Jul M

Oi

sábado, 28 de dezembro de 2013

O Casamento-- Para Todo O Sempre--- Cap 16


"Eu me preocupava bastante com o que queria ser quando crescesse, quanto ganharia ou se me tornaria alguém importante. Às vezes, as coisas que você mais quer, não acontecem. E às vezes, as coisas que jamais esperaria, acontecem"
--Frase do Filme Amor e outras Drogas
É NATAL...

Carlisle ficou deveras furioso  com Edward e Isabella pela loucura arquitetada por ambos, mesmo Felix tendo sido preso, havia grandes chances de o plano ter dado errado. Porém o patriarca entendeu o ponto de vista do casal, as coisas estavam fugindo ao controle e a policia não conseguia chegar a lugar algum. Pelo menos, agora que Felix e Tânia estavam presos, eles teriam um pouco de paz. Afinal Felix confessou ter sido o culpado pelas mortes, fato que tirava Edward da condição de principal suspeito. O melhor para os Cullen foi que tudo se resolveu antes das festas de final de ano.
Era dia de Natal, como sempre, a ceia seria na casa de Carlisle, apenas para a família. Esme estava deslumbre em um vestido azul bebê, que a deixava ainda mais jovem. Carlisle usava um suéter vermelho e calça bege de linho. Isabella trajava um lindo vestido verde, solto da cintura para baixo. Edward usava um suéter também verde, só que mais escuro do que o vestido de sua esposa. Tonny vestia um suéter bege do mesmo modelo que o do avô e calça de linho preta. A pequena Nessie, que na verdade, se chamava  Reneesme e foi, carinhosamente, apelidada de Nessie pelo irmão mais velho, pois o garoto falou que o nome da irmã o lembrava do “Monstro do Lago Ness”... Depois da comparação de Tonny, foi difícil  controlar a expansão da nova alcunha, todos passaram a chamar a pequena princesa de Nessie. A criança estava em um lindo vestidinho rosa, sapatinhos de bailarina na mesma com e com um belo lacinho rosado no cabelo. Nessie estava uma verdadeira boneca, de tão linda.
O jantar foi ótimo, tudo se passou em muita calma, paz, alegria e na mais completa harmonia, Edward e Carlisle conversaram sobre os novos contratos da empresa. Edward disse ao pai que a esposa voltaria a trabalhar na empresa ao seu lado, afinal ele não poderia descuidar da segurança de Isabella, pois nem tudo estava realmente esclarecido, o pai do rapaz simplesmente vibrou com a novidade. Isabella falava sobre Nessie e de como a pequena princesa estava deixando tanto ela quanto Edward, malucos. Esme se ofereceu para ficar com a menina, no período em que Isabella estivesse na empresa. Isabella trabalharia somente pela parte da manhã, à tarde, ela ficaria em casa para poder dar a atenção necessária as crianças, até porque Nessie  ainda era muito nova para ficar tanto tempo longe da mãe. Só havia se passado cinco meses do nascimento da menina, mas a pequena era bem esperta, ela sempre chorava na hora em que os pais estavam se preparando para ter algo mais quente do que beijos e amassos na cama... ...a partir daí, a baby não dormia tão cedo...
-- Feliz Natal! - Edward disse beijando a esposa no pescoço e passando os braços em volta da amada — Eu tenho algo para você!
-- Mais presentes? - Ela disse fazendo beicinho.
Isabella ainda não tinha se acostumando com aquilo, Edward sempre a enchia de mimos, mas ainda assim, era difícil, justamente para ela que sempre teve tão pouco.
-- Espere aqui! – O rapaz disse saindo da sala de visitas, eles já se encontravam em sua própria casa. Tony havia ficado na casa do avô. Nessie estava em casa com eles, ela dormia calmamente no andar de cima. Os Seguranças estavam bem posicionados do lado de fora da residência, de certo modo, a casa estava só para eles... Edward voltou para sala  com um pequeno saco vermelho nas mãos. Ele entregou para Isabella que o abriu com facilidade, dentro do pacote, ela se deparou com um belíssimo anel de esmeralda.
-- Edward! - Ela disse admirada — É lindo!
-- Eu sei! - Ele disse — Eu achei a sua cara. Você sempre diz que os meus olhos parecem duas lindas esmeraldas! Espero que goste dessa esmeralda que te ofereço, como mais uma prova do meu amor por você...
-- Tem como não gostar?! - Ela pergunta ao amado — Este anel poderia ser até mesmo de vidro, que mesmo assim, eu amaria recebê-lo do mesmo jeito, porque teria sido você quem teria me presenteado...
Edward tomou o anel das mãos da morena e o colocou no dedo da amada o selando com um singelo beijo, enquanto fitava os olhos da mulher. Isabella tinha um sorriso bobo nos lábios, ela sabia que depois, ela poderia até, ficar chateada, pelo valor astronômico gasto no adorno, mas no momento, ela estava muito feliz em ter a atenção do marido voltada somente para ela...

-- Eu também tenho um presente para você Sr. Cullen! - Ela disse sorrindo.
..................
 Edward estava no quarto, sentando na cama, esperando Isabella... A moça o fez jurar que não riria dela de forma alguma, o que o deixou mais curiosa em saber o que a esposa estava aprontando. Ele sabia que a jovem andava meio saidinha na cama, ainda mais depois que ela teve o bebê... O casal não transava forte e duro ou fazia amor há algum tempo, pois sempre que tentavam algo, além do bom e velho amasso, a filha caçula teimava em acordar para jogar um balde de água fria nas intenções dos dois...
-- Que tal? - Isabella disse saindo do banheiro.
A boca de Edward se abriu em surpresa, os olhos faltaram sacar da cara, ele passou as mãos pelo rosto, tentando ver se não estava sonhado, e  de fato, não era sonho, era mesmo Isabella à  sua frente, vestida de coelhinha.

 Pelo menos, foi isso que ele deduziu pelas orelhas presas à cabeça... O ruivo tinha um olhar totalmente escurecido de desejo no corpo nu da esposa. Ele babava vergonhosamente falando...
Isabella tinha algo pendurado atrás de si, ela deu uma viradinha para mostrar todo o pacote para o marido. Em sua bunda, havia um rabinho branco que parecia de um coelho. Ele babou ainda mais, ele conhecia aquilo, porque já tinha usando no passado e sabia que havia um plug dentro dela...
-- Não havia uma fantasia de coelhinha completa... ...então eu resolvi improvisar... - Ela disse justificando maliciosamente — Que tal! – Ela deu uma reboladinha!
-- Você está um verdadeiro TESÃO! - Foi tudo que ele conseguiu dizer, respirando fundo ele foi logo ordenando — Amor fica de quatro sobre cama... – Ele pediu rouco e extremamente excitado.
Edward nunca tinha conversado com Isabella sobre as suas fantasias sexuais, aquela com toda a certeza, passaria a ser uma de suas fantasias preferias. Bella estava fazendo o pau dele, ficar duro como pedra. Isabella caminhou até ele, ficando de quatro sobre a cama. A morena ficou meio constrangida no começo, mas assim que ela ouviu os gemidos do marido, ela teve a certeza de que ele tinha adorado e para ela, era isso o que realmente importava.


-- Você não tem ideia de como está gostosa assim? - Ele comentou sôfrego.
...........................
Edward não aguentou por muito tempo, ele não demorou a fazer o que estava desejando há dias. Ele comeu Isabella do jeito que desejava há muito... O plug foi arrancado do rabo dela. Ele se posicionou por trás da amada a penetrando em um só movimento. 

Ele estava muito excitado, os seus movimentos eram rápidos e precisos, assim como os gemidos dos dois... ...o barulho dos corpos se movendo era como uma sinfonia apressada, eles não faziam amor, era sexo e desejo... Isabella tanto quando ele, estava desejosa daquilo há dias. 

  Edward segurava a esposa pela cintura, as investidas eram fortes, fazendo tanto o seu corpo quanto o de Isabella se mexer para frente e para trás... Os gemidos da jovem eram altos, assim como os grunhidos soltados por Edward, os sons se misturavam naquele ambiente de luxuria e desejo. 

 Edward curvou-se sobre Isabella, a boca dele bem perto do pescoço dela, ele a mordeu, provocando assim arrepios de prazer na esposa, sem nunca deixar de meter com vigor...

Edward estava por cima de Isabella. As pernas da menina estavam em volta dos quadris do rapaz, as mãos dela estavam nos cabelos dele e ela gemia alto pelo prazer adquirido cada vez que o pau do marido se afundava em sua buceta. Era uma vitória para os dois, Nessie ainda dormia o que fez com eles agissem como mais pressa ainda. 

A boca de Edward estava no pescoço de Isabella, provocando-a ainda mais, os seus movimentos ficaram mais lentos, mas ainda assim, profundos dentro dela, levando os dois ao puro delírio.

 Isabella tinha a boca no ombro de Edward, abafando os seus gemidos, deixando os dois loucos e grudentos de suor. Edward metia com força dentro da jovem que tinha as pernas abertas o recebendo com prazer.
O grito de Isabella ecoou no quarto, ela gozou alto, o seu corpo todo tremeu prazerosamente. Edward se movia mais rápido e mais rápido ainda, até que o seu corpo se contraiu e ele se libertou dentro da esposa.
Ambos caíram na cama com a respiração ofegante e o coração batendo a mil. Sim, tinha sido incrível para os dois. Isabella era o encache perfeito dele e não havia duvidas disso.
--- Cadê o meu presente? - Ele perguntou sabendo a resposta.
-- Eu sou o seu presente! - Ela disse sorrindo — Não gostou?
-- Se você é o meu presente, eu posso fazer o que eu quiser com você, certo? - Ele disse com malicia a fitando bem dentro dos olhos.
-- Contando que me deixe respirar um pouco e comer algo... - Ela replicou já desejosa por mais — Sim, você pode...
Edward ficou por cima dela dando beijinho em seus lábios carnudos e tenros...

-- Você tem cinco minutos para fazer tudo isso!
 Continua...
......................................................................................
Notas Finais!
O que acharam meninas?
Vamos la comenta?
Espero que sim?
Meninas vou tenta posta antes do ano novo o cap novo de Slave Of Pleasure.
Eu não vou prometer nada por que ta corrido pra mim!
E com bloquei da minha conta no Nyah eu fiquei bem puta com isso.
E acabei excluindo alguns cap já escrito da fic só de raiva.
Agora deixa eu dizer algo que vai deixa muita gente fula da vida comigo.
Primeiro eu descobri essa semana mexendo aqui no blog.
Algo que pra  sera um boa mais para algumas de vocês sera pedra no sapato.
Eu não quero chega a esse ponto então vou pedi para vocês.
Eu descobri que posso posta os cap apenas para minhas seguidoras no blog.
Eu também posso ver aqui no blog quantas pessoas leram e visitaram meu blog.
O que eu quero dizer, E simples eu postei capitulo de Maus lençóis 
E tem apenas 13 comentários? vocês sabia disso? pois bem a  coisa chata.
E que só nesse ultimo capitulo eu tive 145 visitante. ou seja 145 pessoas leram e apenas 13 comentaram? vocês acham justo isso?
Pois bem eu não acho! e desvaloriza meu esforço e trabalho da minha Beta Tuca.
Gente não e pedi muito apenas comentários.
Mesmo que seja pra dizer que  ta péssimo cap eu não me importo.
Comente são através do comentários de vocês que agente sabe como anda Fic.
Estou avisando por que não quero ser chamada de chata.
Eu vou priva as postagem e tem muita gente que vai fica chateada.
Eu conheço algumas das minhas leitora e a maioria respeita essa regra mais sempre tem umas que adoram pular e quebra regra.
Sei bem que vai de vocês os comentários.
Mais se você saber que tem regra então por que se mete a quebrá-la?
Olha eu desejo um bom Ano novo para Todos.
Para minhas leitorais Fieis e querida  que não me deixaram sozinha 
Com toda essa confusão.
Eu não quero fazer isso. de verdade gosto que pessoas leiam minhas fics.
Mais também gosto de saber o que elas acham.
Comentem e só isso que peso!
Detalhe qual quer pessoa pode comentar, não precisa esta me seguindo no blog.
Jul M

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Recomendações para fic-- Em Maus Lençóis

   Deixe sua marca nessa Historia!
Vamos recomenda  ela!
Diga o por que vale apenas ler essa historia!
Faça parte dela!






Jul M

Recomendações para Fic -- Slave Of Pleasure-- Escrava Do Prazer

Vamos la volta ativa!
Vamos deixa sua recomendações para essa Fic!
Diga o por que você gosta tanto dessa Fic e por que vale apena ler ela.
Não vamos deixa o que aconteceu tira nossa alegria!
Eu ainda to aqui meninas(os)





Jul M

Recomendações para fic O Casamento-- Para Todo O sempre

Meninas(os) deixem aqui sua recomendações para fic o casamento!
Estou contando com vocês
Não vamos deixa o que aconteceu estraga a nossa diversão !

Jul M

Em Maus Lencois-- cap 16

LENÇÓIS 
A VINGANÇA É UM PRATO QUE SE COME FRIO...

Tânia é uma mulher extremamente bonita, atraente e muito sexual. Uma loira linda, deslumbrante sem sombra de duvidas. Tânia sempre escondeu o ciúme e o ódio que sentia por Rose, a priminha que sabia tudo da vida da loira, assim como a própria sabia tudo sobre a vida dela... 

