Jul M

Oi

sábado, 28 de setembro de 2013

O Casamento-- Para todo Sempre -- cap 7


"O Amor é fragil, Ronnie. e nem sempre cuidamos dele muito bem. A gente se vira e faz o melhor pode e torcemos para que esta coisa frégil, sobreviva apesar de tudo"
                                    -- A Ultima Musica

SURPRESAS E FINURAS...

A quinta-feira chegou rapidamente, este era o dia marcado para a consulta do casal, Edward agendou um horário noturno, assim que saísse do trabalho estaria no consultório de Stefan. Ele combinou de encontrar Isabella lá, já que a mulher passava mais tempo na reforma da loja do que em casa. Não que ele reclamasse, era bom para ela, mas ele ainda se preocupava com a esposa.
-- Sr. Cullen! - Stefan o cumprimentou — Sente-se!
-- Desculpe a demora! - Ele disse – Eu tive uma reunião de última hora.
-- A sua esposa já estava ficando nervosa com a sua demora!
-- Eu vi as suas mensagens querida! - Edward diz pegando as mãos dela e as beijando — Eu estou aqui.
-- Podemos iniciar? - Stefan se coloca — Por onde querem começar?
-- Bella anda dormindo muito! - Edward inicia a conversa — Esquece as coisas.
-- Eu não esqueço as coisas! - Ela se defende.
-- Viu? Perde a paciência rápido demais! - Edward continua — Briga comigo por qualquer besteira!
-- Eu não faço isso!
-- Faz sim! - Edward rebate — Fora às vezes em que ela começa a chorar do nada, em outras ela ficar melancólica e outras vezes ainda, ela grita por nada.
-- Eu não faço isso! - Bella rebate mordendo os lábios — Uma ou duas vezes, não é sempre, e você também é o culpado.
-- O que ele faz que a deixa assim? - Stefan pergunta.
-- Primeiro, a minha casa parecer um quartel de tantos seguranças que tem! - Ela desabafa — Eu tenho dois seguranças que me seguem o dia todo, eu não posso dirigir o meu próprio carro, eu tenho um motorista, mesmo sem precisar... E fora as ex-namoradas malucas dele que quando aparecem é só para me infernizar.
- Uma lista muito grande Sra. Cullen! - Stefan diz – Edward o que ela faz para você?
-- Grita por nada! - Edward diz seco — Me ignora algumas vezes, muda constantemente de humor. Chora por nada e deu para vomitar sempre que fica nervosa.
-- Qual a periodicidade que ela vem vomitando? - Stefan pergunta.
-- Isso é mesmo necessário? - Isabella pergunta.
-- Quatro vezes só essa semana! - Edward diz — Todas depois do café da manhã. E logo depois começa a chorar sem motivo algum.
-- Isabella fora essas quatro vezes que o seu marido viu você vomitando, houve outras? - Stefan perguntou, mas Bella ficou calada — Teve outras vezes Sra. Cullen?
-- Isabella! - Edward a repreende e ela suspirou.
-- Semana passada, duas ou três vezes, logo depois do almoço! - Ela diz fazendo becinho.
-- Eu vou pedir que você faça esses exames! - Stefan lhe passa um receituário com a solicitação de exames — Eu não sou especialista nessa área Sra. Cullen, mas é possível que a senhora esteja adquirido algum distúrbio alimentar, por isso quero que consulte um especialista.
-- Que tipo de distúrbio? - Edward questiona assolado.
-- Não sei ao certo, bulimia ou quem sabe, anorexia! Tudo é provável Sr. Cullen!
-- Eu não estou doente! - Ela diz ficando de pé — Vocês não podem me forçar a nada! 
Isabela ficou vermelha de raiva e saiu da sala do médico batendo forte a porta. Edward passou as mãos pelos cabelos em um gesto de desconforto.
-- Desde quando ela vem se comportando assim? - Stefan pergunta.
-- Há umas duas ou três semanas eu acho, ou até mesmo um mês! - Edward diz — Eu acho que o problema todo está no seqüestro que ela sofreu!
-- Por que acha isso?
-- Porque ela não fala sobre o assunto! - Edward diz e olha para Stefan — É como se a família dela fosse somente eu, Tony e Charlie! - Edward fica em silêncio — Ela não pergunta nada sobre a mãe ou Tânia.
-- Acha que ela está criando um bloqueio sobre isso? - Stefan questiona.
-- Pode ser! - Edward diz — Eu não a forço! Eu tentei uma vez falar sobre isso com ela, mas Bella desconversou, ela mudou o rumo da conversa e eu nunca mais perguntei nada a respeito do que  aconteceu naquele galpão.
-- Como anda o sexo entre vocês? - Stefan é direto — Mudou algo?
-- Não! - Edward diz apressadamente — Nós continuamos iguais, eu posso até dizer que está ainda melhor. É apenas essa mudança de humor que acaba comigo!
-- Leve ela ao médico, faça os exames e aí sim, eu poderei dizer algo a respeito, pode ser de cunho emocional ou não, Sr. Cullen. Mas isso não quer dizer que ela realmente tenha um problema — Stefan explicou — Isabella vai falar no tempo dela, pode ser que ela esteja apenas tentando colocar as coisas em ordem antes de falar.
-- Eu preciso ir! - Edward fica de pé — Ela está lá fora, eu tentarei convencê-la a fazer os exames.
-- Faça isso e depois retomamos as consultas! - Stefan conclui.
Edward entrou no carro no banco de trás, Isabella continuava calada. Edward não sabia como convencer Isabella de fazer os exames.
-- Você se comportou mal! - Edward diz tentado chegar perto da jovem — Você não devia ter feito aquilo.
-- Eu não fiz nada! - Ela diz fazendo um biquinho contrariado — Tyler, por favor, vá mais rápido.
...............

Isabella entrou em sua casa parecendo uma tempestade, mas toda a sua raiva foi embora assim que ela viu Tony, que veio correndo e se jogou encima dela.
-- Oh! Cuidado querido! - Ela disse carregando o menino e beijando o seu rosto rosado — Por que a pressa?
-- Eu vi você e o papai chegando, então eu vim receber vocês! - O menino disse sorrindo.
-- Está na hora de ir dormir, meu amor, já é tarde! - Ela disse colocando ele no chão — Vá à frente, eu já vou subir.
O menino subiu correndo as escadas, Edward estava encostado  contra a porta de entrada da casa. Isabella se virou  para falar com o marido.
-- Eu vou colocar o nosso menino para dormir! – Disse — Depois, eu quero falar com você!
Sem esperar por uma resposta do marido, ela subiu as escadas e foi direto para o quarto do menino Tony que já estava deitado em sua cama, pronto e esperado a jovem.
-- Conta uma historia! - O menino pediu.
-- Tudo bem! Vou conta a historia de João e Maria!
Isabella contou a historinha para o menino que dormiu antes mesmo do final do conto infantil. Ela o cobriu e o beijou para só então sair do quarto do menino indo direto para o dela.
-- Edward! - Ela chamou assim que entrou, mas ninguém respondeu – Ah não, de novo não!
Isabella correu para o banheiro se jogando no chão próximo ao vaso sanitário e vomitou novamente, Edward não sabia, mas ela havia vomitado três vezes só naquela tarde, nada do que ela colocava no estomago fica e agora ela estava colocando o jantar todo para fora.
-- Viu? É por isso que eu quero que você vá ao médico! - Edward disse entrando no banheiro e se posicionando ao lado dela, ele segurou os cabelos da esposa enquanto ela vomitava — Amanhã mesmo eu vou levar você ao médico. Isso não é normal Isabella!
-- Pare de falar! - Ela explodiu e voltou a vomitar.
-- Parar de falar?! É isso o que você me diz? Eu quero que você fique bem, eu quero você viva e se eu tiver que levar você ao médico à força, eu vou levar! - Ele disse quase gritado.
-- Eu estou grávida, CARAMBA! - Ela gritou passando as mãos pela boca e pegando Edward de surpresa — Eu só estou grávida! - Ela sussurrou baixinho dessa vez.
 Edward estava parado, as mãos dele congelaram praticamente no ar. Seus olhos estavam sem foco e muito arregalados. Por um momento Isabella achou que ele não tivesse gostado da notícia, mas depois conseguiu ver que o marido estava em choque.
-- Edward! - Ela chamou  terminando de limpar a boca com as costas das mãos - Edward está tudo bem?
-- Vo..vo... ...você disse o quê? - Ele perguntou gaguejando e piscado os olhos várias vezes em seqüência.
-- Eu estou grávida! - Ela sussurrou com a voz chorosa.
-- Como isso aconteceu? - Edward perguntou sem se dar conta das próprias palavras. Isabella olhou para ele como se dissesse “Jura, que você não sabe mesmo como?” — Tu... tu... ...tudo bem, a pergunta foi meio besta.
-- Vamos sair daqui! - Ela disse - Eu não quero ter essa conversa com você dentro do banheiro.
.....................

Edward estava andando de um lado para o outro, ele seria capaz de abrir um buraco no meio do chão se continuasse andando assim. Isabella estava esperando alguma reação do marido que nada disse desde que entraram no quarto.
-- Quer parar de andar de lado para o outro!? - Ela demandou — Você está me deixando tonta.
-- Como? Você não está se sentindo bem? - Ele já estava ao seu lado, segurando as mãos dela e tentando tirar a sua temperatura.
-- Edward eu estou bem! - Ela disse meio irritada - É você quem estar me deixando maluca, afinal de contas,  você ainda não disse nada sobre a minha gravidez.
-- Eu ainda estou surpreso! - Edward disse depois de um tempo — Quando descobriu!
-- Três dias atrás! Quando eu comecei a admitir que o fato de estar vomitando demais não era normal! - Ela contou — Vic fez uma brincadeira, em que ela levantou essa possibilidade...
-- Então tudo isso, a sua mudança de humor, esse cansaço e você comendo muito, tudo isso eram sintomas e a gente não notou nada...
-- O que queria! - Isabella disse — Os últimos acontecimentos nos privaram das faculdades perceptivas normais...
-- Você DEVE descansar! - Edward diz mudando de assunto completamente — Deite um pouco, descanse, eu tenho que revisar um contrato e assim que terminar eu me juntarei a você! - Edward chegou perto e beijo a testa da esposa — Descanse um pouco querida!
Antes mesmo que Isabella pudesse compreender tudo o que ele estava dizendo e fazendo, Edward saiu do quarto indo direto para o seu escritório e se trancando lá.

