Jul M

Oi

sábado, 11 de maio de 2013

Slave Of Pleasure -- Escrava Do Prazer -- Capitulo 10


DECEPÇÃO!!!

O sol entrava forte pela minha janela tocando assim as minhas costas nuas. Pisquei os olhos algumas vezes até me acostumar com a claridade. Olhei em volta, estava tudo no lugar, notei o meu corpo nu sobre a cama com os lençóis amarrotados e a única coisa de diferente que tinha era que a toalha a qual estava presa ao meu corpo na noite anterior, agora se encontrava no chão. Olhei para a mesa de cabeceira e o relógio marcava dez horas da manhã. Eu havia dormido demais. 
-- Droga! - Gemi ao notar que nada tinha acontecido — Ele não veio...
Por algum motivo, eu estava decepcionada, eu estava frustrada e magoada. Como ele pôde fazer isso depois de tudo? Balanço a cabeça afastando os maus pensamentos e saio da cama.
-- Calma Bella! - Digo a mim mesma — Talvez deva ter acontecido alguma coisa adversa na noite passada...
 É isso! Aconteceu alguma  coisa, com certeza. Edward sempre faz o que prenuncia. Pelo menos quando o assunto era abusar de mim, ele sempre fazia o que prometia. Com esse pensamento, eu corri para o banheiro e tomei um banho rápido. Coloquei o meu vestindo e peguei dentro da gaveta do criado mudo, o último plug anal que ele tinha me presenteado. Não era bem um plug, era mais um pênis de borracha que vibrava. Fiquei em duvida se deveria colocar ou não aquela coisa. Achei melhor não colocar, afinal hoje era sábado e ele não havia dito nada sobre  isso. Saí do quarto indo direto para a sala de estar, que era onde havia vozes.
Eu estava com um belo sorriso no rosto, meus cabelos estavam muito bem escovados, arrumados em uma tiara vermelha, e eu sabia que o meu vestindo mais parecia com um de uma menininha do que o de uma mulher, mas eu queria estar assim naquele dia. Quando entrei na sala de estar, o meu sorriso morreu na mesma hora, ao lado de Edward estava à loira de farmácia que era namorada dele. Eu só não conseguia entender o que ela estava fazendo ali.
-- Querida! - Esme disse dando o seu melhor sorriso — Já estava preocupada você nunca foi de acordar tão tarde!
-- Acho que dormi  demais! – Admito.
-- Se não ficasse até tarde no computador, você não dormiria tão tarde! - Edward disse, seu tom era de pura arrogância.
-- Edward deixa a menina! - Tânia me defende dando um sorriso feliz — Adorei o seu vestido, menina. Ele é muito fofinho!
Sinto vontade de vomitar, Tânia é pegajosa, e francamente, é tão sem sal que me deixa de estomago embrulhando. A loira trajava um vestido vermelho sangue com um batom da mesma cor e os cabelos estavam presos em um coque. Com certeza, ela estava de saltos. E sendo o vestido muito justo ao seu corpo, acredito que ela tenha comprado um numero menor de propósito...
-- Sente queria! - Esme diz — Pedirei para Sue trazer o seu café da manhã!
-- Obrigada! - Digo puxando uma cadeira.
-- Então como está a sua Escola? Já arrumou algum namoradinho? - Tânia me pergunta e eu sinto vontade de revirar os meus olhos.
-- É uma Escola só para meninas! - Digo tentando não demostrar uma pronta reação a sua burrice.
-- Sério? - Tânia parecia surpresa — Eita! Deve ser uma droga isso!
Estava preste a responder quando Esme voltou para mesa, sempre sorrindo e carismática. Sue vinha logo atrás dela com o meu café em uma bandeja, pois provavelmente eu deveria ser a ultima a tomar o desjejum matinal. Sorri em gratidão a Sue que retribuiu o meu sorriso. Comecei a tomar o meu café em silêncio, eu apenas observava discretamente Edward à mesa. Ele tinha um olhar estranho sobre a mãe, em nenhum momento os seus olhos se voltaram para mim.
-- Então para quando vão marcar a data? - Esme perguntou.
-- Ainda não sabemos! - Edward disse sério e seco.
-- Se dependesse de mim seria amanhã! - Tânia disse - Não vejo a hora de estar casada com você, querido.
Dou uma tossida porque não consigo acreditar no que os meus ouvidos acabaram de escutar. Edward vai casar?
-- Oh, querida você está bem? - Esme pergunta quando paro de tossir...
-- Tô! - Digo e meus olhos estão olhando para Edward que evita de alguma forma me olhar.
-- Oh, coma devagar! - Esme disse mal sabendo ela que o motivo não fora à comida, mas sim o choque da noticia...
Eles continuaram conversando normalmente como se eu não tivesse ali. Que dizer, Esme e Tânia estavam conversando, mas não se ouvia a voz de Edward de jeito nenhum. A conversa era sobre o casamento, Esme dava ideias de como poderia ser a cerimônia dentre outras coisas. Edward nada dizia ou fazia, ele apenas ficava calado olhando o nada, ele olhava para todos os lados, mas os seus olhos nunca focavam os meus. Terminei o meu café, sussurrei um pedido de licença e saí da mesa deixando o trio feliz sozinho...
Eu não poderia explicar o que eu estava sentindo, se era raiva, ódio ou apenas mágoa. Só que eu não conseguiria ficar naquele local observando Edward planejar o seu casamento... À noite passada ele praticamente abusou de mim e prometeu algo mais... Algo de cunho sexual... E agora ele estava ali com aquela loira barata de farmácia que provavelmente mal sabia escrever o seu nome de tão burra... Voltei para o meu aposento, me joguei na cama, passando assim o resto da manhã trancada em meu quarto.
...
Quando desci para almoçar, Esme era a única que estava em casa, almoçamos juntas, ela perguntou como estavam às coisas na Escola. Ela perguntou sobre Rose, pois ela queria saber se éramos muitos amigas. Coitada de dona Esme, mal sabia ela que Rose andou trepando com o seu filhinho bem debaixo de seu nariz. Depois do almoço eu resolvi caminhar pelo jardim  e fiquei um tempo em um balanço que ficava embaixo da casa da árvore dos Cullen. Estava bem distraída quando ouvi passos e galhos secos sendo pisados, me virei bruscamente para me deparar com Edward. Ele estava todo de preto, até seus óculos escuros eram pretos... Ele estava sério demais, e isso me dava medo, sim quando ele ficava assim, eu tinha medo dele.
-- O que você quer? - Digo sentindo raiva, dessa vez se ele achava que ele ira abusar de mim e depois iria ficar com a noivinha dele, ele estava muito enganado.
-- Nada! – ele disse e eu não saberia dizer para onde ele estava olhando, pois os óculos escuros não me deixam perceber — Por que está aqui?
-- Não é da sua conta! - Digo ríspida. E por algum motivo sei que seus olhos se estreitaram e com certeza ele estava me olhando agora.
-- Olha como falar comigo menina! - Diz entre dentes.
-- Olha você o que me diz! - Digo ficando de pé e como uma garota petulante, levantei o meu dedo em sua direção — O que aconteceu? - Pergunto com raiva — Você me mandou escolher, eu escolhi! Por que você voltou atrás? - Pergunto com tanta raiva que poderia jurar que eu estava gritando.
-- Cala a sua boca! - Edward disse — E baixa esse dedo sua fedelha.
-- Fedelha? - Digo incrédula — Agora eu sou uma fedelha, porque cinco dias atrás você queria enfiar o seu pau em mim!
Digo e vejo Edward bufar de raiva. Ele é mais forte do que eu e em um movimento rápido Edward me sacode pelos braços me deixando ofegante e assustada com a atitude dele.
-- Olha como falar comigo! - Edward diz apertando os meus braços — Você não é ninguém sua fedelha! - Sinto o meu peito doer ainda mais — Quer saber a verdade? Cansei de brincar com menininhas e prefiro mulheres. Você não sabe de nada sobre nada! Eu teria que te ensinar tudo! - Edward me olha, ou pelo menos eu acredito que ele esteja me olhando, os óculos escuros não me deixavam saber de certo — Foi divertido, mas já deu! Eu prefiro comer uma mulher de verdade a menininhas que mal sabem foder!
Senti os meus olhos arderem e ordenei a mim mesma a não chorar. Não agora, não na frente dele, eu não seria uma fraca. Edward me soltou de um jeito brusco e eu acabei caindo. Ele apenas caminhou para longe de mim, dando por finalizada a nossa conversa. Fiquei o vendo caminhar em direção a casa e meu rosto logo estava molhando pelas lagrimas. Fiquei horas ali no jardim chorando em silencio sem saber o que fazer. No final a voz da razão confirmou uma certeza, eu só fui um brinquedinho para ele, nada mais do que uma diversão prazerosa que não durou muito. Quando consegui encontrar forças para sair do jardim, fui direto para o meu quarto e me tranquei dentro dele, não saindo nem mesmo para o jantar. Eu realmente não saberia dizer se eu estava magoa e sofrendo pelas suas palavras grossas ou por saber que não passei de uma diversão fácil e barata para ele.
Continua...

4 comentários:

  1. nossa eu fiquei decepcionada com o edward como ele usa e abusa da isabella fazendo a coitada fazer tudo que ele quer pra no final chamar ela de criança e ainda por cima falar que ele prefere uma mulher que saiba trepa e não uma menininha essa doeu até em mim mais torço pra que a bella se vingue dele direitinho.

    ResponderExcluir
  2. Espero q ela fike gostosona e depois qm tenhaa q correr atras e ele, soh pra aprender q coom mulher naao se brinca u.u

    ResponderExcluir
  3. adorei,mas não entendi nada do pq ele desistiu, tomara que ele tenha que correr atras dela agora pra ele aprende quenão se brinca assim com as pessoas.

    ResponderExcluir
  4. adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir