Jul M

Oi

terça-feira, 23 de abril de 2013

Slave Of Pleasure -- Escrava Do Prazer -- Capitulo 6


SEGUNDO ATO

Eu estava pronta para ir para a Escola, Benjamin iria me esperar no jardim, tia Esme não estava mais em casa, com toda certeza ela já estava na Associação de Caridade em que era voluntária. Ela saia muito cedo juntamente com tio Carlisle,  eu quase nunca os via em casa, a não ser nas refeições, porém raramente no café da manhã. Peguei minha mochila e caminhei em direção à garagem, logo avistei Benjamin no jardim a minha espera.
-- Bom dia Benjamin! – Eu o cumprimentei.
-- Bom dia menina! - Ele sempre me chamava de menina — Vamos ter que esperar um pouco, o Sr. Edward ele vai conosco — Ele me comunicou.
-- Como assim? - Sei que a minha voz saiu um pouco tremula e o meu corpo, claro, também reagiu ao ouvir o nome dele...
-- Por algum milagre, hoje ele vai trabalhar! Coisa que não acontece há algum tempo.
Solto um suspiro que passa despercebido por Benjamin, logo em seguida, Edward saia de casa usando óculos escuros, vestindo um terno preto e uma gravata da cor cinza e cabelos desalinhados, como sempre.
-- Podemos ir Benjamin! - Edward informa entrando no carro e me deixando do lado de fora.
Sento-me o mais longe possível, mas aquela Mercedes é de um modelo compacto, não dava para eu ficar tão longe assim dele. Edward parecia sério, mesmo usando óculos escuros ele estava assisado demais.
-- Deixe Isabella, primeiro! - Edward deu a ordem.
-- Certo senhor! - Benjamin assentiu.
Em menos de cinco minutos, eu estava na Escola, e assistia a Mercedes preta partir em meio ao outros carros, soltei um suspiro de resignação e caminhei em direção a minha sala de aula... Edward nem me olhou e nem falou comigo e por algum motivo isso estava me incomodando muito...
....
Benjamin me buscou no horário, para a minha doce alegria, tia Esme estava em casa, mas logo após o almoço ela sairia.  Ainda não sei em qual projeto social ela estava envolvida, mas deveria ser alguma causa muito importante, se não ela jamais ficaria tanto tempo fora de casa, para inclusive não perceber o fato do filho dela está louco para enfiar o seu pau dentro mim.
-- Bella querida, Edward está no escritório! - Esme me informou pegando a sua bolsa que estava sobre sofá — Volto à noite querida e não incomode Edward, ele deve estar trabalhando! - Esme sorriu para mim e rapidamente saiu.
Respiro fundo e me jogo no sofá, ainda estou usando o uniforme da Escola, saia de pregas, blusa branca, meias ¾ e sapatilhas pretas. Mais uma vez suspiro e por algum motivo minha mente vai parar em Edward, que merda! Esse cara anda rondando até os meus pensamentos, já não basta o efeito vergonhoso que ele tem sobre o meu corpo, ele ainda tem que dominar os meus pensamentos? Suspiro e fecho os meus olhos, assim consigo lembrar com perfeição de tudo o que aconteceu entre mim e ele, só não consigo entender o porquê de eu não ter fugido. Passo a língua pelos meus lábios e consigo sentir o seu gosto em minha boca, por algum motivo o meu corpo treme... Sou tirada dos meus pensamentos pelo telefone tocando, não havia ninguém na sala e como o telefone estava ao meu lado, eu mesma atendi...
-- Casa da família Cullen! – Atendo...
-- Venha à biblioteca Isabella! – Senti um arrepio por todo o meu corpo quando reconheci a voz de Edward — Outra coisa... ...tire a calcinha...
