Jul M

Oi

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

O Casamento-- Capitulo 32 -- Alguns Fatos!


ALGUNS FATOS!


Bella estava se
recuperando aos poucos, Edward estava atento a tudo que envolvia a recuperação
de Bella e sua segurança, eles não conseguiram achar os agressores, é claro que
Edward tinha uma noção de quem tinha sido o mandante. A segurança da casa
estava toda reforçada e Isabella, assim como Anthony, ganharam mais um
segurança cada. Parecia que o perigo estava próximo demais deles e Isabella
sentia isso todas as vezes que Edward se retirava da sala para ir falar ao
celular em seu escritório.


-- Eles não têm ideia de
quem fez isso com você? Ângela perguntou em uma das vezes em que visitou sua
amiga.


-- A policia está
investigando o caso! Bella disse tomando um pouco de chá.


-- Eu não sei, mas isso
tudo parece tão confuso! Ângela sussurrou.


-- E sim, é bem confuso!


Bella ainda não havia se
recuperado completamente da perda de seu bebê, ela nem se quer sabia que estava
grávida, mas assim que soube que havia perdido um filho, parecia que seu mundo
desabou e que tudo se tornava sem sentido e enlouquecedor.


Edward estava sendo
atencioso com ela, ele estava evitando tocá-la, a tornozelo da jovem já não a
incomodava mais, havia sido apenas uma leve torção, na semana seguinte ao
acidente ela iria tirar o gesso.


Quando Ângela se
despediu, deixou Bella sozinha com Anthony brincado no quintal. O menino pediu
uma casa na árvore para o pai, algo que deixou Edward bem perturbado fazendo
com que ele até discutisse com Isabella, que devido ao seu estado emocional
acabou mandando ele para o quinto dos infernos, e ainda afirmando que o menino
iria sim ganhar uma casa na árvore.



-- Oi! Ele disse se
sentando ao lado da mulher e muito mais calmo.


-- Oi! Isabela disse se
aconchegando em seus braços, já recuperada de seu ataque de nervos.


-- Bella, precisamos
conversar! Edward disse beijando seus cabelos.


-- O que está
acontecendo? Vai me dizer ou vou ter que ameaçar seu amigo de novo...


Isabella sentiu o corpo
de Edward ficar tenso, claro que ele lembrava claramente como fora traindo por
Emmett.


Flash Black On


Emmett tinha indo
visitar Edward, que naquele momento estava no banheiro dando um banho em
Anthony, que por sua vez, estava bastante agitado. Isabella estava na sala
usando uma calça de flanela e uma camiseta de Edward. Emmett esperava pelo
chefe na sala em companhia de Isabella.


-- Se sente melhor?
Emmett perguntou.


-- Acho que já estive
pior! Ela disse dando um sorriso tímido para ele.


Bella tinha manchas
amarelas no rosto por conta dos hematomas adquiridos quando fora espancada, as
manchas de seus braços não eram mais visíveis graças às mangas da camisa que
ela vestia, assim como suas calças que cobriam as marcas de suas pernas, já suas
costelas, começavam a ganhar uma tonalidade meio que esverdeada.


-- Emmett, eu posso te
fazer uma pergunta? Ela disse se sentando no sofá e colocando a TV no mudo.


-- Claro! Pode perguntar
Belinha! Ele disse dando seu melhor sorriso.


-- Por que Edward brigou
com Jasper? Ela fora direto ao ponto.


-- Bella... eu... Ele
passou as mãos pelos cabelos ralos desviando os seus olhos dos da jovem — Você
deve perguntar isso para ele.


Bella bufou ficando de
pé, ela estava furiosa, todos escondiam as coisas dela, Emmett não era
diferente, ela estava cansada disso.


-- Escuta aqui seu “urso
encantado e quase careca”!Ela disse brava apontando um dedo na cara dele — Se
eu quisesse perguntar para o Edward, eu estaria falando com ele agora, então
acho melhor você abri a porra dessa boca se não quiser ficar sem filhos, pois
eu estou ao ponto de arrancar as suas bolas com minhas unhas e a sangue vivo.


Emmett tinha os olhos
arregalados, ele estava assustado com a atitude da então “doce menina”, que
sempre lhe parecera tão tímida e quase sem voz, naquele momento ela parecia ter
ganhado uma enorme força e já não sentia mais medo, mas sim colocava medo nele.


-- Bella eu...


-- Emmett eu estou
falando sério! Ele olhou para escadas — Edward não vai conseguir salva você!


Bella tinha um brilho
estranho nos olhos. Sim, Emmett estava com medo da jovem garota.


-- Jasper fez
insinuações sobre o casamento de vocês! Emmett disse — Edward não gostou! Você
sabe como ele é cabeça quente e acredito que também saiba que ele e o primo
nunca se deram bem.


-- Que tipo de
insinuações ele fez? Bella perguntou.


-- Jasper acha que o
casamento de vocês é uma farsa! Uma grande mentira! Que você estaria dando um
golpe junto com Edward em Carlisle, entre outras coisas...


-- Como ele pode pensar
isso! Bella disse surpresa e chocada ao mesmo tempo — Ele é primo do Edward,
céus Emmett, ele nos pegou em sua sala aos beijos...


Bella sentiu o rosto
corar e Emmett deu um sorriso travesso misturado com um pouco de malícia em seu
olhar, nada mais fora dito até porque Edward entrou na sala.


Flash Black Off


-- Eu não acredito que
você fez isso com Emmett! Edward disse enrolando um cacho dos cabelos dela em
seus dedos — Mas não é sobre isso que quero falar.


-- É sobre o quê então?
Ela virou o rosto para poder olhar para ele.


-- Meu pai já sabe de
tudo! Ele disse soltando o ar— Jasper conseguiu uma cópia do contrato, não sei
como ele conseguiu, mas no dia em que você sofreu o ataque... — Mais uma vez o
corpo dele ficou tenso e ele balançou a cabeça como se conseguisse apagar as
lembranças de como Isabella ficou depois do atentado — Ele mostrou tudo para
meu pai...


-- Carlisle já sabe...


Edward abraçou Isabella
pela cintura e sentiu o corpo dela tremer, ele sabia que ela estava com medo do
que Carlisle poderia fazer...


-- Sim, e ele quer falar
com você! Edward suspirou —Bella, eu tentei evitar isso ao máximo, mas acho que
não tem mais jeito, apenas responda as perguntas que ele vier a lhe fazer com
fraqueza, deixe que do resto eu cuidarei.


Bella estava realmente
assustada, ela não tinha a menor ideia de quais seriam as acusações de
Carlisle, em sua mente ela já se encontrava condenada. Ela achava que ele iria
chamá-la de golpista dentre outras coisas que nem se quer ela ousava pensar.


-- Fique calma querida!
Ele disse beijando os seus cabelos — Vai ficar tudo bem! Acho melhor irmos para
a cama, você parece nervosa e seu pulso está um tanto quanto acelerado, você
ainda não está bem Bella.


......


O sol entrava pela
janela do quarto quando Bella acordou, girou na cama e encontrou o vazio...
Edward não estava lá, a casa estava em silêncio, sinal que Anthony não estava
em casa, era domingo, Isabella sabia disso porque Ângela a visitou no sábado,
ou seja, no dia anterior. Anthony deve ter ido para casa da avó, Elizabeth.
Edward com certeza deve ter ido com a criança, ela concluiu ao sair da cama.
Bella tomou um banho rápido e vestiu um dos vestidos que Edward havia comprado
para ela, já que ele mesmo havia dando sumiço nas roupas dela.


-- Céus! Isabella disse
ofegante ao encontrar Carlisle na sala calmamente lendo o jornal de domingo.


-- Oh! Desculpe querida!
Ele disse dando um sorriso gentil para ela — Não queria ter assustado você. Sue
me deixou entrar, espero que não se importe.


-- Tudo bem senhor
Cullen! Ela disse com o rosto rubro - Edward não estar, veio vê-lo? Ele deve
ter saído com Anthony.


-- Oh, eu sei! Ele disse
sorrindo novamente para ela — Eu o vi saindo com meu neto — ele tinha seus
olhos nela — Podemos conversar Isabella? Já tem um bom tempo que desejo ter
essa conversa com você, mas seu marido estava pior do que cão de guarda não
deixava ninguém chegar perto de você...


-- Ele está meio
possessivo mesmo! Isabella disse sem graça — Depois que fui estranhamente
sequestrada ele só piorou!


-- Eu imagino que sim!
Carlisle disse — Até hoje ele não deixou ninguém saber sobre Anthony, imagina
agora depois que você sofreu esse incidente, ele deve estar pior que um
carcereiro.


Isabella deu um pequeno
sorriso para seu sogro e caminhou em direção à sala de estar, toda sua fome
havia sumido assim que viu Carlisle, ela já tinha sido avisada sobre ele querer
conversar com ela, e a própria Isabella não sabia o que esperar daquele homem
que agora a estava encarando com os olhos brilhantes.


-- Sente-se querida!
Carlisle apontou para o sofá vazio e Isabela fez o que ele lhe pediu.


-- Senhor Cullen eu...


-- Primeiro! Ele a
interrompeu — Chame-me de Carlisle, até porque somos da mesma família querida.
E segundo, me diga quais os motivos que levaram você a aceitar a proposta de
meu filho?


Isabella não entendia o
porquê de Carlisle estar tão calmo, ela estava esperando por gritos e
xingamentos. A palavra golpista não saia de sua cabeça. Seria possível que ele
não estivesse com raiva dela? Ele seria tão bom ao ponto de perdoá-la
verdadeiramente?


-- Essa casa seria para
mostrar para os meus pais que eu sou tão boa quanto Tânia minha irmã! Ela
sussurrou com olhos fechado soltando um grande suspiro no final de sua fala.


-- Como assim? Carlisle
perguntou a ela, pois realmente parecia interessado no que a jovem dissera.


-- Eu comprei essa casa
para pode sair da casa de meus pais! Ela disse olhando para ele — Carlisle,
meus pais sempre gostaram mais de Tânia do que de mim! Ela era a filha dos
sonhos e eu a esquisita na vida deles. Eu comprei a casa, mas o caminhão da
mudança fora roubado e eu perdi tudo, toda a mobília da casa, tudo que era meu
foi roubado.


-- Bem a cara dele!
Carlisle sussurrou mais para si do que para Isabella.


-- O que? Ela perguntou.


-- Nada! Ele disse dando
um largo sorriso para ela —Então foi isso que Edward usou para convencer você?


-- Não exatamente! Ela
disse mordendo seus lábios —Eu aceitei mais por causa de Tânia! – Isabella
olhou para Carlisle que estava atento a conversa — Tânia encontrou comigo em um
restaurante e Edward também estava nesse mesmo restaurante. Ele não parava de
nos olhar e Tânia estava achando que era para ela. Ela disse que um homem como
Edward jamais olharia para mim.


-- Você queria mostrar
que ela estava errada! Carlisle concluiu.


-- Sim, foi egoísmo
meu... Eu sei, mas...


-- Mas Edward não
desiste fácil! Carlisle disse — Eu conheço meu filho Isabella, ele nunca joga
limpo, e nunca mede esforços pra chegar onde ele quer! — Carlisle sorriu para
Isabella passando as mãos nos cabelos, lembrando vagamente ao próprio filho,
Edward — Houve um tempo em que meu filho era carinhoso e gentil e jamais usaria
dessas artimanhas para conseguir algo.


-- Então quando foi que
ele mudou? Isabella quis saber.


-- Quando aquela maldita
infeliz entrou na vida dele! Carlisle tinha ódio liquido em seus olhos — Maggie
não prestava! Ela deixou um rastro de destruição em meu filho, a maior culpada
de meu filho ser um homem frio desse jeito é aquela maldita cadela.


-- Quem é ela Carlisle?
Bella curvou seu corpo para frente ficando mais próxima de Carlisle.


-- A mãe do Anthony! Ele
disse e havia amargura em sua voz — ela destruiu tudo de bom que havia dentro
de meu filho — Carlisle olhou para Isabella e sorriu timidamente — Ou quase
tudo!


-- Como? Isabella não
entendeu.


-- Isabella, eu acho que
não sou eu, e sim Edward, que deve dizer algo para você! Carlisle disse dando
um sorriso verdadeiro para ela — Mas por algum motivo que não posso te dizer
qual, meu filho está mudando, e você tem grande participação nisso! — Ele olhou
feio pra ela e sorriu — Mas nunca mais volte a tentar me enganar, meu filho é
um tolo, no entanto não posso culpá-lo por tudo! Eu o fiz tomar medidas
drásticas, e ainda bem que ele fez uma boa escolha, você é uma ótima mãe para
Anthony --- Carlisle levantou do sofá e beijou o topo da cabeça da menina.


-- Eu gosto dele!
Isabella sussurrou.


-- Sim eu sei! Carlisle
disse dando um sorriso amigável para ela.


-- Sim, eu gosto muito
de Anthony! Ela disse mordendo seus lábios e levantando o rosto para encará-lo
– Mas eu estava falando de Edward! — Foi impossível ela não notar a surpresa
que suas palavras causaram em Carlisle — Ele é irritante, mandão, mal humorado,
um chato muitas das vezes, mas ele é gentil e me trata bem...


-- E você se apaixonou
por ele! Carlisle disse sorrindo, agora um sorriso genuíno de alegria.


-- Sim. Ela balançou a
cabeça — Ele sabe ser encantador quando quer...


-- Então por que está
triste? Carlisle perguntou votando a se sentar — Não deveria estar feliz,
afinal, vocês estão casados. Você o ama!


-- Mas ele não me ama!
Ela sussurrou.


Havia algo de estranho
nos olhos de Carlisle, algo que Isabella não saberia dizer se era alegria ou
compaixão por ela, mas tinha alguma coisa ali, e ela sabia que ele não falaria.


-- Então faça ele se
apaixonar por você! Carlisle disse voltando a ficar de pé — Não vou aceitar
outra nora que não seja você Isabella! Ele beijou sua cabeça de novo — Sinto
muito pela perda do bebê, espero que tenha recebido minhas flores.


-- Sim, obrigado elas
eram lindas! Ela sussurrou.


-- Tão lindas quanto
você! Ele disse caminhando em direção à porta — E quero mais netos! Anthony é
um encanto e é meu neto querido, mas desejo outros! — Isabella sorriu
timidamente — E pense no que eu lhe disse, você é linda minha querida, qualquer
um se apaixonaria por você, até mesmo o bruto do meu filho — Carlisle piscou
para ela e saiu pela porta.


....


Isabella estava deitada
na espreguiçadeira do jardim, o guarda sol evitava que o mormaço do final de
tarde lhe chegasse à pele, o livro que ela lia estava sobre sua barriga, suas
pernas estavam descobertas, ela tinha um sorriso bobo nos lábios, o livro era
um belo romance, algo que Isabella precisa, ela estava bem distraída em suas
divagações quando escutou Anthony gritar...


-- Mamãe! Ele gritou ao
se jogar em cima dela — O papai me levou a casa da vovó Elizabeth.


-- Anthony! Edward
chamou atenção do menino — Não devia se jogar assim em cima de sua mãe!


-- Tudo bem! Ela disse
sorrindo — Está tudo bem! —Ela beijou a face do menino querido, e bagunçou seus
cabelos que muito lembravam aos do pai -- Como foi na casa da vovó Elizabeth!


-- Legal! Ele disse
sorrindo sentando-se sobre sua barriga — Papai me pagou um sorvete e me levou
para passear no parque.


-- Oh! Você se divertiu!
Ela disse o abraçando e o beijando novamente — Agora tem que tomar banho!


Anthony fez uma careta
de desgosto, mas saiu correndo e gritando em direção ao banheiro. O que fez
Isabella e Edward rirem.


-- Você está mais
corada! Ele disse chegando perto dela que já se encontrava em pé — E parece
mais feliz, está bem melhor! — Isabella ficou perdida nos belos olhos verdes do
marido e nem notou quando ele pegou o livro de sua mão — Vejamos o que minha
linda esposa anda lendo! — Edward disse sorrindo enquanto olhava o título do
livro — O guerreiro da ilha! — Os olhos dele saíram do livro e foram para os de
Isabella — Então você gosta de literatura erótica, isso é uma bela novidade
senhora Cullen!


A face de Isabella
estava tão vermelha quando um tomate, ela se sentia como uma criança que foi
pega roubando biscoitos do pote.


-- Eu também gosto!
Edward sussurrou em seu ouvido e sorriu — Vamos já está escurecendo e o frio da
noite não vai te fazer bem.


......


Anthony dormia
calmamente em seu quarto, Isabella estava no banho e Edward a esperava na
alcova do casal. Ela ainda recordava das palavras maliciosas dele ao lhe dizer
que também gostava de literatura erótica. A lembrança fez com que o corpo dela
inteiro reagisse à insinuação. Ela saiu do banheiro e encontrou Edward já
deitando na cama. Ele falava ao celular com alguém, Bella deduziu que talvez
fosse Emmett, pelo tom e o modo como ele passou a sussurrar as palavras, assim
que ela entrou no quarto. Só poderia ser o Emmett!


Edward estava deixando
Emmett louco, pois ele demandava que descobrissem quem eram os agressores de
Isabella.


-- Quem era? Bella
perguntou entrando no closet procurando por uma camisola.


-- Emmett! Ele disse —
Anthony! Já dormiu? Ele mudou de assunto como sempre fazia.


-- Sim! Ela disse
pegando uma camisola nova — Ele estava muito cansado! Ela não olhou para a
camisola, apenas vestiu. Além das roupas novas, Edward também sumiu com suas
camisolas velhas e colocou outras no lugar — Por quê? Acha que ele pode está
acordado? Ouviu algum barulho?


-- Calma Bella! Ele
disse sorrindo — Só achei que ele dormiu muito rápido! Só isso
 mon cher¹.


O coração de Bella
acelerou quando ela o escutou falar em francês, já fazia um tempinho que ele
não usava o francês para dizer algo a ela. Isabella ficou toda arrepiada!
Antes, sempre que ele usara aquela língua, fora na hora em que eles estavam
envolvidos sexualmente.


Ela saiu do closet
vestindo uma camisola preta e discreta, mas que não deixava de ser extremamente
sexy! Claro que ela não deixou de perceber os olhos gulosos de Edward em todo o
seu corpo. Ela voltou para o banheiro, colocou a toalha no cesto de roupas
sujas e voltou para quarto. Edward ainda estava na mesma posição, porém sua
boca estava entre aberta e sua respiração era definitivamente irregular...


-- Ce cher tentant²!
Edward disse, deixando Isabella confusa, pois ela não entendia nada de francês
--- Ciel ! Ma bite vibre afin de vous voir ainsi³ ! 


-- Edward eu não entendo
francês! Ela disse tímida e Edward sorriu.


-- Venha para cama! Ele
disse, com o rosto inexpressivo, mas com os olhos brilhavam de desejo por ela —
Deve estar cansada!


Isabella sabia que ele
tinha segundas intenções, e por algum motivo ela estava se sentindo muito
feliz... ela também o queria... ela também o desejava... ela queria a boca e as
mãos dele em todo o seu corpo... esses pensamentos a fizeram tremer... Em
passos largos ela se deitou puxando o lençol sobre seu corpo e assim,
escondendo sua camisola.


-- Pode desligar a luz!
Ela sussurrou —Aaaaaaaaahh!!! Ela gritou assustada.


Edward fora bem mais
rápido do que ela imaginara. Em um minuto ela estava deitada com o lençol
cobrindo seu corpo, no segundo seguinte, Edward estava sobre ela prendendo as
mãos da menina sobre sua cabeça.


-- Você está linda com
essa camisola! Ele disse mordendo os lábios dela e os chupando — Mas vai ficar
melhor ainda sem ela! Ele passou sua língua pelos lábios dela. Uma das mãos
dele fora descendo as alças da camisola da jovem — Oh, ma chère, vous êtes à um
délices! Ma bite est se difficile à intérêt est en vous.(4) 


Isabella estava ofegante
e sua camisola estava toda encolhida em sua cintura, ela sabia que sua calcinha
estava encharcada de tanto tesão que ela sentia naquele momento. Sim, ela
também o queria dentro dela, a fazendo gemer e gritar quando chegasse ao
supremo orgasmo.


-- Vous êtes une belle solope! (5) Edward gemeu contra a boca da jovem —Vous êtes ma chienne!
(6).



Com um gemido agudo, ele
tomou a boca dela em um beijo cheio de desejos e urgência. As mãos dele estavam
de encontro aos seios dela, os quais ele apertava e beliscava, a fazendo gemer
contra sua boca. Logo a boca dele abandonou a dela, deixando um caminho de
fogo, ele seguiu beijando todo o rosto, pescoço e ombros da menina, até
tomar-lhe o seio direito na boca, sugando com força e torturando o outro seio
com suas mãos. Os seios da jovem Isabella estavam sensíveis, mas tão sensíveis
que ela somente tinha forças para gemer pedindo clemência.



-- Mon destin! (7) — Ele
gemeu.


A boca de Edward estava
faminta! O corpo do jovem tinha sede e fome do corpo de Isabella. Desejando
cada vez mais provar daquele corpo e daquela pele. Abandonado os seios delas,
ele fez um caminho de beijos seguindo para barriga lisa, parando no umbigo
delicado e saboroso... as mãos dele se livraram tanto da camisola quanto da
calcinha dela, os dedos dele tomaram conta do clitóris da esposa a torturando e
com as pontas dos dedos a deixando ainda mais sensível aos toques dele.



-- Oh! Edward! Ela gemia
curvando o corpo e arqueado as costas devido ao imenso prazer que sentia.


-- Sim minha querida!
Ele disse penetrando dois dedos dentro dela — Eu estou louco para te comer!


Ele sabia muito bem como
provocá-la, o corpo de Isabella respondeu aos toques do rapaz, assim como sua
respiração ganhou um novo ritmo acelerado. Os dedos de Edward prosseguiam a sua
tortura.


-- Aaaaaahhh!!! Ela
gritou quando a boca de Edward tomou o lugar de seus dedos.



Edward chupava e sugava
o clitóris inchado da jovem que se contorcia em baixo dele gemendo e puxando os
cabelos do rapaz. A língua dele era tão devastadora quando seus dedos, causando
nela um prazer descomunal. Ele mantinha um ritmo da tortura intenso, mesmo assim,
ele sentiu quando o corpo dela começou a dar os primeiros sinais de um orgasmo
gigantesco, só então ele parou e olhou para ela lambendo seus lábios que
estavam molhados pela excitação da moça.


-- Aaaah! Isabella gemeu
frustrada, pois ela estava tão perto e ele simplesmente parou...


-- Calma! Mon
chienne!(8) . Ele disse dando um sorriso malicioso para ela —
Você vai gozar minha querida! —Suas mãos passaram pelo corpo dela parando em
seus seios, apertando e beliscando os bicos rosados — Mas será no meu pau
querida!


O corpo de Isabella mais
uma vez se acendeu ao ouvir as palavras dele. Como ele podia lhe causar tamanho
êxtase em apenas uma frase. Edward se livrou de seu pijama. Isabella sabia que
ele não usava cueca para dormir o que facilitou muito para ambos... logo a boca
de Edward estava de volta no corpo de Isabella, provando-a e a torturando, a
deixando em chamas, seu dedos estavam dentro dela novamente, se movimentando e
dando prazer a ela. Edward se posicionou entre as pernas da esposa e logo em
segunda a preencheu com uma única investida.



-- Si serré! Ce qui
semble vierge! (9). Ele gemeu alto --- Dévorant ma bite!¹º


Isabella era tão
apertada e nada se comparava a sensação de estar dentro dela de novo, quente,
apertada e receptiva, sua boceta não havia mudado nada... aos poucos Edward
passou a se mover, arrancado de Isabella gemidos e palavras sem sentido. As
investidas dele era cada vez mais profundas. 




Devido à força empregada, o corpo
de Isabella escorregava pela cama, suas mãos arranhavam as costas de Edward,
que levado pelo delírio do prazer mudou de posição colocando Isabella para lhe
cavalgar.



-- Laissez-moi monter
délices!¹¹ Edward gemeu.


Isabella ainda sentia
vergonha de ficar tão exposta como estava naquele momento, mas o prazer que
sentia estava a guiando. Ela subia e descia sobre ele tão timidamente que
poderia até ser comparada a uma virgem em seu primeiro ato. Em outras vezes ela
era domada apenas pelo desejo, ela não sentia nada por ele além de uma simples
atração na qual o sexo era bom, mas agora ela sabia que gostava dele, sabia que
o amava... Tudo era diferente! Ela tinha medo de não conseguir satisfazê-lo
devidamente.


-- Aaaaaah! Ela gritou e suas mãos se
espalmaram sobre o peito másculo dele, seus olhos estavam totalmente focados
nos dele. Edward tinha acabada de lhe dar uma tapa na bunda, as marcas dos
dedos dele estavam na carne macia da bunda de Isabella...


-- Senta essa boceta
gostosa no meu pau e engole ele todinho Isabella! Ele rosnou.


Se Isabella ainda
estivesse de calcinha a teria molhado toda... o tom mandão dele estava lá, ele
segurou a cintura da menina e ditou um novo ritmo. Ela descia e subia no membro
do marido com forca, engolindo o pau do seu homem por completo. Ele estava
totalmente alojando dentro dela. O membro de Edward estava cada vez mais
inchado. Isabella parecia cada vez mais solta em sua cavalgada frenética. Os
lábios entre abertos e os olhos fechados a deixavam ainda mais linda e
combinavam perfeitamente com sua face corada e sua pele brilhante pelo suor de
seu corpo. 
Um movimento rápido de Edward fez com que Isabella ficasse de quatro
na cama para imediatamente ser preenchida por Edward.



-- AaaaaaaaaaaaaH! Ela
gritou gozando e fazendo seu corpo cair sobre a cama.


Edward passou as mãos
pelas costas dela, dando-lhe outra tapa em sua bunda, mas desta vez do lado
onde não havia batido antes, fazendo com que Isabella gemesse bem mais alto... 



Ela
se posicionou de modo que ele pudesse a penetrar novamente, e, foi exatamente o
que ele fez, a penetrou, movendo-se em um ritmo mais rápido e inebriante,
deixando Isabella quase inconsciente de tanto prazer, a fazendo gemer ainda
mais. Não foi necessário muitas investidas, logo Edward estava gozando e apertando
os dedos ao redor da cintura de Bella e  logo em seguida caiu ao lado dela na cama.


-- Você é uma delícia
querida! Ele sussurrou passando os dedos pelas costas dela — Agora durma
Isabella, tenho certeza que você vai querer voltar ao trabalho amanhã!


Isabella não tinha
forças para retrucar as palavras dele, mas ela não podia negar que estava cem
por cento feliz por ter sido muito bem fudida. Ela estava completamente
exausta! Não demorou muito para ela acabar dormindo. Edward ainda não sentia
sono, ele puxou o lençol e cobriu o corpo tanto dela quando o dele, porém antes
ele vestiu a camisola e a calcinha nela, pois Anthony tinha o péssimo hábito de
invadir o quarto pela manhã cedinho. Ele também vestiu sua cueca. Edward
depositou um beijo no ombro direito de Isabella e acariciou seus cabelos. Ela
era linda dormindo.



-- Você é minha,
querida! Apenas minha...


NOTAS FINAIS!


¹ Mon Cher!— Minha
querida!


² Ce cher tentant! – Você
está uma tentação minha querida!


³ Ciel ! ma bite vibre
afin de vous voir ainsi -- Céus! Meu pau vibra só de te ver assim.


4 Oh, ma chère, vous
êtes à um délices! Ma bite est se difficile à intérêt est en vous.-- Oh minha
querida você está uma delicia! Meu pau fica duro só para estar dentro de você.


5 Vous êtes une belle
solope -- Você é uma bela putinha.


6 Vous êtes ma chienne! --
Você é minha putinha.


7 Mon destin! -- Minha
perdição.


8 Chienne! – Putinha.


9 Si serré! ce qui
semble vierge! -- Tão apertada! Parece uma virgem.


¹º Dévorant ma bite –
Você está devorando meu pau.


¹¹. Laissez-moi monter
délices -- Vamos delícia cavalgue mim!


Continua.

Um comentário:

  1. em uma só palavra!este cap esta perfeito amiga sou sua FÃ NUMERO 1

    ResponderExcluir