Jul M

Oi

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

A Prostituta-- Capitulo 24-- Voltando!


VOLTANDO!


Em um elegante terno escuro, cabelos cortados na
última moda e sapatos importados. Charlie parecia muito bem, nem de longe
lembrava o homem que havia deixado o país em fuga, abandonado suas duas jovens
e indefesas filhas. Ele estava de volta e tinha muita coisa a fazer! A primeira
delas era encontrar Isabella e descobrir o que havia acontecido com sua pequena
Renesme. Algo que ele bem sabia que não seria
 fácil, ele conhecia bem o
temperamento da filha mais velha e sabia que ela não iria lhe perdoar assim tão
fácil, mas o que ele poderia fazer, naquela época, a situação não estava ao seu
favor e ficar no país não seria a melhor escolha. Fugir para Londres fora uma
boa escolha.


Ele estava muito airoso, se fossem o analisar pela vestimenta
que ele trajava, ninguém jamais diria que ele era um ex-policial, que antes, mal
tinha onde cair morto! Ele estava belíssimo e poderia até ser confundido com um
verdadeiro lorde inglês. Ele se encaminhou para a saída do aeroporto onde Esme já
estava a sua espera. Ele sorriu assim que viu a bela dama ao lado de um carro
deveras luxuoso.


-- Está linda como sempre minha querida! - Ele
disse dando a ela seu melhor sorriso.


-- Sempre galanteador meu querido! - Esme retribuiu
o sorriso dele — Vamos, temos muito o que conversar!


-- Esme, eu quero ver a minha filhas! - Ele avisa.


-- Ainda não Charlie, não vai ser fácil e você sabe
disso!


Sim ele sabia que não seria fácil, mas ele estava
de volta e queria tudo que era dele de volta. Menos Esme, ele sempre soube que
ela nunca fora dele, nunca mesmo.


....


Edward estava preocupado com o final de sua
campanha, os rumores sobre seu caso com Isabella tomaram conta da empresa.
Carlisle se manteve longe de tudo e aparentemente não se pronunciaria sobre as
escolhas e a carreira política do filho. De um lado as pessoas achavam incrível
o fato de ele ter assumindo o
 namoro com uma dançarina de boate. E por outro lado
a critica de jornalistas sensacionalistas lhe caiam matando sem dó nem piedade.
O fato é que para ele nada mais importava, além de Isabella. Toda a sua
preocupação era com isso, ele tinha medo de perder a jovem mais uma vez. Ele já
tinha deixado bem claro para Carlisle que se ele tivesse que abrir mão de
Isabella ele preferiria deixar de vez a sua candidatura. Claro que as coisas
poderiam ser mais fáceis caso Isabella deixasse de dançar, mas por algum motivo
que ela se recusava a dizer para ele, Bella não aceitava sair daquela maldita
boate. As danças íntimas e particulares foram canceladas, agora a jovem só
dançava no palco principal e depois estava livre.


-- Você poderia deixar isso! = Edward disse mais uma
vez naquela manhã — Odeio o modo como eles falam de você nos jornais! - Ele fez
uma careta jogando o jornal sobre mesa — Pense nisso Isabella eu conheço você,
mas eles não.


-- Eu vou pensar! - Ela disse pela primeira vez, a
garota falava a verdade, o que realmente lhe prendia ali era sua sede de
vingança contra Aro!


-- Não quero que você sofra com essa operação da
imprensa.


-- Edward eu já disse vou pensar! - Ela anuiu lhe
dando um sorriso tímido.


Edward e Isabella estavam praticamente morando
juntos, já que a morena há mais de uma semana não pisava em seu próprio
apartamento. Jacob ainda estava com Nessie, Isabella não podia fazer nada, ela
inclusive decidira emancipar a irmã. Pois assim ela teria o livre árbitro para
ir onde quisesse e morar com quem quisesse. Nessie preferiu mora com Jacob que
era seu namorado oficial.


-- Preciso ir! - Ele disse ficando de pé — Tenho um
discurso no plenário a fazer!


-- Boa sorte! - Isabella disse sorrindo.


-- Estou precisando muito disso!


Antes de sair, ele deu um beijo carinhoso e
abrasador nela, e depois, foi em direção do seu tão esperado discurso.


.....


Isabella estava em um restaurante. Ela havia
recebido um telefonema bastante estranho, alguém querendo falar com ela, ele disse
que tinha noticias sobre o pai da jovem. Ela marcou um encontro com o
informante em um lugar público. Já estava aguardando no local combinado há
quase meia hora quando uma sombra cobriu a mesa chamando sua atenção. A jovem
ergueu os seus olhos para ver quem havia chegado a sua mesa, mas sua respiração
ficou falha e a moça passou a ofegar e tremer. Ela realmente não acreditava no
que estavam vendo, mas era pura verdade, não era mais um de seus sonhos malucos
era verdade só poderia ser verdade.


-- Pai! - Ela exclamou ainda incrédula.


-- Bells meu amor! - Ele disse puxando a filha para
um abraço forte — Não sabe o quanto senti sua falta! - Ele diz mantendo
Isabella presa em seus braços.

 
Havia tanto a dizer, tanto a perguntar que Isabella
não sabia como começar, estava muda e sem voz, presa aos braços do pai que há
muito tempo não via. Assim que ele a afastou para que ele pudesse ver o rosto da
filha, ele percebeu que ela estava séria e não havia lágrimas em seus olhos. Ela
estava feliz em vê-lo novamente, mas ainda havia muitas coisas a serem
explicadas e se ela fosse se deixar levar pela emoção, nada seria como ela
tinha planejando fazer há  alguns tempo atrás,
quando ela soube que voltaria a vê-lo de novo.


-- Eu sei você esta brava comigo! - Ele disse
passando as mãos nervosamente pelos cabelos e puxando uma cadeira para
sentar-se — Vamos! Então, eu sei que você deseja saber por onde andei e o que
estive fazendo.


Isabella não pode deixar de notar que seu pai
estava muito bem vestido, ele tinha até pose de um verdadeiro lorde inglês, mas
como? O pai não tinha dinheiro para nada disso, foi justamente por isso que
tudo começou. A falta de dinheiro fora um dos motivos que levaram Charlie a
pedir dinheiro para Aro e foi assim que os pesadelos da Swan começaram.


-- Comece a falar!  - Fora tudo que ela disse.


Charlie disse tudo como havia acontecido, em cada
detalhe, como Esme que não estava morta o ajudou. Como eles montaram o plano
para fraudar sua morte. Como Esme o ajudou a sair do país. Explicou como as
coisas perderam o rumo, ele não esperava que Aro fosse chegar tão longe, ainda
mais sendo que o que ele realmente queria era destruir Esme, fingido a morte
dela ele achou que Aro os deixaria em paz, mas pelo contrário, ele foi mais
longe e retirou a pequena Renesme de casa a forçando a virar uma mulher da
vida. No final de todo o resumo, Isabella permanecia sem voz, era muita coisa
para que ela pudesse digerir. E o pior de todos, era Esme, ela estava na vida
mesmo sendo uma mulher rica. Em um súbito de raiva, Isabella levantou da mesa
deixando a cadeira cair atrás de si, olhou feio para o pai e pegou sua bolsa.


-- Bella, por favor, tente entende! - Charlie disse
já de pé.


-- Entender? - Ela disse incrédula — Esme deixou
Nessie cair nas mãos daquele crápula, ela deixou a própria filha virar o que
ela foi um dia, pelo amor de Deus! Você quer que eu entenda isso?


-- Se você entendesse! - Ele sussurrou.


-- Não, eu não quero entender, e duvido muito que
Renesme venha a entender! - Ela cuspiu as palavras.


-- Bells!


-- Me deixa Charlie! Esse não é o momento! - Ela
disse saindo em direção ao estacionamento do local.


...


Isabella estava perturbada, Edward estava chocando.
Ele estava em casa com ela aconchegada em seu colo, ela chorava desde que tinha
ligado para ele assim que saiu do restaurante. Ela  precisava desabafar e ele era a única pessoa em
quem ela confiava. Edward ficou tão surpreso quando soube, mal sabia ele que
Esme era sua tia. Tia essa que fora dada como morta pelas suas duas irmãs. Havia
tanta sujeira nessa história, que ninguém poderia nem imagina. Ele e a Swan
nunca estiveram tão próximos como estavam agora. A vida deles nunca esteve tão adequada
quanto estava naquele momento, e isso só aumentaria ainda mais o amor que sentiam
um pelo outro... O fato era que uma grande nevasca estava a caminho... Eles
precisavam ser fortes ou seriam destruídos pela tenebrosa tempestade...


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário