Jul M

Oi

domingo, 6 de janeiro de 2013

Noites De Tormenta-- Capitulo 23 -- Verdades Voltando.


Verdades voltando.

Já havia se passado mais duas semanas e o caso de Isabella ainda era estável. Durante o dia, Edward ficava no hospital e à noite ia para o apartamento fazer companhia a Bella “fantasma” e com isso, houve uma evolução na convivência de ambos. O rapaz já não mais se assustava quando a via de repente, também não gritava quando ela sumia em sua frente e nem quando brigavam. A barriga de Isabella estava crescendo tanto na real, quanto na imaginária. Edward havia classificado dessa maneira, a real era aquela que estava em coma e a imaginária aquela que sempre aparecia em seu apartamento.

Em uma sexta-feira o rapaz começou a ter leve lapsos de memória. Ele se lembrou de vários momentos com a Bella, porém muitas coisas não faziam sentido algum. Lembrou-se então de alguns momentos que supostamente passaram juntos quando ele ainda era um “fantasma” e que Bella imaginária havia lhe contado anteriormente. Desde quando ele conhecia o ex-namorado de Isabella? Aquilo não fazia sentido algum, mas imagens percorriam sua mente de uma forma tão real que ele ficou assustado e o pior de tudo era que não podia falar com ninguém em relação a isso, sem não iria ser taxado de louco e maluco.

– Então eu bati no seu ex-namorado? Oh merda, isso é tão confuso!

– Você não chegou a bater nele. – ela disse sorrindo. – Mas o deixou muito assustado. – seu sorriso aumentou.

– Bella isso é muito estranho, é irreal, mas me lembro de algumas coisas... Hum... Coisas bem interessantes sabia? – a olhou com certa malicia.

– Para de ser depravado, isso aqui é sério. – bateu em seu ombro levemente.

A conversa ganhou novos rumos e Isabella já estava na cama juntamente com Edward. Ambos se amavam, seus corpos se movimentavam e se misturavam em meio ao suor enquanto o rapaz investia fortemente contra o quadril de Isabella que gemia em plenos pulmões. O sexo com ela era sempre maravilhoso, sendo a real ou a imaginária. Ele usava e abusava do corpo da menina fantasma ao ponto de levar os dois à louca de tanto prazer.

(...)

Assim que Edward chegou ao hospital a primeira pessoa que avistou fora Heide bem de longe, vestida de enfermeira e saindo do quarto de Isabella e como seu instinto nunca havia falhado antes ele saiu correndo em direção ao quarto dela entrando sem cerimônia alguma e se apavorou com o que viu. O local estava pegando fogo e o alarme de incêndio acabara de soar. Sem mesmo pensar desconectou os aparelhos de Isabella e a tirou do quarto que estava em chamas, pois nada importava, apenas queria salva-la e foi o que fez. O andar fora completamente interditado e os bombeiros já se faziam presentes. Edward sabia que fora Heide, mesmo ela estando vestida de enfermeira e com uma peruca ruiva ele a reconheceria em qualquer lugar.

– Edward, vamos precisar de espaço. – Phill alertou. – Isabella inalou muita fumaça e vamos ter que fazer alguns procedimentos.

– Eu não vou sair de perto dela. – praticamente gritou com o médico.

– Tudo bem, mas não atrapalhe. – avisou voltando sua atenção para Bella.

Edward ficou o tempo todo ao lado de sua garota, vendo o procedimento que o médico executava. O fogo já havia sido contido e não chegou a se alastrar pelo andar. A segurança foi reforçada e ele estava sendo interrogado, pois fora o primeiro a chegar ao local.

– Eu vi uma mulher saindo do quarto de Isabella. – explicou. – Detetive Sian, o nome dela é Heide Volturi, ela estava vestida de enfermeira. Você poderá ver nas câmeras.

– Detetive? – O oficial lhe chamou atenção – Achamos isso do lado de fora do hospital, perto de uma lixeira.

– Isso só pode ser dela, pois Heide estava usando uma peruca ruiva como disfarce.

– Senhor Cullen, pode ficar tranquilo que iremos averiguar e cuidar de tudo. – anunciou – Apenas passe na delegacia para confirmar seu depoimento que vamos intimar a senhorita Volturi.

(...)

Bella já estava instalada em uma nova ala e Carlisle havia colocado dois seguranças para tomar conta da jovem que ainda dormia. Edward a observava através da janela de vidro. Uma sensação estranha percorreu o seu corpo. Por que a cada dia que se passava sentia que Bella estava ainda mais longe de si? O rapaz respirou fundo e com esse movimento sentiu uma pontada na cabeça, logo a dor ficou mais forte e mais forte, ao ponto dele cair de joelhos no chão segurando o crânio que parecia que iria explodir de tanta dor. Um dos seguranças notou que Edward não estava bem e o ajudou a se sentar em uma das cadeiras do corredor.

– Deseja um copo de água senhor? – O segurança perguntou.

– Sim. – aceitou com a cabeça ainda doendo.

Assim que o segurança saiu Edward fechou fortemente os olhos, como se esse ato fosse lhe ajudar com a dor. Sentiu mais uma intensa pontada no crânio e como num filme em câmera lenta imagens percorreram sua mente e lembrou-se de tudo o que aconteceu no dia em que sofreu o acidente. Em um ato rápido e impensado ele estava de pé já seguindo para a saída do hospital, mas antes deu ordem expressa ao segurança para não deixar ninguém se aproximar do quarto de Isabella e assim deixou o local. Fora apenas questão de tempo para Edward invadir a casa da mãe atrás de Anthony, mas para sua sorte o irmão estava sozinho na residência.

