Jul M

Oi

domingo, 27 de outubro de 2013

O Casamento -- Para Todo O Sempre-- Cap 10


"Te amo desde que te conheci, mas não me permitia senti-lo até hoje.
Estava sempre pensando adiante, tomando decisões baseadas no medo.
Hoje, por causa de você, do que aprendi com você, cada escolha que fiz foi diferente e a minha vida mudou completamente, e aprendi que se você faz isso, está vivendo a vida plenamente.
Não importa se você tem 5 minutos ou 50 anos.
Se não fosse por hoje, eu jamais teria conhecido o amor.
Portanto, obrigado por ser a pessoa que me ensinou a amar, e a ser amado."
(Antes que Termine o Dia)
ACIDENTE OU INCIDENTE?!
A segunda-feira era um dos dias mais monótonos para Isabella, e ela não negava esta realidade, a morena acordou antes do marido, naquela manhã. Edward sairia para trabalhar e só voltaria à noite, o que a deixa com um aglomero enorme de tempo livre, já que Tony também teria Escola. Edward não permitia que ela passasse um tempo excedente na livraria, já que o local ainda se encontrava em reforma, então o marido não via a necessidade de Isabella ficar lá mais do que duas ou três horas.
Isabella, no entanto, andava tão travessa que até ela mesma, não ser reconhecia, não era a primeira vez que ela acordava o marido com um boquete. Ela já tinha feito isso outras vezes, para ela, todas às vezes eram especiais e diferentes...
Isabella estava deitada por cima de Edward, a sua boca tratou de traçar um caminho de beijos por todo o corpo do homem amado até chegar ao membro que ainda estava “dormindo”, então Isabella começou a roçar os seus lábios por todo o comprimento do pau de Edward...

Aos poucos, os gemidos de Edward foram acabando com o silêncio do lugar e o membro dele ganhando vida... Quando já estava bastante duro, Isabella o engoliu por completo, passando a chupar com força e com prazer o seu adorado marido.

.........................................
Isabella estava sentada encima de Edward, a morena cavalgava com destreza o marido, fazendo a sua buceta engolir por completo todo o membro dele, enchendo-a por completo, de forma gulosa... As mãos de Edward estavam na bunda dela, ajudando-a com os movimentos de subir e descer, dando ritmo ao momento erótico que estavam vivendo.

 A boca do ruivo beijava tanto o colo quanto os seios da amada, os chupando e mordendo levemente, fazendo ambos gemerem em deleite...
Edward os girou na cama, ficando por cima de Isabella, aquela não era a primeira vez, e por certo, não seria a última, que ela acordaria o marido daquela forma, através do bom e velho sexo oral matinal. Ele sabia que os hormônios latentes da esposa estavam a todo vapor e cada vez mais ferozes a enchendo de desejos, a gravidez deixava as mulheres com a libido a flor da pele... Como bom marido que ele era, Edward tentava atender a mulher em tudo o que ela quisesse... As bocas estavam unidas, os beijos eram profundos e eram executados enquanto os corpos de ambos se movimentavam... Ele a preenchia completamente, fazendo ambos gemerem um na boca do outro.

Isabella estava com os quadris um pouco levantados, a parte da frente do seu corpo deitada sobre a cama, Edward a penetrava por trás, fazendo assim a mulher gemer de prazer, os movimentos do ruivo eram vigorosos e certeiros, preenchendo a esposa com cada centímetro do pau duro e habilidoso de Edward.