Ele não esperou por minha resposta, apenas desligou o telefone e me deixou completamente ofegante. Levei alguns segundos para sair do choque em que eu me encontrava. Ele queria me ver, isso estava claro, mas ele queria que eu fosse ao seu encontro sem calcinha... Minha razão gritava para eu não ir, porém o meu desejo temperado com a minha curiosidade falaram mais altos e eu acabei indo ao seu encontro, levando a minha mochila que estava jogada no chão da sala... Caminhei em direção à biblioteca, mas antes de bater para entrar, eu fiz o que Edward havia me pedido, eu tirei a minha calcinha e  a guardei dentro da minha bolsa. Não tive nem tempo de bater na porta, pois ela fora aberta abruptamente e Edward apareceu. Prendi a minha respiração ao vê-lo, ele estava lindo, vestindo calça jeans preta e uma camisa branca de linho com os dois primeiros botões abertos, os seus cabelos estavam bagunçados com sempre e ainda como de costume, ele tinha o velho e atraente sorriso torto nos lábios.
-- Eu já estava indo atrás de você! - Edward me advertiu — Eu iria trazer você arrastada pelos cabelos - Meus olhos se arregalaram com o seu comentário — Agora que já me poupou este trabalho, entre...
 Senti o meu coração saltar do meu peito, e pior ainda, senti as minhas coxas molharem. Eu não sabia o porquê, mas esse jeito mandão e misterioso de Edward me deixava com muito mais desejo e tesão, além de deveras curiosa para saber em que tudo aquilo iria dar... ontem ele  não me desvirginou! Ele apenas me ensinou como chupá-lo e também chupou deliciosamente a minha boceta. Merda ele estava me olhando, agora eu com certeza estou corando de novo...
-- Estou esperando você, entrar! - Edward disse me tirando de meu transe.
Caminho  entrando na biblioteca, há vários livros, em todas as paredes havia estantes cheias de livros. Uma mesa de madeira pura no final do espaço, em cima dela tinha um notebook e alguns livros, no canto esquerdo, um sofá branco que parecia ser muito macio e no chão um tapete felpudo na cor negra. Edward fechou a porta atrás de mim, eu sabia que ele estava me olhando, sentia os seus olhos sobre mim. Caramba a minha boceta estava ficando ainda mais molhada, eu deveria sentir vergonha, mas eu gostava quando ele me olhava, Edward estava bagunçando todo o meu juízo e por algum motivo ainda desconhecido por mim, eu gostava muito daquilo...
-- Como foi a sua aula? - Edward perguntou passando por mim, caminhando em direção à mesa e se sentando na cadeira que estava ali...
-- Boa! - Digo em um sussurro.
-- Que bom! - Edward murmura já sentado e sua mão direita está em seu queixo, ele me olha, eu tenho certeza que ele está me examinado — Vem aqui!
 Dois segundos depois de ouvi-lo falar, eu estou me movendo em sua direção,  as minhas pernas estão tremendo levemente, eu não sei o que esperar, eu me apoio na borda da mesa com medo de cair. Dou mais dois passos e paro ao seu lado.
-- Eu gosto desse seu uniforme! - Edward diz passando os dedos pela borda da camisa branca que eu estou usando — Mexe com a minha imaginação e você nem imagina o quanto.
Minha boca fica seca e o meu coração dispara dentro do meu peito, eu sinto os dedos de Edward entrando por baixo da minha saia e subindo pela lateral da minha coxa esquerda até tocar o meu centro de prazer, onde ele consegue perceber o quanto eu estou molhada...
-- Você está pingado de tesão menina! - Edward diz e seus olhos verdes estão em mim — Isso tudo é por que está comigo? - Fico calada, então ele belisca o meu clitóris, me fazendo gemer de dor — Me responda Isabella? Está molhada assim por minha causa?
-- Sim! - Digo quase gemendo, os dedos dele estão mexendo nos meus lábios vaginais, eu estou ofegante...
-- Bem minha pequena cadelinha, eu também estou duro por você! - Edward diz me pegando de surpresa, não por está duro, isso eu podia ver, a sua calça estava inchada e o volume era bem visível, mas por me chamar de cadelinha — Venha sente-se aqui no meu colo! - Edward disse afastando a cadeira e dando um pouco de espaço para eu sentar — Vamos Isabella!
Caminho em sua direção e  me viro para sentar de lado em seu colo, mas ele me impede. Eu olho para ele confusa, não entendo o porquê dele fazer isso.
-- Eu quero que você se sente de frente para mim! - Edward diz me colocando de frente para ele — Cada perna sua em volta de minha cintura...
Engulo a seco, porém eu faço exatamente o que ele pede, eu me sinto exposta nessa posição, não é legal, ainda mais por eu estar sem calcinha... eu posso sentir o seu pau roçar em minha boceta através do jeans...
-- Muito bem querida! - Edward toca o meu rosto com a ponta dos dedos — Agora eu quero que você me escute com atenção, tenho uma coisa para te dizer e um presente para te dar.
Minha mente fica perdida quando ele fala a palavra     presente... O que ele poderia querer me dar? Não é o meu aniversario e nem mesmo ele tem um motivo para isso. Edward apenas gosta de abusar do meu corpo, nada mais, por que essa de presente agora?
-- Hoje à noite quero que você me espere no jardim! - Edward diz e seus dedos estão contornando os meus lábios — Tenho algo que quero te mostrar. Talvez você goste talvez não, mas você só vai saber depois — Edward  descer os dedos pela minha blusa e começa a abrir os primeiros botões - Nada de calcinha, ponha um vestido, eu imagino que você tenha! E não se preocupe não vamos sair da propriedade!
Edward continuava a falar e minha blusa, a essa altura, já estava totalmente aberta, deixando a mostra o meu sutiã branco com bolinhas azuis. Edward sorriu ao ver o meu sutiã e passou os dedos pelo aro de sustentação da peça, logo ele voltou a me olhar nos olhos...
-- Você transpira inocência menina! - Edward disse curvando a cabeça para frente e dando um beijo no meu colo exposto — E eu gosto disso! - Ele sorriu para mim, me presenteou com aquele sorriso torto que me deixava tonta — Agora vamos ao seu presente! - Edward disse abrindo uma gaveta e tirando de lá uma caixa pequena, mas não tão pequena  assim... — Você me pegou de surpresa quando me disse que era virgem! - Ele começou a dizer e colocou a caixa sobre mesa — Confesso que tive que mudar os meus planos com você. Mas isso não quer dizer que eu não vá comer você.
Mais uma vez o meu coração saltou no meu peito, as palavras dele não poderiam ser mais claras do que estavam sendo, Edward sempre foi direto ao ponto comigo, nunca fez jogo ou nada desse tipo, ele era sempre direto e na lata, eu sempre  cedia porque o meu corpo traiçoeiro gostava, e como gostava desse lado safado e depravado dele...
-- Eu estou louco para enfiar o meu pau nessa sua linda boceta! - Edward disse levantando de leve a minha saia e tocando o meu clitóris inchado — Mas eu sei que você é virgem, então vamos fazer diferente - Edward me olhava — Eu tive que mudar os meus planos, então eu vou começar fudendo esse seu buraquinho aqui! - Edward disse e a sua outra mão tocava o buraco enrugado do meu ânus, fazendo com que o meu corpo tremesse — Relaxe boneca, não vai ser hoje! - Edward me tranquiliza — Tenho que preparar você antes, por mais deliciosa que você seja, o seu buraquinho é pequeno demais para o meu pau! Ele precisa ser preparado...
Ele sorriu para mim o meu sorriso torto predileto, o mesmo sorriso que indicava que ele estava se divertindo, eu ainda estava digerindo tudo o que ele disse, eu estava perdida demais tentando focar em algo que não seja aqueles gulosos olhos verdes em mim.
-- Eu comprei isso especialmente para você! - Edward diz pegando a caixa sobre a mesa — Vamos começar com esse pequeno, depois vamos aumentando o tamanho do brinquedo...
Meus olhos se arregalaram quando ele me mostrou um objeto que parecia um pênis, porém era pequeno, era de metal e parecia ser desconfortável.

