Jul M

Oi

sábado, 27 de abril de 2013

Slave Of Pleasure -- Escrava Do Prazer-- Capitulo 7


TERCEIRO ATO
Naquela noite quando voltamos para casa, sem sermos notados pelo trio que seguiu se divertido, Edward me levou até o meu quarto e quando estávamos lá, ele me fez gozar em sua boca. 

Claro que eu o chupei de novo até ele me dar o seu leitinho na boca. 

Por algum motivo eu gostava disse, eu acho que era da minha natureza, eu era safada... Depois disso, ele tirou do bolso da calça outro plug anal, bem mais grosso do que o que eu já tinha dentro do meu cu... Edward tirou o que eu tinha lá e com muito cuido foi enfiando o novo plug anal, 

achei que ele só fosse trocar no final da semana, mas eu estava errada como sempre. Edward fazia as coisas do seu jeito e eu nunca sabia o que esperar. Depois de colocar todo aquele plug dentro de mim, Edward mordeu o lado direito da minha bunda e me virou de frente, passou os dedos por minha boceta que estava vermelha devido à chupada que recebi com a sua boca e língua, e, antes de sair do quarto ele deu uma tapa certeira na minha “menininha” me fazendo gemer de prazer.
-- Amanhã Benjamin  vai levar você para a Escola! - Edward disse antes de sair — Boa noite Isabella e não se esqueça de colocar o plug pela manhã!
Edward caminhou até a porta, eu ainda estava toda espalhada na cama com as pernas abertas e com uma boceta latejando por demais.
-- Quando você chegar eu estarei na biblioteca! - Edward disse parando em frente à porta e me olhando — Vá até lá e já sabe nada de calcinha. Ah Isabella, não precisa trocar o uniforme, eu gosto do modo como ele fica em você...
E dizendo isso Edward saiu do meu quarto. Não sei se eu estava com sono ou se era só o cansaço do dia que fez com que eu dormisse imediatamente. Eu estava feliz, pois eu sabia que iria encontrar ele na manhã seguinte e estaria com ele à tarde na biblioteca. Foi com a lembrança desta noite que eu dormi calma e tranquilamente, sentindo a minha boceta pingar de tanto prazer, só em lembra de tudo o que aconteceu...
....
 Estudar em uma Escola só para meninas não era legal, não havia garotos para admirar e tudo o que as meninas falavam eram sobre comprar roupas e maquiagem. Quer dizer, quase todas, Rose Halle não era muito querida por algumas meninas, melhor dizendo pela a grande maioria das meninas, porque Rose era o tipo de garota errada... Rose fumava, bebia e adorava provocar os professores. Ela era linda, tinha belos olhos castanhos, cabelos dourados, pernas perfeitas que ela fazia questão de deixar a mostra em sua minúscula saia que muitas das vezes deixava a sua calcinha aparecer, sendo suas calcinhas sempre um mero fio dental... Rose fora tachada como safada pela outras meninas, tudo porque ela era muito liberal. Havia uma historia de que Rose era lésbica e outra onde ela participava de orgias não com um ou dois cara, mas vários. Jessica Stanley   uma vez comentou que Rose havia ido para uma casa de prostituição e dado para todos os homens que se encontravam lá. Rose disse que iria quebrar a cara dela se ela continuasse com esses boatos, então Jessica parou com medo de apanhar da loira. Eu tinha Rose como parceira de Química e Física, ela era legal e me fazia rir das suas loucuras, porém me deixava sem graça quando ficava dando encima do professor de Física, o Sr. Felix, que por sinal, era muito bonito. Rose sempre o provoca, uma vez ela apertou o pau dele no meio da aula. Claro quase ninguém viu, a não ser eu que estava do seu lado... O professor ficou todo sem graça, imediatamente ele deu um jeito de sair dali.
