrando satisfações de mim.
"Eu fique sabendo somente nessa segunda, mas eu não tenho nada com James, até fujo dele quando o vejo! E só para o seu governo, ele tem namorada, uma vadia da Escola chamada Victoria"
B


Eu daria tudo para ver a cara dele quando lesse a minha mensagem, mas eu fui tirada dos meus pensamentos por duas batidas na porta do meu quarto. Eu sabia que era o meu pai, pois hoje seria a noite de folga dele, eu também sabia que ele não ficaria em casa, ele sempre saía com os amigos e só chegava no dia seguinte. O meu pai me deixava solta, acho que era por isso que eu sempre estava aprontando por suas costas...
-- Bells! - Ele colocou a cabeça para dentro do meu quarto - Eu vou sair com alguns amigos e provavelmente chegarei tarde!
-- Tudo bem pai! - Eu dei o meu melhor sorriso.
-- Nada de sair de casa mocinha! - Ele me mandou um beijo e saiu.
Emmett é um cara legal, um bom pai, mas depois da morte da minha mãe, eu pouco o vejo. Para ele, pagar a minha educação escolar, me dar dinheiro para as minhas necessidades, era tudo o que eu precisava para crescer feliz... Não era à toa que eu fazia muitas besteiras e dentre elas, a pior de todas chamava-se James...
Eu escutei o barulho do carro do meu pai saindo da garagem, então eu sabia que estava sozinha em casa. Segundos depois, o meu celular toca, recebendo a resposta de Edward.
"O que está fazendo?"
EC
Eu enrugo a testa, foi uma mudança muito rápida de assunto. Será que ele ficou bravo com a minha resposta? Eu, mais do que depressa respondo.
"Nada, eu estou só aqui em casa. O meu pai acabou de sair"
B
Se havia algo em Edward que me deixava confusa, era o fato de eu nunca saber o que se passava em sua cabeça. Havia horas em que eu poderia jurar que ele, assim como eu, sentia bem mais do que mero desejo. Às vezes, quando estávamos a sós, depois do sexo, eu percebia o quanto ele era carinhoso comigo... Tinha que ser mais do que um simples casinho para ele.... Pelo menos, era isso o que eu esperava... ...o que eu queria...
"O seu pai foi para o hospital?"
E.C
A resposta de Edward veio rápida, assim eu me apressei com a minha...
"Não, ele está de folga hoje, ele apenas resolveu sair com os amigos. Ele só chega pela manhã... É sempre assim!"
B
"Você está sozinha?"
E.C
Eu não pude deixar de notar a sua preocupação comigo, mesmo sendo através de uma simples mensagem.
“Eu passo boa parte do tempo sozinha Sr. Cullen. Os únicos momentos em que não estou só... são aqueles passados com você..."
B
Ele logo me enviou um retorno...
"Eu não posso estar com você o tempo todo, infelizmente... O seu pai não deveria te deixar tanto tempo sozinha".
E.C
Eu arfei...
"Hei, não me venha bancar o moralista agora, se o meu pai ficasse no meu pé, você não teria conseguido enfiar o seu pau gostoso em mim"...
B
Eu enviei uma resposta bemirritadiça com um comentário bem desaforado. Então, eu fui em direção a janela e vi Rose se vestindo. A minha testa enrugou, ainda mais que Edward havia comentado que Rose estava de folga naquela noite no hospital. Por que ela estaria se vestindo? Ainda mais daquele jeito tão provocante?
"Eu apenas estou preocupado com você".
E.C
Eu dei um sorriso e respondi a mensagem dele, eu sabia que ele estava preocupado, dava para perceber pelas mensagens que ele me enviava.
"Rose vai trabalhar? Obrigada pela sua preocupação para comigo...".
B
Ele logo retornou...
"Não! Ela marcou de sair com uma prima dela. Por quê? Ah, só para constar, eu sempre me preocupo com você..."
E.C
Respondi em um zás...
"Você não vai junto?"
B
Como um raio a resposta...
"Não!!!! Eu estou meio que brigado com a Rose".
E.C
Hummmm, isso me pareceu ótimo...
"Quais são os seus planos para essa noite, então?"
B
Eu pergunto já cheia de malicia, sem duvidas, Rose estava saindo, eu teria a chance de ter mais uma noite com Edward...
"Eu vou trabalhar em meu livro. Eu estou meio atrasado neste projeto...".
E.C
Livro, hein?
"Boa noite e bom trabalho"
B
Espero por algum tempo, mas não veio respostas, apenas fico na janela e vejo quando Rose sair de casa em seu carro. Olho para a vaga de Nessie e estava vazio, sinal de que não dormiria em casa. Eu pego o meu celular e digito uma mensagem para Jake.
"Você vai passar a noite com Nessie?"
Bella
Jake prontamente me retornou...
"Sim, nós vamos passar a noite juntos. Algum problema?"
Jake
Eu apenas dou um sorriso travesso e digito algo bem rápido para ele.
"Apenas curiosidade, eu não vi o carro dela na garagem hoje"
Beijos e uma boa foda querido Jake!
Bella
....................
POV NARRATIVA
Rose saiu em direção a Los Angeles, ela iria para uma festa, a qual a sua prima Tânia, lhe havia recomendando que fosse. Rose estava trajando um vestido vermelho e sapatos de saltos. Assim que entrou, ela chamou muita atenção. Rose é uma mulher muito bonita, ela sempre chama atenção pelo seu modo de vestir e por sua beleza fatal...
