Jul M

Oi

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

O Casamento-- O Novo Contrato-- Capitulo 1



"E antes que tudo ficasse escuro, quer saber a ultima coisa em que pensei ?
Em Você."
                                          ( Frase Do Filme e Livro Querido John)

SINTO SUA FALTA!

Já havia se passado uma semana desde que Isabella partira. A casa da jovem lhe fora devolvida na manhã seguinte. Edward recolheu tanto os seus pertences quanto os de seu filho Anthony que ali se encontravam e fora embora sem olhar para trás. Ele não entendia o porquê de estar se sentindo tão mal e tão estranho. Afinal, ela iria mesmo partir ao término do contrato assinado por ambos. Ela iria embora e levaria consigo uma boa quantia em dinheiro. Não era assim que seria? Não fora esse o combinado? Então por que a ausência de Isabella estava doendo tanto? Era isso que ele não conseguia entender.

-- Você não está se alimentando devidamente, não é? - Emmett meio que afirma e questiona assim que vê o estado em que o amigo se encontrava.
-- Estou sem fome! - Ele rebate — Trouxe os papéis que te pedi?
-- Claro! – Emmett retruca entregando os documentos solicitados por Edward.
-- Tem certeza que quer fazer isso? Emmett o indaga — Bem, você pode recorrer se achar que isso é um absurdo.
-- Foi ela quem entrou com o pedido de divórcio! Ele exclama nervoso.
-- E você esta morrendo ao poucos! Emmett sibila com ironia — Acorda Edward! Você está apaixonado e por causa de seu orgulho tolo está a deixando partir.
-- O que você quer que eu faça! Ele rugiu grosseiro — Foi ela quem me deixou, ela demandou o divórcio e foi ela quem pediu demissão!
-- Eu sei disso tudo! Eu estava bem ao seu lado quando o pedido de divórcio chegou oficialmente! - Emmett asseverou — Só que você não está fazendo nada para impedir que ela se vá definitivamente...
-- Tudo iria acabar uma hora! - Ele disse sombrio — O acordo predizia apenas quatro anos! O contrato era claro! Apenas quatro anos casados depois cada um seguia seu próprio caminho!

Emmett revirou os olhos tristemente, era tão difícil para ele ouvir o grande amigo falando desta forma, quando bem no fundo sentia-se arrasado, devastado, impotente. Edward sentia falta de Isabella, Ele a queria ao seu lado, ele a queria de volta, mas não fazia nada além de ficar se martirizando e deixando com que o tempo se encarregasse de levar tudo ao esquecimento... Pelo menos era isso que ingenuamente seu chefe esperava que acontecesse...

-- Continue mentido para si mesmo, talvez em algum momento você acredite em suas próprias palavras! - Emmett o retalhou — Só quero lhe advertir que se caso você decida assinar mesmo esses documentos, será definitivo! - Ele garantiu ficando em pé e se encaminhando para a porta — Pense bem Edward, você ainda pode mudar tudo isso!
-- Mudar! Edward segredou para si próprio — Como mudar toda esta merda?
.....
Não era um trabalho fácil, mas foi o melhor que ela conseguiu. Isabella agora era assistente de vendas em uma grande livraria. O tempo que passou trabalhando para o Cullen fora útil em algumas coisas, seu currículo era primoroso e não foi difícil convencer o dono do local em lhe dar o cargo. Ela não ganhava tão mal assim, ela conseguia se sustentar e pagar todas as suas contas em dias. Sentia falta de Ângela que era sua melhor amiga e quase não tinha tempo para vê-la. Ela estava com saudades de Anthony, ela soube, por acaso, que o menino tinha voltado da viagem que havia feito em companhia de seu avô. Isabella sentia muita falta de Edward que parecia estar impregnado em suas entranhas.

-- Senhorita Swan! - O gerente da loja lhe chamou.
Isabella não se sentia a vontade com seu chefe, James era um homem atraente, na verdade era lindo! Qualquer mulher poderia se apaixonar por ele! Qualquer mulher que não tivesse conhecido Edward Cullen.
-- Pois não, senhor! Ela respondeu.
-- Nossa Bella! O modo como você organizou o arquivo ficou perfeito! - Ele elogiou dando-lhe um sorriso cativante e desejoso.
-- Que bom que gostou! - Ela sorriu meio sem jeito, se sentindo intimidada pelos grandes olhos azuis de seu chefe.
-- Sim eu gostei muito! - Ele retrucou – Bem, você já pode ir! Espero você de volta na segunda feira.
-- Claro, tenha uma boa noite senhor!

Bella saiu da livraria e se dirigia ao estacionamento do local, naquele dia ela estava usando o carro do pai. Não foi nada fácil explicar para Charlie que o seu casamento que parecia ser feliz havia acabado de uma hora para outra. Porém depois de muito alvoroço Charlie ficou do lado de Isabella a apoiando em tudo o que ela precisasse. As únicas pessoas felizes com tudo isso eram Tânia, que parecia estar tão animada que não fazia questão de esconder e Renée, que parecia compartilhar da mesma alegria que a da filha mais velha.

-- Isabella! - Uma voz conhecida a chamou antes que ela entrasse no carro.

Carlisle estava parado dentro do estacionamento da livraria, encostado em seu carro e esperando o momento exato para falar com a jovem.
-- Podemos conversar?

Eles seguiram para um restaurante que havia nos arredores em que se encontravam. Carlisle e Isabella agora estavam frente a frente. Não havia para onde a menina pudesse fugir e ela sabia que Carlisle queria saber o motivo pelo qual ela havia terminado o seu casamento com o filho dele.

-- Deseja comer alguma coisa? - Ele perguntou educadamente como sempre.
-- Não! - Ela não sentia fome, estava nervosa, pois não sabia o que esperar daquela conversa — Algo para beber talvez!
-- Claro! - Ele disse! Logo em seguida, ele pediu ao garçom duas taças de vinho tinto e voltou a fitar Isabella -- Agora que estamos sozinhos, você poderia me explicar o que estar acontecendo?

Isabella soltou um suspiro longo e lhe relatou os últimos acontecimentos. Em especial, ela narrou o fato dela ter finalmente descoberto o porquê de Edward a ter escolhido dentre uma multidão enorme de mulheres que ficariam deveras felizes em aceitar aquele contrato infeliz. Carlisle manteve-se calado ouvindo atentamente o que ela dizia. O garçom retornou com as bebidas não se demorando muito e ambos voltaram a conversar, ou melhor, Isabella voltou a falar.

-- Só então me dei conta de que ele nunca iria me amar! - Ela sussurrou melancolicamente — Não valia mais a pena seguir com tudo isso! Para ele sempre seria só um contrato!
-- Então você chegou a brilhante ideia de que ele não poderia nunca te amar! Carlisle retruca provando seu vinho.
-- Carlisle, eu e Edward, tudo não passou de um engano, um erro, eu nem sabia...
-- Isabella eu vi meu filho nesses últimos dias! - Carlisle a interrompeu – Edward está sem chão, parecer mais um zumbir de tão sem vida... Eu nunca tinha visto ele assim, nem mesmo quando... — Ele encarou Isabella — Quando ela...
-- Quando ela o deixou... - Isabella completou suas palavras.
-- Sim, nem quando ela o deixou ele ficou assim! - Carlisle  assegurou-lhe — Anthony sente sua falta, meu filho pode até ter comentido erros, mas eu sei que ele esta sentindo sua falta.
-- Carlisle ele assinou os papéis do divórcio hoje! Isabella disse — Legalmente estamos separados!
-- Então é assim? Está tudo acabado? Carlisle perguntou.
-- Acho que sim! - Ela murmurou sentindo medo dos olhos gelados do belo homem a sua frente
-- Eu era apaixonado por Elizabeth! - Ele disse entrando em um assunto completamente diferente — Sim, a mãe do Edward foi um grande amor em minha vida, ela era tão linda, cheia de energia e encantos - Carlisle se calou por alguns segundos como se tivesse divagando o seu passado — Mas éramos tão diferentes, pensávamos de forma distinta... Então veio Edward, meu filho, meu único filho Isabella. Acredite nunca senti tanto orgulho quanto eu senti no dia em que ele nasceu — O homem tinha seus olhos brilhando de emoção — Elizabeth mudou quando tudo terminou entre nós. Eu conheci Esme, sério foi algo diferente, ela virou meu mundo e fez-me sentir vivo novamente -- Ele olhou para ela e sorriu — Foi o que você fez a Edward, ele voltou a viver de um jeito diferente e você foi a única responsável por tal mérito.
---Carlisle eu...
-- Quero você na festa de Natal! - Carlisle disse sorrindo — E não aceito NÃO como resposta. Anthony deseja vê-la assim como eu desejo vê-la em minha casa.
-- Eu também sinto falta dele! Ela sussurrou — Eu irei.
-- Espero você amanhã então! Ele disse satisfeito.
Havia esperança no olhar de Carlisle.

Isabella se sentia coagida e sua vontade era negar-se em ir naquela festa. Porém, havia Tony e ela sentia muita falta do menino, era por ele que ela estava indo aquele lugar, pelo menos era esse o argumento que Isabella usava no caminho de volta para sua casa, ela tentava se convencer que Tony era o único motivo de sua ida à casa de Carlisle.

Continua...

Um comentário:

  1. adorei o cap!!!to anciosa por mais,,e quero meus trez amores juntinho de novo.ED BELLA E TONY

    ResponderExcluir