Jul M

Oi

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Slave Of Pleasure -- Capitulo 8


QUARTO ATO!
Pov. Narrativa

Edward estava na biblioteca quando Emmett entrou com um sorriso bobo na cara. Ele tinha uma carinha de quem havia aprontando algo. Edward apenas olhou para o irmão e depois se voltou para o computador no qual digitava o seu novo livro.
-- O que foi Emmett? - Perguntou Edward quando o silêncio tomou conta do ambiente.
-- Nada! - Emmett  disse, mas ele continuava com um sorriso um tanto quanto safado nos lábios.
-- Pergunte  logo de uma vez Emmett! - Edward o açulou.
-- Como anda o seu mais novo passa tempo? - Emmett enfim fez a pergunta que tanto desejava fazer...
Ele queria saber sobre Isabella... Se o irmão realmente tinha levado a diante a história de fazer dela sua cadelinha de estimação. Emmett conhecia muito bem o irmão e sabia que a “sombra negra” que tomou conta da vida de Edward era devido ao término de seu relacionamento com Victoria, sua ex-namorada. Foi depois que ambos se separaram que Edward mudou seus interesses e sua forma de pensar sobre muitas coisas... Os irmãos Cullen tinham seus segredos, não era diferente a situação entre Emmett e Jasper...
-- Se quer saber se eu desisti de fazer de Isabella a minha cadelinha a resposta é NÃO! - Edward disse tirando o foco do computador e olhando para o irmão — Estou me divertindo muito com uma espécie de treinamento... – Ele sorriu malicioso.
-- Então você está mesmo comendo a Lolitinha? - Emmett tinha um sorriso bem maior agora.
-- Emmett eu não vou contar nada para você! - Edward o advertiu — Apenas eu não quero você cercando Isabella!
-- Com ciúmes irmãozinho? - Emmett provocou.
-- Não! Porém, você sabe muito bem que eu gosto das coisas muito bem calculadas e na hora certa eu deixarei você brincar com ela.
Emmett gargalhou e levou as mãos sobre as calças apertando o seu pau que começava a dá sinal de vida. Claro que o seu irmãozinho daria Isabella para ele brincar um pouco... Foi assim com as outras, por que seria diferente com Isabelle?
-- Vou esperar então! - Emmett assentiu...
Emmett passou o dia na casa dos pais, conversou com Edward sobre os seus negócios dentre outras coisas, Emmett não foi trabalhar naquele dia, ele estava aproveitando para ficar com o irmão já que a mãe não  estava em casa como sempre. Muito raramente Esme estava em casa, ela estava sempre envolvida em seus projetos de caridade, acompanhado tudo de perto.
....
Rose estava com Isabella no carro, ela estava indo para a casa do Cullen. Elas tinham atividades da Escola para executar e uma grande apresentação para preparar para o dia seguinte. A única pessoa com quem Bella havia conseguido falar fora com Esme, avisando que levaria uma  amiga para estudar  e para passar a noite. Esme não foi contrária, até mesmo gostou de saber que a jovem já tinha feito amigos. Rose por sua vez, foi o caminho todo provocando Benjamin que teve sérios problemas para não bater o carro. Rose ficava abrindo e fechando as pernas com a desculpa de mudar de estação no rádio,  ela deixava os seus seios fatos, boa parte a mostra...  Benjamin engolia a seco cada vez que a loira fazia isso.
 Quando o carro estacionou no jardim, Benjamin agradeceu mentalmente aos céus por não ter batido o carro. Bella saiu do carro sendo seguida por Rose que fez questão de esfregar a sua bunda no pau do rapaz, dando um sorriso safado para Benjamin. Rose depois seguiu para dentro da casa junto com Bella. Claro que Bella notou um carro estranho aos da casa do lado de fora, mas não sabia dizer de quem era. Assim que entrou na sala encontrou Emmett e Edward jogando xadrez,  claro que ambos olharam quando a porta, quando a mesma bateu sendo fechada por Isabella que mordia os lábios sem saber qual seria a reação de Edward com a presença de Rose...
-- Boa tarde Isabella! - Edward disse.
-- Olá! - Ela disse.
-- Bellita querida não vai apresentar a sua amiga? - Emmett estava mais interessado na loira fenomenal ao lado da pequena Isabella.
-- Oh desculpa! - Isabella disse ficando vermelha — Essa é Rose minha colega da Escola.
-- Por que ela está aqui? - Edward fora grosso e direto.
-- Temos trabalho da Escola para fazer e atividades para estudar! - Bella disse sentindo as bochechas corarem ainda mais — Rose vai dormir aqui, Esme deixou...
-- Bem, então será mais um a passar a noite aqui... - Disse Emmett dando um sorriso safado em direção à loira.
-- Acho que sim! - Rose disse fazendo chame com os lábios e provocando o grandão que já estava de quatro por ela.
-- A gente vai subir! - Bella disse puxando Rose pelas mãos e seguindo em direção as escadas, sumindo no andar de cima...
....
Pov. Bella
Eu estava no quarto junto a Rose que não parava de mexer no computador. Eu estava sentada na cama terminando a atividade de Física.
-- Bem que poderíamos dar uma aula de  sexo! - Rose diz rindo — Eu poderia dizer de quantas maneiras alguém pode ter um orgasmo.
Ela gargalhou e eu fique corada, as minhas bochechas pegavam fogo, eu podia sentir... Rose era terrível, mas era divertida, assim que entramos no quarto, ela foi logo me perguntando quem era o grandão, lógico que ela nem notou a presença de Edward e eu fiquei feliz por isso, eu sabia que ficaria com ciúmes. Passamos o resto da tarde no meu quarto, Rose falando sobre as suas tradicionais safadezas e depois ela acabou acessando um site pornográfico e começamos a ver alguns vídeos. O legal de estar com Rose e fazer essas coisas é que ela não julgava nada nem ninguém. Rose era tão louca que ficava comentado sobre os vídeos, dizendo que até ela gemia melhor entre outras merdas o que me fazia rir.
Quando Sue entrou no meu quarto, rapidamente fingimos que estávamos estudando e quando ela saiu depois dizer que o quarto de Rose estava pronto e que o jantar seria servido às sete horas, voltamos para o computador onde Rose começou a falar sobre o pau dos atores pornôs. Ela sempre dizia que queria  fazer apenas um filme pornô para saber como era aquilo tudo.
-- Por quê? – Eu não resisti e perguntei – Rose, você é bonita pode ter o cara que quiser, por que sairia trepando com vários homens diferentes?
-- Quer mesmo saber? - Rose perguntou chegando o seu rosto mais para perto do meu. Eu aceno que sim com a cabeça — Porque eu gosto! Eu quero sempre saber como é, saber se o cara me agrada, se ele é bom na cama, se fode bem, se dá conta do recado... E claro que também avalio o seu potencial e o tamanho do pau dele Bella — Rose me olhava sorrindo — Quando você tiver um pau bem aqui... - Rose tocou no meu sexo sobre a saia — Você vai entender o que eu estou dizendo. Até lá, fique vendo esses vídeos...
Na verdade eu não entendi nada do que Rose disse, apenas cheguei à conclusão que ela é uma safada bem pior do que eu. Quando Rose foi para o seu quarto tomar banho, eu fui ao banheiro tomar o meu banho, eu já estava tão acostumada com o plug anal que às vezes me esquecia de que estava com ele dentro de mim. Quando saí do banho, levei o maior susto ao ver Edward sentando na cama me esperando, ao seu lado tinha uma caixinha de veludo um pouco grande.
-- Você não me disse nada sobre a sua amiga... - Edward comentou.
-- Foi algo de ultima hora. Desculpa! - Eu não sabia o porquê de estar pedindo desculpas ao certo...
-- Tudo bem eu acho! - Edward diz e passa as mãos pelos cabelos — Tenho certeza que Emmett vai deixar a sua amiga muito ocupada essa noite!
Então Edward também notou o interesse de Rose pelo irmão dele. Caramba, Rose dá muita bandeira, ela precisa aprender a disfarçar.
-- Vem aqui! - Edward disse e na mesma hora estou em sua  frente — Deite de bruços em meu colo - E levantou um pouco a toalha que me cobria...
Prendo com mais força a toalha ao meu corpo o que ele iria fazer comigo agora...
-- Vamos Isabella, você sabe que não vou pedir de novo.
Suspiro e solto a toalha deixando cair aos meus pés no chão. E me deito de bruços no colo dele, eu sinto o seu membro dar um pulo dentro da sua calça, que já se encontrava inchado agora...

