Jul M

Oi

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Em Maus Lençóis!-- Cap.2 -- A Pequena Nifeta!

A PEQUENA NINFETA...

Rose saiu para o hospital no horário de sempre, às 16h30min. Nessie estava tão eufórica que saiu junto com a mãe, ela foi levando uma mala que pelo conteúdo e peso, mais parecia que ela iria viajar e que passaria umas cinco semanas fora. Durante todo o tempo em que a minha família estava em casa, Isabella não fez nenhuma piadinha ou comentários com duplo sentido, e muito menos ficou se insinuando para mim. Ela mais parecia uma menininha recatada e normal que iria passar a noite na casa de um estranho, por assim dizer, ela estava tentando manter a índole de boa garota. Mas eu sabia a verdade, eu já tivera muitas provas do seu comportamento depravado, e eu sabia que a minha noite seria bem pior, muito mais que a madrugada dos mortos vivos...
Jantamos em silêncio, ela estava muito quieta e isso não estava me agradando em nada, eu sabia que aquela menina quando menos esperasse, iria aprontar algo, eu não confiava nela, bem como eu não confiavam nem um pouco em mim mesmo. Após o jantar, ela se retirou... Rose a deixou ficar no quarto de Reneesme, já que a minha filha não estaria em casa, não fazia sentindo a colocar no quarto de hóspedes, o quarto de Nessie era no final do corredor e o meu e de Rose bem no começo, tendo uma vista direcionada para o jardim do vizinho, nesse caso, para o jardim dos Swan e o que era pior, a janela do meu quarto dava de frente para a janela do quarto de Isabella.
Recolhi as louças suja e coloquei na máquina de lavar e depois fui para o meu escritório tentado me distrair com o meu novo livro e tentando não pensar na doce, sonsa e gostosa Isabella...
Sabe aquele filme o perigo mora ao lado? Pois era exatamente assim que eu estava me sentindo. Eu sabia que Isabella estava em minha casa, eu não tinha idéia do quê ela estaria fazendo naquele exato momento, mas eu estava deveras ansioso. Eu não sei, talvez eu quisesse que ela me provocasse, como sempre fez, mas por outro lado, eu sabia que sem ninguém para nos impedir, seria difícil parar e o fato dela ter idade para ser a minha filha era o que mais me deixava nervoso e me sentindo sujo...
Já era quase meia noite, tudo o que eu consegui escrever foi duas linhas do meu livro novo. A porta fora aberta abruptamente chamando a minha atenção e fazendo com que o meu coração congelasse no peito. Isabella estava parada em minha porta completamente nua, o meu coração só faltou sair pela boca e nem vou dizer que o meu pau ficou duro só com aquela visão dos demônios... 

Ela tinha nas mãos um pênis de borracha rosa e o rosto totalmente corado. Engoli em seco e minha respiração mudou completamente...
-- Por mais que o meu vibrador me faça gozar, eu não consigo parar de imaginar o seu pau dentro de mim! - Isabella sussurrou fazendo a sua melhor cara de safadinha...
Eu sabia que aquela garota do mal, estava aprontando algo, eu sabia que ela estava quieta demais e com certeza estava armado maquiavelicamente alguma coisa e agora ali estava ela completamente nua, caminhando em minha direção e eu sequer conseguia ter uma reação adequada, apenas admirava o corpo perfeito e gostoso para cacete da ninfeta demoníaca.
-- Eu estou louca para sentar no seu pau Senhor Cullen! - Ela sussurrou de maneira provocante – O Senhor deixaria que eu gozasse no seu pau, Senhor Cullen?
Merda, merda mil vezes, merda! Esse capetinha tinha a voz sexy pra cacete e estava me deixando louco de tesão...
-- Isabella! - Eu consigo achar a minha voz...
-- Relaxa Senhor Cullen! - Ela diz e a boca pecaminosa dela estava bem próxima a minha orelha, eu conseguia sentir o calor ardente vindo de sua boca em meu pau desejoso... — Eu sei que você quer, eu também quero, por que não juntarmos o útil ao agradável? Você me faz gozar gostoso e eu te farei gozar de uma maneira nunca antes imaginada...
-- Isso é errado! - Digo ofegante e a mãozinha provocadora da menina safada já estava na minha calça, abrindo-a para então a ninfetinha tirar o meu pau para fora — Você tem idade para ser a minha filha! - Tentei argumentar, mas a minha voz saiu tão franca quanto a minha vontade.
-- Então, dá leitinho para mim, vai!? - Ela diz ao mesmo tempo em que morde a ponta da minha orelha — A minha buceta está pingando de tesão, Senhor Cullen! - Ela aperta o meu pau entre as suas mãos macias — E veja só, o seu pau está tão duro que seria um desperdício deixar ele assim tão carente...

-- Você é uma putinha mesmo!
É como dizem por aí, já que está no inferno, abraça o capeta... E era exatamente isso o que eu iria fazer, eu sabia que pela manhã a culpa recairia sobre a minha cabeça, mas o amanhã ainda não havia chegado... 

Eu puxei Isabella para o meu colo, atacando o seu pescoço com mordidas e chupões, que com certeza, deixariam marcas nela, pois ela tem uma pele clara e macia, o seu gosto é simplesmente maravilhoso, as minhas mãos foram para os seus seios pequenos que couberam perfeitamente dentro delas.

 Eu sabia que Isabella era  um verdadeiro tesão, mas tê-la em minhas mãos desse jeito era bem melhor do que só ver. Com um movimento rápido, guiado pelo mais puro desejo carnal a coloquei sobre a mesa e abri bem as suas pernas, tendo a bela visão da sua buceta rosada e gostosinha... Ela tinha razão, a buceta dela estava babando por meu pau e chegava a brilhar de tanto tesão. Passei a língua pelos meus lábios e caí de boca naquela delicia rosada. 


Provando-a com a minha boca, a chupando, a provocando com a minha língua, Isabella gemia tão gostoso, totalmente diferente da minha mulher Rose, os gemido de Isabella eram mais vivos, mais prazerosos e me deixavam ainda mais duro e com muito mais tesão, se é que isso era possível...

Sim, eu chupei, mordi e penetrei com a minha língua aquela buceta rosada que não parava de pedir por meu pau duro e forte dentro dela. Isabella gritava de prazer  e me deixou doido quando gozou gritando o meu nome, que dizer, ela gritava “Senhor Cullen”... Sim era o Senhor Cullen aqui, que a fazia gozar intensamente, eu a chupei até a última gota e levantei tendo uma visão maravilhosa de Isabella espalhada em minha mesa com a face corada, ela estava ofegante, descabelada e com os lábios inchados...
-- Você tem uma buceta linda menina! - Digo passando a língua pelos meus lábios.
-- O Senhor também tem um pau bem bonito Senhor Cullen! - Ela disse mordendo os lábios e olhando para o meu pau que estava exposto, porque ela havia aberto a minha calça e colocado ele para fora – Eu quero sentir o seu gosto também!
Isabella não se comparava com uma menininha inexperiente, ela parecia ter conhecimento do que estava fazendo, antes que eu me desse conta, ela já estava com o meu pau na boca, o chupando e o sugando com força...

-- Merda! – Eu não conseguia controlar os meus gemidos causados por aquela pequena meretriz que me fazia um oral dos deuses...

Eu sentia os dentes de Isabella arranhando o meu pau, quando não, a sua língua em volta dele, me deixando ainda mais inchado e duro em sua boca. Antes que eu pudesse gozar na boca dela, eu a puxei e a virei, empurrando-a para sobre a mesa de costas para mim. Sem perda de tempo, eu a penetrei com tudo, enfiando o meu pau de uma vez naquela boceta molhadinha e deliciosa...


-- Oh! Senhor Cullen! - Ela gemeu quando o meu pau já estava todo dentro dela.
-- Puta merda você é muito apertada! – Eu sussurrei, e o meu pau estava sendo espremido pela buceta quente dela de tão apertada.
Deixei que Isabella se acostumasse com a minha invasão e depois de um tempinho eu comecei a me mexer com vontade, entrando e saindo de dentro daquela buceta extasiante, Isabella gemia baixinho, eu quase não conseguia ouvi-la, mas quando comecei a meter nela com força, os seus gritos vieram com tudo...


-- Oh caramba! - Isabella gemeu alto — Isso Senhor Cullen, me faça gozar gostoso e insanamente!
As palavras dela só me deixaram com mais tesão, ela reagia a cada estimulo meu, eu puxei as suas mãos e as prendi em suas costas com uma de minhas mãos, já com a minha outra mão, eu puxei os seus cabelos, enquanto eu enfiava o meu pau ainda mais fundo nela...

-- Oh, que pau gostoso Senhor Cullen! - Ela gemia e eu rebolava fazendo a sua boceta engolir o meu pau mais profundamente.
-- Você é uma ninfetinha provocadora!
-- Sou mesmo, Senhor Cullen! Eu sou a ninfetinha que vai gozar no seu pau bem gostoso! - Ela gritava  e gemia ainda mais...
Eu continuava metendo nela profundamente e forte, Isabella gritava e dizia coisas obscenas, me deixando com um tesao ainda maior, a boca dela era suja durante o sexo, e as palavras proferidas por ela só me incentivavam a meter ainda com mais vontade e força dentro nela. Eu senti quando a boceta dela começou a apertar o meu pau, deixando-a ainda mais arrochada e então Isabella gritou o meu nome, avisando que estava gozando. Eu meti nela mais duas vezes e me retirei de dentro dela agitando o meu pau em minhas mãos até gozar prazerosamente melando o rosto e os seios de Isabella com o meu prazer... Eu estava ofegante, Isabella estava corada, mas tinha um sorriso safado de satisfação em sua cara. Afastei-me e fechei a minha calça, guardando o meu pau dentro dela...
-- Wow Senhor Cullen! - Ela disse sorrindo abobalhada.
-- Você é uma peste garota! - Digo me tocando da merda que acabei de fazer.
-- Eu sei, e você gosta disso! - Ela afirmou se sentando e passando os seus dedos pelos seus seios, espalhando o meu néctar neles — Confesse Senhor Cullen, o Senhor estava doidinho para me comer, assim como eu estava louca para ser comida pelo Senhor, não é?
-- Você tem idade para ser a minha filha!
-- Ainda bem que não sou! - Ela disse saindo de cima da mesa — Porque isso seria incesto, mas seria gostoso, sabia? - Ela fez cara de safada — Por falar nisso, só em pensar nesta possibilidade, eu já fiquei com tesão...
-- Isabella! - Digo vendo que ela não tinha o menor pudor...
-- Não seja tão careta Senhor Cullen, o  mais difícil o Senhor já fez! - Ela disse rindo — Você já me comeu, agora vamos fazer isso direito encima de uma cama e de preferência, comigo rebolando encima do seu pau...
 Continua...

3 comentários:

  1. Amei o capitulo ta demais e com as ilustrações ele fica perfeito, parece que a bela não dara sossego pro ed, mas será ,mesmo que ele vai querer que ela se afaste realmente dele? pois ela fala uma coisa e o seu corpo fala outra totalmente diferente

    ResponderExcluir
  2. nossa o senhor Cullen se rendeu a ninfeta. kkkkkkkkkkkk depois de tanta provocação quem ia resistir né! amei o cap

    ResponderExcluir
  3. perfeito adorei.. essa ninfetinha ainda vai levar o EDWARD a loucura

    ResponderExcluir