Jul M

Oi

domingo, 25 de agosto de 2013

Em Maus Lençóis!-- Cap.5 -- No Calada Da Noite!

NA CALADA DA NOITE...

Eu quase enfartei quando a primeira mensagem de Isabella chegou ao meu celular. Acabei derramando o café que eu bebia no teclado do meu computador quando o pequeno vídeo de Isabella usando um pênis de borracha chegou a minha tela. Essa menina seria a minha perdição, ou melhor, já estava sendo... O pior é que eu não podia me queixar, pois já se passara muito tempo desde que eu tivera uma transa tão boa como a que tivemos. Acho que a minha vida de casado com Rose acabou caindo na rotina, ela passava mais tempo fora do que em casa, já eu, muito tempo escrevendo... E agora parecia que Isabella tinha vindo só para me mostrar que o meu casamento estava indo pelo ralo. Eu estava limpando a minha mesa quando o meu celular tocou novamente, eu sabia que era Isabella com mais umas das suas brincadeiras provocantes. Eu abri a mensagem, era outro vídeo de Isabella e eu previa ser mais uma provocação dela, dito e feito, era mesmo, eu me joguei na cadeira para assistir o que quer que fosse com mais atenção.

Isabella estava de quatro em cima de sua cama, ela esfregava em si, algo que mais parecia ser um vibrador, mas era um tanto quanto diferente dos que a gente ver por aí, ela estava estimulando o seu clitóris com ele, os lábios vaginais da menina já estavam vermelhos e eles começavam a ficar inchados, sem me dar conta, eu já estava com as minhas mãos em meu pau, o apertando de leve. Ela ficou nessa brincadeira por alguns minutos, até pegar um pênis de borracha que se encontrava em uma mesinha ao lado dela e começar a introduzir-lo em sua buceta, cada vez que ela enfiava aquela coisa dentro dela, mais ela gemia o meu nome... 




O corpo de Isabella se contorcia todo sobre a cama e ela meio que mordia as mãos para não gritar, as pernas dela subiam e desciam sobre o leito, até que a sua expressão facial se transformou em êxtase total, ela tinha as mãos tampando a sua buceta, mas eu tinha uma visão perfeita dos seus seios, 

então Bella olhava para a câmera ou sei lá o quê, que ela usou para gravar aquele pornô caseiro, e, com a cara de safada, ela foi tirando o pênis de dentro da sua buceta e me dando uma plena visão de que ela havia gozado... E muito...

Respirei fundo e gozei também, eu nem tinha notado que eu estava me masturbando, eu gozei espirrando esperma para todos os lados, inclusive melando os papeis que estavam próximos a mim.  Cinco minutos mais tarde, chegava uma mensagem de Isabella que dizia...
Eu gozei gostoso pensando ser o seu pau
-- Merda! - Digo fechando as minhas calças e procurando algo para limpar o meu gozo, essa menina iria acabar com o meu juízo.
-- Pai! - Nessie berrou batendo à porta do meu quarto - Eu vou sair com Jacob. Você sabe se a mamãe vai trabalhar hoje?
--  Sim! – Digo — À noite, por quê?
-- Porque eu queria dormir na casa da Leah a prima do Jacob! - Ela meio que me comunica.
-- Na casa de uma amiga? - Digo erguendo uma sobrancelha, já desconfiado.
-- Pai, por favor, é a noite das meninas!
-- Nessie eu...
-- Claro que pode querida! - Rose profere atrás dela — Divirta-se!
-- Obrigada mãe! - Ela agradece sorrindo.
-- Nessie! - Chamo antes que ela suma — Me ligue quando  chegar lá e antes de dormir!
-- Pai eu não tenho mais dez anos!
-- Eu sei Nessie, é por isso que eu estou usando rédeas curtas em relação aos meus cuidados com você!
Ela revira os olhos e suspira.
– Tudo bem pai, eu te ligo!
-- Ótimo!
Nessie sair correndo e sei que ela estava indo para o quarto dela arrumar as suas coisas para dormir fora de novo.
-- Se você continuar sufocando-a, ela vai acabar perdendo o respeito que tem por você! - Rose articula.
-- Eu apenas quero protegê-la, só isso!
-- Nessie não é mais uma menininha Edward, ela já é uma mocinha e tem que descobrir o mundo a sua volta. Pare de tentar acastelá-la!
-- Eu sei, mas não me culpe, eu sou o pai dela, e para mim ela sempre será a minha princesinha...
-- E eu a mãe! E o que mais desejo é que ela seja feliz!
-- Eu entendi Rose, já entendi! - Digo tentando mudar de assunto — Que horas é o seu plantão hoje?
-- Às sete!
-- E você vai chegar que horas amanhã?
-- Por volta das 8h! Da mesma forma que hoje!
.......
Rose saiu sem ao menos dizer um simples tchau, eu ainda não tinha reparado em um fato relevante, que somente hoje eu me dei conta, Rose e eu agíamos mais como apenas  conhecidos do que como um casal. Definitivamente, havíamos caído na rotina e nem percebemos. Que dizer, eu só comecei a me dar conta disso agora, foi preciso incidir o que aconteceu entre mim e Isabella para que eu notasse que o meu casamento andava mal das pernas, pior ainda, o nosso relacionamento nem andava mais... E pensar que um dia eu já fui louco de amor por Rose, hoje nós nos tratamos mais como meros amigos que têm uma filha juntos, e isso sim é frustrante! O meu celular voltou a vibrar levando os meus pensamentos para bem longe...
Deseja companhia?”
Era Isabella! Com certeza, ela havia visto Rose e Nessie saindo de casa e sabia que eu estava sozinho.
“Eu preciso trabalhar e com você aqui, seria uma distração e tanto...
Respondo e não demorou muita para vir outra mensagem.
“Eu posso levar um café para você, eu estou vestindo uma roupinha de empregada bem sexy, que tal?”.
A imagem de Isabella em uma roupa sexy de empregada me deixou duro, essa garota sabia como mexer com o meu pau.
Já disse, eu preciso trabalhar Isabella”
Eu precisava manter certa distância daquela ninfeta, eu ainda não tinha certeza de nada sobre nós e eu ainda não tinha certeza se queria ou não levar aquilo a diante, mesmo porque, ela tinha idade para ser a minha filha...
Eu sei me comportar Senhor Cullen”
 Eu não consegui evitar um sorriso sacana, eu sabia muito bem como ela se comportaria...
Não venha com essa para cima de mim...
Eu enviei e quase como um sopro veio à resposta.
“O que prefere, quando estou debaixo de você gemendo o seu nome ou quando estou por cima?
Senti o meu pau pular dentro da calça, eu sabia que estava demorando muito para ela me provocar...
Você só pensa em sexo menina?”
 “Não, eu também tenho outros interesses, mas depois de estar com você, fica difícil querer algo que não seja sexo gostoso com você...
Isabella sabia como ninguém me provocar e massagear o meu ego. Eu não vou negar que era bom ouvir o que ela me dizia, ainda mais quando já tinha tempo que ninguém elogia o meu desempenho sexual, talvez o perigo fosse o meu ego super valorizado, afinal de contas... Eu ignorei a sua mensagem e comecei a me concentrar em meu livro, já era quase onze horas da noite quando eu escutei o barulho da porta do meu escritório sendo aberta, eu levantei a minha cabeça e me deparei com uma Isabella parada em minha frente, vestindo apenas uma camisola transparente preta e muito sexy. Puta que merda, essa menina era pior do que o capeta!!!!

-- Você não respondeu a minha ultima mensagem! - Ela disse fazendo uma carinha de cão sem dono, o que, diga-se de passagem, me deixou doido só de olhar — Eu vim ver se estava tudo bem... – ela disse manhosa.
-- Onde está o seu pai? - Perguntei sabendo que o Senhor Swan já estava em casa, eu vi quando ele chegara naquela tarde.
-- Dormindo como um anjinho! - Ela disse dando um sorriso de menininha sapeca.
-- Você não deveria estar dormindo também? Você tem aula amanhã!
-- Eu perdi o sono! – Ela disse ainda parada à porta.
-- Como entrou?
-- A chave debaixo do jarro  na varanda! - Ela explicou sem a menor vergonha — Nessie me disse! - Ela mordeu os seus lábios e me olhou safadamente, mas continuou parada onde estava.
Parecia que Isabella estava com medo de algo, quer dizer, ela não se parecia em nada com a Isabella que me agarrou algumas horas atrás, a garota que sabia o que queria e tudo mais... Ela estava meio que tímida e com receio de fazer algo de errado, fato que a deixava ainda mais sexy a meu ver.
-- Venha cá! – Eu a chamei e Isabella sorria caminhando em minha direção, eu afastei a cadeira e ela se sentou em meu colo – Você não deveria sair na rua assim! É perigoso, Isabella! - Digo passando os meus dedos pelas alças finas de sua camisola.
-- Eu só vim aqui do lado! - Ela se defendeu e eu observo que os olhos dela fitavam o meu computador — E não tinha ninguém na rua! – Ela completa — Esse é o seu livro?
-- Sim!
-- Posso? - Ela perguntou curiosa.
-- Fique a vontade! - Digo sorrindo.
Isabella estava distraída lendo o capitulo que eu tinha acabado de escrever. Havia alguma coisa naquela menina que despertava em mim o meu lado mais sacana, eu acabei não resistindo, ainda mais vendo ela vestida daquele jeito e sentada em meu colo se mexendo uma vez ou outra, deixando assim o meu pau completamente vivo... Afastei os seus cabelos e comecei a dar leves beijotes em seu pescoço, notei quando a sua respiração acelerou e ela ficou ofegante, as minhas mãos apertaram as suas coxas com força, fazendo com que ela gemesse um pouco, eu sorri ao ver que ela reagia rápido aos meus toques. Minha boca subia do seu pescoço até a sua orelha, provando arrepios por toda a extensão de seu corpo, a minha mão esquerda entrou em sua camisola e eu gemi ao perceber que ela estava sem calcinha...

-- Puta merda!!!! Você está sem calcinha! - Digo e os meus dedos já roçavam os seus lábios vaginais e ela gemia baixinho...
-- Eu achei que você fosse gostar assim! - Disse mexendo-se em meu colo.
Respirando fundo, eu  voltei a provocá-la com a minha boca em seu pescoço, os meus dedos já se encontravam em sua buceta, eu tocava o seu clitóris com precisão, até que penetrei o primeiro dedo dentro dela, o gemido que saiu de sua boca fora tão doce e agradável ao meu ouvido que o meu pau endureceu de imediato. Comecei a mover um dedo meu dentro dela, ele ia entrando e saindo prazerosamente, Isabella apoiou as mãos sobre a mesa enquanto eu continuava a fudê-la com o meu dedo... Enfiei mais um dedo dentro dela, até que a sua buceta começou a sugar os meus dedos com força e apertá-los gostoso... Isabella soltava pequenos gemidos, nada comparados a quando era o meu pau dentro dela. Continuei a fudendo com os dedos até que ela gritou e deixou a cabeça cair sobre a mesa, gozando gostoso em meus dedos, ela estava com o corpo mole e ofegante.
Tirei os dedos de dentro de sua boceta e os levei a minha boca, os chupando com força, lambendo o seu gozo doce. Era impossível resistir a essa ninfetinha, e o pior é que ela sabia muito bem disso, e com certeza, ela já tinha notado o efeito que tinha sobre mim...
-- Você tem um gosto muito bom! - Disse beijando o seu pescoço, eu olhei para o relógio e vi que já era onze e meia! — Eu acho que é melhor você ir para a sua casa Isabella, já está tarde!
-- Ainda não!
............
Isabella era bem mais rápida do que eu imaginava que ela fosse... Ou talvez, quem sabe, eu mesmo quisesse aquilo. A boca dela estava em meu pau me chupando como uma boa pervertida que ela era. Ela subia e descia sobre toda a extensão do meu pau com aquela boca quente e saborosa. 

Quando ela achava que os meus gemidos não eram o bastante, ela me arranhava com os seus dentes, dando sempre leves mordidinhas, A garota passou a língua por todo o meu pau, e ainda chupava as minhas bolas com maestria. Isabella me levou ao limite com aquela boca. Ela continuou a tortura até que eu enchesse a sua boca com o meu “leitinho”, como ela mesma dizia quando queria me provocar.
-- Adoro quando me dá leitinho na boca Sr. Cullen! - Isabella disse ficando de pé e me olhando de um jeito que só ela sabia fazer, ela lambeu os seus lábios... 

- Mas agora a minha buceta está pegando fogo! E eu não vou conseguir dormir assim!
Sem esperar por mais nada de minha parte, Isabella jogou a sua camisola no chão, Ela empurrou a minha cadeira e curvo-se sobre  mim, já tomando o meu pau, mais uma vez, em sua boca, ela o chupou até ele ficasse duro como uma rocha em sua boca, então ela se afastou e sentou encima de mim, fazendo a sua buceta engolir o meu pau por inteiro.

Essa menina seria a minha perdição, sem duvidas, disso eu já sabia, mas agora eu não me importava com nada mais, Isabella se movia sobre mim, sacolejando os seus quadris para frente e para trás, me fazendo gemer com a sua visão nua sobre mim. Ela gemia alto o meu nome, me fazendo inchar ainda mais de tanto tesão, uma das mãos dela, estava contra o encosto da cadeira e a outra em meu peito, as minhas mãos estavam em sua cintura, a ajudado com os movimentos fazendo nós dois gemer alto....

Não resistir e acabei mudando a nossa posição, coloquei Isabella sobre a mesa de costas para mim. Voltei a meter nela com força, me livrei das minhas roupas... Eu a segurava com energia, metendo com mais vontade do que antes, Isabella gemia e me provocava  do jeitinho que só ela conseguia fazer... 

Afastei os seus cabelos, tomando e provando o seu pescoço, deixando a minha marca em sua pele e em seu corpo, beijando-a e mordendo-a com vontade, até que ela gritou, gozando em seguida no meu pau... Mais duas investidas fortes e eu gozei! Eu me juntei a ela no mundo do prazer...
.............
Isabella estava vestida, eu a acompanhei até a sua casa, eu não iria deixar que ela caminhasse sozinha, ainda mais a noite. Assim que chegamos à frente de sua casa, ela se virou para mim, dando um lindo sorriso tímido, algo raro nela...
-- Eu acho que estou entregue! - Disse provocando.
-- Vá para a sua cama Isabella! – Digo.
-- Eu vou mesmo! - Ela disse rindo — Tô cansada!
-- Ótimo, durma bem! - Digo já me preparando para voltar para casa.
-- Eu vou ver você amanhã? - Ela pergunta.
-- Ainda não sei, eu ligarei para você! – Digo, mesmo porque eu realmente não sabia, Rose estaria em casa amanhã, pois era o seu dia de folga.
-- Boa noite Sr. Cullen! - Ela se despediu me pegando de surpresa com um beijo na boca e logo correndo para entrar em sua casa.
-- Isabella, Isabella o que você está fazendo comigo? - Murmuro revirando os olhos.
Isabella seria a minha destruição, mas eu estava gostando daquilo, por algum motivo, ela cheirava a grande problema, mas era um problema no qual eu já estava mergulhado de cabeça. Entrei em casa e voltei para o meu escritório, eu não iria conseguir dormir mesmo, não depois de tudo o que aconteceu... Eu estava completamente relaxado, essa era a verdade. Sentei-me em minha mesa de trabalho e percebi quando o meu celular vibrou, era mais uma mensagem...
“Adorei a noite Senhor Cullen, eu vou sonhar com você...

  Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário