Jul M

Oi

sábado, 23 de março de 2013

O Casamento -- O Novo Contrato -- Capitulo 18



“A coisa mais importante que você irá aprender é amar e ser amado em troca."
                           Moulin Rouge - Amor em Vermelho


NOITE PERFEITA!

O corpo de Isabella estava esparramado sobre a cama, sua cabeça estava aconchegada ao peito de Edward e a sua respiração estava suave e tranquila assim como ela... Edward tinha um braço em volta da cintura da menina e com o outro ele passeava os seus dedos formando linhas imaginarias nas costas da jovem. Isabella dormia nos braço do seu amado... Edward tinha um sorriso bobo nos lábios, um sorriso verdadeiro que há muito tempo ele não dava, tanto tempo que ele nem sabia o quanto... Porém uma certeza ele tinha, ele nunca se sentira assim nem com Maggie e tão pouco com Jane a quem nunca amara, mas quase se casara.

-- Você é minha! - Edward sussurrou beijando os cabelos de Bella – Apenas minha!
Ele nunca se sentira tão possessivo em relação a alguém, fora Tony que era o seu filho e sua mãe Elizabeth, no entanto com Bella era diferente, tudo era mais forte, tudo era mais intenso e naquela noite Edward teve a prova disto, ainda mais quando as imagens vinham a sua mente.

MOMENTS ON.

Bella estava deitada sobre a cama e agarrava fortemente os lençóis, enquanto a cabeça de Edward estava no meio de suas pernas, a boca do rapaz chupava intensamente a boceta da jovem, com força e muita veemência, tanto que parecia que o jovem estava desesperado. O corpo de Isabella arqueava na cama a cada nova sugada ou mordida em sua intimidade, a cada nova lambida ou penetração da língua do rapaz a jovem se contorcia toda na cama gemendo e gritando o nome do amado.




 As mãos da jovem Swan estavam em seus seios os apertando e os pressionado, ela dava ainda mais prazer a si mesma. Quando Isabella estava prestes a gozar em sua boca, Edward parou bruscamente ficando de joelhos sobre a cama e com um olhar cheio de desejo para cima da jovem que estava ofegante. Edward afastou as pernas de Isabella, as mantendo bem abertas para ele, Isabella tinha a face tão corada, ela nunca tinha ficado assim tão exposta para alguém como estava agora para Edward...
Apenas mantendo contato com os olhos, Edward lentamente começou a penetrar a jovem, que fechou os olhos com ato e gemeu quando sentiu todo o membro do rapaz alojando-se dentro dela.



 Edward estava extasiado sentido o prazer de estar dentro da jovem pele com pele. Soltando um suspiro, Edward começou a se mover, no começo devagar, experimentando e curtindo o contato de ambos, mas aos poucos tudo ficou mais urgente e a volição de possuir sua mulher ficou ainda maior. Bella gritava a cada nova investida do jovem, o corpo dela balançava na cama fazendo a mesma ranger devido aos movimentos rápidos e selvagens. A face vermelha de Isabella e os lábios inchados, fora a última coisa que Edward viu antes de ser dominado pelo êxtase do prazer, sendo seguido de perto por Bella que gritava o seu nome a cada novo tremor que o seu corpo sentia ao extravazar os seus orgasmos.




MOMENTS OFF

A voz de Bella tirou Edward de suas lembranças a jovem estava falando enquanto dormia. Não era a primeira vez que acontecia isso, mas era a primeira vez que ela chamava por ele em seu sono e dizia que o amava. Logo o sorriso bobo em seu rosto ficou ainda maior e o braço que estava em volta da cintura da jovem se fechou ainda mais em volta do corpo dela. Ele sabia que Isabella não acordaria tão cedo, até porque já passava das três da manhã e a noite deles fora muito mais longa e animada do que eles planejavam... Naquela noite ele queria dar prazer a Bella, mas acabava sempre se envolvendo e acabava perdendo a cabeça e cedendo ao desejo. As lembranças daquela noite tomaram conta completamente da mente Edward, deixando claro o quanto fora bom para ambos
.
MOMENTS ON

O corpo de Bella estava sobre o de Edward, a jovem subia e descia com perfeição sobre o membro duro de Edward. A boceta da moça, cada vez mais apertava o membro do rapaz, o prendendo dentro dela e assim fundido os dois de vez. A cada novo movimento, mais prazer ambos sentiam. Edward segurou a cintura da amante e passou a movimentá-la para cima e para baixo, fazendo Isabella descer sobre ele com mais intensidade, provocando mais deleite para os dois. 



As mãos do rapaz não conseguiam ficar paradas em um só lugar do corpo da jovem, elas estavam sempre passeando por toda a sua amada, a apertando e a torturando ainda mais, fazendo o seu prazer ficar ainda maior.
-- Edward! - Um gemido doce escapou dos lábios de Isabella.
Usando as mãos para se apoiar contra a cabeceira da cama, Isabella começou a se movimentar com mais força, dando leves pulinhos encima de Edward, deixando com que o membro do rapaz a preenchesse ainda mais, deixando-a a beira do abismo. 



Com movimentos rápidos Edward se pôs sentando com Isabella no seu colo, investindo seus quadris, a penetrando com mais intensidade e força, fazendo a jovem gritar e gozar chamando o seu nome.


MOMENTS OFF

As caricias nas costas de Isabella foram ficando cada vez mais leves, Edward não estava conseguindo dormir, havia muitas coisas em sua cabeça e a maior parte delas, se tratavam do acontecido com Isabella, o modo como ela não se deixou abalar, mesmo com tudo o que lhe aconteceu... E claro, ele estava ardendo em raiva por saber que Mike estava tão perto dela. Ele não poderia acabar com ele, não agora, não sem provas. Edward suspirou tentando afastar o pensamento, mas Isabella se mexeu e sussurrou o seu nome de novo, Edward olhou para a jovem que ainda dormia... Ela estava calma e tranquila sobre o seu peito. Era um vicio ver a jovem assim tão perto dele, tão sua e sorriu com as lembranças do que fizeram naquela noite.

MOMENTS ON



Isabella estava de quatro na cama, Edward investia forte a segurando pela cintura... A cada nova investida, o corpo de Isabella era jogado para frente, as mãos do rapaz percorriam todo o corpo da amada, assim como a sua boca, que a tortura na nuca, nas costas e até em sua bunda, com o jeitinho só dele... Edward coseguia dar beijos e mordidas na carne da bunda da moça, fazendo Isabella gritar de prazer... Segurando Bella firmemente, Edward metia e metia, fazendo Isabella o sentir entrando e saído de sua boceta molhada em um frenesi delicioso...


-- Edward! - Gemeu Isabella.
-- Devagar bebê! Agora vamos devagar! - Edward disse se movimentando lentamente — Quero ver você dolorida prazerosamente amanhã, e a cada sensação dolorida, quero que você saiba que fui eu quem estive ali...


A jovem gritou e apertou os lençóis por todo o deleite que estava sentindo, era uma agonia prazerosa e muito boa. Os movimentos de Edward eram lentos e bem torturantes, mas deixavam Isabella ciente que era Edward quem estava dentro dela e que era ele quem a estava deixando louca...
--Por favor! - Ela gemeu movendo os seus quadris para trás, o fazendo entrar mais fundo dentro dela — Edward mais rápido.
Não fora para atender ao pedido dela e sim dos dois. Edward passou a se mover mais rápido e a cada nova investida a boceta de Isabella se apertava em volta do membro do homem. E fora em questão de segundos, assim que os dedos de Edward tocaram o clitóris inchado de Isabella, que ela gritou gozando com força ao ponto de seu corpo cair sobre a cama em uma tremedeira só... Edward ainda investiu mais uma, duas, três vezes e apertou a cintura da jovem para então liberar o seu gozo dentro dela, caindo assim ao seu lado da cama. Suado e ofegante.

MOMENTS OFF

A voz doce de Isabella tirou Edward de seus pensamentos, ele olhou para a mulher que estava meio sonolenta e coçando os olhos para tentar focar o rosto do jovem.
-- Você não vai dormir? - Ela perguntou sonolenta.
-- Estou sem sono! - Ele disse e a apertou de encontro ao seu peito — Durma querida, você precisa descansar!
Não era o que Bella desejava, mas ela estava tão cansada que não conseguiu argumentar com o namorado e acabou adormecendo em seus braços novamente.
....
Ela estava linda, tinha um belo sorriso em seus lábios e os seus cabelos estavam muito bem arrumados. O batom em um rosa fraco, apenas realçando os seus lábios perfeito. O rosto de menina não denunciaria nunca a sua idade, ela caminhou em direção à mesa ao final do salão, uma mesa tão discreta que quase ninguém poderia ver eles ali. Olhou mais uma vez para o relógio como se tivesse muita pressa e de fato ela tinha... Então ela puxou a cadeira por sua vontade, não esperou o cavalheirismo do jovem que estava à mesa a sua espera.
-- Eu realmente espero que seja um motivo importante para ter me chamando assim, encima da hora! – Falara o jovem de olhos azuis e cabelos dourados, pois ele não estava nada feliz em estar naquele local, ainda mais já tão tarde da noite.
-- Mike querido, se você não está feliz em estar aqui, imagine eu? - A jovem mulher disse ao se sentar.
-- O que você quer? - Perguntou Mike sem nem uma gentileza.
-- Mike quando alguém como eu paga por um trabalho... - A jovem disse — Eu espero uma resposta! Eu quero que você a destrua, você já sabe tudo que tem que fazer, por que ainda não fez? - O tom da jovem era arrogante.
-- O quê que você quer que eu faça? - Mike questionou — Você sabe muito bem que eu não posso simplesmente fazer algo agora!
-- Eu paguei caro por isso e quero resultados! – a jovem aumentou um pouco o seu tom de voz — Eu quero Isabella Swan fora do meu caminho, quero o quanto antes...
-- Sabe que ele não vai deixar eu chegar perto! - Mike disse - Ele já colocou o amiginho dele na minha cola.
-- Emmett? - A jovem disse.
-- Tudo bem, eu vou tirar ele do seu caminho! - A jovem afirmou — Agora espero que faça o que combinamos, eu já dei o que você queria, então faça!
-- Você terá o que deseja! - Mike a confortou — Agora me responda uma coisa! - Mike questionou e seus olhos brilhavam de curiosidade - Você acha mesmo que o jovem Cullen vai notar você? Bem, até onde eu sei vocês já se conhecem a muito mais tempo do que todos acreditam, e ele nunca olhou para você, por que acha que agora ele vai te notar?
-- Isso não é da sua conta! - A jovem replicou ficando de pé — Apenas tire Isabela do meu caminho, não importa como, apenas faça...
Com a mesma elegância que entrou a jovem saiu sem um fio de cabelo fora do lugar e com o mesmo sorriso inocente nos lábios. O que dizer dessa inocência, que não existia... Ela tinha planos para Isabella, planos que não eram nada adequados...
....
O sol nasceu forte no céu de Manhattan, Edward estava na empresa, ele só ficou mais calmo depois que Lian seguiu com a namorada para a livraria. Edward não estava cansado, mesmo tendo passado a metade da noite acordado, preso as lembranças com Isabella.
-- Senhor Cullen! - Mary disse ao interfone – Há dois senhores querendo falar com o Senhor!
-- Mary quem são? - Ele não tinha nenhuma reunião marcada naquela manhã.
-- Eles são da Policia Senhor Cullen!
-- Mande-os entrar! - Edward não entendeu nada, mas seria mais fácil entender se ele conversasse com os homens.
Dois homens usando ternos baratos e sapatos baratos entraram em sua sala, ambos sérios e com óculos escuros. Um alto e outro baixo. Com certeza estavam tentando intimidar Edward com suas caras de maus.
-- Senhores! - Edward disse.
- Sr. Cullen, eu sou Marcos e esse é meu parceiro Mionel! - O homem mais alto disse
-- Olá, posso saber o que desejam comigo? - Edward fora direto a sua postura arrogante voltou...
-- Sr. Cullen você conhece Maggie Scott? - O homem chamando Mionel perguntou.
-- Sim! Estudamos juntos e ela é a mãe do meu filho! - Edward disse.
-- Vocês são ou foram casados? - Marcos perguntou.
-- Nunca fomos casados! - Edward disse — Maggie engravidou sem querer e nunca quis o filho, é por isso que o menino vive comigo e meus pais.
-- Quando foi à última vez que viu Maggie Scott? - Marcos perguntou.
-- Acho que já tem mais ou menos um mês que não a vejo! - Edward disse enrugando a testa — Qual e motivo de todas essas perguntas?
-- Sr. Cullen a senhorita Scott foi encontrada morta no quarto de um motel barato na beira de uma estrada na saída de Manhattan! - Marcos disse — Junto com as coisas dela tinha uma foto sua e o seu número de celular.
-- A Maggie está morta? - Edward perguntou surpreso e chocado! — Como?
-- A Srta. Scott fora morta e degolada! - Mionel disse - Senhor Cullen as cenas são fortes e muito assustadoras.
-- Do que estão falando? - Edward disse sem entender nada, ele ainda estava pálido com a noticia.
-- O modo como a Srta. Scott foi morta - Marcos anui — Ela foi estuprada e degolada...
-- Vocês não estão pensando que fui eu? - Edward disse por fim entendo todo o motivo do interrogatório.
-- Tinha muitas informações sobre você com ela! - Marcos explica - Sr. Cullen, o senhor terá que prestar um depoimento sobre o quê fez ontem à noite entre as seis até por volta das oito horas da noite!
-- Eu terei que levar o meu advogado? - Edward perguntou levantando a sobrancelha.
-- Sr. Cullen, o senhor terá que ir até a delegacia para poder prestar o seu depoimento!
-- Não posso fazer isso! - Edward argumentou — Senhores, eu sou um pessoas pública, ser visto entrando em uma delegacia não seria nada bom para a minha imagem.
-- Onde você esteve ontem à noite por volta das seis até às oito? - Marcos perguntou.
-- Em casa com a minha mulher! - Edward disse.
-- Já nos informamos Sr. Cullen, você não veio trabalhar ontem! - Marcos disse.
-- Não! Minha mulher passou mal e fiquei em casa fazendo companhia a ela! - Edward disse — Senhores, eu não vejo Maggie há quase um mês, eu não a matei.
-- Sr. Cullen, só estamos fazendo o nosso trabalho! – Marcos disse — Sua mulher pode confirmar o que você disse?
-- Não vejo porque não! - Edward assentiu — Podemos fazer assim, vocês passam em meu apartamento a noite e podem pegar o meu depoimento e da minha mulher para poder resolver isso.
-- Estaremos lá! - Marcos diz — Bem era só isso Sr. Cullen. Tenha um bom dia!
-- Duvido muito, mas obrigado mesmo assim! - Edward anuiu – Acompanho vocês até à porta.
Edward levou os dois homens até a porta, ainda estava abalado com a noticia da morte de Maggie, não que se importasse com ela ao ponto de sofrer por sua morte, mas a jovem era mãe do seu filho. Filho que estava órfã de mãe, agora e dessa vez não era a mentira contada por Edward para o menino toda vez que ele perguntava pela mãe. Dessa vez era a mais pura verdade, Maggie Scott estava morta e Edward era um dos principais suspeitos por sua morte.
Continua...


Um Erro E Dois Acerto -- Capitulo 40


Feliz!

Nick dormia tranquilamente nos braços de Isabella enquanto Edward conversava no celular com o detetive. Jane estava presa por vários crimes, assim como James, ambos estavam com vários processos nas costas e o detetive havia garantido que nenhum deles estaria em liberdade por pagar fiança. Invasão, ameaças de morte e porte ilegal de arma eram apenas algumas acusações que tinha em sua ficha.

– Muito obrigado! Boa noite detetive. – Edward desligou o telefone e sorriu olhando para sua esposa com o filho no colo. – Finalmente podemos viajar! – comunicou alegremente – O detetive nos liberou porque vai demorar um pouco para Jane e seus comparsas irem a julgamento.

– Que maravilha! – Bella exclamou ficando de pé.

– Podemos viajar e ter nossa magnífica lua de mel. – sorriu malicioso.

– Eu posso saber para onde iremos? – perguntou curiosa.

– Não porque é uma surpresa querida. – beijou sua testa carinhosamente e aninhou Nick em seus braços – Vou leva-lo para cama.

– Tudo bem... Mas não demore que já estou com saudade. – falou sorrindo.

(...)

Edward estava em pé, ao lado da cama, enquanto a boca de Isabella sugava e chupava seu membro com força. Os gemidos do Cullen eram roucos, porém não deixavam de expressar todo o tesão que sentia ao ver sua esposa o chupando com tanta maestria e vigor.  A menina até parecia uma criança gulosa com medo que alguém roubasse seu doce então engolia tudo que podia fazendo Edward urrar de prazer. 




Com movimentos ritmados Edward começou mover os quadris para frente e para trás fodendo a boca de Isabella. Suas mãos puxavam o cabelo da esposa mantendo-a, de certo modo, com a cabeça parada enquanto ele seguia com seu ritmo forte e implacável até gozar dentro da boca de Isabella. 



