Jul M

Oi

sábado, 15 de junho de 2013

Slave Of Pleasure -- Escrava Do Prazer -- Capitulo 15

" SOMOS ESCRAVOS DOS NOSSO DESEJOS" -- Autor desconhecido

METIDA EM PROBLEMAS...

Pov Rose

Quando eu cheguei a minha casa pela manhã, os meus pais nem se quer quiseram saber onde eu estive até àquela hora, a minha mãe estava radiante querendo mesmo era desembrulhar os presentes que ela havia recebido dos convidados, ela não estava nem um pouco preocupada com o fato de sua filha estar chegando naquele momento. Eu subi direto para o meu quarto e tomei um banho demorado, à noite tinha sido bem agitada e agora eu estava me sentindo totalmente suja devido ao o que fiz... Sinto as lágrimas  molhando o meu rosto e começo a chorar baixinho. Era sempre assim, eu saia por aí transando com qualquer um que cruzasse no caminho e no outro dia eu me sentia suja.  Na hora do ato, eu era levada pelo momento, era algo bom e prazeroso, mas depois eu me odiava por tudo. Eu passei quase duas horas debaixo do chuveiro e quando saí, eu fui direto para a cama, eu me joguei lá adormecendo logo em seguida.
Eu acordei com o meu celular tocando, eu  nem vi o número que aparecia no display, apenas atendi, eu ainda estava sonolenta e vi que o sol começava a se pôr, eu tinha dormido o dia todo.
-- Alô! - Digo bocejando.
-- Como está a putinha mais gostosa que eu já comi?
Reconheci na hora a voz de Felix, o que ele queria para me ligar, ele sabia muito bem que não iria rolar mais nada entre a gente, por que merda ele ainda me ligava?
-- O que você quer Felix? - Digo de mau humor.
-- Que modo mais grosseiro de falar com o seu professor querido! - Felix diz, eu posso até sentir o sarcasmo em sua voz.
-- Sério! O que você quer? – Digo irritada.
-- Quero você em minha casa em quinze minutos! - Felix diz e eu gargalho.
-- Ficou louco? Eu não vou porra nenhuma! - Digo ainda rindo — Acabou Felix, foi bom, mas eu cansei!
-- Errado vadia! - Felix diz — Só vai acabar quando eu quiser!
-- Vai se ferrar Felix! - Digo e desligo o celular!
Cara burro, ele achava mesmo que eu iria ficar com ele, só Felix mesmo para pensar uma merda dessas, mas NUNCA!!! Foi bom, foi legal, mas já deu! Eu estou em outra bem melhor do que com ele. Jogo o travesseiro sobre o meu rosto, então eu sinto o meu celular vibrar, o pego e quando olho há uma mensagem de Felix...
Acho bom você vir para a minha casa, se não quiser que esse vídeo vá direto para a rede...”
Meus olhos se arregalaram e a minha boca ficou seca. Que merda, merda, mil vezes merda... Felix havia filmado a gente transando, o  meu coração disparou no peito durante todos os 4 minutos e 57 segundos de vídeo, a câmera só pegava o meu rosto, era impossível ver o rosto de Felix, mas eu estava de forma explícita transando com ele. Santa Maria, eu estava fudida mesmo!
...............
Pov Felix
Eu sabia que tinha uma mina de ouro nas mãos, Rose Halle sempre me provocou, ela não era diferente das outras piranhas que tinha naquela Escola, as meninas ricas que adoravam brincar de seduzir o professor gostoso. O que essas vagabundas não sabiam é que ninguém brincava com Felix,  a primeira a descobrir isso foi a minha queridinha Jessica Stanley, uma menina mimada que não sabia porra nenhuma de Física  e que a essa altura estaria ferrada se não fosse pela minha ajudinha.  Jessica  estava quase reprovada na minha Disciplina quando começou a se insinuar para mim. Eu como sempre, me fiz de difícil, mas depois comi aquela vadia mimada, não só uma vez, mas sim várias, assim como fiz com Rose. Eu filmei tudo, cada ato nosso naquela Escola, é com esses vídeos que eu mantenho essas piranhas em minhas mãos. Jessica faz tudo o que eu mando, e  é claro, eu consigo um bom dinheiro com a putinha, porém Jessica não é a única, também tem Maggie, outra vadiazinha mimada que estava praticamente reprovada em Física e em outras Disciplinas quando eu comecei a comer a pilantra, eu tenho muitas filhinhas de papai em minhas mãos e agora a minha mais nova vitima é a putinha Halle.
Eu sabia que assim que ela visse o meu vídeo, ela correria ao meu encontro, mal sabia a minha aluninha querida que eu tivesse uma surpresinha para ela. Quando a campanhinha tocou eu já sabia quem era, pois o porteiro me havia interfonado.
-- Demitre! - Digo ao abrir a porta.
-- Felix! - Ele me cumprimenta.
Demitre é um velho amigo de faculdade e um cliente fiel. Ele adora quando eu tenho uma putinha nova, ele sempre é o primeiro a experimentar, quer dizer, nós dois experimentamos e se ela passar no teste conosco a garota vira uma das putinhas da casa.
Meu negocio começou há dez anos, quando a primeira riquinha mimada que estava quase reprovando em minha Disciplina começou a se insinuar para mim. O resultado não foi outro, eu comi a vadia e ainda a obriguei a trabalhar para mim como puta particular. No começo era apenas uma, depois foi aumentando o numero, hoje eu tenho quase vinte piranhas ricas em minhas mãos. Eu faço vídeos delas transando comigo e as ponho em uma situação comprometedora. Devido à posição social delas, seria uma lástima se os vídeos caíssem na rede ou se os seus papaizinhos recebessem esses vídeos... Foi assim que eu comecei... Jessica, Maggie, Ângela Weber dentre outras, viraram as minhas putinhas de luxo, hoje elas são sexualmente explorada por mim, eu ganho muito mais explorando essas vadias do que trabalhando como professor. É com o dinheiro dos trabalhinhos delas que eu banco o meu luxuoso apartamento, que eu comprei o meu mega carrinho, as minhas roupas caras de marcas famosas e tudo mais o que eu deseje... Elas são a minha maior fonte de renda e agora eu ganharia muito mais tendo Rose Halle como uma das minhas garotinhas do prazer...
