Jul M

Oi

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O Casamento -- O Novo Contrato -- Capitulo 2




"Às vezes, você tem que chegar ao fundo do poço para perceber o que você tinha."
                                                  (Frase Do Filme A Onde O Amor Esta)

FELIZ NATAL!


Bella estava em frente ao espelho olhando seu formoso
vestido vermelho pela milésima vez. Os seus cabelos estavam presos e sua
maquiagem era leve, mas por que ela se sentia tão nervosa? Ela não conseguia
entender o porquê de tanta ansiedade, afinal era só uma festa e ela sabia que
Carlisle não convidaria nenhum estranho. Mas em contra partida, ela sabia que
Edward estaria lá, ela tinha plena certeza disto! Talvez tenha sido este o
motivo para que ela tivesse escolhido um vestido tão provocante e que ao mesmo
tempo ficasse tão bem em seu corpo, a vestimenta a deixava sexy e elegante.
Pela última vez ela olhou-se no espelho e pegando sua bolsa saiu de seu quarto.
Sua casa estava vazia e sem vida desde o dia em que eles foram embora.
Sacudindo a cabeça mandando os pensamentos saudosos para longe, Isabella saiu
de casa indo para o seu carro e se dirigindo a casa dos Cullen.


A casa estava linda, na sala principal havia uma
grande árvore de natal enfeitada com bolas douradas e prateadas e arremates em lilás.
Anthony corria alegremente por toda a casa de corredor em corredor. Jasper
estava com sua noiva Alice e sua irmã Rose que vestia um decotado e sexy logo
preto que deixava suas costas a amostra, ela estava com os cabelos soltos, um batom
vermelho e uma maquiagem forte. Rose realmente sabia como chamar a atenção de
todos para si. Alice por sua vez, estava dentro de um romântico vestido rosa
Pink, bem a seu modo Barbie princesa, ela estava feliz ao lado de seu noivo
amado. Esme usava um vestido verde musgo, cabelos soltos e bem escovados,
maquiagem leve ao estilo da mulher sofisticada que era. Uma festa para a família,
com certeza, ninguém além dos entes queridos fora convidado. Apenas Edward
ainda não havia chegado! Carlisle tinha medo de que ele não chegasse...


A campainha da casa tocara mais uma vez e Esme fez
as honras de
 anfitriã abrindo a
porta, a mulher ficou deveras surpresa, ao ver o rosto da menina que tinha um belo
sorriso nos lábios e em suas mãos dois embrulhos vermelho com belos laçarotes
verde e dourado que com certeza deveriam ser presentes.


-- Isabella! - Ela disse admirada em vê-la.
Carlisle não falou nada sobre a vinda de Isabella, nem mesmo para Esme — Entre
querida!


-- Você esta ótima Esme! - Ela disse dando um sorriso
caloroso e entrando na casa.


Carlisle sorriu ao ver a jovem muito bem vestida e
incrivelmente bonita. Jasper ficou surpreso ao vê-la, mas não estava tão
incomodado com isso, já Rose não conseguia esconder o seu desgosto ao ver a
jovem Isabella tão bem arrumada e sofisticada.


-- Fico feliz que tenha aceitado meu convite! -
Carlisle disse entusiasmado e a abraçando — É bom tê-la em minha casa querida!


Rose revirava os olhos em desprezo, ela não
conseguia entender como Carlisle conseguia gostar tanto “daquelazinha”,
especialmente porque ela havia ajudado Edward a enganar a Carlisle. Isso tudo
era errado! Mas Carlisle parecia gostar muito da jovem Swan.


-- Acho que você não me deixou saída! - Ela disse
corando.


-- Não mesmo! Ele disse orgulhoso de si.


Isabella fora cumprimentada pelo outros, Jasper se
mostrou amigável com sua presença na festa. Rose como já era de ser previsto,
não perdeu a chance de alfinetar a jovem.


-- Você parece ótima Isabella! Pelo visto a gorda
pensão que Edward está lhe dando, anda lhe fazendo muito bem! - Rose disse de
forma cínica e com um imenso sorriso maligno em sua face.


-- Queria poder dizer o mesmo de você! - Ela disse
sem se importar com os outros na sala.