-- Então Swan como foi  o seu dia ontem? - Rose perguntou, pois ela tinha faltado.
-- Foi bom! – Digo, mas sei que as minhas bochechas estão vermelhas e antes que Rose pergunte algo eu a inquiro — E você, por que não veio ontem?
-- Eu não estava conseguindo andar! - Rose diz chupando o seu pirulito.
-- Como assim? - Pergunto sem entender,  as pernas dela estavam ótimas essa manhã.
-- Olha Bella, eu vou te contar, mas se você abrir a boca eu te bato! - Rose me ameaça. Eu arregalo os meus olhos — Eu saí com o professor Felix de Física.
-- Você o quê? - Eu sussurro, estamos na aula de Geografia.
-- Eu saí com Felix, o cara é incrível! - Rose diz se abanado — Bella ele acabou comigo, ele me comeu  de todo jeito e me fez gozar muito... Ainda estou toda vermelha, mas a minha boceta está louca para sentar no pau dele de novo.
Rose sorri da minha cara, eu estou boquiaberta e com a face queimando, devo está muito vermelha e ela tem um brilho safado no rosto e nos olhos.
-- Eu falei para ele que eu queria trepar com ele aqui na sala! - Rose disse fingindo copiar o que estava no quadro — Ele topou, disse que hoje depois da aula se eu ainda quisesse, ele me comeria encima da mesa.
-- Rose você é louca! - Digo com a voz rouca, mas a minha calcinha estava molhada e quando eu me mexo na cadeira o maldito plug se mexe junto.
-- Você diz isso porque ainda não viu o pau dele! - Rose diz sorrindo feito uma criança que acaba de ganhar um doce — Bella é enorme e me enche toda... Cara a minha boceta fica toda arregaçada e eu nem vou dizer nada do meu cu, pois está até difícil de sentar...
Engasgo-me com a minha própria saliva e  a professora olha feio pra mim,  dou de ombros, pedido desculpa e volto a minha cabeça para o livro que está aberto na mesa.
-- Você é louca! – Eu sussurro e Rose ri.
-- Vou trepar com ele encima dessa mesa mais tarde! - Rose diz rindo — Se você ficar, você poderá ver, eu adoro me exibir, ainda mais quando estou sendo comida.
 A professora chamou nossa atenção então não consegui mais conversa com Rose. Ou melhor, ouvir as loucuras dela. Eu entendia Rose porque eu também estava ficando assim igual a ela, uma completa pervertida. Quando a ultima aula acabou lembrei-me do que Rose disse então fique cheia de curiosidade de saber se era verdade ou não o que ela disse sobre Felix e ela, então eu caminhei em direção ao banheiro e fique lá esperando todos irem embora. Rose e eu  sabíamos que ninguém fiscalizava as salas de aulas que só no outro dia é que elas iriam ser limpas, os faxineiros da Escola não ligavam muito para isso, os seguranças só vigiavam a entrada da Escola nunca entravam nas salas de aula.
Sai do banheiro, não havia mais ninguém na Escola caminhei em direção a sala de Física onde Rose disse que estaria sendo comida pelo professor, eu estava com medo de ser pega no ato, mas estava tão curiosa que mesmo assim segui em direção à sala, pude ver que as janelas estavam fechadas e que a porta estava meio entreaberta caminhei em direção a ela e assim que consegui espiar o lado de dentro me deparei com a cena que Rose havia me descrito mais cedo, ela estava segurando na borda da mesa do professor completamente nua, enquanto o professor Felix metia com força nela. 

Era com tanta força que os seios de Rose que não eram nada pequenos como os meus, balançavam se arrastado sobre a mesa, ela fazia caras e bocas gemendo e pedindo por mais. Felix dava uma tapa na bunda dela e a chamava de cadela e puta. Mandando-a engolir o pau dele com a boceta dela. Rose por sua vez, rebolava em direção ao pau dele, gemia e falava palavras sujas e depravadas.
-- Isso professor dá dez para a tua putinha! - Rose gritou  quando Felix enfiou o pau dele com tudo dentro dela.
-- A putinha aqui merece cem por ser uma cadela! - Felix disse dando uma tapa na bunda dela — A putinha gosta de pau. Então toma, desse jeito você passa de ano com dez em trepagem.

Felix seguiu metendo em Rose e sempre a xingando e dizendo palavras sujas, Rose gritou quando gozou, ela gozou tão intenso que escorreu por suas pernas. Felix meteu mais algumas vezes dentro dela até se retirar de dentro dela e gozar na cara dela, fazendo Rose lamber o seu pau e o deixar sem nenhum resíduo de gozo. Depois disso, ele se vestiu e olhando para Rose toda gozada na cara, ele disse:

-- Você é uma ótima putinha!
 Eu saí correndo de lá, eu  fique com medo de ser pega  e quando cheguei ao estacionamento encontrei Benjamin me esperando.
-- Já estava preocupado, menina! - Benjamin disse.
-- Desculpe-me, eu estava no banheiro! - Digo ofegante e entro no carro sem dar chances para ele perguntar mais alguma coisa.
Quando o carro estava saindo do estacionamento, vejo Rose saindo de dentro da Escola e indo em direção ao carro dela. Depois daí eu não vi mais nada.
...
Quando cheguei a casa, não havia sinal de Esme e nem mesmo de Carlisle e duvidava muito que ambos estivessem lá. Esme tinha seus projetos de caridade e Carlisle era médico, ele sempre estava no hospital ou  sabe-se lá aonde com Esme. Caminhei em direção à biblioteca, eu estava bem atrasada, afinal, esse não era o horário que eu costumava chegar a casa. Parei na frente da porta e tirei minha calcinha a guardando dentro da minha bolsa, ela estava molhada e eu sabia que minha boceta ainda estava molhada também, eu ainda sentia o tesão, não sei se pela cena que vi ou ao fato de saber que Edward estava a minha espera. Assim  que entrei eu vi Edward à mesa com um livro na mão, ele me olhou por cima do mesmo e depois ele voltou a ler... Eu entrei devagar e fechei a porta, joguei a mochila no canto perto da porta, então caminhei em direção a ele que não voltou a me olhar até eu estar a poucos passos dele.
-- O que aconteceu? - Edward perguntou, ele ainda não me olhava.
-- Eu tive um imprevisto! – Sussurrei.
-- Posso saber qual? - Ele  perguntou com a voz meio rouca.
-- Me distraí conversando com uma amiga - Disse sabendo que estava vermelha.
-- Espero que essa seja a ultima vez que isso aconteça! - Edward me olhava — Se me deixar esperando de novo te castigarei...
 Engulo a seco e meus olhos se arregalaram, eu sei que ele se diverte toda vez que consegue me assustar e não era diferente agora, ele estava sorriso torto em deboche...
-- Vem aqui! - Edward disse afastando a cadeira para que pudesse ficar em sua frente.
Caminho em sua direção e paro enfrente a ele com a minha bunda encostada na borda da mesa. Ele me olha com os olhos cheios de malicia e leva as mãos à borda da minha camisa e começa a abrir botão por botão, até ela estar completamente aberta e o meu sutiã a mostra, para minha sorte não tinha bolinhas, era preto...

-- Você é muito bonita - Edward sussurra e seus dedos já estão fazendo o caminho dos pelos invisíveis da minha barriga... Voltando a subir — Você está usando o plug? - Ele me pergunta em um sussurro rouco.
-- Estou! – Digo em um  cochicho me sentindo ofegante.
-- Muito bem! - Ele disse – Tenho um presentinho para você! - Edward  fala e morde a minha barriga, mandando um sinal para a minha boceta que já está molhada.
Ele levanta da cadeira,  fica de pé e me olha, as suas mãos vão para os meus seios os apertando sobre o sutiã e depois de fazer isso umas três vezes, ele retira o meu sutiã, deixando os meus seios livres.

-- Você tem belos seios! - Edward comenta os apertando e me arrancando um gemido baixo — Cabem perfeitamente em minhas mãos e na minha boca!
 Dizendo isso ele atacou os meus seios os chupando e mordendo, me deixando louca com a sua língua que me torturava, ele puxava os meus mamilos entre os dentes, me fazendo contorcer de prazer.

 Ele fez isso em um e depois no outro, quando os meus seios estavam bastante rígidos  e vermelhos ele parou e se afastou...
-- Não vejo a hora de enterrar o meu pau nessa boceta menina! - Edward disse ofegante, ele se afastou de mim e abriu a sua calça tirando o seu pau para fora — Senta encima da mesa!
Só então eu noto que não há nada encima da mesa, apenas o livro que Edward lia. Sento-me sobre a mesa e Edward abre as minhas pernas com as mãos. Usando as mãos dele para me fazer deitar, ele levanta a minha saia até a altura da minha barriga deixando a minha boceta à mostra.
-- Vejo que o plug anal não te incomoda muito! - Edward comenta tocando no objeto e o puxando, retirando uma parte de dentro de mim e voltando a meter ele todo dentro de mim, fazendo-me gemer — Até o final da semana será o meu pau aí dentro...
Solto um suspiro e sinto um frio na barriga, Edward sorri  torto para mim pegando o seu pau na mão, ele leva até a entrada da minha boceta, que está toda melada e começa a esfregar igual ele fez a noite passada. Passando a cabeça grande do seu pau por entre os meus lábios vaginais e intocados da minha boceta, me torturando ainda mais. Ele segue fazendo isso, várias e várias vezes, me matando, me fazendo gemer.