A garota lhe deu um sorriso travesso que o deixou ainda mais louco de tesão e então sentou-se na cama com as pernas abertas, dando ao seu homem ofegante a maravilhosa visão do sexo que brilhava tamanha era a sua excitação. Passou lentamente a língua pelos lábios e de forma sexy lambeu o resto do gozo do marido que havia escorrido deixando-o novamente duro.

– Você está me provocando. – disse ao caminhar em sua direção como um felino pronto para atacar a presa – E já sabe muito bem como fico quando faz isso.

Em um movimento rápido e preciso Edward puxou Isabella pelos tornozelos fazendo-a cair na cama de costas e mais rápido ainda se prostrou no meio de suas pernas, deu um sorriso malvado, passou vagarosamente as pontas dos dedos pelo corpo da amada fazendo-a arfar por antecipação ao que viria.

– Você sabe exatamente como me deixar maluco. – falou passando os dedos pelo clitóris inchado da jovem – E está louquinha para ganhar o meu pau bem aqui. – seu dedo entrou e saiu dela fazendo-a gemer e se contorcer – Mas acho que vou fazê-la gozar antes.

Os olhos dela se arregalaram de surpresa, pois sabia muito bem que Edward cumpriria sua palavra. Bella conhecia todos os sorrisos e olhares do homem que lhe dominava por completo e não podia negar que adorava cada faceta dele. Distribuindo beijos molhados por todo o corpo de Isabella, chupado vigorosamente seus seios e beliscando seus mamilos sensíveis, Edward começou seu ataque e a jovem gritou assim que sentiu os dedos do marido invadir a sua entrada molhada. Com movimentos precisos, ele começou a foder a boceta com os dedos e atacar sem dó os seios da menina fazendo com que ela se contorcesse de prazer.



– Adoro vê-la assim tão vulnerável... Tão exposta... – Edward sussurrou com um dos seios dela na boca.

– Edward! – ela gemeu puxando os cabelos do marido que sorria.

Ele desceu a boca pelo corpo de Bella e então tirou seus tão habilidosos dedos de dentro dela para dar espaço para seus lábios e sua língua talentosa. A garota gritou, gemeu e berrou palavras sem sentido enquanto a língua do esposo lhe atacava sem piedade e sem a menor intenção de parar. Bella sabia que ele a faria gozar e não pararia até que conseguisse o que queria o que não demoraria muito, pois ela já sentia espasmos percorrer o seu centro. O corpo dela estava banhado de suor e assim que chegou ao limite do prazer, gritou e puxou fortemente os cabelos de Edward enquanto gozava em sua boca. Seu corpo estava trêmulo, sua face vermelha e a boca entreaberta e Edward engoliu até a última gota do seu prazer e só então abandonou a intimidade da esposa que ainda estava em êxtase devido ao intenso orgasmo que acabara de ter.



– Como sempre muito deliciosa senhora Cullen! – o marido lhe disse passando a língua pelos lábios e removendo o resto do gozo da jovem – Mas ainda não terminei com você... – esboçou um sorriso travesso.

Bruscamente ele puxou uma das pernas de Isabella, colocou ao lado de seu corpo e lhe penetrou com apenas uma investida fazendo-a gemer com a invasão. Edward entrava e saia de dentro dela fazendo-a gemer e arfar de prazer, seus corpos já estavam suados e pegajosos, mas a noite só estava começando.



– Toque o seu seio. – ordenou e na mesma hora ela obedeceu.




Edward conhecia muito bem o corpo de Bella e sabia exatamente como dar prazer a ela, a cada nova investida contra sua intimidade fazia com que a esposa visse estrelas e ficasse bem mais perto do orgasmo. Ele puxou o corpo dela de modo que a garota ficasse por cima e cavalgasse com maestria em seu membro. Bella subia e descia sobre ele movimentando o quadril em um ritmo prazeroso para os dois. Ambos gemiam e se perdiam no desejo e quando Edward viu que Isabella estava prestes a gozar, mudou de posição para atrasar ainda mais o seu prazer e o da esposa. Deitado de lado e penetrando Isabella na posição de conchinha, o casal estava domado pelo prazer, ofegantes e suados,  o ritmo das investidas ficou ainda mais rápido e preciso para ambos alcançarem a libertação dos seus corpos.



– Se toque Isabella. – lhe ordenou mais uma vez pegando a mão dela e levando até o clitóris inchado. Não demorou muito e Isabella desabou em mais um orgasmo intenso e arrebatador, ela ofegou e ficou vermelha enquanto derramava todo o seu prazer no membro de Edward que ainda investia com força dentro dela até chegar à sua própria libertação, despejando o seu gozo dentro da menina e, por fim, deixando o seu corpo cair sobre a cama completamente suado e ofegante.



– Você irá acabar comigo desse jeito. – Isabella disse assim que conseguiu falar coerentemente.

– Existem várias maneiras de acabar com você amor... – falou dando um beijo no ombro nu da esposa – Mas acho que essa é a minha preferida.

Girando na cama Edward puxou Bella para o seu peito e lhe envolveu em um abraço apertado, fazendo com que se aconchegassem um no outro. Não demorou muito e ambos adormeceram para acordarem logo mais tarde com o choro de Nick querendo mamar e um pouco de atenção dos pais.

(...)

O sol batia nas costas de Isabella, o Havaí era um lugar calmo e tranquilo. Nick dormia protegido ao seu lado, o carrinho da criança estava super equipado para proteger o menino dos raios solares. Edward se encontrava deitado ao lado da esposa e tinha um notebook no colo vendo algumas novas ações que tinha comprado. Sua nova vida estava bem melhor do que poderia imaginar e cada dia que se passava ficava ainda mais rico, o dinheiro era honesto e o seu passado fora deixado para trás, nada daquele tempo era mencionado. Emmett e Jacob  ainda eram seus empregados. Jacob era gerente e sócio de Edward em uma oficina de carros importados e Emmett abriu uma empresa de segurança para ele mesmo, mas ainda assim não abandonou o cunhado. Rose estava gravida de cinco meses e isso deixava o futuro papai maluco, principalmente por seus loucos desejos e sua constante mudança de humor, mas ele estava muito feliz e isso ninguém poderia negar. Carlisle e Esme se encontravam em Paris curtindo mais uma de suas várias luas de mel. Nessie e Jacob finalmente ficaram noivos e a menina o ajudava na loja quando tinha um tempo vago, pois gostava tanto de carros quanto o noivo. Ela começou a cursar faculdade de engenharia mecânica e Isabella havia passado em literatura inglesa e estava muito feliz.

– Desse jeito irá ficar queimada. – avisou puxando a espreguiçadeira de Isabella para debaixo do guarda-sol.

– Obrigada amor. – disse dando um sorriso bobo para o marido que ainda tinha os olhos nela.

– Com sede? – Edward questionou.

– Um pouco. – respondeu se virando para ficar de frente para o marido. – Como está o nosso menino?

– Dormindo como um anjo. – falou passando o pedido para o garçom.

– Que bom! – pegou uma máquina fotográfica e tirou fotos do pequeno ainda dormindo – Nick se parece com você. – murmurou sorrindo.

– Ele também tem muito de você. – o marido constatou dando um beijo na testa do filho – Tome uma Coca-Cola.

– Obrigada. – agradeceu pegando a coca das mãos de Edward e tomando um longo gole.

– Acho que já está na hora de passar mais protetor solar em você. – sentou atrás da garota. – Porque já está ficando vermelhinha.

– Tão preocupado esse meu maridinho. – ela provocou.

– É porque pretendo come-la a noite toda. – avisou dando um tapa na bunda dela – E se estiver queimada do sol não vou poder fazer isso.

Isabella soltou um risinho com o comentário do marido e relaxou sobre o toque firme e centrado do amado que espalhava protetor solar em seu corpo.

– Está feliz senhora Cullen? – ele perguntou dando um beijo em sua nuca.

– E tem como não estar? Você me deu tudo que qualquer mulher poderia desejar. – explicou sorrindo.

– Você não é qualquer mulher Bella... É a minha mulher!

– Obrigada. – beijou-lhe o rosto.

– E está me agradecendo por quê? – questionou curioso.

– Por me amar, por me dar uma família, um filho lindo e cheio de saúde e por me fazer feliz.

– Eu amo você minha pequena. – se declarou – Acho que é isso que os homens apaixonados fazem. – disse sorrindo.

– Só que você é o meu homem.

– Sim, o seu homem... O primeiro e o único! – constatou beijando apaixonadamente os lábios da esposa.

– Para sempre...  – Bella sussurrou contra seus lábios.

– Para todo o sempre...

Vendo o pequeno Nick dormir e aconchegados um nos braços do outro, com um completo clima romântico, o casal viu o pôr do sol juntos e ambos sabiam que aquele era só o começo de uma vida repleta de felicidade.



The end.