-- Vai incomodar no começo, mas depois você se acostuma — Edward explica — Levante e deite sobre a mesa!  - Não me movo — Vamos Isabella!
Como muito esforço, eu faço o que Edward diz. Ele me deita sobre a mesa deixando a minha bunda bem empinada para ele, eu sinto as suas mãos levantando a minha saia. 

Sinto algo gelado tocar o meu ânus e estremeço...
-- É apenas um lubrificante querida! - Edward disse voltado a passar o gel — Você terá que usar esse plug anal durante toda a semana! No sábado eu mudarei para outro maior! - Edward avisou — Mas até sábado vamos nos divertir muito minha querida!
-- Ah! – Solto um gemido quando eu o sinto empurrar aquela coisa dentro do meu buraco intocado.
-- Relaxe menina! Apenas relaxe! - Edward disse então eu senti os seus dedos no meu clitóris me estimulado cada vez mais, fazendo com que a dor que incomodava antes fosse substituída por prazer — Viu como é fácil! Edward disse e voltou à empurrar aquele troço em mim, até estar todo dentro... — Leve isso com você! - Edward me entregou um vidro em que havia escrito lubrificante — Você tem que usar isso para colocar o plug anal dentro do seu ânus.

Edward me vira de frente para ele e em seguida se senta em uma cadeira abrindo as calças, então ele coloca o seu membro para fora...
-- Vem quero que você me chupe! - Edward diz — Estou louco para foder essa boquinha! - Eu fico parada no mesmo lugar, essa coisa dentro de mim está me incomodando — Vamos Isabella, não me faça perder a cabeça com você!
Fico assustada com as palavras dele, mas faço o que ele ordena, eu me ajoelho no chão e pego o seu membro entre as minhas mãos, começo um movimento lento, me lembro de tudo o que ele me ensinou na outra noite, no entanto, me perco na textura do seu membro duro e rígido em minhas mãos. Levo-o a minha boca o chupando devagar, passando a língua em volta do seu cumprimento, eu escuto um gemido sair da boca dele e sinto uma de suas mãos em meus cabelos.

-- Quero que você me chupe todo Isabella! - Edward diz com a voz rouca — Me coloque em sua boca.
Sigo a sua ordem e o coloco dentro da minha boca, começo a chupá-lo bem devagar, mas com o passar dos segundos, passo a sugá-lo com força, arrancando mais gemidos de Edward, eu o sinto crescer dentro da minha boca, minha língua passa em volta de todo o seu cumprimento... 


As mãos de Edward apertam os meus cabelos com certa força, que chega a me causar uma leve dor. Edward passa a movimentar os quadris, fazendo o seu membro entrar e sair da minha boca, às vezes indo até o fundo da minha garganta e me fazendo engasgar... Seus movimentos estavam mais rápidos e o seu membro ficava cada vez mais rígido, eu já até conseguia o sentir pulsando, até que ele gozou dentro da minha boca, enfiando o seu membro bem fundo, até tocar a minha garganta, fazendo o seu gozo escorrer e me obrigando a engolir tudo. O gosto não era tão ruim, mas eu sempre achei estranho, ainda mais quando as minhas amigas falavam que os namorados delas gozavam dentro da boca delas e algumas vezes em outros lugares...

