Jul M

Oi

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Um Erro E Dois Acertos-- Capitulo 32


A verdade vem a tona.


Bella já estava com quatro meses de gestação e as coisas não haviam melhorado em nada. O seu humor era deprimente, passava o dia sentada numa cadeira de balanço que ficava em sua varanda e a noite ficava sozinha, já não desejava a companhia de Edward, pois suas palavras eram sempre frias e nunca havia um ato carinhoso, fato que estava a matando aos poucos. Sua barriga ganhou certo volume e ficou ainda mais inchada, ela sorria toda vez que olhava o seu ventre no espelho.

A garota estava fazendo tudo no quarto, tomava café da manhã, almoçava e jantava ali, ela saia para o jardim apenas quando Edward não estava em casa. Conversava com Marta sobre coisas banais, mas nada diziam sobre sua gravidez, Esme sempre estava por perto com medo de que ela cometesse uma loucura. As duas mantinham Edward informado sobre tudo a respeito de Isabella, somente assim tinha noticias dela. Quando eles iam ao médico nenhuma palavra era trocada, estavam vivendo uma vida medíocre desde a última vez que conversaram.

– Você poderia estar aproveitando esse momento junto comigo. – Ela reclamou.

– E ficar completamente frustrado quando chegar a hora? – Disse olhando-a sentada na cama com as mãos sobre o ventre inchado. – Eu sei que não há nada aí dentro a não ser vento! Você já deveria estar ciente disso também porque vai sofrer bem mais quando chegar a hora do parto e perceber que não há nada em sua barriga.

– Por que está dizendo isso? – Gritou nervosa. – Por que está fazendo isso comigo? É verdade que estou grávida, eu sinto! Eu sinto meu bebê se mexer e chutar Edward, por que você não acredita em mim? – Ela já chorava.

 – Eu queria acreditar em você, mas não tem chance alguma de Stefan estar errado. – Respondeu seco.

– Manda o Stefan ir para o inferno e aproveita e vai junto com ele seu idiota. – Gritou arremessando um vaso de flores em sua direção. – Sai daqui agora Edward Cullen porque nunca mais quero te ver.

 E essa fora a última vez que eles dirigiram a palavra um para o outro. Bella sentia a falta do namorado, queria aproveitar com ele esse momento, queria poder lhe contar as coisas, como foi o seu dia, conversar, contar as novas descobertas, seus desejos, como fora à sensação e emoção de senti-lo chutar pela primeira vez em seu ventre ou, quando mexeu apenas por não estar gostando de alguma música que estava ouvindo, queria ter o apoio e compreensão do pai do seu filho.

– Marta? – Chamou descendo as escadas. – Peça para o Garrett tirar o carro que preciso sair.

– Bella, ele sabe que você vai sair? – Marta perguntou.

– Eu só preciso de um pouco de ar Marta. – deu o seu melhor sorriso inocente.

 – Tudo bem.

Isabella já tinha tudo planejado. Fez Garrett levá-la para um parque que ficava próximo a um hospital, sentou-se no banco e ficou esperando um momento de distração do segurança para fugir, e, se fosse rápida, conseguiria fazer o que tanto desejava que era entrar no hospital e fazer um exame de gravidez com urgência. Ela sempre fora uma péssima mentirosa, porém sabia fazer um drama como ninguém mais. A garota viu sua chance no exato momento em que Garrett falava ao celular, provavelmente com Edward, ela se levantou, mexeu nas flores disfarçadamente e se colocou a correr, empurrou algumas pessoas assim que viu Garrett em sua cola. 

Correu em direção à multidão, a única coisa que precisava era chegar ao hospital e assim que atravessava a rua, olhou para trás tentando ver onde Garrett estava e de repente um grito rompeu de sua garganta e o seu corpo veio ao chão. Os barulhos dos freios podiam ser ouvidos até do outro lado do parque. A garota estava caída sobre o asfalto e em sua cabeça havia uma mancha de sangue, indicando que ali havia um ferimento que poderia ser sério.

(...)

Stefan Scott era médico há quase trinta anos, boa parte desse tempo passou servindo a família Volturi, pois devia grandes favores para eles, se hoje era um médico de prestígio perante a sociedade, fora pela ajuda de Aro Volturi.

Ele ficou muito surpreso ao encontrar Jane em sua sala naquela manhã e pelo belo sorriso que tinha no rosto provavelmente iria pedir algum favor. Não era a primeira vez que ela pediria sua ajuda, já havia precisado dele para fazer um aborto quando teve uma gravidez indesejada, quando precisou de alguns remédios específicos, entre outras coisas.

