Jul M

Oi

sábado, 14 de setembro de 2013

Em Maus lenços-- Cap 7 ---PUTA DE RAIVA E DE CIÚMES...

PUTA DE RAIVA E DE CIÚMES... 
POV BELLA
Eu queria mais era gritar, xingar e bater naquela vadia da Rose. Como ela pode fazer aquilo? Seduzir o MEU Edward daquele jeito! Quem aquela vadia pensa que é? O meu próprio consciente me alertou sobre a verdade... “A ESPOSA”... Sim, sim Rose era a esposa de Edward, mas  ela não o  amava mais, a própria Nessie me disse isso, que ela achava que a mãe não amava mais o pai dela... E veja só agora, a vadia estava rebolando e gemendo no pau do MEU Edward.
Porém, aquilo não era nada comparado com o que acontecia comigo e Edward, aquilo que eles estavam fazendo, era puramente mecânico, dava para perceber mesmo de longe... Eu não entendi o porquê daquela vagaba não fechar as cortinhas, será que ela queria que eu visse o teatrinho dela? Suspirei alto e fechei a minha cortina, mas não antes de ver Edward gozando naquela cadela. Que droga! E o pior é que eu estava PUTA DE RAIVA E DE CIÚMES... O que mesmo eu poderia esperar? O que eu podia fazer se ele era casado com aquela vagaba loura? Francamente, por que será que ele não se separa logo dela? Com uma risada de deboche, a minha própria mente me responde... “Porque ela é mais mulher do que você, piralha”...  Eu me joguei encima da cama e suspirei frustrada, essa era a verdade, eu era só uma menininha deslumbrada. Que dizer, nem tanto assim, eu já tenho 17 anos! Pow véi, eu vou fazer 18 no final do ano, além de já ter perdido a virgindade, então tecnicamente isso me já faz uma mulher madura, né?
Eu estava deveras excitada, também porra!!! Ver alguém transando sempre me excitava, por mais que não fosse eu quem estivesse trepando, aquilo me deixava cheia de tesão...
Depois da tarde  maravilhosa que eu havia passado com ele, era meio difícil não ficar excitada. Sem perder tempo, eu coloquei um travesseiro no meio das minhas pernas e comecei a mover os meus quadris para frente e para trás, gemendo causado atrito entre a minha boceta, o pano da minha calcinha e o travesseiro. 

Uma das minhas mãos foi para os meus seios, subindo a blusa do meu pijama e apertando os meus seios freneticamente.
Resolvi eu mesma cuidar das minhas necessidades, eu peguei o meu inseparável consolo vibrador e comecei a me dar prazer, enfiando-o até o talo dentro de mim. 

Aos poucos o meu corpo foi ganhando vida e os meus gemidos começaram a ganhar gritinhos de prazer. 

Não agüentei mais e mudei de posição, eu me virei na cama e me pus sentada, apoiei o pênis de borracha na cama e comecei a subir e descer nele, até que gozei gemendo o nome de Edward, eu daria tudo para ser o pau dele entrado em mim e me fazendo gozar gostoso ao invés de um mero consolo de borracha...
............................
Pela manhã, eu me arrumei rapidamente para ir a Escola, eu aceitei a carona do meu pai, ele me deixou bem na frente do portão principal do Colégio. Assim que saí do carro, eu avistei Rose e Nessie,  essa, que em breve seria a minha futura enteadinha. Fiquei com raiva ao ver Rose tão bem vestida, ela estava usando um vestido preto curto e justo com saltos vermelho, os seus cabelos estavam bem escovados e ela estava muito bem maquiada!
-- Oi tia! - Digo quando chego perto delas, dando um sorriso maroto — Nessie!
-- Olá querida! - Rose diz e me beija na bochecha.
-- Indo trabalhar tia? - Pergunto estranhando o modo como ela estava vestida.
-- Oh não querida! - Ela responde sorrindo — Eu vou fazer umas comprinhas e só depois vou trabalhar!
-- Vestida assim? – Questiono.
-- Não, meu bem! O meu uniforme está na mala do carro! - Ela sorri — Boa aula meninas! E Nessie,  ligue para o seu pai se não for dormir em casa, hoje eu tenho plantão!
-- Claro, mãe! - Ela anui e sorri.
Por que seria que eu não conseguia acreditar em nada do que aquela vadia dissera? Minha mente gritava para que eu ficasse fora daquilo, mas quando foi mesmo que eu ouvi o que a minha mente me pedia? Nunca!!!!! Eu sabia que havia algo de muito errado com Rose. Tudo bem que eu não a conheço tão bem assim, mas tipo, ela agia de forma muito estranha, praticamente dispensando o gostoso do MEU Edward. Ele era o marido dela, ora bolas! Ela estava sempre trabalhando e nem TCHUM para ele, excerto ontem à noite, DROGA!!! Será que ela estava tentando reconquistar o marido? Merda, MERDA!!!! Talvez a vadia só esteja mesmo tentando salvar o casamento dela. Talvez ela tenha percebido que Edward estava andando fora da linha! Seria isso? Olhei para Nessie  sugestivamente e dei um sorriso inquisitor, já estava mais do que na hora de descobrir...
-- Tia Rose está gatona! – Comento como quem não quer nada...
-- É mesmo! - Nessie concorda — A mamãe está muito bonita hoje!
-- Pelo visto vai ter festa hoje com o maridão! – Jogo a isca tentando pescar algo...
-- Que nada! - Nessie diz refletindo — A mamãe e o papai andam meio estranhos um com o outro! - Nessie fala pensativa — Eu acho que o casamento deles está meio mal das pernas!
-- Você acha que eles vão se separar? – Pergunto fingindo espanto para que ela não desconfie das minhas reais intenções.
-- Eu acho! - Nessie assente — Mas o papai é bonitão e a mamãe também, eu acredito que logo eles arrumam outros parceiros!
-- Isso não te incomoda?
-- Bells! - Ela começa a falar me fitando intensamente — Uma vez, eu ouvi a minha mãe e o meu pai brigando... A minha mãe disse que eles só se casaram porque ela engravidou! — Nessie fica séria e introspectiva — Se foi apenas por isso que eles se casaram, eu acho que já sou grandinha o suficiente para entender caso eles se separem!
Não ousei perguntar mais nada para Nessie, ela parecia não se importar muito com o fato dos pais dela se separarem ou não... O que francamente, para mim, era muito estranho, já que ela deveria estar mais interessada em não deixar com que os pais se afastassem... Despedi-me de Nessie, assim que vi Victoria e James se aproximando de nós, fato que deixou James bem raivoso, ele já havia acabado o Ensino Médio e deveria estar na Faculdade, mas ele ainda perdia o seu tempo por aqui... ...um completo babaca, agora eu me dava conta disto. Jacob se juntou a Nessie assim que eu a deixei, então eu segui para a minha sala de aula, mas não antes de digitar uma mensagem rápida para Edward.

Com saudades do seu pau!”
Bjos B.

Eu nunca assinava o meu nome completo, digitava simplesmente um “B”, vai que Rose pegasse e aí que lascaria tudo mesmo. Eu me encaminhei para a aula e esperaria até o intervalo para ver o que poderia acontecer...
...................

POV EDWARD
O meu celular vibrou encima da mesa, eu não precisava ver o nome para saber que era uma mensagem de Isabella, eu abri a mensagem e a li. Definitivamente ela sabia como deixar o meu pau duro e isso não me incomodava em nada...
“O que vai fazer hoje tarde?”
Pergunto e envio o sms para ela. Não demorou muito para que a pequena endiabrada me respondesse.

“Tô com a tarde livre! Qual é o plano?”
 B.

Eu gostava disso em Isabella, ela sempre ia direto ao ponto...

“Que horas você vai sair da Escola?”

Assim que enviei a pergunta para ela, veio a resposta. Isabella não demorava em responder, fato que muito me agradava.

“Às duas, hoje tem Educação Física”
B.

Então eu simplesmente a comuniquei...

“Ok! Espero você no canto da Avenida na hora da saída. Não se atrase”


Isabella perturbava completamente o meu juízo e eu já me sentia metido nisso até o meu ultimo fio de cabelos, e, por incrível que parecesse depois de tudo o que aconteceu conosco, eu só me sentia vivo ao lado dela...
Isabella ainda não tinha me respondido, ela deveria estar em aula, então eu voltei a minha atenção para o meu novo livro, ele estava quase pronto e eu não tinha como negar que o motivo das minhas inspirações era Isabella e as suas doces travessuras. Rose não voltou para casa naquela manhã, eu almocei sozinho no escritório, Sue estava na cozinha. Ao meio dia, Nessie ligou avisando que iria para a casa do namorado, o que eu já estava prevendo. Rose ligou apenas para me lembrar de entregar o pagamento de Sue que estava encima do criado mudo de nosso quarto e ainda para recordar-me que naquela noite ela estaria de plantão. Saí de casa sem precisar avisar nada para ninguém e fique a espera de Isabella.
Avistei Isabella ao longe, ela estava ao lado de minha filha que estava com o namorado dela, ambos sorriam ao se despedirem da minha ninfeta. Nessie e o namorado subiram na moto dele e foram na direção inversa a que eu estava. Isabella olhou de um lado ao outro, cautelosamente, antes de caminhar em minha direção, eu sabia que ela ainda não tinha me visto, mas a menina sabia ser cuidadosa. Acendi os faróis para que ela me percebesse, ela deu um sorriso safado, que só ela tinha... ...daqueles que fazia o meu pau ficar duro feito pedra, eu destravei a porta e ela entrou rapidamente a fechando atrás de si.
-- Olá Sr. Cullen! - Ela disse ao mesmo tempo doce e manhosa.
-- Isabella! – Digo — Coloque o cinto!
Ela faz o que eu lhe pedi e volta a encostar-se ao assento do carro, ela joga a sua mochila no banco detrás e eu dou a partida. Foram apenas alguns minutos de silêncio, somente o tempo de nós nos afastarmos da Escola.
-- Onde estamos indo? – Pergunta curiosa.
-- Em um lugar especial! - Digo — Eu quero lhe mostrar algo...
-- Se for um motel, eu já conheço um! - Ela diz de um jeito despreocupado.
-- Sério? Isso nem passou por minha cabeça! - Digo estou sendo sarcástico
-- Olha só, o Sr. Cullen tem senso de humor! Quem imaginaria? - Ela diz debochando...
-- Às vezes!
Volto a me concentrar na estrada, mas uma vez ou outra, eu olho de canto de olho para Isabella que estava entretida mexendo em seu celular. Jovens, qualquer coisa já os distrai facilmente.  Sigo para fora da cidade, faço uma curva um pouco depois da saída da área urbana, Isabella só nota que chegamos quando eu desligo o carro e volto a minha atenção para ela.
-- De quem é essa casa? - Ela pergunta maravilhada com a beleza do lugar.
-- É da minha família! Dos meus pais – Eu esclareço e recebo um belo sorriso dela — Venha vamos entrar!
Isabella caminhou ao meu lado sem dizer nada, apenas admirando o belo jardim da minha mãe. A minha ninfeta ficou deveras surpresa quando viu a minha casa.
-- Uau! - Ela disse e deu um sorriso travesso, nós estávamos parados bem no meio da sala de estar — Os seus pais têm uma casa muito linda e charmosa!
-- Eu sei! - Digo — O meu avô a construiu e nós tentamos manter a sua estrutura original a cada nova reforma que a minha mãe inventa!
-- Por que me trouxe aqui?
Como sempre Isabella era direta e objetiva, algumas vezes isso me deixava irritadiço, porém em tantas outras eu ficava admirado com essa característica bem típica dela.
-- Eu queria ficar sozinho com você! - Digo olhando para ela que sorriu e ganhou uma coloração mais rubra na face.
-- Então, você sentiu a minha falta? - Ela inquire como se isso fosse uma vitória conquistada — Eu também senti a sua falta! - Ela sussurra e a minha frente estava novamente a garota tímida  que poucas vezes encontro em Isabella.
-- Eu precisava falar com você!
Isabella fez uma careta e se jogou no sofá da sala de entrada, o local possuía uma decoração singela, mas não muito confortável, havia lá uma mesa de canto, um sofá bem grande e outro menor. Nós quase não usávamos aquele sala, a não ser que fosse com visitas indesejadas, a minha mãe nunca mandaria pessoas que não gostava entrar em sua casa.
-- Você irá me comunicar que deu para trás agora Cullen? - Havia  frustração na voz dela.
-- E sobre ontem... – Eu começo a falar — Você não pode entrar e sair da minha casa a hora que bem entender e quiser... – Suspiro — Eu tenho uma filha e uma mulher, imagina a confusão que isso daria se uma delas nos pegasse na cama?
-- Você não reclamou enquanto me comia!
-- Droga Isabella você não facilita mesmo, hein?! - Reclamo e passo as mãos pelos meus cabelos. Então eu percebo que ela estava usando o seu uniforme de Educação Física!
-- Cullen, eu não estou te entendendo, o que você quer afinal? - Ela diz e começa a tirar a sua saia, ela a joga no chão e fica somente de blusa e calcinha — Os seus olhos dizem sim, mas a sua mente arcaica diz não! – Ela me fita e morde os lábios — Eu quero você, eu já disse!
De fato, naquele momento, não havia nem sinal da Isabella tímida de minutos atrás, essa a minha frente, era uma verdadeira pestinha que me deixava DURO e fudido literalmente.
.........................................
Isabella tirava de mim a capacidade de raciocinar coerentemente... Quando eu dei por mim, eu já estava de joelhos com a cabeça no meio das pernas dela, eu chupava gulosamente a sua buceta rosada.

 Isabella tinha uma das mãos em meus cabelos e a outra segurando a sua calcinha, mantendo-a bem afastada para que eu pudesse chupá-la com mais vigor. Eu conseguia ouvir, com perfeição, os gemidos de Isabella, ela mantinha os lábios semi-abertos e os olhos fechados, aquela era a visão da luxuria personificada.
..................
Isabella gozou com toda a sua exuberância na minha boca, ela ficou espalhada pelo sofá com os olhos bem fechados. Assim que ela recuperou as suas forças, ela foi direto para as minhas calças, as removendo com certa facilidade, inclusive as minhas cuecas foram junto. As suas mãos tomaram conta do meu pau, ela começou com movimentos lentos e torturantes de  vai e vem, os seus gestos me deixavam ofegante e mais e mais inchado. Aos pouco ela começou a arrancar gemidos de mim...

.....................
Se havia alguém que tinha uma real empatia comigo, esse alguém era Isabella. Era fato que não precisarmos falar um para o outro sobre o que gostávamos durante o sexo, já sabíamos, mesmo sem nunca termos conversado a respeito... Isabella sabia exatamente como me deixar louco. Ela se livrou da roupas, tanto as minhas quanto as dela. Eu não a deixe tirar as meias, não era uma fantasia, nem nada assim, mas a visão dela usando apenas meias deixava o meu pau igual a uma rocha, pronto para se enterrar dentro dela. E foi o que eu fiz, Isabella ficou de joelhos no sofá e apoiou as mãos nas costas do sofá, ficando de quatro, com uma das suas mãos ela guiou o meu pau para dentro da sua boceta molhada e bem lentamente eu fui me enterrando nela.

.......................
Meus movimentos eram lentos, vagarosos, eu entrava e saia de dentro de Isabella, fazendo-a sentir cada centímetro do meu cassete, invadido e tomando posse da buceta gostosa dela. Os gemidos de Isabella se mostravam frustrados, já que era visível que ela deseja que eu fosse mais rápido e com mais força. Mas eu estava adorando aquele contato lento e prazeroso.

......................
-- Merda Cullen! - Ela gemeu alto — Me fode mais rápido e selvagem, por favor!
Rose nunca suplicou para ser fudida selvagemmente e vem Isabella implorar com tanta pujança que me deixou ainda mais animado para fuder a minha ninfeta daquela forma. É, parece que ela já estava sendo a minha ruína! Os meus movimentos passaram a ser mais rápidos e mais vigorosos, os gemidos da garota passaram a ser gritos e as palavras sujas, que só ela conseguia dizer na hora do sexo, começavam a ser declamadas, e o pior era que eu gostava muito daquele jeito vadia dela na cama, me fazendo sentir vivo, como há muito, há muito tempo eu não sentia...

..........................
Mudamos de posição assim que Isabella gozou chamando o meu nome, sim, ela simplesmente berrava o meu nome, enquanto melava o meu pau com o seu gozo. Eu estava agora sentando no sofá, quase deitando, enquanto Isabella cavalgava com vontade encima de mim. A buceta dela engolia o meu pau e quanto não tinha mais nada para engolir, ela subia de novo e voltava a descer com força, gemendo alto e chamando pelo meu nome...


......................
Isabella se apoiou no sofá me fazendo ficar de lado, então eu voltei a meter nela com força, a boca da menina era tão suja que eu fiquei curioso em querer saber, como o pai dela nunca desconfiou da putinha que ele tinha em casa? Isabella dizia palavras obscenas e gritava o meu nome sempre que eu a atingia em cheio, em algum dos seus pontos mais sensíveis. Meu nome passou a ser uma espécie de mantra em sua boca, foram poucas as vezes que ela chamou o meu sobrenome, enquanto eu a fudia daquele jeito.


 Ela gritou gozando mais uma vez, eu investi com força dentro da sua buceta molhada e gozei logo em seguida...

Assim que tirei o meu pau de dentro dela, eu vi o meu gozo escorrer por toda a sua buceta, Isabella estava com o rosto enterrado no sofá e a sua  respiração era tão ofegante quanto a minha.
.................................
Isabella já estava vestida quando eu saí do banho, ela estava sentada na cama balançando as pernas enquanto olhava algo em seu celular...
-- Pronta para irmos? – Pergunto.
-- Claro! - Isabella disse sorrindo safadamente — Vamos ficar nos encontrando aqui?
A idéia muito me agravada, mas eu sabia que seria uma loucura, já que os meus pais estariam de volta em breve. Porém o meu quarto de solteiro ainda ficava a minha disposição, as minhas coisas todas, desde o tempo em que eu era apenas um adolescente, ainda estavam ali, então talvez nós pudéssemos utilizar aquele espaço por algum tempo até eu arrumar um lugar para nós nos encontramos.
-- Meus pais voltam de viajem no final deste mês! - Digo chegando mais perto dela — Mas sim, nós poderemos nos encontramos aqui por enquanto! – Toco o rosto dela com os meus dedos — Será por pouco tempo! - Digo e os olhos de Isabella se arregalaram.
-- Por quê? - Ela sussurra.
-- Porque eu terei que arrumar outro lugar para os nossos encontros!
-- Então Sr. Cullen, ainda quer dar umas trepada comigo?
-- Isabella! - Digo e ela gargalha.
-- Você é um cretino, sabia? - Ela diz e fica perpassando os braços em volta do meu pescoço — Você adora me fuder e ficar aí todo bravinho quando eu insinuo isso! – Ela então riu com gosto...
Ela iria acabar comigo se continuasse assim... Afinal, o que eu poderia dizer se ela tinha razão, eu amava me perder naquele corpo juvenil e cheio de vida, amava ouvir os seus gemidos pedindo por mais ou simplesmente chamando o meu nome em meio às palavras sujas que saiam sem freio de sua boca. A minha relação com Isabella era algo que nem eu conseguiria mais explicar...
-- Vamos já estar tarde! – Digo — Eu deixarei você em casa!

CONTINUA...

2 comentários:

  1. gosto muito dessa ninfeta, mais também desconfio que a Rose tem um amante porque ela não tem jeito de esposa fie. eles tem q toma cuidado pois a qualquer hora vão ser pegos!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Neide! Aposto que Rose está é pegando o pai da Bella nesses plantões dela! Pra quem tem um marido gostoso como o Edward e não está nem aí para ele! Tem caroço neste angu, e caroço dos grandes!

    Therose

    ResponderExcluir