Jul M

Oi

domingo, 30 de dezembro de 2012

Um Erro E Dois Acertos-- Capitulo 35


Momentos bons!



Os gemidos de Isabella poderiam ser ouvidos pela casa, assim como o ranger da cama que sacudia forte devido as investidas de Edward, o qual admirava sua amada de quatro com aquele pequeno volume. Ela ficava cada dia ainda mais deliciosa. As estocadas eram duras e fortes, sem a menor piedade. Bella jamais deveria tê-lo chamado de covarde e tão pouco ter provocado à fúria do rapaz. Essa já era a terceira vez que eles transavam, sim, transavam porque nem de longe o que faziam era fazer amor. Era sexo selvagem e louco. Isabella estava prestes a gozar pela quarta vez devido à palmada que Edward deu em seu bumbum e a pele branca de sua bunda ganhou uma tonalidade vermelha, ainda mais quando lhe deu outras palmadas deixando a marca de seus dedos marcados em sua carne macia.



– Aaaaaahhhhh! – gritou deixando o corpo cair sobre a cama, pois havia acabado de gozar novamente.

Bastaram apenas mais algumas investidas para Edward gozar loucamente. Ele caiu ao seu lado na cama completamente exausto e saciado por hora. Imediatamente lembrou-se de como a menina ficou quando rasgou sua camisola e a fez sentar no seu pau sem a menor cerimônia Em seu rosto nasceu um sorriso de vitória e ela pensaria duas vezes antes de provocá-lo novamente.

– Seu tirano. – Bella murmurou arfante.

– Achei que eu era um covarde Isabella. – sorriu torto. – Da próxima vez que aumentar o tom de voz para mim ou me arremessar qualquer objeto, não será com sexo que irei castigar você. – ameaçou – Droga! Estou atrasado. – disse assim que se deu conta das horas.

Edward saiu da cama rapidamente e Isabella até poderia sentir medo de sua ameaça, mas ela estava nas nuvens e tão satisfeita que pouco se importou para o que disse, apenas continuou deitada na cama de barriga para cima e com o lençol cobrindo parte de sua cintura. O rapaz teve que tomar novo banho e trocar de roupa, pois a dele estava toda amassada. Quando saiu do banheiro sua garota estava quase adormecendo, mas abriu os olhos assim que sentiu os lábios dele na testa e o suave toque de suas mãos em sua barriga.

– Se comporte. – sorriu para ela – E pare de quebrar as coisas.

A garota sorriu e o acompanhou com olhos até ele sair do quarto para só então dormir tranquilamente.

(...)

O clima na casa dos Cullen melhorou bastante. Isabella andava sorrindo e já nem reclamava do fato de ter tantos seguranças, a sua gravidez transcorria naturalmente e ela nunca havia se sentido tão feliz. Até mesmo o velho rabugento Carlisle já não mais implicava com a nora e sempre que ia até a casa do filho perguntava por ela e conversava a respeito do neto. O nome do menino ainda não havia sido escolhido, mas várias sugestões já tinham surgido. Isabella logo estaria de seis meses e sua barriga já estava bem grande e notável.

– Gosto de Taylor. – Edward disse se juntando a ela na cama.

– Não, é comum demais. – reclamou enquanto comia uma coxa de frango com catchup. Era nojento para Edward, mas a menina se deliciava com a comida. – Você quer? – ofereceu.

– Não, obrigado! – respondeu fazendo cara de nojo.

– Hoje a Marta meu deu um bolo de abacaxi com goiabada. – lambeu os lábios. – Eu estava com tanto desejo que acabei comendo tudo.

– E depois colocará tudo para fora. – disse com ironia.

– Pois é, nem sempre a vida é perfeita. – respondeu irônica também.

– Pelo visto a de vocês está sendo. – afirmou e Isabella limpou a boca e sorriu para ele. – Você está muito linda! – Edward chegou mais perto para beija-la, mas ela saiu correndo para o banheiro – Precisa de ajuda? – perguntou suspirando, pois queria que essa fase de desejo estranho passasse logo.

– Não! – ouviu o barulho da torneira sendo ligada. – Já estou escovando os dentes, mas tire o resto de comida daí porque estou enjoada.

O rapaz revirou os olhos, mas levantou-se e levou todo o resto de comida para fora do quarto. Ele voltou e encontrou a garota já na cama então se deitou e puxou Bella para os seus braços, colando os seus corpos como sempre.

– Hora de dormir. – deu um selinho em Bella. —Você já comeu, vomitou e teve sua diversão de hoje. – ela sorriu ao lembrar que o atacou no chuveiro. – Agora feche os olhos e durma minha linda.

O quarto ficou em silêncio por um bom tempo e Edward até chegou a pensar que Isabella já estava dormindo, pois sua respiração estava calma. Ele sorriu lindamente ao acariciar seu ventre volumoso. Ele seria pai de um menino. Seu peito estava para explodir de tanta alegria, ainda mais porque quem estava lhe proporcionando essa alegria era a jovem Swan, a mulher a quem pediria em casamento logo, logo.

– Domenick. – Bella sussurrou – Eu gosto de Domenick.

Edward levantou a cabeça a fim de olhar para garota e constatou que ela estava mesmo dormindo. Às vezes Bella conversava durante o sono e dessa vez estava escolhendo o nome do filho enquanto dormia. Edward gostou daquele nome e então tomou uma decisão. O jovem herdeiro Cullen já tinha seu nome definido.



(...)

O sexto mês chegou rapidamente e Edward já estava em pânico, pois faltava apenas três meses para Isabella dar a luz. O quarto do bebê estava pronto e muitas coisas foram mudadas na mansão. A escada e a varanda receberam grades de proteção para que a criança não caísse. Edward estava agindo como um pai controlador antes mesmo do bebê ter nascido. Também comprou dois carros grandes para melhor acomodar o filho e todas as suas coisas. Ele deixaria os carros esportivos por um tempo.

– Eu comprei isso. – falou animadamente mostrando um sapatinho verde para Bella.

– Mais um Edward? – ela revirou os olhos – Você tem que parar de comprar tudo o que vê pela frente porque ele vai crescer rápido e a maioria das coisas irão ficar perdidas.

– Se eu posso então darei tudo a ele. – comentou rindo.

– Você já estraga seu filho antes mesmo de nascer. – sorriu e lhe deu um beijo. –Como foi o seu dia?


Depois que Bella descobriu sobre a gravidez nunca se sentiu tão relaxada ao saber que o namorado não tinha mais nenhum tipo de ligação com a máfia, pois agora com um filho em seu ventre conseguia ver os reais risco que eles corriam.

– Confesso que era muito mais divertido meus negócios sujos. – murmurou se livrando da gravata. – Porém estou feliz por não mais fazer parte desse mundo.

– Eu também. – sorriu passando as mãos pela barriga – e seu filho concorda comigo.

Edward não pôde conter o sorriso, ele passou a mão por seu ventre e depois beijou sua barriga volumosa. O rapaz estava muito feliz, principalmente por Isabella já ter passado da fase dos enjoos, agora o único problema era o sono terrível que andava sentindo. Algumas vezes ela trocava o dia pela noite e ainda tinha alguns ataques surpresa. Duas vezes durante aquela semana, a garota acordou Edward com um delicioso sexo oral. Ele chegou a ficar assustador porque ela estava sedenta por sexo. O Cullen estava acompanhado tudo de sua gravidez, ele sabia a hora dela tomar as vitaminas, os dias das consultas, de quantas semanas ela se encontrava, o dia de previsão para o parto e sempre conversava com Laura Ruffo, a nova médica de Isabella.



(...)

– Ela anda sentindo muitas dores nas costas, isso é normal?

Isabella estava morta de vergonha, pois já tinha sete meses e Edward ainda fazia perguntas como: ela pode comer essas comidas gordurosas? É normal ir ao banheiro a cada meia hora? A barriga dela não está muito pequena para alguém que já tem sete meses?

– Sr. Cullen, sua mulher está grávida e é comum sentir essas dores nas costas. Ela só precisa fazer um pouco mais de exercícios físicos, mas todos bem leves. Isabella está fazendo natação ou hidroginástica? Me lembro de já ter recomendado e se vocês tiverem uma piscina em casa ficará bem mais fácil, só precisará encontrar um professor adequado.

– Não! – olhou feio para Isabella que se encolheu na cadeira – Doutora Ruffo eu não tive tempo para arruma um professor para ela e então deixei isso nas mãos da minha mãe, mas pelo que vejo nada foi feito a respeito. – tinha um olhar sério sobre ela. – Irei cuidar disso hoje pessoalmente. Tem que ser apenas isso ou ela pode fazer outros esportes?

– Isabella também pode fazer uma caminhada, pilates, ioga, mas prefiro natação ou hidroginástica porque como você mesmo disse que ela está sentindo dores nas costas, isso a ajudará relaxar os músculos e será ótimo na hora do parto. – sorriu para o casal.

– Então ficaremos com natação e hidroginástica. – Deu um sorriso gentil para a jovem médica.

Bella sabia que estava encrencada porque esqueceu completamente sobre as atividades físicas, mas era difícil pensar em algo quando andava com tanto sono como andava ultimamente.

– Doutora Ruffo! – chamou a atenção da médica novamente e ela já parecia irritada com tantas perguntas. – E em relação ao sexo? Até que mês eu ainda posso ter relação com Bella? – pronunciou descaradamente fazendo a namorada corar e a médica suspirar alto.

A garota não sabia onde enfiar a cara. Edward tinha mesmo que perguntar isso? Agora a médica iria achar que ela era uma depravada e maníaca por sexo.

– Senhor Cullen quanto mais relação tiverem melhor. – sorriu amarelo – Alguns médicos dizem que isso não é bom, mas o bebê está no útero e com uma camada muito bem protegida. Desde que o ato não seja tão violento um sexo baunilha está liberado, só tomem o devido cuidado. Alguns casais mantem relações sexuais até o último mês de gestação e acreditem isso ajuda e muito na hora do parto. –Edward deu um sorriso brilhante de fazer qualquer garota parar de respirar. – Ainda tem mais perguntas? – disse meio esbabacada com o sorriso dele.

– Agora nesse momento não. Você já respondeu todas as minhas dúvidas por hoje. – falou educadamente –  Eu tenho o seu número, posso te ligar caso Bella sinta algo estranho?

– Deve! – concordou enquanto repassava a receita de Isabella. – Qualquer coisa é só me ligar senhor Cullen.

– Obrigado doutora Ruffo. – levantou-se e Isabella fez o mesmo. – Nos vemos o mês que vem.

– Ok! – sorriu. – Isabella se cuide, por favor.

 – Claro. – sorriu de volta.

Com Edward todo preocupado com toda certeza ela se cuidaria, nem que fosse obrigada por ele.

Continua..

Nenhum comentário:

Postar um comentário