– Nossa irmãozinho, que cara é essa? – Anthony perguntou soltando o jornal que estava nas mãos. – Por que esta me olhando assim Edward? Até parece que um bicho te mordeu. – debochou rindo.

– Como você pôde? – Edward falou em meio à dor de sua cabeça que ainda parecia querer explodir.

– Como eu pude o quê? – Anthony tinha um olhar estreito para o irmão que estava estranho – Sinto muito pelo ocorrido com a sua namoradinha.

– Você e Heide! – Edward gritou e Anthony o olhou assustado – No dia em que sofri o acidente eu peguei você e aquela vadia sobre a minha mesa.

Anthony ficou pálido imediatamente, pois o irmão havia se lembrado.

– Vo... Você lembrou? – Pronunciou com muito cuidado cada palavra já que não sabia até que ponto iria à raiva do irmão.

– Sim, eu me lembrei. – pronunciou com desgosto – Por que Anthony? Por que toda essa raiva de mim?

– De novo essa conversa? – murmurou com desdém – Você sempre foi o preferido Edward e era assim que eu me vingava, roubando as suas namoradas ou te sacaneando. Desculpe irmãozinho, não era nada pessoa, mas era o jeito mais fácil de atacar nosso pai.

– Você é um lunático! – gritou dando dois passos em direção a Anthony que se afastou um pouco – Como Heide entrou nessa? – questionou furioso.

– Já que faz tanta questão de saber eu te conto irmãozinho! – sorriu sinicamente – – Sua ex-noiva é uma vadia. Você era um arquiteto muito renomado e  desejável, não passou de um prêmio para ela, apenas isso, nunca ouve amor, apenas interesse. – Edward tinha o olhar atento sobre o irmão – Foi tudo um jogo de poder Edward, você era o brinquedinho que ela exibia como troféu e então seu trabalho ficou em primeiro plano e Heide foi sendo deixada de lado. A garota era esperta e sabia que a qualquer momento você a chutaria e em uma noite estava saindo de uma festa quando ela me confundiu contigo e eu não neguei. Foi aí que tudo começou.

Edward deu uma gargalha de desgosto, feito um louco, o que não era para menos já que o único irmão, aquele que ele amava e tinha o seu sangue, havia lhe traído durante anos.

– Ela só usou você. – Edward disse dando um sorriso que não chegava aos seus olhos. – Heide apenas estava te usando e você aceitou isso numa boa.

– Eu também a usei irmãozinho, na verdade somos farinha do mesmo saco.

– Porque eu fui parar no hospital? –

Anthony estreitou os olhos, afinal o que poderia fazer? Não tinha mais nada a ser escondido.

– Você saiu da sala completamente furioso.

– Não era para menos né? Tinha acabado de pegar meu próprio irmão comendo a vadia da minha noiva sobre a minha mesa. – murmurou ironicamente.

 – Você me bateu e eu fiquei caído no chão enquanto Heide foi atrás de você. – Edward tinha os olhos sobre o seu irmão. – Cinco minutos depois ela voltou gritando e dizendo que você tinha caído da escada. Quando cheguei, te vi caído no chão e com a cabeça ensanguentada, mas eu não faço ideia de como aconteceu porque era apenas você e Heide.

Edward apenas o observou não encontrando nenhum traço de mentira estampado em sua face.

– Hoje quando o quarto de Isabella pegou fogo eu vi a Heide saindo de lá.

Anthony levantou uma sobrancelha e encarou o irmão com aquela cara “enfim você descobriu quem realmente é a Heide” e agora tudo fazia sentido para Edward.

– Sei que não sou o irmão dos sonhos, nunca nos demos muito bem e sempre roubei seu lanche na escola. – Anthony falou com certo orgulho na voz – Mas Heide nunca foi uma santa e não duvido nada que tenha sido ela quem te empurrou daquela escada. Não tenho certeza, mas sempre tive essa suspeita.

– E só agora me diz isso? – acusou nervosamente.

– Só agora as coisas fazem sentido. – Anthony murmurou – Heide estava comigo no dia do acidente de Isabella e então ela me deixou dizendo que tinha que fazer algo, mas quando perguntei o que era apenas disse que era algo que somente ela poderia fazer. – Edward estreitou os olhos.

– Você está me dizendo que...

– Não, eu não estou dizendo nada, apenas estou ligando os pontos.

Edward ficou calado por alguns segundos e então entendeu tudo, Heide tinha passado no trabalho de Isabella e com toda certeza era a culpada pelo acidente dela. Rapidamente retirou o celular do bolso e discou um número.

– Sr. Cullen? Aconteceu algo? – O detetive Sian disse ao atender o telefone.

– Heide esteve na livraria no dia do acidente de Isabella.

– Mas não há rastro dela nas câmeras de segurança da empresa.

– Use as câmeras de segurança da rua. – aconselhou – O carro dela é uma BMW vermelha e o número da placa é 254JFG.

– Pode deixar que veremos isso. – Sian pronunciou – Ela já foi intimada e terá que vir amanhã prestar o depoimento.

– Quero ser informado sobre tudo. Detetive Sian, ela é perigosa, por favor, seja rápido.

Anthony olhava atentamente para o irmão. Edward não estava nada calmo, na verdade estava muito preocupado com toda aquela descoberta. Isabella se encontrava grávida e seu filho crescia dentro do seu ventre a cada segundo que se passava. Ele precisava de Bella, precisava de sua presença e dela viva e feliz com ele.

Continua...

Um comentário:

  1. uoull... quanta descoberta!!! a Heide é uma vadia.. FATO!!! diz pra mim q é no proximo q ela vai acordar!!!!!!! por favor!!!!!!!!!!!!
    e nao demora pq eu amooo a fic!!!

    ResponderExcluir