A festa era do tipo que Rose freqüentava com Benjamim, o seu ex-amante e pai da sua filha. Ela sempre gostou de curtir novas experiências e sabia que Edward jamais aceitaria isso, ele sempre fora careta. Foi com Benjamim que ela viveu suas melhores aventuras, segundo ela mesma. Rose já havia participado de orgias, trocas de casais, ido a festas de reputação duvidosa, só para ter o prazer de transar com desconhecidos. Ela já havia transando com mulheres, como com a sua prima Tânia. A prima lhe dizia que ela tinha tendências bissexuais, mas ela só fazia como algo de momento, ela simplesmente se deixava levar, porém ela nunca se sentiu realmente atraída por mulheres. Talvez fosse verdade já que Rose perdia totalmente o controle quando estava nessas festas de orgias, era como se o seu mundo fosse acaba quando o sol nascesse...
Rose entrou na casa noturna, era um local discreto, uma espécie de clube privé no qual, apenas as pessoas ricas e cordatas da cidade freqüentavam, ou seja, era um lugar no qual, todos poderiam se libertar. E era isso que Rose queria aquela noite, já que o seu marido a estava rejeitando de todo jeito possível. Rose andou pelo local para poder se deixar notar e se ambientar com o clima. Havia pessoas se pegando e se comendo pelos cantos escuros do clube. Algumas estavam em público mesmo, como três casais que Rose observava sentados em um sofá de canto, lá eles transavam e trocavam caricias.
A loira caminhou em direção ao bar sem se dar conta que estava sendo observada desde o momento em que entrou na casa noturna. Do lado oposto do bar estava Emmett, discretamente sentado com alguns amigos, então, ele notou a presença da jovem que no momento entrava no bar, uma loira, de belo porte que chamava a atenção por sua beleza e o seu corpo escultural. É claro, que a boa aparência da loira, que Emmett não sabia de quem se tratava, o atraiu como a um ima... Emmett percebeu que aquela deveria ser a primeira vez dela ali, naquele ambiente, pois ele já freqüentava a casa de orgias há anos... Ele nunca a viu por lá, ele conhecia muito bem os freqüentadores do lugar, pessoasricas homens e mulheres de posses, gente que estava cansada da vida que tinha e convivia nesse tipo de lugar apenas para fazer o que não poderia ser feito em casa. Algumas mulheres estavam ali traindo os seus maridos ricos, que estava, com certeza, presos em alguma reunião de negócios ou simplesmente traindo as suas adoráveis esposas.
Emmett visitava esse tipo de local desde a época em que cursava a Faculdade de Medicina, fora naquele tempo que ele conhecera a mãe de Isabella. Ele nunca amou realmente a já falecida mãe de sua filha, tanto que ele sempre fazia questão de lembrar a mulher que o único motivo dele ter se casado com ela era Isabella. De fato, a vida de Emmett ao lado da esposa não fora nada fácil, ele realmente chegou a ter um sentimento diferente e um pouco profundo pela finada esposa, mas tudo foi por água a baixo quando ela começou a fazer cobranças absurdas. Ele, por sua vez, sempre pusera em volga a fidelidade dela. Durante o período em que estivera casado, Emmett não pusera os pés em um clube privé como aquele, apenas voltou a freqüentar tais ambientes quando a esposa morrera, pois não havia mais nada que o impedisse de voltar a sua antiga vida, uma vida boemia e safada que ele levava com orgulho antes de se casar.
Emmett gostava do fato de poder ter qualquer mulher em sua cama, em especial, por ser sem compromissos, sem cobranças... Era disso que ele gostava... ...fazer sexo fácil e acessível, nada de cobranças. Ele já perdeu até a conta de quantas mulheres já estiveram em sua "cama", claro que ele já teve mais de uma mulher em sua cama, duas, três ou até mesmo quatro ao mesmo tempo. Emmett é um homem que chama atenção pelo seu tamanho, e claro, pela sua excelente aparência.
Rose se dirigiu ao bar e pediu uma dose de vodca, o garçom não perdeu tempo em jogar uma cantada para loira, que pareceu nem se importar. Rose estava realmente apetitosa em seu vestido vermelho, que por sinal, se sobressaia divinamente sobre a sua pele clara, e mesmo que o vestido não passasse de um pedaço de pano, que mal a cobria por inteiro, ajudava-a muito a se destacar no local...
Rose estava tomando a sua dose quando notou Emmett sentando do outro lado do bar. Um sorriso se abriu em seus lábios, ficando ainda maior quando Emmett levantou o copo dele em brinde mudo. Não demorou muito para Emmmett estivesse ao seu lado, oferecendo mais uma dose para a jovem...
........................
Edward estava à sua escrivaninha, ele apenas havia conseguido escrever uma única pagina de seu novo romance. A sua mente estava distante demais para conseguir se concentrar em algo, ele ainda ficou surpreso por ter escrito uma pagina completa. Edward estava tão distraído ao ponto de não ouvir quando a porta de seu escritório fora aberta e do mesmo jeito que fora aberta fora fechada, sem fazer barulho, sem chamar a atenção do homem que parecia perdido em memórias ou lembrança recentes para ser mais exato.
Isabella estava parada no meio do escritório de Edward, ela estava usando apenas uma calcinha preta e as suas mãos estavam ao redor de seus seios. Ela deu um sorriso safado antes de fazer um pequeno barulho com garganta, assim, chamando atenção do homem para si.

-- Eu só posso estar sonhando! - Edward glosa ao ver a ninfeta.
-- Duvido muito! - A menina disse sorrindo, já tirando as mãos dos seios e os deixando visíveis para Edward - Você não tem uma mente tão criativa assim...
-- Você pode estar enganada! - Edward comenta entrando na brincadeira - Alguém viu você entrar?
-- Não! - Ela sorri e caminha em direção ao homem – Eu entrei pela porta do jardim, aquela secreta.
Isabella se senta de frente para Edward com as pernas abertas, uma de cada lado... As mãos do maior passeiam pelas coxas nuas da menor que estavam geladasdevido ao vento frio da noite.
-- Você veio assim de casa - Edward pergunta.
-- Assim como?
-- Nua?
Ela sorriu e escorregou mais ainda para o colo do homem, Edward passou os braços em volta da cintura dela e Isabella pões os dela em volta do pescoço de Edward.
-- Claro que não! Eu deixei o meu pijama na sala! - Ela diz sorrindo marota – Eu estava carente de você...
-- E resolveu vir passar a noite aqui?
-- Exatamente! - Ela disse rebolando em seu colo e o fazendo gemer – Nós temos que aproveitar, já que a sua esposa não está em sua casa e nem o meu querido papai está na minha.
-- Isabella, você sabe que isso tudo é uma loucura!
-- Ah Sr. Cullen, às vezes precisamos fazer loucuras! - Ela diz o provocando e morde os lábios dele - Eu simplesmente quero fazer ELAS com você...
Isabella não perdeu tempo em abrir a calça de Edward, ela colocou o pau dele para fora. A menor chupava com vontade o membro duro e rígido do maior a sua frente. Edward segurou os cabelos de Isabella e passou a mover a cabeça da jovem com força, fudendo devidamente a boca da menina, até ao ponto em que ele derramou todo o seu gozo na boca dela.

Isabella levantou lambendo os lábios e chupando os dedos que usou para pegar um pouco de gozo que escorreu pela sua boca. Edward sabia que Isabella era uma verdadeira putinha quando queria ser e era isso que o deixava ainda mais fascinado por ela.
-- Você saber como provocar um homem menina! – Edward versa já com o membro duro novamente, só com a visão de Isabella nua a sua frente, a ninfa já havia tirando a calcinha.
-- É bom saber disso! - Ela glosa sentando sobre a mesa dele com as pernas abertas – Mas o único homem que eu quero deixar louco é você...
-- Isso você já deixou!
Edward se levanta e caí de boca na buceta da menina que grita quando o maior dá uma leve mordida no músculo libidinoso. Edward chupava a buceta de Isabella como se fosse a ultima fruta doce do mundo. 

A língua do rapaz entrava e saia da buceta dela, fazendo Isabella gemer e se contorcer de prazer. As mãos da menor foram parar na cabeça de Edward, assim que o maior enfiou um dedo dentro da buceta molhada dela, chupando-a ao mesmo tempo em que a fudia com o dedo. Não demorou muito para Isabella gritar gozando na boca do homem.

.............
Isabella estava de costas para Edward, deitada com parte do corpo sobre a mesa do escritor, enquanto Edward a fudia por trás.

 O homem metia com força dentro da buceta rosada da ninfa, dando leves tapas em sua bunda, fazendo Isabella gritar o nome dele.

Eram investidas rápidas e profundas, não demorou muito para Edward e Isabella gozarem juntos gritando um pelo nome do outro.
-- Você está bem? - Edward perguntou. Ambos estavam deitando no chão do escritório.
-- Ótima! - Ela disse rindo, girando e ficando por cima dele - Para ficar melhor só preciso do seu pau me comendo...
-- Isabella! - Ele disse, mas acabou rindo.
-- Viu? Você também pensa igual - Ela diz rindo - O seu pau está cutucando a minha bunda.
-- O meu pau quer entrar em sua bunda! - Edward comenta e só então se dá conta do que disse - Bem você... quer dizer..
-- Você quer? - Ela perguntou vendo o nervosismo dele – Bem, eu nunca fiz isso - Ela diz e cora - Mas se você quiser, eu deixo! - Ela morde os lábios e sorriu timidamente para ele, então Bella chega mais perto do ouvido do maior e sussurra só para ele - Dizem que o orgasmo é melhor quando o sexo é anal, você bem que podia me mostrar...

CONTINUA...

2 comentários:

  1. adorei muito bom eu adoro esse dois.

    ResponderExcluir
  2. Hummmm eu sabia que o Emmett e Rose iria acabar se encontrando, e cá prá nós: A Bellinha com esse fogo todo tem bem a quem puxar hein?
    Amei o Edward com ciúmes!
    Bjs,
    Therose

    ResponderExcluir