Desde pequenas, ambas competiam para ver quem era a mais bonita, qual das duas chamava mais atenção e com o passar dos anos, um sentimento desagradável foi crescendo entre as beldades, tudo em um ritmo velado de competição. 
Quando bem jovens, não havia motivos para Tânia odiar Rose, além da inveja pela beleza perfeita da prima. Mas tudo mudou quando elas começaram o Ensino Médio, Rose passou a ser líder de torcida, passou a roubar a cena e para piorar, Rose conquistou o único garoto o qual Tânia realmente amou... Edward Cullen, ele era o adolescente dos sonhos dourados de qualquer garota sonhadora, porém Tânia nunca saberia o gosto dos beijos dele ou como seria o simples toque de suas mãos em seu rosto, em um afagar carinhoso... ...porque a sua priminha querida o tinha como namorado e o exibia como troféu. 
Rose era tão cruel que esfregava na cara da prima tudo que fazia com o namorado. Rosalie sempre soube que a priminha era apaixonada por seu namorado e para ela, era uma grande diversão ver Tânia morrendo de inveja e ciúmes por saber que era ela quem tinha o homem que a priminha tanto desejava.
Mas as coisas começaram a mudar radicalmente quando Rose conheceu Benjamim, um garoto de classe média baixa, de tirar o fôlego da loira. Durante longo anos, eles tiveram um caso de amor, encontros a escondida, transas rápidas em banheiros, corredores, elevadores e becos escuros. Quando Rose engravidou, claro que ela jurou de pés juntos que era de Edward, afinal ele era rico e sempre o seria, já Benjamim não tinha nem aonde cair morto. A jovem convenceu Benjamim a ficar calado e ambos continuaram sendo amantes. Rose bancou a faculdade do amante com o dinheiro do marido. O caso dos dois durou mais de quinze anos e a filha de ambos virou uma linda mulher. Há bem pouco tempo, Benjamim partiu deixando a médica sozinha em NY. Tânia conhecia cada parte daquela história, ela sabia de todos os encontros secretos e todas as loucuras que os jovens amantes fizeram durante todo o tempo em que estiveram juntos...
A raiva de Tânia só aumentou em uma briga que as duas loiras tiveram há muito tempo, durante o embate, Rose chamou Tânia de lésbica. Disse ainda que a prima fosse uma vadia que trepava por alguns trocados e que não passava de uma puta de beira de estrada, uma verdadeira rameira... Ambas estavam bêbadas, mas Tânia nunca esqueceu as palavras de Rose e guardou dentro de si esse ódio por longos anos a fio, esperando o momento certo de se vingar da prima. Então, para Tânia, finalmente estava na hora de sua vingança contra Rose ser colocada em prática...
Tânia passou cada minuto do seu tempo livre planejando os passos daquela vingança e agora que achara a pessoa com quem poderia contar em seu plano mirabolante, não deixaria de o por em prática, e claro, ela sabia o quanto isso seria prazeroso...
.....................
Quando Rose chegou em casa naquela, Edward já estava dormindo, ela sabia que já era bem tarde mesmo. Nessie não estava em casa, a menina devia estar na casa do namorado. Rose ainda estava surpresa pela filha ainda não ter engravidado, já que ela não parava mais em casa, Nessie vivia o tempo todo grudada ao namorado. Rose até entendia, já que Jacob Black era um garoto muito bonito, se ele não fosse tão jovem, ela provavelmente teria dado encima dele. 
Assim que ela entrou no quarto, ela deu graças por Edward já estar dormindo, assim ele não teria como perceber que a esposa havia sido muito bem fudida, pois de fato a loira foi muito bem fudida e por várias vezes na sala do médico gostosão. O seu corpo fedia a sexo e para evitar ser pega, Rose correu para o banheiro e tomou um banho demorando, porém, ela não conseguia apagar de sua mente as lembranças do médico e a sua pegada marcante.
......................
O dia amanheceu lindo, Rose parecia feliz e disposta, assim que rolou na cama a encontrou vazia, já passava do meio dia, Edward não estava mais no leito do casal. Rose saiu do quarto vestindo apenas um hobby longo e desceu as escadas, encontrando apenas a empregada na cozinha.
-- Sue onde está o meu marido?
-- O Sr. Cullen não está Senhora! - Ela comunica a patroa ? O Sr. Edward saiu, ele não disse aonde iria, mas é provável que tenha ido visitar os pais dele, que já chegaram de viajem.
-- Que legal! - A loira disse com desgosto - Quem veio com eles dessa vez?
-- O sobrinho e a noiva! - Sue disse ? A Dona Esme estará dando um almoço no domingo, e claro, o menino Jasper e a sua noiva Alice estarão na casa.
-- Então Jasper conseguiu uma noiva! - Rose comenta com ironia - O garoto era tão tímido que achei que entraria para um seminário.
-- O menino Jasper era novo demais! - Sue disse não gostando nada do comentário da patroa - Morar um tempo fora fez bem para ele.
-- Deve ter sido... - Rose diz - Onde está a minha filha?
-- A menina Nessie ligou, ela não vem dormir em casa hoje também, ela tem uma festa para ir com as amigas! - Sue diz - Ela disse que o Sr. Edward deixou.
-- Tudo bem! - Rose diz - Só espero que essa fedelha não me apareça grávida, se ela está pensando que eu vou cuidar de criança, ela está muito enganada...
Sue fechou a cara para Rose que pareceu nem se importar, Sue não entendia como aquela mulher conseguiu ser mãe, uma mulher que nunca demonstrou um pingo de emoção sequer.
...................
Rose estava no escritório de Edward quando o seu celular tocou, ela reconheceu pelo toque que era sua priminha, a puta da Tânia. Rose sorriu com o pensamento maldoso, ela iria adorar causar inveja na priminha com o seu novo amante, afinal o máximo que Tânia conseguia era um bando de velho em decadência que sempre a tratava como uma puta barata.
-- Olá querida prima! - Rose diz com muito sarcasmo na voz - Ao que devo a honra dessa ligação.
-- Rose! - Tânia diz com a voz preocupada ? Eu preciso ver você com urgência.
-- Tânia aconteceu alguma coisa? Não estou gostando nada do seu tom de voz! - Rose exclamou.
-- Sim aconteceu! - Tânia diz parecendo estar nervosa ? Eu preciso que você venha a esse endereço e tem que ser agora. Aqui eu te conto o que aconteceu. - Tânia passou o endereço para Rose - Rose é importante e eu acho bom você vir.
-- Já estou a caminho Tânia! - Rose disse não gostando nada da entonação na voz de Tânia.
Rose saiu do escritório deixando o computador ligado e subiu em direção ao quarto trocando de roupa.
-- Sue estou saindo! - Ela disse para empregada - Se Edward perguntar, eu tive problemas no hospital, se ele desejar falar comigo, estarei com o celular ligado.
-- Claro Sra. Cullen.
.............................
Rose seguiu em direção a saída da cidade e não demorou a encontrar o seu destino, era uma casa simples, que mais parecia abandonada do que uma casa habitada, ela reconheceu o carro da prima e outro carro que ela não sabia de quem era. Rose estacionou o seu carro e saiu em direção a casa, Rose não se deu ao trabalho de bater e assim que entrou na casa deu de cara com a prima completamente nua, sentada em uma cadeira próxima ao sofá.

-- Que palhaçada é essa Tânia? - Rose diz em alto e bom tom - Você me chamou aqui mesmo para quê? Sua puta...

