Jul M

Oi

domingo, 4 de agosto de 2013

Em Maus Lençóis.-- Cap.3 --- Quem Esta Na Chuva é Pra Se Molhar.

QUEM ESTÁ NA CHUVA É PRA SE MOLHAR...

Para o meu total desespero e ao mesmo tempo o meu total delírio, Isabella não estava mentindo quando disse que queria rebolar encima do meu pau... A garota era uma peste que sabia muito bem o que estava fazendo e o pior, sabia direitinho como me enlouquecer. Isabella estava sentada sobre mim,  rebolando aqueles quadris sedutores e fazendo com que a sua buceta engolisse o meu pau por inteiro... 


Ela estava com as mãos cruzadas por sob a sua nuca de uma maneira incrivelmente sexy, então ela subia e descia em um ritmo alucinante, sem nunca deixar de rebolar no meu pau, ela gemia de um jeito fodasticamente sexy, me deixando assim, ainda mais duro.
-- Oooh Sr. Cullen, o seu pau e tão gostoso!
As palavras dela me fizeram rosnar, Rose nunca foi tão descarada assim, ela nunca disse nada desse tipo, eu acho que Rose nunca foi tão ousada como Isabella estava sendo.
-- ELE me enche toda! O seu pau é bem mais gostoso do que o de James! - Ela gemeu e mudou de posição.
-- James! - Digo ofegante.
Olhei para Isabella, ela estava com as pernas bem abertas, movendo os quadris para frente e para trás, eu até podia ver o meu pau entrando e saindo da sua buceta molhadinha, aquela era uma visão divina...

-- Quem é James! - Pergunto segurando os quadris dela e movendo-me no mesmo ritmo que ela.
-- O meu ex! - Ela diz — Ooooooh! Sr. Cullen o seu pau é tão grande e gostoso! - Ela mordia os lábios e me olhava de forma safada. Essa menina seria a minha derrota...
Isabella se apoiou em seus joelhos e começou a pular encima do meu pau, eu passei a mover os meus quadris freneticamente, penetrando-a com força e arrancando dela mais gemidos, que eram de pronto acompanhados pelos meus próprios gemidos...

Eu não poderia negar que Isabella era uma putinha gostosa pra cacete e ela tinha a buceta mais apertada que  eu já comi.
-- Isso Sr. Cullen, me faz gozar nesse seu pau maravilhoso! Ooooooooh! Merda que deliciaaaaaa...
-- Merda! - Eu acabo gemendo e apertando a cintura dela com mais força — Pare de falar assim!
-- Assim como? - Isabella perguntou me olhando e rebolando por sobre o meu pau.
As mãos de Isabela estavam agora sendo apoiadas no espelho da cama da minha filha, enquanto eu segurava a sua cintura, ela engolia o meu pau com a sua suculenta buceta apertada.



-- Assim, desse jeito tão vulgar! - Digo travando os meus dentes.
Isabella me olhou sorrindo safado e passou a língua pelos seus lábios, de uma maneira cruelmente sexy e então focou os seus olhos nos meus e disse...
-- Desse jeito! - Ela deduziu sapeca — Oooh! Sr.Cullen, me fode com força vai! Isso me faz gozar! Oooh que delicia de pau Sr.Cullen!
A vadiazinha sabia como me provocar, as palavras que ela dizia foram o bastante para me fazer perder o controle, rapidamente eu a virei na cama, ficando por cima dela, abri bem as suas pernas e voltei a meter com força, muita força mesmo, tanta, que o corpo de Isabella praticamente quicava na cama, fazendo os seus pequenos seios suculentos pularem na minha frente. 

Fiz uma nota mental de voltar a chupá-los assim que eu tivesse uma chance. Metendo com mais força nela, eu senti quando a sua boceta começou a apertar o meu pau, ela já estava começando a gozar... ...quando finalmente, ela explodiu de vez em meu pau, ela gozou gritado o meu nome, quer dizer, ela urrava “Sr. Cullen, Sr. Cullennnn... Meti em Isabella mais umas três vezes, até eu tirar o meu pau rapidamente para não gozar dentro dela e sim em sua barriga...