-- Se toque Isabelle! - Edward diz, eu estou totalmente espalhada sobre a mesa, perdida em meu prazer - Toque os seus seios e os aperte.
E é exatamente o que eu faço, começo a tocar os meus seios, os apertando e quando dou por mim, estou puxando os meus mamilos e gemendo sentindo o pau de Edward me torturando ainda mais. Escuto em meio aos meus gemidos, os gemidos roucos de Edward  que  parecia está tão perto quando eu... Deixo sair da minha boca um gemido alto e gozo no seu pau, Edward usa a cabeça do seu pau para esfregar todo o meu gozo pela minha boceta. 

Ele se afasta de mim e me puxa pelos braços, me colocando no chão, eu sei bem o que ele quer, eu me ajoelho e quando vou levando o seu pau a minha boca, Edward me para...
-- Dessa vez não cadelinha! - Edward diz — Fica paradinha - Ele completa...
Edward começa massageando o seu membro com as mãos, movimentando-o para frente e para trás  durante alguns minutos e imagino, quer dizer, eu sei bem o que ele pretende fazer... Quando o primeiro jorro de esperma me atingiu em cheio no rosto, tenho certeza que logo atrás emanaria os outros que foram na minha boca, cabelo e todo o meu rosto assim foi gozado por ele...

-- Agora limpa! - Edward diz e sei que é ao seu pau...
Faço isso, pego o seu pau entre as minhas mãos e passo a língua deixando ele todo limpo, retirando o resto de seu gozo, depois que ele está todo limpo, Edward guarda o pau dentro da calça e se senta na cadeira. Abrindo uma gaveta, ele tira uma caixa de lenços e me entrega para eu me limpar, não diz nada e nem eu, apenas me limpo e quando consigo tirar o seu gozo todo do meu rosto fico de pé, só então me dando conta de que eu continuava de joelhos.
-- Deite-se de bruços sobre a mesa e empine essa sua bunda para mim! - Edward manda.
Parecia mecânico, ele mal terminava de falar e eu já estava fazendo, me deitei e empinei a bunda em sua direção. Ouvir o ranger da cadeira, depois senti as mãos dele levantando a minha saia. 

Seus dedos tocando a minha boceta melada e subiram para o ânus, onde ele puxou o plug e começou a fazer um movimento de entra e sair com o plug dentro de mim. Mordi os lábios para não gemer alto.
-- Pelo visto você vai adorar dar esse rabinho para mim! - Edward diz tirando de vez o plug me fazendo suspirar alto — Mas não vai ser hoje querida.
Edward abre a gaveta e retira algo de dentro, não consigo ver o que, então não demoro a sentir a ponta fria que mais parecia um metal tocando a entrada do meu ânus. Edward brinca circulando o meu buraquinho me fazendo suspirar em antecipação.
-- É um plug novo! - Edward diz beijando os meus ombros — Bem maior do que o que estava dentro de você minutos atrás — Ele sussurra ao meu ouvido — Eu sei que sexo anal pode ser desconfortável, por isso quero que você esteja preparada,  não quero que sinta dor e sim prazer cadelinha. Agora fica quietinha que vou enfiar isso no teu rabo!
Dessa vez eu senti um pouco de dor devido ao tamanho do plug, era bem maior do que os dois primeiros, Edward ainda me estimulou, tocando em meu clitóris com os dedos, mas não consegui conter o gemido de dor. Soltei um suspiro de alivio quando o plug estava todo dentro de mim.
 
-- Amanhã colocarei outro maior! - Edward me disse — você sabe que o meu pau não é pequeno Bella e nem mesmo fino, tenho que deixar o seu cuzinho preparado para ele. Se não você vai sofrer pequena...
-- Tudo bem! - Digo ofegante estou com a imagem do pau de Edward em minha cabeça... — Eu aguento! - Sussurro.
-- Oh sim querida, você aguenta vai aguentar todinho, eu sei! - Edward diz e me ajuda a ficar de pé me entregando a  minha blusa e o meu sutiã — Suba e tome um banho, o jantar não demorara a ser servido. Se precisar de ajuda com o plug é só me chamar.
Eu não disse nada, apenas me vesti e sai de lá. Edward era a única pessoa com quem tive um contato mais intimo, que conseguia ser doce e depravado ao mesmo tempo, o único que me deixa de pernas bambas e com a boceta molhada. Eu sempre me sentia ofegante e nervosa sem saber o que viria dessa vez... Já no meu quarto, depois de tomar banho e me arrumar, eu mesmo coloquei aquele plug, era maior que os outros sem duvidas, mas ficou bem mais fácil depois da segunda vez que eu o enfiei dentro de mim. Escolhi vestir um vestido, por algum motivo eu tinha esperanças de que Edward tinha algo armando para essa noite...
 ....
 Quando me juntei a todos à mesa de jantar, eu  dei de cara com uma garota que eu não conhecia, Esme me apresentou dizendo que Jane era a secretaria de Carlisle, ela passaria a noite aqui porque o apartamento da jovem teve problemas com encanamento e Carlisle ofereceu  o quarto de hóspede para ela. Edward estava à mesa, Jane não parava de olhar para ele, é claro que eu fique com ciúmes, esses últimos dias estavam sendo intensos para mim... Eu estava me envolvendo intimamente com ele e, é lógico que eu ficaria com ciúmes. No final do jantar foram todos para a sala, eu disse que tinha atividades para fazer e me retirei despedindo-me de todos até mesmo da loira aguada Jane que deu um sorriso doce pra mim. Não era desculpa, eu realmente tinha atividades para fazer e foi o que fiz, respondi as minhas atividades e quanto eu estava terminando o meu celular tocou, eu não reconhecia o numero do visor, mesmo assim atendi.
-- Oi! - Digo assim que atendo.
-- Quero você no meu quarto! - Era voz de Edward que me deixou molhada na hora — Nada de calcinhas Isabella, eu tenho uma surpresinha para você!
Eu não consigo dizer nada, mas a minha  respiração acelerou. E eu sei que Edward sabe disso também, ele estava sorrido, posso até ver o sorriso torto nos lábios dele, aquele sorriso que me deixava toda molhada e com a boceta babando por ele, quer dizer, pelo pau dele.
-- Não demore Isabella! - Edward diz — Você ainda tem aulas amanhã!
Sem esperar a minha resposta, Edward desligou e no mesmo momento eu já me encontrava de pé. Corri em direção a porta, não dava para negar, eu gostava dessa situação toda, gostava ainda mais de sentir Edward me tocando me estimulando e me abusando. Eu estava sem calcinha desde o jantar, saí correndo em direção ao quarto de Edward, parei em frente à sua porta, já ofegante, respirei fundo antes de bater, não demorou muito Edward abriu a porta do quarto, ele estava usando apenas as calças do seu pijama, seu peito estava nu, eu conseguia ver os pelos claros que ali existia, fico sem respirar, ele é bonito, muito bonito disso não há duvidas. Edward me dá um espaço para que eu possa entrar e assim que coloco o meu corpo para dentro do ambiente, paro estranhamente... Todo ar fica preso no meu pulmão, volto os meus olhos para Edward que usa os dedos para contornar os meus lábios  e me dá o sorriso torto que me deixa doida como sempre.
-- Eu disse que tinha uma surpresinha para você! - Edward disse e voltou a olhar para frente, onde vejo para Jane deitada na cama de Edward completamente nua,  enfiando os dedos dentro de sua própria boceta e apertando os seus seios com a outra mão 

— Vamos brincar nós três, querida! - Edward morde os meus lábios — Venha tire a roupa!
 Eu ainda estou digerindo toda a situação, mas Edward não me deixa pensar direito, ele afasta os meus cabelos e beija o meu pescoço, descendo as mãos pelo meu corpo e vai descendo o meu vestido até o chão, me deixando nua por completo, já que eu não usava calcinha e nem sutiã por baixo do vestido.
-- Nossa! - Jane diz parando o que fazia — Você tinha razão Edward, ela é uma putinha gostosinha!
-- Achou que eu estava brincado? - Edward disse cobrindo meus seios com suas mãos — Não sou homem de brincar Jane, você já deveria saber disso!
Jane dá um sorriso safado e se arrasta para fora da cama e caminha em minha direção e de Edward. Estou com a mente nublada, Edward está mexendo nos meus seios, eu estou sentindo prazer com os seus toques, eu fico ofegante e meus seios começam a ficar rígidos.
-- Acho que vou gostar de brincar com essa putinha! - Jane diz parando em minha frente, os seus dedos correm pela minha barriga — Vamos Edward, larga de ser egoísta e me empresta essa putinha para eu chupar!
-- Você quer brinca com a Jane,  Isabella? - Edward me pergunta apertando com mais intensidade os meus seios e beliscando os meus mamilos — Vai ser divertido, querida. Aproveite! - Edward não espera a minha resposta, ele me joga nos braços de Jane e sorri — Faz minha putinha gozar Jane!
Edward dá uma tapa na minha bunda e eu solto um gritinho por dois motivos, um porque doeu, mas foi bom e segundo, porque o plug estava ainda no meu rabo. Sinto as mãos de Jane escorrendo por meu corpo indo para as minhas costas até ela tocar no plug, ela era rápida com as mãos.
-- Ainda não comeu o cuzinho da putinha? - Jane pergunta já com o meu corpo de encontro ao dela, eu sinto os seus seios se esfregarem nos meus.
-- Ainda não! - Edward diz e sorri — Jane você pode chupa ela, mas não vai enfiar nada dela! - Jane olha para Edward — Mas se quiser, pede que Isabella enfiar em você.
Jane dá um sorriso safado e me puxa para a cama, me joga com tudo... Eu caio de costas e sem perda de tempo Jane sobe encima da cama e abre as minhas pernas com violência. Por um momento eu penso que ela vai chupar a minha boceta, mas não, Jane dá vários beijos na minha barriga  e com as mãos começa a massagear os meus seios me fazendo gemer  e me mexer embaixo dela. 

Jane coloca a boca no meio do seio esquerdo o chupando e depois ela chupa o outro seio, ela me tortura o tempo todo, arrancando de mim gemidos altos, eu estou ofegante e busco Edward no quarto, eu o vejo no canto, ele está sentando no sofá que tem ali em seu quarto e o seu pau está em suas mãos, ele o massageia deliciosamente aos meus olhos...
-- Pensei que queria chupá-la Jane! - Edward diz do local onde se encontra.
-- E vou! - Jane diz — Mas ela tem seios bonitos dá vontade de morder! - E é o que Jane faz, ela morde os meus seios e desce com a boca por minha barriga,  dando várias mordidinhas até chega à minha boceta – Vou chupar você todinha menina!

 E dizendo isso Jane caiu de boca na minha boceta, chupando e mordendo,  enfiando a língua e me fazendo gritar de prazer. Jane sabia muito bem o que fazia porque o meu corpo todo começou a tremer, a língua dela me penetrava, me fazendo ver estrela e não demorou muito para que eu gozasse. Tremendo toda e muito, muito ofegante, Edward rapidamente estava ao meu lado na cama.
-- Você é uma safada mesmo! - Edward disse passando a cabeça do seu pau nos meus lábios, eu passo a língua por ela... — Jane de baixo da cama tem uma caixa,  pegue-a!
Jane levanta a cabeça e lambe os lábios chupando resto meu gozo que tinha escorrido por ela dando sorriso muito do safado ela saia da cama e pega a caixa que Edward havia dito.
-- Gostei disso! - Jane diz tirando uma coisa estranha de dentro.
-- Dê para Isabella! - Edward ordena e Jane me joga a coisa estranha.
É um pênis de borracha preso a varias cintas, o pênis era enorme e grosso, não era nada comparando com o de Edward, mas ainda assim era grande demais e fique assustada. Jane não iria meter isso dentro de mim, ainda mais que eu nunca tive nada como isso dentro de mim.

-- Fique de pé Isabella! - Edward me diz e sem espera me ajuda a fica de pé — Isso é uma cinta, você pode encaixar qualquer coisa presa nisso — Ele toca na cinta — Mas nesse caso aqui, fica melhor com um pênis!
Edward prende  todas aquelas cintas em mim, deixando aquele pênis ereto e pronto... Ele me olha sorrido e volta a olhar para Jane que estava enfiando os dedos na própria boceta.
-- Você vai foder a Jane com isso! - Edward diz tocando no pênis de borracha — Era para ser ao contrario, mas já que temos aquele pequeno probleminha com você, será você que vai foder ela.
-- Probleminha? Que probleminha é esse? - Jane perguntou.
-- Não é da sua conta Jane se limite em apenas fazer o que eu mando! - Edward diz — E cuida, fica de quatro, vou adora vez Isabella te comendo.
 Jane ficou de quatro da cama e ficou tocando na sua boceta então Edward me olhou sorrindo e me puxou pra perto dele eu ainda estava com plug enfiado em mim.
-- Vai lá e enfia isso nela! - Edward me diz — E não baque a inocente sei que você sabe muito bem com fazer isso! Você anda vendo muito vídeo pornô minha querida!
Edward dá uma tapa na minha bunda e  eu solto um gritinho de susto. Assustada caminho em direção a Jane  subindo na cama, eu fico atrás de Jane. Edward tinha razão, eu já tinha visto isso em alguns vídeos pornô, então eu só segurei o pênis de borracha e enfie com tudo dentro dela. Foi estranho não era algo que eu estivesse acostumando a fazer ou me imaginar fazendo, mas depois que a adrenalina tomou conta de mim, eu comecei a meter com força... 

Jane  gritava, gemia e eu metia com mais força ainda aquela coisa toda dentro dela. Edward apenas assistia, até certo ponto, as minhas mãos apertaram os seios dela, eu já não sabia mais o que fazia, mas eu estava sendo guiada pelos gemidos da loira que parecia uma cadela no cio. Quando Jane gozou ela fez um barulho enorme e depois deixou o seu corpo cair sobre a cama, ela estava tão suada quanto eu. Edward retirou as minhas cintas e as jogo no chão, me colocando de frente para ele, ele foi logo enfiando seu pau em minha boca e começou a fodê-la com força, metendo tudo dentro de minha boca indo até a minha garganta. 

Eu o chupei com força, querendo mais e mais dele e quando ele gozou na boca, eu bebi tudo fazendo aquela carinha de safada que eu sabia que mexia com ele...
-- Sua putinha é uma delicia Edward! - Jane disse e eu ainda estava olhando para Edward que permanecia ofegante.
-- Eu sei! - Edward disse e desviou os seus olhos de mim para Jane — Acho que você já teve a sua diversão Jane!
 A loira sentou na cama e ficou de pé logo em seguida, caminhou pelo quarto catando as suas roupas que estavam espalhadas.
-- Já entendi estou indo! - Jane disse rindo e se vestindo — Isabella se quiser repetir a dose e só avisar ao Edward, ele tem o meu numero! - Ela disse piscando para mim e já vestida saiu do quarto de Edward.
Edward não diz nada! Apenas ficou me olhando, eu ainda estava de joelhos sobre o colchão, ele passava os dedos pelo meu rosto fazendo um carinho em minhas bochechas e em seguida me deu uma tapa.
-- Você está ficando melhor a cada dia cadelinha! - Edward diz e me beija — Agora se vista e vai para o seu quarto já está tarde!
Eu faço o que Edward disse, o meu rosto ainda estava ardendo devido à tapa, mas eu gostei do que ele fez e disse. Eu me visto rapidamente e caminho em direção à porta, sei que Edward está me olhando, então rebolo  a cada passo que dou.
-- Isabella! - Edward me chama me fazendo parar — Amanhã no mesmo horário na biblioteca e não se atrase!
Claro que eu não me atrasaria, eu estava ficando cada vez mais animada a cada dia que se passava. Edward era uma pessoa imprevisível, eu nunca conseguia imaginar o que ele tinha para o dia seguinte, mas eu sabia que seria alguma nova experiência, cheia de novas sensações... Afinal, era ele quem me deixava com o coração batendo forte no peito e de forma ofegante, só de imaginar que um dia eu teria todo o seu pau dentro de mim, já me sentia eufórica...
Continua...
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário