Jul M

Oi

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Slave Off Pleasure -- Escrava Do Prazer -- Capitulo 11


CONTRA ATAQUE...
Já havia se passado duas semanas desde o acorrido no jardim. Minha vida voltou a sua pacata normalidade ou quase isso... Já que eu ficava fazendo alguns trabalhos de paparazzi para Rose, eu filmava ou tirava fotos das trepadas dela com o professor delicia. Esta era a única emoção que eu tinha depois que Edward rompeu o que nem eu mesma sei descrever o que tínhamos. Rose aparecia sempre sorrindo e com idéias novas. Fiquei sabendo por ela, que ela ainda estava encontrando Emmett, mas eu nunca entrava em detalhes, ela nunca dizia o que faziam. Com tudo não seria preciso muita imaginação para saber...
Há duas noites peguei Edward e a “noiva”’ trepando no chão da cozinha. Ela não me viu, mas eu tenho certeza que ele me viu. Não fiquei tempo demais assistindo a cena, eu saí correndo em direção ao meu quarto. Poderia ser muito bem eu no lugar daquela puta, mas eu nunca iria entender o que se passava pela cabeça de Edward. Nem sei dizer  o que realmente o fez mudar de idéia.
-- Então vai me dizer o que tá pegando? - Rose disse sentando ao meu lado.
-- Do que você está falando? - Pergunto.
-- De você! - Rose diz — Ah, qual é Bella? Aconteceu alguma coisa? Vá logo me contando, você  anda muito estranha, para não dizer desanimada, sem vontade, dentre outras coisas que eu possa afirmar, mas tô com preguiça...
-- Não aconteceu nada Rose! - Digo dando um sorriso incerto.
-- Não aconteceu, caramba! - Rose diz com raiva — Escuta aqui sua branquela sem sal. Você sabe muitas coisas sobre mim, sabe das minhas safadezas e até mesmo filmou algumas delas para mim — Rose me olhava com raiva — Será que custa você confiar em mim, me diz para quem eu vou contar? Você sabe muito bem que é a única amiga que tenho nessa merda de Escola, e que as outras garotas só vêm falar comigo quando querem camisinhas. Então abre a porra dessa boca e vai logo contando o que está acontecendo.
Pela primeira vez senti medo da Rose, eu nunca a vi tão brava. E ela disse algo que era verdade, eu sabia coisas demais sobre ela, não custava nada confiar nela.
-- É o Edward! – Digo.
-- O que aquela delicia de homem andou fazendo com você? - Rose me pergunta animada, eu reviro os meus olhos sabendo que ela iria adorar a minha história.
Contei para Rose tudo o que aconteceu, o modo como Edward me abordou, o jeito estranho o qual ele terminou tudo do nada. Oculto a parte em que a vi com Emmett, mas devo desconfiar que ela já soubesse, pois perto dos outros acontecimentos, aquele fato era fichinha.... Conto também sobre Jane e no final de toda a história, ela ficou me olhando pensativa.
-- Deixa-me ver se eu entendi! - Rose começa — No dia em que ele trepararia com você, ele não deu as caras e no dia  seguinte ele terminou tudo?
-- Foi mais ou menos isso! - Digo e sei que estou vermelha...
-- Bella, só pode ter um motivo sinistro para isso! - Rose diz pensativa — Ele sabia que você é virgem? - Rose pergunta.
-- Claro que não Rose! - Digo me sentindo boba.
-- Então é isso! - Rose diz como se tivesse matado a charada.
-- Isso o quê Rose?
-- Bella, o cara tá com medo de te roubar o selo da virtude! - Rose sorri — Olha só, tem aquele papo que meninas normalmente se apaixonam pelo primeiro...
-- Mas Rose...
-- Cala a boca! - Rose diz – Não me interrompa! Eu ainda não terminei! Voltando, Edward está com medo de que você confunda as coisas — Ela me olha — Bella ele só quer sexo e você... Bem, você quer o que mesmo dele? - Agora estou mais vermelha ainda — Vamos Bella, se for só sexo posso te ajudar a agarrar o cara bonito e delicioso... Mas se tiver risco de você se apaixonar por ele nem mecho os meus pauzinhos.
-- Como assim me ajudar? - Digo sem entender — Rose ele já me chutou, acabou...
-- Errado querida! - Rose diz sorrido — O jogo só acaba quando nós queremos! - Ela pisca para mim na hora que o sinal bate, tínhamos que voltar para aula — Vou entrar no MSN hoje... Entra e conversamos melhor — Rose me mira nos olhos — E outra coisa, veja se o seu computador não está sendo monitorado!
Merda eu tinha me esquecido completamente desse detalhe. Claro que o meu computador era monitorado. E não duvido muito que seja por Edward, ele sabia muita coisa de mim e das minhas conversas com Rose, eu me lembro bem dele dizendo que Rose era uma verdadeira puta. Claro que ele andou lendo as nossas conversas no chat. Mais isso iria acabar hoje de qualquer jeito. Peguei com Rose um jeito de bloquear o programa espião que estava no computador. Rose tinha razão o jogo só irá acabar quando eu disser que acabou. Aceitei de bom grado ajudar de Rose, ela me explicaria tudo à noite o que eu deveria fazer e como agir...
...
Benjamin  já esperava por mim quando saí. Rose ficou como sempre... Dessa vez ela não me pediu nada, apenas disse que a noite nós conversaríamos. Quando cheguei a casa, estava tudo em silêncio como já era de costume nessas  ultimas semanas. Encontrei Sue descendo as escadas e ela sorriu para mim.
-- Olá menina! – Sue disse — Deseja almoçar agora?
-- Posso almoçar no meu quarto? - Pergunto na duvida.
-- Vou já levar para você! - Sue responde sorrindo.
— Obrigada Sue!
Subi as escadas correndo, assim que entrei no meu quarto fui logo ligando o computador. Minha bolsa já estava caída no chão e  meus sapatos ficaram pelo caminho. Não demorou muito Sue entrou no quarto com uma bandeja com o meu almoço, ela colocou em cima da cama e sem dizer nada se retirou.  Prendi o meu cabelo e peguei o meu prato, comi em frente ao computador, estava vendo  alguns livros que eu precisava comprar. O que me fez lembrar que eu precisava de um emprego, já que eu andava sem dinheiro e não tinha cara para pedir nada para Esme. Terminei o meu almoço e deixei o prato de lado, sabia que não demoraria muito para que Sue voltasse aqui para buscar a louça. Deixei alguns vídeos carregando e fui tomar um banho antes de entrar no banheiro, eu arrumei a bandeja e deixei lá sabendo que Sue não iria demorar a vir recolher.  Então eu entrei no chuveiro.
....
Não senti o restante do dia passar, acabei dormindo quando saí do banho ...não tinha mais nada no quarto quando voltei, Sue já tinha passado e recolhido a bandeja. Deite-me e acabei dormindo e agora já eram oito horas da noite e aqui estava eu, fazendo o meu dever de casa. Para a minha sorte já era quinta-feira. Eu estava com o computador ligado esperando Rose entrar, eu estava tão distraída que levei o maior susto quando ouvi o meu celular tocar encima da cama.
-- Merda! - Digo saltando da cadeira e me jogando na cama, pegando e atendendo o meu celular — Alô? - Digo sem saber quem era, pois eu não reconheci o numero.
-- Fala vadia!
Não foi preciso ser vidente para saber que era Rose do outro lado da linha. Sua risadinha a entregou, e claro, ela é a única que me chama de vadia e quando não, putinha.
-- Rose! - Digo  virando na cama! - Pensei que fosse entrar no chat hoje!
-- Eu ia! - Ela diz rindo — Mas lembrei que o seu amigo aí poderia estar rastreando a sua conversa de algum jeito.
-- Você me deu um bloqueador de espião! Lembra?
-- E eu sei, mas vai saber se ele não consegue anular também! - Rose diz e parecia séria — O fato é que o celular é o meio mais seguro de conversarmos.
-- Tudo bem! - Digo — Qual é o plano?
-- Bem, primeiro antes de qualquer coisa... - Rose fica em silêncio — Você tá mesmo disposta a levar isso adiante? Digo, trepar com o cara? Pow Bella, você é virgem e deveria procurar um cara que gostasse de você.
Rose tinha razão, mas por algum motivo que eu desconhecia, eu queria aquilo... Eu queria na verdade provar para Edward que eu não era nenhuma menininha como ele havia dito. Acho que eu estava sendo mais movida pela raiva do que pela razão.
-- Claro que quero! - Digo confiante e sem duvida alguma, eu realmente queria...
-- Bem, se você insiste! - Rose diz e solta o seu famoso risinho — O primeiro passo é provocá-lo.
-- Como?
-- Provocá-lo Bella, joga sujo, se oferecer para ele, mas ao mesmo tempo não seja tão oferecida! - Rose sorri — Provoque Edward o máxima que puder.
Eu já tinha uma vaga idéia de como iria fazer aquilo. Até porque, Rose tinha razão, o meu computador andava sendo violado e quem poderia descobrir de onde vinha a violação...
-- E depois? – Pergunto.
-- Bem, sábado é o aniversario de  casamento dos meus pais! - Rose diz rindo novamente — Você vai vir!
-- Eu não sei, a tia Esme pode não deixar! – Digo.
-- Eu vou dormir na sua casa amanhã! - Rose avisa — Daí eu peço para a sua tia para você vir para a festa dos meus pais, ela não vai ter como dizer não!
-- Entendi! - Digo sorriso – E o que tem nessa festa?
-- Tudo minha querida! - Rose diz animada — Não vamos ficar muito tempo na festa dos meus pais! Quer dizer, vamos, mas não tempo suficiente para morrer de tédio, nós vamos sair... Vamos a uma festa de verdade, e lá daremos o segundo passo...
 -- Ok! - Digo olhando para o relógio, já era dez da noite e eu nem vi o tempo passar — Rose eu tenho que desligar, eu ainda não terminei as minhas atividades e são todas para amanhã.
-- Vai lá sua vadia! - Rose diz rindo.
-- Por que você tá tão feliz? – Pergunto.
-- Vou trepar com Emmett! - Rose diz sem o menor pudor — Eu estou esperando ele me pegar aqui em frente a minha casa! - Ela dar uma risadinha - Já vi o carro dele, eu vou adorar gozar encima daquele capôr...
-- Rose! - Digo  chocada com a sua falta de vergonha.
-- Até mais vadia! - Rose diz — E faça as nossas atividades!
Antes que eu pudesse dizer algo, Rose já havia desligado o celular na minha cara. Olhei para o relógio e vi que já era dez e quinze e eu ainda não havia comido nada. Eu saí da cama descalça mesmo, desci as escadas indo para a cozinha, eu sabia que Esme e Carlisle já estavam dormindo, eles sempre dormiam cedo e eu já tinha me acostumado com isso...
..
Eu acordei mais animada na sexta feira, eu não sabia o porquê, mas eu estava feliz, que dizer quase, Rose iria dormir hoje aqui em casa, o que queria dizer que Emmett deveria dar as caras por aqui, e era o que eu esperava realmente, eu não confiava em Rose perto do Edward, mesmo que ela estivesse me ajudando a mostrar para aquele idiota que eu não era nenhuma criança, como ele julgava que eu fosse, eu sabia que no fundo Rose não podia ver um pau que queria sentar encima. Não foi surpresa ver Tânia à mesa para o café da manhã, e nem mesmo ver a cara séria de Edward naquela manhã, era sempre assim quando Tânia ficava para dormir, eu não entendia, se ele não gostava dela por que estava com ela? Vai saber?  Talvez ele seja masoquista ou maluco mesmo...
-- Bom dia! - digo puxando a minha cadeira, Esme estava à mesa também.
-- Bom dia querida! - Esme diz, ela é a única que me responde.
-- Tia Esme, eu queria pedir permissão para Rose dormir aqui hoje, pode ser? - Peço fazendo a minha melhor cara de cadela sem dono.
É cadela mesmo, porque cão sem dono não é nada perto da minha carinha de inocente e de pura ingenuidade.
-- Claro querida! - Esme diz, mas posso notar que a idéia não a agradava muito.
-- Obrigada! - Digo dando o meu melhor sorriso e começo a comer.
-- Não deveria deixar a Bella andar com Srta. Halle! - Edward começa e eu paro uma garfada no ar – A Srta. Halle tem uma péssima fama entre as garotas da Escola de Isabella.
-- Edward! - Esme repreende o filho — Isabella tem o direito de escolher as suas amizades.
 Eu prendo o sorriso e olho para ele com uma cara de toma seu besta, chupa essa agora. Edward limpa a boca e se levanta.
-- Continue deixando Isabella andar com a Srta. Halle e depois terá uma vadia nessa casa!
-- Edward Cullen, volte já aqui e peça desculpas, agora! - Esme ordena, os meus olhos estavam arregalados, eu não acredito que esse filho da puta teve  a cara de pau de me chamar de vadia, quando na verdade, ele melhor do que ninguém sabe que eu nunca tive nada mais intimo com ninguém – Oh, querida me desculpa! - Esme pede envergonhada — Eu não sei o que aconteceu com Edward.
-- Tudo bem tia! Tudo bem! - Digo acalmando Esme.
Tânia continuava comendo normalmente como se nada tivesse acontecido, na verdade ela parecia bem mais distante do que o normal, eu a ignoro e termino o meu café da manhã, saindo em seguida para Escola.
...
Na Escola Rose me deu um pequeno resumo da sua noite de sacanagem com Emmett, claro que ela não mediu as palavras ao descrever o fato, ela dizia o que lhe vinha à cabeça, sem o menor pudor... Na minha frente, ela recusou o convite do professor Felix, o que já me deixou assustada. Rose nunca foi de recusar uma trepada sacana, e ela acabara de fazer isso com o Professor Felix.
-- Qual é o problema? – Eu pergunto – Você não quer mais trepar com o professor!
-- Enjoei! - Rose disse — Felix é uma delicia, não há duvida, mas cansei! Eu tô me divertindo bem mais com o Cullen.
Gargalho vendo o becinho que Rose fez ao dizer aquilo, estava na cara que ela estava começando a se envolver mais do que deveria com Emmett, talvez ela ainda não tenha notado, mas era isso o que parecia para mim. Ela bateu em meu braço e puxou a gravata do meu uniforme, fazendo eu me achegar mais para perto dela.
-- Deixe-me te mostra uma coisa! - Rose diz sorrindo e pegou o celular – Relaxa não são fotos minha transando com Emmett, mas se quiser ver eu tenho um pequeno vídeo onde ele tá me comendo encima do capôr do carro dele.
-- Rose! - Digo fazendo bico.
-- Relaxa vadia, tu vai gostar dessa coisa aqui! - Rose diz e me mostra o vídeo, eu não consigo entender o porquê ainda — Hoje à noite, depois que todos dormirem, você vai entrar no quarto do Edward e fazer exatamente isso aqui!
Com um sorriso safada nos lábios, Rose me mostra o vídeo e eu fico chocada vendo... Tá bom, não tão chocada,  já tinha visto isso em outros vídeos pornô, mas eu não entendia como eu iria fazer isso sem que Edward me impedisse.
-- Entendeu tudo? - Rose pergunta depois que o vídeo acaba.
-- Sim! - Digo — Só tenho uma duvida. Como é que eu vou fazer isso sem que Edward me impeça? Afinal, eu preciso de algo para prender ele.
-- Eu sei! - Rose diz — Já tenho tudo planejado, à noite eu entregarei para você uma coisa...
Antes que eu possa dizer algo, o sinal toca e temos que voltar para a sala de aula. No final das aulas, Rose e eu encontramos Benjamin no estacionamento e sem esperar por ele para abrir a porta, nós entramos e nos acomodamos bem no carro e seguimos para casa.
...
Não foi novidade ver Emmett na casa de Esme, tão pouco saber que ele ficaria para dormir. Claro que depois do  jantar Rose e eu nos trancamos no quarto e Rose repassou o nosso plano diabólico e prazeroso, ela me entregou um par de algemas comuns, e me deu as chaves, além de me explicar como as utilizar. Não demorou muito para Rose sair do meu quarto, ela disse que tinha algo muito importante para fazer. E com um sorriso travesso nos lábios ela caminhou para fora do meu quarto.
Sem Rose no meu quarto, eu pude ficar sozinha com os meus pensamentos, eu ainda  estava travando uma grande batalha dentro de mim. Um lado meu queria sair correndo e deixar tudo pra lá, afinal era melhor assim, deixar tudo como estava. Porém, o outro lado, normalmente aquele que me dominava, estava ferido e machucado, afinal ele começou tudo e depois veio dizer que eu era uma criança. Quem ele pensava que era para dizer aquilo de mim, sendo que foi ele quem começou tudo... Eu suspirei alto e saí do quarto, eu já tinha tomado a minha decisão e iria com ela até o final. Eu caminhei em direção ao quarto de Edward e como já suspeitava, ele havia bebido demais e estava dormindo feito um anjo. Não resisti e um sorriso se formou em meus lábios. Fiquei assustada ao ver Edward se mexer quando eu estava algemando  as suas mãos sobre a cabeceira da cama, mas ainda bem que ele não acordou. Caso o fizesse, estragaria os meus planos por completo. Assim que Edward estava devidamente algemando à cama, eu tratei de me livrar de sua calça do pijama, o que me deu um pouco de trabalho e para a minha sorte e deleite, ele estava sem cueca o que me ajudou ainda mais. O pau de Edward estava flácido e sem vida o que me deixou ainda mais desejosa, eu sabia muito bem que não era só orgulho ferido, mas preferi pensar que era apenas isso, apenas uma vingança minha, devolvendo a Edward tudo que ele fez comigo. 

Pegando o seu pau entre as minhas pequenas mãos, eu comecei a movimentar para cima e para  baixo o seu membro, do jeitinho que ele havia me ensinado, a minha boca já salivava em tê-lo dento dela. Edward deixou alguns gemidos escapar de seus lábios, era como se ele tivesse levado um choque, os seus olhos se abriram e se chocaram comigo  sentada sobre as suas pernas completamente nua...
-- Merda! - Ele gemeu quando apertei seu pau entre as minhas mãos — O que  você está fazendo aqui Isabella? - Ele disse contendo um segundo gemido. – O quê? Que merda é essa? - Edward perguntou agitado ao se dar conta de que estava preso.
Sorri para ele e sem dizer nada abaixe a minha cabeça com lentidão, aproximei a minha boca do seu pau e passei a língua por todo o seu comprimento.

-- Merda, merda! - Edward disse ofegante — Me solta agora Isabella!
Ele diz dando-me uma ordem, mas eu apenas dou um sorriso travesso para ele antes de  voltar a passar a minha língua por todo o comprimento do seu pau, até chegar à cabeça do membro e por fim o engolir por completo, deixando ele alojado dentro da minha boca.

 Eu chupava com tanta força que Edward não conseguia dizer mais nada, apenas gemia, eu conseguia ver que os olhos de Edward estavam fechados e ele gemia a cada novo movimento meu, da minha língua, da minha boca em seu pau...
-- Isabella! Merda! - Ele gemia sem conseguir se quer se concentrar em algo coerente para me dizer.
Parei de chupá-lo sem dizer uma única palavra, o seu membro estava duro como uma pedra e  agora ele estava todo molhando devido às peripécias de minha boca em seu pau, os olhos de Edward estavam focados em mim. Seus maxilares estavam travados e a sua respiração estava irregular.
-- Eu vou bater em você quando sair daqui! - Edward disse tentando me assustar — Me solta agora! - Ele disse ofegante.
Nunca que eu o soltaria, eu sabia que Edward não perderia tempo em me pegar,  eu iria até o final com isso, eu já havia começado e iria até o final... Sem dizer nada apenas sorrindo para ele fique de joelho e peguei o seu pau entre as minhas mãos e guiei em direção a minha boceta que a essa altura estava pingando de tesão por aquele homem. Eu pude ver nos olhos de Edward o seu desespero ao ver o que eu iria fazer.
-- Nem pense nisso Isabella! - Ele disse rápido e ofegante — Não se atreva a fazer isso!
Por algum motivo eu achava que ele estava com certo medo, acho que Edward pensou que eu sentaria a minha boceta no seu pau, fazendo ambos se encaixarem, sim eu queria fazer isso, mas não seria agora, seria Edward quem tomaria a iniciativa e não eu. O que eu iria fazer agora era diferente, eu só tinha que fazer ele gozar e não haveria nenhum tipo de penetração. 

Sem dar muito ouvidos para o que ele disse, comecei a esfregar  a cabeça do pau de Edward entre os meus lábios vaginais, causando uma sensação boa tanto em mim quando nele, porque nós dois gememos com aquele contato, eu fiquei nisso por algum tempo, até que mudei  a estratégia.
-- Isabella para agora! - Edward disse gemendo e mordendo os lábios.
Apenas neguei com a cabeça e sentei sobre o seu pau,  não sei como, mas eu estava esfregando a minha boceta em seu membro por todo o seu comprimento e movendo os meus quadris para frente e para trás, não havia nenhum tipo de penetração, eu estava apenas o masturbando com a minha boceta. 

Edward não conseguia conter os gemidos e alguns palavrões, ele me chamou de vadia algumas vezes, e fez inúmeras ameaças, ele prometeu que eu não sentaria por mais de uma semana, que ele iria deixar a minha bunda dolorida de tanto que ele iria bater nela. Eu sei que eu deveria ter parado e saído correndo, porém as palavras dele só me motivavam a continuar até que ele não agüentou mais e gozou, o seu esperma corria pelo meio das minhas pernas e da minha boceta... É claro que eu estava me sentido uma vitoriosa em ter conseguido aquele feito. Levantei de cima dele, eu me  ajoelhei na cama e chupei a cabeça do seu pau atrevidamente...

-- Boa noite Edward! - digo colocando as chaves da algemas sobre o seu peito.
Corro em direção à porta a destrancando e deixando para trás a minha calcinha e o vestido que eu usava antes... Consigo ouvir os gritos de Edward me dando ordens para soltá-lo, mas eu já estava do lado de fora e correndo para o meu quarto, eu tranco a porta assim que entro o meu coração está a mil e eu estou me sentindo a mulher mais poderosa  do mundo, contudo eu sabia muito bem que essa minha brincadeirinha poderia me custar muito caro...

Continua...

3 comentários:

  1. kkkkkkkkk adorei a vingança da bellinha tomara que ela apronte cada vez mais com ele.

    ResponderExcluir
  2. Ju essa sua fic é demais garota adora adora , essa belinha está se saindo uma ótima aluna em .....Bjs Ju

    ResponderExcluir
  3. Tem outras Fics muito boas tambem voce poderia colocar imagens nelas? Fica muito mais excitante.

    ResponderExcluir