Jul M

Oi

domingo, 13 de janeiro de 2013

O Casamento -- O Novo Contrato. -- Capitulo 4




"Eu não ligo pro seu passado, só quero saber se há algum lugar pra mim no seu futuro."
                                    ( Frase do Filme Doce Lar)


ACEITAR OU NÃO ACEITAR? EIS A QUESTÃO!


 O olhar de Isabella estava bem
longínquo, ela estava completamente distraída e absorta em algo incógnito que
dificilmente passaria despercebido para os que estivessem ao seu redor. James,
seu chefe, não deixara de notar tal situação, porém, deixou passar sem
comentários, mesmo porque, apesar de distante, Isabella ainda fazia seu
trabalho a contento, apenas não estava sorrindo e não aceitou ficar de colóquio
com Victoria sua amiga de trabalho. Isabella não parava de pensar na proposta
que Edward havia lhe feito, recomeçar tudo de novo talvez não fosse tão ruim.
Ela estava tão abstrata em seus próprios pensamentos que alguém poderia até dizer
que ela estava tentando, arduamente, descobrir a cura para o câncer, metaforicamente
falando... Na verdade, ela só estava tentando achar uma solução para o dilema
em que se encontrava: voltar ou não voltar? Eis a questão! Era nestas horas que
ela realmente entendia o drama sheakspeareano.


-- Algum problema Bella? - Vic
perguntou curiosa.


-- Oi?! - Ela não havia entendido...


-- Você parece tão distante hoje! - Vic
acedeu.


-- Problemas, apenas isso! - Ela
disse dando um sorriso amarelo para a jovem.


-- Se precisar conversar, lembre-se:
Estou bem aqui! - Ela ofereceu um ombro amigo.


-- Vou lembrar-me disso! - Ela
sorriu, porém não considerando nem remotamente a possibilidade de conversar com
a mulher sobre o que lhe afligia. Ela não conhecia Victória tão bem ao ponto de
contar a sua vida pessoal a colega de trabalho.


Bella voltou sua atenção ao trabalho,
um grupo de turistas havia acabado de entrar na loja para
 comprar livros e
algumas lembranças da cidade. Ela e Vic se puseram a atender os clientes,
deixando assim, de lado o assunto.


...


Edward estava mais relaxado naquela
manhã, Mary estava lhe passando sua agenda, e para variar, tentando jogar todo
o seu charme para cima do chefe, que não lhe dava a menor bola. Edward era uma
pessoa pública, não demorou muito para que notícia de sua separação chegasse à
imprensa. Dois dias depois que ele havia saído da casa de Isabella a imprensa
já especulava a possível separação do jovem casal. No quinto dia, a
confirmação
fora feita de forma anônima. A imprensa, oportunista e sensacionalista,
publicou uma nota a qual dizia que o jovem e milionário Edward Cullen, filho de
um dos maiores empresários de NY, havia retornado ao seu estado civil de
solteiro. O fato, é claro, deixou muita gente feliz, as irmãs Denali, por
exemplo, não conseguiam disfarçar a alegria por saber da separação do casal,
assim como a prima de Edward, Rose, além das inúmeras mulheres com quem ele algum
dia teve contato ou não... Mas para surpresa de todas, Edward se manteve
afastado das mulheres casadouras, e principalmente da imprensa, ele estava
ocupado demais maquinando uma forma de trazer sua Isabella de volta.


-- Deseja mais alguma coisa Senhor
Cullen? - Mary perguntou de jeito meigo por demais.


-- Preciso do jornal de hoje! - Ele
disse curto e grosso sem ao menos tirar seus olhos do
 computador — E de uma
xícara de café!


-- Claro Senhor! - Ela anuiu se retirando.


...


Edward nem se quer imaginava os ardis
que o cercavam. Maggie ainda estava na cidade e não estava nada feliz com a rejeição
que sofria por parte do rapaz. Tia passou a ser o braço direito da megera,
coitadinha de Tia que nem por decreto cogitava o tamanho da confusão em que
estava se metendo. E tinha ainda, é claro, a ex-assistente e amante de Edward, Irina
Jones, que agora estava oficialmente divorciada do marido. Com certeza, a então
agora divorciada seria um dos maiores
problemas que o bonitão estaria por enfrentar.


-- Eu não gosto de ser pressionado,
senhorita Jones! - A voz de veludo era altamente ameaçadora, Felix não parecia
nada feliz em ver a jovem moça.


-- Ora, ora Senhor Volturi, não veja
isso como pressão! - Ela contestou dando seu melhor sorriso cínico e vertendo
um bom gole de champanhe de uma bela taça de cristal que segurava elegantemente
— Você me fez uma promessa, eu apenas vim cobrar ela pessoalmente.


-- Você sabe que posso destruir você!
 - Felix a adverte.


-- Fique a vontade meu caro, mas se
fizer isso,
 JAMAIS conseguirá obter
sucesso em seus objetivos! - Ela ameaçou com um sorriso vitorioso nos lábios —
Você deseja destruir Edward Cullen, e eu também! Nós estamos do mesmo lado. Eu
sei muita coisa sobre ele, o que poderá ser útil para você, no momento certo!
Acredite Senhor Volturi, é muito mais vantajoso me ter por perto como sua
aliada, do que me ter como sua inimiga. Juntos, seremos ganhadores! Separados, você
será um nada e só demorara muito mais a conquistar o seu intento!


-- Srta. Jones você não me dá nenhuma
certeza! - Ele replicou lhe dando um sorriso frio — Como posso confiar em você?
Você está tão cega de ódio por Edward ter lhe chutado como a uma cadela
sarnenta!


-- Ao contrário de você, pelo menos
sou mais esperta! - Ela replica raivosa.


-- Claro tão esperta que achou que
seria a futura Senhora Cullen!- Felix sorriu debochado — Mulheres como você
querida, a gente apenas fode e ainda goza na cara! - Ele olhou desdenhosamente
para ela que a esta altura do campeonato lhe enviava um olhar mortal — No final
das contas, são com mulheres como a Swan, que nós nos casamos e orgulhosamente damos
o nosso sobrenome!


Irina sorriu de um jeito tão diabólico
que Felix sentiu um estranho frio correr toda a sua espinha dorsal, ele pode sentir
pelo olhar dela que ela deseja mais do que uma simples vingança contra o
Cullen,  lhe pareceu, inclusive, que ela
queria
 DESTRUIR o ex-amante.


-- Ela te chutou! - Irina o lembrou,
se referindo a Maggie — Mesmo depois de tudo, ela te chutou! Pegou o teu
irmãozinho e no final ela se rendeu aos encantos do Cullen! - Os olhos de Felix
se estreitaram em direção a Irina Jones — Maggie nunca quis você, e nunca vai
querer! - Felix bufou — A diversão dela é Edward, foi e sempre vai ser ele. Ela
gosta deste joguinho que eles criaram... Ele recua, ela insiste e ele cai... Eles
ficam juntos por um tempo e então ela parti o deixando louco de raiva e ciúmes
– Irina ainda acrescentou soberba – Ela nunca olhou para você e nunca vai
olhar! Primeiro foi o primo dele Jasper, depois o seu irmão e agora a obsessão
dela é novamente Edward.


-- Cala a porra dessa boca! - Felix
rosnou trincando os dentes e fechando a mão direita em punho com força — Maggie
é tão vadia quanto você! Eu não sei como você descobriu essas coisas e pouco me
importa! Eu só te aviso que é melhor não brincar comigo Srta. Jones ou faço com
você algo bem divertido e ruim ao mesmo tempo... - Felix disse de um jeito
sinistro — Agora preste atenção no que vou lhe dizer... - Irina sentiu medo das
palavras de Felix, mas achou melhor não demonstrar, não seria nada bom,
especialmente agora que ela estava conseguindo o que ela tanto desejava...


....


Emmett estava no escritório de Edward
ouvindo o relato da última façanha do amigo. Era incrível como ele não desistia!
Claro que Emmett já sabia o porquê, mas se falasse para o amigo, sabia que a
resposta que ele daria seria a que vinha ouvindo nos últimos dias...


-- Então você acha que ela vai aceitar?
- Emmett perguntou sorrindo para o chefe e amigo.


-- Sim ela vai!  - Edward assentiu com confiança!


-- E por que você acha isso?


-- Por que não jogo para perder
Emmett! - Ele encarava o amigo com um sorriso feliz de vitória — Você melhor do
ninguém saber disso, eu sempre ganho! - Ele piscou festivamente para o amigo.


--- O que você está aprontando desta
vez? - Emmett deu um sorriso safado para o amigo, ele conhecia muito bem aquele
olhar matreiro, aqueles olhos verdes e audazes não o enganavam.


-- Espere e você verá! - Ele disse
enigmático — Só posso dizer que Isabella entrará comigo, de braços dados, na
festa de final de ano da empresa.


Emmett balançou a cabeça, não que não
acreditasse no que o amigo havia afirmado, pois ele bem sabia como Edward
jogava sujo quando queria algo. Não esperaria outra coisa dele! Ele compreendia
que o amigo odiava perder, tinha convicção que Edward não pouparia esforços
para conseguir Isabella de volta em sua vida. Afinal, foram apenas cinco meses
de casados, mas este tempo, fora significativo na vida do amigo, mesmo ele não
admitindo isso!


...


Já era final de tarde quando um jovem
entrou na loja onde Isabella trabalhava, a livraria estava vazia, o movimento
era bem menor, Isabella estava encostada no balcão revisando alguns pedidos e
encomendas.


-- Srta. Swan? - O jovem perguntou.


-- Sou eu! - Isabella disse sem
entender nada, ele carregava uma caixa branca bem grande.


--Por favor, encomenda para Srta. - Ele
disse colocando a caixa sobre o balcão de atendimento e lhe entregando uma
prancheta para que ela assinasse — Aqui, por favor! - Isabella assinou e lhe
devolveu a prancheta — Obrigado Srta! Tenha um bom dia!


Isabella observou o jovem, enquanto
ele saia da loja. Victória já estava ao seu lado, ela balançou a cabeça e
resolveu abrir a caixa, afinal quem poderia mandar algo para ela? Assim que
abriu a caixa se deparou com várias rosas brancas e vermelhas, em seu interior.
Junto ao mimo havia um cartão preto com letras prateadas.


“Só quero lhe lembrar de que eu sei ser romântico também!”


“ Caso diga SIM, para a proposta que lhe fiz, poderei mostra-lhe o
quanto eu lhe farei feliz”


“Carinhosamente,”


E. C”





Isabella suspirou emotivamente, claro
que ela se derreteu toda com o gesto dele. Ele sabia como a deixar ainda mais
confusa. Já estava sendo difícil fazer a escolha sem ele estar por perto, com
ele fazendo isso tudo ficava ainda mais difícil para ela.


-- Nossa! Um admirador secreto? - Vic
perguntou curiosa.


-- Não! - Ela disse cheirando as rosas
— Eu conheço muito bem este admirador!


-- Então porque está com essa cara? Afinal
o cara lhe mandou várias rosas, deveria estar feliz!


-- Eu estou! - Ela deu um sorriso
tímido — E é esse o problema, eu não deveria estar feliz!


-- Bom, se vocês brigaram, ele achou um
ótimo jeito de lhe pedir desculpas! - Vic assentiu dando um largo sorriso —
 “Flores para Julieta”! Que romântico!


A sentença correta seria “Cartas para Julieta”, como no filme de
mesmo nome, mas Isabella ignorou a citação... Afinal, Vic tinha razão, flores
sempre são bem vindas! Rosas então! Super românticas! Especialmente para
Isabella que nunca as havia recebido. Agora ela precisa pensar e decidir de vez
o rumo a tomar em sua vida! Afinal só restava mais um dia e ela sabia que
Edward viria pessoalmente receber a sua resposta...





Continua..

2 comentários:

  1. omg!!sera q ela vai aceita ele de volta.eu to na torcida q sim,mais com tanto inimIGOS QUE O EDWARD TEM SERA QUE ELES VAO VIVER FELIZ;

    ResponderExcluir
  2. Bella, um conselho de amiga: "Aceite. Não resista." Faça isso pela minha sanidade. rs

    ResponderExcluir