 Os gemidos de Isabella ficavam cada vez mais altos, assim como a sua buceta cada vez mais apertada, foi preciso só mais algumas investidas de Edward para que a jovem gozasse gritando pelo nome dele, que seguiu a penetrando até que ele próprio gozou dentro dela, caindo sobre a morena cuidadosamente para que não a machucasse. Ambos respiravam ofegantes e felizes...
-- Ótima maneira de acordar! - Edward declara rolando para fora da cama e beijando-a antes de sair – Contudo, alguém nessa casa precisa trabalhar.
-- Hei, eu também trabalho! - Ela contrapõe divertida.
-- No momento querida, você está me dando trabalho! - Ele pisca para esposa e sorri — Me avisa quando for me atacar de novo enquanto eu durmo...
-- Vai se ferrar! - Ela gritou e sorriu girando na cama e enterrando a cabeça nos travesseiros.
....................
Tony estava vestido e pronto para ir à Escola naquela manhã, Isabella havia arrumado o menino assim que conseguiu sair da cama. Edward se mantinha sentado na cabeceira à mesa fazendo a refeição matinal juntamente com a esposa e o filho. Isabella estava pronta para sair, ou melhor, para ir até a livraria ver como andava a reforma, era o que ela fazia todas as manhãs...
-- Eu não vou poder dar carona para vocês dois! – Edward os avisa — Lion e John acompanharão vocês hoje.
-- Eu achei que eu ficaria somente com Lion como segurança! - Isabella aponta.
-- John cuidará do Tony! - Edward a lembra seco — Agora coma Isabella, você ainda não comeu nada hoje.
A jovem revirou os olhos para o marido e começou a comer o seu iogurte com nozes, Isabella estava quase terminando de saborear o iogurte quando se levantou correndo da mesa, em direção ao banheiro que ficava próximo a cozinha. Edward não perdeu tempo em ir atrás da esposa, assim que empurrou a porta, ele viu Isabella ajoelhada no chão com a cabeça na privada vomitando. Edward entrou no banheiro e se ajoelhou ao lado dela, puxando os cabelos em um rabo de cavalo para que não se sujassem com o vomito lançado para fora, Edward esperou até que Isabella conseguisse controlar a sua ânsia de vomito e pudesse falar.
-- Você não precisava ver isso! - Ela glosa se sentando no chão frio.
-- Você está bem?
-- Mais ou menos! - Ela diz a verdade.
Edward não disse nada, apenas pegou Isabella, ajudou-a a lavar a boca e a pegou no colo, levando-a de volta para o quarto. Com todo cuido, ele colocou a mulher na cama, Edward olhou para Isabella que estava pálida, ele sabia que esses enjôos ainda aconteceriam até pelo menos quando ela entrasse no quinto mês de gravidez.
-- Você vai ficar em casa! - Edward aconselhou, mas o seu tom era de ordem — Se a tarde você estiver melhor, eu pedirei para Lion levar você à livraria e na volta você pode passar lá na Empresa, mas hoje fique em casa, pelo menos pela parte da manhã.
-- Tudo bem! - Ela sussurrou, ela realmente estava enjoada e mal disposta.
-- Qualquer coisa me ligue! Nada é mais importante do que vocês.
Edward tocou na barriga da esposa por cima do tecido fino do vestido que ela trajava naquele momento. Isabella não conseguiu conter o sorriso de satisfação com o ato do marido, mas em momento algum, ela abriu os olhos.
-- Eu ligo mais tarde para você.
Fora tudo o que Edward dissera antes de sair da alcova do casal. Ah, claro que ele deu um beijo na esposa, que apenas suspirou e ficou deitado na cama, como ele mesmo a colocou. Assim que Edward chegou à sala, Tony estava sentado no sofá e Sue perto da escada esperando por notícias.
-- Sue fique de olho nela! - Edward solicitou — Ela está bem, mas sente-se enjoada.
-- Claro senhor!
-- Lion você levará Tony hoje! - Edward dá a ordem — John você permanecerá aqui e ficará de olho na minha esposa, se ela tentar sair de casa, me avise imediatamente.
-- Claro Senhor!
-- Lion use o carro de Isabela! - Edward articula — Tony, Lion estará levando você para Escola hoje.
-- A mamãe está bem?
-- Sim querido, ela apenas está indisposta! – Edward responde ao filho bagunçando os cabelos dele — Ela está ótima! É só o seu irmãozinho que a está deixando assim.
-- Por que ele faz isso?
-- Por que ele esta dizendo que está bem! - Edward sorriu para o filho — Eu acho melhor a sua mamãe lhe esclarecer isso depois, eu não sou tão bom em explicações quanto ela...
Sue não escondeu um sorriso, foram poucas às vezes em que o menino Tony conseguiu deixar o pai em uma saia justa como aquela. E quando isso acontecia, sempre sobrava para Bella explicar algo para o menino. Sue não esqueceu quando Tony ficou sabendo que a mamãe dele estava grávida, então a criança fez ao pai uma única pergunta, ele queria saber como o bebê havia entrado na barriga da mãe. Edward ficou deveras vermelho, ele sempre falou abertamente com o filho, mas aquela pergunta não era para ele, mais do que depressa ele a jogou para Isabella e saiu de fininho...
..............
Tony estava no banco detrás do carro com o cinto em volta de si, Lion dirigia calmamente pelas ruas, até que algo estranho começou a acontecer. A cada segundo que passava o carro aumentava a velocidade, sem que Lion pisasse no acelerador para isso. O carro já estava a mais de 90 km e a velocidade aumentando cada vez mais...
-- Tony se segure firme aí, ok?
Fora tudo o que Lion disse antes de tudo acontecer...
..........................
Edward entrou correndo no hospital, ao seu lado ele tinha Emmett e Carlisle, que estavam tão nervosos quanto ele.
-- Por favor, eu preciso de informações sobre o meu garoto!
-- Como ele se chama Senhor?
-- Antony Cullen! - Edward responde imediatamente.
-- Oh! - A enfermeira disse não por causa do menino, mas porque só então, ela estava vendo de quem era a voz que se dirigia a ela...
-- O que aconteceu com o meu filho? - Edward interpela nervoso.
-- Edward!
Isabella entrou no hospital correndo, Edward não gostou nada do que viu, a jovem estava usando chinelos de dedos e um casaco branco por cima da sua roupa.
-- Você deveria está na cama.
-- Como está o meu filho?
A enfermeira estava apenas observando o casal, nada tinha dito sobre o jovem Tony ainda.
-- Sr. Cullen! - A voz de Lion ecoou no corredor mais próximo, o homem estava com um braço enfaixado e alguns arranhões no rosto, o seu peito estava nu por estar sem camisa.
-- Lion, como está o meu filho?
-- Mamãe! - Tony gritou correndo em direção a Isabella que o recebeu apertando-a contra os braços.
-- Meu amor, oh meu amor! - Isabella beijava e apertava ainda mais o corpo pequeno do filho amado.
-- Tony! - Edward disse aliviado.
Isabella afastou o menino de si, para poder observar se ele tinha sofrido algum arranhão, mas ele apenas estava um pouco sujo, o rosto dele estava sujo de terra...
-- Oh meu filho! - Edward disse apertando o menino em seus braços.
.................
Estavam todos esperando a liberação de Lion que ainda estava sendo examinado pelo médico, o menino estava nos braços da mãe, Isabella tão cedo não deixaria o menino sozinho de novo, não depois daquele grande susto que passou.
Quando Lion veio andando pelo corredor, todos ficaram de pé, Lion parecia bem cansado, mas Edward queria saber o que tinha acontecido.
...............
Isabella estava no quarto colocando Tony para descansar um pouco, a criança havia passado por fortes emoções. Assim que o menino adormeceu, ela saiu do quarto indo em direção a sala.
A morena estava na escada quando começou a ouvir vozes alteradas, porém a que ela reconheceu, assim que ouviu foi a de Edward.
-- Era para ser a minha esposa! - Ele gritou com alguém.
-- Ainda não temos certeza! - Era a voz de Benjamin — Por favor, Sr. Cullen são apenas suspeitas.
-- O meu filho estava naquele carro e você me diz que são apenas suspeitas! - Ele rebate raivoso — Era para ter sido a minha esposa, se ela não tivesse ficando em casa, seria ela dentro daquele carro e sabe-se lá o que teria acontecido.
-- Edward fique calmo! - Carlisle diz tendo abrandar o temperamento do filho.
-- Eu não vou ficar calmo! - Edward gritou — Há alguém querendo destruir tudo o que mais amo, e agora, quem quer que seja passou dos limites
Edward saiu da sala na qual todos se encontravam e se deparou com Isabella, a jovem estava parada nos últimos degraus da escada, o rosto dela estava pálido e os olhos cheios de lágrimas.
-- Querida! - Edward disse correndo em direção a Isabella, abraçando-a, ela desabou em choro ao ponto de soluçar contra os ombros do amado, molhando assim a camisa branca que ele vestia com as lágrimas que desciam torrencialmente pelo rosto dela — Eu juro, vai ficar tudo bem!
-- Era para mim!
-- Não vamos pensar nisso agora! - Edward diz afastando o rosto da mulher e secando as lágrimas dela com os dedos — Eu cuidarei de tudo, você e Tony ficaram seguros, eu juro!
Edward deu um beijo rápido nos lábios da esposa e a pegou no colo levando-a de volta para o quarto.
.....................
Edward estava trancado no escritório juntamente com Emmett. Ele saiu do quarto assim que Isabella dormiu. A sua raiva só havia aumentado, quando ele viu a esposa no estado em que estava. Isabella merecia uma gravidez calma e tranqüila, mas estava cada vez mais difícil garantir isso a ela.
-- Reúna todos! - Edward preceitua — Vamos fazer agora do nosso jeito!
-- Você disse que nunca mais iria fazer isso Edward!
-- Eu sei o que eu disse! - Edward rebate para o amigo — Contudo, é a minha família que está correndo risco de vida! Eu quero todos aqui! Se quem quer que seja, queria me deixar com raiva, ele conseguiu a minha atenção e a sua destruição...
-- Benjamin pode cuidar disso Edward!
-- Eu sei que ele pode, mas antes que ele consiga chegar ao culpado, eu posso já ter pedido muita coisa! - Edward estava frio e tenso — Vamos reunir a equipe novamente.
Emmett sabia muito bem o que isso queria dizer. Ele conhecia muito bem o amigo... Para que Edward chegasse àquele extremo era porque as coisas já estavam fora de controle e quem quer que fosse que estivesse por trás de tudo aquilo, acabara de acordar um monstro adormecido...
CONTINUA...