Olhar para Isabella foi um pecado, ela estava linda, mesmo descabelada, ofegante,  suada e com a face corada... Ela parecia relaxada, deveria ser por causa do orgasmo que ela havia acabado de ter, eu rolei para o lado da cama fechando os olhos e me dando conta na merda que eu acabara de fazer mais uma vez...
-- Hei!!? - Ela diz e eu sinto os seus dedinhos em meu rosto — Relaxa, foi gostoso!
-- Eu transei com você no quarto da minha filha, você tem noção do que é isso? - Digo evitando olhar para ela.
-- Você preferiria que tivesse sido em seu quarto? - Ela pergunta ingenuamente e eu abro os meus olhos me deparando com os olhos castanhos dela me encarando interrogativamente...
-- Você só pode está brincando, não é?! - Digo chocado, será que essa menina ainda não tinha se dado conta do que fizemos? — Isabella você tem idade para ser a minha filha. O seu pai vai querer me matar quando descobrir, e é claro, ele vai ter total razão sobre isso, já que você não passa de uma menina desmiolada — Digo buscando por ar — Você deveria ter me parado. Mas não, foi você quem começou tudo isso... Eu sou casado, a minha esposa conhece você e trabalha com o seu pai, você acha mesmo que essa situação é fácil para mim que sou um adulto?
-- Ninguém precisa saber! - Ela diz mordendo os lábios.
Era assim mesmo que seria! Ninguém tinha que saber de nada! Era só eu tomar cuidado e não deixar aquilo acontecer de novo. Na verdade, eu tenho que deixar bem claro isso para ela, que aquilo não vai mais acontecer de novo, nunca mais mesmo...
--- Eu espero que saiba que isso não vai acontecer novamente! - Digo olhando seriamente para ela — Isso tudo foi um grande erro menina...
-- Você não gostou? - Ela pergunta preocupada.
-- Isabella, não está em discussão se eu gostei ou não...
-- Mas me diga se você gostou ou não... - Ela implora saber com os olhinhos tristes...
-- Sim Isabella, eu gostei e não Isabella, não vai mais acontecer de novo!
-- Por quê?
-- Porque você tem idade para ser minha filha, porque eu sou casado... Você é a melhor amiga da minha filha e o seu pai vai me matar quando souber! Quer mais motivos para não acontecer novamente?
-- Você está sendo melodramático! - Ela diz se sentando na cama — Olhe, eu não tenho mais cinco anos, eu sabia o que estava fazendo, e melhor, eu queria! Você não forçou nada e tão pouco eu forcei você a algo...
-- Isabella a questão...
-- A questão é que você é um “bunda mole”! - Ela me jogou isso e fechou a cara - Francamente Edward, eu não estou pedindo para você se separar da sua mulher, tão pouco, eu estou mandando você pedir a minha mão em casamento para o meu pai! Ah francamente, eu nem era mais virgem...
Eu estava olhando para ela com uma cara de abobalhado atônito, disso eu tinha certeza, porque ela estava mordendo os lábios para não rir na minha cara.
-- Na verdade o que eu estou lhe dizendo, é que eu quero só transar com você! - Ela diz casualmente, como se a nossa situação fosse à coisa mais normal do mundo... — É apenas sexo Senhor Cullen, você me fode, eu gozo no seu pau e pronto, simples assim! Nada mais além do velho e bom sexo! - Essa menina não tinha juízo mesmo, Santa Maria! - E não finja que não está interessado, o seu pau já está duro, você também me quer, só está aí dando um de “bunda mole” ao invés de aproveitar a minha oferta.
-- Olha essa boca menina! - Digo olhando sério para ela e me sentando — Você sabe que o que você está falando é um absurdo!
-- O quê? Dizer que eu quero trepar com você? Isso é um absurdo? Ah, francamente Sr. Cullen você parece um velho de mil anos! Nem James era assim!
-- James? Quem é esse tal de James?
-- O cara que eu namorava! Ele tinha uns vinte e poucos anos! - Bella diz naturalmente saindo da cama e indo ao bainheiro — Mas ele tinha um cacete pequeno, nem chega perto do seu cacete! Você tem um pau e tanto Sr. Cullen!
-- Isabela pare de falar desse jeito! – Digo, mesmo isso sendo vulgar, me deixava deveras animado...
-- Quanto moralismo Sr. Cullen! Nem vem com essa, eu sei que você gosta deste meu palavreado chulo! - Ela diz saindo do banheiro totalmente nua e gostosa, ela havia ido limpar o meu gozo que estava em sua barriga. Puta merda, essa garota era linda e sexy, uma combinação perigosa e tentadora...
-- Isso não vem ao caso! - Digo balançando cabeça e tirando os meus olhos do seu corpo nu — A discussão aqui é outra!
-- Não há discussão! - Ela diz voltando a subir na cama — Eu estou dando a você uma chance única Sr.Cullen, me foder...
-- Isabella...
-- Olha só, o seu casamento é uma merda! - Ela diz me interrompendo — A sua mulher passa mais tempo no hospital do que em casa! - Meus olhos ainda estavam nela, enquanto ela vinha engatinhando na cama em minha direção — Você é um homem jovem e viril, você precisa de sexo! A sua mulher nega fogo e nem vem dizer que não é verdade, o meu quarto fica em frente ao seu e eu tenho binóculos.
-- Você anda me espiando? - Questiono chocado.
-- SIM! Você é o maior tesão Senhor Culen e francamente a sua mulher é bonita, mas não dá no couro!
-- O seu linguajar...
-- Cala a boca! - Ela diz e se senta no meu colo, colocando o seu rosto frente a frente ao meu — Você gosta de mim, gosta do meu corpo, da minha buceta em seu pau, e da minha boca suja! - Ela morde os meus lábios os puxando entre os dentes — Você quer me comer agora, e eu também quero o seu pau em mim de novo. Você ficava me vendo, enquanto eu me masturbava... Eu aposto que você ainda tem as fotos que eu te mandei... — Ela me olhava desafiadora — Você só precisa não pensar no assunto e deixar o seu pau falar por você... Seria bem melhor assim Sr. Cullen...
-- Você é uma peste menina! - Digo me rendendo de vez a ela, tudo que Isabella disse tinha o seu fundo de razão — Mas será do meu jeito!
-- Fechado Sr. Cullen, vamos jogar segundo as suas regras! - Ela anui rindo — Agora me come de novo, eu estou com a buceta pegando fogo...
-- Você é uma putinha mesmo! - Digo gemendo e apertando a sua cintura delgada — Fica de quatro minha cadelinha que eu vou te comer assim!
Havia uma espécie de enigma para mim em Isabella, ela acabava despertando em mim o meu lado mais safado e sacana, ao ponto de eu acabar falando palavras vulgares igual a ela. Isabella não perdeu tempo em ficar de quatro na cama me aguardando ansiosa, eu estava com uma bela visão da sua buceta que estava brilhando de excitação, bem com da sua bunda redondinha.
-- Alguém, já te comeu aqui? - Pergunto tocando o seu buraquinho enrugado.
-- Não! - Ela diz gemendo — Mas se você quiser eu deixo! Eu sou sua!
Ela soltou um gemido e eu dei uma tapa na bunda dela, fazendo-a gritar de surpresa e não de dor...
-- Sr. Cullen! - Ela me olhava pro cima dos ombros — Bate que  eu gosto!
....
Isabella estava de quatro na cama e eu metia com força nela fazendo o meu pau entrar até o talo. Eu sentia as minhas bolas baterem em seu clitóris inchado. Isabella se segurava firme na cama sem  parar de gemer ou dizer coisas vulgares do tipo...