Assim que mostrei o vídeo dela para Demitre, ele ficou louco, ele disse que queria comer aquela puta de qualquer jeito e que pagaria o valor que eu desejasse. Demitre conhecia as regras, a minha primeira regra era bem clara, sempre que uma nova garota fosse iniciada a vida de Escort Girl de Luxo, ela teria que ser preparada trepando com dois homens ao mesmo tempo, essa era a primeira prova, se ela conseguisse agüentar dois paus a comendo, a putinha estaria apta para o serviço. É claro que Demitre me ajudaria nesse teste, e como hoje seria a primeira vez da minha queridinha Rose e eu sabia que  ele estava louco para comer aquela puta eu o chamei para esse trabalho, claro que ele vai pagar muito bem por isso, afinal não seria uma puta qualquer e sim Rose Halle, herdeira das indústrias Halle.
-- Pode esperar dentro do quarto Demitre! – Digo, ele já é de casa e conhece o meu apartamento muito bem, pois ele já esteve aqui muitas vezes — Preciso só falar com Rose antes.
-- Claro! - Demitre diz – Mas não tente me enganar, eu estou pagando muito caro para fuder com aquela puta e eu não quero ser enganado.
-- Não se preocupe! Você vai comer aquela vadia hoje! - Digo sorrindo — E eu junto!
............
Como eu já havia previsto, Rose chegou quase meia hora depois, ela estava usando um vestido vermelho justo com sapatilhas pretas, os cabelos muito bem penteados e um batom vermelho.
-- Que me dizer que porra é essa? - Rose disse entrando e me empurrando — Vamos parar com isso! Que diabos você quer? Um vídeo meu transando com você?
-- Em primeiro lugar, diminua o seu tom de voz sua vadia! - Digo dando uma tapa em seu rosto e vejo Rose virar a cara – E agora que já esta mais calma, nós vamos esclarecer as coisas.
Rose me olhava com os olhos arregalados, a boca meio entreaberta, a sua respiração estava irregular, ela estava assustada e isso era um ponto ao meu favor.
-- Escuta com muita atenção, até porque eu odeio ter que repetir as coisas! - Digo apertando as suas bochechas — Esse vídeo aí que mandei para você e só um, perto dos vários que eu tenho!
Rose me encarava com os olhos ainda mais arregalados, vejo-a engolindo em seco.
-- E se você não quer que esses vários vídeos cheguem a cair na rede  e que o seu papaizinho os veja, acho bom você começar a aceitar as minhas ordens!
-- O que você quer? - Rose pergunta e eu podia ver o medo em seus olhos
-- Assim é que eu gosto! - Digo fazendo um carinho em sua bochecha — Uma putinha doce e calminha!
-- Diga logo o quê você quer! - Rose diz entre dentes.
-- Ok! - Digo me afastando dela, que ainda continuava em pé perto da porta que agora estava trancada – Simples e fácil Rose Halle, você vai fazer alguns serviçinhos para mim. Sempre que eu chamar ou mandar, você irá me atender e se tentar alguma gracinha, esses vídeos vão se espalhar como vírus nas redes sociais, além do que, o seu papai será informado da existência de todos eles e descobrirá a verdadeira vadia que tem como filha
Rose me olhava tentando entender tudo o que eu dizia a ela, é claro que ela compreendeu as minhas exigências, afinal ela era loira, mas não era burra. Disso eu sabia muito bem, até porque, Rose não tinha notas baixas em minhas Disciplinas e nem tão pouco nas outras.
-- Que tipo de serviço? - Ela pergunta, a sua voz estava tremula, eu dou um sorriso safada e cheio de malicia para ela...
-- É muito fácil minha querida, você vai fazer o que já sabe fazer de melhor e muito bem! - Digo tocando os seus lábios vermelhos — Você vai abrir essas pernas e rebolar em cima de um pau!
-- Você só pode estar louco!
Antes que ela possa fazer algo, eu enfio outra tapa em sua cara e seguro os seus cabelos puxando-os com força.
-- Presta bem atenção sua vadia de merda! - Digo e escuto Rose gemer de dor, pois eu puxava os seus cabelos com muita força — Você vai fazer o que eu mandar e se eu mandar você fuder, você vai e não vai reclamar — Olho para ela com severidade — E não banque a inocente, porque isso você não é, sua puta! - Solto ela e lhe dou o meu sorriso sedutor — Eu sei que você vai gostar de tudo no final...
Rose tem os olhos meios embasados, eu sei que ela quer chorar, mas também sei que é muito orgulhosa para fazer isso na minha frente. Ela passa a mão pela face marcada de vermelho no local que eu lhe bati e me olha com ódio, espero alguma reação agressiva, mas ela apenas mantém o olhar raivoso.
-- Agora que a boneca já sabe das minhas regras! - Digo apertando as suas bochechas com força — Tire a roupa, você já tem um cliente! - Rose arregala os olhos — Não se preocupe querida, eu vou estar junto, e seja boazinha, esse é o meu melhor cliente.
...........
Pov Rose Halle

Levei alguns segundos para entender o que estava acontecendo, quando Felix viu que eu não me mexia do lugar, ele simplesmente arrancou o meu vestido  arrebentando a minha calcinha junto, já que eu não estava usando sutiã, pois se estivesse ele tiraria também.
-- Pare de bancar a moça puritana! - Felix estava puxando os meus cabelos, me fazendo gemer de dor — Vamos vadia você vai ser comida por dois machos!
Felix me arrastou por um corredor que eu não tinha visto da última vez em que eu estive em sua casa. Meu coração estava a mil, eu nunca tinha transado com dois, que dizer, eu já brinquei, mas nunca fiz uma dupla penetração antes, eu não sou mais virgem há muito tempo, eu já dei a minha bunda e a minha boceta varias vezes, mas nunca, em toda a minha vida, eu tinha feito um DP e eu estava morrendo de medo... Felix estava me mostrando um lado seu que eu não conhecia... Um lado violento e que poderia me causar grandes danos, caso eu não fizesse o que ele queria. Felix me empurrou para dentro de um quarto muito bem iluminado, com grandes janelas de vidros no canto... Sentando em um sofá estava um homem, ele era bonito, mais baixo do que Felix, ele tinha um sorriso sacana no rosto e os seus olhos passaram por todo o meu corpo nu.
-- Desculpe-nos a demora Demitre, mas eu estava negociando com Rose! - Felix dizia dando uma tapa forte em minha bunda — Vamos Rose, Demitre está louco para comer a sua boceta, seja bem carinhosa com ele.
Eu olhei para o tal Demitri, ele tinha um grande volume nas calças, ele estava bem excitado... Olhei para Felix que tinha um olhar assassino para mim, eu sabia que não tinha como escapar, então eu acabei cedendo as chantagens de Felix. Respirando fundo, eu fui até o tal Demitre, eu repetia para mim mesma, o tempo todo, que não seria a primeira vez, eu já tinha transado com caras que eu nem conhecia e esse Demitre não era um cara feio  e parecia ter um pau grande, talvez não fosse tão ruim assim... Eu contava com isso, pois no final eu saberia como iria acaba...
Caminhei em direção a Demitre sem dizer nada, eu passei as minhas mãos sobre o volume de suas calças, ele passou as mãos pelos meus seios, apertando os bicos, me fazendo gemer... Quando dei por mim, eu estava de quatro na grande cama, com Felix atrás de mim, chupando a minha boceta, enquanto eu me encarregava de tirar as calças de Demitre.

Não sei em que ponto foi que Felix tirou a sua roupa e nem mesmo notei quando Demitre retirou a sua camisa, só sei que eu tinha na boca o pau de Demitre, enquanto Felix me fudia meio que de lado, mantendo uma das minhas pernas bem abertas, enquanto ele enfiava o seu pau todo dentro de mim.

Não demorou muito para a coisa se inverter, eu fiquei de quatro na cama enquanto Demitre me comia e eu chupava Felix, eu sentia as investidas de  Demitre e tinha que admitir que o cara soubesse o que fazia, o seu pau era bem maior do que o de Felix, ele tinha a cabeça bem maior, o  que fazia com que a minha boceta se abrisse ainda mais para ele, Demitre me enchia até o útero.

Mais uma vez, nós mudamos de posição, eu cavalgava em cima de Demitre e continuava a chupar Felix, o pau dele ficava cada ver mais inchado em minha boca, as investida de Demitre combinavam com as minhas reboladas, eles estavam me deixando louca, era como eu já sabia que seria... Eu realmente estava gostando daquilo, os meus gemidos começaram a sair de minha boca, mesmo tendo o pau de Felix dentro dela, ainda assim, era possível ouvir os sons que eu produzia...

 Meu corpo ficou tenso quando Demitre penetrou o meu ânus! Senti um pouco de dor, o pau dele era maior do que o do Felix e deu muito mais trabalho para entrar no meu rabo. Felix puxou as minhas pernas, as mantendo juntas, eretas para cima, quando eu o senti me penetrar com força. Acabei gritando com a invasão violenta e inesperada, pensei que ele fosse meter devagar, mas ele queria mesmo era me fazer gritar

-- isso vadia! Grita enquanto meu pau te arromba todinha! Felix diz e me da tapa na cara.

Junto com Demitre, eles começam a se mexer, me sinto  cheia pelo dois, a sensação é boa e começo a gemer de prazer, eu estava cheia por completo, eu tinha dois paus dentro de mim e estava quase gozando.
Quando Felix se cansou de fuder a minha boceta, ele mudou de posição, ele me mandou sentar no pau de Demitre e quando eu o fiz, ele me empurrou para frente e enfiou o seu pau de uma única estocada no meu rabo me fazendo gemer. Não de dor, porque a essa altura, Demitre já tinha aberto todo o caminho com o pau dele, ambos começaram a se mover, me fazendo voltar a gemer... A cada nova investida, Felix dava uma tapa na minha bunda e me xingava de vadia,  puta e cadela. Quando ele perguntava para Demitre se ele estava gostando da minha boceta, ele dizia que eu era a putinha fuleira que trepava com qualquer um...

Tudo o que eu fazia, era tentar bloquear tudo o que ele me dizia, as palavras de Felix eram para me ofender e eu sabia muito bem disso, eu gritei quando ele mordeu os meus ombros e socou com força em meu rabo, foi nessa hora que eu gozei aos berros.

................
 Eu estava deitanda no chão do quarto era treceira vez que Felix e demitre me comia Felix já tinha gozado dentro da minha boceta assim como Demitre e ambos já tinham enchido mau rabo com gozo deles agora eu tinha minhas pernas aberta enquanto Demitre me fodia o rabo seu pau estava tão inchando que sabia que logo gozaria Felix por sua vez estava esporando toda sua porra em meu rosto.

--vamos putinha beba todo seu leitinho! Felix disse esporando se últimos jatos de porra na minha cara.
-- oh! Porra! Eu vou  goza! Demitre disse e estoco com forca no rabo enchando mais uma vez de porra.
....................
 Eu estava sozinha no quarto Felix tinha saído sendo acompanhado por Demitre ambos estava satisfeito e eu estava jogada no chão com porra escorrendo por minha boceta e rabo e meu rosto todo melado de porra. Não consegui segura mais as lagrima caiam como cachoeira do meu rosto ouvi a porta ser aberta e depois senti os dedo de alguém não minha costa.
-- Rose, Rose não chore! Felix disse se divertindo com situação--- eu sabia que voce passaria no teste queria! Ele diz—e veja so voce passou agora voce uma das minhas garotas!
 Sinto nojo de mim mesmo e ouvir isso de Felix so deixo claro algo que já sabia que essa não seria a primeira vez que ele me obrigaria a fazer isso que sofreria ainda mais.
Continua.

Um comentário:

  1. capitulo bem chocante,, será até quando a rose vai aguentar isso porque saída tem

    ResponderExcluir