Jul M

Oi

sábado, 1 de junho de 2013

Slave Off Pleasure-- Escrava Do Prazer -- Capitulo 13

FATOS E LÓGICAS...

Pov Edward Cullen

Eu sabia que essa amizade de Isabella com Rose não iria terminar nada bem. Rose era a destruição em pessoa, ela ainda não tinha se dado conta que estava indo em queda livre para o seu fim, e talvez sem volta... A falta de atenção dos seus pais e o gozo de uma total liberdade, permitia com que Rose ficasse solta demais. O pior é que não era só Isabella, Emmett também estava encantando com a garota perdida, parecia que o quanto mais errado fosse, mais fascinante era para Emmett. Já havia se passado uma semana desde o dia em que  eu busquei Isabella naquela casa de orgias, odiava pensar naquilo, mas eu estava preocupado de que algo tivesse acontecido com ela naquele lugar. Para minha paz de espírito ela pareceu ter caído em si.
-- Droga! - Sussurro quando derramo o café na mesa — Isabella, Isabella o que você está fazendo comigo.
Era revoltante ter que assumir isso, mas essa menina mexia comigo de um jeito que me tirava todo o juízo. Porém Alice tinha razão, ela tinha toda razão...

Flash Black On

Eu estava indo para o quarto de Isabella, eu estava disposto a levar aquele jogo até o final. Isabella teria que acatar as minhas ordens, eu não iria aceitar dividi-la com ninguém e tão pouco participaria dessa coisa junto com ela. Seria apenas eu e ela e ninguém mais, eu fui bem claro que seriam as minhas regras e ela saberia disso assim que eu entrasse naquele quarto, isso se a porta dela estivesse aberta. Jane fora um acidente! Jane era a víbora que o meu pai tinha como secretaria,  a mulher não valia nada e ainda era bi-sexual, para a minha tristeza e desespero, ela gostou de Isabella. Jane sabia coisas da minha vida que poderia comprometer, não só a minha carreira como a minha reputação perante a sociedade, e, esse foi o único motivo pelo qual eu a deixei tocar em Isabella. Mas, eu fui bem claro, quando disse que seriam de acordo com as minhas ordens. Tentei demonstrar o mínimo de interesse possível em Isabella, se Jane notasse o meu zelo por Isabella, eu tinha certeza que ela não deixaria Isabella em paz.
-- Ai!!!!
Eu esbarrei em Alice no caminho, ela estava descabelada e com os lábios inchados, com toda certeza, ela estava vindo de um encontro com o meu irmão. Jasper e Alice têm um caso desde o tempo em que ela tinha quinze anos, se não me engano... Jasper não era do tipo que falava de seus casos, mas Alice era alguém que ele nunca conseguiu lagar, eu nunca entendi a história deles...
-- O que você faz  acordado? - Alice perguntou me olhando desconfiada.
-- Nada demais! - Digo – E você?
-- Estou chegando agora! - Alice disse ainda desconfiada.
-- Boa noite Alice! Vá dormir! – Digo querendo acabar com isso logo, eu tinha algo para fazer...
-- Deixa-a  em paz Edward! - Alice diz e eu sei que ela já sacou tudo.
-- Você sabe que não é assim! – Digo.
-- É sim! - Alice diz entre dentes — Você vai acabar com a vida dela e depois, você a deixará jogada em um canto qualquer, como fez com todas as outras...
-- Alice não se meta! – Digo.
-- Claro que eu me meto, ela é só uma menina! - Ela me olha feio — Você já é um homem feito Edward, pode ter a mulher que quiser! Você vai querer estragar a vida dessa menina só por um capricho seu. Pare de ser um idiota, você sabe muito bem que vai acontecer a mesma coisa que aconteceu com as outras e quando elas  desejarem mais, você  as manda para o raio que o parta...
- Você não sabe o que diz Alice.
-- É o que você faz Edward! - Alice joga na minha cara — Ela vai  se apaixonar por você e você sabe muito bem que não vai conseguir corresponder a ela, porque você nunca vai amar ninguém do mesmo jeito que você amou Victoria.
-- Cala a boca! - Digo com raiva — Você não é ninguém para falar de mim.
-- Só quero que você pare!
-- Você falando? - Sou bem irônico — Logo você que vive se agarrando com o meu irmão escondida pelos cantos... Você sabe muito bem que ele está noivo e você, mesmo assim, ainda continua trepando com ele... Que bela biscate você está me saindo Alice.
-- E você continua o mesmo idiota de sempre! - Alice diz entre dentes. — Fica longe dela, ela é só uma menina, e não tem mais ninguém nesse mundo a quem recorrer, se você estragar a vida dela, ela não tem mais papai e mamãe para chorar no colo, seu idiota!
Alice passou por mim como se fosse um furacão e por incrível que parecesse ela tinha razão...
Flash Black Off