--- Me come com força Sr. Cullen! Oohh isso! Eu vou gozar nesse pau gostoso! Vai Senhor Cullen, come a sua putinha!
O vocabulário de Isabella era vasto e bem vulgar o que me deixava ainda mais doido de tesão por aquela menina. Eu não conseguia  me controlar muito bem, uma vez ou outra, eu acabava puxando os seus cabelos com força ou dando uma tapa forte em sua bunda. Isso quando eu não a chamava  por vários nomes de baixo calão ou falava frases vulgares do tipo...
-- Vai minha putinha rebola no pau! Porra!!!! Isso minha cadela geme o nome do seu dono! Você não queria ser bem comida sua vadia? Então toma pau! Vadia gostosa!
Isabella era uma péssima influencia para mim, eu não me lembro da ultima vez em que me comportei com uma mulher desse jeito, acho até que a derradeira foi à própria Rose e nós ainda estávamos na faculdade. Por um lado, eu estava me sentindo vivo, por outro ainda ficava surpreso com as palavras que saiam da minha boca...
-- Oh! Sr. Cullen eu vou gozar, eu vou gozar!
-- Isso cadela goza no meu pau! - Digo para Isabella puxando os seus cabelos.

A ninfeta me apertou com a sua  buceta deliciosa e então ela gozou gritando o meu nome, até que o seu corpo caísse pesado e completamente sobre a cama... Eu não consigo me controlar e acabo gozando dentro dela...
....
Só quando o momento passa é que eu me dou conta da merda que eu fiz e me levanto depressa, seria uma merda maior se eu a engravidasse a essa altura do campeonato... Eu escuto um risinho e vejo que Isabella me olhava zombeteira...
-- Relaxa Sr. Cullen, eu tomo pílula! - Ela diz e eu respiro aliviado — Eu acho que você deveria ter dito isso antes!
-- Sim deveria! – Ela se jogou na cama e olhou para o teto. - Podemos falar de como vai ficar isso? - Ela pergunta curiosa.
-- Eu comerei você todas as tarde depois da sua aula! – Falo automaticamente, só então eu me dou conta do que eu havia dito! O modo grosseiro que eu usei as palavras me surpreendeu. Então eu vejo Isabela gargalhar.
-- Ora, ora Sr. Cullen, pelo visto você também tem uma boca suja! - Ela diz rindo — Tudo bem então! Eu venho para a sua casa depois da aula e você me come encima da sua mesa!
-- Isabella! - Digo não acreditando que estávamos realmente falando sobre aquilo.
-- O quê? Preferi que eu diga, aí eu venho e você me ler uma historia? - Ela zomba.
-- Seja mais educada! – Digo — Pode ser até quente o seu modo vulgar de falar na cama durante o sexo, mas fora dela não deixa você uma dama!
-- Sim Senhor! – Diz — Eu gosto de sexo forte e selvagem, também gosto do clássico e de várias outras posições Sr. Cullen, então seja bastante criativo! – Ela despejou taxativa me deixando boquiaberto.
-- Santa Maria! Você só pensa nisso menina! - Digo olhando ela sorrir.
-- Estamos discutindo nosso acordo. E isso faz parte do acordo, se você vai me foder, tem que fazer isso direito, ora bolas!!!
-- Eu acho que já te dei provas o bastante que posso comer você de variados jeitos menina!
-- Isso é verdade, eu adorei ficar de quatro para você!
-- Isabella! - Digo revirando os olhos — Vá dormir! Já está tarde e você já foi muito bem comida por hoje, então durma...
-- Tudo bem Sr.Cullen! - Ela diz sorrindo e se vira já fechando os olhos — Boa noite!
-- Boa noite Isabella!
Eu só tinha certeza de uma coisa... ...agora que eu caí na chuva, eu, com certeza, ficaria todo molhado...
Continua...

Um comentário:

  1. ai ai quero só ver quando a Rose descobrir as puladas de cercas do marido com a ninfetinha amiga da sua filha!

    ResponderExcluir