-- Boa garota! - Ele disse ofegante e fazendo um carinho em meus cabelos — Agora vá, está quase na hora do jantar e não se esqueça de me esperar no jardim.
Fiquei de pé imediatamente, eu queria correr dali, mas assim que senti aquela coisa  me incomodando no meu ânus, tive que simplesmente caminhar em direção à porta, pegando as minhas coisas no caminho, eu estava com o vidro de lubrificante nas mãos.
-- E Isabella, nada de tirar o plug anal, só na hora do banho e depois coloque de volta, se não conseguir me procure.
Acenei com a cabeça e sai dali, já em meu quarto, joguei a mochila no chão e me deitei na cama. Fechei os meus olhos com força tentando afastar as lembranças que deixavam o meu corpo ainda mais quente. Era inútil, eu estava atraída cada vez mais por ele. Edward tinha o poder, não só sobre o meu corpo, mas sobre a minha mente também. Ele deixou claro que eu poderia fugir se eu quisesse, mas eu sempre me arisco em sua direção... Então não é só culpa dele, o fato de que ele me seduz e eu acabo indo sem reclamar, eu o desejo, o meu corpo o deseja... Deseja cada coisa que ele faz comigo, acho que a culpa é da minha mente doentia e sedenta por prazer, sempre foi assim... Eu passava horas e horas imaginando como seria a minha primeira vez. Ouvir as meninas falando de sexo e não saber o que era isso me deixava louca de curiosidade. Sim, eu não era nenhuma santa, a minha mãe saia para o trabalho e eu usava o computador para acessar um site pornô, onde se via vídeos. Eu gostava e sentia prazer em ver aqueles caras comendo ou fudendo aquelas mulheres, as chamando de putas e vadias, até mesmo de cadelas, eu acho que por isso eu senti tanto tesão quando Edward me chamou de cadelinha... Meus vídeos preferidos eram os que os homens definitivamente humilhavam as mulheres, eu sentia tanto prazer em ver aquilo que me imaginava ali... Assim como já me imaginei sendo comida por dois homens ou até mais, já me imaginei sendo compartilhada por vários caras e até mesmo por mulheres, eu gostava desses vídeos, nunca contei sobre isso para ninguém, eu tinha medo de ser chamada de louca. Acho que é por isso que gosto quando Edward me toca e abusa de mim, eu gosto do modo como ele faz tudo parecer tão prazeroso...
Tirei aquela coisa que Edward chamou de plug anal para poder tomar banho, assim que terminei de me vestir, eu coloquei o plug de volta, claro que fiz sozinha, eu não iria dar o gostinho dele colocar aquilo de novo em mim... Terminei  de me arrumar e me olhei no espelho, eu estava usando um vestido como ele havia me ordenado que o fizesse... ...porque é isso o que ele faz, ele ordena e eu o obedeço... Eu acabo sempre fazendo o que ele quer. Sei que dois dias não é muito tempo, mas sei também que não vai acabar assim tão cedo. O jantar foi servido às sete hora, com sempre. Esme e Carlisle estavam conversando sobre algumas coisas que eu não dei muita atenção. Edward não estava à mesa e nem Alice o que não era muito comum. Terminei de jantar e me recolhi, esperei que todos fossem dormir, assim que as luzes foram apagadas eu tive a certeza de que mais ninguém estava andando pela casa, sai da cama e antes de sair do quarto tirei a minha calcinha e a jogue no meio do quarto, eu segui com cuidado e com medo de ser pega para o jardim. Fique quase meia hora ou até mais esperando por Edward, estava frio aquela noite, por mais que fosse verão ainda era frio à noite... Eu levei o maior susto quando Edward me agarrou, por sorte ele tapou a minha boca para eu não gritar.
-- Relaxe sou eu! - Edward disse ao meu ouvido — Vou soltar você, mas não grite!
-- Você me assustou! - Digo assim que ele me solta.
Edward me olha de cima a abaixo  e sorri para mim passando as mãos pelos meus cabelos e os toca com o seu queixo de leve...
-- Você seguiu todas as minhas regras? – Ele me questionou deixando-me corada — Você é uma cadelinha muito obediente Isabella...
Abaixo a cabeça e sinto a pulsação aumentar no meio das minhas pernas. Edward toca o meu rosto e segura as minhas mãos.
-- Venha! Tenho algo para te mostrar! - Edward diz e me puxa em direção ao lago — Não faça nem um tipo de barulho, está me ouvindo Isabella?
-- Estou! - Digo baixo.
— Ótimo não quero ser pego e ainda mais com você, isso me daria muitos problemas - Ele argumenta — Agora preste atenção, nós vamos apenas observar, nada mais do que isso. Se fizer qualquer besteira terei que castigar você depois...
Claro que eu fique com medo quando ele disse que iria me castigar, mas a pressão entre as minhas pernas ficara ainda maior e eu me sentia ainda mais quente, só de imaginar que tipo de castigo ele poderia estar pensando em me dar. Caminhamos em direção à casa do outro lado do lago, por um momento achei que íamos  entrar, mas rodeamos  a casa e paramos em frente a uma janela de vidro, onde havia luz e um rapaz alto, moreno e forte.
-- O nome dele é Jacob Black, o pai dele cuida do jardim da minha mãe! - Edward diz...
Edward estava atrás de mim, o seu corpo muito colado ao meu, eu podia sentir a sua ereção na minha bunda, as suas  mãos estavam em volta de minha cintura, me mantendo assim parada, no mesmo lugar.
-- O que ele faz aqui? - Pergunto tão baixo que duvido que ele tenha ouvido.
-- Você vai já descobrir... - Edward diz e sei que ele escutou a minha pergunta.
Jacob usava apenas uma bermuda, ele estava sem camisa, o seu peitoral era forte e bem definido, ele era bonito, sem duvidas, ele tinha lábios grossos e o seu porte era de um perfeito guerreiro... Seus cabelos eram curtos, o que o fazia parecer mais sexy ainda, não demorou muito para uma garota baixa e de cabelos acobreados entrar e se jogar direto nos braços do tal Jacob, ela usava um vestido branco bem decotado com meias pretas e sapatilhas sem salto, ela parecia uma menininha assim como eu, mas a cara dela era de uma grande safada...
-- Reneesme é afilhada de minha mãe, assim como você! - Edward disse — Só que Reneesme é da família, ela é a filha bastarda do meu tio Eliezer,  uma filha fora do casamento - Edward sussurra ao meu ouvido me deixando com calor — Ela é tão puta quanto às irmãs.
Meu corpo se arrepiou todo, eu senti algo molhar as minhas coxas, o meu tesão estava ficando cada vez maior. Voltei o meu olhar para aquela cena, Jacob tinha as mãos dentro do vestido da jovem Reneesme, ele estava apertando a bunda dela e com um movimento rápido ele ergueu a menina do chão fazendo as pernas dela ficarem aprisionadas em volta de sua cintura, às mãos dele não saiam da bunda da garota e o beijo deles ficava cada vez mais intenso e cheio de tesão...
-- Nessie namora Jacob há dois anos! – Edward fala e a sua boca está em meu pescoço e as suas mãos apertando os meus seios sobre o vestido — Minha mãe nunca ligou, até porque nós conhecemos a família do Jacob e para a minha mãe, Jacob é um bom rapaz.

-- E ele não é? – Eu pergunto ofegante e extremamente baixo...
-- Oh sim, Jacob é um bom namorado para Nessie! - Edward diz, mas há sarcasmos na voz dele — Ele faz todas as vontades delas, até mesmo transar com ela e mais pessoas!
Todo o ar fica preso no meu pulmão, eu volto a me concentrar na cena, só então vejo um rapaz encostado à parede no canto direito do local, ele tem seu pau nas mãos e o está massageando, o estimulando ele mesmo...
-- Nessie é uma safada! - Edward diz mordendo a minha orelha - Ela adora um trepada sacana!
As palavras de Edward me deixaram ofegante, eu tento me concentrar na cena que acorre dentro da casa. Jacob joga  Nessie, como Edward mesmo a chamou, sobre o sofá, a menina tinha um sorriso no rosto e passava a língua pelos lábios de maneira provocante. Nessie abre as pernas, passa as mãos pelas coxas subindo o vestido. O rapaz que estava no canto, chega mais perto onde à menina estava e coloca o seu pau na boca dela, o qual Nessie chupa com vontade.


-- O outro rapaz é Quil, amigo de Jacob, eles fazem faculdade juntos! - Edward me explica, eu sinto uma de suas mãos descendo pela minha barriga, entrando no meu vestido e tocando o meu sexo melado com os dedos — Você gosta do que vê Isabella?

-- Eu... - Não consigo falar, eu estou ofegante, Edward está mexendo nos meus lábios vaginas, abrindo com os seus dedos e me torturando...
-- Sua boceta parece gostar... - Edward diz e a ponta de seus dedos entra em mim — Quero que preste bem atenção no que irá acontecer, eu irei fazer algumas perguntas para você depois.
Solto um suspiro, sentindo os seus dedos  em mim, me torturando ainda mais. Ficaria difícil prestar atenção em algo com ele me torturando daquele jeito. Volto a olhar para dentro da casa e vejo Nessie montada em cima de Quil, subindo e descendo no pau do rapaz, gemendo feito uma cadela no cio. Jacob chega mais perto e enfia o seu pau dentro da boca dela sem o menor cuidado.

Nessie rebola cada vez mais rápido no pau Quil, que uma vez ou outra dá uma tapa na bunda da menina, que chupava com força o pau de Jacob... Edward belisca o meu clitóris, me fazendo gemer baixinho e ofegar... jogo a cabeça para trás apoiando-me em seus ombros, minha boca está aberta e os dedos de Edward tão me maltratando, eu estou pingando de tanto tesão.
-- Você é tão putinha quando a minha priminha! - Edward diz ao meu ouvido mordendo a ponta de minha orelha, me fazendo soltar um gritinho quase mudo — Sua boceta está molhada pedindo por meu pau querida!
-- Edward...
-- Shiiii... shiiiii! Olhe para frente querida, está perdendo um belo espetáculo - Edward me interrompe...
 Com muito esforço olho para frente, para ver os três sentados no sofá... Quil, o amigo de Jacob,  sentado  com Reneesme no colo de Jacob. A principio eu não consigo ver direito, mas depois  vejo que Jacob  estava fudendo o rabo de Reneesme, enquanto Nessie chupava o pau de Quil que gemia e puxa os cabelos da jovem, forçando ao seu pau entrar ainda mais na boca da menina... Jacob se curva praticamente deitado de lado, metendo com força dentro da jovem, que agora manuseava com as mãos o pau de Quil, que tinha os olhos fechados... 



eu estava ofegante e os meus lábios entreabertos.

_ Oh! - Solto um gemido quando sinto o pau de Edward sendo esfregado na minha boceta. Não vi a hora em que ele abriu as calças tirando o seu membro para fora.

-- Calada Isabella! - Edward diz voltando a esfregando   o seu pau em minha boceta, passando o seu membro em meus lábios vaginais – Olhe para frente querida e se concentre...
 Meus olhos se arregalaram, a minha boca se abre e vejo que a cena dentro da casa já é outra, eu sinto o meu tesão escorrer pelas minhas pernas, então  fecho e abro a boca. Nessie estava sentada no pau de Quil, ela tinha o pau dele todo dentro de sua boceta, atrás dela estava Jacob metendo o seu pau todo no rabo dela, fazendo a jovem  gemer e gritar de prazer. 