Alice conseguiu me fazer parar naquela noite e me fez recuar com Isabella... Eu tinha que manter Isabella longe, por isso eu voltei com Tânia, mas esse namoro estava com os dias contados. E ficou ainda pior depois que Isabella invadiu o meu quarto, me algemando na cama e dando aquele pequeno showzinho particular para mim. De certo modo foi prazeroso, porém me deixou ciente que ela não desistiria assim tão fácil, ela era uma menina determinada, disso eu já sabia. Depois do que aconteceu há uma semana, Isabella estava mais recolhida, mais reprimida ou algo assim. Não sei descrever ao certo, não tive coragem de conversar com ela, eu não sabia o que falar,  o que eu iria dizer? Que eu sabia sobre a vida que a amiga vadia dela levava?  Lembro-me como se fosse ontem quando a Sra. Halle invadiu a minha sala pedindo ajuda para a sua filha.  Antes de virar escritor, eu me formei em psicologia, o meu pai adoraria que eu tivesse seguido aquela careira, acho que e por isso que não nos damos bem... Depois de me formar, eu resolvi cursar literatura britânica  e me formei naquela área, comprei a minha editora e virei escritor, acho que essa é a parte que o meu pai não consegue entender, o porquê de eu ter deixado o ramo da psicologia para virar escritor.
Rose era um salto em queda livre que nunca chegava ao seu ponto de impacto, e pior, levava junto tudo em sua volta...
 A Sra. Halle pediu ajuda para a filha, eu estava começando o meu estágio no consultório, foi quando eu conheci Rose, acho que ela tinha os seus 14 anos  e não era mais virgem, o motivo de Rose ter ido parar em um analista foi porque a sua mãe a pegou trepando com o motorista da casa e depois daí Rose não parou mais, eu não  tive muito contato com Rose, foi o Doutor Marcos quem cuidou do caso dela e até hoje, ele é o analista dela. Rose tem vários problemas e o maior deles e a falta de atenção dos pais, é bem aí que tudo começa  na vida dela...
Olhei pela janela da biblioteca e vi Isabella sentada no balanço próximo à casa do lago, já tinha uma semana que ela andava bem calada, ela nada dizia, ela nada perguntava... Ela estava muito introspectiva, não sabia dizer se ela estava traumatizada e nem sei o que se passava com ela, mas eu sabia que a hora que a sua ficha caísse ela surtaria...
...
Estávamos sentados à mesa de jantar, o meu pai,  como sempre, falando do hospital, mas dessa vez eu não estava dando muita importância, eu estava observando Isabella, ela estava calada, mas estava atenta a conversa  do meu pai, quando ela terminou de jantar, ela se levantou e se recolheu cedo como de costume...
-- Edward? - O meu pai me chamou.
-- Carlisle! – Digo, já tem tempo que não o chamo de pai.
-- Aconteceu alguma coisa com Isabella?
-- Eu não faço a menor idéia! – Digo.
-- Esme a chamou para vir conosco para uma viajem ao lago! - Carlisle comenta — Ela disse que tinha um trabalho da  Escola para fazer.
-- Talvez ela realmente tenha!
-- Quero fique de olho nela Edward! - Meu pai diz — Eu sei que você odeia bancar a babá, mas eu não acho que Isabella esteja bem!
Meu pai só poderia estar fora do seu juízo, ele estava me pedindo para ficar de olho na menina. Era a mesma coisa que deixar um leão tomando conta de uma ovelha...
-- Sei que não gosta muito disso! - Carlisle continuou — Você detestou a idéia de ter Isabella aqui desde o primeiro momento. Se não quiser fazer porque eu estou lhe pedindo, faça pela sua mãe, Esme gosta muito de Isabella.
Olhei para o meu pai sorrindo, com certeza a minha mãe não iria gostar nada de saber que eu estava louco para comer a queridinha dela.
-- Você pode fazer isso Edward?
-- Eu vou passar o final de semana em casa! – Digo — Eu posso ficar de olho na menina!
-- Ótimo! Qualquer coisa nos ligue! – Carlisle pediu.
-- Claro, claro, eu vou ligar - Digo subindo para o meu quarto — Boa noite Carlisle!
...
Esme e Carlisle viajaram para Miami para uma conferência  médica do meu pai, eles estariam de volta na terça-feira à noite, o que me deixava com o final de semana todo sozinho com Isabella, já  que os empregados não trabalhavam aos domingos...
-- E o leão vai comer a ovelha...

Continua...

Um comentário:

  1. será esmo que o leão vai comer a pobre ovelhinha agora eu capitei o desenrolar da estória o EDWARD ñ é esse cafajeste de um todo mesmo ainda querendo comer a ovelhinha adorei o capitulo

    ResponderExcluir