Jul M

Oi

domingo, 13 de outubro de 2013

Em Maus Lençois-- Cap 11-- Tarde Perfeita

TARDE PERFEITA...

A boca de Isabella estava completamente preenchida com o membro rígido de Edward. A ninfeta o chupava com vontade, uma das suas mãos, segurava uma parte dos seus cabelos que insistiam em não ficar presos atrás da sua orelha e a outra mão segurava o membro do homem, que lutava contra a vontade de gozar dentro daquela boca que o torturava.

 Isabella lábia e chupava com perfeição o membro de Edward, a tortura era tanta que o homem não se controlou mais, então ele puxou a menina do meio das suas pernas e a jogou sobre o sofá.
Isabella estava deitada no sofá, com as pernas bem abertas, Edward estava em pé. Ele tinha um sorriso debochado no rosto e Isabella gostava ainda mais daquilo. Ela sabia muito bem que ele devolveria a tortura que ela havia possibilitado a ele e fora exatamente o que ele fizera, Edward separou ainda mais as pernas da menina e se colocou no meio delas, passando a esfregar o seu pau entre os lábios vaginais da garota. Isabella sentia toda a potência do homem que a torturava daquele jeito, ele estava cada vez mais duro...

-- Sr. Cullen, por favor! - Ela gemeu mordendo os lábios, fechando os olhos e sentido ele roçar ainda mais o seu pau na buceta dela.
-- Por favor, o quê Isabella?! - Ele repetiu a provocando ainda mais, Isabella já conhecia aquele lado vingativo de Edward, ela adorava cada vez que o diferencial aparecia no meio de uma transa — Você não foi uma menina muito boa hoje! - Edward diz a provocando ainda mais — Você quase me fez bater o carro, sabia?
Claro que ela sabia e como sabia, ela começou a provocar Edward desde o momento em que entrou no carro do rapaz, vestindo o uniforme da Escola e deixando bem claro que estava sem calcinha. Depois, ela começou a se tocar, usando os próprios dedos e gemendo o nome dele, cada vez que enfiava um dedo dentro da sua buceta molhada... E por ultimo, ela caiu de boca no pau do homem, o chupando e o torturando em plena avenida, fazendo ele quase bater o carro em meio a um boquete inesperado.
-- Por favor, Sr. Cullen! - Ela gemeu quando Edward roçou com força o seu pau entre os lábios da buceta rosada da ninfa, fazendo a cabeça do membro dele quase entrar na buceta dela.
-- Por favor, o quê Isabella? Vamos me diga o que você quer?
Cretino!!! Ele sabia muito bem o que a jovem queria e ainda assim estava provocado-a até o seu limite. Ele queria que ela implorasse para ser fudida por ele, era isso que o homem queria e estava conseguindo.
-- Por favor, me foda! - Ela gemeu e rebolou os quadris — Eu quero o seu pau me comendo Sr. Cullen, eu quero gozar agora mesmo no seu cassete.
Edward soltou um gemido, ele sabia que ela iria dizer aquelas palavras direitas e bem vulgares, coisa que só Isabella poderia dizer para deixá-lo totalmente louco, é claro, que ele não perdeu tempo em enfiar o seu pau dentro da buceta deliciosa de sua ninfa, pois era exatamente o que a menina queria... ...o pau dele comendo-a com força.

..................
Os seios de Isabella subiam e desciam com a mesma velocidade que ela subia e descia sobre o pau de Edward. A jovem estava de costas para o rapaz que tinha as mãos pressas ao redor da cintura dela, enquanto ela subia e descia em seu pau com vontade. Os gemidos de Isabella era como música para ele, que estava se deliciando com tudo, não era diferente para ela que a cada nova investida gritava por mais...


O ritmo fora diminuído, Isabella estava movendo os quadris, mas em movimentos circulares, literalmente, ela estava rebolando encima do pau do seu homem.
-- Oh Sr. Cullen, o seu pau é uma delicia! - Ela gemeu para provocá-lo ainda mais.
As mãos de Edward estavam pressas em torno da cintura dela, ele apertava ainda mais aquele local, enquanto a jovem continuava com as suas reboladas lentas, gemendo o nome dele a cada vez que o pau grosso e duro entrava mais fundo dentro dela.

.............................
Isabella estava de frente para Edward. As mãos de Edward estavam na bunda de Isabella. A jovem subia e descia de acordo com os movimentos dos quadris de Edward, o homem comandava investidas fortes e fundas, revezando com investidas lentas e torturadoras, as mãos do rapaz apertavam a bunda da jovem, fazendo Isabella gemer cada vez mais alto, ao ponto de chegar a gritar despudoradamente. 

As mãos de Isabella se apoiavam sobre o sofá, as mãos de Edward saíram dos quadris dela, a garota subia e descia sobre o membro de Edward, da boca dela saíam mantras eróticos com o nome dele, o homem gemia intensamente, Edward adorava quando Isabella o chama pelo primeiro nome, era coisa de homem, era o seu ego gritando “é você quem está a fazendo gemer, é você quem vai a fazer gozar...”

......................

Edward mudou a posição deles, Isabella estava de quatro no sofá, a sua bunda levantada para ar e Edward a penetrava desse jeito, o ritmo era lento para não machucar a jovem, o sofá era pequeno e qualquer movimento mais brusco poderia derrubar os dois do sofá. 


Contudo, Isabella parecia não se importar muito com isso, a ninfa começou a mexer os quadris juntamente com Edward, combinado os movimentos com os dele, fazendo o pau do homem ir cada vez mais fundo dentro dela, fazendo-a gemer e pedir por mais.

-- Oh! Edward me faz gozar no seu pau!
Se já faltava pouco para Edward perder o controle, depois desse pedido sacana da menina, foi à gota d’água, ele foi levado ao mais completo desespero. As mãos de Isabella estavam esticadas sobre o sofá, os seus quadris estavam levantados, o peso do seu corpo estava sobre os seus joelhos... Ela ainda estava de quatro sobre o pequeno móvel da sala. Edward metia o seu pau com bastante força atrás dela, um dos pés do homem estava sobre o sofá o ajudando a manter o ritmo das investidas, sem derrubar ambos no chão, já o outro pé, estava preso ao chão e desse jeito Edward entrava e saia de dentro da buceta de Isabella

. O pequeno músculo começou a apertar o pau de Edward e isso era o sinal de que a menina estava prestes a gozar, a cada nova investida parecia que não entraria mais dentro da buceta de tão apertada que estava. Quando Edward ouviu o grito aliviado da ninfa, pois ela simplesmente desmoronou no sofá, totalmente gozada, fazendo um grande barulho gritando o nome do amante. Foi preciso apenas mais algumas investidas para Edward gozar, enchendo assim, a buceta dela, com o seu gozo quente... 
.......................
-- Deveríamos fazer isso mais vezes! - Isabella diz sorrindo, ambos estavam sentando no chão da sala.
-- Não mesmo! - Edward diz sorrindo para a menina que estava nua ao seu lado — Você quase me fez bater o carro.
-- Mas você gostou! - Ela afirma toda orgulhosa de si mesma.
-- Impossível não gostar! - Ele anui sorrindo.
-- Então deveríamos, definitivamente, fazer mais vezes! - Ela reafirma sorrindo e subindo no colo do maior — Eu nunca transei em um carro, muito menos em um Volvo!
-- Você só pensa em sexo menina! - Ele diz, mas havia diversão em sua voz.
-- Difícil pensar em outra coisa com você nu assim, ao meu lado.
-- Tecnicamente em baixo de você, já que você está sentada encima de mim... – Falou malicioso.
-- Prefere ficar por cima enquanto me fode!?
-- Isabella! - Edward a repreende, mas não consegue esconder o sorriso satisfeito — Você não existe minha diabinha!
-- Existo sim, eu estou bem aqui nua sobre você e me perguntando o que você vai fazer...
-- Agora não! - Edward diz beijando os lábios da menor — Vamos tomar um banho, eu preciso voltar para casa, Rose estava a minha espera para o almoço e eu não fui...  
Isabella fez uma careta, ela odiava a idéia de saber que ele poderia transar com Rose a qualquer momento, afinal eram casados.
-- Hei! - Edward toca o rosto da pequena travessa — Você sabia que eu era casado, você sempre soube Bella...
Ela olhou para ele com um sorriso no rosto. Era a primeira vez que ela o ouvia chamá-la de Bella, normalmente era Isabella... E se, antes, ele a chamou de Bella, ela não notara porque estava preocupada demais tentando armar um jeito de levá-lo para cama...
-- Está rindo de quê?
-- Você me chamou de Bella!
-- Esse é o seu nome, não é?
-- É, mas você sempre me chama de Isabella!
-- Só quando você está tentando me tirar o pouco do juízo que ainda me resta.
-- Bobo! - Ela diz e o beija com doçura — Você já é meu! - Edward olhou e antes que pudesse fazer alguma coisa sobre o que fora dito, ela se levantou e puxou o maior consigo — Ok! Vamos tomar aquele banho então...
..........................
Isabella desceu do carro de Edward duas casas antes da dela. Para completa sorte do casal, a rua na qual moravam era tão deserta que quase ninguém saia à rua. O fato deixou o caminho livre de olhares curiosos, Edward seguiu para a sua casa. O caminho de volta fora bem agradável, eles conversaram sobre a escolha da Faculdade dela, o que ela pretendia para o futuro, foi um papo bastante agradável e bem relaxante. Ele realmente sentiu falta da menor quando estacionou o carro na frente de sua casa. Então ele notou o carro de Rose estacionado em frente à garagem deles. Assim que Edward entrou em casa, ele já foi logo encontrando a esposa.
-- Onde você estava? - Ela perguntou de cara.
-- Eu tive que sair!
-- Para onde? Edward, nós ficamos de almoçar juntos!
-- Rose, eu precisei sair, apenas isso! - Edward diz tentando manter a calma, ele nunca viu Rose se importar com as suas saídas e agora ela vinha com essa.
-- Para onde? Onde você foi?
-- A casa do meu pai! - Edward diz calmamente — Eles estão chegando de viajem neste sábado e eu só fui ver como as coisas estão por lá, eu terei que mandar uma equipe de limpeza amanhã... Você bem que...
-- Sem chances! - Rose diz de cara — Amanhã eu terei trabalho e não vou cuidar da limpeza da casa dos seus pais, contrate alguém para fazer isso!
Rose saiu da sala e Edward não conseguiu esconder um sorriso, Rose sempre odiou pegar no pesado e ele sabia que se entrasse nesse assunto, ela sairia rapidinho do seu caminho e fora exatamente o que a  loira  deslumbrante fizera.
..........................
Estavam todos jantando, Nessie estava em casa o que Edward achou um verdadeiro milagre, já que a menina não parava mais em no lar. Depois que começou a namorar, ela raramente ficava ou dormia em casa. O que Edward secretamente agradecia, porque assim poderia dar as suas escapadas, sem se preocupar com a filha. Rose passava mais tempo no hospital, era plantão atrás de plantão, então não havia problemas, haveria se Nessie ainda fosse grudada a Isabella, como era no começo, a jovem era com a sombra de Isabella. Onde Isabella estivesse Nessie estava. Pela primeira vez, Edward ficou feliz com o namoro da filha.
-- Como foi à aula hoje Nessie? - Edward perguntou.
-- Normal pai! - Ela disse rapidamente afastando o seu prato — Eu tô saindo, eu vou para o cinema com alguns amigos da Escola.
-- Isabella vai junto? - Edward pergunta rápido demais, chamando atenção da esposa e da menina.
-- Não! - Nessie responde com a testa enrugada — Ela tá de castigo, pois tirou umas notas baixa aí, então o pai tirou algumas coisas dela e a deixou de castigo. O pai dela é bem radical.
Edward mordeu os lábios para não sorrir, ele sabia que era mentira de Isabella, pois essa era a desculpa que a menina dava para poder sair escondida com ele, sem levantar suspeitas.
-- Por que perguntou pai? - Nessie o questiona.
-- Eu nunca mais, vi vocês juntas. Eu achei que tivessem brigado, sei lá, vocês adolescentes são sempre complicadas.
Nessie gargalhou na cara do pai e o levou junto, em uma risada doce e agradável.
-- Mas o seu pai tem razão, vocês não andam mais saindo juntas, até eu achei que havia acontecido algo. - Rose complementa.
-- Não é isso! E também tem que o ex-namorado dela está na cidade, Isabella meio que tá fugindo dele.
-- O cara é tão ruim assim? - Rose pergunta rindo.
-- Até que não mãe, ele é bonito e parece ser bem legal! - Nessie diz — Nem sei o porquê deles terem terminado!
-- Talvez ele não seja tão bom assim.
-- Não sei! - Nessie replica — Tô indo, boa noite, até mais tarde, qualquer coisa eu ligo - Nessie saiu correndo quando ouviu a buzina da moto de Jake.
-- Isabella sempre pareceu ser uma boa garota! - Rose comenta.
-- Ela é Rose! - Edward afirma.
-- Mas, ela está de castigo, e, eu aposto que não é só por causa da notas! - Rose diz como se fosse à dona da verdade — Eu não sei não, mas já não gosto tanto assim dessa amizade da minha filha com ela, vai que ela anda usando drogas, ou sei lá, anda com caras barras pesada! Não mesmo, quando Nessie chegar, eu vou ter uma conversa séria com ela.
-- Ela só está de castigo por causa das notas! - Edward diz exaltado, mas não era por causa da conversa — Pare de ver coisas aonde não existem, elas são amigas, a sua filha precisa de amigas. Eu acho que é o que você precisa também, fazer algumas novas amizades...
Edward saiu deixando a esposa sozinha à mesa, ele se trancou literalmente em seu escritório. Não estava gostando nada de saber que o ex-namorado de sua menina estava de volta à cidade. Por que raio Isabella não lhe disse nada? O que estava acontecendo com ele? Afinal de contas, ela era só a sua amante. Era isso que Isabella era, a sua amante, por que toda essa revolta? Nem mesmo Edward entendia, quando se deu conta, ele já tinha digitado e enviado uma mensagem para a menina.

“Quando iria me dizer que o seu ex-namorado estava na cidade?”
E.C


CONTINUA...

2 comentários:

  1. que vacilo o CULLEN deu agora kkkkkkkkk a ROse não e besta logo ela vai pega os dois

    ResponderExcluir
  2. Olá JuL!

    Ué ela é amante dele! E amante não dá satisfações! Não foi ele mesmo que há poucas horas atrás lembrou a ela que ele era casado? Então se ele pode continuar com esposa, normalmente transado com a mesma, e a Bellinha tem que dá satisfação do ex namorado? Tomara que ela resposta ao Cullen bem malcriada.

    Bjs,

    Therose

    ResponderExcluir