-- Adoro essa sua bunda! - Edward disse e imediatamente eu sinto os seus dedos passando por ela, tocando e apertando a carne macia — Eu vou gostar ainda mais de enfiar o meu pau aqui! - Edward tocava o meu buraquinho enrugado — Tenho um novo brinquedinho para você... já que nossa noite foi perdida, tenho algo que vai divertir você esta noite...
Não entendi o que ele queria dizer com isso, até porque os seus dedos ainda estavam no meu buraquinho me dando uma sensação de prazer estranho...
-- Hoje na hora do jantar você vai usar calcinha! - Edward ordenou — Quando terminar o jantar fique um pouco com a sua amiga, ela vai se recolher cedo, mas na verdade ela vai se encontrar com Emmett em algum lugar da casa. Espere todas as luzes se apagarem eu vou vir para cá...
 Edward pegou a caixa sobre a cama e abriu, não consegui ver o que era porque ele empurrou a minha cabeça para baixo, tapando a minha visão sobre o que havia dentro.
-- Quando você voltar para o seu quarto, tire a calcinha, eu tenho certeza que não terá mais riscos disso cair de dentro de você — Edward diz e me mostra — É um plug anal em formato de pênis! - Edward explica — Esse será o último a entrar aqui nesse cuzinho! - Edward circulou o meu buraco com o dedo — Amanhã a noite será o meu pau que estará aqui dentro...

Engulo a seco por dois motivos... UM, eu sabia que Edward estava falado sério... DOIS eu não tinha a mínima ideia de como caberia o pau dele dentro de mim, pois ele era bem mais grosso que aquele pênis de borracha, mesmo com toda aquela preparação, eu ainda ficava nervosa.
-- Relaxa Isabella! - Edward dizia e o seu dedo entrava e saia de dentro de mim — Vamos lá boneca relaxa...
Com um vai e vem do dedo dele dentro de mim, eu consegui relaxa mais... No entanto eu ainda assim fiquei tensa quando senti a cabeça gelada do plug entrando no meu cuzinho não tão virgem assim... Doeu pra cacete aquela coisa entrando no meu rabo, foi estranho, mas Edward conseguiu fazer com que eu sentisse prazer. Quando ele terminou de enfiar aquilo dentro de mim, foi um alivio, ele me colocou de pé e me deu uma tapa forte na bunda.
-- Bela, se vista! Eles estão nos esperando para o jantar - Edward disse e saiu do meu quarto.
....
No jantar Esme ficou animada com a visita de Rose, acho que no fundo no fundo ela estava feliz por eu ter amigos e não ficar sozinha o tempo todo. Emmett não tirava os olhos de Rose e ela muito menos baixava os olhos de sua direção. Eu podia jurar que Rose estava armando alguma e era provável que sim, até porque ela estava dormindo no quarto no começo do corredor, bem ao lado do quarto de Emmett que decidiu, encima da hora, ficar para dormir na casa da mãe. Carlisle não estava em casa, ele tinha plantão no hospital.
-- Então Rose! - Esme começou chamando a atenção de todos à mesa — Você é a filha do empresário Halle? Joel Halle?
-- Até que se prove ao contrário eu sou sim! - Rose disse com um sorrisinho maroto nos lábios
-- Mas você é tão jovem, querida! - Esme disse.
-- Na verdade, eu vou completar dezoito daqui a cinco meses! - Rose disse toda orgulhosa.
-- Oh! - Esme disse surpresa deduzindo que Rose havia sido reprovada por dois anos, pois ainda cursava o segundo ano.
Claro que Esme não comentaria nada, não era de sua educação fazer comentários maldosos sobre os outros. O jantar seguiu naturalmente até o  final com pouca conversa...  depois da sobremesa, Esme se retirou usando a desculpa de que estava com dor de cabeça. Rose parecia tão animada, conversamos durante algum tempo no jardim deitadas na espreguiçadeira perto da piscina, quando deu nove da noite, Rose  disse que estava com sono e simplesmente foi se deitar me deixando sozinha no jardim.  Eu estava distraída vendo o céu que por incrível que parecesse estava estrelado em Manhattan, naquela noite o vento frio tocava em meu rosto.
-- Admirando a noite? - A voz rouca de Edward ecoou em meus ouvidos, assim com um arrepio forte percorreu todo o meu corpo — Que bom que achei você!
Meus olhos estavam arregalados e eu pude me sentir de  certo modo, meio assustada, mas também sentia o meu corpo reagir a cada toque dos seus dedos sobre a minha pele fria. Meus braços ficavam todo arrepiado quando ele passava os dedos assim como por meu corpo. Edward se sentou ao meu lado e virou o meu rosto em sua direção de maneira brusca.
-- Preciso deixar algumas coisas claras para você! - Edward me dizia e o seu tom era sério sem nem um pouco de segundas intenções
-- O quê? – Eu perguntei com a minha voz que não passava de um leve sussurro.
-- Isabella eu não sou nenhum menino de sua idade! - Edward começou — E já deixei bem claro as minhas intenções para com você!
Claro que ele deixou... As suas mãos não saíram do meu corpo desde o dia em que cheguei naquela casa. E sem falar que ele não cansava de dizer que iria me comer ou me foder sobre os moveis...
-- Vamos deixar algumas coisas claras! - Edward segurou a minha bochecha entre os seus dedos — É apenas sexo, você me dá prazer e eu ensino a você todos os prazeres existentes no sexo!
Por algum motivo estranho ou desconhecido eu fiquei meio triste. Não era apenas tristeza, talvez decepção, eu não sei, eu nunca tinha sentindo isso antes. Mas o que esperar de Edward Cullen, ainda mais que ele deixou tudo muito bem esclarecido desde o primeiro dia.
-- Você pode recusar! - Edward disse — Você pode dizer não e eu te deixo em paz... — Ele me olhou — Mas terá que dizer que não quer nada que não é isso que você quer e eu te deixarei em paz...
Ouvir Edward dizer que me deixaria em paz foi pior do que ouvi-lo dizer que era apenas sexo. Meu corpo tremeu só em pensar em não ter mais as suas mãos em mim, me tocando, me provocando, do jeito que só ele sabia fazer, foi bem pior do que ouvir “é apenas sexo”...
-- Então Isabella eu preciso saber se você quer parar com tudo aqui e agora... - Ele me pressionou...
Claro que uma parte de mim dizia para eu parar com isso, pois ele só estava me usando e no final iria me deixar. “É apenas sexo, não seja boba”. Eu tentava me convencer, mas o que eu poderia esperar a mais de Edward Cullen? Como ele mesmo disse, ele não é mais nenhum menino da minha idade, ele era um homem feito e me deixava louca só de imaginar o que ele poderia fazer comigo...
--  Eu preciso que você me diga! - Edward disse apertando um pouco as minhas bochechas — Vamos Isabella, diga para eu ficar longe de você.
Parecia que a minha voz tinha sumido, eu não conseguia dizer nada, a minha respiração estava acelerada, a minha pulsação estava fora do normal e eu sabia... Mas eu não queria acabar com nada, não naquele momento, talvez depois...  Afinal do que eu estava fugindo mesmo? Edward não fez nada comigo a não ser me tocar e enfiar coisas estranhas e desconhecidas dentro de mim, em meu rabo para ser mais específica.  E francamente, quem eu estou tentando enganar, eu gostei, gostei pra caralho de tudo, por sinal...
-- O gato comeu a sua língua! - Edward disse mordendo os meus lábios e os puxando entre os dentes - Vou deixar as coisas mais fáceis para você, minha pequena cadelinha! - Edward tocou os meus lábios com os seus dedos — Amanhã à noite, se você não quiser mais continuar com isso, tranque a porta do seu quarto e então eu saberei  que paramos por aqui!
Eu não conseguia achar a minha voz no meio daquilo tudo... Eu gostaria de poder dizer para ele que não queria parar nada... Mas ao mesmo tempo, eu queria dizer que ele parasse com tudo naquele instante... Uma parte de mim era levada pela razão que dizia que aquilo tudo era insano, mas a outra parte que era controlada pelo meu corpo e a minha boceta que era a maior culpada porque sempre ficava molhada todas as vezes que ele me tocava, desejava dizer sim, queria muito ir até o fim de tudo, sem se importar com nada...
-- Agora que já deixamos uma parte da historia clara para você! - Edward disse e mais uma vez mordeu os meus lábios com força — Vamos ver o que a sua amiguinha está aprontando.
Edward ficou de pé e me puxou para junto dele, parecia automático, ele dizia e eu já fazia o que ele me pedia. Ele mandava e eu já estava fazendo e sabia muito bem disso, porque o meu corpo perto dele não respondia mais aos meus comandos. Caminhamos em direção a casa, estava tudo em silêncio, Edward parecia relaxado, mais calmo, diferente do Edward que estava conversando comigo no jardim. Seguimos direto para o andar de cima, Edward me levou em direção ao seu quarto, claro que a minha pulsação acelerou na mesma hora que eu entrei no quarto dele. Porém Edward nem me deixou ver o seu quarto direito, dessa vez me levou direto para a sacada me fazendo pular de uma sacada para a outra, eu fiquei feliz por estar usando calcinha por debaixo do vestido. Aquela merda que ele tinha colocando no meu rabo me incomodava... Paramos em frente à janela de vidro, não demorei a reconhecer, era o quarto em que Rose estaria dormindo naquela noite. A cortina estava meio entre aberta, dava para ver o quarto todo de Rose e para a minha surpresa ela estava  deitando no sofá...
-- Chegamos a tempo do show! - Edward disse sussurrando em meu ouvindo, as suas mãos já estavam em meus seios os apertando por cima do vestido — Nada de gemidos, e fique bem caladinha, apenas assista...

Eu já estava ofegante suspirando alto e com as mãos de Edward em meu corpo, ficava ainda mais difícil respirar, mas ainda assim, eu respirei fundo e voltei a olhar para dentro do quarto me focando dessa vez no que Rose estava fazendo. Ela estava deitada no sofá usando ainda aquela blusa branca que vestira mais cedo no jantar. Ela estava sem calcinha e sua mão esquerda estava no meio das suas pernas que estavam abertas sem a menor vergonha ou pudor. 


Rose estava se tocando, os seus dedos se movimentavam de cima para baixo e de sua boca saiam gemidos baixos, mas provocantes... Ao passar dos segundos, os seus dedos ficaram mais urgentes e com a mão livre ela abriu a sua blusa e com a mesma mão,  começou a apertar e estimular os seus seios. Os gemidos de Rose ficaram ainda mais altos...

-- Sua amiga é uma verdadeira putinha! - Edward sussurro em meu ouvindo, as mãos dele começaram a abrir o meu vestido o deixando cair por sobre os meus ombros, deixando os meus seios nus — Uma puta completa! - Edward voltou a dizer apertando os meus seios entre as suas mãos.

Não sei como nem de onde, mas só sei que quando voltei a olhar para Rose vi Emmett  enfiando o seu rosto no meio das pernas de Rose e chupando com força a sua boceta. 

Foi impossível não gemer com a cena, até porque Edward apertava com força os meus mamilos os deixando doloridos. Emmett passou a chupar Rose com mais força, arrancando dela gemidos altos e tirando dos seus lábios palavras sem sentido e algumas até vulgares, eu vi no exato momento em que Rose se quebrou em duas gozando na boca de Emmett e deixando o seu corpo cair de volta no sofá, suada e ofegante...
-- Está gostando! - Não era uma pergunta, eu sabia, ainda mais quando senti a mão de Edward indo para dentro da minha calcinha — Está molhada! Oh minha querida não vejo a hora de enfiar o meu pau nessa delicia! 

Ofeguei quando os dedos de Edward passaram a massagear o meu clitóris me deixando suada e ainda mais molhada. Quando conseguir abrir os meus olhos, eu vi Emmett em pé perto da porta usando uma camisa e uma boxer branca, uma combinação estranha, mas eu não tive tempo para pensar sobre isso, os dedos de Edward estavam me torturando... Rose estava abaixada enfrente as pernas de Emmett com o seu membro todo dentro da boca. Rose chupava do mesmo jeito que ele a chupou minutos atrás. 

Ela parecia delirar com o membro de Emmett dentro da boca dela e Emmett deixava alguns gemidos escaparem da sua boca, a respiração dele estava acelerada assim como a minha e a de Edward. Fechei os olhos deixando me levar pelas sensações que Edward me provocava, quando voltei a abrir os olhos, Emmett já estava comendo Rose contra a soleira da porta. Rose gemia feito uma cadela no cio, não havia outra palavra para descrever o estado dela. Emmett metia nela com força, apertando o seu corpo com mais energia  contra a parede.

Minha cabeça caiu tombando por cima dos ombros de Edward, os dedos dele ficaram ainda mais rápidos, o meu corpo pregava de suor, a minha respiração estava ofegante e o meu corpo estava em chamas. Quando conseguir  voltar a olhar para dentro do quarto, Rose estava de costas com as mãos  apoiadas contra a soleira da porta e Emmett a comia com selvageria por trás, Rose dizia tantas coisas sem nexo e sempre pedia por mais. Emmett por sua vez, fazia o que ela queria,  metia cada vez mais forte fazendo o corpo de Rose quicar para frente com o impulso dos seus movimentos.

-- Hora de irmos! - Edward me disse me tirando do meu devaneio e do meu delírio total.
Edward parou com os movimentos de seus dedos em mim... Afastou-se um pouco e levou os dedos  que estava em minha boceta para a sua boca os chupando de maneira sexy e quente, me deixando ainda mais molhada.
-- Venha!
Edward me tirou da varanda do mesmo jeito em que entramos, pelo quarto dele. Por um momento achei que íamos ficar no quarto dele, mas Edward me levou direto para o meu quarto, quando já estávamos dentro de meu quarto, Edward me soltou.
-- Tenha uma boa noite Isabella! - Edward disse dando um beijo na minha testa — Lembre-se do que eu lhe disse! Se você quiser parar com tudo isso, apenas tranque a porta do seu quarto. E eu saberei que tudo acabou.
Mais uma vez o meu coração deu um salto no peito, eu não gostava nada do modo como ele falava.
-- Agora se você aceitar levar isso a diante! - Edward disse passando os dedos pelos meus lábios — Vai ter que jogar esse jogo segundo as minhas regras! — Ele me beijou os meus lábios rapidamente — Pense bem Isabella, pense muito bem...
Edward saiu do meu quarto me deixando ofegante, molhada e com o maldito vibrador no rabo. E tudo o que eu não queria era pensar sobre essa merda toda...
Continua...

3 comentários:

  1. Quantos anos vc teem ?? Serio fico surpreendida com tais capitulos !!!
    Obrigada por ter postado a utima parte de noites de tormenta ficou perfeito *--*

    ResponderExcluir
  2. esse edward pervertido e uma causa perdida kkkkkkk e a bela gosta!

    ResponderExcluir
  3. Não consigo encontrar o capitulo 12

    ResponderExcluir