......................

Isabella acordou sozinha na cama e isso já foi um péssimo sinal, a seu ver, já que Edward não tenha demonstrado reação alguma ao saber da gravidez dela. Não que ela esperasse que ele fosse dar saltos de alegria, mas ela esperava alguma reação positiva, algo que não aconteceu. No entanto, o que ela poderia esperar? Ela mesma sabia que todos estavam pensando que ela estava ficando maluca ou tendo alguma reação adversa devido ao seqüestro em que foi vitimada. Ela levantou da cama e seguiu escada a abaixo, assim que chegou à sala de estar, ela encontrou o ambiente totalmente escuro, excerto pelo corredor que dava acesso ao escritório de Edward, ela seguiu em direção a este e abriu a porta com cuidado.
Edward estava sentado em uma cadeira de couro, atrás da sua mesa de trabalho, a cabeça estava deitada sobre a mesa e a tela do computador estava ligada. Bella entrou com cuidado sem fazer barulho, ela caminhou em direção ao marido e com cuidado, tocou os cabelos dele fazendo um carinho.
-- O quê? - Edward acordou assustado e alarmado.
-- Calma! - Isabella disse e ele piscou os olhos varias vezes — Você dormiu aqui!
-- Desculpa! - Ele sussurrou, passando as mãos pelo rosto — Eu acabei pegando no sono!
-- Tudo bem! Vamos para cama! - Ela o convidou beijando os cabelos dele — Você parece bastante cansado!
-- Muito trabalho...

......................

Edward trocou de roupa no closet e já estava voltando para o quarto, enquanto Isabella se encaminhava em direção a cama para se deitar, de repente ela escorregou no tapete que ficava próximo a cama e antes que ela caísse, Edward agiu rapidamente a segurando para evitar um acidente. O rosto do marido estava em plena agonia e medo...
-- Você está bem? - Ele perguntou e a sua feição demonstrava a mais pura preocupação.
Isabella não soube dizer se foi devido à reação de Edward ou algo mais, só que para ela a situação foi tão engraçada ao ponto dela começar a rir incontrolavelmente, fato que deixou Edward ainda mais aflito.
-- Do que você está rindo? Você poderia ter se machucado, quer dizer, vocês poderiam ter se machucado!
Edward não estava preocupado somente com ela, ele estava preocupado com eles, ao perceber isso, Bella se sentiu maravilhada...
-- Não foi nada, me desculpe! - Ela disse parado de rir — E por falar nisso, estamos muito bem, muito bem mesmo!
Toda malicia que foi possível transparecer naquela frase, Isabella colocou para fora, antes de ser atacada pelo marido ali mesmo no chão do quarto. Ela sabia que se tinha algo errado  esse era o momento de fazer algo e foi exatamente isso que ela fez...





CONTINUA

5 comentários:

  1. ta eu nao sou muito de escrever nada mias va la
    adoro esta fic quero dizer toda ela e o maximo....

    agora devo lhe dizer que este fundo de tela e ddd++++

    ResponderExcluir
  2. aaahh amo essa fic mas Ed poderia ter ficado mais feliz com a noticia do baby bjj
    Lily

    ResponderExcluir
  3. amei o cap mais quando o EDWARD vai sair do choque já que ele não esboçou nem uma reação sobre a gravidez da Bella será que ele não gostou ou esta preocupado pelo filho que vem ´por ai já que seus inimigos pode usa essa gravidez pra tenta destruí-lo

    ResponderExcluir
  4. bom dia! oi Ju, sou um leitora compulsiva das suas historias. pela sua mgn no final da fic, vi que você fica muito chateada quando não deixa mgn, mas posso te dizer algo: amo tudo que você escreve, mas não deixo recado, por que não tenho pique pra escrever, mas não significa que não estou acompanhando. seu jeito de escrever é tudo não desista de postar. até as historia que você excluiu eu li. espero que isso sirva de inspiração pra você, não se zangar se as pessoas não dão retorno as suas historias, continue escrevendo você é muitos outros autores escreve bem.
    amo o jeito que escreve!
    acompanho suas historias!
    não desista!
    fique com deus!
    abraço de uma leitora assídua de suas historia!
    tchau, quem sabe você não tem sorte é eu escrevo de novo.
    até á próxima!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. oii acompanho sua fic a bastante tempo , gosto d+... não consigo comentar lá no nyah de forma alguma... mas não deixe de ecrever não pq , vc faz isso muito bem,,,bjss ;) Jane!

    ResponderExcluir