sábado, 26 de outubro de 2013

Slave Of Pleasure-- Escrava Do Prazer -- Cap 30

REAGINDO...
Isabella já estava com dois meses de gravidez, Carlisle receitou vitaminas próprias para este período de gestação, para assim, suprir as necessidades do feto e aumentar a resistência do organismo da menor. Ele percebia que ela estava um tanto quanto deprimida e não a culpava por isso. O ambiente em que a jovem estava vivendo não era nada bom, além do que, Edward pouco se importava e Esme tratava de deixar as coisas piores para a menor a cada dia que se passava.
-- Os batimentos cardíacos do bebê estão ótimos! - Carlisle disse para todos à mesa do almoço — Logo teremos mais um Cullen conosco.
-- Que seja um menino! - Emmett disse sorrindo - Diga que é um menino pai.
-- Ainda não dá para saber o sexo da criança.
- Que droga!
-- Emmett! - Carlisle o repreendeu e Isabella riu da cara do grandalhão.
-- Está rindo de mim? - Emmett diz se fingindo de ofendido.
-- Um pouco! - Ela disse sorrindo de verdade pela primeira vez depois de muito tempo — Já parou para pensar que poderá ser uma menina?
-- Não, isso já seria muita maldade! - Ele diz fazendo bico.
-- O que está acontecendo!? - Carlisle interpelou — Por que esse almoço esta demorado tanto?
-- Pronto, já podemos começar! - Esme disse entrando na sala de jantar com Tânia, Irina e Kate, que eram sobrinhas dela.
-- Vejo que temos visitas! - Carlisle retruca — Olá meninas!
-- Olá tio! – As três disseram juntas.
-- Nada mais justo, já que elas são da família! - Esme faz questão de pontuar — Tânia querida se sente ali ao lado de Edward!
-- Será um prazer tia!
Isabella sabia que Esme havia feito aquilo de propósito. Tânia passou o almoço todo a provocando e se insinuando para Edward, que por sua vez, pareceu dar corda e muita corda para a loira, fato que estava deixando Isabella bem furiosa. Depois do almoço, Isabella subiu para o quarto e acabou dormindo, quando despertou foi com um barulho no corredor. Ela saiu da cama meio sonolenta com os pés descalços e caminhou em direção á porta. Assim que a abriu, ela sentiu uma pontada no peito, era como levar uma facada, a cena que via, era uma espécie de Déjà Vu, Edward e Tânia se comendo no corredor...
-- Idiota! - Ela gritou assustando os dois, fazendo ambos se separar, Edward arrumou rapidamente a roupas assim como Tânia — Você, você... - Ela estava tão nervosa e tão raivosa que mal conseguia articular as palavras.
-- Isabella fica calma! - Edward disse.
-- Calma! - Ela gritou — Você é um filho da puta que acha que pode fazer o que quer. Você pelo menos deveria ter o mínimo de respeito por esse bebê que eu carrego no meu ventre, ele não é só meu filho...
-- Eu nunca o quis! - Ele gritou.
-- Aiiii! - Ela gemeu de dor levando as mãos para barriga — Aiii...
-- Isabella! - Edward disse chegando perto.
-- Fique longe de mim! - Ela gritou, ela levantou as mãos que estavam sujas de sangue.
Os gritos se fizeram ouvir ao longe. Carlisle e Emmett subiram as escadas correndo, Emmett foi o primeiro a chegar e assim que viu tudo, não precisou de muito para entender o que se passava.
-- Isabella! - Emmett disse lançando um olhar feio para Edward — Pai ela está sangrado!
-- Merda! - Carlisle disse já ao lado dos dois — Deve ser o principio de um aborto! Precisamos levá-la rapidamente para o hospital.
-- Certo! - Emmett disse pegando Isabella no colo.
-- Você conseguiu Edward, você conseguiu! - Ela disse antes de Emmett sair correndo com ela nos braços.
..............................
-- Por favor! - Isabella suplicou mais uma vez a Carlisle — Eu não estou pedindo nada que você não possa fazer.
-- Isabella isso é muito sério! - Carlisle disse — Por mais que seja complicado, Edward precisa saber a verdade.
-- Não, ele não precisa, não! - Ela afirmou categórica - Ele sempre deixou clara a sua posição sobre isso.
-- E para onde você vai?
-- Eu vou ficar com Rose! - Ela disse — Eu posso trabalhar, sei lá, eu me viro Carlisle.
-- Não mesmo! - Ele replica novamente.
-- Eu não estou pedindo a sua permissão! - Ela disse — Eu estou avisando o que vou fazer. Ficar na sua casa não está me fazendo bem, eu sou grata por tudo o que você está fazendo, mas eu não quero mais ficar lá.
-- Tudo bem! - Ele finalmente se dá por vencido — Contudo, você não vai trabalhar no estado em que se encontra. Isso não seria bom - Ele a lembra — Você precisa de repouso e trabalhar agora não é uma opção.
-- Mas eu não posso depender totalmente da Rose.
-- Eu vou sustentar vocês! - Ele diz — Você carrega o meu neto em sua barriga. Isabella mesmo você não querendo, não me diga não. Aceite a minha ajuda.
-- Está Bem! Vai ser melhor assim! – Ela retruca — Se Edward pensar que eu perdi o bebê, será mais fácil. Eu poderei seguir em frente e ele também. Eu dou o divorcio a ele e ficamos ambos livres para viver...
-- E o meu neto crescerá sem pai? Eu não acho isso justo...
-- Pior é ele crescer com um pai que não o ama e que sempre deixou claro o desejo de que ele morresse...
-- Tudo bem! - Ele aceita por fim, sabendo que de fato ela tinha razão — Mas eu te darei uma boa pensão, para você e o meu neto ficarem bem. E assim que o divorcio sair, eu arrumarei um apartamento para vocês.
-- Carlisle não precisa, assim que o bebê nascer, eu começarei a procurar um emprego.
-- Você precisa terminar o Ensino Médio e entrar em uma Faculdade, é disso que você precisa e não me contradiga.
....................................
As coisas aconteceram rápidas demais, Edward ficou sabendo pelo pai, que Isabella perdera o bebê, o que era de fato mentira, mas fora esse o combinado entre ambos. Dois dias depois, Isabella estava deixando a casa dos Cullen, sem sequer olha para trás e uma semana depois estava assinado os papeis de divórcio.
-- Você parece ótima! - Edward comentou.
-- Vai para o inferno! - Ela disse saindo agora definitivamente da vida dos Cullen.
.........................
Morar com Rose tinha as suas vantagens, era sempre uma festa, Rose já havia montando um quarto para os bebês. Assim que Isabella entrou no quarto mês de gestação, eles conseguiram descobrir o sexo do bebê e para a surpresa de todos, ela esperava dois bebês  
                                         