– Senhorita Volturi! Que bom vê-la novamente, em que posso ajudá-la dessa vez?

– Stefan eu vou direto ao assunto, até porque tenho pouco tempo. – Disse olhando para o médico. – Você tem marcado para hoje uma paciente chamada Isabella Swan e ela virá acompanhada de Edward Cullen.

– Sim, está marcada para dez da manhã.

– Ouvi boatos de que ela possa estar grávida. – Fitou o médico. – Escute com atenção Stefan, eu quero que você faça exatamente isso aqui...

 Em meio a várias palavras fora dizendo o que desejava que ele fizesse caso a gravidez fosse verdadeira.

– Agora que já sabe o que tem que fazer, faça! – O olhou friamente.

– Senhorita Jane isso é errado e pode ser prejudicial tanto para ela, quanto para o bebê se estiver realmente grávida, pois precisa fazer o pré-natal.

– Não é problema meu! Stefan  tudo o que você tem foi meu pai quem te deu, se está aqui nesse lugar, nessa sala e com esse prestígio todo foi pela ajuda dele. Se estiver tão preocupando com ela e a saúde desse bastardo, arrume uma desculpa e fique de olho neles, mas não se esqueça o que tem que fazer.

– E quando o bebê nascer? O que vai fazer?

– Deixe isso comigo, apenas quero ser informada de tudo e na hora dou um jeito.

– Jane você sabe que isso pode destruir meu histórico médico, né!?

– Com o dinheiro que vou te dar poderá começar sua vida em outro lugar, longe de tudo isso aqui, então não há nenhum problema! – Disse caminhando até a porta.

(...)

Edward estava na empresa junto com Emmett e Jacob, ele sabia que havia muito trabalho acumulado, mas não tinha cabeça para resolver tudo, e, hoje, Isabella parecia que queria contrariar todas as suas ordens. Ela havia saído de casa e ido para o outro lado da cidade só para a um parque maldito.

 – Problemas chefe? – Jacob perguntou deixando os papéis de lado.

– Isabella saiu de casa.

– Isso é bom porque mostra que ela ainda está viva.

– Ela fez Garrett levá-la para o outro lado da cidade apenas para ir num parque, sendo que tem um perto de casa. – Respondeu sem ânimo.

– Não acha que está exagerando não?

– Eu já disse isso para ele! – Emmett comentou. – Não vai me surpreender em nada se um dia ela fugir de você.

– Só estou cuidando dela.

– Você está sufocando ela, isso sim! – Jacob emendou. – Nem mesmo Nessie pode visitá-la, sem contar que controla cada passo que a garota dá, como se já não fosse ruim o suficiente saber que sua gravidez não passa de uma doença psicológica ainda tem você para atormentá-la mais.

– Vocês não sabem de nada – Disse completamente alterado. – É a minha mulher que está com gravidez psicológica, é a minha mulher que não aceita isso, não a de vocês. Isabella está sofrendo e eu estou tentando ajudá-la, seria muito mais fácil se ela tentasse entender e aceitar que essa gravidez não é real.

Ele já estava nervoso e para piorar tudo o seu celular tocou no mesmo instante em que se calou. Olhou para o visor e reconheceu o número de Garrett.

– O que foi agora? – Perguntou, mas sua feição mudou imediatamente. – Estou indo para aí agora!

 Edward rapidamente puxou o casaco da cadeira e pegou as chaves do carro, Emmett e Jacob já estavam de pé somente esperando alguma ordem, porém Jacob notou que era algo grave e como Garrett havia ligado, com toda certeza era porque fora com Isabella.

– O que aconteceu? – Perguntou para o chefe.

– Isabella sofreu um acidente e estou indo para o hospital onde ela está – Respondeu já na porta.

– Vamos com você! – Disseram os dois juntos saindo com Edward.

(...)

 Edward entrou correndo no corredor do hospital e fora direto falar com a recepcionista que indicou o quarto onde Isabella e bem na porta encontrava-se Garrett. Assim que o segurança o viu já foi logo falando.

 – Eu não tive culpa. – Falou com medo da reação do chefe. – Ela fugiu de mim quando estava falando com o senhor!

– Como ela está? – Edward fora duro com as palavras ignorando as  explicações de Garrett.

– Eu não sei! – Abaixou a cabeça. – O médico ainda está aí dentro com ela.

– Então vamos esperar. – Jacob anunciou tocando o ombro de Edward. – Calma cara, vai ficar tudo bem!

– Se alguma coisa acontecer com ela, juro que mato você. – Ameaçou.

As horas foram se passando e nada do médico sair de lá, parecia que  ninguém se importava em dar noticias. Esme já estava no hospital e Carlisle a acompanhava, ele não era o maior fã de Isabella, mas estava pelo filho e de algum modo devia aquela garota muito mais do que um dia poderia pagar, pios ela havia salvado a vida de Edward e para esse gesto não tinha preço.

– Fique calmo filho. – Esme tentou conte-lo.

– Mas já faz muito tempo que o médico está aí dentro com ela, sem contar que toda hora entra e sai uma enfermeira e nada de notícias.

– Eles estão cuidando dela. – Esme tentou consolá-lo. – Vai ficar tudo bem, você vai ver.

O médico por fim saiu da sala com vários papéis nas mãos e sua prancheta, ele olhou algo neles e se voltou para os que estavam no corredor.

– Parentes de Isabella Swan!

– Somos nós. – Edward disse rapidamente.

– O que são dela?

– Sou o marido dela! – Respondeu de imediato, pois queria noticias logo. – Como ela está? Teve algum problema grave? Por favor, doutor não nos esconda nada.

– A senhora Swan...

– Cullen! – Edward corrigiu o médico. – É senhora Cullen, Swan é o sobrenome de solteira dela.

Ele não sabia dizer por que aquelas palavras lhe incomodaram tanto, afinal eles nem eram casados mesmo e o namoro andava piorando cada vez mais depois que descobriram da gravidez psicológica.

– A senhora Cullen está bem, apenas teve um pequeno ferimento na cabeça e seu braço esquerdo  quebrou devido à queda, então tivemos que  engessá-lo e imobilizá-lo. Ela não poderá fazer movimentos bruscos, pois sentirá dores nas costas e nas pernas.

– Graça a Deus! – Esme respirou mais aliviada.

– Agora sobre o bebê... – O médico tentou falar, mas fora interrompido por Edward.

– Nós já sabemos que é uma gravidez psicológica, já estamos ciente de tudo.

– Como assim? – O médico perguntou confuso. – A senhora Cullen está realmente grávida.

 Edward espantado para o médico que parecia tão confuso quanto todos ali.

– Grávida? – Questionou incrédulo. – Será que poderia me explicar o que está acontecendo?

– Bom, como eu ia dizendo antes de voce me interromper... – Fora sarcástico com Edward. – O bebê está bem, mas foi pura sorte ter sobrevivido, pois a batida e o local onde ela foi atingida poderiam ter causado um aborto. Me parece que seu filho quer muito vir ao mundo senhor Cullen, tanto que não sofreu nenhum dano. –Todos o olhavam com cara de bobos. – Ela está meio fraca por isso vou recomendar algumas vitaminas e depois algum tipo de atividade física, mas nada tão pesado, tem que ser algo leve senhor Cullen, está me entendo?

– Sim doutor! – Fora Esme quem respondera chorando de emoção enquanto Edward estava em choque.

– Sobre a suposta gravidez psicológica de sua esposa, eu recomendo falar com o médico que deu esse diagnóstico, ou ele está maluco, ou realmente quer prejudicar essa gravidez. A senhora Cullen está de dezesseis semanas, mas infelizmente não conseguimos ver o sexo do bebê. – Sorriu gentilmente. – Se desejar vê-la já pode entrar porque ainda está acordada.

– Obrigado doutor! – Esme agradeceu, pois Edward ainda estava congelado no mesmo lugar.

Por fim Isabella tinha razão, havia vida dentro de seu ventre, havia um filho seu ali dentro e Edward já não sabia mais o que fazer, pois de todos os erros que cometera com Isabella, sem sombra de dúvidas, esse ela não iria perdoar tão facilmente, ainda mais depois de tudo que ele havia dito nos últimos dias que se passaram.

Continua..

4 comentários:

  1. ai meu deus e agora o q vai acontecer com o edward será q a bella irá perdoa-lo,estou aguardando anciosa os proximos capitulos

    ResponderExcluir
  2. omg!!!!!!! e agora??? proximo!!!!! to muito ansiosa para o proximo

    ResponderExcluir
  3. ai e agora!!! se abellinha nao o perdoa,posta logo o proximo,,

    ResponderExcluir
  4. Gente do céu o que foi isso....

    Bem feito pro Ed....

    Coitada da Bells....

    Muito melhor agora séria se ela desse um gelo no Edie...

    hsuahsuahsuhau

    Parabéns.... ótima estória....

    ResponderExcluir