Rose estava realmente com raiva, ela odiava ser feita de idiota e ela nunca sentiu um pingo de carinho pela prima, apenas gostava de infernizar a vida dela e humilhá-la quando podia, ela nunca deixou passar uma única chance sequer para fazer isso.
-- Olá Sra. Cullen! - A voz de Marcos ecoou atrás da loira fechando a porta - É bom ver você novamente.
Rose ficou pálida, ela não entendeu o que se passava ali e não sabia o que o homem, com quem ela e a prima transaram algumas tarde atrás, estava fazendo naquele local e como ele sabia qual era o seu sobrenome. Rose olhou feio para Tânia que simplesmente deu de ombros.
-- Tânia...
-- Apenas o escute! - Tânia pediu.
Marcos vestia uma camisa branca e uma calça preta de linho, a camisa estava sem gravata, o homem que não era tão jovem assim e nem tão velho, estava com um sorriso nos lábios tão demoníaco quanto o de Rose, quando ela estava ao ponto de fazer uma maldade... 
-- Por favor, Sra. Cullen se sente! - Marcos disse apontando para um sofá ? Eu tenho algo para você ver!
Marcos sorriu e esperou que Rose se sentasse, assim que a loira estava sentando no sofá, Marcos usou o controle da TV para ligar o aparelho e lhe mostrar o pequeno vídeo caseiro feito com as loiras. Rose ficou boquiaberta quando viu do que se tratava o vídeo, era ela e Tânia naquela tarde a qual elas transaram com Marcos e o amigo dele. Rose respirou fundo antes de voltar a olhar para Marcos.
-- O que você quer? - Rose perguntou - Se for dinheiro, não é problema, eu pago o valor que você quiser...
-- Dinheiro Sra. Cullen, eu tenho! - Marcos disse sorrindo e caminhou até Tânia, dando um beijinho nos lábios da jovem - O que eu quero é outra coisa.
-- Diga o que você quer para me entregar esse vídeo e todas as cópias que você tiver! - Rose praticamente gritou.
Marcos olhou sério para Rose e não pensou duas vezes antes de lhe enfiar a mão na cara, dando uma tapa forte na cara da loira, fazendo-a virar o rosto por tão violenta ter sido a tapa.
-- Em primeiro lugar sua vadia, você não manda em nada aqui! - Marcos diz raivoso - E se levantar de novo a voz para mim, eu juro que esse rostinho de boneca vai fica bem corando.
Rose ficou calada, as suas mãos estavam sobre o lado da face em que ela levou a tapa, os seus olhos ardiam, mas ela controlou a vontade de chorar.
-- Agora que você está mais calma, eu vou dizer o que quero para começar! - Marcos entoou se sentando em uma poltrona distante ? A primeira coisa a fazer é tirar essa roupa, eu quero você nua, assim como a sua priminha.
Rose olhou feio para Tânia, por algum motivo, ela sabia que tinha dedo da prima naquilo, e se ela descobrisse que tivesse, Tânia estaria ferrada e como estaria. Rose tirou a roupa sem problemas, ela tinha um corpo bonito e sabia que era desejada.
-- Ótimo! Agora que você está do jeito que eu quero, vamos as minhas regras! - Marcos diz - Fique de pé, eu quero que você chupe Tânia, mas eu quero que faça isso com prazer minha querida, porque se eu notar que você está sendo fingida, não será nada bom para você.
Rose olhou para Marcos sabendo que as palavras do homem não eram apenas um blefe barato e sim a mais pura verdade.
-- Vamos lá querida, comece ou eu terei que dar a você um ótimo motivo para fazer o que eu quero.
-- Não! - Rose disse por fim não vendo saída.
.....................
Tânia estava deitada em uma espécie de divã, Rose estava sentada próxima a sua cabeça.

 A loira estava se sentido humilhada, ela nunca tivera tendências lésbica e odiava aquilo. Nunca precisou chupar uma mulher e quando o fez fora em um momento de prazer. Todas as vezes que transou com outra mulher, sempre havia um homem envolvido, quando não era Benjamim era um outro homem qualquer, mas nunca fora apenas ela e uma mulher e normalmente era a outra mulher quem a chupava, não ela quem chupava a mulher. E ter que chupar Tânia estava sendo humilhante demais para a loira deslumbrante.
Rose não fez preliminares desceu em direção as pernas da prima e fora direto a buceta da loira, Rose passou a língua com calma e de certo modo com nojo, mas então ela se lembrou da ameaça de Marcos e ela não estava a fim de saber o quão ruim iria ficar para o seu lado.

 Respirando fundo ela passou a chupar a buceta de Tânia com mais vontade ou pelo menos era isso que ela demonstrava.


Marcos deixou a jovem ficar chupando a buceta da prima por um bom tempo, enquanto isso os gemidos de Tânia ecoavam pela sala. Quando Marcos se deu por satisfeito ele ficou de pé indo até o canto da sala e pegou uma caixa de papelão que havia ali, levando-a em direção a meninas, ele despejou o conteúdo da caixa no chão. Ele pegou algo em suas mãos e jogo encima das duas.

-- Quero que você use isso agora! - Marcos disse sorrindo - E você Dona Rose, eu quero ouvir você gemer e me convencer que está gostando.
Rose olhou para o objeto que Marcos havia jogando encima dela e de Tânia, quando percebeu que era um pênis de borracha duplo, daqueles que definitivamente, era utilizado por lésbicas, ela sabia, pois já tinha visto um daqueles em filmes e vídeos pornô.
-- Vamos querida, eu não tenho o dia todo! - Marcos disse puxando os cabelos de Rose com força - Faça o que eu mandar vadia e não finja não gostar, porque eu sei que estará amando. Ah, não se esqueça de gemer.
Ao dizer isso, Marcos soltou os cabelos da loira, Rose mais vez respirou fundo, ela sabia que tinha muita mais a perder do que Tânia, então para ela era melhor fazer o jogo do homem. A Médica pegou o pênis de borracha e logo enfiou um lado na buceta da prima e o outro lado em sua própria buceta. Aos poucos ela começou a se mexer, Tânia como sempre, estava gemendo como uma cadela no cio, logo, Rose engoliu o seu orgulho e passou a gemer, ela percebeu que não era tão ruim assim, era como estar se masturbando, a diferença era que também havia outra pessoa usando o seu pênis de brinquedo, ela pensou.


 Marcos deixou a cena rolar por alguns segundos, até ele pegar outro pênis no chão e jogar em cima dela.
-- Usem esse! - Marcos disse - Ele é maior e mais grosso, eu quero as bucetinhas de vocês completamente arrombadas!
Ao dizer isso ele deu uma tapa com força na cara de Rose, que mais vez respirou fundo e engolindo o seu orgulho.
Novamente, elas fizeram o que o homem ordenara, então voltaram a se mexer como duas lésbicas, aos poucos Rose fora gemendo de verdade, mas ainda assim, em meio ao prazer, ela não conseguia esquecer a humilhação que estava passando.
............................
-- Eu estou cansado desse jogo! - Marcos disse de pé novamente - Vamos jogar outra coisa agora.
Rose olhou para o homem sem entender o que ele queria dizer com aquilo, Marcos não era bobo, ela sabia que ele tinha algo planejado e Rose não era burra, ela já havia notado que o alvo dele era apenas ela, Tânia estava ali, mas ela ainda nem sabia o porquê exatamente.
-- Tânia querida coloque isso e foda a sua priminha! - Marcos disse entregando um pênis diferente para a mulher, o objeto era vermelho e no final havia um encaixe que era para ser colocado na buceta da Médica - E você vadia! - Ele disse para Rose - Fique de quatro, Tânia vai fuder você.
Rose queria esganar aquele homem com as próprias mãos, mas ela sabia que só poderia fazer algo depois que o vídeo estivesse em sua posse e isso nem era garantia de que não haveria outras cópias guardadas. Ela fez o que Marcos demandou, ficou de quatro, ela viu quando Tânia colocou aquela coisa estranha dentro da buceta dela e veio para trás de si.
-- Relaxa priminha, vai ser gostoso! - Tânia disse cinicamente. Ninguém mais do que ela estava amando ver à prima ser humilhada daquele jeito.

Depois que disse isso, Tânia enfiou o pênis de borracha dentro de Rose que gemeu com a invasão surpresa, mesmo sendo de borracha o pênis era grande.

 Tânia passou a se mover com rapidez e agilidade, claro que ela sabia manusear aquela merda, não era a primeira vez que ela fudia um mulher. Tânia era mais rodada em orgias do que Rose e nunca escondeu que não se importava em trepar com mulheres ou com homens, contanto que ela gozasse que era o mais importante para ela.
Levou alguns segundos para Marcos mudar as regras do jogo de novo, dessa vez, ele deu uma cinta com um pênis preso nela para Tânia e mandou que ela fudesse o rabo da prima. Rose respirou fundo, ela queria gritar e encher aquele verme de pancada e se possível, cortar o pênis dele fora, mas ficou calada e fez o que Marcos mandou.. Tânia estava atrás de Rose, que estava deitada de lado, enquanto Tânia a fudia no rabo, Rose não gemeu uma única vez, Tânia por sua vez se divertia em infernizar a prima e vê-la sofrendo estava sendo ótimo.

Mais uma vez, Marcos inverteu tudo e mandou Rose ficar de quatro no chão, mandou que Tânia fudesse o rabo dela sem dó nem piedade e dessa vez ordenou que Rose gozasse. Tânia a fudia com força fazendo Rose gemer de dor, ela metia na jovem sem o menor cuidado possível, até que Rose gozou, ela nem soube dizer se foi de prazer ou dor, mais acabou gozando.

...........................

Marcos não parou por aí, ele levou Rose e Tânia para o quarto, lá ele colocou Tânia deitada de barriga para cima com as pernas bem abertas. Já Rose, ele colocou de quatro na cama, assim que se livrou da roupas se colocou atrás de Rose e a penetrou sem o menor dó. E ainda mandou que a jovem chupasse Tânia até ela gozar em sua boca.

A cada nova investida a cabeça de Rose se afundava ainda mais no meio das pernas da outra loira que gemia alto e em bom tom para que a priminha soubesse que ela estava sentindo prazer com tudo aquilo.

Marcos mudou de posição, ele mandou Tânia recolocar a cinta com o pênis de borracha e juntos começaram uma dupla penetração em Rose. 

Tanto ele quanto Tânia passaram a fuder a loira, Marcos gozou enchendo o rabo de Rose com o seu sêmen e só então ele e Tânia caíram na cama exaustos.
Rose achou que todo aquele inferno, finalmente tinha acabado, mas para o seu total desespero, aquilo era apenas o começo, já que Marcos parecia ter mais planos para a médica.
-- Rose eu quero que conheça Leonel, Lion e Samanta! - Marcos disse - Eles vão brincar com você agora.
-- O quê?! - Ela disse ? Marcos, isso não é o acordo.
-- Acordo? Não me lembro de ter feito acordo com você! Apenas disse que devolverei a fita, mas só quando eu me sentir satisfeito.
- Rose não disse mais nada, apenas fechou as mãos em punhos ao redor do corpo.
Rose tentou não pensar muito sobre aquilo, as coisas aconteciam rapidamente e ela meio que se bloqueou para tudo. 

A nova fase começou com ela e a outra mulher na cama, cavalgando os dois homens que ali estavam, Tânia e Marcos assistiam tudo de camarote, Tânia estava sentada nua no colo de Marcos.Depois passaram para a próxima rodada, Rose e Samanta de quatro no chão, enquanto os dois homens comiam o rabo das duas. Rose nada sentia e tão pouco gemia, ela era apenas um objeto sendo usando por pessoas estranhas.

Então, elas voltaram a cavalgar os homens, só que dessa vez, Samanta gozou, porém, Rose nada, ela apenas continuou a subir e descer no pau do desconhecido. Marcos mandou que Rose deitasse na cama e Lion ficasse fora da cama, ele puxou Rose pelas pernas e voltou a penetrá-la, melhor, a fuder com ela. Não demorou muito para que Samanta sentasse no rosto de Rose a obrigando a chupá-la também, enquanto Samanta chupava Leonel.
Por fim, tanto Lion e Leonel fizeram um sanduíche de Rose, ambos a penetraram ao mesmo tempo, fazendo Rose gemer, mas era de dor e humilhação.

 Eles a penetraram, varias e varias vezes, até que ambos gozaram na cara dela e deixaram a loira caída sobre a cama

 e assim como Samanta, saírem do quarto deixando apenas Tânia e Marcos com a loira.
-- Você foi perfeita, Rose! - Marcos disse com ironia ? Uma verdadeira puta!
Tânia virou o rosto para não rir na frente da loira, ela não queria arriscar ser descoberta, agora bem no meio de sua vingança, até porque essa era a primeira parte apenas, ainda teria mais...
- Como prometido! - Marcos diz jogando o CD para Rose ? O seu pagamento vadia! Agora se vista e saia da minha casa!
-- Eu preciso de um banho! - Ela disse.
-- Não mesmo! - Ele disse - Você é uma puta, então haja como tal. Saía daqui!
Sem esperar por mais nada, Marcos arrastou Rose que ainda estava toda gozada dos outros dois homens, para fora, jogando ela completamente nua na porta da frente da casa e batendo a porta em seguida. 
-- Então? - Marcos perguntou ? Você se divertiu hoje querida?
Tânia abriu um enorme sorriso e acenou com a cabeça.
-- Claro que sim! - Ela disse - Você não imagina qual será o meu próximo passo.
-- Que tal me contar isso enquanto eu como você! - Marcos propôs.
-- Com todo prazer...
..........................
Edward estava na casa dos pais que haviam chegado de viajem. Esme, como sempre, estava toda carinhosa com o seu único filho. O seu sobrinho Jasper e a noiva estavam na cidade, havia um bom tempo que Edward não via o primo e ele ainda não tinha tido a oportunidade de conhecer a noiva do primo.
-- Nossa como você mudou! - Jasper disse - Tem algo de diferente em você! - Ele comentou olhando o primo de cima a baixo.
-- Eu também disse a mesma coisa! - Esme replicou - Mas ele disse que nada mudou, tudo está exatamente igual!
-- Discordo! - Carlisle disse entrando na conversa - Há algo acontecendo! - Carlisle olhou para o filho - Você está mais feliz, mais cheio de vida, é como se tivesse descobrindo o mundo de novo! - Carlisle afirmou - Eu já vi esse olhar e me lembro bem dele, porque você estava assim quando o seu primeiro livro foi publicado e quando Nessie nasceu! Por falar em Nessie por onde anda a minha neta?
-- Já disse que nada mudou! - Edward replicou dando um sorriso enorme ? E a sua neta está na casa do namorado e de lá vai para uma festa!
-- E você deixou? - Carlisle perguntou sorrindo - Já é um grande milagre!
-- O que posso fazer? Eu não posso prender a minha filha em uma caixa de vidro para ninguém tocá-la ou chegar perto dela!
-- Que mudança! - Esme comenta - Em outros tempos, você não deixava nem o cara olhar para ela, tão pouco chegar perto! - Todos riram - Pelo visto Fork está lhe fazendo bem meu querido, voltar para casa foi à melhor escolha.
-- Concordo com você mamãe! - Edward diz, mas pensando em outro motivo.
O almoço correu muito bem, Jasper contou sobre os seus planos de voltar para Forks. A noiva dele era estilista e tinha sua própria grife, algo exagerado demais para a pequena Forks, mas Edward achou que seria bom, tanto para Alice Brandon quando para Forks. A jovem era linda, ela tinha cabelos curtos espetados, olhos negros e um sorriso doce, Alice era pequena, mas muito bonita e delicada. O almoço já tinha terminado e estavam todos na varanda, quer dizer, quase todos, Esme subiu para o seu quarto e Alice também se recolheu alegando cansaço pela viajem. Na varanda da casa ficaram Jasper, Carlisle e Edward conversando. Carlisle falou do seu retorno ao hospital e Jasper que estava pensando em abrir a sua própria firma de advocacia na cidade. Edward conversou sobre os seus novos projetos e a cada nova palavra que saia da boca dele, o homem que até pouco tempo atrás parecia entediado com tudo e com todos, parecia outro, hoje ele era a visão de um homem animado e feliz... ...algo que não passou despercebido pelo pai do rapaz. Edward estava conversando quando o seu celular vibrou no bolso da calça. Assim que ele puxou o aparelho, logo viu a mensagem de Isabella, ele não conteve o sorriso que mais uma vez, não passou despercebido ao seu pai.
Eu sinto a sua falta. Meu corpo quer o seu...
B
Edward rapidamente digitou uma resposta...
Encontra-me em nosso apartamento. Eu estou saindo da casa dos meus pais!
E.C
Edward voltou os olhos para o seu pai que também tinha o olhar atento ao dele. O pai do rapaz tinha uma certa curiosidade estampada na face, claro que havia algo acontecendo com o filho, mas lógico que o filho não contaria tão facilmente...
-- Eu preciso ir! - Edward diz ficando de pé - Amanhã almoçaremos todos juntos, eu trarei Rose e Nessie também.
-- Claro! - Carlisle disse para o filho - Você sabe que estou aqui e que você poderá sempre contar comigo para qualquer coisa.
-- Tudo bem pai! - Ele diz sorrindo ? Eu vou me lembrar disso! - Ele abraça o pai e sorrir novamente - Jasper amanhã nós conversaremos melhor. Eu vou ver se conheço alguém que possa te ajudar.
-- Isso seria ótimo Edward! - Jasper diz dando um abraço rápido no primo - Até amanhã então.
-- Até! - Edward responde - Diga para a mamãe que eu deixei um beijo.
-- Claro!
.....................
Edward encontrou Isabella na entrada do prédio, ambos subiram juntos, fora só as portas do elevador se fecharem para ambos começarem a se agarrar, o beijo era calmo, mas as mãos de Edward não saia da bunda da jovem, subindo o seu vestido, que Edward deduzia que tinha sido escolhido a dedo pela jovem só para lhe provocar.

-- Você está usando o plug? - Nem bem ele perguntou, Edward sentiu a pequena pedra vermelha por cima da calcinha.

-- Sim! - Ela sussurra ofegante ao ouvido dele ? Você pediu para eu usar e eu estou usando!
A porta do elevador se abriu e Edward saiu levando Isabella em direção ao apartamento deles...
..............


Isabella estava ajoelhada no meio das pernas de Edward com o pau dele em sua boca, a jovem chupava apenas a cabeça, removendo o pré gozo que começava a brota ali, as roupas deles ficaram no caminho, ou melhor espalhadas pela sala. A jovem aumentou o ritmo das chupadas, colocando ele completamente dentro de sua boca. Não demorou muito, Edward puxou a ninfeta antes que ele gozasse dentro da boca dela.

Isabella empurrou Edward, fazendo com que ele se deitasse sobre o sofá, Edward deixou que a menina comandasse daquela vez, ele queria ver até onde ela seria capaz de ir. É claro que ele sabia que ela era bem criativa, porque Isabella era bem safadinha na cama e o que para alguns homens seria algo vulgar para Edward era algo encantador e de se admirar.
Isabella estava sentada sobre Edward, de frente para ele na cama, com as pernas bem abertas, era possível ver o pau de Edward entrando e saindo de dentro da buceta rosada da ninfeta.

 Isabella fazia caras e bocas para Edward, o deixando ainda mais louco de tanto tesão.
-- Oh! - Ela gemeu mordendo os lábios ? Você gosta do que ver Sr. Cullen? Seu pau deflorando a minha bucetinha...
Edward soltou um gemido que mais parecia um grito, Isabella o olhava fazendo carinha de putinha sacana, e para piorar ainda mais a provocação, a menor levou as próprias mãos aos seus seios e começou a os apertar puxando os pequenos mamilos rosados.

-- Merda! - Edward disse ? Com você gemendo desse jeito eu não vou durar muito...

A menina sorriu e intensificou o ritmo da investidas dos seus quadris, fazendo ambos gemerem.
-- Você gosta? - Ela disse ofegante sem parar os seus movimentos - Você adora, vê-me assim sentada em seu pau te fazendo gemer e gozando em minha buceta?
Edward gemeu alto e ele apertou as coxas da menina, ela sabia exatamente como o provocar.
-- Eu gosto! - Ele sussurrou tão ofegante quando ela. - Eu gosto de saber que sou eu quem te deixo assim com essa buceta aberta e rosada babando por meu pau, minha putinha...

Isabella sorriu e tirando as mãos dos seios, ela as apoiou sobre as coxas, então a menina plantou os pés no sofá, Isabella meio que fico de cócoras sobre Edward, daí ela passou a subir e descer ainda mais rápido no pau do homem que se controlava para não gozar imediatamente.

 Com carinha de safada, a menor não deixou de dizer coisas obscenas para o maior, o que levava Edward a uma loucura mais devastadora ainda.

Isabella levou a mão a frente de sua buceta, passando a estimular o seu próprio clitóris, gemendo bem mais alto o nome de Edward, já o homem, em momento algum, levou as mãos sobre o corpo da menina, as mantendo no alto da cabeça, deixando Isabella controlar cada momento, até que ambos gritaram gozando intensamente. Isabella melando o pau de Edward com o seu gozo e Edward enchendo a buceta da menina com o seu néctar. Isabella caiu sobre o peito de Edward respirando ofegante e suada devido ao ato recém compartilhado.

-- Odeio ficar tempo demais longe de você! - Ela sussurrou.
-- Eu também não gosto...
CONTINUA...
.....................................................................................................
Notas Finais:
O que acharam meninas?
Vamos comenta por favor?
Ja viram o aviso que foi postado?
Quem não viu ainda vejo la tem informações preciosas par voces
Beijos e abraços estarei postando em breve juro
Obrigado pelo apoio de vocês muito obrigado mesmo
Tuca querida valeu
Beijos