. Isabella se viu obrigada a contar para Emmett, já que ele freqüentava a casa de Rose e acabaria descobrindo tudo. O jovem achou errado o que ela fez, mas depois que ele escutou os argumentos da jovem, ele viu que fora a melhor escolha. Ele estava eufórico com a notícia dos sobrinhos, o quarto era azul bebê com detalhes em branco. Lá já estava cheio de ursinhos e carinhas divertidas, já tinha até um carrinho de gêmeos para as crianças. O quarto estava todo decorado, muito bem mobiliado, Carlisle acompanhava Isabella de perto, a cada consulta. Ele queria saber como ela estava, além de e todos os seus passos e dos seus netos.
                                               
 Ele sempre visitava a jovem na casa de Rose, e claro, sempre esbarrava com Emmett lá, mas nunca desconfiou que fosse por causa de Rose, ele achava que era por causa de Isabella e dos sobrinhos.
-- Sorria! - Rose disse, elas estavam na praia, pois Emmett as arrastou para lá no feriado prolongado — Mostra o barrigão...
-- Diga “oi” para a câmera! - Emmett disse beijando a barriga um pouco avantajada da mãe de seus sobrinhos, ainda faltava cinco meses para o parto.
             
Havia vários vídeos de Isabella durante a gravidez, Rose e Emmett faziam vários e vários vídeos da jovem, em diversos lugares, em loja de bebês, em parques, zoológicos, dentre outros locais. Eles sempre estavam fazendo algo diferente para entreter e alegrar Bella.
.....................
-- Isabella força! - Carlisle dizia.
Ela já estava em trabalho de parto por mais de duas horas, do lado de fora do Centro Cirúrgico estavam Rose e Emmett, aguardando por noticias. Isabella estava trazendo o primeiro bebê ao mundo, o segundo nasceu mais rápido ainda, o choro forte e sadio dos bebês, era como música para o seu ouvido, ela estava chorando de felicidade. Carlise estava deveras emocionado, pois ali estavam os seus primeiros netos e eles eram duas crianças lindas e saudáveis.
.............................
-- Eles são lindos! - Rose disse.
-- Têm os olhos de Edward! - Isabella comentou.
-- E o nariz do tiozão aqui! Olha só esse aqui, tem até os meus músculos!
-- Emmett eles são apenas bebês!
-- Já sabe que nomes eles terão? - Emmett perguntou.
-- Sim! - Ela disse sorrindo para os dois — Thomas e Alex.
-- Nomes lindos! - Carlisle concorda — Você terá alta amanhã à tarde!
-- Oba!!! Nós vamos dar uma festa! - Emmett sugere.
.......................
Os dias foram passando rapidamente, assim como os meses, logo o natal chegou e Isabella passou com Rose e os filhos. Carlisle e Emmett passaram no apartamento dela antes do jantar com a família deles, para ver os sobrinhos e netos. Deixaram presentes e partiram, prometendo voltar durante aquela semana. E desse jeito também, foi à festa da virada do ano. Rose fez uma pequena comemoração em seu apartamento. Ela convidou Ângela, que era uma pessoa confiável e Emmett claro, eles passaram a virada de ano juntos. Isabella não perguntou por Edward, mas ouviu algumas vezes Emmett falando com Rose sobre ele.
-- Acho que ele voltou a se envolver com ela! – Emmett confidenciou à loira — O meu irmão está mais sombrio do que nunca.
-- Talvez ele só agora tenha descoberto o mal que fez a ela e esteja se sentido culpado.
-- Ou talvez seja Vic mesmo...
Isabella não gostava de ter conhecimento de nada sobre Edward. Porque o amava... O que ela havia vivido com ele, tinha sido forte demais para ser apagado. Prova disso eram os dois tesouros que ela havia ganhado. E assim, os meses foram se passando... O aniversario de um ano dos gêmeos logo chegou. Rose com a ajuda de Emmett e Carlisle montou uma grande festa, é claro, que foram tiradas muitas fotos para marcar aquele grande dia. Os meninos que Isabella tanto amava, estavam dando os seus primeiros passos pela casa, já chamavam a palavra mamãe, e ela sabia que um dia teria que contar toda a verdade para eles sobre o pai que os rejeitou, mas não achava que seria por agora, eles ainda eram muito pequenos para entender...