-- Mamãe! - Fora o grito dado por Anthony ao correr
em direção de Isabella se jogando desengonçadamente nos braços da moça.


-- Meu amor, meu amor quanta saudade! - Ela disse o
abraçando tão forte que parecia que sufocaria o menino — Mamãe sentiu tanto a sua
falta! - Tentando conter as lágrimas que teimavam em querer cair, ela sussurrou
no ouvido do menino para que só ele ouvisse.


Quando Anthony levantou o rosto para fitar Isabella
nos olhos seus lindos olhos verdes estavam cheios de lágrimas. Ele estava
chorando. E isso deixou Isabella com o coração partido e ao mesmo tempo com o espírito
de culpa por ter causado dor aquela criança tão meiga.


-- Você me deixou! - Ele a acusou sem conter as lágrimas.


Isabella olhou em volta, todos prestavam atenção à
cena, ela correu os olhos para Carlisle pedindo ajuda e ele sorriu.


-- Pode conversar com ele lá na biblioteca! - Carlisle
disse — Acho que esta é uma conversa exclusiva de mãe e filho. Vá lá!


-- Obrigada! - Ela murmurou agradecida e foi logo
pegando Anthony no colo se dirigindo à biblioteca.


Bella passou um bom tempo conversando com Anthony
na biblioteca da casa. Ela lhe explicava tudo o que havia acontecido entre ela
e o pai do menino com paciência e cuidado para não traumatizá-lo. Ela não
queria agravar, em hipótese alguma, os traumas do menino que amava e
considerava como a um filho. Afinal, Anthony era isso mesmo, seu filho amado! O
jovenzinho acabou fazendo Isabella prometer várias coisas, que ela nem sabia se
poderia cumprir.  Definitivamente, ela
tentaria cumprir cada coisa prometida, no entanto para tal, ela teria que
conversar primeiro com Edward. Com certeza, esse seria o motivo mor que a estava
deixando aflita e inquieta. Durante todo o tempo em que Bella ficara em
companhia de Anthony, ela o encheu de beijinhos, afagos, carinhos, mimos,
abraços apertados e fazia questão de sempre sentir o cheirinho gostoso do
menino. Bella precisava demais dele, quanto mais ela lhe dedicava chamegos,
mais parecia que tudo aquilo só fazia aumentar a saudade que gritava dentro
dela, ela sentiu muito a ausência do lindo pimpolho em sua vida. Quando ela
resolveu voltar para a sala onde todos estavam reunidos para comemorar a grande
noite de natal, já era quase nove horas da noite, Isabella segurou a mãozinha rechonchuda
de Anthony que caminhava orgulhoso ao lado dela em direção à sala de visitas. O
menino estava lindamente vestindo em um smoking para crianças que com toda
certeza era obra de Esme, já que o menino estava passando boa parte de seu
tempo na casa do avô. Anthony sorria contando que estava ficando “fera” na
natação e intimando a mãe em ir vê-lo nadar, ambos entravam na sala principal
quando de repente o coração de Isabella quase parou...


Edward estava lindo, seus olhos verdes continuavam
penetrantes e se dirigiam a ela em particular. Ele estava ao lado de Emmett,
ambos vestiam calças jeans e camisa social branca dobrada nas mangas. Os cabelos
estavam mais desalinhados ainda e seus lábios vermelhos a deixavam desejosa...
Em sua mão direita ele segurava um copo de uísque e na outra a chave de seu
carro. Ele continuava lindo e sem sobra de dúvidas, pelo menos aparentemente,
ele não tinha mudado em nada. Foi só quando Isabella chegou mais próxima do
ex-marido que notou as olheiras enormes ao redor de seus olhos, parecia que ele
não dormia há semanas e de fato, ele não estava dormindo nada nos últimos
tempos!


-- Papai! - Anthony soltou da mão de Isabella e correu
em direção de Edward que o segurou assim que ele se jogou em seus braços — Eu
achei a mamãe!!! Eu achei a mamãe!!! – O menino gritava todo orgulhoso de si
pelo feito.


O menino parecia tão animando com o fato, que fora
impossível todos que se encontravam no local não rirem. Dando um sorriso torto,
bem típico de Edward e que fazia o coração de Isabella disparar a mil por horas,
ele olhou para o filho e voltou a olhar para bela mulher parada a alguns metros
dele e assentiu:


- Eu estou vendo! - Ele falou fitando intensamente
a bela morena – E ela continua linda...


-- Bom já que todos estão aqui! - Carlisle disse
com um sorriso cúmplice — Vamos para a mesa!


Isabella sorriu meio sem graça, ela não acreditava
que todos estavam só esperando por ela e Tony. O caminho até a mesa fora feito
em silêncio, todos se sentaram em lugares perviamente definidos por Esme e para
sua infelicidade o lugar resevado a ela fora ao lado de Edward, mesmo se
sentido desconfortável com toda aquela situação o coração dela teimava em bater
mais rápido...


-- Não vai sair correndo e gritando? - Edward provocou
de forma que só ela escutasse.


Isabella olhou para ele sem entender o que ele
queria dizer.


- Da última vez que estivemos juntos, você saiu
gritando e correndo para longe de mim! - Ele explicou — Fugiu de mim como um animal
acuado.


-- Eu não fugi de você! Ela murmurou envergonhada
sentindo suas bochechas corarem — Eu fugi do momento e da situação em que nos
encontrávamos.


-- A situação a que se refere era bem prazerosa! - Edward
provocou — Até porque, até onde me recordo, minha boca estava na sua e seu
corpo estava sobre o meu e você gemia o meu nome!


Isabella engoliu a seco! Ele tinha mesmo que se
lembrar de seu recente momento de fraqueza há alguns dias atrás, quando ela
fora ao escritório dele para lhe pedir que assinasse de uma vez por todas os
documentos para o divórcio dos dois, e que, por insensatez do destino, ela acabou
não resistindo ao ex-marido, tendo se entregado de um jeito vergonhoso aos
desejos e apelos de seu próprio corpo. Porém ao final do ato, quando a razão
lhe voltou, ela saiu da sala do homem, correndo e jurando não colocar mais os pés
naquele lugar.


-- Você sempre tirando proveito das fraquezas dos
outros! - Ela o acusou ao que ele replicou com um sorriso torto.


-- Ah, minha querida! É na fraqueza dos outros que
eu me fortaleço! - Ele desdenhou divertido.


Quando Isabella iria abrir a boca para retrucar, os
serviçais entraram na sala de jantar com os quitutes destinados àquela noite. O
prato principal era um delicioso peru à Califórnia, além de outros
acompanhamentos saborosos típicos daquela época do ano. A comida estava excelente
ao paladar de todos ali, Isabella ajudou Anthony com a sua refeição, logo em
seguida a sobremesa fora servida. Um delicioso mousse de morangos com chantilly
e frutas flambadas em volta, Anthony comia tudo muito animado.


-- Ele está feliz em ver você! - Edward disse quase
sussurrando.


-- Eu também estou muito feliz! - Ela disse sem
tirar os olhos do pequeno ao seu lado.


-- Você poderia vê-lo quando quisesse! - Edward
disse chamando a atenção de Isabella — Só tem que voltar para casa.


-- Você enlouqueceu? Ela deferiu em pânico — Edward,
nós acabamos de nos separar, você sabe o que isso? Divórcio? Separação?


-- Esta agindo como uma tola! - Ele retrucou
voltando a comer a sua sobremesa, mesmo não sendo um fanático por doces.


-- Às vezes, eu acho que você sente alguma forma de
prazer esquisito em me tirar do sério! - Ela replicou voltando a comer.


-- Talvez! - Ele garantiu sorrindo para ela — Vamos!
Termine sua sobremesa, preciso falar com você!


Isabella sentiu seu coração apertar e a apreensão
tomar conta dela. Sempre que ele usava esse tom mandão e autoritário ela não
conseguia pressagiar o que poderia acontecer. Todos se levantaram da mesa
praticamente ao mesmo tempo, para fugir da acossamento do ex-marido, ela usou Anthony
como seu bote salva vidas, o menino parecia tão animado em ver o pai e a mãe
juntos que não conseguia parar de falar e contar como havia sido sua viagem
para a Florida.


-- Esme, você se importaria em ficar com Anthony
por alguns minutos? - Edward perguntou em alto e bom som, chamando a atenção de
todos ali presentes.


-- Claro que não! - Ela disse sem entender.


-- Fique um pouco com Esme, Tony! Irei conversar
com sua mãe por alguns minutos, mas já, já a devolverei para você!


Bella sentiu seu coração bater mais forte. Anthony
sendo um menino doce e sem maldades, sorriu radiante para o pai. Edward saiu
puxando Isabella pelas mãos a levando para o lado de fora da casa, mais
especificamente, para o jardim de Esme. Isabella estava inquieta e se sentia apreensiva
diante de Edward. Pelo menos, ele a havia levado para o ar livre, assim ela não
correria o risco de ser atacada pelo ex, ou será que corria? Ela estava com
medo, pois seu corpo traidor sempre a abjurava.


-- Tony sente sua falta! - Ele falou assim que eles
chegaram ao balanço de madeira que havia no jardim.


-- Eu também sinto muito a falta dele! - Ela
replicou.


-- Só a dele? - Edward perguntou maliciosamente.


-- Edward! Não vamos começar tudo de novo! - Ela
disse corando e sabendo aonde tudo aquilo iria parar.


-- Talvez a gente...


-- Não existe a gente Edward! - Ela arguiu entre os
dentes — Eu tenho algo a lhe solicitar, eu gostaria de sua permissão para que Anthony
ficasse comigo em alguns dias da semana! – Edward a olhou surpreso — Ele me pediu
isso, eu não posso negar, e não vai ajudar em nada privar o menino de minha presença!
Acredito que ele já tenha problemas demais, não seria justo criar mais um para
ele. Você sabe que eu o amo e sinto muito a falta dele. Edward, eu não estou
pedindo isso por obrigação e sim por amor... por favor...


-- Quais os dias? - Ele pergunta sem emoção.


-- Eu não sei ao certo, que tal se ele passasse as
terças, quintas e sábados comigo! - Ela mordeu seus lábios de forma apreensiva —
Digo, ele dormiria em minha casa ou quem sabe passaria o dia lá! Eu o levaria
para a Escola e no final do dia eu o deixaria em sua casa.


-- Tudo bem! - Ele respondeu tranquilamente o que
deixou Isabella surpresa.


-- Vai aceita assim tão fácil? - Ela perguntou
pasma.


-- Não! - Ele replicou dando um sorriso torto para
ela — Tenho uma condição...


Claro que ele tinha! Isabella achou estanho ele ter
aceitado tudo assim tão fácil sem reclamar ou brigar ou até mesmo argumentar
com ela.


-- O Que você quer? Ela perguntou tímida.


-- Você janta comigo na segunda! - Ele redarguiu sorrindo
— Uma última conversa, eu juro que depois daí eu deixo você em paz para sempre.


-- Se eu disser que não, você vai me deixar ver
Anthony mesmo assim?


-- Não, eu não vou deixar!


Isabella suspirou e mirou fixamente os olhos verdes
que lhe devoravam desejosamente. Por que será que ele nunca facilitava as
coisas para ambos? E agora estava sendo irresponsável colocando em risco a
saúde do próprio filho.


Droga!!! Isabella pensou.


-- Eu aceito! - Ela disse olhando feio para ele que
em troca lhe deu um sorriso radiante e sedutor — Que fique claro que não estou
aceitando este absurdo por você, e sim por Anthony, apenas por ele, que não
merecer sofrer.


-- Claro! Jamais pensaria que você tivesse outro
motivo para aceitar! - Ele ponderou desdenhoso — Venha, vamos entrar, já está
ficando frio aqui fora, e, ainda temos que abrir os presentes.


Isabella estava boquiaberta! Ele sempre mudava de
humor rápido demais para que ela pudesse acompanhar a contento suas reações. Ela
nunca o viu assim. E, era por isso que ela estava assustada. Ela não sabia o
que esperar ou o que poderia sair desse jantar na segunda. Agora tudo que ela
tinha a fazer era aguardar e ver o que ele teria para conversar com ela!




Continua...

Um comentário:

  1. ai que bom a bellinha te encotrado o tony eles se ama tanto,mais oque sera que o EDWARD vai apronta neste jantar?????? to me ruendo de curiozidade.eu amo essa fic.

    ResponderExcluir