Jacob chamava  vários nomes de baixo calão para a namorada e a cada vez que ele batia na bunda dela, ele puxava mais os cabelos dela, ele metia com mais força ainda dentro da jovem. Ele a chamava de cadela, puta, vadia, dentre outros acunhas... Ele dizia para ela parar de gritar e rebolar mais, pois toda vadia só servia para agradar o seu macho. Algumas vezes, era o próprio Quil quem a mandava rebolar a chamando de cachorra. Dando tapas na cara dela, sem deixar de meter forte dentro nela. Todos ficaram nesse ato até Reneesme gozar, gritando  alto. Jacob retirou o seu pau de dentro dela deixando apenas Quil fodendo à namorada até que ouviu que Quil também tinha gozado. Nessie saiu de cima de  Quil e caminhou em direção a Jacob que estava sentando em uma cadeira, a menina sentou no pau dele que ainda estava duro e começou a rebolar  com força,  fazendo a sua boceta engoli todo o pau do namorado, ele, uma vez ou outra, batia na bunda da menina a chamando de vadia e puta...

-- Oooooh! - Nessie gemeu  se apoiando ainda mais na cadeira e com mais força descendo do pau do amado — Vai Jacob dá leitinho para a sua putinha - Reneesme disse gemendo  em cima do pau de Jacob que gemia alto. Quil estava no sofá apenas vendo tudo, ele estava suado, assim como o casal que se divertia na  cadeira. Jacob tirou Nessie do seu colo e a colocou de frente para Quil, a fazendo sentar de novo em seu pau, voltando a rebolar, Nessie fazia caras e bocas para Quil, era visível o tesão na cara da menina.

-- Está vendo Quil! - Jacob diz com uma voz rouca — Como minha putinha adora leva pau nessa boceta!
Nessie deu um sorriso safado para o amigo de Jacob e passou a língua pelos seus lábios, Jacob apertou os seios da jovem que gemia jogando a cabeça para trás, Jacob movia os quadris para frete  e para trás, entrando ainda mais fundo dentro da jovem, a fazendo gemer mais alto e alguns minutos depois, Jacob tirou ela de seu colo... Nessie na mesma hora se colocou de joelhos aos pés de Jacob e o rapaz manuseou o seu pau até o seu gozo jorrar todo no rosto de Reneesme, que ainda passou a língua pelos lábios, lambendo uma boa parte.

-- Fica de joelhos! - Edward disse me tirando do transe da cena — Vamos Isabella vou gozar em sua boca.
Não sei se movida pelo momento ou se pelo desejo, eu me coloquei de joelhos e não esperei ele mandar, eu simplesmente caí de boca  em seu membro, o chupando, o lambendo com força. Deixando ele todo molhando... 

Edward segurou a minha cabeça pelos cabelos e começou a se mover, fudendo a minha boca, fazendo o seu pau entrar e sair da minha boca, indo até a minha garganta, porém dessa vez, eu não engasguei e nem senti vontade de vomitar, eu estava gostando de ter ele dentro da minha boca, eu o queria mais e mais dentro dela, comecei a chupá-lo com mais intensidade, arriscando até uma mordidinha de leve na cabeça do seu pau, arrancando um gemido dele e ganhado uma tapa na cara... Minha primeira reação foi parar com os movimentos, mas logo em seguida veio o carrinho da parte dele e eu voltei a chupá-lo, sentindo ele cada vez mais inchado, assim como as suas veias... Edward passou a se mover com rapidez, então gozou na minha boca. Dessa vez eu engoli tudo sem precisar dele me dizer para fazê-lo.

-- Boa menina! Boa menina! - Ele sussurrou ofegante...
Edward era muito contido, até mesmo quando eu o chupava, seus gemidos eram baixos e discretos. Ele me ajudou a ficar de pé  e arrumou o meu vestido... lógico que o meu vestido estava todo amassado, ele passou as mãos pelos meus cabelos e passou um dedo no canto dos meus lábios retirando um pouco do seu gozo que havia escorrido por ali. Ele levou o seu dedo a minha boca e eu o chupei com volúpia, não sei se por reflexo ou porque já queria fazer isso... Não dava mais para negar, eu estava gostando de tudo aquilo, era como ter todos os meus desejos e fantasias em prática e Edward parecia saber exatamente como fazer isso...
Continua...

Um comentário: