Jul M

Oi

sábado, 19 de janeiro de 2013

O Casamento-- O Novo Contrato--- Capitulo 7



"Se não está disposto a parecer estúpido, você não merece estar apaixonado!"
                                      (Frase Do Filme De Repente Amor)


FELIZ ANO NOVO! (Parte II)

Anthony sorriu assim que viu Isabella, o menino soltou de vez as mãos de Esme e saiu correndo em direção à mamãe dele que sorria radiante vendo o pequeno menino passar pelas pessoas que se encontravam no jardim em direção a ela, até finalmente se jogar em seus braços. Edward, assim como os homens ao seu lado, observavam a cena com admiração. Sim, Anthony era verdadeiramente filho de Isabella e ninguém poderia dizer ao contrário depois da linda cena de carinho presenciada.

-- Mamãe! Mamãe você veio! - Ele disse não contendo a emoção.

O rosto franzido de Peter ficou ainda mais atento após ouvir o menino chamar Isabella de mãe. Qual parte da história ele havia perdido? Ele soube por Carlisle que a jovem havia sofrido um aborto devido ao acidente que sofreu há alguns meses atrás. Mas Anthony era uma criança grande, provavelmente tinha uns cinco ou seis anos, não poderia ser filho de Isabella. O tempo em que ela ficou casada com Edward não batia com a idade do menino...

-- Ele é filho de Edward! - Carlisle disse não contendo a emoção na voz, era a primeira vez que mencionava isso a alguém que não fosse da família — Não, Isabella não é a mãe biológica dele, mas é a única que ele conheceu! - Mais uma vez Carlisle responde a pergunta muda do amigo.
-- Senhores se nos permitem, vamos dar um passeio em família pelos jardins! - Edward disse se despedindo de seu pai e Peter já saindo com Isabella e Anthony de mãos dadas...
 ...
A novidade correu mais rápida do que um furacão, todos na festa já sabiam da presença de Isabella e da grande revelação da noite: Edward tinha um filho! Filho este que era a sua cara, com os mesmos belos olhos verdes e o irresistível sorriso torto que era a marca registrada do Cullen.
Jasper não gostou nada da atitude do homem, primeiro o primo havia colocado o pequeno Tony no olho do ciclone. Anthony era o principal comentário da festa, as fofocas fervilhavam nas rodas de conversas, todos se perguntavam: Como? Quando? Como foi que tudo aconteceu? Quando foi que ele se tornou pai? E por que ele escondeu tal fato por tanto tempo? Edward pouco ligava para as suposições e glosas ali feitos.
Anthony não conseguiu ficar acordado por muito tempo, o dia dele havia sido muito agitado, ele ficou solto na casa do avô, correndo de um lado para o outro, brincando o tempo todo, quando já eram nove horas da noite o menino já dormia no colo de Isabella.

-- Vou levá-lo para o quarto! - Edward disse levantando-se, ele e Isabella estavam sentados em uma das muitas mesas espalhadas pelo jardim — Volto já! - Ele disse pegando o menino do colo de Bella e se encaminhando em direção ao quarto do filho no interior da casa.

Isabella não gostou muito de ficar sozinha afinal, ela não conhecia quase ninguém naquela festa. É lógico, tirando Peter e sua esposa safada, os donos da festa e Emmet. O resto eram pessoas ignotas ou indesejadas. Ela estava de cabeça baixa saboreando uma taça de vinho quando sentiu a presença de alguém em sua mesa, Isabella levantou o rosto por puro reflexo...

-- Bela noite, não acha?

Isabella sentiu seu estomago se revirar e não conseguiu disfarçar, em seu semblante, o seu ar de desgosto para com a jovem loira que acabava de se sentar à mesa. Kate Denalli estava linda! Ela usava umsexy vestido prateado e um belo colar de diamantes cor de rosa, nos lábios um batom suave e olhos muito bem sombreados.

-- Srta. Denalli, não me recordo de lhe ter convidado para sentar! - Isabella fora grossa e ninguém poderia lhe culpar por isso, ela aprendeu com o melhor, o mais perfeito em grosserias, o seu ex-marido.
-- Pelo visto a convivência com Edward a fez ficar como ele! - Ela comentou já pegando a taça de vinho que Edward deixara sobre a mesa a levando até os lábios — Sabe, sempre tive a curiosidade em saber como era o beijo de Edward, e realmente quando provei os lábios dele, tive a certeza que era bem difícil parar...

Isabella ficou rígida, seu corpo estava tenso e o rumo daquela conversa era um tanto quanto estranho. O que aquela mulher queria ali? Era a pergunta que Isabella se fazia.

 -- Acho que este mal está afetando você, e talvez se tornado um problema!  - Kate disse dando um sorriso cínico e invejoso para Isabella — Provou uma vez e não quer mais soltar.

Isabella sorriu, pois enfim entendeu o que a jovem Denalli tentava fazer, mas não naquela noite, não naquele momento em que tudo estava perfeito!

-- Srta. Denalli, eu acho que você está ultrapassando os limites de minha paciência! - Isabella disse dando um sorriso tão irônico que fez a jovem estreitar os olhos em recua e prudência — Minha vida particular não é da sua conta, o que faço ou deixo de fazer com o meu namorado não é problema seu! - Isabella sorriu felina — Acho que você já sabe, assim como os outros, que estamos juntos de novo – Em um piscar de olhos Isabella lhe lançou um aviso sombrio, coisa que ela só poderia ter aprendido com Edward — Leve um recadinho meu para as suas amigas, e o aproveite para si também! Fiquem longe do meu homem! Deixe-me em paz! Esqueçam que Edward existe, apenas lembrem que ele é meu! Agora saia da minha mesa, o ar está ficando aziago e eu realmente não me lembro de tê-la convidado a sentar-se aqui!

Kate tinha seus olhos perplexos! Isabella estava se esforçando para disfarçar e controlar o tremor de seu corpo. Kate levantou da mesa sem dizer mais nada e foi se retirando apressadamente. Isabella soltou o ar que até então não havia notada que estava prendendo. Ela não conseguia acreditar que tinha dito aquilo, ela estava muito feliz consigo mesma, ela se sentia renovada! Ninguém mais iria humilhá-la ou pisar nela. Se bem que ela pouco se importa com a Denalli, o que ela mais desejava era que tanto ela quanto as outras se ferrassem.
 ...
 Edward estava descendo calmamente as escadas quando sentiu um de seus braços ser puxando com força e com uma pitada de violência. O rapaz se virou para ver quem o puxara daquela forma, quando se deparou com os olhos azuis de sua prima Rose que pareciam enfurecidos...

-- Que palhaçada é essa? - O tom da jovem estava descontroladamente alto.
-- Rose! - Fora o primeiro alertar do rapaz que puxou seu braço de volta com ferocidade.
 -- Você estava separado! - Ela anuiu raivosa — Que merda é essa agora?
As palavras da loira deixaram claro qual era o motivo de sua cólera, além do que, a jovem Halle, para variar, estava bêbada.
- Quando foi que eu te dei a liberdade para falar comigo assim? - Edward usou um tom frio e ameaçador — Rose, não é da sua conta!
-- Tudo bem que ela está mais bonita agora do que no tempo em que você se casou com ela! - Rose disse de forma agitada — Mas ela? Depois de tudo! Ela chutou você e você foi correndo implorar para que ela voltasse? Helllloooo!!!! Você é Edward Cullen!!!
-- Você não sabe de nada Rose! – Ele a retalhou com um olhar frio e amedrontador — M-i-n-h-a  v-i-d-a  n-ã-o é  d-a   s-u-a  c-o-n-t-a!  - Ele deu ênfase a cada palavra — Saia da minha frente!
-- Eu achei que dessa vez você pudesse...
-- Ficar com você? Casar-me com você? Rose, eu não acredito que você ainda tenha essas esperanças ridículas!
-- Você me procurou há duas semanas! - Ela disse mordendo os lábios.
-- Eu estava bêbado e só queria alguém para conversar! - Emmett estava fora, e você estava na casa de meu pai! - Ele disse — EuNUNCA fiz juras de amor eterno a você, priminha! Quando a gente se envolveu você era apenas uma adolescente, assim como eu o era na época! Eu nunca disse que seria para sempre! Foi bom, foi legal e foi gostoso, você fode muito bem, mas TERMINOU!!! Entenda isso de uma vez por todas...

Rose levantou a mão para lhe dar uma tapa, mas Edward a segurou no ar.

-- Não ouse! - Ele disse empurrando a jovem – Você sabia as regras do jogo, entrou nele porque quis.
-- O que ela tem demais? - Rose perguntou — Ela não é tudo isso! Por que ela?
-- Ela tem coração! - Edward respondeu e saiu deixando a jovem chorando suas lágrimas silenciosas.
 ...

 Bella estava no jardim, Emmett estava com ela à mesa e ambos sorriam. Isabella gostava de Emmett, ela sabia que ele era o melhor amigo de seu namorado. Isso mesmo, eles agora eram apenas namorados e estavam começando tudo do começo...

-- Ele ficou estranho! - Emmett disse bebendo um gole de champanhe — Nem parecia ele, quando você o deixou, eu juro que nunca o vi assim tão...
-- Sem chão...
Edward completou a frase do amigo chamando atenção para si.
-- Vejo que arrumou uma boa companhia minha querida! - Ele disse se sentando ao lado de Bella e beijando seu rosto carinhosamente — Falavam sobre mim?
-- Apenas contando como foram suas últimas semanas! Emmett deu um largo sorriso para amigo — Agora se me permitem, estou indo! - Ele levantou uma sobrancelha — Acho que vi uma bela dama ali sozinha – Justificou o rapaz.

Emmett saiu levando a sua taça de champanhe e deixando o jovem casal sozinho. Edward olhou para Isabella, ela tinha os olhos radiantes e a face corada.

-- Acho que você bebeu um pouco demais Srta. Swan.

Isabella sorriu encolhendo os ombros e se sentindo culpada. Ela já havia bebido cinco taças de vinho tinto e uma de champanhe que lhe fora oferecida por Emmett.

-- Venha, vamos colocar metade desse álcool para fora de seu corpo! - Edward disse ficando de pé e puxando Isabella para a pista de danças — Como a primeira vez!


Edward colocou as mãos de Isabella em volta de seus ombros, à música que tocava não era agitada, era bem adequada para uma dança lenta. Tocava “Lana Del Rey” " Video Game", umas das músicas mais perfeitas para Bella. Edward reconheceu que era uma das músicas preferidas de Isabella. Durante o tempo em que eles estiveram casados, a jovem gostava de ouvir aquela música quando estava trabalhando ou apenas relaxado, o fato da canção ser calma e suave deixava o ambiente tranquilo. Edward girava com Isabella pela pista de dança, chamando a atenção de alguns que ali estavam... Nada era mais belo e era impossível não notar que ambos estavam apaixonados.

-- Emmet disse que você...
-- Você me deixou! - Ele contra argumentou girando com ela em seus braços — Ninguém nunca havia me deixado antes! Não era assim que funcionava, sempre era eu quem me casava delas e partia para uma nova conquista!

Isabella estava bêbada, mas estava entendendo cada palavra que ele dizia. Para sua surpresa, ela não precisou perguntar nada.

-- Então você partiu! - Ele rosnou pálido — Não foi bom, me senti perdido e estranho — Ele olhou para ela — Senti sua falta, falta de seu sorriso, de sua maneira de falar, de você por completa em minha vida — Ele balançou cabeça como se afastasse as lembranças — Eu nunca me senti tão perdido e tão sem rumo na vida... Você é tão cabeça dura, e ao mesmo tempo tão incrível! — Ele suspirou gemendo — Nunca mais faca isso, nunca mais me deixe!

As palavras dele pegou a jovem de surpresa. Edward nunca tinha sido tão comunicativo assim, nunca tinha falado tão claramente sobre ele e agora estava praticamente implorando para ela não partir novamente de sua vida. Ela não podia estar mais surpresa, ela se sentia tão alegre com a declaração espontânea dele. Ele a quer perto, ele sentiu a falta dela, isso queria dizer muito para a jovem que estava completamente apaixonada por ele.

-- Não me deixe! - Ele sussurrou assim que a música deu seus últimos acordes — Venha, vamos nos sentar, o jantar será logo servido e você precisa comer.
 ....
O jantar fora servido em grande estilo, tudo estava muito saboroso. Isabella não queria comer muito, mas Edward empurrou um montão de comida no prato dela. Ele, também, fez com que ela bebesse muita água. Ela ainda estava sobre o efeito do álcool, mas nada comparado ao que estava sentindo antes, ela se sentia leve... Edward cumpriu sua promessa, não a deixo sozinha, ele ficou ao seu lado o tempo todo.

Na hora da queima de fogos, o céu ficou todo coberto de luzes vermelhas, douradas, brancas e azuis. Um verdadeiro show de chamejas o que deixou Isabella com os olhos brilhando de felicidade
.
-- Como se sente? - Ele perguntou mais pelo fato dela estar meio bêbada ainda.
-- Leve! - Ela disse com um sorriso bobo nos lábios.
-- Vamos dançar mais um pouco! - Ele convidou a puxando para pista — Você precisa colocar metade desse álcool para fora de seu corpo.

Isabella sorriu e se deixou conduzir por ele. Ela nunca tinha ficado tão bêbada assim, que dizer, na lua de mel deles, ela havia bebido além da conta... Só que dessa vez, ela estava feliz, mais solta, mais viva... Na pista de danças, Edward conduzia o corpo de Isabella de acordo com o ritmo da música que tocava “Worth It” de “Francesca Battistelli”, uma canção calma e lenta.

-- Quem está cantando? - Ela sussurrou a pergunta ao ouvido de seu amado.
-- Francesca Battistelli, ela é britânica! - Ele respondeu em um sussurro.
 -- Ela tem uma voz bonita!
-- E você está bêbada minha querida!
-- Nem tanto assim!
-- Um pouco! - Ela disse girando junto com ele ao som da música.

Todos ainda olhavam surpresos para o jovem casal, afinal eles tinham se separado e agora estava ali, dançando juntos, como se nada tivesse acontecido. Edward sabia que todos os olhares estavam sobre ele e Isabella. Ele queria mais era deixar bem claro que a jovem lhe pertencia, sendo assim, ele a beijou, um beijo que a principio se mostrou casto e doce, era possível sentir o gosto do vinho nos lábios de Isabella, sentir o gosto doce e viciante de sua namorada. À medida que a canção findava o beijo se tornava mais urgente e saboroso até que ambos apoiaram suas cabeças uma contra a outra e de testa unidas sorriram felizes.

-- Venha! - Ele disse pegando em suas mãos.
-- Para onde vamos? - Ela perguntou confusa.
-- Vou levar você para casa! - Ele disse dando o sorriso torto predileto dela — Mas se você quiser dormir aqui... - Ele deixou o convite no ar.

Os olhos de Isabella se arregalaram. Dormir na casa de Carlisle, com ele e a esposa ali? – Jamais! Seria vergonhoso para ela encará-los pela manhã.

-- Entendi! - Vou levar você para casa! - Ele disse dando um leve beijo nos lábios dela, ele viu medo, ou melhor, a surpresa nos olhos da jovem.
 ...
Bella acabou dormindo durante o caminho de volta, Edward ainda tinha a cópia das chaves da casa dela. Ele abriu as portas da casa. Bella estava adormecida nos braços de Edward, ele acedeu à lâmpada do abajur da sala e seguiu para o quarto dela, após fechar a porta da alcova ele a colocou na cama. Ela estava linda adormecida, Edward não conseguia tirar os olhos da namorada. Ele começou a remover as roupas da mulher, tirou os sapatos com cuidado para não despertá-la, depois abriu sua saia e por último removeu a blusa a deixando somente de calcinha e sutiã. Foi até o closet dela e procurou uma camisola para que pudesse a vestir, ele escolheu um preta simples, mas delicada assim como ela. Edward não tinha planos de deixá-la sozinha naquela noite, então, ele retirou os próprios sapatos e se deitou ao lado de Bella na cama. Durante horas e horas ele apenas ficou a observando dormir até que o sono o venceu e ele adormeceu também.

 ....
Era o primeiro dia do ano, Isabella estava sentindo muito calor, mas isso era estranho, afinal era inverno e deveria estar frio. Abriu os olhos forçadamente, porque eles teimavam em não querer abrir de jeito nenhum. Sentiu um peso a mais na cama e virando seu rosto se deparou com Edward que ainda dormia tranquilamente. Seus olhos se arregalaram de surpresa! Com bastante cuidado para não o acordar, ela tocou levemente no rosto dele e foi impossível conter o sorriso tímido que nasceu em seus lábios. Ele era dela não havia dúvidas. Ele estava ali por causa dela e havia passado a noite ao seu lado.
Como se ela levasse um choque, ela levantou as suas cobertas e rapidamente notou que estava vestida com uma de suas camisolas novas dada por ele. Notou, ainda, que Edward ainda usava a mesma roupa da noite passada. Uma ruga apareceu em sua testa, será que havia acontecido algo entre eles ou não? Ela não conseguia lembrar-se de nada e sua cabeça doía...

-- Bom dia! - Edward sussurrou pegando Isabella de surpresa.
-- Bom dia! - Ela disse sentindo o rosto corar.
-- Você fica linda corada.
-- Não está ajudando! - Ela disse puxando os lenços de volta sobre o seu corpo.
-- Como se sente? - Ele perguntou.
-- Bem eu acho! - Ela disse sem entender.
-- Você bebeu! - Edward disse — Você bebeu muito ontem!

A boca de Isabella se abriu em “O” de surpresa. Ela não conseguia lembra-se de nada, ou de quase nada da noite passada. Mas, ela lembrava muito bem de Edward falando para ela não o deixar de novo, e da vaca Denalli que veio falar com ela. Mas o resto fora esquecido como se tivesse sido apagado.

-- Você me trouxe para casa?
-- Sim! - Ele respondeu — Você dormiu no caminho e eu carreguei você e te trouxe para o quarto.
-- A gente... a gente por acaso..
-- Não Isabella, a gente não transou, se é isso o que você quer saber! - Ele tinha um belo sorriso nos lábios — Você estava praticamente morta! Não iria ter graça! Eu gosto de você consciente, sabendo do que eu vou fazer...

Ela corou ainda mais, o pior, era que ela sabia que Edward estava olhando para ela. Ele sorriu e curvou-se na cama dando-lhe um beijo casto em seus lábios para em seguida levantar da cama.

-- Preciso ir! - Edward disse já arrumando suas roupas — Vejo você mais tarde se desejar!
-- Não vai tomar café?
 -- Não! - Ele já estava calçando seus sapatos — Vou encontrar minha mãe agora. Tenho que pegar o Anthony.
-- Ah!
-- Se desejar eu pego você a noite e jantamos todos juntos! Nós três! Ele disse sorrido para ela — Eu, você e o Tony! Bem, você me liga e confirma.

Edward deu um beijo na testa de Isabella e saiu do quarto deixando-a de boca aberta e frustrada. Isabella não entendia como ele podia resistir a ela, sendo que antes ele mal podia vê-la que já queria a agarrar. O que estava acontecendo com esse homem? Será que ele nunca mais iria tocá-la? Isabella gritou de frustração e enfiou a cara nos travesseiros. Ela queria, ela deseja os toques dele em seu corpo, mas ele estava se fazendo de difícil, por que seria? Será que ele a estava castigando?

-- Edward Cullen você é tão frustrante!

Continua...

3 comentários:

  1. ai que amor eu adorei tudo!!kkkkkkkkk a bellinha bebada e de ++ e como o ed ta comportado ou fingindo pra nao pega a bella de geito.cada dia essa fic fica melhor.

    ResponderExcluir
  2. to amando esse geito carinhoso do Ed + bem que a Bela podia seduzir ele e mostrar o que ele tá perdendo....

    ResponderExcluir
  3. to acompanhando e o desenrolar da história tá ficando muito bom, nesse jantar em família bem q podia rolar uma crise de ciúmes do ed pra ele ver q a bela tá lindona e ele tá dando mole....kkkkkkk claro q depois uma reconciliação regada a muito sexo...rsrs

    ResponderExcluir