........................
Esme odiava saber que Carlisle já não lhe dava a mesma atenção que antes. Ela notou que Edward estava cada dia mais estranho, ela percebeu que o filho chegava tarde e algumas vezes bêbado, porém preferia não dar muita importância ao fato, já que Edward era e sempre seria o seu queridinho.
O almoço de domingo sempre acontecia com toda a família, Edward por algum milagre, estava acordado e em casa, Emmett parecia, como sempre, feliz e sorridente, porém Jarper estava, como de costume, circunspecto.
-- Não vai sair hoje papai? - Edward perguntou com todo sarcasmos possível em sua voz.
-- Por que isso agora Edward?
-- Você raramente fica aos domingos em casa, já tem um ano que praticamente, nada te agrada dentro dessa casa, nem mesmo a mamãe. Por acaso está traindo ela novamente?
-- Cale a sua boca moleque!
-- Edward, por favor, pare de provocar o seu pai!
-- Ora essa! Eu vejo como você anda triste, e esse infeliz quase nunca está em casa, ele sempre está falando com alguém ao telefone, sempre sorrindo, mas quando vê um de nós, ele muda completamente! - Edward jogou para fora toda a sua raiva - Se você aceita isso, é problema seu, mas não espere que eu aceite também...
-- Vindo de você isso Edward!? - Carlisle diz no mesmo tom que o filho - Você é o único que não tem moral para falar nada aqui.
-- Você está tentando me culpar pelo o que aconteceu com Isabella?
-- Calem a boca! - Esme gritou - Essa garota foi um erro e até onde eu sei tudo já foi esquecido e solucionado. Aquele bebê morreu e ela está bem longe daqui e vai continuar assim. Agora já chega!
--- Vocês me dão nojo! - Emmett disse ficando de pé e saindo da mesa.
..............................
Emmett estava no jardim quando viu Edward se aproximar dele, o rapaz usava um suéter marrom e calça bege, as mãos dele estavam dentro do bolso, à cabeça baixa e pensativa.
-- Você quase não vem mais aqui! - Edward diz ao irmão.
-- Ando ocupado!
-- Com Rose?
-- Também!
-- O que está acontecendo Emmett? A gente sempre se deu tão bem, por que esta distância agora? Você é o meu irmão. Aquele em quem eu mais confio e com quem eu sempre pude me abrir, por que isso agora? Por que essa distância?
-- Você jura que não sabe?! - Emmett disse olhando para o irmão – ISABELLA!!! Esse nome ainda te diz alguma coisa?
-- Você não entende... - Edward tenta argumentar.
-- Então me faça entender. Por que até onde você me contou, você estava gostando dela de verdade o que mudou?
-- O filho!
-- Ela não o fez sozinha!
-- Eu não posso ser pai, eu não quero!
-- Você tem medo, esse é o problema! - Emmett diz e fica de pé - Você a magoou muito Edward...
-- Você falar como se tivesse visto Isabella recentemente!
-- Eu a vi! Vejo-a sempre que estou com Rose! - Emmett diz - Você pode ter saindo da vida dela cedo demais, mas isso não quer dizer que eu tenha que fazer o mesmo. Ela é uma garota incrível e realmente espero que ela encontre alguém melhor do que você.
-- Igualmente Rose encontrou você!? - Edward diz travando os dentes. Emmett não sabia de nada para estar abrindo boca daquela forma, foi isso o que Edward pensou quando o seu irmão terminou de falar.
-- Rose é uma pessoa legal, alguém que você jamais será...
-- Pelo menos eu sou volúvel, e não saio por aí trepando com a primeira pessoa que vejo pela frente! - Edward ataca o irmão – A sua queridinha não passa de uma vadia de luxo, coberta em uma embalagem cara.
-- Acha que me atacar vai mudar os fatos? - Emmett diz contendo a raiva que estava sentindo - Você agiu como um canalha cretino Edward. Você sabia o tempo todo. Você estava fazendo o que queria. Pois bem, você conseguiu! Conseguiu quase destruir a vida dela. Eu realmente fico feliz por Isabella NUNCA perguntar por você. Você foi à pior coisa que aconteceu a ela.
-- O que você esperava? - Edward gritou com o irmão - Acha mesmo que ela não teria o mesmo futuro que as outras? Que não seria descartada como todas as que passaram por minha cama? Sim, eu me aproveite dela, mas ela sempre soube o que eu queria, eu não fiz nem um tipo de jogo com ela.
-- Você só fez ela te amar! - Emmett disse.
-- Eu não escolhi isso! - Edward grita - Eu não escolhi ser assim e tão pouco escolhi ser pai, ela não deveria ter engravidado. Eu não deveria ser pai e foi isso o que aconteceu... Quando ela perdeu o bebê, tudo voltou ao seu devido lugar. Tudo voltou ao lugar certo!
Emmett virou bruscamente socando Edward no rosto, o fazendo cambalear para trás.
-- Tudo voltou ao seu devido lugar? - Ele gritou - Você estragou a vida da garota, que já tinha perdido tudo. E agora diz que tudo voltou ao lugar certo? É isso que você acha mesmo? - Emmett olhou furioso para Edward que tinha uma mão no queixo no local em que Emmett o acertara - Victoria destruiu a tua vida, mas isso não lhe dá o direito de destruir a vida dos outros, Edward - Emmett deu um sorriso debochado para o irmão - Se você soubesse... Você ao menos sabe o que jogou fora? Talvez se soubesse, um dia houvesse alguma esperança para você...
-- Victoria matou tudo o que um dia eu tive de bom Emmett, tolo é você que acha que aquela menina poderia ter a chance de me mudar.
-- Ela mudou você! - Emmett disse caminhando em direção a casa principal - Você apenas se recusa a aceitar que está completamente apaixonado por ela.
-- Eu não amo ninguém! - Ele gritou.
-- Ama... Você a ama perdidamente, mas morre de medo de se machucar de novo! - Emmett diz olhando para o irmão mesmo ao longe, enquanto se afastava... - Você sonha com ela todas as noites e quando está com outra mulher e nela que você pensa! - Emmett deu um sorriso triste - E quando está gemendo é o nome dela que sai da sua boca - Emmett olha feio para Edward -- Está mentindo para você mesmo, irmão. E essa mentira pode sair bem mais cara do que você encarar a verdade. Você precisa dela, como eu preciso da Rose. O problema é que eu não tenho medo de mergulhar de cabeça, já você tem medo de não conseguir nadar nesse mar escuro em que se meteu, no qual ninguém sabe onde vai dar...
-- Como se você soubesse de alguma coisa! - Edward sussurrou.
-- Eu apenas sei o que desejo saber - Ao dizer isso, Emmett deixou Edward sozinho em seus próprios pensamentos e com o queixo machucado.
..................
Rose estava sentada no sofá com Emmett, os gêmeos já estavam dormindo, Isabella estava no quarto com eles. Ela resolveu deixar o casal sozinho para que pudessem ter privacidade...
-- Você já sabe o que eu penso sobre o seu irmão!
-- Ele foi um burro! - Emmett diz.
-- Mas afinal, o que Victoria fez para Edward ter tanto medo assim de se envolver?
Isabella ia até a cozinha, mas parou assim que ouviu o nome de Edward. Rose e Emmett não notaram a sua presença à porta de entrada que dava para sala onde ambos estavam.
-- Victoria é louca! - Emmett disse - Ela estava com Edward desde a época de Escola, ela mostrou tudo para Edward, esse lado dominador dele, nasceu por culpa dela.
-- Tá! E daí que ele seja um dominador? Essa foi uma opção dele! - Rose replica - Mas isso não justifica nada.
-- Tem toda razão! - Emmett diz - Mas aconteceu algo, eu não sei dizer ao certo, Edward nunca falou, porém sei que Victoria fez algo que fez com que ele não acreditasse mais em nenhum relacionamento de amor.
-- É por isso que ele resolveu descontar em cima das mulheres?
-- Edward é um dominador Rose! - Emmett diz sorrindo – Eu nunca entendi muito bem isso, mas é o estilo de vida dele. Nós não conversamos muito sobre isso por certo... Ele sempre teve uma submissa ao seu comando, mas nunca duravam mais do que dois ou três meses. Elas perdiam a graça rapidamente para ele.
-- E Isabella?
-- Foi diferente! - Emmett diz e vira olhando diretamente nos olhos da loira - Ele a ama. Eu via o modo como ele sempre parava na frente do antigo quarto dela. O modo como ele esperava ansioso para que ela se juntasse à mesa. Coisas que não acontecem mais... Só espero que ele perceba logo que está sonhado acordado... Que ele tire a máscara fria que adotou desde que ela se foi...
-- Mas ele a fez sofrer! - Rose diz com raiva - Ele teve a chance de amá-la de verdade.
-- Edward não está acostumando a ser amando de volta! - Emmett diz - Ele me disse que a amava, apenas dois dias antes do ocorrido na Escola - Emmett fica calado - Ele tem medo de se envolver de novo e acabar igual como acabou a situação com a Victoria.
-- Então ele a ama, mas prefere não tê-la? - Rose tenta conjecturar a situação - Ele é louco ou o quê? Já se passou mais de um ano Emmett, Isabella um dia vai achar um cara que a faça realmente feliz e aí sim, todas as chances daquele babaca estarão esgotadas...
-- Edward não abaixaria a guarda assim! - Emmett diz ficando em silêncio - Isabella teria que lutar por ele, se ela o quisesse... - Emmett olhou para Rose com um sorriso triste - Pior ainda, ela teria que vencê-lo no próprio jogo dele.
-- Está dizendo que Isabella deveria ser a submissa dele? - Rose diz incrédula - Isso seria loucura.
-- Nem tanto assim! - Emmett diz - Pense comigo Rose, o que todo dominador deseja?
-- Eu sei lá! - Rose diz confusa.
-- Uma submissa perfeita! - Emmett responde prontamente – E quando eles as encontram, eles raramente as deixam escapar...
-- Você bebeu, não é? Só pode...
-- A verdade é que Edward ainda a ama, e, se Isabella gostasse dele e estivesse disposta a fazê-lo reconhecer isso, ela teria que entrar no jogo no qual Edward acha que domina.
-- Do mesmo jeito, há riscos aí! - Rose o lembra - Ela pode se machucar ainda mais se algo sair errado.
-- Ou pode enfim descobrir o que aconteceu de verdade com Edward...
-- É melhor deixar as coisas como estão! - Rose diz - Não acho que Isabella conseguirá fazer isso, e tão pouco seria capaz, ela ainda é muito inocente para tentar qualquer coisa desse tipo...
-- Ela é uma mulher e agora mãe, por que não?
-- Porque se ela for bem esperta, ela usaria isso para dar o troco em seu irmão, o fazer provar do seu próprio veneno, só pra ele saber o quanto ela sofreu.
-- E isso a tornaria mais humana? - Emmett pergunta e Rose fica calada – Rose, amar é saber ceder quando for preciso. É saber que uma hora você estará lutando sozinho... Para alguém como Edward que nunca soube o que é ser amando de verdade é bem mais complicado...
-- Mas não é impossível...
-- Não isso não é! - Emmett concorda - Mas é preciso alguém que esteja disposta a mostrar isso para ele, e sim, eu acredito que esse alguém seria Isabella, mas já não acho que seja possível...
-- Você nem pense em dizer isso para ela! - Rose o ameaça - Ela já sofreu bastante por causa daquele idiota, melhor nem comentar nada disso com ela.
-- Eu acho que ela deve saber que ele ainda a ama.
-- Se ele amasse teria lutado por ela e não deixado-a partir.
-- Rose, nós só deixamos partir as pessoas que não desejamos fazer mal! - Emmett pondera - Edward sabe o quanto é um fudido e deixar Isabella partir, foi a sua prova de amor maior por ela, se ele a deixasse ficar, seria pior, você sabe que é verdade.
-- Tanto faz, vamos mudar de assunto.
Isabella correu em direção ao seu quarto, ela estava bem pensativa. Por algum motivo ela sabia que Emmett tinha razão, Edward lhe deu varias vezes a prova de seu amor por ela... Várias vezes ele deixou claro que era melhor que ela fugisse dele. Mas o fato é que Isabella não sabia o porquê e agora ela tinha muita vontade de saber os motivos...
CONTINUA...